Você está na página 1de 21

APOSTILAS

MON'A'XÍ

EDIÇÃO UMBANDA

ASSENTAMENTO
E
CULTURA
DE
MARUJOS
AO LEITOR

Apostilas mon'a'xí mais uma vez trazendo informação para você.


de forma simples e prática, fazemos seu intendimento ser muito mais preciso e
complexo.

Em nosso material focamos sempre a informação de modo que incentive o


estudo e aperfeiçoamento de conhecimento dentro da religião, procuramos
utilizar uma linguagem ''informal'', ou seja, uma linguagem fora da gramática
linguística culta. mas não para desmoralizar os dialetos, e sim, fazer que o
entendimento seja satisfatório.

Não adianta criar um documento totalmente dotado de palavras formais e até


mesmo utilizar os verdadeiros dialetos, pois, muitas pessoas não teriam noção
do que realmente está escrito ali.
dentro deste conceito que desenvolvemos então nosso material, simples, mas
preciso.

Ao decorrer da leitura, você observará todos os registros sobre o assunto


referido e ter a certeza de como fazer e proceder com o mesmo.

É importante lembrar sempre que, ninguém faz nada igual a ninguém e logo,
pode acontecer de algumas informações serem adversas de outras que você já
possui conhecimento. porém sempre deve ser visado que conhecimento nunca é
demais, e tudo o que aprendemos na vida há ela deve ser agregado.

Nosso material é produzido a partir de depoimentos de pessoas antigas da


religião, não com o intuito de banalizar a mesma, mas sim, de propagar o
conhecimento para evitar que ela se perda e que seja praticada de forma
errada.

Sugiro que para tornar sua assimilação mais precisa agregue o conteúdo de
uma apostila com o de outra, pois existem informações que estão divididas em
outros exemplares.

BOA LEITURA.
OS MARINHEIROS

A LINHA DOS MARINHEIROS

A Linha dos Marinheiros da Umbanda engloba espíritos que trabalham


no
Auxilio a encarnados e desencarnados, a partir do seu magnetismo
aquático e de Seus conhecimentos sobre a manipulação do Mistério das
Águas.

Nela se apresentam espíritos que em últimas encarnações foram


marinheiros de Fato, navegadores, oficiais, pescadores, povos ribeirinhos,
canoeiros, ex-piratas etc.
E o arquétipo do homem litorâneo, daquele que sobrevive do mar e dos
rios.

A Linha dos Marinheiros tem a Regência direta dos Orixás Iemanjá e


Omolu. Iemanjá rege “a parte de cima” do mar e Omolu rege “a parte de
baixo”. Iemanjá rege o mar (“calunga grande”) e da sustentação e amparo
aos espíritos Que nele viveram de forma positiva, extraindo de suas águas
recursos para Alimentar vidas.

Omolu rege a terra (“calunga pequena”) e sustenta o eterno vai e vem das
Águas. Mas também atrai para os seus domínios os espíritos que se
utilizaram do Mar de forma negativa, alimentando apenas seus instintos
inferiores.

Esta Linha de Trabalho e também chamada de “Povos da Água” e esta


relacionada a outras Mães das Águas.: Oxum (águas doces), Nana (lagos e
lagoas), Iansã (água da chuva), Iansã-Tempo (água do sereno). Mas sua
Principal Regente e Iemanjá.

Os Marinheiros trabalham ainda sob influência das Forcas Naturais que


Enfrentam no mar, tais como: as calmarias (Mistério de Oxalá); os raios
(Mistério de Xangô); os tufões (Mistério de Iansã); os ciclones (Mistério de
Iansã-Tempo); os bancos de areia (Mistério de Omolu); os recifes de corais
(Mistério de Oba); os sargaços (Mistério de Oxossi); as correntes
marinhas
(Mistério de Ogum).
Para lidar com essas energias, os Marinheiros precisam do conhecimento
e daLicença dos Orixás Regentes.
Portanto, ser um Marinheiro de Umbanda requer “preparo”!….
Nos Terreiros, a chegada dos Marinheiros traz uma alegria contagiante.
Abracam a todos, brincam com um jeito maroto, gingando pra la e pra cá,
PARECENDO embriagados. Mas não estão embriagados, como se poderia
pensar. E o seu magnetismo
Aquático que os faz ficar “balançando”.
Cada elemento tem o seu magnetismo. E os espíritos que se manifestam
naquela Irradiação tem magnetismo idêntico.

