Você está na página 1de 186

OBSERVATÓRIO DA

HISTÓRIA
HISTÓRIA DO RN
•PROFESSOR: JÚLIO CÉSAR – Observatório da
História/Vírus Cursinho/Medicursos.

•Licenciado e Bacharel em
História pela UFRN/2001.
•Curso de Formação de
Oficiais da PM/RN 1º Ten
PM-2008
•Graduando em direito pela
UNP.
GEOGRAFIA DO RN
PROFESSOR: Hafsanjan Blackstone (Bajan)– Medicursos

•Licenciado em Geografia pela UERN 2012.


•Graduando em Direito pela UERN
A PRESENÇA DO HOMEM NO
CONTINENTE AMERICANO
Correntes Migratórias – Admite-se Quatro grandes correntes
migratórias para a América -
A asiática – Populações vindas da Ásia atravessaram o estreito
de Bering, ocupando a América do Norte;
A australiana: A população vindas do Pólo sul atingiram a
Patagônia, região sul do nosso continente;
A malaio-polinésia - Populações originárias das ilhas da
Polinésia teriam aproveitado a corrente marítima do Peru e
navegado até nosso continente;
A esquimó: populações vindas do pólo norte para a América
do Norte.
Mapa das Correntes Migratórias – Teoria de Paul
Rivet.
REGISTROS DA PRESENÇA DOS HOMENS PRÉ -
HISTÓRICOS NO RN.

•Sítio Mangueira em Macaíba;


•Tradições Cerâmicas de Papeba, Curimataú;
• Pinturas rupestres nas fazendas Umburana região do
Abernal , Município de Serra Negra/RN e os painéis de
pinturas rupestres (Fazenda Soledade, Apodí-RN).
Vestígios da presença humana no Sítio Flores – Apodi
- Lajedo Soledade
Sedimentares

Ocupam o Norte do estado

Formadas no Mesozóico e no
Cenozóico.

Destacam-se as formações:

Barreiras
Grupo Apodi
Serra de Martins
Calcário Jandaíra
Bacia Potiguar
Formação Geologica da Região

Calcário Jandaíra

> Rocha de boa porosidade

> Foi a Base de pesquisa para a


Descoberta de Petróleo

> Utilizado bastante na Industria de Cimento

> Inserção do Turismo?????


Índios do RN

Litoral: Potiguares;
Interior: Tapuias
Seridó: Arius, Cariris, Panatis, Curemas,Pebas e Caicós;
Chapada do Apodi: Paicus, Pajeús, Pegos, Janduis, Moxoiós e
Canindés;
Zona Serrana: pacajus, panatis, icós e parins.
EXPANSÃO EUROPÉIA PELA
VIA MARÍTIMA
•1.1 FATORES QUE LEVARAM PORTUGAL A SER A PIONEIRA NO
PROCESSO DE EXPANSÃO MARITIMA:
•PRIMEIRA NAÇÃO A CENTRALIZAR O PODER D. JOÃO I ATRAVÉS
DA CRIAÇÃO DE UMA DINASTIA COMERCIAL (AVIS);
•ESTRATÉGICA POSIÇÃO GEOGRÁFICA FAVORÁVEL LOCALIZADA
NA PENINSULA IBÉRICA;
• BUSCA DE UMA NOVA ROTA COMERCIAL MARÍTIMA PARA
CONSEGUIR OS PRODUTOS DO ORIENTE A UM PREÇO MAIS
BAIXO SEM INTERMEDIÁRIOS.;
•BURGUESIA QUE TINHA INTERESSES EM FINANCIAR AS
VIAGENS;
•EXPERIÊNCIA NA NAVEGAÇÃO PRINCIPALMENTE NA PESCAS DE
BACALHAU;
1.2.NOVAS ROTAS MARÍTIMAS COMERCIAIS

•COLOMBO – NAVEGANDO PARA O OCIDENTE CHEGAR-SE-IA AO


ORIENTE (ROTA ADOTADA PELA ESPANHA).
•PERIPLO AFRICANO – CONTORNANDO AS COSTAS AFRICANAS
CHEGAR AS INDIAS. (ROTA ADOTADA PELOS PORTUGUESES).

MARCO INICIAL – TOMADA DE CEUTA (1415) NAS COSTAS DO


MARROCOS.
•CONQUISTA DAS ILHAS ATLÂNTICAS DE AÇORES, MADEIRA E
CABO VERDE (1425-1527);
•BARTOLOMEU DIAS CONSEGUIU TRANSPOR O CABO DA BOA
ESPERANÇA(1488);
•VASCO DA GAMA – CHEGA A CALICULE NA INDIA (1498);
•PEDRO ALVARES CABRAL CHEGA AO BRASIL (1500).
ROTA MARITIMA ADOTADA POR
CRISTOVÃO COLOMBO (1492)
Périplo Africano
QUESTÃO PARA CONCURSO
“Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.”
•Fernando Pessoa Pessoa, F. Mensagem. Poema X Mar Português.
Edições Ática: Lisboa. 1959.
1- O poema supracitado retrata :
A) O descobrimento do Brasil por Pedro Alvares Cabral;
B) A Viagem que levou Colombo de forma acidental a chegar em
um novo continente;
C) As investidas dos povos conquistadores a tribos nas costas
africanas;
D) As viagens marítimas portuguesas que conseguiram encontrar
uma nova rota marítima para chegar ao Oriente(Indias), com o
custo de várias vidas ceifadas durante a trajetória realizada nas
costas da África.
2. PERIODO PRÉ-
COLONIAL(1500-1530)
•CARACTERÍSTICA: RELATIVO ABANDONO DO BRASIL POR
PORTUGAL.
•ECONOMIA: PAU-BRASIL.
•ESTANCO: MONOPÓLIO CONCEDIDO A UM PARTICULAR PARA
EXPLORAR UM PRODUTO DE FORMA LEGAL.
•ESCAMBO: TROCA DE MERCADORIAS POR TRABALHO. NO RN A
MÃO-DE-OBRA UTILIZADA PELOS FRANCESES FOI A DOS INDIOS
POTIGUARES.
•O ARMAZENAMENTO DA CARGA DE PAU-BRASIL ERA FEITO NAS
FEITORIAS.
•O INTERESSE MAIOR DE PORTUGAL SE MANTINHA NO
COMERCIO COM AS ÍNDIAS (BUSCA DE ESPECIARIAS).
EXPEDIÇÕES EXPLORADORAS E GUARDA-COSTAS NO RIO
GRANDE.
- Gaspar de Lemos (1501) – Exploradora e Guarda Costa -Marco
de Touros – representa a posse da terra.
-Gonçalo Coelho (1503)
Objetivavam: expulsar os franceses do litoral brasileiro e fazer o
reconhecimento da terra
MARCO DE TOUROS – 07 de
agosto de 1501
PERIODO COLONIAL (1530-
1822) NO RN
•A DECADÊNCIA DO COMÉRCIO COM AS INDIAS E O MEDO DE
PERDER AS TERRAS PARA OUTRAS NAÇÕES EUROPÉIAS.
• FEZ COM QUE PORTUGAL INICIASSE A IDEIA DE COLONIZAR AS
TERRAS BRASILEIRAS.
•EM 1532 – MARTIM AFONSO DE SOUSA EM EXPEDIÇÃO
COLONIZADORA – VISAVA COLONIZAR A TERRA, EXPLORAR
ECONOMICAMENTE, DEFENDER E ORGANIZAR A
ADMINISTRACÃO.

