Você está na página 1de 14

EXERCÍCIOS

1 – A sucessão tratada como direito fundamental ínsita a CF/88, trata-se da


intervivos, haja vista ser inerente ao ser humano a possibilidade de testar
em vida… Errado – a CF protege o conjunto de direitos e obrigações
transmitidos em razão da morte, isto é, trata-se do direito de
herança (art. 5º, XXX, CF/88);
2 – Os bens, direitos e obrigações são passíveis de sucessão mortis causas,
não obstante não se transmitir as obrigações intuite persona. Errado – o
poder familiar, a tutela, curatela, as faculdades pessoais e
obrigações intuitu personae não se transmitem;
3 – O direito real de uso, usufruto e habitação se transmitem por herança…
Errado – tais direitos se extinguem com a morte do titular (art.
1.410, I, c/c art. 1.413 e 1.416, todos do CC);
4 – Por direito das sucessões temos um conjunto de regras e princípios que
disciplinam as transmissões das relações patrimoniais ativas e passivas de
alguém que faleceu para seus herdeiros e legatários. Correto;
1 - Pelo princípio de saisine, no momento da morte as relações jurídicas
patrimoniais do de cujus são transmitidas automaticamente para os seus
herdeiros e legatários por ficção jurídica… Correto;
2 – O de cujus é o autor da herança que fez testamentos… Errado – é o
termo para designar o falecido nos termos do inventário;
3 – Pelo princípio da saisine são fixados a norma sucessória, a capacidade e
o lugar da sucessão. Errado – o lugar da sucessão é o último domicílio
do falecido (art. 1.785, CC);
4 – O legatário pode pedir cautela do legado e também se servir de tutela
de evidencia mas deve prestar a caução muciana. Correto
1 - Norma sucessória mais favorável e aquela em o direito alienígena do
local do nascimento do de cujus é mais favorável a herdeiro nacional. Por
isso o julgamento da sucessão se dará no estrangeiro, mesmo que em bem
localizado no Brasil… Correto (art. 5º, XXXI, CF/88);
2 – Estão legitimados a suceder as pessoas nascidas ou já concebidas na
abertura da sucessão. Por isso, os embriões criogenizados não ter
legitimidade para tal… Correto;
3 – É defeso ao autor da herança deixar bem para após de seu falecimento
para sua concubina, não obstante posa fazê-lo em vida… Errado – art.
1.801, III, CC;
4 - A indignidade e a deserdação são institutos que afastam a presunção de
afeto e solidariedade familiar. Correto;
1 – A declaração judicial que considera indigno um herdeiro não pode atingir
seus descendentes ou ascendentes devido ao princípio da transcendência
da pena… Errado – devido ao princípio da intranscendência da pena;
2 – Os filhos do indigno ou deserdado suceder por representação ou estirpe,
nunca por cabeça… Errado;
3 - No caso de instigação ao suicídio praticado contra o autor da herança,
não tem o cordão de afastar o herdeiro quem o praticou, haja vista que o rol
das sanções acima ser taxativo e não permitir ampliar as suas hipóteses…
Errado – a instigação ao suicídio equipara-se ao homicídio para fins
de sucessão;
4 – É possível a reabilitação do excluído da sucessão se o autor da herança
souber do motivo e não proceder a indignidade, ter-se-ia um perdão tácito…
Errado – art. 1.818, CC;
01 - A indignidade declarada por sentença e em ação própria alcança a
pessoa do excluído e seus descendentes. Errado – art. 1.816, CC;

02 - Ao herdeiro instituído, ou àquele a quem aproveite a deserdação,


incumbe provar a veracidade da causa alegada pelo testador. Correto –
1.965, CC;

03 - A regra de que concubina do testador casado não pode ser beneficiada


em testamento é afastada quando o bem deixado em herança não estiver
englobado pelos cinquenta por cento dos bens particulares do testador.
Errado – art. 1.801, III, CC;

04 - A abertura da sucessão ocorre no momento da morte do titular do


patrimônio, sendo a propriedade dos bens transferida com a partilha.
Errado – a posse e propriedade dos bens se transferem com a morte
pelo princípio de saisine;

05 - A doação pura e simples de bem hereditário feita por herdeiro aparente


será inválida, ainda que o donatário tenha agido de boa-fé. Correto – art.
1.827, parágrafo único, CC;

06 – O espólio tem legitimidade para postular indenização pelos danos


materiais e morais experimentados pelos herdeiros, inclusive sob a
alegação de que os referidos danos teriam decorrido de erro médico de que
fora vítima o falecido. Errado – STJ, REsp 1.143.968-MG.

