Você está na página 1de 28

Redação Hipnótica

Introdução
Mas afinal de contas o que levou você a comprar este livro virtual?

Posso dizer categoricamente que o que motivou você a comprar foi o poder das palavras. De
alguma maneira, as palavras foram apresentadas na ordem requerida para fazer você agir e por a mão
no bolso se desfazendo do seu suado dinheiro neste workshop.

Você acha que foi por acaso que tropecei na combinação correta das palavras que iriam te
motivar em um dos nossos sites, emails, panfletos ou propagandas em classificados? Não. Se você
acha, está enganado.

Há muito tempo aprendi que as palavras são mais poderosas que qualquer droga, arma,
artimanha ou vício conhecido pelo homem. O fato de que você está lendo estas palavras agora é uma
importante prova de que este negócio funciona! Agora a pergunta é o que você vai fazer uma vez que
tenha aprendido a desenvolvê-la em Redação Hipnótica?!

Influênciar pessoas? Fazer com que elas comprem seus produtos? Fundar uma organização não
governamental (ONG)? Convencer pessoas a te seguirem? Criar textos para que se possa fazer
incríveis oratórias? Conquistar aquela pessoa que você tanto admira com palavras inteligêntes?
Tornar um líder com grande poder de persuasão? Ou simplesmente, alcançar um alto cargo em uma
empresa através de sugestões hipnóticas em seu currículo?

Decida agora o que vai fazer e assuma a tua verdadeira posição neste mundo se tornado um
“GIGANTE” entre os grandes. Entre neste curso com a mente aberta com a certeza de que este
workshop fará uma grande diferença em sua vida e deixe para trás qualquer um que desconheça
estas verdades construindo um glorioso futuro de conquistas!

Um detalhe muito importante que se deve levar em conta é que por meio das palavras você
constantemente promove a todo momento uma nova realidade no seu dia-dia. Uma vez que você esteja
criando estratégias no falar e no escrever por meio de palavras direcionadas, você estará criando uma
Realidade Alternativa. Você poderá tirar proveito de palavras que tem o poder de hipnotizar qualquer um
enviando mensagens estratégicas e despertando nas pessoas a “atenção” gerando assim, “interesse e
desejos em suas mentes”.

Este workshop será a ferramenta que fará materializar e desenvolver suas intenções e objetivos
através de palavras. Palavras que ganhará vida e uma real força no falar fazendo com que suas
mensagens sejam um verdadeiro “elixir” para os ouvidos de quem as ouvem deixando as pessoas em
estado de “encantamento” e susceptíveis a seus pensamentos. Enquanto você fará do seu bloco de
notas uma verdadeira fábrica de sonhos a sua mente se transformará num laboratório que jorrará idéias
prontas para serem colocadas em ação!

"A vida não consiste em ter boas cartas na mão e sim em jogar bem com as que se tem".

1. O enigma da Hipnose

Muitas pessoas se perguntam o que é a hipnose? A hipnose é um estado de concentração


focalizada, do tipo que muito de nós experimentamos diariamente. Quando você está relaxado e sua
concentração é tão intensa que não se deixa distrair por ruídos externos e outros estímulos, você está
num estado de hipnose. Quase todos nós entramos freguentemente em estado hipnótico quando
estamos concentrados num bom filme, quando caminhamos nos últimos quarteirões a caminho de casa
sem perceber como chegamos. Quando estamos envolvidos por uma boa conversa ao ponto de vermos
a cena com os olhos de nossa mente ou quando a nossa atenção está completamente voltada por um
anúncio que nos seja apresentada despertando um imediato interesse, desejo e decisão dentro de nós
mesmos de agir de acordo com àquilo que foi colocado dentro de nós. Só se consegue hipnotizar se a
pessoa estiver concentrada ou com a atenção voltada à mensagem que lhe é enviada. E feito isto o
resultado será o interesse e desejo ardente por parte dela, indo inconscientemente em busca da
realização daquele desejo que se tornou a coisa mais importante de sua vida naquele momento.
O ser humano é facilmente hipnotizável. São vulneráveis e influênciáveis por àquilo que ouvem
ou vêem. Todo hipnotizador sabe que a palavra é o atalho mais rápido para se chegar ao
subconsciente da pessoa. E só se hipnotiza alguém por meio de palavras que convencem. Só se
consegue convencer ou hipnotizar uma pessoa injetando nelas palavras que estimulem,
impressionem, persuadem, envolvem, desconcertem, interferem, provoquem ou atuem. Palavras que
venham carregadas de força para tomar completamente o “ser” da pessoa, mensagens que tem poder
de cair direto para dentro do subconsciente.

Pense um pouco sobre este assunto: Os grandes hipnotizadores que sempre aparecem em
programas de tv hipnotizando pessoas por aí, não usam nada! Hipnotizam sem possuir nenhum
instrumento em mãos, técnicas eletrônicas de indução ao relaxamento, visualização ou qualquer tipo
de drogas ou aparelhos. E também não precisam de nenhuma ajuda. Qual é a única ferramenta que
eles usam?

“ A PALAVRA ”

Eles convencem a pessoa de que ela vai dormir e quando acordar vai fazer isto ou aquilo... Eles
apenas colocam na mente da pessoa uma sugestão e a pessoa aceita, é por isso que elas são
hipnotizadas. É muito simples de entender, mas o grande “lance” é como criar palavras que hipnotizam;
como produzir uma “reação imediata” na mente das pessoas para que se possa conseguir o mesmo
efeito que um hipnotizador consegue auferindo benefícios para uma vida de sucesso e conquistas.

"Você não pode ensinar nada a um homem; você só pode ajudá-lo a encontrar o
conhecimento dentro de si".-Galileu
"Você pode levar um garoto ao colégio, mas você não pode fazê-lo pensar".-Elbert
Hubbard “Intenção sem ação é ilusão”. “Faça e o poder lhe será dado”.

2. Influência

Alguma vez na sua vida você com certeza já esteve totalmente ligado a uma conversa, um livro,
uma divulgação publicitária, um artigo de revista ou um bom filme. Você até mesmo perdeu a noção do
tempo por estar tão envolvido com o assunto que nada mais ao seu redor importava.

Alguém te chamou. E você, ouviu?

Naquele momento o que aconteceu foi que alguém exerceu uma poderosa influência sobre sua
mente. Capturou literalmente sua atenção, impedindo que você até mesmo perdesse a noção do tempo
e do espaço. Esta é a prova de que isto não só é real como é perfeitamente possível de ser posto em
ação. Mas o ponto principal deste workshop, Redação Hipnótica, é ensinar você a provocar influência,
ou seja , hipnotizar os outros através de palavras. É simplesmente entregar a responsabilidade em suas
mãos.

Você tem que ter em mente que qualquer coisa que prende a nossa atenção é nada mais que
um elemento com uma "bem elaborada forma de estratégia", desenhada sob medida para empolgar,
estimular e envolver qualquer um, num enredo cheio de novidades e curiosidades. Podendo ser
acrescentado a estes objetos até mesmo suspense, mistério e drama. Sendo a nossa mente
bombardeada por uma avalanche de variedades que nos despertam para um estado de desejo que
deste então, não tínhamos. Algo que mexa com as emoções do público. Tudo isto é uma fórmula
universal aplicável absolutamente em qualquer setor da vida, para qualquer direção em que você
desejar. É feito pra isso uma selecionada combinação de contextos para não deixar que o público em
geral não desvie nem por um minuto a sua atenção do objeto requerido (plublicidade de vendas,
palestas motivacionais para influênciar uma gande massa, livro, filmes, declarações de amor, etc...).

Então para se criar este efeito de influência, a primeira regra que você deve ter consciência é: a
identificação de sua intenção. Sua intenção ou objetivo de seu comunicado é mais do que a abertura ou
o desenvolvimento do mesmo. Você precisa saber exatamente o que quer alcançar com o seu
comunicado. Você não poderá chegar a um resultado desejado, senão souber exatamente para onde
está indo. A melhor maneira para dar este passo é redigir. Quando você põe suas idéias no papel, você
começa a vivênciar ( vislumbrar) o seu objetivo mais intimamente. No princípio sua intensão é uma
frase concisa, uma expressão de seu objetivo. Depois vem a lapidação desta mesma frase.

Independente para onde você esteja usando o poder de suas palavras, primeiro você deverá reunir
os
fatos. Deverá se concentrar mentalmente, focalizando os seus pensamentos naquele objetivo
desejado. Você perceberá que sua mente fica sensível a respostas. Você será capaz de encontrar um
grande acervo de opções para completar, redimensionar, lapidar, transformar e desenvolver uma
simples idéia em um maravilhoso meio de expressão. Um verdadeiro elixir para quem as ouve. Mas
isso só será possível se antes escrevê-lo. Para que as suas idéias saiam do papel, tem que tê-las antes
escritos, para que se crie uma forma de estratégia por meio de palavras cuidadosamente selecionadas,
com o objetivo de provocar na pessoa um sentimento de motivação jamais visto antes. Mas isto só é
possível quando você tem como destrinçar. Você será capaz de encontrar estas palavras incrivelmente
poderosas que completam sua intenção em relação aos outros em um simples papel. É simplesmente
tentar hipnotizar as pessoas por meio das palavras. Você dá uma tarefa a sua mente (sua intenção) e
agora ela começa a scanear em busca de respostas. Sua mente é um poderoso imã para qualquer
informação que te ajudará a completar sua intenção, vai atrair coisas que você poderá usar em suas
palavras que influênciam.

