Você está na página 1de 9

Prova 4º estágio PSIQUIATRIA 2017: CORREÇÃO

1) PARA O DIAGNÓSTICO CLÍNICO DA ANOREXIA NERVOSA, É NECESSÁRIO


QUE, EXCETO:

a) haja pelo menos 15% menos do peso corporal;

b) dismorfobia;

c) medo de engordar;

d) alterações no comportamento, alimentações e sociabilidade;

e) ausência de fenômenos bulímicos.

Comentário: Na anorexia nervosa, há perda de pelo menos 15% do peso corporal, ou seja, o
peso deve estar abaixo de 85% do normal. O tipo anorexia nervosa compulsiva periódica
(purgativa) exibe diversos fenômenos bulímicos, mas diferenciando-se da BM pelo peso da
paciente(na BM está normal ou aumentado), pela ausência de medo de comer na BM.4

2) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) há um nítido padrão obsessivo no funcionamento prévio das Anoréticas Restritivas;

b) certas profissões tendem a terem maior risco;

c) tende existir acontecimentos vitais no surgimento da Anorexia Nervosa;

d) ressecamento intestinal, uso de laxantes e diuréticos são frequentes;

e) não é grande a frequência de Depressão Maior entre as anoréticas.

Comentário: Há muito tempo se relaciona AN e depressão, sendo essa a comorbidade mais


prevalente nas anoréxicas, com taxa aproximada de 40% em pacientes com o subtipo restritivo e
de 82% em pacientes com o subtipo purgativo1. Ressecamento intestinal, uso de laxantes e
diuréticos são pouco frequentes no tipo restritivo, porém muito comum no tipo purgativo, sendo
frequentes na anorexia nervosa como um todo.

3) EM RELAÇÃO À BULIMIA NERVOSA É INCORRETO AFIRMAR QUE:

a) tendem a não terem baixo peso corporal;

b) não apresentam dismorfobia;

c) tendem a um padrão prévio de personalidade com traços de extroversão e


impulsividade;

d) há uma certa tendência a escolher certo padrão alimentar quando dos episódios
bulímicos;

e) como na Anorexia Purgativa há vômitos auto induzidos.


Comentário: Tanto na anorexia quanto na bulimia tem-se a dismorfobia, ou seja, uma
percepção alterada que uma pessoa tem sobre o seu corpo. Já no TCA, mais frequente em nosso
meio, isso não ocorre, pois a egodistonia (considerar resumidamente como sinônimo de culpa)
está no hábito de comer, no peso corporal elevado (há um reconhecimento do excesso de peso,
não há dismorfobia, e isso leva a culpa).

4) NO TRANSTORNO COMPULSIVO ALIMENTAR NÃO OCORRE:

a) a presença de oscilações do peso corporal;

b) pacientes obesos;

c) a presença de um padrão alimentar irregular, com períodos em jejum e frequentes


episódios de ingesta massiva de alimentos

d) a presença de dismorfobia;

e) a presença de traços prévios na personalidade e acontecimentos vitais na História


Natural.

5) ASSINALE AS COMORBIDADES INCORRETAS:

a) Anorexia Nervosa e Depressão Maior;

b) Traços de impulsividade Bulimia Nervosa;

c) TCA e Dependência de Substâncias Psicoativas;

d) Anorexia Nervosa, tipo restritivo e traços obsessivos;

e) Anorexia Nervosa, tipo purgativo e Transtorno Bipolar.

Comentário: A anorexia nervosa purgativa associa-se com Abuso de Substâncias,


Impulsividade e Transtornos de Personalidade (borderline)4. TOC também pode estar presente1.

6) ASSINALE A AFIRMAÇÃO CORRETA:

a) No Tr. de Ansiedade de Doença não há a presença de uma patologia médica;

b) É raro uma neurotização de tipo hipocondríaca no curso de uma Depressão Maior;

c) Pode evoluir para um Transtorno Delirante;

d) Não há relação suficiente com a estrutura da personalidade;

e) Existem apenas com a busca de cuidados médicos.

