Você está na página 1de 22

As Marcas de um Líder Espiritual

Defino liderança espiritual como ter o conhecimento de onde Deus quer que as
pessoas estejam e tomar a iniciativa de utilizar os métodos de Deus para levá-las
até lá confiando no poder de Deus. A resposta de onde Deus quer que as
pessoas estejam está em uma condição espiritual e em um estilo de vida que
manifesta Sua glória e honra Seu nome. Portanto, o objetivo da liderança
espiritual é que as pessoas conheçam a Deus e O glorifiquem em tudo o que
fazem. Liderança espiritual não tem tanto em vista direcionar as pessoas, e sim
transformar as pessoas. Se formos o tipo de líderes que devemos ser,
precisamos ter em vista o desenvolvimento de pessoas mais do que a
determinação de planos. Você pode conseguir que as pessoas façam o que você
quer, mas se não mudarem em seus corações, você não as liderou
espiritualmente. Você não as levou para onde Deus quer que elas estejam.

Todos têm a responsabilidade da liderança em alguns relacionamentos. Mas


minha preocupação nesse texto é com as características que uma pessoa deve
ter para ser um líder espiritual que se sobressai tanto na qualidade do seu
direcionamento quanto no número de pessoas que o seguem.

A liderança espiritual bíblica contem um círculo interno e um círculo externo. O


círculo interno da liderança espiritual é aquela sequência de eventos que deve
ocorrer na alma humana, a fim de que alguém faça progresso na liderança
espiritual. Tais eventos são o mais absoluto necessário. São coisas que todos os
cristãos devem alcançar em certa medida, e quando são alcançadas com alto
fervor e profunda convicção, frequentemente conduzem o cristão à liderança
espiritual. No círculo externo estão as qualidades que caracterizam tanto os
líderes espirituais quanto os não-espirituais. O que eu gostaria de fazer agora
nesse texto é simplesmente explicar e ilustrar essas qualidades no círculo
interno e no círculo externo.

O CÍRCULO INTERNO DA LIDERANÇA ESPIRITUAL

1. QUE OUTROS GLORIFIQUEM A DEUS

O objetivo supremo de toda liderança espiritual é que outras pessoas venham a


glorificar Deus, isto é, que possam sentir e pensar e agir a fim de magnificar o
verdadeiro caráter de Deus. De acordo com Mateus 5:14-16, um dos meios
cruciais pelos quais um líder cristão leva outras pessoas a glorificarem Deus é
sendo uma pessoa que ama tanto os amigos quanto os inimigos. "Vocês são a
luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E,
também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo
contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na
casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas
obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus." Esse texto mostra que há
uma atitude e um estilo de vida que é tão distinto que quando surge na arena da
humanidade caída, oferece evidência válida de que há um Deus e que Ele é um
Pai celestial gloriosamente digno de confiança. Quando a realidade das
promessas de Deus de cuidar de nós e de fazer tudo cooperar para o nosso bem
alcança nossos corações, de modo que não sucumbimos à ganância ou ao medo
ou à vanglória, mas manifestamos um contentamento e um amor e uma
liberdade para outras pessoas, então o mundo terá que admitir que aquele que
nos dá esperança e liberdade deve ser real e glorioso.

2. QUE AMA TANTO OS AMIGOS QUANTO OS INIMIGOS PELA CONFIANÇA EM


DEUS E ESPERANÇA EM SUAS PROMESSAS

Mas como alcançamos um amor que é forte o suficiente para abençoar e orar
pelos inimigos? A resposta oferecida na Escritura (e esse é o terceiro nível no
círculo interno) é que confiar em Deus e esperar em Suas promessas conduz ao
amor. Gálatas 5:6 diz, "Porque em Cristo Jesus nem circuncisão nem
incircuncisão têm efeito algum, mas sim a fé que atua pelo amor." Isto é, quando
temos uma fé forte na bondade de Deus, tal fé inevitavelmente atua em amor.
Colossenses 1:4, 5 diz, "pois temos ouvido falar da fé que vocês têm em Cristo
Jesus e do amor por todos os santos, por causa da esperança que lhes está
reservada nos céus." Em outras palavras, quando nossa esperança é forte,
somos libertados dos medos e cuidados que impedem o exercício livre do amor.
Portanto, um líder espiritual deve ser uma pessoa que tem forte confiança na
soberana bondade de Deus para fazer tudo cooperar para o seu bem. Do
contrário, ele irá inevitavelmente cair na armadilha de manipular circunstâncias e
explorar pessoas a fim de garantir para si mesmo um futuro feliz, do qual ele não
está certo que Deus proverá.

