Você está na página 1de 7

Pregadores

Coloquem paixão em seus sermões, ou jogue-os no lixo

Sumário

Dedicatória
Introdução
Capítulo 1 ------------------------------------- Falsa sabedoria = Falso ensinamento
Capítulo 2 ------------------------------------- Primeiro Viva, depois Pregue
Capítulo 3 ------------------------------------- É Deus quem sabe o alimento para o seu rebanho
Capítulo 4 ------------------------------------- Evangelho genuíno = Verdadeiras Conversões

Dedicatória

Eu agradeço primeiramente a Deus, que por sua imensa graça, misericórdia e poder, me chamou, me
salvou e me justificou de toda a sorte de imundície da vida sem Deus. Também dedico este livro aos
meus pastores e pais, os quais eu observo diariamente e todo como um dos maiores exemplos de
ministros apaixonados, e como as primeiras pessoas, depois do amado Espírito Santo, que acreditam
em mim.

Introdução

Existe algo de muito bom acontecendo pelo mundo. Ao decorrer dos anos, ao mesmo tempo em que
a perseguição contra a igreja, a quebra da moralidade e a distorção daquilo que é santo aumenta, o
número de pessoas que estão se convertendo ao evangelho de Jesus cresce. Realmente isso é um
motivo de muita alegria, pois as vidas estão chegando ao conhecimento de quem é Deus e de sua
obra redentora e restauradora através de Jesus Cristo.
Contudo, algo muito preocupante se instala na igreja no decorrer dos anos. Em muitos púlpitos, o
evangelho não é mais pregado em sua essência. Muitos pastores estão preferindo ouvir um
profissional pagão, filosofias humanistas e tentando misturar com aquilo que por si só é o suficiente
para salvar as pessoas.
Nunca houve um tempo em que mais se vê púlpitos e igrejas vazias, geladas e sem objetivo nenhum.
O evangelho se tornou uma filosofia de vida e não mais a própria vida dos cristãos. Adotar o
evangelho como filosofia de vida, ou algo que você adapta para o seu contexto, é afirmar que Jesus é
seu guru e não Senhor e Salvador da sua vida. Nós como ministros, pastores, líderes, somos os
culpados diretamente por esse estado caótico da igreja. Então com esta obra, pretendo fazer uma
caminhada e uma reflexão sobre algo que Deus tem me dito e ministrado ao meu coração nesses
dias.

CAPÍTULO 1: FALSA SABEDORIA = FALSO ENSINAMENTO


“E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria
humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em
sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.’’ - 1 Coríntios 2:4,5