•CAPITANIAS HEREDITÁRIAS: PRIMEIRA DIVISÃO POLITICA


ADMINISTRATIVA DO BRASIL.
•ERAM 15 CAPITANIAS DOADAS A DOZE DONATÁRIOS;
•EXISTIAM DOIS DOCUMENTOS QUE REGULAMENTAVAM AS
RELAÇÕES ENTRE COLONO E O REI – CARTA DE DOAÇÃO E FORAL.
CAPITANIAS HEREDITÁRIAS
Donatários do RN

•João de Barros e Aires da Cunha -1535 -1ª expedição - com


novecentos homens frustrada devido a um naufragio na região
do Maranhão.
•João e jerônimo de Barros -1555- 2ª expedição- fracassou devido
a resistência dos índios potiguares que se aliaram aos franceses.
• LIMITES DA CAPITANIA : 100 léguas de desde da baia da Traição
até o rio Jaguaribe, incluí-a parte dos estados da Paraíba e do
Ceará.
•Nome da capitania ligada ao rio Potengi- teve outros nomes rio
dos tapuios, rio Potengi e finalmente rio grande.
Economia: agricultura de subsistência, pau-brasil, cana de açúcar
restrita a região de Cunhau, Uruaçu, ferreiro Torto e Guairas,
pescado e pecuária.
Sociedade: aborígenes servindo como escravos, homens livres
não proprietários, negros escravos.
Colonização do Rio Grande
•União das Coroas Ibéricas (1580-1640) – Portugal passa ao domínio da
Espanha por motivos da crise sucessória do trono português, tendo em
vista a morte repentina de D. Sebastião (1578) e de seu sucessor, o
cardeal D. Henrique - assumiu Felipe II rei da Espanha.
•Juramento de Tomar – comprometimento de Felipe II em respeitar a
autonomia administrativa, as leis e o comércio portugueses.
•O Governador D. Francisco de Sousa deu ordens a Mascarenhas
Homem (por mar), capitão Mor de Pernambuco e a Feliciano Coelho,
capitão-Mor da Paraíba para que auxiliados por Jerônimo de
Albuquerque (por terra) colonizassem o Rio Grande.
•Primeiramente constrói-se um fortim de madeira.
• Construção da Fortaleza dos Reis Magos – 06 de janeiro de 1598 – Pe.
Gaspar de Samperes (influência Renascentista).
•A Pacificação dos indígenas só foi possível graças a intervenção de
catequese dos padres Gaspar de Samperes e Francisco Pinto e de
Jerônimo de Albuquerque.
•Construção da Primeira Igreja (antiga catedral de Natal) e demarcação
para a nova cidade (4ª cidade fundada no Brasil).
A fixação no Território

As atividades Econômicas foram


importantes na fixação no Território

A Cana-de-açúcar no Litoral

A pecuária no Interior – Depois da


Guerra contra os Indígenas.
Clima e suas Influências

O Rio Grande do Norte é


dominado basicamente pelos
climas:

Tropical Litorâneo
 Recebe a Influência da MTA
 Clima Tropical ùmido
 Possibilita a cultura Canavieira

Tropical Semiárido
 Fica na parte central do RN
 Ocorre em virtude das
Barreiras do Relevo
 Foi utilizado a criação de gado
Vegetação

Pelos tipos climáticos temos


basicamente duas vegetações:

Mata Atlântica – Litoral Leste


Caatinga – Interior

Existem matas de transição

Vegetações extras
Felipe II
Felipe II e seu Império
Fundação da cidade de Natal
•Mascarenhas Homem – Principio Hierárquico;
•Jerônimo de Albuquerque – Responsável pela pacificação dos
índios,
•João Rodrigues Colaço – Capitão-Mor, responsável pela politica
de concessão de sesmarias, povoamento e desenvolvimento
econômico da capitania.
Fortaleza dos Reis Magos
Igreja de Nossa Senhora da
Apresentação – Natal/RN
Praça André de Albuquerque
Limites da cidade de Natal
•Junqueira Aires
Santa Cruz da Bica –limite Sul
Dominio Holandês no Rio
Grande (1633-1654)
•Com a União das Coroas Ibéricas ocorre a proibição dos colonos
portugueses, que dominavam as áreas açucareiras de continuarem a ter
relações com os holandeses, tendo em vista os batavos serem inimigos
da Espanha.
•A Companhia das Índias Ocidentais – promove a invasão holandesa no
Brasil – Guerra contra a Espanha com intuito econômico e religioso.
•Invasão na Bahia fracassada (1624).
•A Holanda fazia o transporte, refino e comercialização do açúcar
mantendo boas relações com Portugal.
•Economia na colônia: Açucareira (plantation)
•Mão-de-obra: escrava.
•Sociedade: patriarcal dominada pelo senhor de engenho e também
constituida por mulheres e homens livres, escravos e indios.
•Importância do do Rio Grande: estratégica e de fornecimento de gado.
Nossa Senhora das Candeias-
Cunhau
•05 DE DEZEMBRO DE 1633 – A tomada do Rio Grande pelos
flamengos foi liderada por Mathiijs van keulen, delegado e
diretor e outros oficiais que decidiram desembarcar parte do
efetivo em Ponta Negra e a outra forçando a barra do Rio
Potengi.
•Após três dias de combates contrariando as ordens de Pero
Mendes de Gouveia que dispunha de 85 homens os portugueses
se renderam.
•A fortaleza passou a ser chamada de Castelo de Keulen e Natal
de Nova Amsterdã. O poder local ficou subordinado a Câmara
dos Escabinos – composta pou um funcionário holandês – o
esculeto e por dois funcionários luso-brasileiros – era responsável
pela justiça, administração, fazenda e segurança da capitania.
•Consequência da invasão holandesa no Rio Grande: Violência,
destruição e terror.
•Jacob Rabe, judeu alemão juntamente com os índios janduis
promoveram massacres nos engenhos de Cunhau, Uruaçu e
Ferreiro Torto ( em decorrência da Insurreição Pernambucana)
Santuário dos Mártires de Uruaçu
– São Gonçalo do Amarante/RN
Guerra dos Bárbaros
•- Movimento de resistência indígena contra a dominação
portuguesa.
•“Guerras Justas” – captura do indígena que representa uma
ameaça.
•Ataques as Missões de Aldeamento.
•Ciclo da preação do indígena – bandeirantes – sertanismo de
contrato - bandeirantes
•Ligado a expansão da pecuária.
•A importância de Bernado Vieira de Melo Capitão Mor do Rio
Grande – pacificação do conflito entre brancos e índios.
A REVOLUÇÃO DE 1817
PACTO COLONIAL – A METRÓPOLE DETÉM O MONOPÓLIO DE COMÉRCIO COM
A COLÔNIA.

BLOQUEIO CONTINENTAL – Impedir o acesso a portos dos países dominados


pelo Império Francês a navios do Reino Unido (Grâ- Bretanha e Irlanda,
objetivando sufocar suas relações comerciais.
Portugal desrespeita o Bloqueio Continental, continua a manter relações com a
Inglaterra.
Napoleão determina a invasão a Portugal.
A Família Real foge para o Brasil.
A Abertura dos Portos 1810.
O Brasil e elevado a condição de Reino Unido de Portugal em 1815.
Revolução de 1817 – Os revoltosos queriam proclamar a República e acabar
com o sistema de governo existente.
Causas: -
•Os gastos da Corte no Rio de janeiro;
•Rivalidade entre portugueses e brasileiros;
•Influência da independência dos Estados Unidos;
•Influência da Revolução Francesa;
•Exemplo dos movimentos de independência na América Espanhola.
Bloqueio Continental - 1806
Revolução de 1817 no RN –
Revolta dos Padres
•Aspectos:
•A) Elitista
•B) Separatista
•C)Republicano
•Observação: Movimento feito por comerciantes, proprietários
de terras, intelectuais (maçonaria) e o clero (Frei Caneca) Pe.
Miguelinho (Manoel de Almeida Castro).
•Adesão: Paraiba,Pernambuco, Ceará, Alagoas e rio Grande do
Norte.
•Presença maciça de portugueses na liderança do governo e na
administração pública;
•Criação de novos impostos por Dom João VI provocando a insatisfação da
população pernambucana. Segundo escritor inglês então residente no
Recife, era grande a insatisfação local ante a obrigatoriedade de se pagarem
impostos para a manutenção da iluminação pública do Rio de Janeiro,
enquanto no Recife era praticamente inexistente a dita iluminação;
•Grande seca que havia atingido a região em 1816 acentuando a fome e a
miséria e ocasionando uma queda na produção do açúcar e do algodão,
produtos que eram a base da economia de Pernambuco e que começaram
a sofrer concorrência do algodão nos Estados Unidos e do açúcar
na Jamaica;
•Influências externas com a divulgação das ideias liberais e iluministas, que
estimularam as camadas populares de Pernambuco na organização do
movimento de 1817;
•A crescente pressão dos abolicionistas da Europa que vinha criando
restrições gradativas ao tráfico de escravos, mão de obra que se tornava
cada vez mais cara e que era o motor de toda a economia agrária
pernambucana;[6]
•O movimento queria a Independência de Pernambuco sob um regime
republicano.
Obelisco praça André e
Albuquerque - Centenário
André de Albuquerque
Maranhão – Liderança
O pelourinho – Símbolo da autonomia
e Jurisdição municipal.

