Você está na página 1de 7

Logo da empresa PLANO DE RIGGING

xxxxxxxxxxxxxxxxxx
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:

A DADOS GERAIS
A1 EMPRESA:
A2 LOCAL DE TRABALHO:
A3 LOCALIDADE:
A4 PEÇA A SER MOVIMENTADA:
A5 PESO DA PEÇA:
A6 REFERÊNCIA DO PESO: INFORMADO PELO CLIENTE

B DETALHAMENTO OPERACIONAL - EQUIPAMENTO


B1 GUINDASTE:
B2 CAPACIDADE NOMINAL: 70,00 TONELADAS
B3 BASE DE APOIO: (com a utilização da 5ª patola) METROS
B4 QUADRANTE DE OPERAÇÃO: 360,00
B5 CONTRAPESOS MÓVEIS:
B6 CAPACIDADE DO MOITÃO:
B7 CAPACIDADE DA BOLA: - TONELADAS
B8 N° DE LINHAS DE CABO NO MOITÃO: (MÍNIMO DE) 1,00 LINHAS
B9 RAIO MÁXIMO DE TRABALHO:
B10 COMPRIMENTO DE LANÇA: METROS
B11 COM PRIMENTO DO JIB: - METROS
B12 ÂNGULO DO JIB: -°
B13 COMPRIMENTO DO LUFFING: - METROS
B14 ÂNGULO FIXO DA LANÇA: - METROS
B15 DISPOSITIVO DE CONTRA-FLECHA: -
B16 CAP. DE IÇAMENTO DO GUINDASTE: TONELADAS
B17 PESO LÍQUIDO DE IÇAMENTO: TONELADAS
B18 FATOR DE CONTIGÊNCIA (5%): TONELADAS
B19 FATOR DE CENTRO DE GRAVIDADE (3%): TONELADAS
B20 PESO DAS LINHAS DE CABO DO MOITÃO: TONELADAS
B21 PESO DO MOITÃO: TONELADAS
B22 PESO DA BOLA: - TONELADAS
B23 PESO DOS MATERIAIS DE IÇAMENTO: TONELADAS
B24 PESO BRUTO A SER IÇADO: TONELADAS
B25 TAXA DE UTILIZAÇÃO: %
B26 FATOR DE SEGURANÇA:
B27 VELOCIDADE MÁXIMA DO VENTO: m/s

Página 1 de 7
PLANO DE RIGGING
Logo da empresa xxxxxxxxxxxxxxxx
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: IÇAMENTO DA COLUNA DE CO2
C ESTUDO DE RIGGING - EQUIPAMENTO - XCMG QY70K-I
MEMORIAL DE CÁLCULO DA AMARRAÇÃO
C1 TIPO DE AMARRAÇÃO:
C2 ÂNGULO ß CONSIDERADO PARA CÁLCULOS:
C3 NÚMERO DE PONTOS DE IÇAMENTO:

MEMORIA DE CALCULO

CABOS DE AÇO
C5 MATERIAL DE IÇAMENTO:
C6 DIÂMETRO DO CABO DE AÇO:
C7 COMPRIMENTO DO CABO:
C8 CARGA DE RUPTURA MÍNIMA:
C9 PESO/METRO DO CABO DE AÇO:
C10 PESO TOTAL DOS CABOS DE AÇO:
MANILHAS
C11 DIÂMETRO DA MANILHA: mm
C12 CAPACIDADE DA MANILHA: TONELADAS
C13 QUANTIDADE DE MANILHAS: UNIDADES
C14 PESO UNITÁRIO DA MANILHA: Kg
C15 PESO TOTAL DAS MANILHAS: Kg
C16 PESO TOTAL DA LINGADA: Kg

C17 Se necessário utilizar esticadores ou talhas com capacidade compatível para balancear tensão nas cintas
C18 Tabela de cabos de aço e manilhas utilizadas para análise se encontram nos ANEXOS II e III deste plano de rigging.
C19 Pode-se utilizar outros tipos de materiais de içamento desde que sejam respeitadas as capacidades mínimas de carga e
comprimentos estabelecidos nos itens C7 e C8.
C20 Ver ANEXO III - Desenho para detalhamento da amarração.
C21 Utilizar 2 (duas) cordas guias para manuseio da carga.
Comprimento mínimo da corda 1: 60 metros.
Comprimento mínimo da corda 2: 30 metros.

Página 2 de 7
PLANO DE RIGGING
Logo da empresa
XXXXXXXXXXXXXXX
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:
D PATOLAMENTO DO EQUIPAMENTO -
D1 PESO DO GUINDASTE (PG): TONELADAS
D2 PESO BRUTO DA PEÇA (PB): TONELADAS
D3 CONTRAPESOS MÓVEIS (CP): TONELADAS
D4 CARGA MÁXIMA POR PATOLA (CMP):
MEMORIA DE CALCULO

D5 DIMENSÕES MÍNIMAS:

X (COMPRIMENTO): METROS

y (LARGURA): METROS
D6: ÁREA DE APOIO AO PATOLAMENTO (AP):
D7 RESISTÊNCIA MÍNIMA EXIGIDA DO TERRENO * Mínimo necessário
(RMET):
MEMÓRIA DE CÁLCULO:

D8 Dormentes adicionais (nivelamento): XX dormentes de 1,50 m x 0,25 m x 0,25 m


D9 O solo da área de posicionamento do guindaste deve suportar carga mínima exigida (Rmet) informada no item D7 (PATOLAMENTO)
deste plano de rigging.

D10 O material de patolamento poderá ser dormentes ou chapas de aço ou qualquer outro material que se possa usar para este fim
porém deve seguir a área mínima exigida por este plano de rigging segundo item D6 (Área de apoio ao patolamento).