Deixe seu esboço por alguns minutos. Pegue um ar fresco. Espreguice. Respire fundo. Relaxe.
Você pode ler o que escreveu, mas não edite nada. Este é apenas um intervalo para o amadurecimento
das idéias. É daqui que vem as grandes retóricas, comícios, livros, propagandas, etc... Através de um
PROCESSO simples mas que é único e surpreendente. É claro que inicialmente é possível se fazer isto
apenas pensando sem palavras expressas. Mas há um efeito colateral neste meio NÃO indicado. Você
até alcança num primeiro momento uma perfeita combinação de idéias por meio de palavras pra
influênciar, mas você inevitavelmente vai perder este momento. E quando você for propagar a sua "obra
prima", já não o terá mais em mãos como era antes porque os pensamentos passam mas as palavras
permanecem ali do jeitinho que você os deixou. Isto sem falar no aperfeiçoamento (redimensionamento)
que você deveria dar, no dia seguinte, ainda trabalhando no mesmo esboço, porém ela já não mais
estará ali como no primeiro momento.

Depois de você ter dado por satisfeito e criado uma perfeita combinação idéias por meio de
palavras. Dê agora um intervalo ainda maior de uma à duas semanas e comece um novo esboço no
mesmo sentido de idéias. Depois que tiver terminado o segundo esboço, você tanto poderá continuar
criando novos esboços, sempre seguindo este método de trabalho, como pode voltar ao primeiro
esboço (lembrando que sempre depois deste segundo intervalo você deverá voltar ao primeiro).
Voltando ao primeiro esboço você vai observar de sua parte um grande amadurecimento, querendo tirar
algumas palavras para colocar alguns inteligêntes termos que virão importado dos outros esboços
criado por você mesmo. Pegue todos os esboços e crie uma única versão final e compacta. Ou seja,
passa-se a aconter uma fusão de todos os esboços em apenas UM esboço, fortalecido por uma idéia
que é magestosamente dominante. Este é o passo para polir seu trabalho. Isto surpreenderá as
pessoas, porque se você estiver usando o poder das palavras para escrever um livro, então será o
melhor livro que as pessoas lerão em toda vida. Se for uma propaganda publicitária, então despertará
interesse, desejo e empolgação, pela diferenciação de uma nova forma de comunicação, levando-os a
fechar o negócio ou comprar o seu produto. Se for uma palestra as pessoas te adimirarão e o seguirão
por ver que em sua mente está latejando idéias e jorrando inteligência.

3. Palavra Direcionada

As técnicas que vou descrever abaixo funcionam tão bem que eu não aconselho você a usar se
não estiver promovendo algo de real importância. O objetivo das palavras direcionadas é fazer com
que as pessoas "ajam". Para atingir esta meta, suas palavras (escrita ou falada deve possuir uma
fórmula que contém 4 etapas. São elas:

Capturar a Atenção do leitor ou do


ouvinte; Criar Interesse em sua mente
Construir o Desejo por aquilo que você diz, oferecendo algum benefício que os empolguem
(motivem). Persuadir-los a Agir.
Esta fórmula (Atenção, Interesse, Desejo, Ação) será a chave do seu sucesso. O ponto de partida
para a influência individual ou em massa. Mas antes de começar, deixe-me explicar uma coisa de
extrema importância que você deve levar em conta. Você deve sempre pensar a partir do ponto de vista
da pessoa alvo. Lembre-se que elas são o objetivo principal a ser atingido, e isto requer palavras de
estratégia. Palavras profundas, carregadas com uma intensidade que só uma bem elaborada
combinação de idéias, poderá acender na pessoa uma forte vontade, levando-a a fazer o que tem que
ser feito. E a única coisa que a pessoa está pensando o tempo todo é algo parecido com esta questão:
“Que benefício obterei com isso”? Benefício. Este é o ponto principal. As pessoas não compram, não
adquirem, não anseiam conquistar nada sem antes, senão o "benefício". Não sei ao certo em que setor
você vai usar o poder das palavras direcionadas (vendas, ongs, relacionamento pessoal, influência em
massa, propaganda e marketig, livros, etc...). Independente qual seja o seu principal objetivo para se
aplicar estas técnicas, a fórmula e o fundamento é o mesmo. Muda-se apenas o contexto do lugar pra
onde você está enviando-o. Então escreva sobre os benefícios 100% do tempo se possível. Agora
vamos ver um resumo dos elementos essênciais que suas palavras deve ter:

1. A Manchete. Aqui é onde tudo começa é o ponto de partida para uma jornada onde apenas com
poucas palavras você comunica uma idéia, causando uma sensação de curiosidade, e despertando
assim o interesse da pessoa a ficar até o fim para acompanhar o desfecho do elemento. Às vezes
chamada de “grande promessa”, esta é a primeira e muitas vezes a única chance de capturar a atenção
do leitor. Você só tem alguns segundos para convencer as pessoas, ouvinte ou leitor a permanecer
focalizado em você e a continuar prestando atenção naquilo que você tem a oferecer. Usualmente você
terá de fazer sua maior promessa aqui na manchete, que é a abertura inicial da exposição de suas
idéias.Diga a pessoa exatamente qual o maior beneficio que ele receberá do seu objeto requerido. Sua
promessa deve ser excitante, captar a atenção e fazer com que a pessoa sinta o desejo de ouvir mais ou
ler mais. Alguns tipos de manchetes efetivas são:* Manchetes do tipo “Como Fazer” * Manchetes do tipo
“Descubra O Segredo” * Manchetes do tipo “Algo Revelado” O segredo é oferecer seu maior e melhor
benefício, de maneira a compelir a pessoa a continuar disposta a permanecer até o desfecho do
comunicado. Na maioria das vezes você terá de colocar nesta manchete, uma promessa quase
inacreditável.

2. Sub-Manchete. Esta é opcional. Você pode usar uma sub-manchete para expandir sua
promessa e oferecer o seu maior beneficio. Mais uma vez, a chave é manter a pessoa ouvindo ou
lendo e fazer com que seu comunicado flua ganhando vida mediante a sua versão. Com isso, nascerá
em seu objeto de comunicação um fundamento que o tornará importante na vida daqueles que o tem
recebido.

3. Desenvolvimento. Este é o momento de colocar em evidência o seu material. É onde o seu


objeto de comunicação realmente começa a fazer sentido na vida dos outros. É aqui que você vai fisgar
as pessoas para o seu lado. Este é o momento de não pedir nada as pessoas que deverão estar
concentrada em você e muito menos enrolar. Pois eles querem resultados e benefícios, então esta é a
sua grande chance de mostrar que você tem algo a oferecer, isto funciona muito bem. Pense em algo
que você pode dizer nos primeiros 10 segundos de contato e que fará com que a pessoa leia (ouça ou
veja) todo seu comunicado. Saiba que esse é o momento do "desenvolvimento" que poderá levá-los ao
estreito "envolvimento". O poder estará em suas mãos, caberá somente você saber usá-la. Este é o
momento de influênciá-los, trazendo-lhes para dentro de sua realidade. Dê aquilo que eles querem! Fale
sobre o que eles querem ouvir e depois fale sobre aquilo que eles "devem" ouvir. Isto causará uma
naturalidade tão grande, que as pessoas ao adquirir aquilo que você tem para oferecer vão até te
agradecer depois. Porque eles se sentirão mais beneficiado do que você, sendo que na verdade você no
final estará auferindo mais do que eles: Fama, sucesso, benefícios e toda sorte de benesses na sua
vida. Vou ilustrar um exemplo que parece um pouco supérfluo por estar fora do nosso contexto principal
de influência, mas para te dar uma idéia mais concreta do que estou falando. Suponha que você é
aquela pessoa extrovertida e engraçada que adora contar piadas para os seus amigos, vizinhos e pra
primeira pessoa que aparece à sua frente. Só pelo preço de vê-las rindo. A questão é que existem
pessoas que fazem o mesmo que você, só que com o diferencial de receber financeiramente por isto,
em seus shows. Moral da história, você é tão humorista quanto o outro famoso. Mas este humorista
famoso entende que ele está fornecendo benefícios para o seu público, enquanto o seu público fornece
dinheiro para comprar um pouco de gargalhadas e alegria para si mesmos. Elas recebem as piadas
como produto de consumo imediato e a pessoa que conta as piadas recebe muito mais: Dinheiro, fama,
credibilidade, mordomia e sucesso em sua vida. Vamos agora passar para o próximo passo dentro do
mesmo contexto de desenvolvimento.

4. Lista de Benefícios. Será de utilidade em alguns casos no seu objeto de comunicação. Após
você ter fisgado o leitor, mergulhe ele em sua lista de benefícios. Se for na escrita, use então bullets
(pontos) para tornar sua lista mais fácil de ler. Faça com que cada bullet seja focado em um beneficio.
Há vários tipos de bullets que você pode usar:* “Como Fazer” * “Eliminar Problemas” * “Contando
Segredos” * “Criando Sonhos” Certifique-se de colocar novamente seu maior e melhor beneficio no meio
desta lista.