3. QUE MEDITA E ORA SOBRE SUA PALAVRA


Mas como nós, pecadores, podemos ter esse tipo de confiança em Deus?
Romanos 10:17 diz, "A fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida
mediante a palavra de Cristo." E Salmos 119:18 diz, "Abre os meus olhos para que
eu veja as maravilhas da tua lei." Esses dois textos juntos nos mostram que a fé
em Deus é alicerçada na Palavra de Deus. Quando ouvimos a Palavra de Deus,
especialmente a pregação de Cristo em quem todas as promessas de Deus têm
seu 'sim', somos constrangidos a confiar nEle, mas isso não ocorre
automaticamente. Precisamos orar para que nossos olhos sejam abertos ao
verdadeiro significado da Palavra de Deus na Escritura. Então, o líder espiritual
deve ser uma pessoa que medita na Palavra de Deus e que ora por iluminação
espiritual. Do contrário, sua fé se enfraquecerá e seu amor se extinguirá e
ninguém será levado a glorificar a Deus por causa dele.

4. QUE RECONHEÇA SEU DESAMPARO

Mas finalmente, precisamos perguntar como uma pessoa se torna disposta a


gastar tempo com e estar aberta para a Palavra de Deus? A resposta parece ser
que precisamos reconhecer nosso desamparo. Toda verdadeira liderança
espiritual tem suas raízes no desespero. Jesus recomendou o homem que disse,
"Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador." Jesus disse a respeito do seu
próprio ministério, "Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim
os doentes. Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores." Isso significa que o
início da liderança espiritual deve estar no reconhecimento de que somos os
doentes que precisam de um médico. Uma vez que somos humilhados a este
ponto, estaremos abertos à leitura das prescrições do médico na Palavra. E
conforme lemos as maravilhosas promessas que estão lá para aqueles de nós
que confiam no médico, nossa fé se tornará forte e nossa esperança se tornará
sólida. E quando nossa fé é forte e nossa esperança é sólida, todas as barreiras
ao amor, como ganância e medo, serão varridas. Quando nos tornamos o tipo de
pessoa que pode arriscar sua vida, mesmo por nossos inimigos, e que não
guarda rancor e que devota suas energias a fazer o bem aos outros em vez de
buscar o próprio engrandecimento, então as pessoas verão e darão glória ao
nosso Pai nos céus.

A implicação desse círculo interno da liderança é que, a fim de liderar, você


precisa estar à frente das pessoas no estudo da Bíblia e em oração. Penso que
não haverá sucesso na liderança espiritual sem períodos prolongados de oração
e meditação nas Escrituras. Líderes espirituais devem se levantar cedo para se
encontrarem com Deus antes de encontrarem qualquer outra pessoa. Eles
provavelmente têm um diário de insights e ideias, conforme leem a Palavra e
oram. Eles querem ler livros a respeito da Bíblia (por exemplo, livros de J.I.
Packer e Paul Little e John Stott e dúzias de outros escritores evangélicos
excelentes) e a respeito de oração (por exemplo, os oito livros de E.M. Bounds).
Eles querem se retirar por meio dia periodicamente com uma Bíblia e um bloco
de notas e um hinário. Se você quer ser um grande líder de pessoas, você precisa
se afastar das pessoas para estar com Deus.

O EXEMPLO DE HUDSON TAYLOR

Dr. Howard Taylor, em Hudson Taylor's Spiritual Secret (pág 234f.) descreve uma
experiência que teve viajando com seu pai, Hudson Taylor, pela China. Ele
escreve,
Não foi fácil para o Sr. Taylor encontrar tempo para oração e estudo da Bíblia em
meio à sua vida agitada, mas ele sabia que isso era vital. Bem lembram os
escritores, viajando com ele mês após mês no norte da China, de carroça e
carrinho de mão, nas mais pobres estalagens à noite. Frequentemente com
apenas um quarto para orientais e viajantes, eles separavam um canto para seu
pai e outro para si mesmos, com cortinas de alguma espécie; e depois que o
sono finalmente trazia certa medida de quietude, eles ouviam um fósforo
riscado e percebiam a luz da vela bruxuleando, o que significava que o Sr. Taylor,
apesar de cansado, estava se debruçando sobre a pequena Bíblia em dois
volumes, sempre à mão. Das duas às quatro da manhã era o período que ele se
dedicava à oração; o tempo que ele podia estar certo de não ser interrompido,
para esperar por Deus. Aquele bruxulear da luz da vela significou mais para eles
do que tudo que leram ou ouviram a respeito da oração em secreto; significava
realidade, não pregação, mas prática.

A parte mais difícil da carreira missionária para o Sr. Taylor era manter o estudo
regular, em espírito de oração, da Bíblia. "Satanás sempre arrumará alguma
coisa para você fazer," ele dizia, "quando você deveria estar ocupado com isso,
mesmo que seja apenas arrumar a cortina de uma janela.".

