Você está na página 1de 17

Lançamento Vertical e Queda Livre

Por Thomas Carvalho

Fatos empíricos mostram que um corpo próximo da superfície da terra ou de qualquer astro sofre uma atração, constante vertical e para baixo, chamada aceleração da gravidade local (g), para simplificar será considerada sempre
constante na superfície de um determinado local.
Próximo a superfície terrestre um corpo é lançado verticalmente para cima, este corpo tem uma Vo e p está sujeito a uma aceleração constante g (valor absoluto da gravidade local).
Neste trecho do movimento o corpo irá subir verticalmente para cima sujeito a uma aceleração (g) vertical para baixo, assim pode-se considerar que sua aceleração (a): a = -g (sinal negativo representa que são em direções opostas).
Para o estudo deste movimento é claro que estaremos tratando de um movimento uniformemente variado.

Assim, iremos estuda-lo pelas equações do MUV.

Fatos importantes
No topo da trajetória a sua velocidade é nula (ponto de inversão de movimento)
Após atingir o topo de sua trajetória este corpo irá sofrer uma queda livre onde a=g. Mostremos que o tempo de subida é igual ao tempo de queda ts (tempo de subida)
Obs.: Ler sobre salto de paraquedas, onde devido à resistência do ar o paraquedista chega a uma velocidade máxima, a partir deste ponto seu movimento é praticamente uniforme (velocidade terminal).

O que cai mais rápido, uma bola de ferro ou uma pena?


O vídeo abaixo mostra um experimento muito interessante. No primeiro momento, uma pena e uma bola de ferro são soltas, ao mesmo tempo, em pressão atmosférica. Em razão do atrito com o ar, a pena leva mais tempo para tocar à
mesa. Mas quando o experimento é repetido no vácuo, os dois objetos tocam a mesa no mesmo instante.

Física - MUV - Queda Livre - Lançamento Vertical


01/06/2010 - Alek disse...

Uma pedra é lançada verticalmente para cima, do topo de um edifício, com velocidade de 29,4 m/s. Decorridos 4 s, deixa-se cair outra pedra. Contado a partir do lançamento da segunda, a primeira
passará pela segunda no instante: g = 9,8 m/s².
01/06/2010 - CCDA RESOLVE

Alek, boa noite. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-lo em sua dúvida que trata de movimento uniformemente variado, ou melhor lançamento vertical e queda livre.

Deve-se calcular qual é a velocidade e a posição da primeira pedra no instante que a segunda foi abandonada. Utilizam-se para os cálculos as teorias do movimento uniformemente variado.Tem-se:

Calcula-se:
Desta forma, no instante que a segunda pedra é abandonada, a velocidade da primeira pedra é V = - 9,8 m/s e a posição é S = 39,2 m. Vê-se que a aceleração adotada foi a da gravidade e ela assume
valor negativo pois é contrária a trajetória. A velocidade ficou negativa pois neste instante a primeira pedra está voltando na trajetória com movimento retrógrado e por isso valor negativo.

Os valores encontrados, agora, passam a ser valores iniciais para a primeira pedra e a segunda terá seus próprios valores iniciais também. O instante em que que as posições 1 e 2 coincidirem será
o instante da ultrapassagem. Basta, então, igualar as posições 1 e 2. Tem-se:

No instante que as duas pedras tem a mesma posição ocorre a ultrapassagem da pedra 2 pela pedra 1 e este instante é 4 s após a pedra 2ser abandonada.

Física - Queda Livre - M.U.V.


01/10/2010 - Adriano disse...

Uma pedra foi abandonada da borda de um poço e levou 5 s para atingir o fundo. Tomando a aceleraçao da gravidade igual a 10 m/s², podemos afirmar que á profundidade do poço é:

a) 25 m b) 50 m c) 100 m d) 125 m e) 200 m

20/10/2010 - D.A. RESOLVE

Adriano, bom dia. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do D.A., vou ajudá-lo em sua dúvida que trata de queda livre.

O primeiro passo é esquematizar a situação encontrada no problema. Se a pedra é abandonada, então, sua velocidade inicial é nula ( zero m/s ). Tem-se:
Percebe-se que a pedra está em queda livre e por este motivo segue as leis do movimento uniformemente variado. O segundo passo é utilizar a função horária da velocidade do M.U.V. e calcular a velocidade com que a pedra chega ao fundo do
poço. Tem-se:

O terceiro passo é encontrar a profundidade do poço (altura da pedra) através da equação de Torricelli, tem-se:
A profundidade do poço é 125 m. Alternativa D.

