Você está na página 1de 3

TRABALHADOR RURAL SEGURADO ESPECIAL

Documentos servíveis como início de prova material: em nome próprio ou em nome de membros do grupo familiar da parte autora
Rol de documentos descrito no art. 106 da Lei n.º 8.213/91 é meramente
► AgRg no REsp 1.218.286/PR, Rel. Ministro Gilson Dipp, DJ 28.02.2011
exemplificativo
Documentos em nome de terceiros integrantes do grupo familiar. ► PEDILEF nº 2005.81.05.107224-2/CE, Rel. Juiz Fed. José Antonio Savaris, DJ 25.02.2010
► PEDILEF nº 2006.72.95.010502-5/SC, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, julgado 08.04.2010
Certidão do INCRA em nome do pai.
► PEDILEF nº 2008.72.55.007778-3/SC, Rel. Juiz Fed. José Eduardo do Nascimento, julgado 10.05.2010
Guia de recolhimento de ITR em nome do pai. ► PEDILEF nº 2008.72.55.007778-3/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, julgado 10.05.2010
Comprovante de recolhimento de imposto sobre exploração agrícola. ► PEDILEF nº 2006.72.95.011963-2/SC, Rel. Juiz Fed. José Eduardo do Nascimento, DJ 25.05.2010
Matrícula de propriedade rural. ► PEDILEF nº 2004.83.20.00.3767-0/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 13.10.2009
Certidão do Registro de Imóveis relativa a propriedade rural. ► PEDILEF nº 2006.70.95.014573-0/PR, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 28.07.2009
Escritura de propriedade rural. ► PEDILEF nº 2004.83.20.003767-0/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 13.10.2009
Declaração do Fundo de Terras de Pernambuco (FUNTEPE). ► PEDILEF nº 2007.83.00.526657-4/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
Certidão de casamento do pai. ► PEDILEF nº 2007.70.95.000280-7/PR, Rel. Juiz Fed. Valter Antoniassi Maccarone, DJ 10.10.2008
Certidão de casamento da parte autora. ► PEDILEF nº 2003.81.10.027572-0/CE, Rel. Juiz Fed. Ricarlos Almagro V. Cunha, DJ 13.05.2010
► PEDILEF nº 2007.70.95.000280-7/PR, Rel. Juiz Fed. Valter Antoniassi Maccarone, DJ 10.10.2008
Certidões de nascimento de irmãos.
► PEDILEF nº 2006.72.59.000860-0/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 29.09.2009
Certidão de óbito de irmão. ► PEDILEF nº 2006.70.95.012605-0/PR, Rel. Juiz Fed. Élio Wanderley de S. Filho, DJ 07.11.2008
Certidão de alistamento militar da parte autora. ► PEDILEF nº 2006.72.59.000860-0/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 29.09.2009
Certidão da Justiça Eleitoral com indicação do exercício de atividade rural. ► PEDILEF nº 2007.83.02.505452-7/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 09.07.2009
Titulo eleitoral da parte autora. ► PEDILEF nº 2006.72.59.000860-0/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 29.09.2009
Folha de Pagamento de Programa Permanente de Combate à Seca. ► PEDILEF nº 2007.83.03.504233-9/CE, Rel. Juiz Fed. José Antonio Savaris, DJ 12.02.2010
► PEDILEF nº 2003.83.20.005917-9/PE, Rel. Juiz Fed. Guilherme Bollorini Pereira, DJ 17.05.2005
Ficha de Sindicato Rural. ► PEDILEF nº2007.83.00.526657-4/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
► PEDILEF nº 2003.81.10.004265-7/CE, Rel. Juiz. Fed. Ivorí Luis da Silva Scheffer, DJ 01.03.2010
► PEDILEF nº 2003.81.10.025191-0/CE, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 26.01.2010
Carteira de filiação a Sindicato Rural.
► PEDILEF nº 2007.83.00.526657-4/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
► PEDILEF nº 2007.83.00.526657-4/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
Recibos de pagamento a Sindicato Rural.
► PEDILEF nº 2004.81.10.009403-0/CE, Rel. Juiz Fed. Ricarlos Almagro V. Cunha, DJ 12.02.2010
Ficha de contribuição a Associação de Pequenos Produtores Rurais. ► PEDILEF nº 2007.83.00.526657-4/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
Ficha de cadastramento familiar realizado pela Secretaria de Saúde do
► PEDILEF nº 2004.81.10.009403-0/CE, Rel. Juiz Fed. Ricarlos Almagro V. Cunha, DJ 12.02.2010
Município de residência da parte autora.