Luís da Câmara Cascudo disse:


“ Símbolo da autonomia e
jurisdição municipal, atesta a
presença da justiça
permanente e os direitos da
população governar-se por
intermédio de seus eleitos”.
O RN e a Independência do
Brasil.
•Papel adesionista: O RN só ficou sabendo no dia 02 de
dezembro de 1822.
•Características da época: economia voltada para a agropecuária.
•Politica: domínio dos Albuquerque Maranhão.
•Sociedade: pouca população urbana (natal tinha 800
habitantes).
•I Reinado – O Imperador D. Pedro I – Dissolve a Assembleia
Constituinte e cria a Primeira Constituição do Brasil (1824) –
Outorgada (imposta).
• O RN participa da Confederação do Equador (1824) juntamente
com o Ceará, Pernambuco, Paraíba e Alagoas.
•Presença do Frei Caneca no Seridó (Caicó) recebido pelo padre
Francisco de Brito Guerra antes de fugir para o Ceará.
A Confederação do Equador
Definição dos Limites Reais do Estado

Tratado de Madri Uti


Possidetis e limites territoriais
(Alexandre Gusmão)
1824 Primeira Constituição
Brasileira define as províncias
brasileiras entre elas a do RN
1917 Litígio Entre o CE e RN
pela disputa de Grossos e
Tibau.
Litígio Atual CE e RN pela
disputa do Lageiro do
Pacheco
Coordenadas e Extremos

Norte: Tibau
04° 49’ 54 S
Leste: Baia Formosa
38° 35’ 12’’ W
Sul: Equador
06° 58’ 52’’ S
Oeste: Venha Ver
34° 58’ 03’’ W
Pontos Extremos do RN

Leste – Oeste (403 km)


Norte –Sul (223 km)
II REINADO – 1840-1889
•Com o golpe da maioridade Pedro II assume o reinado no Brasil
após um período de crise e revoltas durante o Período regencial
(1831-1840).
•1. Aspectos econômicos do Império
•1.1. Gado(fragilidade da pecuária bovina devido a seca) – cana
de açúcar embora tenha havido um aumento considerável de
engenhos( 159) logo foi suplantado pelo algodão Mocó,
inovações tecnológicas e a Guerra de Secessão – sal em Mossoró.
•1.2. comércio voltado para exportação
•Fabricio Gomes Pedrosa – criou firma para aproveitar o boom do
algodão( Casas de Guarapes).
•1.3. Manufatura textil
Casa de Guarapes - Macaíba
Algodão

Fibra natural tirada de um planta


nativa da África e da América

Tem grande importância após a


revolução Industrial na Inglaterra

No RN se tornou o principal produto


depois de 1780
Algodão

Teve 3 surtos:

Final do século XVIII com a revolução


industrial

1860 – guerra de secessão do EUA

Final do século XIX com as primeiras


fábricas brasileiras
Movimentos Sociais no RN
durante o II Império.
•Aparecimento de revoltas populares expressas no banditismo,
na revolta do quebra-quilo e motim das mulheres.
•Abolição da escravidão em Mossoró (30 de setembro de 1883) –
Concessão de cartas de Alforria e não a “derrogação”, pois a
mesma só cabe ao Estado.
•“ A Libertadora Mossoroense”-
•Fatores que levaram Mossoró a ser a segunda cidade a libertar
seus escravos:
•a) secas
•b) comércio
•- A figura de Segundo Wanderley no abolicionismo do RN.
•Em 6 de janeiro de 1883 foi criada, em Mossoró, a Sociedade
Libertadora Mossoroense, cujo objetivo era lutar pela libertação. De
acordo com os historiadores, a ideia é atribuída à Frederico Antônio
de Carvalho, da Loja Maçônica de 24 de junho. A presidência
provisória da entidade ficou ao encargo de Raimundo Lopes Galvão,
que logo ganhou adesão de personalidades ilustres da sociedade
mossoroense, naquela época, dando força ao movimento.
•A diretoria definitiva fica formada por: Joaquim Bezerra da Costa
Mendes, como presidente; Romualdo Lopes Galvão, como vice-
presidente; Frederico de Carvalho, primeiro secretário; Dr. Paulo
Leitão Loureiro de Albuquerque, que exercia a função de orador.
•A Sociedade Libertadora Mossoroense tinha um código legal, criado
com um único artigo, sem parágrafos. A norma dizia o seguinte:
"todos os meios são lícitos a fim de que Mossoró liberte os seus
escravos", deixando claro quais eram os objetivos daquela entidade.
•Nessa época, ainda de acordo com os levantamentos históricos, a
cidade de Mossoró contava apenas com 86 escravos. Em 10 de
junho, 40 deles foram alforriados.
•A idéia logo tomara conta de toda a população, que aos poucos foi aderindo ao
movimento e, sem muita resistência, foi liberando seus escravos. Muitos
mossoroenses não fizeram nem questão de receber as indenizações que foram
oferecidas pelo governo na época, fruto do espírito libertador que havia tomado
de conta dos mossoroenses, que hoje se mantém.

•O dia 30 de setembro de 1883 foi a data designada para a liberação total dos
escravos; e o objetivo foi alcançado. No dia 29 de setembro, o Presidente da
Libertadora Mossoroense dirige a Câmara Municipal de Mossoró um ofício, agora
transcrito na íntegra:

•Ilustríssimos Senhores Presidente e Vereadores da Câmara Municipal.

•A Sociedade Libertadora Mossoroense, por seu Presidente abaixo assinado, tem a


honra de participar a V. Sªs que, amanhã, 30 de setembro, pela volta do meio-dia,
terá lugar a proclamação solene de Liberdade em Mossoró. E, pois, cumpre-me o
grato dever de convidar V. Sªs e seus respectivos colegas, representantes do
Município, para que se dignem de tomar parte nessa festa patriótica que marcará
o dia mais augusto da cidade e do município de Mossoró.
“A Sociedade Libertadora Mossoroense, por seu Presidente
abaixo assinado, tem a honra de participar a V. Sªs que,
amanhã, 30 de setembro, pela volta do meio-dia, terá lugar a
proclamação solene de Liberdade em Mossoró. E, pois,
cumpre-me o grato dever de convidar V. Sªs e seus
respectivos colegas, representantes do Município, para que
se dignem de tomar parte nessa festa patriótica que marcará
o dia mais augusto da cidade e do município de Mossoró”.
Revolta do Quebra quilos –
pesos e medidas.
Motim das Mulheres
FANÁTICOS DA SERRA DE JOÃO DO VALE -1894