Física D - Aula 4
Queda Livre
Um corpo é dito em queda livre quando esta sob ação exclusiva da gravidade terrestre ( ou da gravidade de outro corpo celeste).

Foi Galileu quem estudou corretamente pela primeira vez, a queda livre de corpos.

Galileu concluiu que todos os corpos em queda livre, isto é, livres do efeito da resistência do ar, tem uma propriedade comum;

Corpos em queda livre têm a mesma aceleração quaisquer que sejam suas massas.

Esta aceleração de queda livre é denominada aceleração da gravidade e, nas proximidades da terra, é suposta constante e com módulo , valor este que por praticidade, é usualmente

aproximado para .

Na realidade, a aceleração da gravidade, embora seja independente da massa do corpo em queda livre, varia com o local, dependendo da latitude e da altitude do lugar.

Se o corpo em queda livre tiver uma trajetória retilínea, seu movimento será uniformemente variado; neste caso, a aceleração escalar do corpo será constante e valerá sempre , independente

do sentido do movimento. Desta forma, se um objeto for lançado para cima ( ), ele irá frear (desacelerar) até parar ( ) e depois seu sentido de movimento será invertido ( ).

Convenções
 o sentido positivo do eixo vertical é debaixo para cima;
 quando e possuem o mesmo sinal, o movimento é acelerado ( cresce em módulo);
 quando e possuem o sinais contrários, o movimento é desacelerado, freado ou então dito também retardado ( diminui em módulo);

Velocidade Escalar Final

Em um local onde o efeito do ar é desprezível e a aceleração da gravidade é constante e com módulo , um corpo é abandonado a partir do repouso de uma altura acima do solo.

Vamos obter a velocidade escalar final de um corpo ao solto ( ), atingir o solo. Pela equação de Torricelli:

sendo e , temos:

então

será a sua velocidade escalar ao atingir o chão. Escolhemos o sinal negativo porque o corpo está descendo, contra o sentido crescente do eixo vertical (que é para cima).

Observe que quanto maior a altura inicial , maior a velocidade final , como era de se esperar, mas que não é proporcional a .

Tempo de Queda

Vamos obter agora o tempo de queda livre desde que um corpo é solto ( ) de uma altura , até atingir o solo. Pela equação horária da velocidade do MRUV, temos:
Figura 17.1: para a queda livre.

e para a queda livre será

e sendo e temos

e finalmente
Figura 17.2: para a queda livre.

Observe que quanto maior a altura inicial , maior o tempo de queda , como também era de se esperar, e que também não é proporcional a .

Lançamento Vertical

Em um local onde o efeito do ar é desprezível e a aceleração da gravidade é constante e com módulo igual a , um projétil é lançado verticalmente para cima com velocidade de módulo igual a .

Estudemos as propriedades associadas a este movimento:

Observa-se que:

 o movimento do projétil é uniformemente variado porque a aceleração escalar é constante e diferente de zero;

 como foi lançado para cima, a velocidade inicial do projétil é positiva ( );

 orientando-se o eixo vertical para cima, como de costume, a aceleração escalar vale ;
 A partir do ponto mais alto da trajetória, o projétil inverte o sentido de seu movimento e , portanto, sua velocidade é nula no ponto mais alto (ponto de inversão);

 O tempo de subida do projétil é calculado como se segue:

se
e para a posição mais alta, temos

e finalmente

Pode-se mostrar que o tempo de descida é igual ao tempo de subida. Mostre você mesmo.

 a velocidade escalar de retorno ao solo é calculada como se segue:

como o tempo total de vôo é , temos

ou seja, a velocidade de retorno será


A mesma aceleração que retarda a subida do projétil é a que o acelera na descida e tem módulo constante , portanto concluímos que que ao retornar ao solo, o projétil chaga com a mesma
velocidade inicial de lançamento, em módulo.

 A altura máxima atingida pelo projétil é calculada a partir da equação de Torricelli:

e como e , temos

donde

Observe que quanto maior a velocidade inicial , maior a altura atingida pelo projétil, como era de se esperar, e que não é proporcional a .

Pense um Pouco!
 Por que uma folha inteira e outra amassada não chegam juntas ao chão, quando soltas simultaneamente de uma mesma altura?

 Um corpo pode ter aceleração e ? Como?

 Um corpo pode estar subindo ( ) e acelerando para baixo ( )? Como?


 por que não se deve dar um tiro para cima com uma arma de fogo?

