Você está na página 1de 15

Uma solução ecológica para o

destino dos resíduos sólidos


Média dos Resíduos Sólidos Urbanos no Brasil

ITENS % Peso/TON
Matéria orgânica 49,50
Papel e Papelão 23,80
Plásticos 15,80
Vidros 02,20
Metais ferrosos e não ferrosos 2,40
Borrachas, couros, trapos e materiais inertes 6,30

TOTAL 100,00
OBJETO DO PROJETO DA EMPRESA

USINA MÓVEL PARA COLETA E TRATAMENTO de RESÍDUOS SÓLIDOS


URBANOS - RSU (resíduo sólido doméstico; resíduos de varrição,
de roçadas de terrenos e podas de jardins e resíduos de serviços de saúde),
com responsabilidade ambiental e aproveitamento energético.
Números do Projeto

O equipamento destina-se a coleta e processamento imediato


de resíduos sólidos urbanos.
Capacidade para atender aproximadamente 27 ton/dia, em
três períodos de 6 horas;

Densidade aproximada do RSU = 0.374 t/m³

A umidade média do RSU foi considerada de 40 %


Composição do equipamento I
Composição do equipamento II II
FORNO ANAERÓBICO
Forno Anaeróbico
* volume do forno— 1 m3 Lavador de gases
* revestimento interno: aço inox
* temperatura de trabalho 800oC a 1000oC
* Produção de gasogênio – 1300 m³/hora
* Incineração - 1,5 tonelada/hora
* volume do forno— 1 m3

Revestido em aço inox especial para alto


forno, utiliza o próprio gás gerado no processo .
A incineração se processa de forma anaeróbica,
com temperatura necessária para total
tratamento dos resíduos. A ausência de oxigênio
assegura a não produção de dioxinas e furanos .
Esteira Transp. Taliscada
Acionamento elétEsteira
Transp. Taliscada
FLARE Acionamento elétrico, capacidade
Reservatório de 1500 Kg/h
de Gás rico, capacidade de 1500 Kg/h

O Depósito de Cinzas: Triturador :


Resta na saída do forno, apenas 3% de cinzas, metais e vidros, O RSU antes Triturador :
coletados em caçambas, podendo servir à reciclagens ou disposição O RSU antes de ser levado para o interior do
em aterros. A capacidade é 1m³ a cada ciclo de seis horas de forno é triturado para facilitar a sua incineração
de ser levado para o interior do forno é triturado
trabalho continuo. para facilitar a sua incineração
ída do forno, apenas 3% de cinzas, metais e vidros, coletados em
caçambas,
O gerador elétrico O gerador elétrico com capacidade
de 45 Kva fornece energia para todos
Gerador
os motores e dispositivos elétricos
instalados na UGM.
com capacidade
de 45 Kva fornece energia para todos
os motores e dispositivos elétricos
instalados na UGM.

CondensadorCondensador /
Compressor de Gás
/
Compressor de Gás
PROCEDIMENTOS

1- o resíduo é coletado, em sacos ou recipientes de até 100 litros;

2- o material é despejado na caçamba metálica sendo transportado através de uma esteira ate a
moega com sistema de pesagem, sendo somente após a pesagem do material sendo liberado
para o triturador;

3- tendo algum material que não seja passível de trituração: pedaços de metais de alta dureza,
por exemplo, fará com que as facas parem e o material seja retirado pelo operador de coleta.
No sistema de abastecimento do forno temos um sistema para coleta e armazenamento do
chorume que será injetado no forno. Efetuando assim a eliminação do chorume através do
processo de gaseificação;

4- o material triturado é encaminhado para o forno e sofre o processo de incineração


anaeróbica, gerando o gás (gasogênio);
5- após atingir-se a temperatura de 800º C restará no forno 3% do material que entrou
tendo sido reduzido a cinzas, metais e vidros, que serão encaminhados a um depósito
situado na parte inferior do caminhão e no final da jornada de trabalho serão retirados e
encaminhados para separação e reaproveitamento;

6- o gás gerado encaminha-se para o resfriador, lavador de gás e condensador;

7- a seguir o gás é comprimido a 150 Bar de pressão e armazenado em tanques


apropriados para utilização no motor do caminhão, no forno e no motor do gerador;

8- caso haja gás excedente, que não será utilizado ou exceda a capacidade de
armazenamento, o mesmo será queimado em flare, especialmente projetados para isso.
CONTROLES

O equipamento, UGM, será controlado através de software dedicado as


funções do equipamento, sendo operado através de IHM posicionada
na cabine do caminhão.