5. Seu Diferencial Único. Aqui você deve diferenciar-se de qualquer outro que está promovendo
um produto similar. Porque alguém deveria comprar de você? O que faz seu serviço ser diferente?
Você deve apresentar o seu serviço, produto, comunicado, retórica, etc de uma nova maneira ou sob
uma nova perspectiva. De qualquer maneira você deve fazer com que seu objeto pareça a pessoa o
único que vale a pena a fazer parte de sua vida. Você deve saber a vender a sua idéia com
criatividade e imaginação, sempre haverá quem compre a sua idéia. O objetivo aqui é alargar os
caminhos para se conseguir mais adéptos. Se ele estiver convencido de que não pode encontrar um
elemento melhor lá fora, alocará ao seu.
6. Construindo Credibilidade. Uma vez que você tenha fisgado a pessoa, conte a ele as vantagens
e diferenças entre seu em relação ao resto. Você deve construir credibilidade e confiança. Se constrói
credibilidade fudamentado na carisma, numa relação emocional, firmeza e naturalidade). Ninguém irá
aceitar nada de alguém que não confie. Há várias maneiras de construir credibilidade: * Credenciais –
Explique porque você é qualificado para dizer que o seu é a melhor alternativa e é bom mesmo. O que
faz de você um especialista no assunto?* Testemunhos – Nada é mais poderoso do que palavras
verdadeiras de pessoas que aprovaram seu serviço, produto, filosofia, palestras, etc... Opcionalmente
você pode antecipar o testemunho e coloca-lo logo após a manchete. De qualquer modo, o testemunho
é uma das coisas importantes porque é ele que derruba qualquer dúvida com relação à sua manchete.
Entendeu agora porque a manchete deve prometer algo quase que inacreditável? Honestidade – A
melhor maneira de construir credibilidade é dizendo a verdade. Não aumente exageradamente os
benefícios do seu objeto escolhido. Simplesmente apresente a verdade. – Uma poderosa maneira de
construir credibilidade é fazer um alerta a seus leitores. Exponha a eles de 3 à 5 virtudes que se
acrescentarão em suas vidas se seguirem àquilo que você propõe. Então conte a eles como você
encontrou esse critério. Naturalmente a intenção aqui é expor de 3 à 5 virtudes que seu objeto de
escolha possui e os outros não.

7. Construir Desejo – Mais Benefícios. Agora você deve querer fazer outra lista de benefícios. Você
deve deixar o leitor desejoso do seu produto e manter uma comunicação fluente. Faça outra lista de
bullets listando mais e mais benefícios que o seu objeto oferece. Se não for possível é melhor ainda,
porque aqui é o momento perfeito para você apresentar os mesmos benefícios de antes só que com
mais ênfase e com uma visão mais nítida do seu objeto, deixando uma impressão marcante para
aqueles que recebem a mensagem.

8. Remover Relutância. Se você perceber algum tipo de relutância da parte da pessoa saiba que a
melhor maneira de remover a relutância é usar a estratégia do livre arbítrio. Não pressionar de modo
algum a pessoa a tomar decisões imediatas. Se as pessoas perceberem que você está
pressionando-os a tomar uma decisão imediata, elas vão se sentir manipuladas. A maioria das pessoas
detestam tomar decisões e principalmente ser forçadas a alguma coisa. Então as ajude para não terem
que tomar uma decisão. Diga a elas para refletir sobre o assunto, pois você já terá lançado uma
semente na mente delas; isto se o que você está oferecendo seja realmente de boa valia.

4. O quê eles querem?

O que toda pessoa quer saber?

Se você dá as pessoas o que elas querem, elas vão te ouvir. O que TODA pessoa quer ouvir?
Isso é difícil de dizer, já que tudo o que você escreve ou fala é diferente. Mas as pessoas geralmente
se perguntam algumas questões quando pegamalguma coisa para ler ou para ouvir alguém. E essas
são as principais delas:

"Quem liga?"

"O que eu ganho com isso?"

Imagine o Bart Simpson, personagem do desenho animado, um perdedor por natureza,


perguntando estas questões a você. Leitores e ouvintes são mais educados, mas as questões estão
lá, espreitando em algum lugar de suas mentes. Você tem de responder estas questões se quer criar
palavras hipnóticas.

Saiba você que as pessoas não ligam para o que você quer. Eles ligam para o que ELES querem.
Você precisa saber as respostas para as questões de Bart. O que as pessoas ganham com isso? O que
tem aqui para eles? Quais são os benefícios para eles? O que eles vão obter disso? Porque ele
DEVERIA ligar para o que você escreveu ou falou? Enfim, "E DAÍ?"

Você pode prover as respostas? Se não puder, você não terá nada ou ninguém.

Pense a respeito quando você pega uma correspondência ou uma revista, você da uma olhada e
separa o que quer e o que não quer ler. Se o artigo ou carta não pegam você de alguma maneira,
você passa direto. Certo? Você não lê todos os artigos em sua revista preferida, lê? Você pode dar
uma olhada, mas quando percebe que não é para você, pula as páginas.

As pessoas farão o mesmo contigo. É melhor você capturar a atenção deles IMEDIATAMENTE.
Como?

Pensando no que eles querem? De novo, olhe para as questões do Bart.

"Quem liga?" (Bem , quem liga para o que você escreve? Por que eles deveriam ligar?)

"E daí?" (Bem, E DAÍ? Para que isso importa? Você tem importante a dizer? Isso é
MESMO importante?)

"O que tem aqui pra mim?" (Bem, o que tem aqui pra ele? O que a pessoa vai ganhar daquilo que
você oferece?)

Você deve entrar na pele da outra pessoa. Imagine o que ela quer.

Todo o processo de comunicação (seja ele escrito, falado ou pensado) evidentemente envolve
um emissor e um receptor. Tanto um como o outro devem estar numa escala de vivência comum, a
mais estreita possível. Uma vivência que seja social e espiritual. Assim, o emissor da mensagem e o
receptor da mesma entram nesse processo. E, já dentro, vivem, sentem e, compreendem a
comunicação.

Saber explorá-lo, estimulá-lo depende de nosso inteligência, criatividade, imaginação, inspiração


e emoção. Um bom relacionamento na comunicação é a chave do sucesso. Quando você entende o
que importa para as pessoas, você está em uma posição de poder. Você pode então criar algo que vai
agarrá-los, daí a coisa pega.

Um gerente pode estar interessado em motivação. Um contabilista pode se interessar por


maneiras de pagar menos impostos. Um escritor pode querer formas mais fáceis de escrever.

Saia do seu ego entre no ego das pessoas alvo. Não dê a eles o que você quer, dê a eles o que
ELES querem. Se você está oferendo algo novo, diga isto a eles de uma forma que apele a ELES, não
a você.

Quando os estúdios Disney lançaram o filme ACROPHOBIA, foi rotulado como uma comédia de
suspense. Quando descobriram que as pessoas não ligavam para comédias de suspense, mudaram
o rótulo para filme de terror. Mesmo filme, abordagem diferente e um sucesso atingido para o público
aficcionado por terror. Você precisa pensar como eles, não como você.

Então comece uma mensagem de onde se encontra as necessidades das pessoas, talvez
concordando com ele em alguma questão, e então movendo o assunto na direção do que você quer
oferecer.

As pessoas é egoísta. Tudo que importa a eles é, eles mesmo. Apele para os interesses deles.

Lembre-se das perguntas do Bart Simpson: "E daí? Quem liga? O que ganho com isso?"

E responda a elas antes de começar alguma coisa! Só assim esta coisa vai se tornar importante
para alguém.

5. Indutor
Usando um indutor

O grande segredo para a criação de uma comunicação que algeme a atenção das pessoas
muito usados pelos profissionais que entende deste assunto é a criação de lista de palavras
indutoras. Use palavras que desemboquem na próxima setença. Exemplos de indutores são:

"porque", "por causa", "e", “é”, "ou".

Sempre que estiver escrevendo e sentir-se empacado por um pensamento, use uma palavra
indutora. A palavra vai te arrastar ou induzir ao seu próximo pensamento. Por exemplo:

Digamos que você está escrevendo esta linha, "Este Workshop faz o leitor ficar grudado..." e você
não consegue pensar no que dizer em seguida. Então é só adicionar uma palavra indutora à sua frase
e escrever o que quer que venha a sua mente.

Exemplo: "Este Workshop faz o leitor ficar grudado "POR QUE" o conjunto de idéias são
criadas com tanta arte que ninguém pode resistir a elas".

Entendeu?

A "palavra indutora" fatalmente induz a outro pensamento, e é aí se começa a nascer grandes


idéias. Tire a prova, tente!

6. Palavras que influênciam

Atenção este é o capítulo mais IMPORTANTEdeste Workshop!!!

Consegui chamar a sua atenção? Consegui colocá-lo em alerta?

Pois este era o meu plano. Agora reflita POR QUE consegui chamar sua atenção. O que
pegou você? O que fez você continuar a ler?

Como é que você ainda está lendo?

Primeiro atingi você FORTE! - com uma frase simples, porém sólida.

Segundo, fiz esta frase sobressair na página deixando-a isolada.

Terceiro, dei à frase ainda mais impacto escrevendo duas palavras em maiúsculas.

Isso é quase uma fórmula que inevitavelmente chama a atenção de muitos. Uma comunicação
que atinge direto o ego da pessoa requer
afinação inexorável. Você deve se preocupar com cada palavra, frase e setença até que cada
uma seja MATADORA. Cada linha deve trabalhar para manter a pessoa ligada lendo.

Como você cria frases deste calibre? Você tem de seguir a fórmula que é, ESCREVA PRIMEIRO,
EDITE DEPOIS. Primeiro você cria um esboço bruto. Então você volta a ele para editá-lo à perfeição.
Parece muito simplista e até mesmo infantil este meio, mas funciona de forma assombrosa.Um
escultor, faz algo similar quando primeiro desenha sua idéia, então trabalha para trazer sua idéia à
vida.

Esculpindo-o a mesma obra até chegar a perfeição.

Você joga uma idéia no papel e apara - esculpi - lapida - poli -à perfeição. Exemplos:

"A porta foi aberta pelo João".

Digamos que esta seja aquela frase que você quer usar para impressionar, influênciar ou
convencer chamando a atenção de muitos.

"João abriu a porta".