Nesta passagem, podemos ver como o grande apóstolo Paulo mostra a importância de se ter e
pregar com a verdadeira sabedoria. O que vemos hoje são excelentes teólogos, grandes mestres no
uso da hermenêutica na formação de um sermão, doutores em teologia, que são absolutamente
analfabetos de Deus. Certa vez ouvi um pastor dizer a seguinte frase: “A Teologia é um estudo do
homem para Deus, então como não é de Deus para o homem, ela é falha e não pode ser considerada
como 100% certa.’’
Aquilo veio de encontro ao meu coração, pois eu como líder na igreja e seminarista, estava confiando
muito mais naquilo que a teologia poderia me proporcionar do que aquilo que o Autor da Palavra de
Deus tinha para me dizer.
Muitos pastores estão confiando muito mais em suas formações acadêmicas do que naquele que os
levantou para o ministério. Os pastores não perguntam mais ao Supremo Pastor da igreja o que as
ovelhas precisam comer, e ainda reclamam e se queixam por seu ministério ser fraco e infrutífero.
Querido líder, pastor, a sua sabedoria teológica deve ser uma ferramenta a mais, não a sua fonte de
inspiração. O estudo é importante, e muito importante, porém ele não é tudo na sua vida.
Vemos isso pela vida do próprio apóstolo Paulo, que sendo um fariseu, não se considerava como tal e
nem ficava apenas se baseando naquilo que aprendera com seu rabino, antes ele confiava na plena e
suprema sabedoria do Deus Altíssimo, e era isso que lhe dava poder e sabedoria para pregar aos
mais diferentes tipos de povos e culturas.
Contudo, existe também o outro lado da falsa sabedoria, que é aquele baseado em “revelações
sobrenaturais”. Muitas igrejas ou estudam demais, ou não estudam absolutamente nada. A Bíblia se
torna apenas parte da roupa de ir para a igreja de domingo. Pouco é lido, pouco é pregado e por
conta disso muitas heresias absurdas são ditas como “revelações divinas”.
Meu querido pastor, você não precisa de revelações superiores, afinal não existem revelações
superiores a Palavra Viva e Eficaz de Deus. Olhe o que diz a Palavra de Deus:
“assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas
realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.’’ – Isaías 55:11.
Meu amado, não adianta buscar a sabedoria em filosofias, ou em revelações além das Escrituras. O
Espírito Santo é quem levanta os seus líderes e Ele mesmo os capacita. Assim como Ele fez com
Moisés, com Davi, com Salomão, Pedro, Paulo e todos os grandes homens de Deus, Ele pode e quer
fazer com você. Enquanto a Palavra de Deus não for pregada com a verdadeira sabedoria de Deus,
jamais veremos ovelhas plenamente alimentadas, afinal, se o objetivo é pregar filosofias, meu
querido pastor, entregue o cargo, pois existem filósofos muito melhores que você.
Quando as ovelhas ouvem a verdadeira sabedoria que vem do Supremo Pastor, aí sim elas saberão
como se portar e como proceder diante de Deus e das imundícies desta geração perversa.
O pior de tudo é quando se é pregado nos púlpitos a sabedoria humana, algo que exalta o homem de
tal forma que a glória que era para ser dada a Deus é dada ao homem.
Mas eu creio que Deus há de levantar homens que farão como Salomão, que ao invés de pedir
riquezas e poder, pediu a sabedoria do verdadeiro Rei do povo de Israel. Eu creio que Deus quer
levantar nesta geração, pessoas que não irão se basear em suas formações acadêmicas, em filosofias
humanistas ou supostas revelações, mas que irão se basear na Palavra Viva de Deus e saber como
pregá-la ao rebanho.
Que sejamos eu e você os primeiros a buscar a verdadeira sabedoria de Deus.

CAPÍTULO 2: PRIMEIRO VIVA, DEPOIS PREGUE

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e
com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que
está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-
me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu
olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.’’ – Mateus 7:1-5.

Meu querido líder, pastor, neste capítulo eu gostaria de analisar algo que está presente no povo de
Deus desde os tempos mais antigos: A HIPOCRISIA.
Jesus deixa uma mensagem muito clara nesta passagem: Primeiro você vive, depois você prega.
Entenda algo, não existe a possibilidade de você primeiro pregar e depois viver aquilo que disse.
Vamos fazer uma caminhada analisando esta passagem por partes.

1-) “Não julgueis, para que não sejais julgados..” (vs 1)

