Você está na página 1de 17

CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL EAD

MARCILENE FAGUNDES LUIS

Filtro RLC

DOURADOS MS

2013

1
MARCILENE FAGUNDES LUIZ

Filtro RLC

Trabalho apresentado ao curso de

Técnico em Automação Industrial

EAD-SENAI Dourados MS, para

Fins de nota parcial do módulo I.

Tutor (a): Guilherme Afonso


Tutor (a): Luiz Fernando Palhano.

Instrutor (a): Rginaldo

DOURADOS /MS

2013

1
Sumário
Introdução, objetivo geral e especifico ....................................................................................2

Comportamento de filtro RLC.......................................................................................................4

Fator de carga..............................................................................................................................6

Figuras ....................................................................................................................................6

Exemplos..................................................................................................................................13

Conclusão ................................................................................................................................16

O circuito montado-------------------------------------------------------------------------16

1
Introdução

O circuito RLC é um circuito elétrico constituído de um resitor (R), um


indutor (L) e um capacitor (C) que conecta em série ou em paralelo. E chamado
circuito de segunda ordem visto por qualquer tensão ou corrente.

Objetivo Geral

Aplicar os circuitos osciladores, que o fator de carga, seja o menor


possível, ou de igual forma, aumentar o factor de qualidade ( Q ) o Maximo
possível. Na pratica, isto requer uma redução na resistência R no circuito para
uma quantia tão baixa fisicamente possível. Neste caso o circuito LC ideal; que
não é realizável na prática.

Objetivo específico

Transformar a energia como o processamento de informação sob a


forma de um sinal elétrico.

O comportamento do filtro RLC


3
Os sinais de um circuito elétrico
O comportamento dos circuitos elétricos e seus elementos passivos (R,
L e C ) quando submetidos a sinais senoidiais e pode ser analisado pela
combinação de mais de um sinal.

Circuito RLC série em CA

Nos circuitos de corrente contínua, a resistência elétrica é a única


grandeza que expressa o impedimento a passagem da corrente elétrica. Em
corrente alternada, existem outros efeitos além do resistivo que influenciam a
passagem de corrente no circuito por exemplo , a indutância quando circuito
tem bobinas, ou capacitância quando o circuito contem capacitores. Deste
modo, a razão tensão, corrente em circuito de corrente alternada não depende
apenas das resistências elétricas do mesmo.

Reatância Capacitiva

O gerador de funções para produzir uma tensão senoidal ligue-o em


serie com R e C. A dependência de XC com W= 2π.f, mantendo constante a
amplitude da tensão senoidal na entrada do circuito, varei a freqüência f .

4
Reatância indutiva

É oferecida por uma bobina a uma corrente alternada (AC) pode ser
dominada da reatância indutiva, tanto da indutância da bobina como da
freqüência da corrente alternada

Tensão de capacitor
Os capacitores são formados por duas superfícies condutoras e por um
isolante de tal forma que não há contato entre os dois terminais do capacitor.
Estas superfícies, entretanto ficam próximas uma da outra de forma que
cargas elétricas se deslocam para umas das superfícies repelem cargas da
outra superfície permitido a circulação de corrente. A resistência entre os dois
terminais do capacitor é infinita porém há circulação de corrente.

Tensão em indutor
São elementos armazenadores de energia na formula de campo
magnético. O indutor é formado por um fio enrolado de tal formula a concentrar
o campo magnético quando o condutor é percorrido por corrente elétrica.

Impedância capacitiva (condensador + resistência )

O comportamento de um circuito com um condensador ( c ) em série


com uma resistência ( R ).

Fator de carga
5
O fator de carga do circuito por é:

Para aplicações em circuitos osciladores, geralmente desejável


que o factor de carga seja o menor possível ou, de igual forma,
aumentar o factor de qualidade ( Q)o Maximo possível. Na pratica, isto
requer uma redução na resistência R no circuito para uma quantia tão
baixa quanto fisicamente possível, Neste caso, o circuito RL torna-se
uma aproximação do circuito LC,que não é realizável na pratica.
Para aplicações em filtros passa-banda, o factor de carga é escolhido
baseado na largura desejada do filtro. Para uma maior largura de banda,
um factor de carga de carga é necessário, e para uma largura de banda
menor, utiliza-se um menor factor de carga.

