Você está na página 1de 16

13/08/2015

Fundações
- Investigações Geotécnicas

FUNDAÇÕES
AULA 02

Material de apoio elaborado com base nas


aulas do Prof. Maurício Sales, D.Sc.
Prof. Daniel Carmo Dias, M. Sc.
engdanieldias@gmail.com

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS
 Relação Custo x Benefício:
 Entre 0,2 e 0,5% do custo total de obras
convencionais;
 Inferior ao necessário; informações
inadequadas:
 Projetista (superdimensionamento);
 Empreiteiro (elevação do orçamento –
imprevistos como mudança de projeto e do
processo construtivo).

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS
 Reconhecimento do subsolo
 Investigação preliminar
 Verificação das principais características do
subsolo
 Investigação complementar ou de
projeto
 Esclarecimento de feições relevantes
 Outros tipos de sondagens
 Investigação para a fase de execução
 Confirmar as condições de projeto em
3
áreas críticas ou de grande variabilidade

1
13/08/2015

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS
 Definição do programa de investigação:
 Planta do terreno (planialtimétrico)
 Dados sobre estrutura e vizinhança
 Informações geotécnicas disponíveis
 Normas e códigos locais
 NBR 8036:
 1 furo a cada 200 m² de projeção
 Pelo menos 3 sondagens na obra
4

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS
 Processo executivo
 Locação dos furos de sondagem
 Marcado com a cravação de um piquete de
madeira
 Anotar coordenadas e cota (amarração com
RN)

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Poços
 Sondagens a trado
 Sondagens à percussão com SPT
 Sondagem SPT com medição do torque (SPTT)
 Sondagem rotativa
 Sondagens mistas
 Ensaios de cone (CPT e CPTU)
 Ensaio de pressiométrico (PMT)
 Ensaio dilatométrico (DMT)
 Ensaio de palheta
6

2
13/08/2015

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO

 Poços (NBR 9604):


 Escavações manuais que
avançam até que se
encontre o nível d’água
ou até onde for estável
 Exame visual das paredes
e fundo da escavação
 Permite a retirada de
amostras indeformadas
tipo bloco
7

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagem a trado (NBR 9603)
 Perfurações executas com trados
 Limitada ao nível d’água
 Amostras deformadas

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO

 Sondagem a trado
(NBR 9603)

3
13/08/2015

Sondagem SPT
 SPT – Standard Penetration Test
 Obtenção de amostras do solo;
 Conhecimento da estratigrafia do terreno;
 Determinação do número de golpes – N;
 Identificação do Nível D’água.
 ABNT NBR 6484 (2001): Solo – Sondagens de simples
reconhecimento com SPT – Método de ensaio
 ABNT NBR 6502 (1995) e NBR 13441 (1995): Rochas e Solos

 ABNT NBR 7181 (1984): Análise granulométrica de solos

 ABNT NBR 8036 (1983): Programação de sondagens de simples

reconhecimento do solo para fundações de edifícios


10

Sondagem SPT
 N – Índice de resistência à penetração:
 Número de golpes correspondente à
cravação de 30cm de amostrador padrão,
após a cravação inicial de 15cm, utilizando-
se corda de sisal para levantamento do
martelo padronizado
 Baixo Custo
 Fácil Execução
 Pode ser realizado em locais de difícil
acesso 11

Sondagem SPT
 Sondagens à percussão com SPT
 Atravessa solos relativamente compactos ou
duros
 Não ultrapassa blocos de rocha/pedregulhos
 O ensaio SPT é feito a cada metro de
perfuração
 Obtenção do Índice de resistência à penetração
 A amostra é deformada
 Sondagem SPT-T
12

4
13/08/2015

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Monta-se o “tripé”
no local
estabelecido

13

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Escavação do 1º
metro com trado
concha ou cavadeira
manual
 colher material
 Instalação do
primeiro seguimento
do tubo de
revestimento 14

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Montagem da
composição no fundo do
furo (amostrador, hastes
e cabeça de bater)
 Apoiar o martelo sem
bater
 anotar penetração

15

5
13/08/2015

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Iniciar a cravação do
amostrador padrão
 Ergue-se o peso padrão
(65kg) e o deixa cair
livremente de uma
altura de 75cm
 Anotar nº de golpes
para a cravação de 3
sequências de 15cm 16

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Retira-se o amostrador e
colhe-se a amostra de
solo para classificação
tátil-visual

17

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Avanço da perfuração
com trado helicoidal ou
processo de circulação
de água com trépano
de lavagem

18

6
13/08/2015

Sondagem SPT
 Processo executivo
 Atingido o 2º metro,
repete-se o ensaio SPT

19

Sondagem SPT
 Processo executivo
 O processo continua até se atingir um solo
muito resistente (impenetrável ao SPT) ou
até se alcançar a cota estabelecida pelo
cliente
 Mede-se o nível d’água após 30 min do
término do ensaio e repete-se a medição
24 horas depois da perfuração
 As amostras são analisadas em laboratório
 Confecciona-se o Laudo de Sondagem 20

Sondagem SPT
 Interrupção do ensaio antes dos 45cm
(NBR 6484)
a) Em qualquer dos três seguimentos de
15cm, o número de golpes ultrapassar 30
b) Um total de 50 golpes tiver sido aplicado
durante toda a cravação
c) Não se observar avanço do amostrador
durante a aplicação de 5 golpes sucessivos
do martelo
21