O EXEMPLO DE GEORGE MUELLER

George Mueller é notável por sua grande fé no trabalho de seus orfanatos. Em


sua autobiografia, há uma seção chamada, "Como estar constantemente alegre
no Senhor.". Ele reclama de como, durante anos, tentou usar a oração cedo pela
manhã, e percebia que sua mente divagava outra e outra vez. Então fez uma
descoberta. Ele a registrou assim:

O ponto é este: Vi mais claramente do que nunca que a primeira grande e


essencial questão à qual deveria me dedicar era ter minha alma alegre no
Senhor. A primeira coisa com a qual me preocupar não era quanto eu poderia
servir ao Senhor, quanto eu poderia glorificar o Senhor; mas como poderia
trazer minha alma a um estado alegre, e como meu homem interior poderia ser
nutrido... Antes disso, minha prática tinha sido, pelo menos nos últimos dez anos
como um hábito, de me entregar à oração depois de me vestir pela manhã.
Agora, eu enxergava que a coisa mais importante que eu tinha que fazer era me
entregar à leitura da palavra de Deus e à meditação, para que meu coração
pudesse ser confortado, encorajado, alertado, reprovado, instruído; e para que,
durante a meditação, meu coração pudesse ser levado à comunhão
experimental com o Senhor. Comecei, portanto, a meditar no Novo Testamento
desde o início, cedo pela manhã. A primeira coisa que fazia, depois de ter rogado
em poucas palavras pelas bênçãos do Senhor em sua preciosa palavra, era
começar a meditar na palavra de Deus, buscando, como que em cada verso,
encontrar uma benção; não para o ministério público da palavra; não para a
pregação a respeito daquilo que havia meditado; mas para obter alimento para a
minha alma. O resultado que encontrei foi quase que invariavelmente este: que
após alguns minutos minha alma havia sido conduzida à confissão, ou à ação de
graças, ou à intercessão, ou à súplica; de modo que, apesar de não estar me
entregando à oração, mas à meditação, aquilo se transformava quase que
imediatamente, mais ou menos, em oração. Após ter confessado ou intercedido
ou suplicado ou dado graças, eu avançava às próximas palavras ou verso,
transformando tudo em oração por mim e por outros, à medida que avançava,
como a palavra me conduzia; mas ainda assim, mantendo diante de mim o
alimento para a minha alma como o objeto da minha meditação.

O resultado disso é que sempre há uma boa porção de confissão, ação de graças,
súplica ou intercessão misturada com minha meditação e que meu homem
interior quase que invariavelmente é mais sensivelmente nutrido e fortalecido e
que por ocasião do café da manhã, com raras exceções, estou em um estado de
paz no coração, senão em um estado alegre.

Agora que Deus me ensinou esse ponto, está claro para mim como qualquer
outra coisa que a primeira coisa que o filho de Deus deve fazer toda manhã é
obter alimento para seu homem interior. Assim como o homem exterior não se
adequa ao trabalho por qualquer período de tempo, exceto se comermos, e
assim como isso é uma das primeiras coisas que fazemos pela manhã, assim
também deve ser com o homem interior. Devemos encontrar alimento para isso,
como todo mundo. Agora, o que é alimento para o homem interior? Não é a
oração, mas a palavra de Deus; e aqui, outra vez, não apenas a leitura da palavra
de Deus, de modo que apenas passe por nossas mentes, como a água corre por
um cano, mas considerando o que lemos, ponderando a respeito, e aplicando
aos nossos corações.
Pela benção de Deus atribuo a esse costume a ajuda e força que tenho tido para
atravessar em paz profundas provações de diversas maneiras que nunca tinha
atravessado; e após quarenta anos tentando dessa forma, posso quase que
absolutamente, no temor do Senhor, recomendar tal prática. Que diferença
quando a alma é saciada e levada à alegria logo pela manhã, do que quando, sem
preparação espiritual, o serviço, as provações, e as tentações do dia vêm sobre
alguém!

Deveria ser um encorajamento para todos nós perseverar na meditação sobre a


Palavra de Deus quando lemos uma carta que, em 1897, George Mueller enviou a
Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira, na qual ele precisou se desculpar por
não comparecer a um encontro em Birmingham. Ele disse, "Vocês fariam a
gentileza de ler no encontro que tenho sido por sessenta e oito anos e três
meses, viz., desde Julho de 1929, um amante da palavra de Deus e o tenho sido
ininterruptamente. Durante esse período, li consideravelmente mais do que cem
vezes o Antigo e Novo Testamentos em oração e meditação." Se queremos ser
poderosos líderes espirituais, precisamos caminhar na direção de Hudson Taylor
e George Mueller.

O CÍRCULO EXTERNO DA LIDERANÇA ESPIRITUAL

Todos na igreja têm um ou mais dons espirituais. Todos devem estar envolvidos
no ministério. Todos devem estar buscando conduzir outro ao ponto onde
tragam glória a Deus pelo modo como pensam e sentem e agem. Mas há
pessoas a quem o Senhor deu qualidades de personalidade que tendem a torná-
las líderes mais aptos que outros. Nem todas essas qualidades são
distintivamente cristãs, mas quando o Espírito Santo enche a vida de uma
pessoa, cada uma dessas qualidades é selada e transformada para os propósitos
de Deus.
1. INCANSÁVEL

Líderes espirituais têm um descontentamento santo com o status quo. Aqueles


que não são líderes têm uma inércia que os leva a se estabelecerem e que os
torna muito difíceis de serem tirados do seu centro de morte. Líderes têm um
anseio por mudar, por se mexer, por alcançar, e por levar um grupo ou uma
instituição a novas dimensões de ministério. Eles têm o espírito de Paulo, que
disse em Filipenses 3:13, "Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado,
mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e
avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o
prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." Líderes são pessoas
orientadas por alvos.