O que faz o mar ondular e o magnetismo característico de Mãe Iemanjá,


Regente Divina dessas águas e da Linha dos Marinheiros. Logo, os
Marinheiros tem esse magnetismo “ondulante”.
Ao incorporar em seu médium, o Marinheiro “bambeia”, ele se
movimenta
Como quem se equilibra no tombadilho de um navio ou de um barco em
alto-mar. Desta forma, ele libera energias em formas onduladas, e através
dos seus “balancos” que lembram os movimentos de uma pessoa
embriagada. (Se ficarmos algum tempo no mar, vamos entender melhor
isso: ao voltar para terra firme, sentiremos estar “balançando”,
“bambeando”, ainda sob o efeito do movimento ondulante do mar.)
Os “balancos” dos Marinheiros liberam ondas de forte magnetismo
aquático que desagregam acúmulos negativos de origem externa e interna,
equilibram nosso emocional e mental e nos dão condições de gerar coisas
positivas em nossas vidas.

Vale lembrar que as águas simbolizam as nossas emoções e estão ligadas


a origem da vida. Nas Giras de desenvolvimento o magnetismo dos
Marinheiros e um potente equilibrador emocional do médium,
colaborando de forma essencial no processo.

A Linha atua preferencialmente na diluição de cargas trevosas e em


trabalhos voltados para a cura emocional do consulente, muitas vezes com
a ajuda de seres Elementais da Aguá que são atraídos com tal propósito. O
contato com esses seres realiza uma potente limpeza em nosso campo
magnético, uma verdadeira “explosão” de energia equilibradora.

Os Marinheiros são Magos dos Mistérios Aquáticos. Atuam de forma


única
dentro da Umbanda, na manipulação de energias que nos libertam de
bloqueios íntimos e nos dão equilíbrio emocional. Pode parecer pouco,
mas hoje a própria ciência analisa e admite os efeitos dos distúrbios
emocionais como geradores de várias enfermidades. De modo que a cura
emocional e o primeiro grande passo para outras conquistas.

Os Marujos lidam com os consulentes de forma simpática e extrovertida,


“quebrando o gelo” e deixando o assistido muito à vontade, o que facilita a
Recepção dessas energias equilibradoras e curadoras. Sua linguagem e
bastante simbólica:

“o mar”― expressão que usam significando a nossa vida. Quando falam


que “o mar ta bravo”, e porque o médium ou o consulente está com
dificuldades na vida por não saber lidar com as emoções;

“barco”― maneira pela qual nos designam (e o próprio médium, e o


consulente);

“Capitão Maior/Capitão do Navio”― expressões para se referirem a


Deus.
Além dos trabalhos de descarrego e quebra de magias negativas, dão
consultas e passes. Costumam ir direto ao ponto, sem rodeios. Mas sabem
como falar aos consulentes sem criar um clima desagradável ou de medo.
São amigos, trazem uma mensagem de esperança e forca. Sempre nos
alertam para agir com fé e confiança e desbravar o desconhecido, seja do
nosso interior ou do mundo que nos rodeia.

Algumas vezes, ao incorporar, os Marinheiros precisam tomar alguma


bebida alcoólica para não prejudicar o físico do médium. Como se explica
isso? Acontece que o nosso organismo queima ou consome energia; e o
álcool produzido pelos amidos que ingerimos sustenta essa queima.
No caso, sem ingerir a bebida, o magnetismo da Entidade absorvera muito
do álcool do corpo do médium, prejudicando suas funções.

Quando espíritos regidos por magnetismos densos (água, terra e fogo)


Incorporam, eles precisam ingerir alguma bebida alcoólica, para não
consumir aquele álcool do corpo do médium. Caso contrário, paralisarão
o organismo do médium em algumas de suas funções.
O uso da bebida da fluidez e volatilidade as vibrações desses espíritos,
expande seus campos magnéticos e possibilita a estabilização e o equilíbrio
nas incorporações.
Como os Marinheiros vivem na irradiação aquática do mar, quando
incorporam, parece-lhes que e o solo que está se movendo. Dai, com
funções inversas, o álcool lhes da estabilidade e equilíbrio para ficarem
parados e darem atendimento as pessoas.

