Você está na página 1de 3

PLANO DE ENSINO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe
Curso: Educação Física
Professor: Leandro Jacson Schacht
E-mail: leandro.schacht@oeste.sesisc.org.br
Fase: 9ª
Disciplina: Esporte de Aventura e da Natureza Carga Horária: 60H/A

2. EMENTA
Ecologia e legislação ambiental. Conceito, histórico, características, modalidades e
desenvolvimento. Necessidades geográficas (locais de pratica), equipamentos, segurança
e pratica das modalidades. Pratica pedagógica sob orientação e supervisão docente,
compreendendo atividades de observação dirigidas a experiência de ensino.

3. OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA


Desenvolver competências e valores em prol do desenvolvimento humano com respeito
ao meio ambiente visitado, aplicando seus fundamentos conceituais refletidos em sala.

4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA DISCIPLINA


Específicos:
 Compreender a dimensão teórica dos esportes radicais associados ao turismo de
aventura nos ambientes: AR/ TERRA / ÁGUA.
 Relacionar com a realidade de mercado e aplicar seus fundamentos em atividades
intituladas de saídas de campo.
 Organizar e desenvolver atividades práticas nos ambientes naturais, aplicando os
conceitos de mínimo impacto e condução de grupos.

5. HABILIDADES REQUERIDAS E COMPORTAMENTO ESPERADO


 A capacidade de criar soluções com flexibilidade, adaptabilidade e com inovação;
de selecionar estratégias adequadas de ação visando a atender interesses
interpessoais e institucionais; comunicação interpessoal e expressão corretas na
interpretação da realidade, raciocínio lógico, crítico e analítico; capacidade de
propor modelos de gestão inovadores; de ordenar atividades e programas, de
decidir entre alternativas.

6. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

 Esporte de Aventura - Conceito, Finalidade - Caracterização, Tipologia.


 O mercado de trabalho nos esportes de aventura.
 Ecologia e legislação específica – ABNT/TUR
 Perfil do profissional de Aventura.
 Esporte de aventura nos ambientes: AR/TERRA/ÁGUA.
 Estrutura e Elaboração de Atividades Práticas.
 Dinâmicas de grupo.
 Viagens, acampamentos e atividades vivenciais.

1
7. ESTRATÉGIAS DE ENSINO
A exposição do conteúdo ocorrerá por meio de atividades que facilitem e estimulem a
aprendizagem. Buscar-se-á interação constante com os alunos. Atividades propostas:
 Análise e interpretação de textos e artigos;
 Aulas expositivas;
 Experiências vivenciais;
 Estudos de Casos;
 Estudos dirigidos;
 Filmes/Vídeos técnicos.
 Viagens de estudo.
 Atividade extraclasse.
Objetivo das viagens de estudo e atividades extraclasse: promover integração, aprender de
forma diferenciada e, principalmente, possibilitar novos conhecimentos na disciplina
oferecida. Esta forma de aprendizado consolida os estudos e ações da instituição voltados
a preparação dos acadêmicos para com o mercado de trabalho.

8. SISTEMA DE AVALIAÇÃO

No sistema de avaliação não deve ser alterado, pois todos os professores dos demais
cursos farão uso da maneira como está transcrito.
a) A verificação do rendimento pessoal compreenderá para fins de aprovação o
disposto na Resolução CONSUN Nº 13, que prevê especificamente em seu art.
6º, que o aluno que obtiver na disciplina média igual ou superior a seis durante
o período letivo e assiduidade não inferior a 75% serão considerado aprovado.
b) No decorrer do semestre, os alunos terão três momentos para que os
conhecimentos adquiridos possam ser analisados (M1, M2 e M3). Esta análise
de aprendizagem será feita em grupo e de forma individual, com pesos
diferenciados, conforme especificação a seguir:
c) Assim a verificação se dará da seguinte forma: a constatação de pelo menos
75% de freqüência nas atividades em sala de aula e no aproveitamento de três
médias parciais (M1, M2 e M3), conforme dispõe a referida Resolução, nos
seguintes termos:
1ª Média – M1:
 Prova de conhecimento parcial, individual, sem consulta, com uma questão
bônus de conhecimentos gerais, valendo 0,5 ponto = Peso 7,5 (75%)
 Trabalhos em grupo = Peso 1,5 (15%)
 Nota de participação, freqüência e produção em sala = Peso 1,0 (10%)
2ª Média – M2:
 Prova de conhecimento parcial, individual, sem consulta = Peso 8,0 (80%)
 Trabalhos em grupo = Peso 1,0 (10%)
 Nota de participação, freqüência e produção em sala = Peso 1,0 (10%)
3ª Média – M3:
 Prova de conhecimento parcial, individual, sem consulta = Peso 70,0 (70%)
(contemplando todo o conteúdo ministrado no semestre).
 Trabalhos em grupo = Peso 3,0 (30%)

2
9. BIBLIOGRAFIA

Bibliografia Básica:
COSTA, V. M.; FERREIRA, N. T. Esportes de aventura e risco na montanha: um
mergulho no imaginário. São Paulo: Manole, 2000.
GRUN, M. Ética e educação ambiental: a conexão necessária. 4ª ed.Campinas, SP:
Papirus, 2001.
GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na educação. Campinas, SP: Papirus, 1995.
HEADWALL: Escalada & aventura.São Paulo: Alta Montanha, 2002-. Bimestral.
MARINHO, A. SCHWARTZ G. Caverna do fazendão : experiências turísticas de
sensibilização v. 12, n.1. São Paulo / Escola de Comunicações e Artes da USP, 2001.
UVINHA, R. R. Juventude, lazer e esportes radicais. São Paulo: Manole, 2001.

Bibliografia Complementar:
ALFIERI, R. G.; DUARTE. G. Exercícios e o coração. Editora Cultura Medica, Rio de
Janeiro, 1993.
BRUHNS, H. T. Lazer e meio ambiente: corpos buscando o verde e a aventura.
Revista Brasileira de Ciências do Esporte. v. 18, n2, 1997.
COSTA, L. P. Meio ambiente e desporto: uma perspectiva internacional. Introdução.
Porto: Universidade do Porto. 1997.
PELEGRINI FILHO, A. Ecologia, cultura e turismo. Campinas, SP: Papirus, 1993.
10.1
SWARBROOKE, John. Turismo de aventura: Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. 362 p.

Você também pode gostar