A história da redenção de Deus não está terminada. A igreja é assolada por


imperfeições, ovelhas perdidas ainda não estão no aprisco, necessidades de
todos os tipos ainda não foram atendidas e o pecado infesta os santos. É
impensável que devamos estar contentes com as coisas do jeito que estão em
um mundo caído e em uma igreja imperfeita. Portanto, Deus tem se agradado de
colocar uma santa inquietude em alguns de Seu povo, e tais pessoas com
certeza serão os líderes.

2. OTIMISTA

Líderes espirituais são otimistas não porque o homem é bom, mas porque Deus
está no controle. O líder não pode deixar seu descontentamento se transformar
em desconsolo. Quando vê a imperfeição da igreja, deve dizer com o escritor de
Hebreus (6:9), "Amados, mesmo falando dessa forma, estamos convictos de
coisas melhores em relação a vocês, coisas próprias da salvação." O fundamento
de sua vida é Romanos 8:28, "Deus age em todas as coisas para o bem daqueles
que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito." Ele
considera com Paulo que, "Aquele que não poupou a seu próprio Filho, mas o
entregou por todos nós, nos dará juntamente com ele, e de graça, todas as
coisas" (Romanos 8:32). Sem essa confiança baseada na bondade de Deus
manifestada em Jesus Cristo, a perseverança do líder titubearia e as pessoas não
seriam inspiradas. Sem otimismo, a inquietude se torna desespero.

3. INTENSO

A grande qualidade que quero em meus parceiros é a intensidade. Romanos 12:8


diz que se seu dom é a liderança, "que a exerça com zelo.". Romanos 12:11 diz,
"Nunca lhes falte o zelo, sejam fervorosos no espírito!". Quando os discípulos se
lembraram do modo como Jesus se portou em relação ao templo de Deus, eles
caracterizaram sua atitude com palavras do Antigo Testamento, "O zelo pela tua
casa me consumirá.". (João 2:17). O líder segue o conselho de Eclesiastes 9:10,
"O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força.".
Quando Jonathan Edwards era um jovem rapaz, ele escreveu uma lista de
setenta resoluções. A resolução que mais me tem inspirado diz assim: "Viver
com todas as minhas forças enquanto viver.". O Conde Zinzendorf dos Morávios
disse, "Tenho uma paixão. É Ele, e Ele somente." Jesus nos alerta em Apocalipse
3:16 que não se apraz com pessoas mornas: "Assim, porque você é morno, nem
frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.". Líderes espirituais
devem ir a algum lugar sozinhos e ponderar as inexprimíveis e estupendas coisas
que sabem a respeito de Deus. Se suas vidas são um bocejo prolongado, estão
simplesmente cegos. Líderes devem dar evidência de que as coisas do Espírito
são intensamente reais. Eles não podem fazer isso, a não ser que sejam intensos.

4. COM DOMÍNIO PRÓPRIO

Por domínio próprio não quero dizer 'afetado' e 'conveniente' e sem emoção,
mas mestre dos nossos impulsos. Se vamos conduzir outros em direção a Deus,
não podemos ser conduzidos em direção ao mundo. De acordo com Gálatas
5:23, domínio próprio é um fruto do Espírito. Não é mera força de vontade. É a
apropriação do poder de Deus para obter domínio sobre nossas emoções e
nossos apetites que poderiam nos desviar ou nos levar a ocupar nosso tempo
com empreitadas vãs. Em I Coríntios 6:12, Paulo diz, "Tudo me é permitido, mas
eu não deixarei que nada domine.".

O líder cristão deve examinar sua vida impiedosamente, para ver se está
minimamente escravizado por televisão, jogos de computador e/ou celular,
esportes em geral, pela comida ou por seu trabalho secular. Paulo diz em I
Coríntios 9:25, “Todos os que competem nos jogos se submetem a um
treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o
fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. Sendo assim, não corro
como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar. Mas esmurro o
meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros,
eu mesmo não venha a ser reprovado." E ele diz em Gálatas 5:24, "Os que
pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus
desejos." Líderes espirituais devem rastrear maus hábitos impiedosamente, e
quebrá-los pelo poder do Espírito. Eles ouvem e seguem Romanos 8:13, "Pois se
vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem
morrer os atos do corpo, viverão." Líderes espirituais anseiam por estar libertos
de tudo que atrapalha o seu pleno deleite em Deus e seu serviço a outros.

5. RESISTENTE

Uma coisa é certa: se você começar a liderar outros, você será criticado.
Ninguém será um líder espiritual significativo se seu alvo for agradar outros e
buscar sua aprovação. Paulo disse em Gálatas 1:10, "Acaso busco eu agora a
aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se
eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo."
Líderes espirituais não buscam os louvores dos homens, eles buscam agradar a
Deus. Dr. Carl Lundquist, antigo Presidente do Bethel College & Seminary, disse
em seu relatório final à Conferência Geral Batista que não houve praticamente
nenhum dos 28 anos nos quais serviu a Conferência em que ele não tivesse ativa
oposição de muitas pessoas.