Está melhor, hein? Agora temos alguém fazendo alguma coisa. Isso é ativo e muito mais
envolvente. Esta setença tem vida. Mas é hipnótica?

Não! Então vamos tentar novamente:

"Joâo arrombou a porta"

Isso agarraria sua atenção, não é? Mas eu acho que podemos fazer melhor.

"João ARROMBOU a porta!"

Agora temos uma frase irresistível! São frases deste tipo que irá iniciar na pessoa um processo
de curiosidade hipnotizando-as. Comece sua mensagem com ela e as pessoas estarão amarrados a
ler ou ouvir a próxima.

Toda linha tem a função de manter a atenção de uma pessoa. Por que o rádio está chamando, o
telefone está tocando, o sol está brilhando, a geladeira tem comida dentro dela, um novo filme está
passando no cinema - suas linhas tem de manter o leitor GRUDADO na sua mensagem - suas falas
tem de manter os ouvidos das pessoas completamente voltadas para o seu raciocínio ou você vai
perdê-las para uma ou outra das coisas citadas. Há distrações demais no mundo a nossa volta para
você poder
oferecer uma mensagem escrita ou falada medíocre. Você não tem escolha. Você precisa
reescrever seu material para deixá-lo perfeito. Você PRECISA, é uma necessidade obrigatória para
se chegar ao apogeu da realização e se tornar o gigante entre os grandes.

Você tem que escrever algo de forma a derrubar a pessoa da cadeira. Tem que ser um esboço
com uma expressão que faz até mesmo os olhos delas saltarem. Elas tem que arregalar os olhos,
quase como se estivessem saltando das órbitas. Algo sensacional.

Claramente uma linha hipnótica.

De repente você pergunta: Como pode a minha relação de idéias e mensagens ficar melhor? -
Você sempre pode melhorar. Uma coisa que você pode fazer é continuar brincando com a frase até
que algo te faça sentir um verdadeiro "abalo". É um desafio hilariante quando você percebe que está
criando frases que realmente influenciam as pessoas! Elas estarão dispostas a pagar por suas idéias,
produtos ou mensagens dependendo da força daquilo que você escreve. O trabalho extra, vale a pena!
Se você quer criar textos que AGARREM seus leitores ou àqueles que te ouvem, TRABALHE NISSO!

Reescrever é o segredo. Você reescreve e reescreve - sempre trabalhando para que as suas
frases tenham mais impacto - e você não pára até conseguir.
7. Vá direto

Use dicionário de sinônimos para fazer sua escrita simples e direta. Se você tem uma palavra
longa, cace uma mais curta. Mark Twain disse que era pago o mesmo tanto se usasse a palavra
"policial" ou "tira". Como Twain era preguiçoso, "tira" era mais fácil de usar - e mais rápido. Você
deveria seguir o mesmo caminho. Ache palavras curtas para dizer o que pretende.

Se você não usa a palavra numa conversa normal, não a use na redação. Dito de outra forma:
Se não ouviu a palavra no aeroporto ou no ponto de ônibus não a use.

Você pode usar seu dicionário também quando precisa de uma palavra diferente para falar o que
disse antes. Em outras palavras, se você usou a palavra "simples" diversas vezes em um artigo,
encontre outra palavra que diga o mesmo. Mantenha as palavras num fluxo fresco e as pessoas
interessadas, encontrando palavras simples palavras simples para expressar seus pensamentos.

Eu tenho um dicionário de sinônimos. Vou usá-lo agora e achar outra palavra para
"simples". Opa! Parece que há dezenas de palavras que significam "simples". Até fiquie
surpreso! Aquivão algumas alternativas:

Claro
Inteligível
Lúcido
Compreensível
Correto
Natural
Plano
Impassível
Mesmo que pareça simples, eu quero a palavra MAIS direta que posso encontrar "Claro"e
"Plano"são boas escolhas porque são curtas. "Lúcido" soa bem mas não estou certo de que todo
mundo compreende. Por isso, a dispensaria.

Não escreva para as massas. Escreva para uma pessoa. Escreva para um indivíduo e você vai
conseguir um relacionamento pessoal com seus leitores. Mesmo que milhares de pessoas ouçam ou
leiam seus artigos, cada um ouve ou lê individualmente. Escreva seu material para uma pessoa,
como se estivesse escrevendo uma carta e você vai, naturalmente, criar uma relação emocional com
as pessoas.

Você já recebeu cartas pessoais de amigos e já recebeu cartas formais com seu nome impresso
nelas. Você conseguiu perceber a diferença não foi? Cartas formais - mesmo quando tem seu nome
escrito nelas - soam artificiais. Despertar interesse nas pessoas requer contato pessoal. Não importa o
que você está escrevendo, escreva para UMA pessoa e você vai dar uma sensação de amizade,
consideração e estima e conseguentemente vai ganhá-la.

Quando você estiver falando para uma pessoa ou para uma platéia, sinta que está falando para
conduzir. Deve ser palavras carregadas de alguma emoção. Quando se fala para se convencer, as
pessoas precisam ver sinceridade nos teus olhos e na sua voz. Você tem de mudar a inflexão da voz.
Você deve ficar animado e vivo. Coloque mais emoção, mais ênfase, mais paixão. Mas tudo com muita
naturalidade para comover as pessoas. Suas mensagens devem ser feitas com toda energia e
entusiasmo espontâneo que só você tem. Não fale e nem escreva para impressionar, escreva para
compartilhar as suas emoções. Não tente copiar ninguém. Seja autêntico, seja você mesmo e é as
pessoa que irão te copiar.

8. Resultados

Há muitas escritores que começam um projeto, julgam que estejam bem ruim e desistem.
Eles desistem porque sua escrita não parece "perfeita".

E muitas pessoas começam a editar seu trabalho e, das duas uma: decidem que o trabalho é um
lixo e o arquivam, ou decidem que o projeto precisa de MUITA edição e gastam semanas, meses e até
anos nisso!

Devemos saber que todo esse trabalho de criação e edição faz parte do processo de
desenvolvimento e é uma peça fundamental do sucesso: Busque sempre a perfeição mas não espere
pela perfeição condicional. Porque quando se conseguir chegar ao topo da montanha você se alegrará
mas não estará plenamente realizado, desejará então pisar em cima das nuvens por mais impossível
que pareça aos olhos dos outros. Será um sonho gerando sonhos maiores.

Vá atrás dos resultados. Quanto mais você faz, melhor fica. A quantidade acaba chegando na
qualidade. Ray Bradbury escreveu 2.000 históras pra que 200 delas se tornassem clássicos. Alguns
autores escrevem 6 livros para que um ou dois valham a pena ser publicados.

O que é perfeito então? - Não tenho déia. O que parece perfeito para mim pode parecer um
rascunho para os outros. Tem apenas que fazer o que puder.

O que significa escrever com destreza e precisão para acertar em cheio a pessoa, e então
editar incansavelmente até o resultado desejado com um "diamante lapidado".

Depois é só soltar a sua criação seja qual for ela para o mundo, porque o resultado será a
bússola que te mostrará se o caminho que você está percorrendo é o certo. O resultado aparecerá da
opinião pública, da aceitação ou não por ela.
Termine os esboços e comece a editá-los o melhor que puder. E então, deixe-os ir.

9. Como trazê-los para o seu lado!

Como trazer a pessoa para o seu lado!

Cedo ou tarde, você terá de comunicar ou escrever para convercer alguém. Como você vai fazer
isso? Como você vai persuadir as pessoas a pensar como você? A passar para o seu lado? Esta é
provavelmente a tarefa mais desafiante em termos de influência individual ou em massa.

Acho todo assunto de persuasão absolutamente cativante. Fico fascinado pelo que leva as
pessoas a se comoverem, o que motiva as pessoas, o que leva a agir. Como você e eu sabemos, a
palavra é poderosa. Comunicar como começar - e terminar. Comunicar pode fazer - ou destruir.

O que é que preciso para criar mensagens que persuadam as pessoas ao SEU modo de pensar?
Este é o assunto desta seção. Aqui estão os passos que acredito que você precisa ter mente quando
tenta redigir mensagens que influenciam as pessoas.

1. Saiba o que você quer

Antes de começar qualquer tarefa você precisa saber o que VOCÊ quer alcançar. Qual a sua
meta? Qual o seu objetivo? Quando as pessoas te ouvirem ou lerem a sua mensagem ( ou anúcio, ou
o quer que seja), o que você quer que elas façam?

Este é o primeiro passo para configurar uma estratégia de peso. Tudo que você escrever vai
servir de suporte ao seu objetivo uma vez que você DEFINA sua meta. O grande jogador de baseball
Babe Ruth era conhecido por caminhar até a base e dizer onde ia rebater a bola. Ruth era um
showman e o ato de apontar deixava as pesoas emocionadas, mas também o ajudaram a conseguir
mais home runs que qualquer outro em toda história do esporte até bem pouco tempo. Babe Ruth
definia sua intenção ("Vou acertar a bola ali") e ele fazia exatamente o que tinha dito.

Que ação que você quer que as pessoas tomem? O céu é o limite. Quando você criar uma
mensagem falada ou escrita, deverá querer os exatos 100% de retorno. Terá que desejar que cada
pessoa que te ouve fique surpreso, excitado, empolgado, motivado e interessado em sua história. Você
deve apenas aprender a mostra a coisa com um ponto de vista diferente para conseguir a aprovação
deles. Isso vai depender apenas de você, o que você quer que sua mensagem realize?

2. Apelo emocional

Nos anos 60 Roy Garn escreveu um livro que abria os olhos de seus leitores chamado THE
MAGIC POWER OF EMOTIONAL APPEAL. Duvido que ainda esteja sendo publicado, mas vale a
pena caçar uma cópia. Vcoê vai aprender muito sobre como escrever - ou falar - de uma maneira que
captura as pessoas e faz que te escutem.