Tema do artigo: os fanáticos da Serra de João do Vale. Mais tarde, Tarcísio


Medeiros abordou o assunto em seu livro "Aspectos Geográficos e Antropológicos
da História do Rio Grande do Norte".
É, portanto, uma história pouco conhecida.
O local em que tudo aconteceu foi a Serra de João do Vale, que fica no município
de Augusto Severo. Possui tal denominação porque herdou o nome do seu
primitivo proprietário, João do Vale Bezerra.
Joaquim Ramalho do Nascimento, que seria um dos chefes dos fanáticos, nasceu
no sítio "Cajueiro", em 1862, filho de Manuel Ramalho do Nascimento e de dona
Isabel Maria da Conceição.
Luís da Câmara Cascudo traçou o perfil de Joaquim Ramalho, com as seguintes
palavras: "Gordo, lento, apático, amarelo, foi menino sujeito às cismas, meditações
longas, olhar parado, acompanhando um pensamento misterioso. Com poucos
anos, afirma-se a tendência mística, nas orações sem fim, passos tirmoados,
braços para o firmamento, rezando missas, impondo penitências".
Joaquim Ramalho cresceu e, adulto, se casou, passando a morar na Vila do
Triunfo. Continuou, entretanto, com o mesmo comportamento estranho, rezando
sempre.
No final de 1894, morreu o vigário de Triunfo, padre Manuel Bezerra Cavalcante,
com oitenta anos, sendo chorado por toda a comunidade.
No ano de 1898, Joaquim Ramalho teve um ataque, assim descrito por
Câmara Cascudo: "Bruscamente parou, nauseante, gorgulhando vômitos e caiu de
bruços, pesadamente". Durante a crise, começou a cantar. Quando recobrou os
sentidos, não se lembrava de nada. O fenômeno se repetiu nas outras tardes
seguintes. A notícia se espalhou rapidamente, crescendo o número de curiosos,
todos querendo assistir à cena. Estava nascendo mais um líder místico no sertão
nordestino. Como Joaquim Ramalho tinha lido Allan Kardec, acreditou que estava
sendo possuído pelo espírito do velho vigário. Dentro em breve, segundo o beato, o
espírito de outro sacerdote passou a se encarnar nele: padre Manuel Fernandes,
vigário de Macau.
À medida que o arraial crescia, tudo se desorganizava nos arredores. As
pessoas abandonavam o trabalho para seguir o beato, ao mesmo tempo em que
aumentava a devassidão.
Um mestiço, de nome Sabino José de Oliveira, de acólito de Joaquim Ramalho
subiu de categoria quando recebeu o espírito de um padre italiano, chamado Brito
de Maria da Conceição.
Nessa altura dos acontecimentos, "a moral desceu à quota zero" na palavras de
Câmara Cascudo.
Nessa altura dos acontecimentos, "a moral desceu à quota zero" na
palavras de Câmara Cascudo.
Começaram, então, a surgir reclamações. O coronel Luiz Pereira Tito Jácome
denunciou o movimento ao governador do Estado, desembargador Joaquim
Ferreira Chaves que, recebendo várias queixas, nomeou o tenente do Batalhão de
Segurança, Francisco Justino de Oliveira Cascudo, para acabar com a festa.
Os dois místicos foram presos em "Pitombeira". Não houve nenhuma
reação. Joaquim Ramalho disse apenas que "Deus foi preso, quando mais eu...".
Sabino caiu no chão, como se estivesse sendo possuído por um espírito. O tenente,
inteligente, percebeu a "farsa", e bateu nele com a espada. Sabino se ergueu
rápido, dizendo: "Pronto seu tenente, o espírito já saiu, Voou na ponta da espada...
"Joaquim e Sabino foram presos e levados para a cadeia de Triunfo.
E desmoralizados perante seus adeptos, por causa das declarações que eles
prestaram à polícia. O processo policial, contudo, não deu em nada. Os dois beatos
foram colocados em liberdade.
Joaquim Ramalho, ao sair da prisão, voltou a trabalhar na agricultura.
Morreu no seu sítio "Malhada Redonda", com idade avançada, picado por uma
cascavel. Nunca mais recebeu "espírito"... O outro não se sabe como terminou.
Uma coisa é certa: ficou totalmente curado...
BANDITISMO NO RN – JESUÍNO BRILHANTE (1871).

Jesuíno Alves de Melo Calado (Patu, 1844 - Brejo do Cruz, dezembro de 1879) foi
um cangaceiro nordestino. É considerado um dos precursores do cangaço no
nordeste brasileiro[1].
Também chamado de "Jesuíno Brilhante" ou "O Cangaceiro Romântico", nasceu de uma
família aristocracia rural sertaneja, no sítio Tuiuiú, região da cidade de Patu, e virou bandoleiro
em 1871 pelo fato de seu irmão ter apanhado no meio da rua de sua cidade natal e pelo roubo
de uma cabra que lhe pertencia[2].
Diferente da filosofia dos cangaceiros do século XX, que roubavam e pilhavam, Jesuíno
Brilhante foi considerado um cangaceiro gentil-homem, um tipo de Robin Hood, pois adorava e
era adorado pela população pobre e sempre os ajudavam em questões financeiras e sociais,
como subtrair dos coronéis o que era dos nordestinos, quando saqueava os comboios de
alimentos que eram enviados pelo governo, para as vítimas das secas, mas que ficavam nas
mãos dos poderosos e nunca chegavam à população. Além disto, também era defensor dos
fracos, das crianças agredidas, dos velhos e das moças ultrajadas. Entre 1871 e 1879, o
cangaceiro romântico implantou um “Estado Paralelo” nos sertões brasileiros[3][4].
O desfecho final de Jesuíno de Melo Calado foi numa emboscada na região das Águas do
Riacho de Porcos, na cidade de Brejos do Cruz, na Paraíba, quando levou dois tiros e morreu
pouco depois no local denominado de "Palha".
República (1889...)
•Lider do movimento: Pedro Velho de Albuquerque Maranhão
fundador do Partido – 1º Governador do Estado – inaugura o
sistema oligárquico no Estado.
•O Jornal a República.
•Augusto Severo
•Alberto Maranhão
1º Governo Alberto
Maranhão
•Conhecido como o Mecenas Potiguar – pela prática de
investimentos no ramo artístico e literário.
• – Aprovação da Lei nº 145 de 6 de agosto de 1900 premiação a
filhos da terra, domiciliados no Estado que produzissem obras
científicas e literárias;

•Conclui as obras do teatro Carlos Gomes.


•Marcado pelo contiuismo do nepotismo, clientelismo,
coronelismo e empreguismo.
•A Morte de Augusto Severo – Seu irmão morre quando fazia
sobrevoava Paris no abordo do Dirigível Pax.
•Ocorre a Questão de Grossos – Disputa da região de Grossos por
Ceará e Rio Grande do Norte (sal).
Governo Alberto Maranhão -
A Questão de Grossos
•Questão envolvendo o Rio Grande do Norte e o Ceará, que
disputavam o mercado da carne de charque e o sal produzido em
Grossos era de extrema importância para a produção do
produto.
•Graças a defesa feita por Rui Barbosa depois de três acórdãos
deu causa ganha ao RN.
•A Importância de Tavares de Lyra –publicou dois estudos
reunidos em dois volumes, que forneceram subsídios a defesa
feita por Rui Barbosa.
2º Governo Alberto
Maranhão
•2 º Governo Alberto Maranhão: surpreende pelo dinamismo , sendo
considerado como o melhor governo da República Velha, porém existe pontos
negativos, pois o mesmo procurou imortalizar os membros de sua família
apondo seus nomes em municípios, praças públicas e repartições e favoreceu
amigos e correligionários monopolizando importantes setores da economia. 1º
Governo Alberto Maranhão ( O Mecenas Potiguar) – Aprovação da Lei nº 145 de
6 de agosto de 1900 premiação a filhos da terra, domiciliados no Estado que
produzissem obras científicas e literárias;
•Inauguação do Teatro Carlos Gomes ( Teatro Alberto Maranhão), Derby Club,
construção da Casa de Detenção,implantou a luz elétrica em Natal. Bondes
elétricos.

•A Campanha de José da Penha (1913) –


•contra a oligarquia Maranhão ;
•Campanha popular e violenta;
•Apoiava o filho de Hermes da Fonseca, Leônidas hermes que nunca veio ao RN.
Teatro Carlos Gomes (Teatro
Alberto Maranhão)
Hospital Juvino Barreto (Hoje
Onofre Lopes)
Antiga Casa de detenção
(hoje centro de turismo)
A Morte de Augusto Severo –
Dirigível Pax
José Augusto Bezerra de
Medeiros – Algodão e
Pecuária
Em 1920 o eixo econômico
muda do litoral (açúcar e sal)
para o interior ( pecuária e
algodão) aparecendo a
oligarquia Bezerra de
Medeiros – fundada por José
Augusto bezerra de Medeiros
–Seridó, sendo interrompida
pelo governo de Juvenal
Lamartine devido a Revolução
de 1930.
A passagem da Coluna
Prestes pelo Estado do RN
•Movimentos tenentistas – “ 18 do forte de Copacabana (1922)”,
A rebelião gaúcha de 1923 e a paulista de 1924 –
•Objetivo : derrubar poder contra o poder das oligarquias e lutar
contra relação ao processo eleitoral vigente que era
fraudaulento.
•A luta contra a Coluna Prestes se deu no Oeste potiguar fugindo
os revoltosos pela cidade de Luís Gomes chegando a Paraíba.