O álcool tira o equilíbrio de uma pessoa. Mas, assim como o veneno de


cobra e o único antídoto contra picadas de cobras, com os Marinheiros a
ingestão de bebida alcoólica lhes da estabilidade. Porem, esse consumo
precisara ser
Controlado e restrito a uma dose mínima!
Dentro de um trabalho espiritual, o excesso de bebida nunca se justifica.
O Guia e um espírito que se preparou e obteve a permissão da Lei Divina
para vir nos ajudar; e um mago que sabe como manipular os elementos e
usa o mínimo necessário, pois não precisa de “quantidade”. Quando ha
excesso, isso se dá pela ignorância (despreparo), ou então pela vaidade do
médium.

Aos poucos eles desembarcam de seus navios da calunga e chegam em


Terra.

Com suas gargalhadas, abraços e apertos de mão. São os marujos que vem
chegando para trabalhar nas ondas do mar. Os Marinheiros são homens e
mulheres que navegaram e se relacionaram com o mar. Que descobriram
ilhas, continentes, novos mundos.

Enfrentaram o ambiente de calmaria ou de mares tortuosos, em tempos de


grande paz ou de penosas guerras. Os Marinheiros trabalham na linha de
Iemanjá e Oxum (povo d'Água), e trazem uma mensagem de esperança e
muita forca, nos dizendo que se pode lutar e desbravar o desconhecido, do
nosso interior ou do mundo que nos rodeia se tivermos fe, confianca e
trabalho unido, em grupo.

Seu trabalho e realizado em descarrego, consultas, passes, no


desenvolvimento dos médiuns e em outros trabalhos que possam envolver
demandas. Em muito, seu trabalho e parecido com o dos Exus.
Dificilmente um leigo ira notar a diferença entre alguns marinheiros e os
Exus na ora da gira, pois alguns Exus vem com todos os trejeitos dos
Marinheiros e com outros nomes, e quase imperceptível.

Linha ou falange dos marinheiros tem sua origem na linha de Iemanjá e


são chefiados por uma entidade conhecida por Tarima. São espíritos de
pessoas que em vida foram marinheiros. São muito brincalhões e
normalmente bebem muito durante os trabalhos, por esse motivo a sua
evocação não e muito frequente, plano espiritual superior os evoca para
descarga pesada do templo, desta forma a eles podemos pedir coisas
simples, eles não são muito dados a falar ou dar consultas.

A descarga de um terreiro uma vez efetuada será enviada ao fundo mar


com todos os fluidos nocivos que dela provem. Os marinheiros são
destruidores de feitiços, cortam ou anulam todo mal e embaraço que possa
estar dentro de um templo, ou ainda, próximo aos seus frequentadores.
Nunca andam sozinhos, quando em guerra unem-se em legiões, fazendo
valer o princípio de que a união faz a forca, o que os torna imbatíveis
nesse sentido. Alguns representantes mais conhecidos:

Marinheiro das Sete Praias, João das Sete Ondas, Capitão dos Mares,
João da Praia, Zé do Mar, Zé Pescador, João da Marina, Zé da Mare,
Antônio das Águas, Zé da Jangada, Seu Antenor, Seu Jangadeiro, João
Canoeiro, Zé dos Remos, João do Rio, Maria do Cais, Chico do Mar, Seu
Marinheiro Japonês, Seu Iriande, Seu Gerece, Seu Martim Pescador,
entre outros...

Da linha do Povo D'água ou de Iemanjá, geralmente baixam para beber e


brincar podem-lhe ser pedidos coisas simples. Não e muito aconselhável a
incorporação dessas entidades, devido à quantidade de bebida que
ingerem.

Com doutrinação, porém, eles não bebem em excesso.


Vem com seus bonés, calcas, camisa e jaleco, em cores brancas de
marinheiros e azul-marinho de capitães de barco.

Nunca se oferece a eles conchas, estrelas do mar ou outros objetos do


mar, pois como Marinheiros que são, consideram que ter objetos
pertencentes ao mar traz má sorte, a exceção dos búzios (que não
consideram como adornos, e sim como símbolo de dinheiro). Este povo
recebe as oferendas na orla do mar em lugar seco sobre a areia.

A gira de marinheiro e bem alegre e descontraída. Eles sao sorridentes e


animados, não tem tempo ruim para esta falange. Com palavras macias e
diretas eles vão bem fundo na alma dos consulentes e em seus problemas.
A marujada coloca seus bonés e, enquanto trabalham, cantam, bebem e
fumam.

Dia da semana:

A segunda-feira, dia associado a Lua e ao Orixá Iemanjá. Também a


sexta-feira, regida por Netuno, planeta relacionado a Iemanjá.