07 -Constituem hipóteses de deserdação de herdeiros e legatários a ofensa


física, a injúria grave, as relações ilícitas com madrasta e (ou) padrasto.
Errado – o art. 1.962 do CC trata das hipóteses de deserdação tão
somente dos herdeiros necessários, os legatário são excluídos pelo
art. 1.814;

08 - A ofensa física é uma das causas que autorizam a deserdação, não


sendo necessário que haja condenação criminal ou que a lesão corporal seja
grave ou gravíssima. Correto – art. 1.962 c/c art. 935, ambos do CC;

09 - Os herdeiros serão responsáveis pelo pagamento das dívidas do


falecido até o momento em que for realizada a partilha. Errado – eles
respondem depois da partilha, cada qual na proporção de seu
quinhão (art. 1.997, CC);

10 - A sucessão abre-se no lugar da morte do falecido. Errado – no


domicílio do falecido (art. 1.785, CC)
11 - A sucessão dá-se por lei ou por disposição de última vontade, conforme
seja legítima ou testamentária, e, havendo herdeiros necessários, o testador
só poderá dispor da metade da herança. Correto – art. 1.786 e 1.789,
CC;

12 - Legitimam-se a suceder apenas as pessoas já nascidas no momento da


abertura da sucessão, não havendo direitos sucessórios do nascituro.
Errado – art. 1.798, CC;

13 - Aberta a sucessão pelo ajuizamento da ação de inventário, a herança


transmite-se por sentença que homologa a partilha de bens aos herdeiros
legítimos e testamentários. Errado – art. 1.784, CC;

14 - Como a capacidade testamentária é mensurada no momento da


redação do testamento, o testamento de pessoa idosa só é válido se
redigido antes que ela atinja sessenta anos de idade. Errado – idoso não é
incapaz;

15 - No que tange à capacidade para suceder, é correto afirmar que, com a


abertura da sucessão, a herança se transmite imediatamente aos herdeiros,
que passam a ser titulares de direitos adquiridos, aplicando- se a lei vigente
à época da morte do autor da herança. Correto;

16 – Marque a opção incorreta.

a) A herança é o conjunto das relações patrimoniais, ativas e passivas,


transmitidas pelo de cujus.

b) O espólio é a representação da herança na seara judicial ou extrajudicial,


embora trata-se de um ente despersonalizado.

c) Trata-se de presunção absoluta de nulidade a doação não onerosa para


pessoas não legitimadas a suceder tais como, filho da concubina, e do
tabelião perante o qual se procedeu o testamento.

d) A indignidade poderá ocorrer por fatos anteriores ou posteriores a morte.


A deserdação sempre anterior.

→ e) É necessário o transito em julgado do acusado de homicídio, contra as


pessoas referidas no artigo 1814, para que o juiz civil sentencie indigno um
herdeiro… Incorreta – art. 935, CC;

17. (TJ/SP/Outorga de Delegações de Notas e de Registro/6º Concurso/2009)