Existe algo monstruoso presente na grande maioria das igrejas, e não é algo que foi crescendo de
agora, é algo que desde o tempo da Bíblia, Jesus e seus discípulos enfrentaram, que é a grande
quantidade de juízes dentro da igreja. Eu vejo Jesus chamar seus discípulos e lhes delegar a missão
do ide e fazeis DISCÍPULOS, não juízes.
O problema é que existem pastores e líderes “santos demais”. O primeiro sinal da verdadeira e
genuína santidade é a humildade, a compaixão, é quando vemos que se não for Deus em nossas
vidas, nós não somos nada e não temos diferença nenhuma do pagão.
Meu amado e querido pastor, líder, você NÃO TEM o direito de julgar as pessoas. O único Juiz é Jesus
Cristo, aquele que há de julgar todas as nações.
A igreja tem se tornado tribunal e os pastores e líderes são os juízes e promotores, que ao ver seu
irmão fraco, ou ao se deparar com uma situação de pecado, são os primeiros a julgar e a decretar a
“condenação”, sendo que a igreja deveria ser o lugar onde as pessoas deveriam se sentir seguras e
acolhidas. Jesus em seu ministério, se deparou com diversas situações de pecado e fraqueza,
contudo não vemos em nenhum momento acusações ou julgamentos vindos Dele, ao contrário, Ele
fazia aquilo que transforma, aquilo que muda os corações das pessoas, Ele amava e demonstrava a
Graça de Deus.
Não estou aqui dizendo que o pecado não deve ser corrigido, ou que ele deve ser aceito como algo
normal dentro do povo de Deus. Não, de forma alguma. O pecado deve ser tratado e jamais se deve
negociar com ele, porém o problema não está em como lidamos com o pecado, mas como lidamos
com o “pecador”. O pecado deve ser corrigido, tratado e eliminado do meio do povo de Deus, mas o
pecador deve ser amado, recolhido e ajudado.
Pare de querer ser aquilo que você não tem autoridade e muito menos capacidade de ser. O único
que tem o poder, a autoridade e a justiça para julgar é Deus.
Jamais devemos nos esquecer, que somos humanos e que se não for pela graça e misericórdia de
Deus, o nosso destino é o mesmo daquele que nós mesmos julgamos como pecadores e indignos do
Céu.

2-) “Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido
vos hão de medir a vós.” (vs 2)

Este versículo é o que mais deveria causar temor no coração de nós pastores e líderes da igreja. Da
mesma forma que nós julgamos, ou na mesma medida que nós acusamos, seremos julgados e
acusados.
Jesus deixa dois ensinamentos dentro desta passagem, em seu sentido literal, e na reflexão que não
temos o direito de julgar ninguém, porque não somos melhores do que ninguém. Afinal, a mesma
acusação, a mesma medida usada como julgamento também é aplicável a nós.
Então, antes de julgar, se analise e veja se existe muita diferença entre você e o seu irmão. Veja se
você pode atirar a primeira pedra e gritar que não tem pecado em você.
Pois as “pedras” do teu julgamento, servem para que se cumpra a justiça sobre você também. Nunca
se esqueça disso meu amado pastor e líder:
“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;” - Romanos 3:23

3-) “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu
olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu
irmão.’’ (vs 3,4 e 5).

O pior de tudo, muitas vezes não é o simples fato do pastor, ou o líder, se colocar em uma posição de
juiz do povo, mas sim de corrigir um pecado do qual ele mesmo é escravo.
Meu amado líder, pastor, não existe maior hipocrisia do que você corrigir algo que você vive
diariamente. Vemos em muitas igrejas pastores condenando o roubo, mas sendo infiel nos dízimos e
ofertas, ou então roubando o povo de Deus para lucros pessoais; Pastores condenando o adultério,
mas viciados em pornografia e masturbação, pastores que cobiçam as próprias ovelhas e as tomam
para satisfação de seus desejos carnais imundos; Vemos pastores que condenam a igreja fria ou
morna, mas que na verdade são vazios de Deus e seus corações são de dura servis.
Amado, primeiro se resolva com Deus, primeiro trate do teu pecado e depois volte e pregue a
Palavra do Senhor ousadamente, debaixo do poder do seu perdão e graça.
Quando o sumo sacerdote adentrava ao Santo dos Santos, ele não era fulminado pelos pecados do
povo, mas pelos seus próprios.
Reconhecer os erros diante de Deus, se prostrar e se humilhar perante Ele, é melhor do que Ele te
quebrar e te condenar pela sua hipocrisia.
Deus é amor, e Ele jamais despreza um coração quebrantado e contrito, contudo Ele resiste ao
soberbos.
Então meu amado pastor ou líder, antes de abrir a sua boca para pregar a Palavra de Deus, se
certifique de que aquilo que você irá pregar está sendo vivido com antecedência.
Viva o que fale, do contrário se cale.