Se o criticismo nos incapacita, jamais teremos sucesso como líderes espirituais.


Não quero dizer que devemos ser o tipo de pessoa que não se sente magoada,
mas que não devemos ser reduzidos pela dor. Devemos ser capazes de dizer
com Paulo em 2 Coríntios 4:8, “De todos os lados somos pressionados, mas não
desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos,
mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos.". Nós sentiremos a crítica,
mas seremos incapacitados por ela. Como Paulo diz em 2 Coríntios 4:16, "Nós
não desanimamos.".

Líderes devem ser capazes de digerir a depressão, porque vão ingerir bastante.
Haverá muitos dias em que a tentação de abandonar tudo por causa de pessoas
incompreensíveis será muito forte. Criticismo é uma das armas favoritas de
Satanás para tentar convencer líderes cristãos efetivos a jogarem a toalha.

Eu deveria, no entanto, qualificar essa característica da resistência. Não quero


dar a impressão de que líderes espirituais estão imunes ao criticismo legítimo.
Um bom líder deve não somente ser resistente, mas também aberto e humilde
para aceitar e aplicar críticas justas. Nenhum líder é perfeito e Jonathan Edwards
disse uma vez que ele tornou uma disciplina espiritual buscar pela verdade em
cada crítica que surgisse, antes de descartá-la. Esse é um bom conselho.

6. ENERGÉTICO

Pessoas preguiçosas não podem ser líderes. Líderes espirituais "aproveitam o


tempo" (Efésios 5:16). Eles trabalham enquanto é dia, porque sabem que
quando é noite ninguém pode trabalhar (João 9:4). Eles "não se cansam de fazer
o bem", porque sabem que no tempo próprio colherão, se não desanimarem
(Gálatas 6:9). Eles são "firmes, e nada os abala, sempre dedicados à obra do
Senhor, sabendo que, no Senhor, o trabalho deles não será inútil." (1 Coríntios
15:58). Mas eles não recebem o crédito por essa grande energia ou se gloriam
em seus esforços, porque dizem com o apóstolo Paulo, "Trabalhei mais do que
todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo." (1 Coríntios 15:10). E:
"Para isso eu me esforço, lutando conforme a sua força, que atua
poderosamente em mim." (Colossenses 1:29).

O mundo é governado por homens cansados, alguém disse. Um líder deve


aprender a conviver com a pressão. Nenhum de nós alcança muito sem prazos, e
prazos sempre criam um senso de pressão. Um líder não enxerga a pressão do
trabalho como uma maldição, mas como uma glória. Ele não deseja despender
sua vida em lazer excessivo. Ele ama ser produtivo. E ele lida com a pressão e
previne que se torne preocupante com promessas como Mateus 11:27, 28 e
Filipenses 4:7, 8 e Isaías 64:4.

7. UM PENSADOR

"Com respeito ao mal, sejam crianças; mas, quanto ao modo de pensar, sejam
adultos!" (1 Coríntios 14:20). Não é fácil ser um líder de pessoas que podem te
subestimar. Um líder deve ser alguém que, quando se depara com um quadro de
circunstâncias, pensa a respeito. Ele se senta com um bloco de notas e um lápis e
rabiscos e escreve e cria. Ele testa todas as coisas com sua mente e fica com o
que é bom (1 Tessalonicenses 5:21). Ele é crítico no melhor sentido da palavra,
isto é, não é ingênuo ou dado ao modismo ou tendencioso. Ele pondera as coisas
e considera pros e contras e sempre tem uma razão significativa para as decisões
que toma. Raciocínio cuidadoso e rigoroso não é contrário à confiança na oração
e revelação divina. O apóstolo Paulo disse a Timóteo em 2 Timóteo 2:7, "Reflita
no que estou dizendo, pois o Senhor lhe dará entendimento em tudo.". Em
outras palavras, o meio de Deus de nos comunicar insights não é dar um curto-
circuito no processo intelectual.
8. ARTICULADO

É difícil liderar outros se você não pode exprimir seus pensamentos clara e
energeticamente. Líderes como Paulo têm por objetivo persuadir os homens,
não coagi-los (2 Coríntios 5:11). Líderes que são espirituais não reúnem
seguidores com disparates ou acenos ou palavras, mas com sentenças atrativas,
concisas, sólidas. O apóstolo Paulo visava, como todos bons líderes, a clareza no
que dizia. De acordo com Colossenses 4:4, ele pediu ao povo para orar por ele,
"para que eu possa manifestá-lo abertamente, como me cumpre fazê-lo." É
impressionante e lamentável como muitas pessoas hoje não conseguem falar
em sentenças completas. O resultado é que uma grande nuvem cerca seus
pensamentos. Nem eles nem seus ouvintes sabem exatamente a respeito do
que estão falando. Um nevoeiro se estabelece sobre a discussão e você vai
embora pensando a respeito do que se tratava. Se ninguém se coloca acima do
discurso confuso e do caos verbal de "Você sabe... Quero dizer... De fato", não
haverá liderança.