A premissa de Garn é que todo mundo - incluindo você e eu - está preocupado. Você tem coisas
em sua mente. Você se preocupa com dinheiro, trabalho, suas crianças, uma nova relação ou seu
futuro. Qualquer coisa. Talvez você esteja pensando em sexo ou num novo filme que você quer ver, ou
um problema de saúde. Tem alguma coisa em sua mente agora, mesmo enquanto lê estas palavras e
isso 'reboca' sua atenção. ( Certo? ).

Nosso desafio como escritores ou palestrantes é arrancar as pessoas de suas preocupações de


forma que escutem o que temos a dizer.
Como você arranca as pessoas de suas preocupações?

Uma piada, uma citação, uma história, uma estatística, uma chamada, um nome - todas estas
coisas podem ajudar a acordar as pessoas de forma que recebam sua mensagem. Mas a isca tem de
ser relevante. Você deve usar uma chamada em seu comunicado que fala diretamento com os
interesses das pessoas. Isso desperta atenção.

Outra abordagem é encontrar a pessoa justo onde mora a preocupação. Por exemplo, se você
está contactando escritores, uma inquietação (ou preocupação) é a necessidade de ter suas obras
publicadas e você vai se conectar com as procupações emocionais deles.

Você deve se perguntar, "O que mais preocupa a pessoa que eu quero que seja meu alvo?" e "O
que passa pela mente dele?". Estas pessoas possivelmente tem alguma apreensão, problema ou
reclamação em comum. Seu texto deve abordar este assunto de uma maneira que capture a atenção
deles.

Reflita profundamente sobre este tópico. As pessoas são movidas pela emoção. Apele para as
maiores aflições das pessoas em que você estiver comunicando e você tocará em suas emoções com
um apelo genuíno.

E quando você consegue fazer isso com sucesso, sua mensagem hipnotiza!

3. Dê a eles o que eles querem

O que querem as pessoas? Com certeza eles querem soluções reais para problemas reais. Eles
não querem características, eles querem benefícios. Qual a diferença? Uma característica diz que um
novo carro é bi combustível. Um benefício diz que um novo carro bi combustível é mais econômica e
dá o poder escolha ao proprietário. Uma característica representa um fato. Um benefício mostra
porque um fato é importante para a pessoa.
Uma pessoa quer o mesmo que todos queremos: felicidade uma vida mais fácil, segurança,
diversão. Você pode dar isso a eles?

4.Faça perguntas que o trazem para o seu lado

"Se houvesse um jeito de você escrever uma mensagem poderosa com facilidade, você gostaria
de tê-lo?" Note que só existe uma resposta a esta questão. A não ser que aquela pessoa que é o seu
alvo não esteja também interessado em escrever, falar ou influênciar (de novo, você deveria estar
oferecendo às pessoas aquilo que elas querem), eles ou ela têm de responder a pergunta com SIM!

Outro exemplo: "Se eu pudesse te conseguir um carro novo, com todos os acessórios que você
quer e com uma prestação que você pode pagar, você estaria interessado em vê-lo?"

Considere que a pessoa a quem esta pergunta é dirigida esteja procurando comprar um carro, o
que você acha que ela responderia?

Outro exemplo: "Se eu pudesse te dar uma estratégia de marketing que garanta um aumento em
seus lucros, você estaria interessado?" Mas é claro!

5. Desenhe com suas palavras

Estudos mostram que nós pensamos por imagens. Descreva suas visões ou seu objetivo, em
vívido detalhe. Conte as pessoas o que ela vão ver, sentir, ouvir, cheirar e que gosto vão sentir ao usar
seu novo processador de alimentos (ou seja lá o que for). Pinte um retrato vivo que as pessoas
possam ver ao ler suas palavras.
Um segredo para fazer isso é dizer a pessoa exatamente o que acontece quando ele usa seu
produto ( ou seja lá o que você estiver oferecendo).

6. Use depoimentos

Sabe o que as pessoas não tem hoje em dia? Confiança. A principal causa pela qual as
campanhas políticas ou de mala direta de publicidade falha e vão direto para a lixeira é porque as
pessoas não confiam mais. As pessoas foram enganadas tantas vezes que estão EXTREMAMENTE
hesitantes em apostar numa coisa nova.
Obtenha depoimento de pessoas que já aprovaram sua idéia ou palestra (ou seja o que for lá).
Se as citações vêm de pessoas que todos conhecemos - como celebridades - tanto melhor será. Elas
dão credibilidade ao que você escreve ou diz.
Uma dica: Esteja certo de que os depoimentos de que você usa sejam específicos. "Gostei do
seu livro" não é tão forte quanto "O capítulo sobre negociação me ajudou a fechar um contrato de
40mil!". Como você consegue depoimentos? Peça. Peça as pessoas que freguentaram suas palestras,
ou usaram seus produtos,etc... Se elas não quiserem escrever um, escreva para elas e peça que
assinem. Celebridades são relativamente fáceis de contactar, também. Compre uma cópia do STAR
GUIDE e você vai ver o quero dizer. Este livro lista mais de 3000 nomes e endereços de estrelas de
cinema, figuras do esporte, políticos e outras pessoas famosas. Custa apenas USD 15,00 na editora
Arixiom, P.O. Box 8015, Ann Arbor, Ml48107.
Outra boa maneira de conquistar a confiança das pessoas é oferecer uma sólida garantia.

7. Lembre-os do problema - e sua solidão

Antes de terminar a sua mensagem ou comunicado, lembre as pessoas que eles tem um
problema. Use aquele apelo emocional, diga: "Se você está cansado de receber cartas de rejeição,
peça meu livro hoje e ponha um fim na sua frustação".
Murray Raphael, co-autor THE GREAT BRAIN TOBBER, diz que o medo é um grande motivador.
Não quero a encorajar a vocâ a amendrontar as pessoas para que vejam as coisas do seu jeito, mas
eu SUGIRO que gentilmente lembre a seus ounvintes ou leitores de que eles têm um problema - e
você tem a solução.

8. Adicione um 'P.'S.

Pense a respeito. Quando você recebe uma carta curta - qualquer carta - o que você lê primeiro?
O 'P.S.'! Todos fazemos isso! EStudos mostram que o post script é a parte da carta mais lida primeiro.
Se você não vai falar, mas sim escrever. Então seu PS é sua chance de mostrar o ponto mais forte de
sua idéia ou oferecer a garantia ou mencionar o quanto sua idéia ou produto é maravilhoso e exclusivo.
Talvés você queira usar sua munição mais pesada no PS já que é a parte de destaque e a parte que as
pessoas lerão primeiro.

9. Seja visualmente atrativo

Quer dizer, use parágrafos curtos, diálogos quando apropriado, marcadores, e margens
largas (por sinal, uma grande mensagem à direita ajuda na leitura).
Se você pega uma página que é um bloco só de palavras, você tem vontade
de ler? Provavelmente não. Não é convidativo. Parece como muito trabalhoso.
Em vez disso, faça de sua mensagem algo atrativo. O jeito como você apresenta as palavras
pode fazer as pessoas gostarem da idéia antes mesmo de ler. Sugiro que mexa bastante com o jeito
que apresenta as palavras para que dêem uma interessante primeira impressão aos seus leitores ou
se for uma retórica, que sejam marcados pela sua mensagem àqueles que te ouvem.

10. Venda-se ao que estiver vendendo

Talvez este seja o ponto mais importante de todos. Você não pode vender aquilo em que
você não acredita.

Esta é uma lei fundamental de persuasão. Como você convence alguém a seguir uma ideologia,
religião ou organização em que você mesmo não acredita? VOCÊ NÃO PODE E NÃO VAI TER
ÊXITO! Você pode persuadir qualquer um de qualquer coisa se você está convencido. Apelo
emocional e todas as outras dicas vão se encaixar quando você se convence do que está falando. E
não tente escrever sobre nada que você não acredite interiormente e honestamente, pois com toda
certeza vai fracassar.

Siga estas dicas, e pense a respeito das preocupações e emoções das pessoas e fale de uma
forma que eles não possam ignorar. Se você fizer isso, vai criar um poderoso veículo de influência e
persuação levando pessoas a concordarem contigo em absolutamente tudo.

11. Organização

Escrever não significa apenas preencher o papel com frases, mas também não se constitui num
martírio. Um texto pressupõe simples operações anteriores, entre as quais está o planejamento. Assim
que se recebe uma proposta de redação, uma série de idéias sobre o assunto vêm à cabeça. Deve-se
registrar todos os pensamentos no papel. Fatos, informações, opiniões, um caso que aconteceu na sua
rua, tudo deve ser anotado em forma de esquema. Não deve ser preocupação, nessa fase, a ordenação
dessas idéias.

Esta primeira fase, denominada fluxo de idéias, é fundamental para a execução da redação.
Muitas idéias anotadas talvez nem sejam utilizadas depois, enquanto outras idéias podem surgir
adiante. É claro que as idéias não vão aparecer do nada. Elas fazem parte de um repertório de
opiniões, fatos, informações a que se está exposto todos os dias.

Partindo desse conjunto desordenado de idéias, pode-se perceber a possibilidade de


agrupá-las segundo certas semelhanças. Uma divisão possível seria em causas, conseqüências
e soluções. Dica para captação de idéias: relacionar um tema e fazer a pergunta “por quê” a
cada argumento levantado, a fim de promover uma reflexão mais profunda sobre o assunto.