A Coluna Prestes
Imagens – Coluna Prestes
Principais governadores da
oligarquia Bezerra de
Medeiros
•José Augusto –
•Marcado pela passagem da Coluna prestes;
•Combate ao cangaço.
•Juvenal Lamartine –
•Voto Feminino;
•A Revolução de 1930.
Alzira Soriano
Alzira Soriano – 1ª prefeita
eleita Lages/RN
Cangaço e Misticismo no RN
•Lampião deixa Rastro de Destruição no RN
•Seu bando penetrou em Luis Gomes no RN , objetivando atacar
Mossoró, em seu caminho, deixou um rastro de destruição
sequestrou pessoas para pedir resgate, transformou fazendas em
ruinas.
•Uma parte do bando tentou atacar Apodi, mas foi rechaçado
pelas forças policias e civis comandadas pelo tenente Juventino
Cabral.
•Obteve Exito em Governador Dix-Sept Rosado, que praticamente
estava sem ninguém praticou diversos atos de vandalismo.
•Resistência comandada pelo prefeito Rodolfo Fernandes,
Tenente Laurentino que na época só contava com 22 soldados.
Objetivos de Lampião em
Mossoró
•Saquear o Banco do Brasil, a Indústria o comércio e as
residências, ou então receber 400 a 500 contos de réis uma
quantia expressiva na época.
•A resistência em prédios, igrejas, estação e trincheiras fez
Lampião
Ultimato de Lampião a
Mossoró
Ultimato de Lampião a
Mossoró
Prefeito Rodolfo Fernandes
Coronel Gurgel
Bandidos

LAMPIÃO MASSILOM JARARACA


Imagens de Mossoró a época
da invasão.
Apetrechos do cangaço
População armada para
resistir
Mulheres no cangaço
azulão e Enedina-
dadá e sabonete

Maria Bonita

inacinha Durvinha e os cabras


Jararaca ferido e preso

Jararaca preso ao lado do Sd João Cb pastel prendeu Jararaca.


Batista e Sd João Arcanjo.
A Morte de Jararaca
Narração da morte de
Jararaca
• Uma boca-de-noite, noite de lua, o Jararaca, algemado, foi
conduzido da cadeia pro cemitério. Chegando lá rodeado de
soldados, mostraram-lhe uma cova, aberta lá num canto, quase
fora do “sagrado” e lhe perguntaram se ele sabia pra que era
aquilo… Foi quando o Jararaca falou, frocado e destemido:
•– Saber de certeza não sei, não, mas porém estou calculando…
Não é pra mim? Agora, isso só se faz porque eu me vejo nestas
cerconstança, com as mãos inquirida e desarmado! Um gosto eu
não deixo pra vocês: é se gabarem de que eu pedi que não me
matassem. Matem! Que matam mas é um home! Fiquem
sabendo que vocês vão matar o home mais valente que já pisou
neste…
•Mas, não teve tempo de acabar de dizer o que queria. Por trás
dele, um soldado, naturalmente de combinação com os outros,
deu-lhe um tiro de revólver na cabeça. A bala pegou bem no
Túmulo de jararaca
A Coluna Capitolina
Celina Guimarães a primeira
eleitora da América Latina
Revolução de 1930 no RN
•A Revolução de 1930( golpe) é considerada o ultimo movimento
tenentista –
•Aliança Liberal - Movimento liderado pelos estados da paraíba,
Minas Gerais e Rio Grande do Sul, não permitiram a posse do
recém presidente eleito Júlio Prestes colocando Vargas no poder.
•Fim da Política do “café-com-leite” – alternância da presidência
entre paulistas e mineiros.
•No RN o maior representante do golpe foi Juarez Távora
conhecido como vice-rei do Nordeste, que indicava os
interventores.
•Interventor – governador nomeado pelo presidente da
república.
•O interventor de maior destaque foi Rafael Fernandes
Juarez Távora
Politica do café-com-Leite
Sucessão da politica do café-
com-leite

Antônio Carlos de
Washington Luiz Júlio Prestes
Andrada
Getúlio Vargas e João Pessoa
Chapa da Aliança Liberal

João Pessoa Getúlio Vargas


Homenagem a João Pessoa
Café Filho -Sindicalismo
Pelego
Líder sindical - atuava junto
a presidência da república
legalizando sindicatos
autorizados pelo governo
para atuarem numa
tentativa de controlar o
movimento operário.

Único norte rio grandense a ocupar a Presidência


da República (1954-1955).
A Intentona Comunista
(1935)
Na época existiam dois grandes grupos políticos-ideológicos:
AIB (Acão Integralista Brasileira) – de cunho nacionalista e
conservadora.
ANL (Aliança Nacional Libertadora) – Socialista e ligada a União
Soviética, planejavam uma revolução no Brasil –PCB que estava
na clandestinidade.
Em Natal o movimento chegou a tomar o poder por três dias.
Revolta do 21º BC. (Hoje colégio Wisnton Churchill)
Quintino Clementino, Eliziel Henrique Diniz(Sargentos), João
Francisco Gregório(estivador).
Capitais que participaram da intentona: Rio de janeiro, Recife e
Natal.
A Guerrilha do Vale do Açu - Manoel Torquato - e o Sindicato do
Garrancho (movimento sindicalista das salinas) – procurava
mostrar os direitos dos trabalhadores e difundir o ideal
Imagens da época da
Intentona Comunista
Metralhadora colocada em
frente ao 21º BC Natal/RN
Sindicato do Garrancho
Mossoró RN
Luiz da Câmara Cascudo -
Integralista
ANAUÊ – “você e meu irmão”
RN na Segunda Guerra
Mundial
•O Brasil entra na guerra ao lado dos aliados: França, Rússia,
Inglaterra e Estados Unidos (1942), quando foram afundados
navios brasileiros.