Campo de atuação:

Quebra de bloqueios emocionais; equilíbrio das emoções; limpeza


energética; quebra de magias negativas.

Ponto de força:

A beira-mar; beira dos rios.

Saudação:

Salve a Marujada!

Cor:

Azul claro e branco.

Elementos de trabalho:

Pedras, conchas, búzios, estrelas do mar, caramujos, velas, fitas e linhas,


areia, arroz, cebola branca.

Ervas:

Alfazema, erva-cidreira, anis-estrelado, rosa branca, camomila,


manjericão, erva de Santa Maria, mentruz, hibisco (flor), manjerona,
mulungu (casca e raiz), noz-moscada, margarida, sensitiva, arroz, erva-
de-bicho, buchinha do norte, casca de alho, casca de cebola.

Fumos/defumação:

Charuto; cigarrilha; fumos diversos feitos de ervas enroladas na palha.


Incenso:

Rosas brancas, alfazema, anis-estrelado.

Pedras:

As pedras azuis. Exemplos: Água-marinha, Topázio Azul, Calcedônia,


Quartzo Azul. Também as pedras pretas, quando o trabalho e para uma
limpeza pesada. Exemplos: Vassoura da Bruxa, Turmalina Preta.

Bebidas:

Suco de pera e de melão; água de coco; leite com mel; cerveja clara;
conhaque com mel; rum; pinga com mel; vinho branco, Whisky, Vodka,
Cachaça, e mais o que tiver de bom gosto..

Frutas:

Melancia, melão, pera, pêssego, laranjas, figo, macas, uvas verdes,


carambola. Também as frutas de polpa branca em geral.

Flores:

Cravo branco, palmas brancas, rosas brancas; as flores brancas em


geral; hortênsia.

Oferenda ritual:

Velas, pembas, fitas e linhas de cor branca e azul claro; cravos


brancos; frutas variadas; bebidas: rum, aguardente ou cerveja branca.

Fumam:

charuto, cigarro, cigarrilha e outros fumos diversos.

Em seus trabalhos são sinceros e ligeiramente românticos, sentimentais e


muito amigos. Gostam de ajudar aqueles e aquelas que estão com
problemas amorosos ou em procura de alguém, de um “porto seguro”. A
gira de marinheiro, em
muito, parece uma grande festa, pela sua alegria e descontração, mas
também, existe um grande compromisso e responsabilidade no trabalho
que e feito.

Seus integrantes se apresentam com a aparência de marinheiros e


pescadores, gente acostumada a navegar. Representam o homem do mar,
bebedor, mulherengo, que gosta de beber com os amigos nos bares e
cantar alguma canção. São alegres e encaram os problemas de um ponto
de vista simples.

Caminham balançando-se de um lado para o outro, como se estivessem


mareados. Bebem de tudo, pois na hora de beber nada recusam, fumam
também de tudo: cigarros de palha, cigarros, cigarrilhas e ate cachimbo.
Se relacionam com os amores ilícitos, passageiros e encontros esporádicos
com amantes. Também se pede a eles que nos protejam nas viajens pelo
mar e que nada de mal nos ocorra.

Como qualquer outra entidade de umbanda dão conselhos.


As mulheres deste povo representam as mulheres que trabalham nas
cercanias dos portos exercendo a prostituição e servindo bebidas nos
bares, onde se juntavam para beber os Marinheiros, Malandros e Ciganos,
realizando seus negócios e muitas vezes comprando o contrabando trazido
nos barcos.

MARINHEIROS NO CATIMBO

São também grandes Mestres da jurema e possuidores de um grande


ensinamento. São em geral marinheiros, marujos, navegadores e
pescadores que na maioria tiveram seu desencarne nas águas profundas
do mar. São comandados e chefiados pelo Mestre Martim Pescador,
grande catimbozeiro e que trabalha com as energias das águas do mar.
Em comum não são possuidores de giras próprias e se fazem presentes nas
giras do Catimbo. Em algumas regiões são conhecidos como marujeiros.
Quase sempre se apresentam bêbados, e tem em suas danças o balanco das
ondas do mar.

Suas cores são o branco e azul, vem quase sempre vestidos de marujos,
tem no peixe o seu símbolo máximo, comem todos os tipos de frutos do
mar e bebem também a cerveja e a cachaça.
ASSENTAMENTO DE MARUJOS

Os assentamentos de marujos são bem simples, assim como qualquer


outro assentamento de umbanda, aqui serás relatado tudo o que vai,
porém caberá a quem for utilizar, combinar e perguntar para seu marujo
se deverá ser acrescentado algo a mais ou não.