CAPÍTULO 3: DEUS É QUEM SABE O ALIMENTO DO SEU REBANHO

“Porque o Senhor teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de
mananciais, que saem dos vales e das montanhas; Terra de trigo e cevada, e de vides e figueiras, e
romeiras; terra de oliveiras, de azeite e mel.” – Deuteronômio 8:7-8.

Ultimamente, uma realidade muito intrigante tem tomado conta de nossas igrejas. Certa vez, eu
presenciei uma situação em que um homem, encarregado de ministrar a Palavra de Deus ao povo,
começou a procurar sermões prontos na internet, e escolheu aquele que lhe “agradava mais”.
Parece algo absurdo, porém essa é a triste realidade de muitas igrejas e de muitos pregadores, eles
querem pregar aquilo que o povo quer ouvir, ou aquilo que mais lhe agradou, mas se esquecem de
que quem sonda os corações e conhece a necessidade do rebanho é Deus.
Existe um outro lado também dessa história, aqueles que preparam os próprios sermões conforme a
sua vontade e desejo.
Amado pregador, antes de se sentar e montar o seu sermão, ou de pesquisar algo como referência,
pare tudo e pergunte a Deus o que Ele quer dizer ao povo.
Um profeta jamais poderia entregar uma profecia ao povo sem que Deus não tivesse dito nada.
Observe essas passagens bíblicas:

“Ai dos filhos rebeldes, diz o SENHOR, que tomam conselho, mas não de mim; e que se cobrem, com
uma cobertura, mas não do meu espírito, para acrescentarem pecado sobre pecado;” - Isaías 30:1.

“Assim diz o Senhor DEUS: Ai dos profetas loucos, que seguem o seu próprio espírito e que nada
viram!” - Ezequiel 13:3.

Quando se trata de seu rebanho, Deus é extremamente rigoroso com o alimento que se deve dar as
suas ovelhas. O alimento das ovelhas é o que as sustenta em sua caminhada, é o que as fortalecem
para enfrentarem tanta maldade e tanta iniquidade deste mundo.
Então meu querido pregador, mais uma vez, gostaria de te motivar a antes de pregar algo em sua
igreja, célula, pequeno grupo, grupo de discipulado, pergunte a Deus o que aquela ovelha necessita
comer, qual é a necessidade ou qual a exortação que se deve dar para aquela ovelha.
Afinal, a igreja, as ovelhas e o ministério são de Deus e apenas Ele sabe o que é melhor para suas
ovelhas, pois Ele, sendo Pai e nosso Criador, é quem sonda o mais profundo dos corações e nos
fornece exatamente aquilo que precisamos, mesmo que seja duro de engolir.
Se você deseja uma igreja saudável, em que as ovelhas sejam alimentadas de forma correta e
nutritiva, pergunte a Deus o que Ele quer dar de alimento, aí sim você experimentará o melhor de
Deus em seu ministério e vida pessoal.

CAPÍTULO 4: EVANGELHO GENUÍNO = VERDADEIRAS CONVERSÕES

“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo
aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.’’ – Romanos 1:16.

