Você está na página 1de 7

DISCIPLINA DOCÊNCIA ORIENTADA

1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ALUNO


INSTITUIÇÃO: Universidade Federal de Santa Maria, UFSM
CENTRO: Centro de Ciências Rurais, CCR
CURSO: Doutorado em Agronomia (Programa de Pós-Graduação em Agronomia)
DEPARTAMENTO: Departamento de Defesa Fitossanotária
DISCIPLINA: Entomologia Agrícola (DFS 1001)
SEMESTRE: 1º de 2008
PROFESSOR ORIENTADOR/RESPONSÁVEL: Prof. Dr. Jerson Vanderlei Carús Guedes
ALUNO: Rejane Cristina Roppa Kuss

2- OBJETIVOS

OBJETIVOS PARA O PÓS-GRADUANDO:


Desenvolver habilidades didáticas para atividades de ensino em sala de aula, bem
como, as habilidades para a construção e apresentação de assuntos relacionados ao tema
abordado com aprofundamento científico e qualidade didático-pedagógica, frente a estudantes
de graduação.

OBJETIVO DO TEMA:
Instruir os alunos de graduação da disciplina de Entomologia Agrícola - DFS 1001
sobre os métodos de controle de pragas por comportamento, com ênfase ao uso de feromônios
na agricultura. Ao final da aula o aluno deverá saber identificar os métodos de controle por
comportamento e seus princípios, os tipos de feromônios e compreender a complexidade e a
importância da comunicação química entre insetos e seus aspectos evolutivos.
Após a exposição dos conteúdos, o aluno também deverá ter noção dos benefícios
deste método de controle, da sua utilização no manejo integrado de pragas (MIP), conhecer os
principais feromônios usados nas culturas agrícolas no país e saber onde se encontram os
principais laboratórios e grupos de pesquisa em controle comportamental no Brasil, as
perspectivas de desenvolvimento de novas iscas, bem como onde consegui-las.
3- CONTEÚDO(S) QUE O ALUNO IRÁ MINISTRAR
TEÓRICO:
Controle por comportamento:
1) Hormônios endócrinos e neurormônios;
2) Feromônios:
- Semioquímicos e suas divisões;
- Principais tipos e suas funções;
- Utilização de feromônio sexual no MIP;
- monitoramento;
- coleta massal;
- confundimento.
3) Métodos de esterilização de insetos.

PRÁTICO
1) Feromônios:
1.1) Etapas da produção de um feromônio:
1.1.1) extração do feromônio:
- observações de comportamento dos insetos (determinação do horário
de liberação do feromônio e da idade dos adultos);
- métodos de extração de feromônios de insetos.
1.1.2) teste de atividade biológica do extrato natural:
- testes em laboratório;
- testes em campo.
1.1.3) identificação dos compostos presentes no extrato natural;
1.1.4) síntese do feromônio;
1.1.5) teste de atividade biológica do feromônio sintético:
- testes em laboratório;
- testes em campo.
1.2) Feromônios utilizados no Brasil;
1.3) Atraentes e repelentes.
4- METODOLOGIA
Considerando as características do conteúdo, o tamanho das turmas da disciplina de
Entomologia Agrícola do Curso de Agronomia e a sala onde as aulas são ministradas, o
assunto será desenvolvido oralmente, com acompanhamento de slides em projetor multimídia,
e auxílio de um quadro de giz. Paralelamente os alunos terão um material impresso, com os
slides da apresentação impressos como folhetos com espaço para anotações.
Nas aulas práticas, além destas técnicas, serão apresentados vídeos práticos da
National Geografic e vídeos elaborados pela ESALQ/USP. Serão mostradas armadilhas
iscadas com feromônio sexual de Phylocnictis citrella, o minador-dos-citros, e armadilhas
com o feromônio para a captura de Migdolus frianus, praga da cana-de-açúcar.
O plano de aula, bem como um resumo escrito com todo o conteúdo da aula, mais
bibliografias de apoio, serão disponibilizadas para os alunos, no xerox para cópias, com
antecedência de no mínimo uma semana da aula.
No final de cada aula teórica e prática será feito um resumo para rever e fixar os
principais itens abordadas durante a aula e rever a estrutura do conteúdo, bem como salientar
os aspectos abordados de maior importância. No começo da aula prática, serão relembrados os
principais aspectos vistos na aula teórica com o objetivo do aluno se familiarizar com o
conteúdo e os termos técnicos, facilitando desta forma a memorização e o aprendizado.