Prontuário médico de Posto de Saúde constando a profissão. ► PEDILEF nº 2007.83.05.501035-6/PE, Rel. Juiz Fed. Ricarlos Almagro V. Cunha, DJ 13.05.2010
Recibos do Programa Hora de Plantar da Secretaria de Agricultura e Reforma
► PEDILEF nº 2003.81.10.027572-0/CE, Rel. Juiz Fed. Ricarlos Almagro V. Cunha, DJ 13.05.2010
Agrária do Ceará.
Recebimento de pensão por morte de trabalhador rural ► AC 0049765-71.2010.4.01.9199 / MG, Rel. DES. FRANCISCO DE ASSIS BETTI, DJ 25.11.2011
A existência de nascimento de filhos em comum do casal é prova da
existência de união estável, transmitindo-se, assim, a condição de rurícola ► AC- 0002043-51.2004.4.01.9199, Desembargador Federal Francisco de Assis Betti, DJ de 29.4.2010
do companheiro à companheira
Certificado de Cadastro de Imóvel Rural – CCIR ► AC 0049765-71.2010.4.01.9199 / MG, Rel. DES. FRANCISCO DE ASSIS BETTI, DJ 25.11.2011
Nota de vacinação de animais ► ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº201070570016881/PR, Rel. Juíza Ana Carine Busato Daros
Documentos servíveis como início de prova material: em nome de terceiros estranhos ao grupo familiar da parte autora
Documentos relativos a propriedade ou posse rural pertinentes à terra na ► PEDILEF nº 2006.83.03.501599-0/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 26.11.2008
qual a parte autora teria trabalhado [como comprovante de ITR, Certidão do ► PEDILEF nº 2005.39.00.708920-0/PA, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 29.05.2009
Registro de Imóveis, Declaração do Instituto de Terras de Tocantins ► PEDILEF nº 2006.43.00.906123-6/TO, Rel. Juiz Fed. Élio Wanderley da S. Filho, DJ 28.07.2009
(ITERTINS), histórico oficial de posse de área rural]. ► PEDILEF nº 2006.70.95.014573-0/PR, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 28.07.2009
Documentos inservíveis como início de prova material
► PEDILEF nº 2006.83.03.501599-0/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 26.11.2008
Declaração de Sindicato de Trabalhadores Rurais não homologada pelo
► PEDILEF nº 2007.72.55.009096-5/SC, Rel. Juiz Fed. Élio Wanderley de S. Filho, DJ 28.07.2009
Ministério Público ou pelo INSS.
► PEDILEF nº 2008.32.00.703599-2/AM, Rel. Juiz Fed. José Eduardo do Nascimento
Declarações em Geral. ► PEDILEF nº 2007.83.00.526657-4/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
Declaração fornecida por suposto vizinho, por consubstanciar mera prova
► PEDILEF nº 2006.83.02.503892-0/PE, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 29.05.2009
testemunhal reduzida a escrito.
Declaração fornecida por suposto parceiro rural, sem base em nenhum
documento específico (como contrato de parceria escrito), por ► PEDILEF nº 2006.70.95.014573-0/PR, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 28.07.2009
consubstanciar mera prova testemunhal reduzida à escrito.
Declaração fornecida por suposto feirante que comercializaria alimentos
produzidos pela parte autora, sem base em nenhum documento específico, ► PEDILEF nº 2006.83.00.521010-2/PE, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 09.02.2009
por consubstanciar mera prova testemunhal reduzida à escrito.
Documentos que contêm anotação da profissão da parte autora e de seu
cônjuge preenchida posteriormente ao preenchimento do documento e ► PEDILEF nº 2005.84.00.503903-4/RN, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 26.11.2008
com visível adulteração.