Comentário: Revirando slides e o DSM V, nada sequer indicou essa possível evolução, porém
por exclusão chegamos nessa alternativa. Pode haver patologia médica benigna, é comum a
comorbidade com hipocondria, está relacionado com Transtornos de Personalidades e podem
existem evitando cuidados médicos (maioria).

7) ASSINALE A AFIRMAÇÃO CORRETA:

a) Nos Tr. de Ansiedade de Sintomas Somáticos (e Transtornos Relacionados) não há a


presença de uma patologia médica associada;

b) O fenômeno doloroso é frequente, assim como o ganho secundário;

c) Não há comorbidade entre eles;

d) Não há comorbidade com outras Patologias Psiquiátricas;

e) Tendem a apresentar alto grau de hospitalismo, intervenções clínicas e cirúrgicas,


excetuando o Transtorno Factício.

8) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) Na Ciclotimia podemos ter vários subtipos clínicos;

b) É frequente a associação nesta de EDM e Dependência de Substâncias Psicoativas;

c) Está descartada a hipótese de que esta evolua para um outro subtipo de Transtorno
Bipolar;

d) A impulsividade é um sintoma pouco valorizado neste diagnóstico;

e) Tendem a responder favoravelmente ao Lítio e aos Anticonvulsivantes.

Comentário: A ciclotimia pode ser um pródromo do TB (outro tipo) ou perdurar ao longo da


vida sem agravamentos1.

9) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) O TB-Tipo 2, é essencialmente um quadro depressivo crônico e recorrente, recortado


por episódios de eutimia (remissão espontânea) e hipomaníacos;

b) Está dercartada a evolução para TB1;

c) Tende a alta comorbidadede clínica;

d) Muitas vezes os episódios hipomaníacos não são avaliados corretamente;

e) Pode evoluir com sintomas residuais e apresentar padrão sazonal (estacional)

Comentário: Assim como a ciclotimia, o TB2 pode evoluir para o TB1, piorar...

10) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:


a) Na fase maníaca do TB é possível a existência de delírios e pode ser confundida com
Esquizofrenia;

b) Na fase maníaca tende a haver um aumento no envolvimento de situações de risco e/ou


prazer;

c) Esta fase só ocorre no TB1;

d) O humor é sempre exaltado e expansivo;

e) Tende a responder satisfatoriamente à associação Lítio e Antipsicóticos.

Comentário: Em c): a mania é exclusiva do TB1, já que nos outros tipos temos a hipomania
(TB2) e sintomas de elevação de humor que não preenchem critérios para episódio maníaco
(ciclotimia-hipomania). Em d): “Em relação ao humor, estudos mostram que os pacientes
apresentam, durante um episódio maníaco, diferentes tipos de alteração do humor: eufóricos e
expansivos, irritados, lábeis ou até mesmo deprimidos nos episódios mistos1”.

11) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) O uso de Litio requer Exames Laboratoriais de Rotina como Litemia, Função


Tireoidiana e Renal, Hemograma Completo, Anticorpos Antitireoide e ECG;

b) A Litemia Terapêutica deve girar em torno de 0,8 a 1,0;

c) O Lítio tende a ter a capacidade de resolução de um Episódio Depressivo no TB;

d) O Lítio é o Estabilizador de Humor de primeira escolha;

e) Outros psicofármacos não produzem tal resposta clínica.

Comentário: “O lítio tem eficácia de 70 a 80% no tratamento da mania, principalmente na


mania pura (diferente dos estados mistos). Também possui moderado efeito antidepressivo[...] 1”
provavelmente esse moderado efeito são é suficiente para resolver um episódio depressivo no
TB. Em e): Outros psicofármacos possuem comprada eficácia antimaníaca, podendo até
substituir (em caso de falha do lítio) ou em estar em associação com o lítio, p. ex.: valproato,
carbamazepina, lamotrigina1...

12) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) Dependência de Substâncias Psicoativas e Transtornos de Ansiedade são comorbidades


frequentes entre os Bipolares;

b) Quanto mais precoce for o surgimento da depressão, maior a chance de ser Bipolar;

c) O Transtorno Limite de Personalidade tende a ser confundido com TB;

d) Pode ocorrer de um TB2 evoluir para TB1;


e) Quando o Lítio não funciona satisfatoriamente tende a ser feita a sua associação com
Divalproato de Sódio;

f) Os Antipsicóticos Atípicos e os outros Anticonvulsionantes tendem a uma resposta


muito significativa como estabilizadores do humor no TB;

g) Situações médicas e/ou cirúrgicas podem ser fatores desencadeantes de agudização


clínica no TB.

Comentário: Antipsicóticos atípicos possuem atividade de estabilizador de humor, porém


alguns tipos mais, outros menos; devem ser usados em situações específicas pelo risco de
síndrome extrapiramidal e discenesia tardia... A resposta destes psicofármacos é inferior a do
lítio.

13) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) Não há diferenças significativas entre a Depressão no TDR e no TB;

b) Tampouco há diferenças epidemiológicas entre os sexos na Depressão Bipolar.

c) A Depressão que se inicia ou se agrava no puerpério com sintomas psicóticos tende a


ser Bipolar;

d) Certos marcadores clínicos, farmacológicos e de personalidade existem pra o


diagnóstico possível do TB;

e) A existência de TB familiar ou de viragem da Depressão para a Mania entre os


pacientes em uso de Antidepressivos nos orienta ao diagnóstico de TB.

Comentário: O TDR nada mais é que um EDM que se repete, ou seja, é uma especificação da
Depressão maior quanto ao número de episódios. Um episódio depressivo → EDM único; 2 ou
mais → “TDR”. A Depressão bipolar é que uma depressão maior em um TB. Deste modo: “a
clínica da depressão bipolar é a mesma da depressão melancólica com tendência a
psicotização4”. A depressão bipolar ocorre intercalada com um episódio maníaco (por isso
bipolar, caso intercalasse consigo mesma seria unipolar), em episódios seriados. O TDR ocorre
da mesma maneira; ainda não encontrei as diferenças significativas que justifique o gabarito
ser a alternativa A. Já na alternativa b): “Episódios depressivos no TB (depressão bipolar) são
mais frequentes em mulheres2”; não há diferenças entre os sexos na TB tipo 11,2. A alternativa
refere-se à depressão, e não ao tipo de TB... Além do mais, o termo “tampouco” sugere que
ambas estão incorretas!

14) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) O uso dos Antidepressivos no TB deve ser feito sempre associado ao Estabilizador do


Humor em níveis sanguíneos terapêuticos;
b) O uso dos Antidepressivos no TB deve levar em conta também a possível e necessária
ação terapêutica;

c) O TEC está indicado em mulheres grávidas em fase de Mania;

d) Não há diferenças no risco entre os Antidepressivos quanto à viragem de fase;

e) É seguro o uso de certos antidepressivos durante a gravidez.

Comentário: Antidepressivos resolvem/amenizam a depressão mas favorecem o surgimento da


mania (viragem de fase). Por este motivo, são usados em ocasiões especiais... No entanto, em
d): há uma cobrança de conhecimento entre os antidepressivos... qual causa mais viragem de
fase, qual causa menos... caso alguém não tenha aprendido isso em aula, lá vai: ISRS e
bupropiona têm um menor potencial de provocarem um episódio de mania1 (viragem de fase).
Os demais possuem risco aumentado. Em c): pelo risco de efeitos secundários sobre as mães e
os fetos como uso de medicamentos, o TEC em gestantes é considerado tratamento primário -
hardcore

15) ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA:

a) “Falhas de Memória” tende a ser uma manifestação clínica frequente no Transtorno de


Sintomas Somáticos;

b) Muitas vezes neste há uma variedade de sintomas em diferentes Sistemas do organismo;

c) Tendem a apresentar comorbidade significativa;

d) Náuseas, dificuldade para falar, parestesias são também muito frequentes;

e) Podem existir com uma patologia médica.