5- BIBLIOGRAFIA
BENTO, J.M.S.; VILELA, E.F.; PARRA, J.R.P. & LEAL, W.S. Monitoramento do bicho-furão
com feromônio sexual: bases comportamentais para utilização dessa nova estratégia. Laranja,
v.22, 2001. p.351-366.
BENTO, J.M.S. Uso de feromônio no manejo integrado de pragas. In: TORRES, J.B.;
MICHEREFF, S.J. DESAFIOS DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS E DOENÇAS,
2000, Recife, PE. Semana de Fitossanidade sobre Desafios do Manejo Integrado de Pragas e
Doenças, p.111-137. 2000.
MORAES, M.C.B.; SOUSA, L.M. de; LAUMANN, R. et al. Metodologia para estudos de
semioquímicos e a sua aplicação no manejo de pragas. A influência de voláteis de soja no
comportamento do parasitóide Telenomus podisi. 1ª ed. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos
e Biotecnologia, 2003. (Circular Técnica; 24). Disponível
em:<http:WWW.cenargem.embrapa.br>. Acesso em: 09 fev. 2008.
GALLO, D.; NAKANO, O.; SILVEIRA NETO, S.; et al. Métodos de controle por
comportamento. In:___Entomologia Agrícola. v.1. Piracicaba: FEALQ, p.269-276. 2002.
LEAL, W.S.; J.M.S. BENTO; Y. MURATA; M. ONO; J.R.P. PARRA & E.F. VILELA.
Identification, synthesis, and field evaluation of the sex pheromone of the citrus fruit borer
Ecdytolopha aurantiana. Journal of Chemical Ecology, v.27, 2001. p.2041-2051.
MATTHEWS, R.W.; MATTHEWS, J.R. Insect behavior. New York: John Wiley & Sons,
1978. 507p.
VILELA, E.F.; DELLA LUCIA, T.M.C. Feromônios de insetos: biologia, química e
aplicação. 2ª ed. Ribeirão Preto: Holos, 2001. 206p.
YAMAMOTO, P.T.; J.P. MOLINA; M.R. FELIPPE & L.A.S. NOCITI. Monitoramento de
Ecdytolopha aurantiana (Lima) em Laranjeira Valência com Feromônio Sexual. BioAssay.
v.1, n.3, 2006. p.1-6.
ZARBIN, P.H.G.; FERREIRA, J.T.B.; LEAL, W.S. Metodologias gerais empregadas no
isolamento e identificação estrutural de feromônios de insetos. Química Nova, v.22, n.1, 1999.
p.263-268.

6- AVALIAÇÃO
Após cumpridas as horas-aulas de docência serão elaboradas questões sobre os
métodos de controle por comportamento para a prova teórica bimestral.

7- CARGA HORÁRIA E DISTRIBUIÇÃO


QUADRO 1. HORÁRIO DAS AULAS TEÓRICAS E PRÁTICAS
AULA DIA HORÁRIO TURMA CARGA HORÁRIA
PRÁTICA Quinta-feira 15:30-16:30 11 1h
12/06/2008 16:30-17:30 12 1h
Quarta-feira 8:30-9:30 13 1h
11/06/2008 9:30-10:30 14 1h
TEÓRICA Seg-feira 10:30-12:30 11,12 2h
09/06/2008 8:30-10:30 13,14 2h
PREPARAÇÃO DE AULA 7
TOTAL 15
PLANO DE AULA
1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Departamento: Departamento de Defesa Fitossanitária, DFS/UFSM


Disciplina: Entomologia Agrícola, DFS 1001
Professor: Doutoranda Rejane Cristina Roppa Kuss
Título da Aula: Métodos de Controle por Comportamento

2. OBJETIVOS GERAIS

Ao final da aula o aluno deverá saber identificar e discutir os métodos de controle por
comportamento e seus princípios, os tipos de feromônios, compreender a complexidade da
comunicação química entre insetos e seus aspectos evolutivos. O aluno também deverá ter
noção dos benefícios deste método de controle, da sua utilização no MIP e conhecer os
principais feromônios usados nas culturas agrícolas no país. Deverá saber onde se
encontram os principais laboratórios e grupos de pesquisa em controle comportamental no
Brasil, as perspectivas de desenvolvimento de novas iscas, bem como onde consegui-las.