Quão grandioso, quão maravilhoso e quão poderoso é o evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo.
Evangelho significa “boas novas” ou “boas notícias”. E que boas notícias temos, a Salvação de Deus
através de Jesus Cristo é chegada a nós. Se cumprem as profecias, os planos de salvação de Deus
chegam até nós. Que privilégio termos sido alcançados por esta mensagem tão poderosa e salvadora
que é Jesus Cristo, o Cordeiro Salvador.
Pena que em muitas igrejas esse evangelho tão lindo e poderoso, é pregado de maneira diluída e
sem a sua verdadeira essência.
Como já foi abordado anteriormente, Deus não precisa de palavras de sabedoria humana para
convencer ninguém, o Evangelho por si só tem esse poder. Porém o que se vê em muitos púlpitos é
um evangelho tão raso, um evangelho que não exige renúncia, um evangelho que não exige
dedicação, um evangelho que não fala mais de morte para viver.
O evangelho pregado em muitas igrejas hoje é o evangelho do “tá tudo liberado”, ou o evangelho da
prosperidade, o evangelho da exaltação do homem, um evangelho que não custa mais nada, ou um
evangelho onde se torna quase impossível seguir a Jesus.
Já ouvi diversas vezes a seguinte frase “Jesus já pagou o preço, então eu não preciso pagar mais
nada, tudo foi pago na cruz.” Realmente, tudo foi pago na cruz, contudo Jesus deixa muito bem claro
que aquele que quiser segui-lo deve tomar a sua cruz e negar a si mesmo, então poderia segui-lo.
Todos os homens que dedicaram a sua vida ao evangelho sofreram perseguições e todos eles tinham
isso como ideal de vida:

“Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.’’ -Filipenses 1:21.

“E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.’’ - 2
Timóteo 3:12

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo
na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.’’ -
Gálatas 2:20.
Um outro erro ao se pregar o evangelho de Cristo, é que muitas vezes ele é colocado como algo
quase que impossível de se viver. Pastores estabelecem padrões para que se siga Jesus, que nem eles
mesmos conseguiriam viver.
O evangelho é radical sim e realmente ele é chocante, contudo, ele foi feito para que uma mensagem
fique bem clara:
O DEUS PERFEITO, SE TORNOU CARNE E OSSO, OPEROU GRANDES SINAIS E MARAVILHAS, FOI
SACRIFICADO E RESSUCITOU, DANDO A VIDA ETERNA A NÓS, SERES IMPERFEITOS.
Amado pregador, pastor, líder, não se deve acrescentar e nem tirar nada do evangelho de Cristo, ele
deve ser pregado da forma como ele é. Nós não fomos chamados para pregar aquilo que o povo quer
ou gosta de ouvir, nós fomos chamados para pregar o evangelho de Jesus, e se necessário, morrer
em nome dele.
Mas é com a pregação do verdadeiro evangelho que as pessoas se convertem, pois através da
mensagem e da obra do Espírito elas ficam sabendo o quão perfeito e Santo é Deus, e o quanto elas
são impuras e depravadas. Então se apresenta o plano de salvação através de Jesus Cristo, e onde a
graça poderosa e imbatível de Deus traz a pessoa de joelhos confessando o senhorio de Jesus Cristo e
o arrependimento dos seus pecados.
É através da pregação do evangelho onde o batismo com o Espírito Santo acontece, para que essa
pessoa também leve o evangelho a outras.
Então, o que nossas igrejas precisam hoje não é de um bom sistema de som, uma boa equipe de
louvor, cadeiras confortáveis nem nada. O que as igrejas precisam hoje é da pregação do evangelho
puro e simples como ele é, pois quando Deus faz a obra, mesmo que sejam banquinhos e uma voz e
violão, existe conversão verdadeira a Cristo.
Então meu amado líder, pastor ou pregador, coloque paixão em seus sermões, dedique a sua vida a
pregação da Palavra de Deus. Queime com a paixão dos primeiros dias e pregue com o temor dos
últimos dias.
Que Deus nos abençoe e que derrame sobre nós um avivamento que a história ainda não
presenciou, e que estejamos sempre em alerta e prontos para quando o nosso noivo Jesus Cristo nos
chamar, e irmos finalmente para junto de nosso Amado, desfrutar daquilo que o Evangelho de Cristo
nos proporciona: VIDA ETERNA.
A Graça e Paz do nosso Senhor Jesus Cristo.
Amém!!!

Interesses relacionados