D11 A espessura do material de patolamento deve ser tal que suporte a carga máxima por patola (item D4 deste plano de rigging) sendo
sua especificação de responsabilidade do cliente.

D12 O posicionamento do guindaste deve seguir as medidas especificadas no ANEXO III -

Página 3 de 7
PLANO DE RIGGING
Logo da empresa
XXXXXXXXXX
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: IÇAMENTO DA COLUNA DE CO2
E OBSERVAÇÕES GERAIS
E1 Este plano de rigging contempla apenas a movimentação dos condesadores a partir do posicionamento do guindaste dentro do
galpão.

E2 Todo o terreno do local da movimentação deve estar plano e compactado o suficiente para suportar a carga calculada no item D7

E3 Caso haja a necessidade, utilizar quebra-quina para evitar desgastes nos cabos de aço e comprometer a operação.
E4 A resistência do terreno deve atender aos estabelecidos nos cálculos dos item D4 deste projeto.
E5 Toda interferência deve ser removida do local de operação.
E6 A área de operação deve ser totalmente isolada conforme normas de segurança e NR-12.
E7 Obrigatório o uso de corda guia para a estabilidade da carga. Mínimo de 2 cordas guia por carga: ver item C21
E8 A inspeção dos acessórios de içamento deve ser feita antes de cada utilização e registrada conforme NR-12.
E9 Atentar a todos os requisitos de segurança e normas de operação presentes na NR-12.
E10 Ver ANEXO III - desenho para detalhamento da amarração.
E11 Faz parte deste plano de rigging seus anexos e desenhos de referência. Os mesmos devem ser arquivados em conjunto validar e
para tornar a operação completa e segura.

E12 Os cabos de aço contemplados no item C deste documento estão especificados e detalhados no ANEXO III - 02017-003-01-03.

E13 Qualquer linha energizada que passa pela área de movimentação deverá estar DESLIGADA para a operação ocorrer.

F SEGURANÇA
F1 A área de trabalho deve estar em condições operacionais para os guindastes, ou seja, limpa de quaisquer interferências, nivelada.
Ainda deve-se verificar a existência de galerias subterrâneas sob a área de trabalho.
F2 Somente deverão participar da operação de movimentação de cargas pessoal envolvido com a mesma.
F3 A operação e locomoção dos guindastes somente deverá ser realizada por profissional treinado e qualificado conforme legislação,
normas e procedimentos.

F4 A sinalização da movimentação de cargas deverá ser realizada por profissional treinado e qualificado conforme legislação, normas e
procedimentos.

F5 Para esta movimentação, recomenda-se a realização da sinalização através de rádios comunicadores.


F6 Á area de patolamento do guindaste deve estar nivelada e compactada para suportar a carga estabelecida.
F7 É proibido o trabalho diretamente sobre linhas de energia ligadas ou energizadas.
F8 É expressamente proibida a execução de soldas em peças suspensas ou sustentadas pelo guindaste. Ressalta-se que atividades
deste tipo podem causar danos aos sistemas eletrônicos do equipamento, capaz de provocar a parada imediata do guindaste
através de curtos-circuitos e assim colocar a execução da atividade em risco.

F9 É expressamente proibido o trabalho com o guindaste fora dos limites de sua tabela de carga.
F10 O patolamento do guindaste deve ser realizado de forma completa, ou seja, todas as patolas do guindaste devem ser totalmente
estendidas. Para os guindastes que possuem tabela de “meia-patola” é permitido esta configuração deste que todas as patolas
sejam estendidas conforme o comprimento determinado na tabela de carga do guindaste.

Página 4 de 7
PLANO DE RIGGING
Logo da empresa
XXXXXXXXXXX
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:
G DADOS DO PLANO DE RIGGING
G1 VISITA TÉCNICA REALIZADA EM:
G2 VISITA TÉCNICA REALIZADA POR:
G3 RESPONSÁVEL (CLIENTE) PELA VISITA:
G4 PLANO DE RIGGING ELABORADO EM:
G5 PLANO DE RIGGING ELABORADO POR:
G6 PLANO DE RIGGING REVISADO EM:
G7 PLANO DE RIGGING REVISADO POR:

H ANEXOS
H1 ANEXO I - TABELA DE CARGA DO GUINDASTE: PÁGINA 6
H2 ANEXO II - TABELA DE ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO - CABOS DE AÇO E MANILHAS PÁGINA 7
H3 ANEXO III - PROJETOS 02017-003-00-01 e 02017-003-00-02 PÁGINA -

I QUADRO DE REVISÕES
LEGENDA:
TE - TIPO DE EMISSÃO A-PRELIMINAR B-PARA APROVAÇÃO C-PARA CONHECIMENTO D-PARA COTAÇÃO
E -PARA CONSTRUÇÃO F-CONFORME COMPRADO G-CONFORME CONSTRUÍDO H-CANCELADO
REV. DESCRIÇÃO TE POR VER. APR. AUT. DATA
0 EMISSÃO INICIAL
REVISÃO 1

J APROVAÇÕES
J1 RESPONSABILIDADE: ASSINATURA: DATA:
J2

J3

J4

Página 5 de 7
PLANO DE RIGGING
Logo da empresa
XXXXXXXXXXXXX
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:
ANEXO I - TABELA DE CARGA DO GUINDASTE: XCMG QY70K-I

Página 6 de 7
PLANO DE RIGGING
Logo da empresa XXXXXXXXXXXXX
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: IÇAMENTO DA COLUNA DE CO2
ANEXO III - TABELA DE CABOS DE AÇO E MANILHAS

Página 7 de 7