Certidão do INCRA com data posterior ao óbito do pai da parte autora. ► PEDILEF nº 2002.61.84.002017-8/SP, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 25.03.2009
Contemporaneidade. “Para fins de comprovação do tempo de labor rural, o início de prova material deve ser contemporâneo à época dos fatos a provar” (Súmula nº 34 da TNU)
► PEDILEF nº 2005.82.01.50.0855-8/PB, Rel. Juiz Fed. Leonardo Safi de Melo, DJ 22.01.2008
Aposentadoria por tempo de serviço. Os documentos devem ser ► PEDILEF nº 2006.70.51.003868-6/PR, Rel. Juiz Fed. Cláudio Roberto Canata, DJ 28.07.2009
contemporâneos ao período de tempo de serviço que se pretende ► PEDILEF nº 2005.70.95.005818-0/PR, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 04.09.2009
reconhecer. ► PEDILEF nº 2006.72.59.000860-0/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 29.09.2009
► PEDILEF nº 2005.72.95.020412-6/SC, Rel. Juiz Fed. José Antonio Savaris, DJ 25.02.2010
► PEDILEF nº 2008.70.95.000032-3/PR, Rel. Juíza Rosana Noya W. Kaufmann, julgado 03.08.2009
► PEDILEF nº 2005.84.00.503903-4/RN, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 26.11.2008
Aposentadoria por idade. Os documentos devem ser contemporâneos ao
► PEDILEF nº 2008.70.95.000507-2/PR, Rel. Juiz Fed. Manoel Rolim Campbell Penna, DJ 28.07.2009
período de carência do benefício.
► PEDILEF nº 2007.32.00.702654-0/AM, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 13.10.2009
► PEDILEF nº 2008.70.95.000175-3/PR, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 13.05.2010
Bóia-fria. Dispensa-se a exigência de início de prova material
contemporânea, por se entender que a prova pode ser exclusivamente ► PEDILEF nº 2008.70.95.000032-3/PR, Rel. Juíza Fed. Rosana Noya A. W. Kaufmann, julgado 03.08.2009
testemunhal.
Documento rural modificado recentemente para inclusão de endereço rural
► PEDILEF nº 2006.83.02.501559-1/PE, Rel. Juiz Fed. Cláudio Roberto Canata, julgado em 10.05.2010
não serve como início de prova material contemporânea.
Extensão da eficácia probatória do início de prova material pela prova ► PEDILEF nº 2005.72.95.020412-6/SC, Rel. Juiz Fed. José Antonio Savaris, DJ 25.02.2010
testemunhal.
Outras matérias relativas a tempo de serviço rural
Basta a apresentação de um documento servível como início de prova
material e que seja contemporâneo, não sendo necessária a apresentação
de documentos que abranjam todo o período pretendido, dada à ► PEDILEF nº 2007.71.66.001281-8/RS, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, julgado em 10.05.2010
possibilidade de extensão no tempo da eficácia probatória da prova ► PEDILEF nº 2007.72.95.005733-3/SC, Rel. Juiz Fed. Derivaldo de Figueredo Bezerra Filho, DJ 24.06.2010
documental pela prova testemunhal, que pode ter eficácia retrospectiva e
prospectiva se o exame da prova testemunhal o permitir.
Períodos de atividade rural exercida de forma intercalada com atividade
urbana. Impossibilidade de utilização do princípio da continuidade do ► PEDILEF nº 2007.72.53.001531-7/SC, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 24.06.2010
trabalho rural.
► PEDILEF nº 2005.72.95.017426-2/SC, Rel. Juiz Fed. Sebastião Ogê Muniz, DJ 13.05.2009
► PEDILEF nº 2007.72.62.00.0191-5/SC, Rel. Juiz Fed. Élio Wanderley da S. Filho, DJ 15.09.2009
Exercendo o cônjuge atividade urbana ou sendo titular de benefício urbano, ► PEDILEF nº 2006.83.05.502021-7/PE, Rel. Juiz Fed. Cláudio Roberto Canata, DJ 07.10.2009
deve ficar comprovada a indispensabilidade do trabalho rural para a ► PEDILEF nº 2007.70.63.000210-9/PR, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 08.01.2010
subsistência da família. ► PEDILEF nº 2008.70.61.000102-5/PR, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 01.03.2010
► PEDILEF nº 2008.70.61.000102-5/PR, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 01.03.2010
► PEDILEF nº 2005.72.95.009170-8/AM, Rel. Juiz Fed. José Eduardo do Nascimento, DJ 11.06.2010
Bóia-fria. É possível a comprovação do respectivo tempo de serviço com
► PEDILEF nº 2008.70.95.002549-6/PR, Rel. Juiz Fed. Derivaldo de F. B. Filho, julgado 10.05.2010
base em prova exclusivamente testemunhal.
Regime de economia familiar. Produção agrícola ínfima não configura o
► PEDILEF nº 2007.83.05.503913-9/PE, Rel. Juiz Fed. Eduardo André de B. Fernandes, DJ 01.03.2010
regime de economia familiar.