7
13/08/2015

Sondagem SPT
 Apresentações de N
 Zero golpes
 1/l (L > 45cm)
 Penetração incompleta
a) 12/16 – 30/11
b) 14/15 – 21/15 – 15/7
c) 10/0
 A penetração com poucos golpes ultrapassa 45cm
 0/65; 1/33; 1/20
22

Sondagem SPT
 Critérios de paralisação do avanço por
circulação de água (NBR 6484)
 Quando, em 3m sucessivos, se obtiver 30
golpes para penetração dos 15cm iniciais do
amostrador
 Quando, em 4m sucessivos, se obtiver 50
golpes para penetração dos 30cm iniciais do
amostrador
 Quando, em 5m sucessivos, se obtiver 50
golpes para penetração dos 45cm do
amostrador
 Impenetrável à percussão 23

Sondagem SPT
 Quando N = 5/0 (NBR 6484) – Ensaio de
avanço por circulação de água
 Duração de 30 minutos
 Anotar o avanço do trépano em cada período
de 10 minutos
 A sondagem é encerrada se o avanço é < 5
cm em cada intervalo de 10 minutos ou
depois de 4 ensaios de lavagem sem atingir
a cota de ensaio
 Impenetrável ao trépano de lavagem 24

8
13/08/2015

Deslocamento do furo de
sondagem
 Quando se tem “5/0” antes da
profundidade estimada em projeto:
 Deslocar o ponto de sondagem no mínimo
duas vezes para posições diametralmente
opostas, a 2m da sondagem inicial ou
conforme orientação do cliente

25

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens à percussão com SPT

26

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 SPT-T

27

9
13/08/2015

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens Rotativas
 Investigação em solos resistentes, Rochas e Concreto
 Rochas duras/abrasivas: Xistos, Granitos e Quartzitos
 Definição do tipo e qualidade da rocha
 Extração de testemunhos de rocha e CP de concreto
 Descrição das descontinuidades
 Obtenção da permeabilidade
 Custo mais elevado
28

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens Rotativas
 Uso de conjunto motomecanizado
 Penetração e rotação
 Obtenção de amostras de materiais
rochosos, cilíndricas e contínuas
 Barrilete com ponta cortante
 A amostras é chamada testemunho
 Sondagem mista
 Percussão + rotativa
29

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens Rotativas

30

10
13/08/2015

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens Rotativas

31

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens Rotativas

32

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Sondagens Rotativas e mistas

33

11
13/08/2015

34

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Ensaios de Cone (CPT e CPTU)
 preparação do cone
 cravação com sistema hidráulico
 penetração a velocidade lenta e constante
de 2,0 cm/s de uma haste com ponta
cônica (5 ou 10 cm², 60º) medindo-se a
resistência de ponta (qc) e a resistência por
atrito lateral (fs ou τc)
 registros contínuos (a cada 2cm)
 aquisição automática dos dados 35

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO (CPT e CPTU)
 Vantagens
 Cravação quase-estática;
 Precisão na estratigrafia;
 Medição da poro-pressão (u);
 Base matemática para interpretação;
 Agilidade dos resultados.
 Desvantagens
 Custo ainda elevado do equipamento;
 Falta de experiência dos profissionais;
 Limitação do sistema de cravação. 36

12
13/08/2015

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Ensaios de Cone (CPT e CPTU)
 Cone Mecânico (medidas na superfície)
 Cone Elétrico (células de carga)
 Cone Elétrico com medida da poropressão
(CPTU)

37

38

39

13
13/08/2015

40

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO

 Ensaio Pressiométrico
(PMT)
 Consiste na expansão
de uma sonda ou
célula cilíndrica
instalada em um furo
executado no terreno
 Parâmetros de
deformabilidade (E,
K0) 41

42

14
13/08/2015

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO
 Ensaio Dilatométrico (DMT)
 Obter parâmetros de
deformabilidade do solo
 Na profundidade desejada
recebe ar comprimido até que
sua membrana passe pela
condição de repouso e se
expanda 1mm; registram-se
as pressões correspondentes
 Aplica-se a argilas e areias

43

44

PROCESSOS DE INVESTIGAÇÃO
DO SUBSOLO

 Ensaios de Palheta
 Medida do torque
 A resistência não
drenada da argila é
obtida admitindo-se que
a ruptura se dá na
superfície do cilindro
 Utilizado para
caracterizar argilas/solos
moles
45

15
13/08/2015

Referências – Leituras recomendadas


ABGE – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GEOLOGIA DE ENGENHARIA. Manual de
sondagens. 4 ed. São Paulo: Associação Brasileira de Geologia de Engenharia, 1999, 73p.
ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6122: Projeto e
execução de fundações. Rio de Janeiro, 2010, 91 p.
ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6484: Solo –
Sondagens de simples reconhecimento com SPT – Método de ensaio. Rio de Janeiro, 2001,
17 p.
HACHICH, W.; FALCONI, F. F.; SAES, J. L.; FROTA, R. G. Q.; CARVALHO, C. S.;
NIYAMA, S. Fundações: teoria e prática. 2 ed. São Paulo: PINI, 1998, 751 p.
JOPPERT JR, I. Fundações e contenções de edifícios: qualidade total na gestão do projeto e
execução. São Paulo: PINI, 2007, 221 p.
SCHNAID, F.; ODEBRECHT, E. Ensaios de campo e suas aplicações à engenharia de
fundações. 2 ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2012, 223 p.
VELLOSO, D. de A.; LOPES, F. de R. Fundações: critérios de projeto; investigação do
subsolo; fundações superficiais. Volume 1. 2ª ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2011, 225 p.
46

16