3. OBJETIVOS COMPORTAMENTAIS

Após a aula expositiva ou prática, o aluno deverá ser capaz de:


- descrever o conteúdo abordado;
- identificar, em campo, possibilidades de controle de pragas por feromônio;
- estar preparado para orientar produtores no controle de pragas com
feromônios;
- saber para que culturas e pragas existem feromônios no mercado e onde
consegui-los.

4. PÚBLICO ALVO

Alunos de quinto semestre do Curso de Agronomia, matriculados na disciplina de


Entomologia Agrícola, DFS 1001.
Os conhecimentos abordados nesta aula serão usados nos semestres seguintes, nas
disciplinas:
- Legislação Fitossanitária, Controle Integrado e Receituário Agronômico, EDA 1007, 6º
semestre;
- Agricultura especial I, FTT 1008, 7º semestre;
- Agricultura especial II, FTT 1009, 8º semestre;
- Entomologia Especial I, DFS 1021, ACG;
- Entomologia Especial II, DFS 1023, ACG.

5. CONTEÚDO

Introdução
O controle por comportamento se baseia nos estudos de fisiologia e
comportamento de insetos. No MIP, o controle por comportamento pode ser usado
com as vantagens de apresentar menores riscos de contaminação ambiental, não
apresentar resíduos tóxicos e evitar grandes desiquilíbrios ecológicos.
Entre os processos de controle por comportamento se destacam o controle por
hormônios endócrinos e neurormônios, que serão abordados em maiores detalhes na
aula de métodos químicos de controle, e o controle pelo uso de feromônios, que será
detalhado nesta aula.
O sentido mais desenvolvido nos insetos para a sua comunicação é o olfato. É
através da emissão e recepção de moléculas químicas que os insetos se comunicam
para suas atividades vitais. Os estudos de comportamento permitiram conhecer estas
relações entre os insetos e a possibilidade de manipular estes estímulos químicos e
regular sua sobrevivência, e foi partir disto que foi desenvolvido o uso de feromônios
na agricultura para o manejo de pragas.

Desenvolvimento
1) Hormônios endócrinos e neurormônios.
2) Feromônios.
- Semioquímicos: aleloquímicos e feromônios.
- Principais tipos e suas funções.
- Utilização de feromônio sexual no MIP:
- monitoramento;
- coleta massal;
- confundimento.
- Etapas da produção de um feromônio:
a) extração do feromônio:
- observações de comportamento (determinação do horário de liberação
do feromônio e da idade dos adultos);
- métodos de extração de feromônios.
b) teste de atividade biológica do extrato natural:
- procedimentos para testes em laboratório;
- procedimentos para testes em campo.
c) identificação dos compostos presentes no extrato natural;
d) síntese do feromônio;
e) teste de atividade biológica do feromônio sintético:
- procedimentos para testes em laboratório;
- procedimentos para testes em campo.
- Feromônios utilizados no Brasil.
- Atraentes e repelentes.
3) Métodos de esterilização de insetos.

6. TÉCNICAS E RECURSOS

O assunto será desenvolvido oralmente, com acompanhamento de slides em projetor


multimídia, e auxílio de um quadro de giz.
Nas aulas práticas, além destas técnicas, serão apresentados vídeos práticos da
National Geografic e vídeos elaborados pela ESALQ/USP. Serão mostradas armadilhas
iscadas com feromônio sexual de Phylocnictis citrella, o minador-dos-citros, e armadilhas
com o feromônio para a captura de Migdolus frianus, praga da cana-de-açúcar.
O plano de aula, bem como um resumo escrito com todo o conteúdo da aula, mais
bibliografias de apoio, serão disponibilizadas para os alunos, no xerox para cópias, com
antecedência de no mínimo uma semana da aula.

7. AVALIAÇÃO

A avaliação da aula ou unidade será feita através de prova escrita com questões sobre
os métodos de controle por comportamento para a prova bimestral, a serem aplicadas pelo
professor da disciplina.

8. FONTES BIBLIOGRÁFICAS
GALLO, D.; NAKANO, O.; SILVEIRA NETO, S.; et al. Métodos de controle por
comportamento. In:___Entomologia Agrícola. v.1. Piracicaba: FEALQ, cap.10, p.269-276.
2002.
VILELA, E.F.; DELLA LUCIA, T.M.C. Feromônios de insetos: biologia, química e
aplicação. 2ª ed. Ribeirão Preto: Holos, 2001. 206p.

9) ............................................................ ............................................................
(Assinatura do aluno) (Assinatura do Orientador)