Lembrar-se de que, ao redigir, não se deve esquecer de:anotar todas as idéias, frases, palavras,
sensações que surgirem sobre o tema; fazer uma seleção das idéias que surgiram;
pensar num plano para o texto, estruturando-o em introdução, desenvolvimento e conclusão;
revisar no rascunho, ao final, a grafia das palavras, a pontuação das frases e a eufonia das palavras
usadas, assim como a adequação vocabular ao contexto. Tudo isto como uma forma de estratégia
para capturar a atenção das pessoas.

10. Papéis criativos

Estudos sobre a criatividade indicam que para se ter sucesso como pensador criativo você
precisa adotar um papel de pensamento criativo diferente durante cada estágio do processo criativo. A
geração e implementação de novas idéias são técnicas cruciais de sobrevivência em um mundo com
constantes e rápidas mudanças como este em que vivemos.
Tenho tido a oportunidade de trabalhar com muitas pessoas criativas nas mais diversas áreas.
Observei, que uma característica marcante das pessoas criativas é sua flexibilidade mental.
Concordo com Roger Von Oech, que afirma que o processo criativo consiste de nossa adoção de
quatro papéis principais, cada um dos quais envolvendo um tipo diferente de pensamento.

Explorador / artista / juiz / guerreiro

Quando você está buscando informações novas seja um explorador. Quando


você está transformando seus recursos em idéias novas seja um artista. Quando
você estiver avaliando os méritos de uma idéia, seja um juiz. Quando você estiver
colocando sua idéia em prática, seja um guerreiro.

Vistos juntos esses quatro papéis são o seu time criativo para a geração e implementação de
idéias novas.
É lógico que nem sempre as coisas que você cria estarão nesta progressão linear. No geral,
contudo, você estará usando seu explorador mais nos primeiros estágios do processo criativo, seu
artista e juiz mais no meio e seu guerreiro mais no final.
Duas das principais razões para um fraco desempenho criativo são:
1) Papéis enfraquecidos.
2) Utilização dos papéis fora de hora.
Para a atividade criadora ser eficiente é fundamental manter todos os papéis criativos em boa
forma e ter a certeza de usá-los na hora apropriada.

EXPLORADOR

Seu explorador é o seu papel na busca de materiais para a produção de novas idéias.

1) Seja curioso.
2) Tenha uma idéia do que está procurando.
3) Olhe para campos, disciplinas e trabalhos diferentes.
4) Procure por muitas idéias.
5) Não tenha medo de ser levado para fora da rota.
6) Quebre sua rotina.
7) Troque seu enfoque.
8) Aproveite o óbvio.
9) Preste atenção nas pequenas coisas.
10) Escreva suas idéias quando achá-las.

ARTISTA

Seu artista é o seu papel imaginativo e brincalhão. Seu trabalho é o de pegar os materiais
que o explorador juntou e os transformar em idéias novas e originais.

1. Adapte
2. Imagine
3. Inverta
4. Ligue
5. Compare
6. Elimine
7. Incube, engravide da idéia

JUIZ

Seu Juiz é o seu papel avaliativo. Seu trabalho é o de examinar o que o artista criou e então
decidir o que fazer:
implantar, modificar ou descartar.

1. Vai dar certo?


2. Quanto custa?
3. Quanto tempo leva para implementar?
4. Há mercado para isto?
5. Há recursos disponíveis?
6. Será divertido?
7. O que aprenderei com isto?
8. Irá levar a outras oportunidades?

GUERREIRO

Seu guerreiro é o seu “fazedor”. Seu papel é o de pegar as idéias que foram aprovadas pelo juiz e
fazer o necessário para implantá-las.

1. Seja audacioso
2. Construa seu plano
3. Motive-se
4. Vá em frente
5. Fortaleça seu escudo contra as críticas.
6. Saiba o que está vendendo.

11. Os tipos psicológicos

O calculista frio

Trata-se do tipo do executivo ambicioso e acostumado a ser bem-sucedido naquilo que realiza.
Você poderá influenciá-lo por meio de argumentos lógicos e claros. Seja breve! O tempo desse tipo
geralmente é muito escasso. A não ser que você descubra seu hobby secreto. Tal qual acontece em
todos os tipos de pensadores que enfatizam o raciocínio, sua fraqueza consiste em algum
sentimentalismo de que não tem consciência.

O egocêntrico

Este tipo faz questão de ocupar o ponto central de todas as negociações. Avalia as pessoas e as
coisas segundo a utilidade que lhe podem dar. Essa utilidade pode ser real, mas também pode ser
imaginária. Fala muito, geralmente a respeito de si mesmo.

O cavalgador de princípios

Durante as negociações está mais interessado na discussão do que no tema propriamente


dito. A defesa obstinada dos princípios serve para encobrir sua falta de criatividade. Sua teimosia
pode ser espantosa. Quando se sente inferiorizado, procura encobrir a situação por meio da ironia.
Em casos extremos procura a discórdia, enfatizando sempre sua imparcialidade, que raramente é
verdadeira.

O anti-social

Este tipo sempre está ou faz de conta que está muito ocupado. Para demonstrar sua posição
defensiva, exibe uma falta de atenção extremada. Na verdade, observa muito bem seu interlocutor.
Está curioso, mesmo que não o mostre. Se você consegue conquistá-lo como freguês ou celebrar um
contrato com ele, esse tipo se mostrará fiel e digno de confiança. E também muito mais generoso do
que seria de supor.

O Interessado

Este tipo mantém a mente sempre aberta para as novidades, e ele mesmo vive espalhando
uma profusão de novas idéias e concepções criativas. E bem instruído em várias áreas e está
informado sobre todos os assuntos. Quando se interessa por alguma coisa, age rápida e
espontaneamente. Mas há um problema: este tipo sempre faz questão de produtos ou soluções
especiais.

O caladão

O silêncio deste tipo é uma força nas negociações, pois por meio dele provoca seu parceiro a
fazer observações irrefletidas ou concessões não pretendidas. Seu espírito que sempre está alerta e
seu pensamento construtivo muitas vezes são subestimados. Por isso, seus julgamentos exatos
tornam-se tanto mais espantosos.

O hesitante

Este tipo nunca consegue tomar uma decisão. Com as constantes desculpas que usa procura
encobrir a própria insegurança. O resultado que mais aprecia em uma negociação é o adiantamento.
Só resolve tomar uma decisão quando lhe oferecem o máximo de garantias.

O imprevisível

O pensamento e os sentimentos deste tipo avançam aos saltos. Muda de opinião diariamente.
Apesar disso, manifesta suas opiniões com a maior convicção. Como seus sentimentos são
instáveis, suas reações podem ser imprevisíveis. Para ele, em geral, só valem as verdades do
momento.

O cordial

Este tipo é amável, solícito e cheio de sentimento. Mas também tem bastante receptividade
para o reconhecimento e os elogios. Diante de uma
novidade, interessa-se mais pelos seus efeitos que pela idéia em que a mesma se baseia.

O agressivo

Para este tipo, os negócios, a profissão e as negociações — são uma competição. Procura
causar insegurança em seu parceiro para encobrir a própria insegurança. Quando tem um
sentimento de superioridade, está disposto a fazer as concessões mais generosas.

O loquaz

Este tipo gosta de falar sobre tudo, menos sobre o assunto em pauta. Sua conversa é
interessante e amável, o que faz dele um parceiro agradável. Mas a prolixidade e muitas vezes
também o medo de comprometer-se dificulta as negociações. Por isso, você precisa ter muita
paciência.

O alegre e Jovial

Sempre de bom humor e disposto a aceitar brincadeiras, este tipo é um parceiro agradável.
Quando ocupa uma posição de chefia, é benevolente e acessível. Mas, ao mesmo tempo que se mostra
alegre e despreocupado, também se mostra hesitante em assumir compromissos. Para ele só vale
aquilo que possuímos no preto e no branco.
O super-sensível

É o tipo delicado ou então nervoso. As mulheres desse tipo são chamadas de melindrosas. É
vulnerável e ofende-se com qualquer coisa. Faz muita questão da cortesia e dos formalismos. Seu juízo
raramente se funda em argumentos objetivos, mas antes nos próprios sentimentos.

O crítico sistemático

Este tipo reclama de tudo. Sua crítica não é objetiva. Seus julgamentos baseiam-se em
opiniões que defende obstinadamente. Dificilmente se consegue enfrentá-lo com argumentos
lógicos.

O super cauteloso

Geralmente as críticas deste tipo são bem fundadas e apóiam-se na experiência. Mas, as vezes,
os exemplos não têm muita ligação com o assunto em pauta. Sua necessidade de segurança é
exagerada. Por isso, nas negociações sempre insiste em garantias e cláusulas de segurança.

O pensador silencioso
Este tipo é inteligente e tem uma instrução variada. Analisa fria e objetivamente as vantagens e
desvantagens das coisas. Mas prefere trabalhar em silêncio. Fica satisfeito com a solução intelectual
de um problema. Falta-lhe vitalidade para impor suas idéias. Gosta de deixar as decisões por conta dos
outros. A timidez que exibe serve-lhe de proteção.

12. Receita para manjar de escrever

Existe uma receita com ingredientes fáceis para se escrever? Sim, existe. Para todos àqueles que
lêem com pressa. E quem hoje lê, tem pressa. Escrever assim é como fazer manjar. A receita é
simples, rápida e barata. Mas adoça a vida de quem prova, e traz no nome a fama de iguaria
indescritível. Escreva como quem prepara um manjar da sedução. E sirva acompanhado do néctar da
paixão.