Aberta a sucessão, a herança transmite-se, desde logo, aos herdeiros
legítimos e testamentários. Tal regra é decorrente do princípio conhecido
como
→ a) saisine… Correta.
b) transmissibilidade imediata.
c) sucebilidade incondicional.
d) herança instantânea.
18. (TJ/SP/Juiz de Direito/183º Concurso/2011) Assinale a alternativa
CORRETA.
a) Regula a sucessão a lei vigente ao tempo da abertura do inventário.
b) A sucessão abre-se no lugar do falecimento.
c) É possível a aceitação parcial da herança.
d) O ato de renúncia da herança é passível de revogação.
→ e) Os descendentes de herdeiro excluído sucedem como se ele fosse
morto antes da abertura da sucessão. Correto – art. 1.816, CC;
19. (MP/SP/Analista de Promotoria/VUNESP/2010) Considere as afirmações
seguintes:
I. tanto o instituto da indignidade quanto o da deserdação procuram
afastar da herança aquele que a ela não faz jus, em razão de reprovável
conduta que teve em relação ao autor sucessionis, ou, ainda, contra seu
cônjuge, companheiro, ascendente ou descendente;
II. a pena de indignidade é cominada pela própria lei, nos casos expressos
que enumera, ao passo que a deserdação repousa na vontade exclusiva do
de cujus que a impõe ao culpado, em ato de última vontade, desde que
fundada em motivo legal;
III. somente a autoria em crime de homicídio doloso, tentado ou
consumado contra o autor da herança, pode afastar o herdeiro da sucessão.
Está correto o contido em
a) I, II e III.
b) I e III, apenas.
c) II e III, apenas.
→ d) I e II, apenas… Correta
e) I, apenas.

20. (MP/BA/Promotor de Justiça/2010) A Constituição Federal da República


Federativa do Brasil consagra, no seu artigo 5º, XXX, o direito de herança
como direito fundamental. Com efeito, vaticina Ney de Mello Almada: “o
Direito das Sucessões é o conjunto de princípios legais disciplinadores da
transmissão, aos herdeiros e legatários, do patrimônio sucessível de uma
pessoa, que vem a falecer”. Nessa esteira, aduz Lacerda de Almeida que,
em razão da repercussão social, tais princípios são “fundamentais e de
ordem pública”.
Assim sendo, marque a alternativa CORRETA, após o exame de
veracidade das assertivas abaixo.
I. A aquisição da propriedade mortis causa se dá com o registro da
partilha no cartório de registro de imóveis competente. Errado – art.
1.784, CC;
II. De acordo com a legislação pátria, o direito a sucessão aberta
consubstancia-se em uma universalidade iuris, bem assim em direito real
imobiliário. Correto
III. Na sucessão mortis causa de estrangeiro domiciliado no Brasil, no que
tange aos bens situados no Brasil, invariavelmente se aplicará a Lei Material
Brasileira. Errado – art. 5º, XXXI, CF/88;
IV. Quando proferida após 5 (cinco) anos da abertura da sucessão, a
sentença que declara a vacância produzirá efeitos retro-operantes. Correto
– art. 1.822, segunda parte, CC;
V. Em matéria de sucessão legítima, pode-se afirmar que a representação
somente é possível na linha reta descendente.

→ a) FVFVF… Correto;
b) VVFVV.
c) FFVFF.
d) VFVVF.
e) FVVFV.

21 – Marque a opção correta.

a) O objeto da sucessão são as relações patrimoniais e extrapatrimoniais


ativas e passivas.

b) O direito autoral não é passível de sucessão, nem na parte


personalíssima nem na patrimonial.

c) Direito das sucessões são os conjuntos de regras e princípios que


disciplinam a transmissão das relações jurídicas patrimoniais ativas e
passivas de alguém que faleceu para seus herdeiros unicamente através da
lei.

d) O sucessor herdeiro se confunde com o legítimo visto que este não pode
receber por testamento.

e) Herdeiro legatário aquele que recebe um bem a título singular e o


herdeiro testamentário é aquele que recebe uma fração da herança...
01 A aquisição da propriedade mortis causa se dá com o registro da partilha
no cartório de registro de imóveis competente.

02 - De acordo com a legislação pátria, o direito a sucessão aberta


consubstancia-se em uma universalidade iuris, bem assim em direito real
imobiliário.

03 - Na sucessão mortis causa de estrangeiro domiciliado no Brasil, no que


tange aos bens situados no Brasil, invariavelmente se aplicará a Lei Material
Brasileira.

04 - Em matéria de sucessão legítima, pode-se afirmar que a representação


somente é possível na linha reta descendente.

05 - O princípio da saisine nos informa que, aberta a sucessão, a herança


transmite-se, desde logo, aos herdeiros legítimos e testamentários,
independentemente de saberem ou não que o autor da sucessão tenha
falecido.