- 1 Canoa pequena
- 1 Representação de uma ancora
- 1 barrilzinho
- 1 garrafa de rum
- 1 rede de pesca
- 1 faca de cabo branco
- 21 Búzios abertos da costa (branco)
- 21 Moedas correntes brancas
- Conchas de todos os tipos na mesma contagem
- Areia da praia
- Olho de boi,
- olho de cabra,
- 1 fava de aridã
- 1 uma imagem de madeira ou então gesso
- 1 pedra do mar
- Pedras semipreciosas

Modo de fazer:

Na beira de um cais levando o okuta batizado na água salgada, as 18horas


e ali você leva um cuitelo ou panelinha de louca com o ota, os 21 búzios
abertos, 21 moedas correntes brancas, uma fava de aridã, 21 olhos de
cabra e olho de boi.

Sacrificar um galo de espora branco.

Indo pra casa na porta do terreiro você vai aprontar o assentamento:

canoa de madeira, dentro dela ira areia de praia seca, a ancora a imagem
ou fetiche e uma garrafa de rum, um barrilzinho e bastante conchas e esta
panela entrara dentro deste mesmo assentamento, o dono ira ajeitar
conforme seu gosto.

Obs: Marujos não ficam comendo mais que 2 dias.


OFERENDA AOS MARINHEIROS

- Toalha ou pano branco;


- velas branca e azul claro;
- fitas branca e azul claro;
- linhas branca e azul claro;
- pembas branca e azul claro;
- flores (cravos brancos, palmas brancas);
- frutas (varias);
- comidas (peixes assados, peixes fritos, peixes cozidos, camarões, farofa
com carne);
- bebidas (rum, aguardente);

Oferenda aos Marinheiros

- 1 alguidar
- 3 macas
- 3 peras
- 3 laranjas lima
- 7 velas azuis
- 1 pedaco de corda
- 1 bone de marinheiro
- 1 peixe assado
- 7 cigarros
- 1 copo de papel
- 1 garrafa de rum
- 7 moedas douradas (lavadas e secas)

Modo de preparo:

Na beira do mar, colocar o alguidar de modo que a água o toque


levemente.
Cortar as frutas em 4 pedaços e passá-las simbolicamente pelo seu corpo
de
baixo para cima pedindo o que deseja aos marinheiros (ou ao marinheiro
de sua preferência). Coloque as frutas no alguidar com o peixe por cima.
Enfeite com as moedas e acenda os cigarros dando três baforadas em cada
um fazendo seus pedidos. Coloque-os no alguidar e acenda as velas em
volta. Encha o copo com o rum e despeje o restante por cima do alguidar e
em volta coloque o boné em cima do alguidar junto com a corda. Salde os
marinheiros e a Iemanjá 7 vezes fazendo seus pedidos e orações.
Obs.: não jogue a garrafa no mar, traga-a de volta e jogue no lixo.

Oferenda aos marinheiros

- 1 alguidar
- 7 sardinhas (limpas e fritas)
- 1 cebola
- 1 tomate maduro
- 7 moedas (lavadas e secas)
- 1 melão
- 1 cacho de uvas
- 1 laranja lima
- 1 broche em formato de ancora
- 1 boné de marinheiro
- 1 pedaço de corda
- 1 copo de papel
- 1 lata de cerveja
- 7 cigarros
- 7 velas brancas
- Flores brancas

Modo de preparo:

Corte o melão em 7 partes, retirando as sementes e coloque no centro do


alguidar. Coloque o cacho de uva sobre as fatias de melão junto com a
laranja cortada em 7 rodelas. Coloque as sardinhas fritas em volta
colocando sobre cada sardinha uma rodela de tomate e de cebola. Passe as
moedas simbolicamente pelo corpo de baixo para cima fazendo seus
pedidos e coloque no alguidar. Coloque por cima de tudo a corda, o boné e
o broche. Por fora, enfeite com as flores, acendendo as velas em circulo.