Tamanho da propriedade rural não é capaz de descaracterizar o regime de
► AgRg no REsp 1.042.401/DF, Relator Ministro Arnaldo Esteves Lima, DJ 16/2/2009
economia familiar do segurado
Qualificação do marido como trabalhador rural é extensível à esposa,
quando alicerçada em atos do registro civil, para efeitos de início de prova ► AgRg no AREsp 162.768/GO, Rel. Ministro Castro Meira, DJ 21/8/2012
documental
Ainda que a certidão pública nas condições acima seja a única prova
material e não haja prova documental do labor rural após o óbito do
cônjuge qualificado como trabalhador rural, está caracterizada a qualidade ► AgRg no AREsp 187.961/MT, Rel. Ministro Herman Benjamin, DJ 11/9/2012
de segurado especial se a continuidade do labor agrícola for atestada por
robusta prova testemunhal.
Assentamentos de registro civil, constitui indício aceitável de prova material
do exercício da atividade rural, nos termos do art. 55, § 3º, da Lei nº
► AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 67.393 - PI (2011/0245253-8)
8.213/1991, podendo, inclusive, produzir efeitos para período de tempo
anterior e posterior nele retratado
Não é imperativo que o início de prova material diga respeito a todo período
de carência estabelecido pelo artigo 143 da Lei nº 8.213/91, desde que a
► AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.362.145 – SP, Ministro Mauro Campbell Marques, DJ 21.03.2013
prova testemunhal amplie sua eficácia probatória, vinculando-o, pelo
menos, a uma fração daquele período
Aplicação do princípio "pro misero" ► RECURSO ESPECIAL Nº 1.304.479 – SP, Rel. Ministro Herman Benjamin, 02.10.2012
A prova documental permite concluir que o marido da requerente é
produtor rural e, não, segurado especial, qualidade que, por presunção, ► AÇÃO RESCISÓRIA Nº 4.148 – SP, Rel. Ministra Maria Thereza De Assis Moura, 26.09.2012
poderia ser estendida à autora.
Nos termos do artigo 11, VII, da Lei nº 8.213/1991, a atividade rural em
imóvel, no qual a exploração supera o indispensável à própria subsistência e
► AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.235.324 – MG, Ministro Marco Aurélio Bellizze
de sua família, descaracteriza o exercício de atividade rural em regime de
economia familiar.
APOSENTADORIA POR IDADE
Não se deve exigir do segurado rural que continue a trabalhar na lavoura até
às vésperas do dia do requerimento do benefício de aposentadoria por
idade, quando ele já houver completado a idade necessária e comprovado o ► REsp. 1.115.892/SP, Rel. Min. Felix Fischer, DJ 14.9.2009
tempo de atividade rural em número de meses idêntico à carência do
benefício
RURAL. O tempo de serviço rural não fica descaracterizado pelo exercício
► PEDILEF nº 2007.70.95.014574-6/PR, Rel. Juiz Fed. Manoel Rolim Campbell Penna, DJ 09.02.2009
de atividade urbana por curtos períodos de forma intercalada com atividade
► PEDILEF nº 2004.81.10.013382-5/CE, Rel. Juíza Fed. Rosana Noya A. W. Kaufmann, DJ 19.08.2009
rural dentro do período de carência.
RURAL. O tempo de serviço rural fica descaracterizado pelo exercício de
► PEDILEF nº 2007.83.04.500951-5/PE, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 13.10.2009
atividade urbana por períodos significativos de forma intercalada com
► PEDILEF nº 2003.81.10.015534-8/CE, Rel. Juíza Fed. Rosana Noya A. W. Kaufmann, julgado 16.11.2009
atividade rural dentro do período de carência.
► PEDILEF nº 2006.70.95.014126-8/PR, Rel. Joana Carolina L. Pereira, DJ 09.03.2009
O tempo de carência previsto na tabela progressiva do art. 142 da Lei nº
► PEDILEF nº 2005.72.95.017041-4/SC, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 13.10.2009
8.213/91 deve sempre ser aferido com base no ano do implemento da
► PEDILEF nº 2007.72.59.002187-5/SC, Rel. Juiz Fed. Derivaldo de F. B. Filho, julgado 10.05.2010
idade, ainda que a idade tenha sido completada depois da perda da
► PEDILEF nº 2009.72.58.000913-9/SC, Rel. Juíza Fed. Rosana Noya A. W. Kaufmann, julgado 10.05.2010
condição de segurado rural.
