Você está na página 1de 2

ATITUDES E COMPORTAMENTOS DOS AJUDANTES DE LAR

Para várias pessoas, os cuidados de gerontologia é um mundo onde se


devem familiarizar. Pois, as dificuldades e os medos tem por vezes raízes
profundas.

Os cuidadores dos idosos devem agir com autenticidade e maturidade


relativamente aos fenómenos de envelhecimento e de morte.

Ser competente em gerontologia é possuir a formação adequada, Ter


conhecimentos sobre o processo de envelhecimento, sobre as necessidades
dos idosos e conhecimentos necessários para poder prestar cuidados
adequados a cada idoso.

APTIDÕES NECESSÁRIAS AOS AJUDANTES DE LAR:

1. Maturidade e capacidade de adaptação ( trabalhar para o cliente e não


só com o cliente );

2. Empatia e sensibilidade ( colocar-se no lugar do outro para melhor


compreender o que ele sente, aceitá-lo e respeitá-lo );

3. Amor pelos outros ( O idoso é um ser humano global cujo potencial é


necessário conhecer );

4. Objectividade e espirito critico ( estas qualidades permitem que os


ajudantes de lar tenham uma visão alargada dos problemas ligados ao
envelhecimento e à morte e que possam estabelecer soluções adequadas );

5. Sentido social e comunitário ( trabalhar de forma a manter a população


idosa no máximo de autonomia facilitando a abolição de atitudes sociais
negativas )

6. Flexibilidade e polivalencia ( ser capaz de se adaptar ao ritmo do idoso e


trabalhar em parceria com outros profissionais de saúde );

7 . Criatividade ( campo em que cada um deve exercer a sua criatividade );


Todos os profissionais de saúde devem lutar contra as falsas crenças
ligadas ao envelhecimento e aos idosos de forma a modificarem as suas
atitudes e os seus comportamentos relativamente aos idosos.

Eis alguns dos factores susceptíveis de serem reavaliados ao longo do


trabalho inerente à modificação de atitudes e de comportamentos:
 Qualidade dos cuidados ( os cuidados aos idosos são muitas vezes
desvalorizados em relação a outros tipos de cuidados o que
frequentemente leva a uma diminuição da qualidade );

 Visão mais alargada do envelhecimento ( O trabalho com os idosos


deve ser alternado idosos dependentes / idosos bem adaptados);

 Conhecimento dos hábitos dos idosos ( relativamente aos seus


hábitos de vida anteriores facilita o trabalho dos ajudantes de lar
permitindo que estes se adaptem melhor ao seu novo meio );

 Preferencias dos ajudantes de lar e dos idosos ( os idosos


institucionalizados preferem as ajudantes de lar afáveis, afectuosos e
disponíveis assim como os ajudantes de lar preferem mais este ou
aquele idoso );

 Valorização dos cuidados em gerontologia ( reconhecimento do


trabalho, formação talvez chamasse novos candidatos e elevar a
qualidade dos cuidados );