Encha o copo com a cerveja jogando o resto em volta. Acenda os cigarros


dando três baforadas em cada um fazendo seus pedidos. Encaixe-os no
alguidar. Salde os marinheiros e Iemanjá 7 vezes fazendo seus pedidos e
orações. Traga a lata de cerveja vazia e jogue no lixo.
PONTOS DE MARINHEIRO

ANDAI NO MAR! (2X)


QUEM ACOMPANHA MARINHEIRO
TODA VIDA ANDA NO MAR!
—————————————–
MARINHEIRO, MARINHEIRO…
MARINHEIRO SO…
QUEM TE ENSINOU A NADAR…
MARINHEIRO SO…
OI FOI O TOMBO DO NAVIO…
MARINHEIRO SO…
OI FOI O BALANCO DO MAR!
MARINHEIRO SO…
LA VEM…LA VEM…
ELE E FACEIRO… TODO DE BRANCO…
COM SEU BONEZINHO… MARINHEIRO, MARINHEIRO!
QUEM TE ENSINOU A NADAR…
OI FOI O TOMBO DO NAVIO…
OI FOI O BALANCO DO MAR…
EU NAO SOU DAQUI…EU SOU DO AMOR!
EU SOU DA BAHIA…DE SAO SALVADOR!
MARINHEIRO SO…
—————————————–