► PEDILEF nº 2007.72.51.004222-4/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva
Da mesma forma que em relação ao urbano, a tabela progressiva de
carência do art. 142 da Lei nº 8.213/91 somente se aplica ao rural que
comprove o exercício de trabalho antes de 24.07.91. Pode comprovar ► PEDILEF nº 2007.83.03.501020-0/PE, Rel. Juiz Fed. Cláudio Roberto Canata, DJ 23.03.2010
exercício anterior de trabalho rural ou mesmo de trabalho urbano, dada à ► PEDILEF nº 2008.32.00.704017-5/AM, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva
admissibilidade de descontinuidade do trabalho rural mediante intercalação
de atividade rural com atividade urbana.
► PEDILEF nº 2005.70.95.001604-4/PR, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 29.05.2009
A aposentadoria por idade de valor mínimo, que independe de contribuição,
► PEDILEF nº 2007.70.95.005263-0/PR, Rel. Juiz Fed. Otávio Henrique Martins Port, DJ 09.07.2009
pressupõe o exercício de atividade rural no período imediatamente anterior
► PEDILEF nº 2005.72.95.015386-6/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 04.09.2009
ao requerimento do benefício, conforme exigido pelo art. 143 da Lei nº
► PEDILEF nº 2007.83.04.500949-7/PE, Rel. Juiz Fed. Eduardo André de B. Fernandes, DJ 01.03.2010
8.213/91, não cabendo a aplicação da Lei nº 10.666/2003.
► PEDILEF nº 2007.72.95.005618-3/SC, Rel. Juiz Fed. Ricarlos Almagro V. Cunha, DJ 25.05.2010
► PEDILEF nº 2007.83.05.501785-5/PE, Rel. Juiz Fed. Sebastião Ogê Muniz, DJ 28.01.2009
O tempo de serviço rural do segurado especial não fica descaracterizado ► PEDILEF nº 2007.72.59.002088-3/SC, Rel. Juiz Fed. Élio Wanderley da S. Filho, DJ 16.03.2009
pelo exercício de atividade urbana pelo cônjuge, desde que fique ► PEDILEF nº 2004.81.10.011325-5/CE, Rel. Juiz Fed. José Antonio Savaris, DJ 12.02.2010
demonstrada a indispensabilidade do trabalho rural para o sustento da ► PEDILEF nº 2007.70.53.002225-1/PR, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, julgado em
família. ► PEDILEF nº 2007.72.62.000603-2/SC, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira
► PEDILEF nº 2007.83.02.501522-4/PE, Rel. Juiz Fed. José Eduardo do Nascimento
O tempo de serviço rural do segurado especial não fica descaracterizado,
por si só, pelo recebimento de pensão urbana ou rural no valor de um ► PEDILEF nº 2007.83.04.500833-0/PE, Rel. Juiz Fed. Sebastião Ogê Muniz, DJ 28.01.2009
salário mínimo.
Tempo de serviço anterior à Lei nº 8.213/91 não pode ser utilização para
► PEDILEF nº 2007.63.06.000991-3/SP, Rel. Juiz Fed. Sebastião Ogê Muniz, DJ 07.07.2009
elevação do coeficiente de cálculo de aposentadoria por idade urbana.
É dado ao segurado contribuir ao RGPS em tempo posterior ao
cumprimento da idade legal até que reúna o número de contribuições
► PEDILEF nº 2008.70.53.001663-2/PR, Rel. Juiz Fed. José Antonio Savaris, DJ 25.05.2010
exigidas pela carência, que é graduada, sempre, pelo ano do implemento do
requisito etário.
A extensão da propriedade rural, por si só, não é fator que impeça o
► AgRg no REsp 1.283.452/MT, Rel. Min. Jorge Mussi, DJ 08.03.2012
reconhecimento da atividade rural em regime de economia familiar.
Ainda que o documento apresentado seja anterior à ação originária, esta
Corte, nos casos de trabalhadores rurais, tem adotado solução pro misero ► AgRg no REsp 1.283.452/MT, Rel. Min. Jorge Mussi, DJ 08.03.2012
para admitir sua análise, como novo, na rescisória.
Dispensa-se o recolhimento de contribuição para averbação do tempo de
serviço rural em regime de economia familiar relativo a período anterior à
► AÇÃO RESCISÓRIA Nº 3.426 – RS, Rel. Ministro Sebastião Reis Júnior, DJ 24.10.2012
Lei n. 8.213/1991 para fins de aposentadoria por tempo de contribuição
pelo Regime Geral da Previdência Social (RGPS).