9. APTO PARA ENSINAR

Não surpreende que alguns dos grandes líderes na Bethlehem Baptist Church
tenham sido homens que eram também professores efetivos. De acordo com 1
Timóteo 3:2, qualquer um que aspira ao ofício de bispo na igreja deve ser apto
para ensinar. O que é um bom professor? Penso que um bom professor tem no
mínimo as seguintes características.

 Um bom professor pergunta a si mesmo as questões mais difíceis, trabalha nas


respostas, e então formula perguntas provocativas aos seus alunos para
estimular seu raciocínio.
 Um bom professor analisa o seu conteúdo em partes e enxerga as relações e
descobre a unidade do todo.
 Um bom professor sabe quais são os problemas que os aprendizes terão com o
conteúdo e os encoraja e os leva a superar os montes do desencorajamento.
 Um bom professor prevê objeções e pensa a respeito delas a fim de
respondê-las de maneira inteligente.
 Um bom professor pode se colocar no lugar de uma variedade de aprendizes e,
portanto, pode explicar coisas difíceis em termos claros para cada perspectiva.
 Um bom professor é concreto, não abstrato, específico, não geral, preciso, não
vago, vulnerável, não evasivo.
 Um bom professor sempre pergunta, "E daí?" e tenta demonstrar como as
descobertas moldam todo o sistema de pensamento. Ele tenta relacionar as
descobertas com a vida e tenta evitar a compartimentalização.
 O objetivo de um bom professor é a transformação de toda a vida e pensamento
em uma unidade que honra a Cristo.

10. UM BOM JUIZ DE CARÁTER

Jesus conhecia os corações dos homens (João 2:24-25) e Ele nos exortou para
que sejamos perceptivos na avaliação de outros (Mateus 7:15). Líderes devem
conhecer quem se encaixa em que tipo de trabalho. Bons líderes têm bom faro.
Eles podem desmascarar pessoas inoportunas rapidamente, isto é, pessoas que
estão sempre ouvindo, mas nunca aprendendo ou mudando. Eles podem
detectar potencial quando o enxergam em um principiante. Eles podem
perceber rapidamente os ecos do orgulho e da hipocrisia e do mundanismo. O
líder espiritual determina um curso cuidadoso entre os perigos do estereótipo
rígido por um lado, e da indiferença por outro.

11. COM TATO

Paulo disse em Colossenses 4:5, 6, "Sejam sábios no procedimento para com os


de fora; aproveitem ao máximo todas as oportunidades. O seu falar seja sempre
agradável e temperado com sal, para que saibam como responder a cada um.". E
o escritor de Provérbios disse, "A palavra proferida no tempo certo é como
frutas de ouro incrustadas numa escultura de prata." (25:11). Precisamos nos
lembrar que líderes estão visando a transformação de corações, não apenas a
realização de tarefas. Portanto, desviar as pessoas desnecessariamente é
derrotar a si mesmo. Tato é a qualidade da graça que ganha a confiança de
pessoas que estão certas de que você não fará ou dirá algo estúpido. Você não
pode inspirar seguidores se as pessoas se sentem embaraçadas com as coisas
inapropriadas e insensíveis que você diz ou faz. Tato é especialmente necessário
em um líder para lidar com situações embaraçosas ou trágicas.

Por exemplo, muito frequentemente quando você está liderando um grupo,


alguém diz algo totalmente irrelevante, que é reconhecido como algo tolo por
todos do grupo. Um líder perspicaz deve ser capaz de conduzir a atenção do
grupo de volta ao curso principal da discussão, sem amontoar desprezo sobre o
indivíduo. Outro exemplo, que me recordo, vem da minha experiência no
Wheaton College. Eu estava presente no serviço da capela, onde V. Raymond
Edman teve um ataque cardíaco no púlpito, caiu e morreu. Hudson Armerding,
que o substituiu como presidente, estava sentado atrás dele, quando Dr. Edman
fez uma pausa em sua fala, deu um passo para o lado, e caiu. Em uma das mais
belas e sensíveis demonstrações de tato que já vi, Dr. Armerding rapidamente se
ajoelhou ao lado, conforme os 2.000 estudantes silenciavam. Então ele se
levantou, conduziu-nos em uma breve oração confiando o Dr. Edman ao Senhor,
e dispensou os estudantes calmamente. Dr. Edman morreu assim que saímos.

O tato de um líder deve manifestar a si mesmo na confrontação franca. A pessoa


que não está aberta a abordar uma pessoa que precisa de admoestação ou
repreensão não será um líder espiritual bem sucedido. Associado ao seu
julgamento do caráter das pessoas, o tato de um líder o capacitará a lidar com
negociações delicadas e pontos de vista opostos. Sua escolha das palavras será
astuta e não rude. (Existe uma grande diferença entre dizer "Seu pé é muito
grande para esse sapato" e "Esse sapato é muito pequeno para seu pé.").
12. TEOLOGICAMENTE ORIENTADO

Colossenses 3:17 diz, "Tudo o que fizerem, façam-no em nome do Senhor Jesus."
1 Coríntios 2:16 fala sobre o homem espiritual como tendo a mente de Cristo. Um
líder espiritual sabe que tudo na vida, mesmo os menores detalhes, têm a ver
com Deus. Se vamos liderar pessoas para enxergarem e refletirem a glória de
Deus, devemos pensar teologicamente a respeito de tudo. Devemos trabalhar
em direção a uma síntese de todas as coisas. Devemos investigar para ver como
as coisas se encaixam. Como se relacionam com Deus e Seus propósitos?