•Ponto Estratégico: Natal- Dakar( África) – Europa

•Na Conferência de Natal ou do Potengi em


janeiro (1943), em que participaram os
presidentes Roosevelt (EUA) e Getúlio Vargas
ficou definida a entrada do Brasil na 2ª
Guerra Mundial com o envio de tropas
brasileiras.
A Conferência de Natal ou
Potengi janeiro de 1943
Rosevelt e Getúlio desfilam
pelas ruas de Natal/1943
Impacto da presença norte-
americana
•Natal duplicou sua população que antes era em torno de 50 mil
habitantes.
•Enfrentou problemas de abastecimento.
•Hábitos foram adquiridos ( chupar chiclete, tomar coca-cola,
falar inglês, roupa esporte);
•Aumento da atividade comercial;
•Construção de estradas novas alcançando ponta negra e pirangi
e pista asfaltada de parnamim field ate as docas do potengi;
•Virou trânsito de personalidades politicas e artísticas;
•Casamentos entre estrangeiros e natalenses foram realizados.
O RN na Segunda Guerra -
IMAGENS
Os gringos em Black Point
Os gringos curtindo Black
Point
Gringos usando as Natal
boots
Construção de alojamentos
Parnamirim Field
Trabalhadores na construção
da base em Parnamirim
Final de dia de trabalho
embarque em caminhões
Enfermeiras que trabalhavam
no cassino de oficiais
Gringos na base de
Parnamirim
Tendas americanas
Moradores da vila de Ponta Negra –
vendedoras de lagosta
Descontração com nativos
Zé da areia
Um tributo a Maria Boa
“Black-out e alarme” O quê
fazer?
Nazistas no RN - Guglielmo
Lettieri
Bar Museu da Cidade
Cortejando as natalenses
“Meninas tristes meninas
De mão em mão hoje andais
Sois autênticas heroínas
De Guerras sem ter rivais
Lutaste na frente interna
Com bravura e destemor
A vitória aliada destes
O sangue de vosso amor
Ingênuas meninas grávidas
O que é que foste fazer?
Apertai bem os vestidos
Pra família não saber
Que os indiscretos vizinhos
Vos percam também de vista
Saíste do pediatra
Para a ginecologista”
-Mauro Mota – Versos.
A RAMPA – base de
hidroaviões
Americanos bebendo no
Grande Hotel – bairro: ribeira
Novos costumes em Natal na
década de 40
“FOR ALL” EM PARNAMIRIM
FIELD
A Batalha do Atlântico – U-boat perigo a
navios brasileiros
Cinema na base
O Populismo no Rio Grande
do Norte
•O populismo é um fenômeno caracterizado por regiões que
estão em fase de transição do meio rural para o urbano em que
os grupos sociais são representados como povo para que a
liderança politica possa mobilizar a massa conforme seu interesse
através da liderança carismática, sendo marcado pelo
assistencialismo.
•No RN a luta politica desencadeada aconteceu entre as figuras
de Djalma Marinho e Vingt-Rosado apoiados por Dinarte Mariz
(UDN) e Aluízio Alves e Walfredo Gurgel pela Cruzada da
Esperança(PSD,PTB,PTN e dissidência da UDN.)
•Campanha marcada pelos comícios relâmpagos, pelo jogo de
imagens, campanha propagandista, vigílias e passeatas.
•Criou a CASOL, COSERN,TELERN,FJA,IPE,criou o Hotel “Reis
Magos” em Natal, “Esperança” em Mossoró e “Cabugi” em
Angicos.
Fotos da campanha populista
no RN
O Trem da Esperança
Músicas de campanha

MARCHA DO POVO

CIGANO FEITICEIRO Povo dos bairros de Natal:


Rocas, Guarita e Alecrim,
Quintas, Tirol, Lagoa Seca,
Cigano feiticeiro, teu feitiço me pegou. todo natalense enfim,
Aqui neste lugar, todo você já conquistou. Ele se apresentará
Pela primeira vez que você veio ao sertão, apresentou com um programa inteiramente novo.
uma lei e conseguiu execução. Este homem é Aluizio Alves,
Cigano feiticeiro, feiticeiro ai meu Deus. o maior candidato do povo.
Eu faço tudo, tudo pelo governo seu. O nosso Estado há muito apela
O eleitor, o que deve fazer? para este gênio benfeitor.
É virar cigano, e votar com você. Aluizio, maior sentinela,
E o adversário aqui lhe caluniou, e lhe chamou cigano, capacidade, grande lutador.
seu prestígio aumentou. Na certa estarás votando,
Pelo voto secreto lhe daremos posição, contribuindo para o dia da vitória.
e a essa oligarquia quem responde é a eleição. Com Aluizio com sucesso
Cigano feiticeiro, cigano feiticeiro.
Músicas de campanha
MARCHA DA ESPERANÇA

“Aluizio Alves veio do sertão lá do Cabugi


Pra sanar o sofrimento de seu povo
Sua plataforma eis aqui:
Assistência e cuidado ao agricultor,
Melhores salários pro trabalhador;
Com a energia de Paulo Afonso, industrialização.
Para mocidade Potiguar saúde e educação.
O povo oprimido, do operário ao doutor,,
Escolheu seu candidato, Aluizio Alves governador”.

TREM DA ESPERANÇA

Foi no Trem da Esperança


que Aluizio viajou
Quando chegou na guarita,
a notícia encontrou:
Que o chefe de polícia,
em decreto oficial,
proibiu os seus comícios
no coração de Natal.
Mas o povo em passeata
p’rá desfilou,
e em frente ao comitê
Aluizio falou
Guerra fria em Natal – A
Aliança Para o Progresso
•Em 1961 os Estados Unidos iniciam uma política de aproximação
com os países latino-americanos para conter o avanço do
comunismo na América Latina.
•Investimentos no valor de 20 bilhões de dólares a ser usado
durante dez anos.
•Dar resposta a Revolução Cubana(1959).
• Em natal foi criado o Instituto Kenedy, tivemos a visiya do navio
hope que distribuiu leite em pó e foi fundado o Bairro da Cidade
da Esperança.
Djalma Maranhão
Visita do presidente João
Goulart a Natal
DE PÉ NO CHÃO TAMBÉM SE
APRENDE A LER
De pé no chão também se
aprende uma profissão
Barracões
Falência das economias tradicionais

Depois de 1950 os produtos não


consegue concorrer no mercado

Início da globalização

Açúcar:
Desenvolvimento do Açúcar de
Beterraba

Algodão:
Fibras Sintéticas
Praga do Bicudo

Gado:
Sempre foi uma economia
secundária
As áreas de investimento

Investimentos dos governos:

 Estadual

 Federal – Via SUDENE

Nas seguintes áreas:


Ramo têxtil - tecidos
Petrolífero
Turismo
Fruticultura Irrigada
Fruticultura Irrigada

Instalada no Vale do Açu, Mossoró


e Baraúnas

Teve como impulso a Construção


da Barragem de Açu.

Formação da MAISA, da fazenda


São João e da FRUNORTE.

Tais projetos não deram certos,


mas deixaram tecnologia e
conhecimento

Instalação da Delmonte
Fruticultura Irrigada

A princípio a produção de banana e


melão

Depois a diversificação

Após a década de 1990:

Melão
Castanha
Manga
Melancia
Mamão
Questões – colônia RN
1. No processo de conquista da capitania do Rio Grande do Norte
a construção do Forte dos Reis Magos em 1598 como marco
definitivo da posse territorial ibérica e fundação de uma
pequena povoação em 1599, reforçaram a presença física e
cultural do homem branco na região. No entanto, não foi fácil o
relacionamento entre portugueses e os índios potiguares, pois os
laços de alianças que existiam entre estes e os franceses eram
muito fortes, devido ao sistema de escambo.
De acordo com o texto, a dificuldade no relacionamento entre
portugueses e indígenas devia-se ao fato de o sistema
a)Restringir o lucrativo comércio de mão de obra escrava entre os
portugueses e os índios potiguares nas plantações de cana de
açúcar e nas áreas litorâneas da capitania.
•B) criar um verdadeiro clima de guerra e tensão entre os índios e
portugueses, em virtude da necessidade de mão de obra nativa
de produção de alimentos para os franceses.
•C) restringir o lucrativo comercio de mão de obra escrava entre
portugueses e índios potiguares nas plantações de cana de
açúcar e das áreas litorâneas na capitania.
•D) Dificultar a existência de trabalho compulsório como
imposição dos portugueses e facilitar o convívio e as relações de
troca entre índios e franceses.
•E) impedir a conquista portuguesa do território brasileiro e a
ampliação de novos espaços de terras para a produção de
mercadorias de alto valor no comercio interno.
•2– A capitania do Rio Grande do Norte foi palco de incursões de
franceses e holandeses. Os franceses estabeleceram-se em nosso
litoral para contrabandear o Pau-Brasil e chegaram a a usar o Rio
Grande do Norte como base aos ataques as capitanias vizinhas. È
correto afirmar que os holandeses.
•A) empreenderam o comercio de pedras preciosas e metais
abundantes na região do Rio Grande do Norte.
•B) chegaram ao Rio Grande com a intenção de buscar aas drogas
do sertão.
•C) dominaram todo o nordeste açucareiro e permaneceram em
solo nordestino por, praticamente duas décadas.
•D) foram os responsáveis pela pacificação dos índios e sua
utilização no trabalho das lavouras através da mita e encomenda.
•3 – (UERN 2015) Tendo em vista a historia do inicio da
colonização do estado do rio grande do norte marque V para as
afirmativas verdadeiras e F para as falsas
•( ) houve uma tentativa de colonização inicial na região, onde
hoje e a região do rio grande do norte , frustrada por conta da
resistência indígena
•( ) O Rio Grande do Norte, por sua posição geográfica
pronunciada no oceano atlântico, seria um dos principais pontos
para o reabastecimento das expedições portuguesas.
•( ) Ao desembarcar nas praias de ondas muito fortes do rio
grande do Norte os portugueses não viram ninguém. As tribos
indígenas já haviam fugido para o interior, na região amazônica.
• A sequência está correta em
•A) V,F,V
•B) V, V,V
4- O feriado de 03 de outubro de corresponde à data
a) Do massacre de fiéis católicos, ocorridos em uruaçu,
comunidade de São Gonçalo do Amarante.
b) Da beatificação dos mortos da capela do engenho de cunhaú,
municipio de canguaretama.
c)Da invasão da capela do engenho de cunhau por holandes
aliados dos indigenas.
d) Do pacto de aliança firmado entre os indios e portugueses
contra os holandeses.
e) Da conversão do indio potiguar Poti ao cristianismo, após suas
ações contra a invasão holandesa.
5- Ao longo do século XVI,
a)Os franceses frequentaram assiduamente o litoral do rio grande
do norte, explorando o pau-brasil.
b)Os portugueses formaram sólidas e fraternais alianças com os
índios da região, os potiguares.
c)A capitania do rio Grande do Norte coube ao donatário Duarte
Coelho, que a transmitiu a seus descendentes.
d)Os moradores de Pernambuco e Itamaracá uniram-se aos
franceses, no contrabando de madeira.
e)Revelou-se a excepcional fertilidade as terras do Rio Grande
Para o cultivo da cana-de açúcar.
6 -Durante o período da ocupação holandesa no território que
hoje corresponde ao Rio Grande do Norte,