Comentário: A somatização seria um salto do psíquico para o orgânico, com repercussão de


diversas queixas somáticas em múltiplos sistemas orgânicos (p. ex., sistema cardiovascular,
respiratório e digestivo). A conversão também corresponde a um salto do psíquico para o
orgânico, que costuma ser precedido por conflitos e outros estressares, com repercussão no
sistema de comunicação do indivíduo com o mundo, afetando as funções motoras voluntárias e/
ou sensoriais. Já no transtorno dissociativo, o salto é do psíquico para o próprio psíquico,
ocasionando ruptura nas funções geralmente integradas de consciência, identidade, memória e
percepção do ambiente1.
O Transtorno de Sintomas Somáticos é uma nova categoria presente no DSM V
que engloba o transtorno somatoforme e conversivo, mas não o dissociativo³.
Em a): “Falhas de Memória” são manifestações clínicas dos transtornos dissociativos.
Em d): Náuseas (alteração gastrintestinal – somatoforme), Dificuldade para falar (afonia
- na psiquiatria esse termo não possui uma causa orgânica, mas simplesmente uma “dificuldade
para falar” – sintoma pseudoneurológico – somatoforme) e parestesias (sintoma sensorial –
transtorno conversivo) são alguns dos sintomas comuns no Transtorno de Sintomas Somáticos.
Gabarito dado: D.
16) EM RELAÇÃO AO TRANSTORNO CONVERSIVO, É CORRETO AFIRMAR
QUE: (2)

a) São uma evolução do Transtorno Histriônico de Personalidade

b) Tendem à Depressão Maior na maioria das vezes;

c) Sempre há necessariamente um elemento psicológico causal;

d) Pode estar associado no curso da Epilepsia, isto é, pode cursar também com fenômenos
dissociativos;

e) Só há fenômenos conversivos no contexto desta patologia.

Comentário: O critério G1 do CID-10 para transtorno dissociativo (conversivo) evidencia que


não deve haver evidência de um distúrbio físico que possa explicar os sintomas desse
transtorno, a causa é um estresse psicológico. Convulsões que não possuem uma origem
orgânica, mas sim uma condição inconsciente/estressante, são ditas convulsões dissociativas.

17) ASSINALE AS (2) AFIRMAÇÕES INCORRETAS:

a) No Transtorno Esquizofreniforme não há presença dos sintomas negativos e tendem a


uma recuperação absoluta;

b) Pode, em um futuro, apresentarem um quadro clínico de Esquizofrenia, o que nos leva a


pensar em Tr. Esquizofreniforme, como um diagnóstico provisório;

c) Se diferencia da Esquizofrenia pela presença nesta de certos sintomas específicos, como


por exemplo, as alterações da vivência do Ego e alterações formais do pensamento;

d) A existência de personalidade prévia funcional, acontecimentos vitais desencadeantes,


sintomas depressivos, ausência de História Familiar de Esquizofrenia são marcadores clínicos
de um possível Tr. Esquizofreniforme;

e) Não respondem satisfatoriamente aos antipsicóticos.

Comentário: Essa questão é o resumo da nossa psiquiatria. Antes, vamos a uma breve
definição de Transtorno Esquizofreniforme, de acordo com a Clínica Psiquiátrica da USP: “[...]
apresenta os sintomas característicos da esquizofrenia (critério A para esquizofrenia, p. ex.:
delírios, alucinações, desorganização da linguagem, comportamento desorganizado e sintomas
negativos.), porém diferencia-se da esquizofrenia pela duração (apenas 6 meses) e tende a não
gerar tanto deterioro da atividade social ou laboral.
A – incorreta. B – incorreta (em um futuro?, já apresentam nos 6 meses). C,E –
incorretas. Em e): como há sintomas negativos, os paciente respondem bem, assim como na
esquizofrenia. Em d) a ausência de História familiar de Esquizofrenia não é um marcador
clínico, porém não invalida os demais, talvez esteja correta, e questão com um todo buscasse a
alternativa correta.
Tá explicada a correção dele de todas erradas.... mas por curiosidade, o gabarito dela é
C e D, por motivos sem motivos.
18) ASSINALE AS DUAS AFIRMAÇÕES INCORRETAS:

a) Os pacientes crônicos portadores de Esquizofrenia tendem a evoluir melhor com


Neurolépticos de Depósito, Psicoterapia e Terapia Ocupacional;

b) Os Antipsicóticos Atípicos devem ser usados criteriosamente devido ao risco de


precipitar dislipidemia e Diabetes Mellitus;

c) No tratamento farmacológico do Transtorno Esquizoafetivo se utiliza apenas os


Antipsicóticos (neurolépticos) ;

d) É frequente a presença de Tr. Delirantes Agudos com característica esquizofreniformes


na Epilepsia e no Transtorno Limite de Personalidade;

e) É mais comum uma evolução desfavorável nos Transtornos de Personalidade do Grupo


A quanto à evolução dos Transtornos Delirantes.

f) É importante avaliar a presença dos fenômenos extra-piramidais nos pacientes que usam
Antipsicóticos;

g) Não há diferenças qualitativas quanto à resposta dos sintomas negativos da


Esquizofrenia entre os diferentes Antipsicóticos.

Comentário: Também são utilizados estabilizadores no humor no Transtorno Esquizoafetivo.


Antipsicóticos Atípicos amenizam os sintomas negativos, ao contrário dos típicos (que os
pioram).

19) EM RELAÇÃO ÀS SEGUINTES AFIRMAÇÕES, ASSINALE A ALTERNATIVA


INCORRETA:

a) Nem sempre é evidente os sintomas de abstinência das substâncias psicoativas;

b) Muitas vezes estes se confirmam pela diminuição do sofrimento que a redução do


consumo traz;

c) Antes dos sintomas de abstinência há a tolerância;

d) É necessário a antagonização da compulsão (“fissura”) no tratamento da Dependência


Fisiológica;

e) Pode haver no consumo de substâncias psicoativas tanto reforço positivo como


negativo.

Comentário: Apesar da classificação da fissura em “não fisiológico”2, ela é uma evolução da


compulsão (a compulsão por droga ou álcool, que causam fissura). A compulsão está presente
tanto na dependência não-fisiológica quanto na fisiológica, portanto o tratamento da fissura é
importante em qualquer clínica de dependência (confuso). Em b): a abstinência é confirmada,
muitas vezes, pelo aumento do sofrimento que a redução do consumo traz → critérios A e B do
DSM IV.

Feijão Xlvi
20) ASSINALE AS RELAÇÕES (ASSOCIAÇÕES) INCORRETAS (2):

a) Genética e etiologia da Dependência;

b) TDAH; TPAS e Dependência de Cocaína;

c) Transtorno do Jogo e TDAH;

d) Delirium Tremens e situação clínica debilitada;

e) Uso de benzodiazepínicos e Delirium;

f) Uso de Cannabis e TAG

g) Temperamento, aprendizagem, contato precoce e Dependência de Substâncias


Psicoativas;

h) Não há evidências de padrão de dependência fisiológica com os Benzodiazepínicos.

Comentário: Gabarito: A(?) e E. Em a): “Existem inúmeros fatores genéticos, fisiológicos,


ambientais e sociais que fazem com que o uso inicial (voluntário) se transforme em uma
doença/ dependência1.” “Há ampla evidência epidemiol6gica e experimental de que a
suscetibilidade ao vício é influenciada pela genética e que a contribuicão genética é determinada
por múltiplos genes e modulada por influências ambientais (Kreek et al., 2005; Nader e
Czory,2005; Velleman et al., 2005)3”. Porém, no resumo do que foi dito em aula4: “estudos não
mostram conclusões definitivas, onde, no que, e como essa genética se expressaria”, mesmo
assim, não nega a existência dessa relação, e pelo contrário, ao não saber o funcionamento
exato, afirma essa correlação com a genética.
Em c): “Um transtorno importante, porém negligenciado, em caso de comorbidade com
JP (jogo patológico) é o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) 1.” Portanto,
correta.

REFERÊNCIAS

1. Clínica Psiquiátrica – USP.


2. Slides de aula.
3. DSM V
4. Resumo Mariana XLIV – o que foi dito em aula.