Líderes devem ter um ponto de apoio teológico que os ajude a dar coerência a
todas as coisas. Isso dará ao líder uma estabilidade que o previne de tropeçar
por mudanças repentinas em circunstâncias ou novos ventos de doutrina. Ele
sabe suficientemente a respeito de Deus e Seus caminhos que as coisas
geralmente se encaixam em um padrão e fazem sentido mesmo quando são
desagradáveis. Então, o líder não desiste, mas confia o caminho adiante a Deus.

13. UM SONHADOR

Não devemos apenas estar descontentes com o presente, mas também sonhar
com o que pode vir a ser o futuro. Líderes podem ver o poder de Deus cobrindo
os problemas do futuro. Esse é um dom raro - enxergar o poder soberano de
Deus no meio da aparente esmagadora oposição. A maioria das pessoas é
especialista em enxergar todos os problemas e razões para não avançar em uma
aventura. Muitos pastores são arruinados por juntas que pensam que eles
fizeram seus deveres quando atribuem todo obstáculo e problema a uma ideia
que ele traz. Isso é barato. Esperança e soluções são caras. O espírito
aventureiro é raro hoje. Ó, como precisamos de pessoas que dedicam apenas
cinco minutos por semana para sonhar o que é possível ocorrer. Toda nova
igreja, toda agência, todo novo ministério, toda instituição, toda empreitada, é
resultado de alguém ter uma visão e se apegar a ela como a tartaruga a seu
casco.
14. ORGANIZADO E EFICIENTE

Um líder não gosta de desordem. Ele gosta de saber onde e quando as coisas
estão para rápido acesso e uso. Sua forma favorita é a linha reta, não o círculo.
Ele se lamenta em reuniões que não partem de premissas às conclusões, mas
caminham em círculos irrelevantes. Quando algo deve ser feito, ele vê um plano
de três passos para a realização e o executa. Um líder vê as ligações entre uma
decisão da junta e sua implementação. Ele vê maneiras de aproveitar ao máximo
o tempo e determina sua agenda para maximizar seu aproveitamento. Ele
reserva para si mesmo grandes blocos de tempo para suas principais atividades
produtivas. Ele se vale de pequenas porções de tempo para que não sejam
desperdiçados. (Por exemplo, o que você faz enquanto está escovando os
dentes? Você poderia colocar uma revista no cabide das toalhas e ler um artigo?)
Um líder reserva tempo para planejar seus dias e semanas e meses e anos.
Mesmo que seja Deus, em última instância, quem dirige os passos de um líder,
ele deve planejar seu caminho. Um líder não é uma água-viva arremessada de um
lado para o outro pelas ondas, nem uma ostra que permanece imóvel. O líder é o
golfinho do mar e pode nadar contra a correnteza ou com a correnteza,
conforme o planejado.

15. RESOLUTO

Em 1 Reis 18:21, Elias clama, "Elias dirigiu-se ao povo e disse: Até quando vocês
vão oscilar entre duas opiniões? Se o Senhor é Deus, sigam-no; mas, se Baal é
Deus, sigam-no.". Um líder não pode ficar paralisado pela indecisão. Ele assumirá
riscos em vez de não fazer nada. Ele se encharcará em oração e na Palavra e
então descansará na soberania de Deus conforme toma suas decisões, sabendo
que provavelmente cometerá alguns erros.

16. PERSEVERANTE
Jesus disse em Mateus 24:13, "Aquele que perseverar até o fim será salvo." Paulo
disse em Gálatas 6:9, "E não nos cansemos de fazer o bem." Nós vivemos em
uma época onde a imediata gratificação é comumente exigida. Isso significa que
pouquíssimas pessoas alcançam a excelência na virtude da perseverança.
Pouquíssimas pessoas continuam e continuam no mesmo ministério, quando há
uma dificuldade significativa. Visão sem perseverança, entretanto, resulta em
contos de fada, e não em ministérios frutíferos. Meu pai uma vez me contou que
a razão pela qual ele acha que muitos pastores falham em enxergar um
reavivamento em suas igrejas é que eles desistem quando tudo está prestes a
acontecer. A longa caminhada é dura, mas compensa. A grande árvore é
derrubada por muitas, muitas machadadas. As críticas que cruzam seu caminho
serão esquecidas se você permanecer fazendo a vontade do Senhor.