Circuito em Paralelo

O circuito em paralelo éessencialmente desador de correnetes.

Circuito RLC paralelo em CA

6
A corrente no capacitor ta adiata em 90 grau.

A aplicação de tensão ao circuito RLC paralelo provoca a circulação de


corrente nos três componentes: ΙR, ΙL e ΙC. A corrente no resistor está em fase
com a tensão aplicada ao circuito. A corrente no indutor está atrasada 90º em
relação a tensão aplicada.

7
Circuito RLC paralelo em CA

A corrente no capacitor esta adiantada 90º em relação a tensão


aplicada. As correntes individuais no resistor , indutor e capacitor de um circuito
RLC paralelo são determinada diretamente através da lei de Ohm para o
circuito de CA.

Tabela de calculo

FR CL L

2mhz 2,24 18.7mh

2mhz 1mf 8,8mh

As formulas usadas para calcular o filtro RLC

RLC-PARALELO RLC-PARALELO
RLC-SÉRIE
(ideal) (real)
FREQUÊNCIA
RESSONÂNCIA
r)
FREQUÊNCIA MÁX.
IMPEDÂNCIA
Zmax)

8
FACTOR
QUALIDADE
(Q)
LARGURA
BANDA
(LB)

Reatância capacitiva contra Frequência

Série Freqüência de Ressonância

9
Impedância em um circuito de ressonância série

Circuito RLC série em ressonância

10
Ângulo de fase de um circuito de ressonância Series

Largura de banda de um circuito de ressonância

11
Largura de banda de um circuito de ressonância Series

Exemplos

1- Uma rede de ressonância em série que consiste de um resistor de 30Ω, um


capacitor de 2uF e um indutor de 20mH está ligado através de uma fonte de
tensão sinusoidal, que tem uma saída constante de 9 volts a todas as
frequências. Calcular, a frequência de ressonância, a corrente de
12
ressonância, a tensão através do indutor e capacitor de ressonância, o
factor qualidade e a largura de banda do circuito. Também esboçar a forma
de onda de corrente correspondente para todas as freqüências.

Freqüência de ressonância, ƒ r

Circuito de corrente na ressonância, eu m

Reatância indutiva em Ressonância, X L

Tensões através do indutor e do capacitor, V L , V C

(Nota: a tensão de alimentação é de apenas 9 volts, mas a ressonância das


tensões reativas são 30 volts de pico)

Fator de qualidade, Q

13
Largura de banda, BW

Os superiores e inferiores-3dB pontos de freqüência, ƒ H e ƒ L

2- Uma rede de resonância paralela que consiste de um resistor de 60Ω, um


capacitor de 120UF e um indutor de 200mH está ligado através de uma fonte
de tensão sinusoidal, que tem uma saída constante de 100 volts a todas as
frequências.Calcular, a frequência de ressonância, o factor qualidade e a
largura de banda do circuito, a corrente do circuito de ressonância e ampliação
actual.

Freqüência de ressonância, ƒ r

Reatância indutiva em Ressonância, X L

14
Fator de qualidade, Q

Largura de banda, BW

Os superiores e inferiores-3dB pontos de freqüência, ƒ H e ƒ L

Circuito de corrente na ressonância, eu T

Em ressonância a impedância dinâmica do circuito é igual a R

Ampliação atual, eu mag

Note-se que a corrente de ressonância (a corrente resistiva) é de apenas 1,67


ampères, enquanto que a corrente que flui em torno do LC do circuito tanque é
maior a 2,45 amps. Podemos verificar este valor por meio do cálculo da
corrente que flui através do indutor (ou condensador) na ressonância.

O circuito montado

15
Conclusão

O filtro RLC serve pra medir a freqüência de ressonância quando ocorre


a impedância complexa que são de função angular e pelo fator de
carga acha como filtro passa se alta ou baixa.

Referência Bibliográfica

Senai@sp.senai.brhtt:/.sp.senai.br

Albuquerque, R. O.” Circuito em corrente Alternada- Série Editora Érica. São


Paulo, 1997.

WWW.ufrgs.br/eng04030/aulas/teorias/cap 12/circress.htm.

16

Você também pode gostar