Você está na página 1de 2

Desde tempos remotos, as nações costumam realizar trocas entre si.

No
mundo moderno globalizado, com o volume imenso de compras, vendas,
investimentos financeiros e afins, faz-se necessário agrupar as transações
econômicas de cada Estado, organizadas de acordo com suas respectivas
categorias, reais e financeiras.
Estas atuações no cenário econômico, aliadas aos fatos geradores
(comércio de mercadorias, prestações de serviços, transferências e movimentos
de capital, apresentando-se como financiamentos e investimentos diretos) darão
origem a saldos líquidos parciais, responsáveis por impactos dos mais variados
ante as condições internas de equilíbrio e crescimento. Surge então a
necessidade de organizar tais transações em um levantamento de natureza
contábil, que irá sistematizar todo o recebimento de riqueza por parte do agente
econômico de um determinado país (famílias, empresas, governo) condicionado
pelo fornecimento de produtos e fatores de produção a agentes econômicos no
exterior. E ainda, tal levantamento irá sistematizar o pagamento realizado por
suprimentos originários de outros países (importação). É a este tipo de aferição
que é dado o nome de "balanço de pagamentos", ou seja, a sistematização da
entrada e saída de riqueza em termos econômicos, da fronteira de determinado
Estado.
Termo importante na Economia Internacional, balanço de pagamentos é o
nome dado ao registro contábil de todas as transações econômicas e financeiras
de um determinado país com seus similares no mundo todo. É composto por
duas contas principais, que são:
 Conta corrente ou transações correntes, que é composta pelo saldo da
balança comercial, balança de serviços e transferências unilaterais. É na
conta corrente que são registrados as transferências de bens e serviços
e as doações recebidas ou dadas sem existência de uma contrapartida.
 Conta capital ou financeira, que se destina a agrupar os investimentos
diretos (tanto os de autoria de brasileiros no exterior como os de
estrangeiros no Brasil), investimentos em carteira (são os investimentos
feitos em ações, aplicações no mercado financeiro, e similares).
Quando o resultado de determinada conta é negativo, significa que houve
maior saída de recursos naquela rubrica contábil em específico, sendo que
resultados positivos acusam consequentemente, entrada maior de recursos.
Um resultado positivo do Balanço de Pagamentos equivale a um aumento
das reservas internacionais, ou seja, um aumento dos dólares que entram em
determinado país na forma de investimento direto, empréstimos, financiamentos
e captações. Há a necessidade de se trocar estes dólares por reais nos bancos,
para se fazer uso dos mesmos; os reais são injetados na economia e os dólares
são retidos no Banco Central.
Em 1969, um manual do FMI estabeleceu as formas de apresentação. A
estrutura de uma balança de pagamentos inclui os seguintes itens:
1. Balança corrente
1.1. Balança comercial
1.1.1. Balança de bens
1.1.2. Balança de serviços
1.2. Balança de rendimentos
1.3. Transferências unilaterais correntes
2. Balança de capital
3. Balança financeira
3.1. Investimento direto
3.1.1. Investimento direto do país
3.1.1.1. Participação no capital
3.1.1.2. Empréstimo entre empresas
3.1.2. Investimento estrangeiro direto
3.1.2.1. Participação no capital
3.1.2.1.1. Empréstimo entre empresas
3.2. Investimentos em carteira
3.2.1. Investimento do país em carteira
3.2.1.1. Ações de companhias estrangeiras
3.2.1.2. Títulos de renda fixa
3.2.2. Investimento estrangeiro em carteira
3.2.2.1. Ações de companhias do país
3.2.2.2. Títulos de renda fixa
3.3. Derivativos
3.3.1. Ativos
3.3.2. Passivos
3.4. Outros investimentos
3.4.1. Outros investimentos do país
3.4.2. Outros investimentos estrangeiros
4. Erros e Omissões
5. Resultado da Balança de Pagamentos
6. Conta de Capitais Compensatórios
6.1. Contas de Caixa
6.1.1. Haveres no exterior
6.1.2. Reservas em ouro