17. UM HOMEM QUE AMA SUA ESPOSA

Aqui estou me dirigindo a homens que são maridos e líderes. Paulo disse em
Efésios 5:25, "Maridos, amem suas mulheres!". Ame-a! Ame-a! De que adianta a
um homem conquistar uma legião de seguidores e perder sua esposa? A que
teremos conduzido as pessoas se elas perceberem que nos conduzimos ao
divórcio? O que precisamos hoje são líderes que sejam grandes cônjuges.
Maridos que escrevem poemas para suas esposas, que cantem canções e que
compram flores para elas, por nenhuma outra razão a não ser o fato de que a
amam. Precisamos de líderes que saibam que devem tirar um dia a sós com suas
esposas de tempos em tempos; líderes que não têm o hábito de zombar e
colocar suas esposas para baixo, especialmente pequenas escapadas
displicentes em público; líderes que falam bem de suas esposas em público e se
juntam a elas espontaneamente quando estão sozinhas; líderes que as tratem
com ternura em todos os momentos.

Uma das grandes tentações de um líder ocupado é começar a tratar sua esposa
como uma espécie de objeto para sua satisfação pessoal. Isso começa a se
manifestar quando o único momento em que ele a beija apaixonadamente ou a
toca carinhosamente é quando está tentando atraí-la para algo mais. É trágico
quando uma esposa se torna apenas um meio de satisfazer os desejos do
esposo. Conheça o que a agrada. Converse com ela e estude seus desejos. Olhe-a
nos olhos quando fala com ela. Largue o jornal e desligue a televisão. Abra a
porta para ela. Ajude-a com a louça. Dê uma festa para ela. AME-A! AME-A! Se
você não amá-la, todo seu sucesso como líder muito provavelmente resultará
em fracasso no lar.

18. TRANQUILO

Começamos com a qualidade da incansabilidade e terminamos com a qualidade


da tranquilidade. "Se não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar
na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela
montar guarda. Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando
arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ama."
(Salmos 127:1-2). O líder espiritual sabe que, em última instância, a produtividade
de seus trabalhos depende de Deus e que Deus pode fazer mais enquanto ele
dorme do que ele poderia fazer acordado sem Deus. Ele sabe que Jesus disse
aos seus discípulos ocupados, "Venham comigo para um lugar deserto e
descansem um pouco." (Marcos 6:31). Ele sabe que um dos Dez Mandamentos
era, "Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos, mas o sétimo
dia é o sábado dedicado ao Senhor teu Deus." (Êxodo 20:9-10). Ele não é tão
viciado em trabalho que não é capaz de descansar. Ele é um bom mordomo de
sua vida e saúde. Ele maximiza a totalidade de seus trabalhos medindo as
possíveis tensões sob as quais ele pode trabalhar sem diminuir sua eficiência,
encurtando sua vida indevidamente.

CONCLUSÃO
Não resta dúvida de que muitas outras qualidades de uma pessoa poderiam ser
mencionadas, e fariam dela um líder ainda mais bem sucedido. Essas são
simplesmente as que vieram à minha mente conforme ponderava sobre o tema.
O líder não precisa alcançar excelência em toda e cada uma delas. Mas quanto
mais plenamente cada uma delas for desenvolvida em uma pessoa, mais
poderosa e frutífera ela será como um líder. Permita-me enfatizar outra vez que
é o círculo interno que faz com que a liderança seja espiritual. Toda liderança
genuína começa com um senso de desespero; conhecimento de que somos
pecadores desamparados e carentes de um grande salvador. Isso nos leva a
ouvir a Deus em sua Palavra e clamar a Ele por ajuda e pelo insight em oração.
Isso nos conduz a confiar em Deus e esperar em Suas grandes e preciosas
promessas. Isso nos liberta para uma vida de amor e serviço a qual, no fim, leva
as pessoas a enxergar e dar glória ao nosso Pai nos céus.

Este artigo foi escrito pelo norte-americano John Piper, pastor, teólogo e autor
famoso. Ele segue uma linha calvinista em seus ensinos teológicos, entretanto, o
mesmo possui uma bibliografia muito rica sobre temas variados que são muito
edificantes para a Igreja do Senhor, de modo mais geral. Atentando para o que a
Bíblia recomenda em I Tessalonicenses 5.21: “examinai tudo. Retende o bem”,
creio que os ensinos presentes neste artigo de Piper sejam ricos para ajudar
aqueles cuja tarefa é liderar as ovelhas do Senhor. Levando-se em consideração
a complexidade de tal ofício, acredito que lhes será útil contar com mais esta
ferramenta no caminho que estão trilhando a frente do rebanho de Deus.

OBS: Sabemos que ao divulgar este artigo, algum receptor pode sentir-se
interessado em ler outras obras de John Piper, entretanto, sugerimos cautela
em relação a isso, uma vez que o autor adota a teologia calvinista em seus
ensinos. Consideramos recomendável que este artigo seja divulgado apenas
para líderes e/ou indivíduos maduros espiritualmente e, portanto, capazes de
absorver apenas aquilo que possa edificá-lo nos trabalhos escritos por Piper. O
artigo foi editado para eliminar alguns pontos dispensáveis e outros que
mostravam a visão calvinista do autor.

Na graça do Mestre.