MARINHEIRO AGUENTA O LEME


NAO DEIXA A BARCA VIRAR!
E CONTRA O MAR
E CONTRA O VENTO!
E CONTRA O VENTO
E CONTRA O MAR!
—————————————–
O MARTIM PESCADOR QUE VIDA E A SUA?
BEBENDO CACHACA E CAINDO NA RUA!
NAO VA BEBER… NAO VA SE EMBRIAGAR!
NAO VA CAIR NA RUA PRA POLICIA TE PEGAR!
EU JA BEBI… EU JA ME EMBRIAGUEI!
EU JA CAI NA RUA E A POLICIA NAO PEGOU!
—————————————–
EU VENHO DE LONGE PISANDO NA AREIA
NA AREIA TENHO QUE PISAR!
MAS ELE E SEU MARINHEIRO VERDADEIRO…
AQUI EM QUALQUER LUGAR!
—————————————–
UM BARQUINHO VEM VINDO DO MAR…
E O MARINHEIRO QUE VEM TRABALHAR!
ELE E FILHO DAS AGUAS CLARAS…
EU VENHO AQUI QUANDO ME CHAMAR!
—————————————–
MARINHEIRO VEM DO MAR…
NO BALANCO DO NAVIO…
VEM TRAZENDO A SANTA BENCAO…
PARA TODOS OS SEUS FILHOS!
YEMANJA GOVERNA AS AGUAS
YANSA A TEMPESTADE
COM A FORCA DO DIVINO
VEM TRAZENDO A CARIDADE!
NO CEU A LUA BRILHA
AS ONDAS DO MAR BALANCAM
NO DIA DE NOSSA SENHORA
NA AREIA A SEREIA CANTA!
—————————————–
EI MARINHEIRO
SEU BARCO ESTAVA AFUNDANDO!
AINDA BEM QUE ELE FOI SALVO
NA JANGADA DOS BAIANOS!
—————————————–
O, MARINHEIRO…
DA LICENCA DE PASSAR,
SEU NAVIO ESTA NO PORTO,
ELE VEIO DE ALTO MAR.
E NO BALANCO DO MAR Q ELE VEM…
E NO BALANCO DO MAR Q ELE VAI…
E NO BALANCO DO MAR Q ELE VEM…
E NO BALANCO DO MAR Q ELE VAI…
—————————————–
REMA A CANOA, CANOEIRO…
REMA A CANOA, DEVAGAR…
REMA A CANOA.
CANOEIRO, NAO DEIXE O BARCO VIRAR.
—————————————–
SAIA DO MAR,
SAIA DO MAR MARINHEIRO!
SAIA DO MAR,
SAIA DO MAR MARINHEIRO!
SAIA, SAIA DO MAR, ESTRANGEIRO. (2X)
SAIA DO MAR,
SAIA DO MAR MARINHEIRO!
SAIA DO MAR,
SAIA DO MAR MARINHEIRO!
SAIA, VENHA PRA CÁ, ESTRANGEIRO. (2X)
—————————————–
O MARINHEIRO, E HORA
E HORA DE VIR TRABALHAR.
O MARINHEIRO, E HORA
E HORA DE VIR TRABALHAR
E CEU
E TERRA
E MAR
SAO OS MARINHEIROS
QUE VEM NAS ONDAS DO MAR. (2X)
—————————————–
BARCO QUE E BARCO
QUE BATE NA ONDA,
ONDA QUE E ONDA,
QUE BATE NA TERRA, (2X)
E A MARUJADA DE UMBANDA.
DESEMBARCANDO AQUI NA ALDEIA! (2X)
—————————————–
ARTILHARIA JA SALVEI,
ARTILHARIA JA SALVEI!
(2X)
LA NA RIBEIRA DEU SINAL,
LA NA RIBEIRA DEU SINAL.
SEU MARINHEIRO AGUENTA O LEME,
SEU MARINHEIRO AGUENTA O LEME.
NAO DEIXA O BARCO VIRAR,
NAO DEIXA O BARCO VIRAR.
—————————————–
SEU MARINHEIRO
SUA MORADA E NO MAR (2X)
(2X)
EU VOU, EU VOU REMANDO,
REMANDO PARA O MAR (2X)
SEU MARINHEIRO
QUE BALANCO E ESSE? (2X)
E SEU BARQUINHO
QUE VAI PARA O MAR
LEVANDO FLORES BELAS
PRA MAE IEMANJA. (2X)
—————————————–
REMA A CANOA,
MARINHEIRO!
REMA A CANOA,
DEVAGAR.
ESSA CANOA SO FOI FEITA
PRA MARINHEIRO NAVEGAR.
—————————————–
QUANTAS ONDAS TEM O MAR?
QUANTOS GRAOS TEM DE AREIA? (2X)
EU VIM PRA DESCARREGAR
SOU MARINHEIRO DA MAMAE SEREIA. (2X)
—————————————–
A ONDA ME TROUXE
O VENTO ME LEVA
QUANDO A ONDA PASSAR
EU ME SENTO NA PEDRA.
—————————————–
MARINHEIRO NAVEGANDO
FOI BUSCAR PEIXE NO MAR (2X)
VAI LEVANDO AS SUAS PRECES
E PRESENTES PRA IEMANJA (2X)
—————————————–
EU VIAJEI, CAMARADA,
O MAR INTEIRO.
AH, EU REMEI, CAMARADA,
O MUNDO INTEIRO.
AGUA SALGADA, MEU MANO,
QUEM ME CRIOU,
EU VIM DO MAR, CAMARADA,
PRO MAR EU VOU. (2X)
—————————————–
OH, ( . . . ),
QUE BANDA E A SUA,
BEBENDO CACHACA,
CAINDO NA RUA. (2X)
"EU BEBO MINHA CACHACA
EU BEBO MUITO BEM,
PAGO COM MEU DINHEIRO,
NAO E DA CONTA DE NINGUEM".
—————————————–
EU FUI NA BEIRA DA PRAIA,
EU VI 7 ONDAS PASSAR. (2X)