A ) ocorreu grande crescimento da produção açucareira,


superando Pernambuco e Bahia.

B) não houve crescimento econômico, restando dele, segundo


Tavares Lyra, “apenas uma triste lembrança”.

C) iniciou-se, no litoral, a exploração do pau-brasil, produto de


grande interesse comercial.

D) houve convivência pacífica entre indígenas tapuias e


potiguares e colonos luso-brasileiros, unidos contra os invasores.

E) foi criada a primeira alfândega brasileira em Natal, para


7- Sobre a pacificação dos índios potiguares no território que compreendia o Rio Grande (mais tarde
do Norte), é correto afirmar:

• A) A pacificação deu-se por lento processo de mestiçagem, resultante do casamento de inúmeros


portugueses com índias potiguares, cujos descendentes povoaram o atual Rio Grande do Norte.

• B ) Os índios potiguares rejeitaram a intermediação de missionários jesuítas nas negociações pelo


acordo de paz, aceitando apenas as tratativas feitas por Jerônimo de Albuquerque, mestiço de índio e
branco.

• C) Os violentos confrontos entre colonizadores e potiguares ficaram conhecidos na História do Brasil


como Guerra dos Bárbaros, que resultou, após o extermínio de grande parte da população indígena,
na pacificação.

•D ) Após muitos combates violentos contra colonizadores luso-brasileiros, os índios potiguares


aceitaram acordo de paz em 1599, com intermediação de Jerônimo de Albuquerque e padres jesuítas.

•E) Usa-se a expressão “pacificação dos índios potiguares” para identificar o momento a partir do qual
a prática do canibalismo foi abandonada e a fé cristã foi adotada pelos índios.
08- A respeito do forte dos Reis Magos, assinale a opção
correta.
•A) A construção do forte dos Reis Magos iniciou-se
tardiamente, já no século XVIII, após a expulsão dos
holandeses e franceses do território do Rio Grande do Norte.

•B) A obra definitiva, traçada pelo jesuíta espanhol Gaspar de


Samperes, foi concluída apenas no século XIX.

•C) Em 1654, a fortaleza foi tomada pelos holandeses, que


nela permaneceram até meados do século XVIII.