Exercícios de Aplicação

1. (UFAL) Uma pedra é abandonada de uma altura de , adotando e desprezando-se a resistência do ar, pode-se afirmar que a sua velocidade escalar ao atingir o solo será:
a)

b)

c)

d)

e)

2. (FUVEST) Um corpo é solto, a partir do repouso, do topo de um edifício de de altura. Despreze a resistência do ar e adote . O tempo de queda até o solo e o módulo da
velocidade com que o corpo atinge o solo são:

a) e

b) e

c) e

d) e

e) e

3. (FUVEST) Um corpo é disparado do solo, verticalmente para cima, com velocidade inicial de módulo igual a . Desprezando a resistência do ar e adotando , a altura
máxima alcançada pelo projétil e o tempo necessário para alcançá-la são respectivamente:

a) e

b) e

c) e

d) e

e) e

Exercícios Complementares
4. (FMTM-MG) As gaivotas utilizam um método interessante para conseguir degustar uma de suas presas favoritas - o caranguejo. Consiste em suspendê-lo a uma determinada altura e aí abandonar

sua vítima para que chegue ao solo com uma velocidade de módulo igual a , suficiente para que se quebre por inteiro. Despreze a resistência do ar e adote . A altura de
elevação utilizada por essas aves é:
a)
b)
c)
d)
e)

5. (UNICAMP) Uma atração que está se tornando muito popular nos parques de diversão consiste em uma plataforma que despenca, a partir do repouso, em queda livre de uma altura de .
Quando a plataforma se encontra a do solo, ela passa a ser freada por uma força constante e atinge o repouso quando chega ao solo. A velocidade da plataforma quando o freio é acionado é
dada por :

a)

b)

c)

d)

e)

6. (CEFET-PR) Um balão meteorológico está subindo com velocidade constante de e se encontra a uma altura de , quando dele se solta um aparelho. O tempo que o aparelho leva para
chegar ao solo é:
a)
b)
c)
d)
e)

Exercícios sobre o Movimento de Queda livre


Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre o Movimento de Queda livre e veja a resolução comentada.

Por Talita Alves dos Anjos






 Questão 1

Um garoto, na sacada de seu apartamento, a 20 metros de altura, deixa cair um biscoito, quando tem então a ideia de medir o tempo de queda desse biscoito.
Desprezando a resistência do ar e adotando g = 10m/s², determine o tempo gasto pelo corpo para chegar ao térreo.

ver resposta

 Questão 2

Abandonando um corpo do alto de uma montanha de altura H, este corpo levará 9 segundos para atingir o solo. Considerando g = 10 m/s², calcule a altura da
montanha.

ver resposta

 Questão 3

(UFRN)

Em um local onde o efeito do ar é desprezível, um objeto é abandonado, a partir do repouso, de uma altura H acima do solo. Seja H1 a distância percorrida na primeira
metade do tempo de queda e H2 a distância percorrida na segunda metade do tempo de queda. Calcule a razão H1 / H2.

ver resposta

 Questão 4

(UFPE)

Um pequeno objeto é largado do 15° andar de um edifício e cai, com atrito do ar desprezível, sendo visto 1s após o lançamento passando em frente à janela do 14°
andar. Em frente à janela de qual andar ele passará 2 s após o lançamento? Admita g = 10m/s².

ver resposta

Respostas
 Resposta Questão 1

s = so + vo.t + ½ g.t ²

20 = 0 + 0.t + ½ .10 t ²

20 = 0 + 10 ÷ 2 t ²

20 = 5 t²

20 ÷ 5 = t ²

t²=4

t = 2s

voltar a questão

 Resposta Questão 2

voltar a questão

 Resposta Questão 3
s = so + vo.t + ½ g.t ²

Instante t: H1 = ½ g.t ² (1)

Instante 2t: H1 + H2 = ½ g.(2t) ²

H1 + H2 = 2gt ² (2)

Agora vamos substituir (1) em (2)

½ g.t ² + H2 = 2gt ²
H2 = 3/2 g.t ² (3)

Comparando (3) e (1) temos:


H2 = 3 H1
H1 / H2 = 1/3

voltar a questão

 Resposta Questão 4

Calculando a velocidade do objeto no 14° andar:


v = vo + g.t
v = 0 + 10.1
v = 10 m/s

Calculando agora a altura de cada andar...

v ² = vo² + 2g.Δs
10 ² = 0 + 2.10. Δs
100 = 20 Δs
100 ÷ 20 = Δs
Δs = 5m

Após dois segundos de movimento, teremos:


s = so + vot + ½ g.t ²
s = 5.0.t + ½ .10. 2 ²
s = 0 + 10/2 .2 ²
s = 10/2 .4
s = 5 .4
s = 20 m

Portanto, podemos concluir que, como o objeto percorreu 20m em 2s, ele estará passando pela janela do 11° andar.