O nascimento de uma deliciosa mensagem de amor tem que ser lido com o paladar, é o
manjar das letras. Linguagem informal, frases curtas, parágrafos breves, uma série de conversa
fiada. Quer escrever assim? Então comece untando a fôrma com metáforas cômicas. O humor é o
atalho mais curto para o cérebro. Escreva para anistiar os gostos de forma ampla, geral e irrestrita.
Diversifique seus temas, pois não há dois leitores iguais. Nem mesmo em um só leitor.

Manjar do assunto é a condição de consistência para seu manjar. Se faltar, sobra o buraco da
fôrma. Familiarizado, você brinca com as palavras, usa trocadilhos, evita polemizar mas não
poetizar. Pois rimas ocultas estimulam os neurônios. São qual libélulas, graciosas sinapses em
infindas células.

Abuse do corriqueiro e deixe os tecnicismos para terceiros. Crie um texto seminal, que invada o
cérebro de seu leitor em busca do óvulo comum das emoções humanas. E o fertilize com uma
mensagem que crie empatia. Seu leitor pensará que sua mensagem é de concepção familiar. Uma
intrusa, porém amada. Que não se quer abortar.

Mas não se esqueça do relevante. Conhecimento, "pero no mucho", para evitar o fastio
nauseabundo. Arrebate seu leitor da mesmice letárgica do vocabulário cotidiano, ousando alfinetar nele
uma palavra pouco usual. Que exale um leve aroma de erudição e desperte um apetite mental de novas
descobertas.
Seja sincero, seja simples. Mostre que não sabe tudo. Pois o aprender é uma experiência
conjunta, e seu leitor é seu tutor. Chame-o de você, leve-o para viajar junto. Por uma senda tão
dourada quanto a calda de ameixas que, preguiçosa, desliza por seu manjar. Irresistível. De dar água
na boca. Se funciona? Pergunte à saliva.

Crie o suspense da próxima colherada. Termine um parágrafo com um desafio que o leve ao
próximo. Algeme o leitor ao seu compasso, para não parar de ler. Seja dinâmico, tenha cadência,
esbanje charme. Abuse dos verbos no presente para grudar sua atenção na ação. Ouse romper com
regras gramaticais. Sem machucar a língua.

De vez em quando, derrame uma citação de adorno. Mas evite Benjamin Franklin, pai das frases
órfãs. Na falta de um autor, costumam atribuir a ele. A justificativa, dos que lhe são íntimos, é que o
raio que caiu em sua pipa fez Ben dizer tanta coisa, que pode ter dito aquilo também.

Use a Internet. Abuse do meio, mas não do fim. Não perturbe seu leitor com o inesperado
inoportuno de uma intrusão bandida. Mas crie disseminadores para sua mensagem. Que a
multipliquem. Para que o aroma de seu manjar chegue a quem chegar. Algo tão delicioso, que leve
você a acreditar que todos irão pedir a receita.

Aconteceu comigo em uma casa-portuguesa-com-certeza. Branca, emoldurada em rua de


amendoeiras em Loulé, sul de Portugal. Sentado à imaculada mesa de uma cozinha cirurgicamente
limpa, senti derreter na boca o delicioso manjar branco de dona Isaura.

"Delicioso!", comentei, sacando do bolso caneta e agenda. Lembrava-me de algo que iria discutir
na reunião em Lisboa no outro dia. Era escrever ou esquecer. Mas dona Isaura pensou que o assunto
era o seu manjar. E começou a ditar: "Um litro de leite, oito colheres de açúcar...". Para não
desapontá-la, anotei mecanicamente, enquanto me esquecia do compromisso.

13. Metáfora

AINDA DÁ TEMPO?!

Numa aula de Filosofia, o Professor queria demonstrar um conceito aos seus alunos. Para
tanto, ele pegou um vaso de boca larga e dentro colocou, primeiramente, algumas pedras grandes.
Então perguntou a classe:
Está cheio?
Pelo que viam, o vaso estava repleto, por isso, os alunos, unanimemente
responderam: Sim!
O professor então pegou um balde de pedregulhos e virou dentro do vaso. Os pequenos
pedregulhos se alojaram nos espaços entre as pedras grandes. Então ele perguntou aos alunos:
E agora, está cheio?
Desta vez, alguns estavam hesitantes, mas a maioria
respondeu: Sim!
Continuando, o professor levantou uma lata de areia e começou a derramar a areia dentro do
vaso. A areia preencheu os espaços entre as pedras e os pedregulhos.
E, pela terceira vez, o professor
perguntou: Então, está cheio?
Agora, a maioria dos alunos estava receosa, mas, novamente muitos
responderam: Sim!
Finalmente, o professor pegou um jarro com água e despejou o líquido dentro do vaso. A
água encharcou e saturou a areia. Neste ponto, o professor perguntou para a classe:
Qual o objetivo desta demonstração?
Um jovem e "brilhante" aluno levantou a mão e respondeu:
Não importa quanto a "agenda" da vida de alguém esteja cheia, ele sempre conseguira
"espremer" dentro, mais coisas!
Não exatamente! Respondeu o professor.
O ponto é o seguinte: A menos que você, em primeiro lugar, coloque as pedras grandes
dentro do vaso, nunca mais conseguirá colocá-las lá dentro. Vamos! Experimente, disse o
professor ao aluno,
entregando-lhe outro vaso igual ao primeiro, com a mesma quantidade de pedras
grandes, de pedregulhos, de areia e de água.
O aluno, começou a experiência, colocando a água, depois a areia, depois os pedregulhos e por
último, tentou colocar as pedras grandes. Verificou, surpreso, que elas não couberam no vaso. Ele já
estava repleto com as coisas menores. Então, o professor explicou para o rapaz:
As pedras grandes são as coisas realmente importantes de sua vida: seu crescimento pessoal e
espiritual. Quando você dá prioridade a isso e mantém-se "aberto" para o novo, as demais coisas se
ajustarão por si só: seus relacionamentos (família, amigos), suas obrigações (profissão, afazeres), seus
bens e direitos materiais e todas as demais coisas menores que completam a vida. Mas, se você
preencher sua vida somente com as coisas pequenas, então aquelas que são realmente importantes,
nunca terão espaço em sua vida. Recomece, é uma boa sugestão. Esvazie seus vasos (mental,
emocional) e comece a preenchê-los com as pedras grandes. "Ainda há tempo e ainda é tempo.
Sempre é tempo de mudar as coisas.

Metáfora02

"Há uma estrada cujo único dono e senhor é você: É a estrada do seu pensamento.

Nela você também é o único vigilante


rodoviário. Você tem se aplicado algumas
merecidas multas?

Note que a estrada do seu pensamento pode ser percorrida do jeito que você quiser
escolher. Nela as placas de sinalização é você quem faz e elas sempre o levarão para onde
você deixar.

Perceba que as lombadas e valetas também são colocadas por você, portanto você é o
único responsável pelo conforto ou desconforto de suas viagens.

Você pode escolher as paisagens:

Árvores verdes e viçosas ou troncos secos e cheios de cupins.


Poderá, ainda, entrar por túneis ricamente iluminados ou pelos escuros e sombrios, pondo-se à
mercê de atropelamentos e graves acidentes.

Nela há também os passantes que é você quem escolhe, e eles poderão acompanhá-lo em
suaves e repousantes passeios ou encher seu caminho das mais variadas pontiagudas e perigosas
pedras.

Observe as retas, as curvas, os atalhos, as bifurcações e os bloqueios que é você mesmo quem
coloca.
A estrada do seu pensamento não é de mão única e você pode retornar sempre que decidir.

Lembre-se que há pontos onde pode começar a insanidade ou a verdadeira saúde mental, a
tristeza ou a alegria, a benção ou a maldição, um recomeço, uma nova vida ou a queda para um
amargo fim.

Aonde você quer chegar?


"Há todo tipo de operários nessa estrada, mas você é o chefe!"

Não importa a velocidade com que você esteja andando, nunca PARE! Continue, siga, vá em
frente e nunca desista de seus sonhos, pois no final desta viagem VERÁS A GLÓRIA DE DEUS.
Uma luz brilhará em sua vida!!!

14. Pense Bem

Pense por um momento em alguma coisa que esteja querendo obter ou algum sonho que queira
realizar. Talvez seja um carro, uma casa, um diploma ou uma viagem ou passeio. Pode ser que queira
um companheiro ou companheira. Ou talvez queira sentir bem-estar, paz de espírito, relaxamento,
algum tipo de prazer. Ou coisas mais imediatas, talvez sinta sede e queira beber água ou outro
líquido.Pode ser também que você deseja é expandir alguma capacidade, como aprender,lembrar de
alguma coisa que se esqueceu ou escrever algo que estimule os desejos mais profundos de alguém.
Enfim, seja algo possível ou aparentemente impossível. Não importa o tamanho daquilo que você esteja
querendo realizar. Saiba que tudo, absolutamente tudo, é alcançável.Inclusive o inalcançável e o difícil.

Temos vários nomes para essas coisas:

Plano, Sonho, Objetivo, Meta, Intenção, Intento, Propósito, Desejo, Aspiração, Anseio,
Necessidade, Resolução, Intuito, Projeto, Querer...

O que todas essas palavras tem em comum é que há um estado ou situação atual e um outro
estado pretendido, e há uma diferença entre elas.A questão é que precisamos criar uma “ponte” para
alcançarmos o tão sonhado ESTADOPRETENDIDO.Mas para isto precisamos primeiro entender todo o
contexto para que haja uma visão extraordinariamente grande sobre um fato.Aí sim ,tudo ficará mais
susceptível para você.