•D) Durante a invasão do forte pelos holandeses, o seu nome


mudou para forte San Marcos.
•09. (UFRN) Durante a primeira metade do século XVII, na
Capitania do Rio Grande do Norte ocorreram vários conflitos
armados, com os quais se podem relacionar os interesses
•A) das Companhias de Comércio de Pernambuco e da Paraíba,
que lutavam pelo direito de aprisionar o nativo, com a finalidade
de vendê-los a Europa.
•B) das diversas etnias Tupi e Tarairiu, que aproveitavam os
conflitos coloniais para vingarem-se dos grupos indígenas
oponentes.
•C) da França e da Espanha que, para retomarem o controle do
Nordeste, instigavam os índios contra os portugueses,
enfraquecendo estes.
•D) da Holanda e de Portugal, que buscavam aliança com os
nativos, visto como elementos de apoio na lutas pelo domínio
territorial do |Nordeste açucareiro
•10. Pode-se citar como consequência da presença holandesa no
Rio Grande.
•A) Grande investimento na produção de açúcar.
•B) processo de urbanização de Natal.
•C) Desenvolvimento artístico e cultural.
•E) Dos massacres de Cunhau e Uruaçu.
Questões propostas
•QUESTÕES:
•54. (TALES-2010) A Revolução Pernambucana de 1817 foi
motivada pela insatisfação popular das Províncias do Norte. Na
do Rio Grande do Norte, André de Albuquerque Maranhão
tomou o poder e o sustentou por cerca de um mês, todavia sem
obter progresso algum. Por outro lado essa insurreição nos
possibilitou autonomia nos âmbitos econômico e jurídico.
•a) Descreva e analise dois motivos que fizeram eclodir a
Revolução Pernambucana.
•b) Explique a frase sublin55. (TALES-2010) Sobre a Confederação
do Equador é INCORRETO afirmar que:
•hada no texto.
•a) a situação vigente de abertura dos mercados aos produtos
estrangeiros aumentava o descontentamento das províncias do
Norte contra a Coroa.
Questões propostas
•55. (TALES-2011) “A Capitania do Rio Grande do Norte, à época
da revolução, era governada por José Inácio Borges que, ao ser
informado do movimento pernambucano, preparou-se para
resistir. Tratou de entrar em contato com o comandante de
Divisão do Sul, André de Albuquerque Maranhão, que se
encontrava em Goianinha. Chegaram a conferenciar por cerca de
duas horas sobre a segurança da capitania frente aos
acontecimentos de Pernambuco. No retorno a Natal, o
governador pernoitou no Engenho Belém, próximo à atual cidade
de Nísia Floresta. Ao amanhecer, José Inácio Borges viu que o
engenho estava cercado pelas tropas sob o comando do próprio
André de Albuquerque, que aderira ao movimento. Preso, o
agora ex-governador José Inácio Borges foi enviado a Recife”.
•Sobre o processo da Revolução Pernambucana e seus
desdobramentos podemos concluir que encontrava-se nos seus
Questões propostas
•QUESTÕES:
•56. (TALES-2010) “A revolta do Quebra-Quilos, em fins de 1874 a
meados de 1875, por sua conotação popular, preocupou as
autoridades provinciais de forma mais incisiva. Afinal, vilas
inteiras do Nordeste rebelaram-se contra a implantação de um
novo sistema métrico, saqueando feiras e destruindo pesos e
medidas do comércio”.
•“No Rio Grande do Norte, das 13 vilas rebeladas, cinco eram do
Seridó: Acari, Currais Novos, Flores, Jardim e Príncipe. A repressão
foi bem sucedida, "foram enviadas forças militares que
conseguiram, sem esforço maior, a pacificação pública"
•Das alternativas a seguir sobre a Revolta do Quebra Quilos é
INCORRETO afirmar que:
•a) “Um dos impostos que provocaram a ira dos revoltosos foi o
chamado "imposto do chão", cobrado àqueles que expunham
Questões propostas
•58. (TALES-2011) “A revolta do Quebra-Quilos, em fins de 1874 a
meados de 1875, por sua conotação popular, preocupou as
autoridades provinciais de forma mais incisiva. Afinal, vilas
inteiras do Norte rebelaram-se contra a implantação de um novo
sistema métrico, saqueando feiras e destruindo pesos e medidas
do comércio”.
•Sobre a Revolta do Quebra Quilos e as questões sócio-
econômicas é correto afrimar que:
•a) Podemos reduzir essa sedição somente à insatisfação contra a
imposição do novo sistema de mensuração das mercadorias que
contrariava a cultura local.
•b) Acari, Currais Novos, Flores, Jardim e Príncipe. A repressão
foi bem sucedida, "foram enviadas forças militares que
conseguiram, sem esforço maior, a pacificação pública".
•c) Hoje inexiste tais práticas de venda e compra que “contrarie”
Questões propostas
•60. (TALES-2011) “O negro foi trazido da África para o Brasil
porque, segundo Thales de Azevedo, "os portugueses
necessitavam de divisas para o seu comércio internacional e não
havendo encontrado ouro no Brasil, levavam ferro produzido para
Portugal, por escravos no Congo e na Costa do Ouro para trocar
esses escravos pelo precioso metal que ali existia. Os
comerciantes europeus, por sua vez, estabeleciam-se em
feitorias na África, protegidos por seus governos e de comum
acordo com os potentados negros, para negociar suas
manufaturas pelos produtos regionais. Assim, provocaram ou
estimulavam as lutas tribais que, desorganizando a ordem social
e a economia, lhes permitiam apoderar-se do comércio regional,
ao mesmo tempo em que obtinham escravos para vender. Por
esse jogo complexo e inescrupuloso, diretamente encorajava-se o
ganancioso comércio humano, o qual também enriquecia os
Questões propostas
•62. (TALES-2011) Sobre os conflitos platinos e a participação
potiguar leia o texto a seguir:
•“O conflito platino pegou de surpresa os provincianos
potiguares, obrigando as elites potiguares a arregimentar às
pressas "voluntários" para dar combate a Solano Lopez. Embora
afirme-se que "essa medida espalhou pânico e a lavoura foi quase
abandonada" (LIRA: 1982, p.240.)”
•É correto afirmar que:
•a) não ocorreu verdadeiramente problemas no campo como
afirma o texto, pois o número de escravos africanos aumentou
durante as últimas décadas do século XIX.
•b) é bem provável que esse recrutamento não tenha ocorrido
de forma tão pacífica quanto imaginava José Augusto, o que nos
levaria a concordar com Tavares de Lira.
•c) não havia oposição ao recrutamento, pois desde 1822 o Brasil
Questões propostas
•64. (TALES – 2010) Sobre a Confederação do Equador é
INCORRETO afirmar que:
•a) a situação vigente de abertura dos mercados aos produtos
estrangeiros aumentava o descontentamento das províncias do
Norte contra a Coroa.
•b) havia na província do Rio Grande do Norte apoio e rejeição ao
movimento, sem grandes repercussões. Apenas mandaram três
representantes para compor o governo em Pernambuco.
•c) as tropas revolucionárias que fugiam de Pernambuco,
comandadas por Frei Caneca, passaram pelas províncias da
Paraíba, Rio Grande do Norte e foram presas no Ceará.
•d) todas as alternativas anteriores estão incorretas.
•65. (TALES – 2010) “A revolta do Quebra-Quilos, em fins de 1874
a meados de 1875, por sua conotação popular, preocupou as
autoridades provinciais de forma mais incisiva. Afinal, vilas
Questões propostas
67. (TALES – 2010) “A cotonicultura representou, nas
chamadas
províncias do Norte, a única cultura que concorreu
de forma marcante com o açúcar em termos de
exportação para o mercado internacional.
Na passagem do século XVIII à centúria seguinte, o
algodão emergiu de produto consumido no âmbito
restrito do setor de subsistência nordestino, à
mercadoria significativamente inserida nas trocas
comerciais brasileiras com o mercado
internacional.”
Questões propostas
•QUESTÕES:
•68. (TALES-2010) Dentre as práticas políticas do período da
República Velha no nosso estado é exceção, que garantia a
permanência das oligarquias no poder:
•a) A nível federal a política do Café-com-Leite e a nível estadual a
política dos governadores.
•b) O Voto de Cabresto e o poder sobre o Curral Eleitoral não foi
importante no período descrito.
•c) O clientelismo e o uso, em alguns casos, até de jagunços, para
garantir que as pessoas votassem nos candidatos dos “coronéis”.
•d) O Voto aberto, forçando as pessoas a votarem nos
candidatos da situação e evitando fraudes nas votações.
•69. (TALES-2010) São características das duas primeiras
oligarquias republicanas que governaram o Rio Grande do Norte,
com exceção da alternativa (fatos e dados):
Questões propostas
70. (TALES-2011) Leia o texto abaixo para
responder o que se pede:
“No século XVIII, o Ceará e o Rio Grande do
Norte ainda não tinham seus limites
demarcados. Mossoró e Açu, quando fundaram
as suas primeiras charqueadas, se tornaram
rivais das "oficinas" cearenses. Medidas são
tomadas para acabar com as charqueadas do
Rio Grande do Norte, inclusive fechando os
portos de Açu e de Mossoró. As carnes secas só
poderiam ser fabricadas no Ceará. Para
fabricá-las, porém, era necessários o uso do
sal produzido no Rio Grande do Norte...”
Questões propostas
•72. (TALES-2011) Nas questões sociopolíticas na República Velha
é fato verdadeiro:
•a) a utilização da máquina pública em prol da oligarquia que
estava no poder, sendo exemplos às famílias Albuquerque
Maranhão e Bezerra Medeiros.
•b) a inclusão da mulher nas eleições e o reconhecimento do
governo federal após Celina Viana se tornar a primeira mulher a
ter votado na América Latina.
•c) o respeito ao jogo eleitoral sem fraudes, voto de cabresto ou
qualquer outra prática comum na época que os “coronéis” faziam
uso.
•d) as oligarquias só tiveram força durante a República Velha (ou
Oligárquica), na atualidade não há mais esse tipo de poder
devido à democracia.
•73. (TALES – 2010) Um dos principais fatores que contribuíram
Questões propostas
•OBSERVAÇÃO:
•O texto a seguir analisa a questão do início da república em solo
potiguar e se liga as questões 71 e 72:
•“A República fora inaugurada em nosso estado pela mesma
família que estava ligada ao poder desde o início da nossa
colonização, os Albuquerque Maranhão. Mas não se iluda leitor, a
massa esmagadora da população não conhecia ao certo ou nunca
tinha ouvido falar o que era essa tal de República. O Partido
Republicano só foi fundado por aqui no dia 27 de janeiro de 1889,
mesmo ano da Proclamação, como também o meio de
comunicação responsável por difundir as idéias e os ideais
republicanos, o jornal A República, em resumo, quase vinte anos
depois da fundação do Manifesto Republicano em 1870 o RN
embarcou na ideia.”
•71. (TALES-2011) Sobre a República em solo potiguar é correto
Questões propostas
•Sobre a cotonicultura é correto afirmar que:
•a) O Nordeste agrário não-açucareiro será redefinido, portanto,
pelo algodão. A razão dessa alavancagem agrícola e comercial
processa-se ao sabor das do consumo interno desde o século XVI
pelos europeus e asiáticos.
•b) por duas vezes nos destacamos como abastecedores do
mercado inglês, crises conjunturais ocorridas nos Estados
Unidos da América: as Guerras de Independência e depois de
Secessão, foram essenciais para tal condição.
•c) na República Velha a cotonicultura volta a ter grande valor
pelas mãos da Oligarquia Rosado da cidade de Mossoró, o rio
homônimo desta cidade foi de grande importância para seu
escoamento.
•d) a cotonicultura foi ao lado do açúcar um dos principais
Questões propostas
•Sobre a Questão de Grossos é correto afirmar que:
•a) O sal já era conhecido da população nativa desde os
primeiros séculos que aqui chegaram os europeus.
•b) A questão de Grossos não merece grande destaque, pois o sal
não possuía tal notoriedade econômica.
•c) Podemos destacar a atuação de Rui Barbosa como jurista que
possibilitou a vitória aos cearenses.
•d) Ao término do conflito, os estados aceitaram dividir a região
impossibilitando uma matança desnecessária.