06 - O herdeiro sucede a título universal e o legatário a título singular. A


sucessão a título singular tanto pode ocorrer na sucessão legítima como na
testamentária.

07 - Os efeitos da exclusão do herdeiro indigno transmitem-se aos seus


descendentes.

08- Se o testamento caducar ou for considerado nulo, subsistirá a sucessão


legítima.

09 - Calcula-se a legítima sobre o valor dos bens existentes na abertura da


sucessão, abatidas as dívidas e as despesas do funeral, adicionando-se, em
seguida, o valor dos bens sujeitos a colação.

10 – O objeto da sucessão são as relações patrimoniais e extrapatrimoniais


ativas e passivas.

11 – O direito autoral não é passível de sucessão, nem na parte


personalíssima nem na patrimonial.
12 – Direito das sucessões são os conjuntos de regras e princípios que
disciplina a transmissão das relações jurídicas patrimoniais ativas e passivas
de alguém que faleceu para seus herdeiros.

13 – Herdeiro singular é aquele que recebe um legado do de cujus


necessariamente por testamento.

14 - Analise as proposições.

I - O herdeiro sucede a título universal e o legatário a título singular. A


sucessão a título singular tanto pode ocorrer na sucessão legítima como na
testamentária;

II - A pena de indignidade é cominada pela própria lei, nos casos expressos


que enumera, ao passo que a deserdação repousa na vontade exclusiva do
de cujus que a impõe ao culpado, em ato de última vontade, desde que
fundada em motivo legal;

III - Somente a autoria em crime de homicídio doloso, tentado ou


consumado contra o autor da herança, pode afastar o herdeiro da sucessão.

IV - Na sucessão legitima podem ainda ser chamados a suceder, dentre


outros os filhos, ainda não concebidos, de pessoas indicadas pelo testador.
Desde que vivas estas ao abrir-se a sucessão.

Aponte a opção correta.

a) Apenas o item IV está correto.

b) Apenas o item I está errado

c) Apenas o item II está correto...

d) Todos os itens estão incorretos.

e) nenhuma opção acima.

15. (TJ/MS/Juiz de Direito/Fundação Carlos Chagas/2010) Sucessão legítima


a) O grau mais remoto exclui o mais próximo, na classe dos ascendentes.
b) Na classe dos ascendentes, o grau mais próximo exclui o mais
remoto...
c) Há direito de representação na linha ascendente.
d) Havendo igualdade de linhas, os ascendentes da linha paterna herdam
na integralidade.
e) Havendo diversidade de graus, os ascendentes da linha paterna
herdam na integralidade.

16. (MP/SP/Promotor de Justiça/89º Concurso/2012) Em direito das


sucessões, constitui a legítima:
a) Na exclusão da sucessão do herdeiro ou legatário declarado, por
sentença, indigno.
b) Na metade dos bens da herança pertencente aos herdeiros
necessários...
c) No legado recebido pelo herdeiro necessário, da parte disponível dos
bens do testador.
d) Na ordem ocupada pelo cônjuge sobrevivente na sucessão legítima.
e) No direito do herdeiro, em ação de petição de herança, de demandar o
reconhecimento de seu direito sucessório.

17. (TJ/PE/Juiz de Direito/Fundação Carlos Chagas/2011) Na sucessão


legítima
a) os filhos sucedem por cabeça e os outros descendentes apenas por
estirpe.
b) em falta de descendentes e ascendentes, será deferida a sucessão por
inteiro ao cônjuge sobrevivente, apenas se casado sob o regime da
comunhão universal ou parcial de bens.
c) sendo chamados a suceder os colaterais, na falta de irmãos sucederão
os tios e não os havendo os filhos dos irmãos.
d) em falta de descendente e ascendente, será deferida a sucessão por
inteiro ao cônjuge sobrevivente, mesmo que casado tiver sido sob o regime
da separação obrigatória de bens...
e) na classe dos ascendentes não há exclusão por grau, todos sendo
aquinhoados em igualdade.