A atividade escolar, por si só, não impede o reconhecimento de trabalho
► Turma Regional de Uniformização da 4ª Região - autos nº 2006.71.95.016795-8, Rel. Luísa Hickel Gamba. DJ 08.09.2009
rural, em regime de economia familiar, exercido pelo filho do agricultor
► JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200770500088600/PR, Rel. Juiz Federal José Antonio Savaris
durante o período letivo.
Arrendamento de 50% das terras. Possibilidade. ► JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200770540012667/PR, Rel. Juíza Luciane Merlin Clève Kravetz
Anotação relativa à atividade profissional, no certificado de dispensa de
incorporação, está, na maioria dos casos, escrita a lápis, o que não retira a ► TRF4, ApelReex 2004.70.00.024176-0, 5ª Turma, Rel. João Batista Lazzari, DE 17.08.2009
força probante do documento se é possível perceber que a escrita é ► TRF1, AC 1999.01.00.003503-3, 2ª Turma, Rel. Jirair Aram Meguerian, e-DJF1 04.05.2009
contemporânea à época de sua confecção.
Descontinuidade da atividade pro 4 anos – possibilidade ► JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº201070530000709/PR, Rel. Juiz Federal José Antonio Savaris
Segurado especial - mandato de vereador - possibilidade ► JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200970560026760/PR, Rel. Juíza Andréia Castro Dias, 31.05.2011
Excesso de produção – cooperativa informal - possibilidade ► JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200970570007518/PR, Rel. Juíza Federal Narendra Borges Morales
Utilização de maquinário ► JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200970570018966/PR, Rel. Juiz Federal José Antonio Savaris
AUXÍLIO-DOENÇA E APOSENTADORIA POR INVALIDEZ
Data de início do benefício (DIB) por incapacidade ou termo inicial da
condenação. Em se tratando de restabelecimento de benefício por
incapacidade e em sendo a incapacidade decorrente da mesma doença que
► PEDILEF nº 2007.63.06.005169-3/SP, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 21.11.2008
justificou a concessão do benefício cancelado, há presunção de
► PEDILEF nº 2007.63.06.005163-2/SP, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 28.07.2009
continuidade do estado incapacitante a ensejar a fixação da data de início
do benefício (DIB) ou termo inicial da condenação desde a data do indevido
cancelamento.
SALÁRIO-MATERNIDADE
A concessão de salário-maternidade à trabalhadora rural depende da
► PEDILEF nº 2007.32.00.702607-8/AM, Rel. Juiz Fed. Élio Wanderley de S. Filho, DJ 07.11.2008
comprovação do trabalho rural no período de carência mediante a
► PEDILEF nº 2008.32.00.702653-0/AM, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 08.01.2010
apresentação de início de prova material contemporânea ao período de
► PEDILEF nº 2004.81.10.027622-3/CE, Rel. Juíza Fed. Joana Carolina L. Pereira, DJ 24.06.2010
carência.
De 25.07.91 a 23.06.2008, a menor pode começar a contar tempo de
carência a partir dos 14 anos de idade para fins de concessão de salário-
► PEDILEF nº 2007.72.95.000807-3/SC, Rel. Juíza Fed. Jacqueline Michels Bilhalva, DJ 16.03.2009
maternidade. Depois disso, só a menor rural só pode começar a contar
tempo de carência a partir dos 16 anos de idade.
O fato do contrato de parceria agrícola ter sido celebrado a menos de dois ► EDcl no REsp nº 658.634/RS, Relatora a Ministra Laurita Vaz, DJ 30.05.2005
meses da data do parto, em nada obsta o direito da parte à concessão do ► AREsp nº 67.376/GO, Relator o Ministro Sebastião Reis Júnior, DJ 11.05.2012
salário-maternidade, na medida em que a lei não impôs tal restrição ► REsp nº 1.317.448/CE, Relator o Ministro Humberto Martins, DJ 02.05.2012
AUXÍLIO-ACIDENTE
Necessidade de contribuir facultativamente ► AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 149.912 – RS, Rel. Ministro Herman Benjamin, DJ 22.05.2012
PENSÃO POR MORTE
Autora recebe pensão por morte previdenciária do marido como
industriário, no valor de R$1.378,16, consoante MPAS juntado pelo INSS às
► RECURSO ESPECIAL Nº 1.306.780 – TO, Rel. Ministro Herman Benjamin
fís. 98, o que descaracteriza o regime de subsistência necessário à concessão
do beneficio e o início de prova material apresentado