NA ULTIMA AVISTEI UM BARCO INTEIRO,
AVISTEI O SEU NAVIO,
AVISTEI SEU MARINHEIRO. (2X)
—————————————–
QUEM ME ENSINOU A NADAR,
QUEM ME ENSINOU A NADAR,
FOI, FOI, MARINHEIRO,
FORAM OS PEIXINHOS DO MAR. (2X)
—————————————–
QUANDO A UMBANDA VIRA MAR,
QUANDO A UMBANDA VIRA MAR,
SAO OS MARINHEIROS
QUE ESTAO A TRABALHAR. (2X)
VEM NO SEU BARCO REMANDO,
VEM NO SEU BARCO REMANDO,
MARINHEIRO ESTA TRABALHANDO. (2X)
—————————————–
LA NO CEU,
A ESTRELA DALVA BRILHOU.
E DE SUAS AGUAS,
IEMANJA SAUDOU. (2X)
E MARINHEIRO!
E MARUJADA!
QUE ENCHEM DE LUZ
NOSSA CAMINHADA. (2X).
—————————————–
O NAVIO TA ATRACADO NO PORTO,
MARINHEIRO BEBEU E FICOU TORTO. (2X)
ELE BEBEU, BEBEU ATE CAIR.
LEVANTA MARINHEIRO!
A UMBANDA ESTA AQUI. (2X).
—————————————–
PUXA AS CORRENTES DO MAR MARINHEIRO,
PUXA AS CORRENTES DO MAR MARINHEIRO,
OH, MARINHEIRO, OH MARINHEIRO,
EU VIM TRABALHAR NO TERREIRO! (2X)
—————————————–
ELE VEM DE LA DO ALTO-MAR
VEM DAS AGUAS DE IEMANJA. (2X)
ELE E ROMUALDO, O MARINHEIRO,
COM OXALA GANHOU O MUNDO INTEIRO. (2X)
COM ROMUALDO MARINHEIRO NAO TEM JEITO,
COM MARINHEIRO NAO TEM TRABALHO FEITO. (2X)
—————————————–
DO FUNDO DO MAR CHEGOU,
MARINHEIRO JA CHEGOU. (2X)
ELE VEIO ABENCOAR
OS SEUS FILHOS E O CONGA. (2X)
MARINHEIRO VEM,
ELE VEM PRA TRABALHAR. (2X)
EM NOME DE IEMANJA,
OS SEUS FILHOS DESCARREGAR. (2X)
—————————————–
MARINHEIRO E POVO TRABALHADOR,
TRABALHA NA UMBANDA
COM MUITO AMOR.(2X)
DO MAR ADENTRO,
PRO MAR AFORA,
MARINHEIRO REMA
NA UMBANDA AGORA. (2X)
—————————————–
SEU MARINHEIRO EU NAO SEI POR QUE
TODA MADRUGADA EU SONHO E COM VOCE. (2X)
MARINHEIRO E BOM,
BOM NESTA CORRENTE,
SO UM MARINHEIRO
PRA SALVAR TODA ESSA GENTE. (2X)
—————————————–
EU NAO SOU DAQUI,
EU NAO TENHO AMOR,
EU SOU DA BAHIA,
DE SAO SALVADOR. (2X)
O MARINHEIRO, MARINHEIRO,
(MARINHEIRO SO!)
FOI QUEM TE ENSINOU A NADAR,
(MARINHEIRO SO!)
OU FOI O TOMBO DO NAVIO,
(MARINHEIRO SO!)
OU FOI O BALANCO DO MAR.
(MARINHEIRO SO!) (2X)
LA VEM, LA VEM,
(MARINHEIRO SO!)
COMO ELE VEM FACEIRO,
TODO DE BRANCO
COM SEU BONEZINHO. (2X)
—————————————–
E MARINHEIRO!
AGUENTA A MARE
MARE VAI PASSAR
E SO VOCE TER FE (2X)
A MARE SO DERRUBA
QUEM NAO ACREDITA,
QUEM FALA E NAO FAZ,
QUEM NAO LUTA POR CONQUISTA.
O MARINHEIRO!
E MARINHEIRO!
AGUENTA A MARE
MARE VAI PASSAR
E SO VOCE TER FE.
E NESSA CORRENTEZA
EU SOU MAIS VOCE.
E SEU DIA A DIA
QUE VAI FAZER VENCER A MARE.
O MARINHEIRO!
—————————————–
FOI PELO CANTO DA SEREIA
QUE O MARINHEIRO SE ENCANTOU COM O MAR.
CONHECEU NOSSA SENHORA,
HOJE ELE E FILHO DE MAE IEMANJA. (2X)
VEM NESSE TERREIRO,
OS MARINHEIROS VEM NOS AJUDAR.
VEM TRAZENDO A FORCA
E A MAGIA QUE SO TEM NO MAR.
—————————————–
QUANDO SETE ONDAS PASSOU
E O MAR SE ABRIU,
MARINHEIRO AQUI CHEGOU. (2X)
VEIO TRABALHAR NA UMBANDA,
VEIO SARAVAR ESSE CONGA.
E AGORA SETE ONDAS VAI PASSAR,
E QUANDO O MAR SE FECHAR,
MARINHEIRO ELA VAI LEVAR. (2X)
VAI AO ENCONTRO DE IEMANJA,
VAI REMANDO NAS AGUAS DE OXALA!
VAI AO ENCONTRO DE OXALA,
VAI REMANDO NAS ONDAS DE IEMANJA. (2X)
—————————————–
JA E HORA, JA E HORA,
BOA VIAGEM!
MARINHEIRO VAI EMBORA,
BOA VIAGEM!
ADEUS, ADEUS,
BOA VIAGEM,
ATE OUTRA HORA. (2X)
—————————————–
O NAVIO JA APITOU
O RELOGIO MARCOU A HORA. (2X)
ADEUS , UMBANDA, ADEUS,
E ROMUALDO MARINHEIRO
QUE VAI EMBORA. (2X)
—————————————–

APOSTILAS MON'A'XÍ

Você também pode gostar