Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI – UFCA

CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA


CURSO: ENGENHARIA CIVIL
DISCIPLINA: HIDROLOGIA
Prof. (a).: CELME TORRES F DA COSTA
Aluno: ROMILSON DA SILVA NOGUEIRA - 367308

PROJETO 01 – CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA DE BACIAS


HIDROGRÁFICAS

1. Figura com a delimitação da bacia hidrográfica com a indicação da


Região e município onde está localizada a bacia em estudo.

2. Área de drenagem:

Área: 9.097 km²


Perímetro da bacia hidrográfica: 15.603 km

3. Forma da bacia

a. Fator de forma: Kf = 0.2876


b. Coeficiente de compacidade: Kc = 1.448
4. Sistema de drenagem

a. Figura com a indicação da ordem dos cursos d’água

b. Tabela que apresenta a razão de bifurcação dos rios que compõem a


bacia hidrográfica

c. Gráfico com a Curva de bifurcação e equação da reta de ajuste para


cálculo da razão de bifurcação
d. Retângulo equivalente representativo da bacia hidrográfica.

lm = 0,193 km
Altura (4lm) = 0,772 km
Comprimento (x) = 11,783 km

e. Declividade do leito ou álveo do curso d’água principal.

Não possui curvas de nível suficiente para determinar a declividade da


bacia.

5. Quadro resumo comparativo das bacias

Índices Bacia Jucás Bacia Juazeiro Bacia Juazeiro


do Norte - do Norte -
Iburana Taquari
Área da Bacia (km2) 27,961 9,097 28,956
Perímetro da Bacia (km) 29,378 15,603 23,434
Comprimento do rio principal (km) 12,996 5,624 11,9124
Coeficiente de compacidade 1,558 1,448 1,219
Fator de forma 0,166 0,288 0,204
Ordem da bacia 3° ordem 3° ordem 3° ordem
Razão de bifurcação 1,9998 2,449 3,318
Densidade de drenagem (km/km2) 0,827 1,295 1,037
Extensão média de escoamento 0,302 0,193 0,241
superficial (km)
Sinuosidade do rio principal 1,273 1,158 1,655
Declividade média da bacia (m/m) 0,0235 Sem dados Sem dados

6. Discussão dos resultados.

As características físicas de uma bacia hidrográfica compõem importante


grupo de fatores que influenciam o escoamento superficial, sendo eles, a área
de drenagem, a forma da bacia e o sistema de drenagem.
A forma da bacia tem uma influência sobre o escoamento global,
analisando o coeficiente de compacidade temos a tendência que a bacia tem em
sofrer enchente, quanto maior o Kc menos propensa à enchente é a bacia, sendo
assim, a bacia Jucás é a menos propensa e a bacia Juazeiro - Taquari a mais
propensa a enchentes. O fator de forma também indica a maior ou menor
tendência para enchentes de uma bacia, Kf baixo indica menor propensão a
enchentes, assim, a bacia Jucás é a menos propensa.
A densidade de drenagem é expressa pelo comprimento total de todos os
cursos d’agua de uma bacia e sua área total, ela varia inversamente com a
extensão do escoamento superficial, logo, ela fornece uma indicação da
eficiência de drenagem da bacia, 0,5 km/km² para bacias com drenagem pobre
a 3,5 ou mais para bacias excepcionalmente bem drenadas. Com isso, as bacias
apresentam drenagem regular.
A razão de bifurcação é a relação logarítmica da densidade de drenagem
da bacia hidrográfica, quanto maior a razão de bifurcação, menos propensa a
cheia será a bacia, portanto, a bacia Juazeiro – Taquari é a menos propensa a
enchentes ao analisar esse aspecto.
Extensão media do escoamento superficial indica a distância média que
a água de chuva teria que escoar sobre os terrenos da bacia (em linha reta) do
ponto onde ocorreu sua queda até o curso d’agua mais próximo, assim, a bacia
Jucás tem a maior extensão média de escoamento superficial.
A sinuosidade do curso d’agua é a relação entre o comprimento do rio
principal e o comprimento do talvegue, dá uma ideia da “quantidade” de
curvatura do rio, com isso, a bacia Juazeiro – Taquari tem a maior sinuosidade.
A declividade média da bacia só foi possível calcular na bacia Jucás,
sendo assim, não é possível realizar uma comparação.