A palavra estado,neste contexto, refere-se às condições gerais de uma pessoa e sua vida,
envolvendo o que ela sabe, o que ela tem e o que está vivenciando em um momento,em termos
físicos,mentais,espirituais e emocionais.
Uma vez que há uma diferença entre o estado atual e o estado pretendido. Entre o sim e o não.
Entre o querer e o não querer. A pessoa vai então agir para reduzir a diferença.Se ela quer um diploma,
vai se matricular em uma escola ou preparar-se para um processo de seleção. Se está com sede, vai se
mobilizar para saciá-la.Se está pretendendo melhorar sua capacidade de aprender,vai estudar e praticar
alguma técnica que reduza a diferença entre sua capacidade de aprender atual e a desejada. Ou seja, a
pessoa vai executar uma série de comportamentos para reduzir a diferença entre o que pretende e o
estado atual.A medida que a pessoa for avançando, trabalhando incansavelmente em cima de um
objetivo, mais cedo ou mais tarde alguma coisa vai ter que acontecera.A diferença entre os dois estados
cai.Os benefícios vão aparecendo e as suas metas tornam-se cada vez mais VISÍVEIS e fáceis de se
alcançar.
Portanto, se você deseja escrever de modo que convença a muitos. Saiba que o poder está nas
palavras. Vai depender do jeito como você as apresentam. Para que suas palavras possam ter
credibilidade procure embutir nelas uma garantia e revesti-las com uma sensação de autoridade e
segurança. Pois, as pessoas não vão comprar o seu produto, currículo, admiração ou qualquer coisa
que você queira disponibilizar se as palavras forem “vazias“.
A princípio, elas vão comprar a sua idéia. Porque o ser humano é muito susceptível ao meio em
que vive. As pessoas por mais que aparentemente se mostrem fortes, no fundo elas são carentes.
Estão em busca de alguma coisa que as preencham. Estão disposta a pagar caro para ter algo que
alimente este eu interior, nem que seja provisoriamente por um curto espaço de tempo.
Mas se você vai oferecer alguma coisa para alguém, saiba que terá que convencê-las. E só se
convence através de palavras. Leia atentamente as técnicas de Redação Hipnótica e construa uma
mensagem que tenha mais que palavras bonitas. Não adianta ter palavras bonitas sem conteúdo porque
se fosse assim os poetas seriam o “deus” deste mundo. Construa uma mensagem que tenha conteúdo e
enfatize os seus benefícios de várias formas diferentes para que os benefícios penetrem no
inconscientes de quem ouvir.

Construa uma mensagem e trabalhe nela por várias semanas se possível. Na verdade você tem
que GERAR uma mensagem a partir de uma idéia. A idéia pode ser simples, mas quando se GERA se
consegue transformá-la em algo maravilhoso. Dê as pessoas o que elas querem. E o que elas querem?
O que todo mundo quer é ser feliz no futuro e no presente. Dinheiro, saúde, status, respeito,
reconhecimento, estabilidade, carreira promissora, saúde, ser amado, ser lembrado, etc... Elas sabem
mais do que ninguém que para se conseguir alcançar as benesses da vida será necessário trilhar um
caminho que as levem até lá. E que tal tentar criar um atalho que os ajudem a dar um primeiro passo.
As pessoas são vaidosas, comece a oferecer algo que alimente o seu “ego”. Então, elas ficarão
desejosas para experimentar deste manjar. O mais importante disto tudo é você oferecer um grande
benefício sem que aja para isso muitos obstáculos. Se for colocado muitos obstáculos então já se foram
95% das pessoas. Todos querem benefícios mas desanimam quando se deparam com barreiras à sua
frente. Tente em suas mensagens remover ao máximo as dificuldades. A vida já é complicada então
“tire os espinhos das rosas” e as dê como se fosse um presente muito especial. Alcance as pessoas
com mensagens que ofereçam benefícios sem sacrifícios.

SUPERANDO OBJEÇÕES AO PREÇO

Boa parte dos vendedores tem medo de dizer o preço dos produtos ao cliente, normalmente
porque julgam o preço excessivo, não têm bons argumentos para sustentar o valor do seu produto,
fazem uma análise incorreta e precipitada comparando o valor do seu produto com o preço do
concorrente.

Vamos, a seguir, examinar três pontos de vista que muito aterrorizam os vendedores:

1- O preço é alto demais:


Se essa for à conclusão do vendedor, obviamente a idéia deve sumir de sua mente, pois o
simples fato da existência da mesma vai, certamente, atrapalhar seu desempenho frente ao cliente que
perceberá sua insegurança, falta de convicção e medo.

Tenho recebido muitas consultas de como superar este temor?


a) Procure descobrir os pontos fortes do seu produto, para assim justificar o preço.
b) Procure, neste momento, lembrar os pontos fortes da sua empresa.
c) Considere todos os diferenciais do seu produto, qualidade, embalagem, transporte, entrega,
etc.
d) Conduza a conversa de venda para o foco das necessidades do cliente, mas nunca esqueça
que,
aquilo que o cliente não deseja ou não necessita sempre será mais caro.

Se você fosse cego, acharia caro, a compra de um televisor colorido, mesmo a preço de custo.

Fica bem claro que a palavra CARO está associada à necessidade e desejo.

Normalmente o cliente analisa, de início sua necessidade ou desejo de obter um bem ou


serviço, para depois analisar se é CARO. Por exemplo, um cliente que deseje comprar um
determinado produto, que está na moda, tenderá a pagar o preço que lhe for pedido, pois o fato da
satisfação de seu desejo é o que mais importa.

Todo o profissional de vendas precisa saber despertar necessidades e desejos no cliente, esta
técnica ajuda a afastar a idéia de caro.

O conhecimento do produto é outro fator muito importante para afastar a idéia de caro.

Outro fator fundamental para o sucesso profissional é a capacidade criativa.

2- A concorrência tem preço melhor:


Normalmente isto pode ocorrer devido aos aspectos do mercado, pois os custos da
empresas são diferentes.

Para superar tal obstáculo o vendedor precisa agregar valor ao seu produto. Este é o
momento de agregar fatores intangíveis ao produto, são os diferenciais que sua empresa pode
oferecer e que precisam ser lembrados, pelo vendedor no momento da venda.

O vendedor precisa conhecer sempre as qualidades e deficiências do concorrente,


principalmente suas possibilidades com relação à prestação de serviços.

O preço pode ser igual, porem o diferencial positivo, pode estar na satisfação de um
atendimento diferenciado, um vendedor atencioso, ágil e criterioso na satisfação das reais
necessidades do cliente.

Se o cliente sentir-se bem e identificado com o vendedor, pequenas diferenças de


preço serão compensadas com bom atendimento.

3- Acho que os clientes vão pensar que este produto é caro:


Um grande erro dos vendedores é pensar que os clientes vão achar caro, antes mesmo
de tentar oferecer e sustentar o seu preço.

Procure sempre, em primeiro vender idéias, vantagens e benefícios aos seus clientes, por último
fale do preço.

Certamente, quando o cliente insiste na idéia de caro, é porque o vendedor lhe despertou o
desejo ou necessidade de obter tal produto. Outras vezes, na realidade, de forma encoberta estará lhe
dizendo "não tenho dinheiro para comprar isto". Neste momento o profissional de vendas precisa
saber interpretar as reações do cliente, para saber o que esta ocorrendo, existem pessoas que
realmente não têm dinheiro suficiente para comprar o que você ofereceu e, de outra forma, existem
compradores experientes que usam como técnica de negociação a expressão "ta caro", para baixar o
preço, chegando até a depreciar o produto.

Livre-se de medos e convença os clientes que seu produto vale o preço pedido, e que ele poderá
pagar.

Jamais compare seu poder aquisitivo com o do cliente, porque se fosse assim não haveria
vendedores de aviões, automóveis de luxo, mansões, etc.
Então, lembre-se, você precisa gostar e acreditar no que faz, pois só assim conseguirá ser um
vendedor vencedor.

Um profissional de verdade sempre superará todas as dificuldades, acredite em você.

As poderosas ferramentas

Deus sabiamente nos presenteou com duas poderosas ferramentas: a imaginação e a vontade. A
imaginação nos dá a luz necessária para iluminar o caminho, e a vontade fornece o combustível
indispensável para prosseguir na caminhada.
Estas duas ferramentas se utilizadas adequadamente, de forma sincronizada e interativa, criam
um sinergismo capaz de operar milagres. São capazes de transformar o homem na verdadeira
imagem de Deus.
No entanto, poucos seres humanos possuem tal habilidade. O que acontece normalmente é que
na grande maioria das pessoas elas trabalham em conflito, levando à dúvida, ao medo, ao desânimo
e a descrença.
O que poucos sabem é que elas podem ser desenvolvidas. A imaginação pelo exercício
diário da visualização e meditação. A vontade pode ser desenvolvida e estimulada pelo
planejamento e realização de pequenos objetivos, gerando a confiança e o entusiasmo para
alçar vôos maiores.

Um vencedor

Um vencedor sabe que seu sucesso será calculado pela proporção do potencial pleno que ele
utiliza para o benefício de outros.
Um vencedor é designado pela natureza para grandes expectativas. Ele tem a coragem de
acreditar nelas e de ousar antecipar-se a elas.
Um vencedor reage prontamente a um forte desejo. Ele aprecia o bem que este faz, sente
o seu desafio, antecipa sua satisfação, e sente a recompensa dela.
Se nos ensinaram tudo, não aprendemos nada. Por
necessidade, a vida é um projeto tipo “faça você mesmo”.
A razão por que muitas pessoas deixam de realizar suas metas na vida é que nunca as
colocaram em primeiro lugar!
Sua prioridade é procurar por você mesmo mentalmente, fisicamente e espiritualmente; se não o
fizer, ninguém mais fará!