Disponibilizando de forma clara as condições de operação do equipamento,


informando a respeito de falhas em sensores, válvulas e atuadores. Auxiliando o operador
( motorista ) na utilização do equipamento.

Sendo possível acessar todas as informações do sistema através de sistema


Remoto, possibilitando pequenos ajustes e calibração até o desligamento do
equipamento devido alguma falha.
SEGURANÇA

Relatório de Riscos de Segurança do Equipamento – Usina Gasogênica

1 – Da entrada do resíduo na esteira de recebimento, passando pela moega de abastecimento do triturador,


triturador, moega pós-triturador e rosca de alimentação do forno, não existe riscos de explosão pois o material,
normalmente, esta úmido e triturado, estando todos os equipamentos enquadrados nas respectivas normas
ASME, DIN, etc.

2 – no forno, o material é gaseificado, porém a pressão interna é mínima ou atmosférica, pois todo gás produzido
é direcionado para o lavador de gás, secador e armazenamento, através das aberturas para coleta, contando com
saída de emergência em casa de algum eventual falha todo o gás será direcionado ao flare.

3 – Normas seguidas para a construção do equipamento:


- forno – caldeira - ASME (americana) – seção 8 – NR-13 (brasileira)
- Tubulações – ASM B 31.3
- instalações de gás, sistemas de segurança, sistema de queimadores, sistemas reserva de segurança e garantia
contra falhas – ABNT 12.313
- lavador de gás – vaso de pressão – tanque de passagem – ASM seção 8
- sistema de armazenamento de gás – ASM - seção 8
- flare – queimador de gás excedente e direcionados pelas válvulas de segurança – ABNT 12.313 – CE 092.401.01 –
comunidade europeia
Áreas Classificadas – áreas de risco de explosão
– Como os fechamentos laterais da carroceria do equipamento serão em chapa perfurada, portanto os
riscos de áreas de acúmulo de gás, serão mínimos ou inexistentes, estando o equipamento trabalhando
com a classificação de nível 2 todos os equipamentos elétricos ira atender as respectivas normas.

NORMAS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS obedecidas:


- para classificação de áreas – 60079-10 e 10-1
- para instalações em atmosferas explosivas – 60079.14
- sistemas “à prova de explosão” – 60079.1
- sistemas “de segurança aumentada”- 60078.7
- sistemas “de segurança intrínseca” – 60079.11
- sistemas “pressurizados”- 60079-2
- Inspeção e Manutenção em atmosferas explosivas – 60079.17
- Recuperação e Reparos em atmosferas explosivas – 60079-19

O equipamento terá acesso a todos os comandos, remotamente, através de um sistema de supervisórios,


no qual poderá ser detectado qualquer problema no equipamento , realizando o desligamento remoto
dos sistemas
Possíveis Utilizações da EMPRESA
1 - Coleta e tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos;
2 - Coleta e tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde;
3 - Coleta e tratamento de materiais apreendidos pela Policia Federal ;
4 – Outros usos a serem determinados através de estudos e testes.

1 - Coleta e tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos


O carro chefe da EMPRESA estará adaptado para coleta e tratamento desses resíduos ou seja os equipamentos foram
desenvolvidos e otimizados para isso;

2 – Coleta e Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde


Para operação com esse tipo de resíduos é necessário um up grade de alguns equipamentos da EMPRESA;

3 – Coleta e Tratamento de Materiais apreendidos pela Policia Federal


Também serão necessários adaptações para operação com esses resíduos.

4 – a EMPRESA desenvolverá, sempre, estudos para novas utilizações da Usina Gasogenica Móvel e outros
equipamentos que auxiliem na resolução dos problemas relacionados a resíduos sólidos.
TREINAMENTO

O treinamento será realizado pela equipe técnica de


apoio da empresa no período necessário para total
adaptação dos operadores do equipamento.

REPRESENTANTE DE VENDA E NEGOCIAÇÃO:


Douglas Kadori
(11) 9 8171-0944
(11) 4171-1011
Email: consultorkadori@gmail.com