18. (OAB/VI Exame de Ordem Unificado/Fundação Getulio Vargas/2012)


José, solteiro, possui três irmãos: Raul, Ralph e Randolph. Raul era pai de
Mauro e Mário. Mário era pai de Augusto e Alberto. Faleceram, em virtude
de acidente automobilístico, Raul e Mário, na data de 15/4/2005.
Posteriormente, José veio a falecer em 1º/5/2006. Sabendo-se que a herança
de José é de R$ 90.000,00, como ficará a partilha de seus bens?
a) Como José não possui descendente, a partilha deverá ser feita entre os
irmãos. E, como não há direito de representação entre os filhos de irmão,
Ralph e Randolph receberão cada um R$ 45.000,00.
b) Ralph e Randolph devem receber R$ 30.000,00 cada. A parte que
caberá a Raul deve ser repartida entre Mauro e Mário. Sendo Mário
premorto, seus filhos Alberto e Augusto devem receber a quantia que lhe
caberia. Assim, Mauro deve receber R$ 15.000,00, e Alberto e Augusto
devem receber R$ 7.500,00 cada um.
c) Ralph e Randolph receberão R$ 30.000,00 cada um. O restante (R$
30.000,00) será entregue a Mauro, por direito de representação de seu pai
premorto...
d) Ralph e Randolph receberão R$ 30.000,00 cada um. O restante, na
falta de outro colateral vivo, será entregue a Mauro, por direito de
representação de seu pai premorto.

19. (PGE/SP/Procurador do Estado/Fundação Carlos Chagas/2012) “A” era


casada sob o regime da comunhão parcial de bens com “B”. “B” faleceu em
2011 e deixou um imóvel por ele adquirido antes do casamento, usado
como moradia do casal. Não há descendentes, mas dois ascendentes em
primeiro grau vivos. Neste caso,
a) além de receber fração ideal de 1/3 do imóvel como herdeira
necessária, “A” tem direito real de habitação, que se constitui a partir do
registro do formal de partilha no Cartório de Imóveis.
b) “A” tem direito real de habitação, participa da herança na qualidade de
herdeira necessária e recebe a metade ideal do imóvel, cabendo a cada
ascendente fração ideal de 1/4 do bem.
c) “A” tem direito real de habitação, cabendo a cada herdeiro fração ideal
de 1/3 do imóvel...
d) por se tratar de bem incomunicável, “A” não participa da sucessão,
mas tem direito real de habitação, cabendo a cada ascendente metade ideal
do imóvel.
e) em razão do regime de bens que regeu o casamento, “A” tem direito ao
usufruto da metade do imóvel, cabendo, a cada herdeiro, fração ideal de 1/3
do bem.

20 – Aponte a opção incorreta

a) A sucessão dá-se por lei ou por disposição de última vontade, conforme


seja legítima ou testamentária, e, havendo herdeiros necessários, o testador
só poderá dispor da metade da herança.

b) Os herdeiros serão responsáveis pelo pagamento das dívidas do falecido


até o momento em que for realizada a partilha.
c) O espólio tem legitimidade para postular indenização pelos danos
materiais e morais experimentados pelos herdeiros, inclusive sob a
alegação de que os referidos danos teriam decorrido de erro médico de que
fora vítima o falecido...

d) Sucessão testamentária - que é aquela decorrente de um testamento ou


disposição de última vontade.

e) A partir do Código Civil de 2002, o cônjuge saiu da condição de herdeiro


que poderia ser afastado por disposição testamentária, para ser elevado à
categoria de herdeiro necessário.

01 – O sucessor herdeiro se confunde com o legítimo visto que este não


pode receber por testamento.

02 – Herdeiro legatário aquele que recebe um bem a título singular e o


herdeiro testamentária é aquele que recebe uma fração da herança.

03 – São herdeiros legítimos o cônjuge, ascendentes, descendentes, o


companheiro e os colaterais até 4º grau.

04 – Os herdeiros necessários são os donos da legítima.

05 – É proibido que um herdeiro legitimo seja também legatário.

06 – O herdeiro universal faz jus a adjudicação da herança.

07 – Espolio é o conjunto das relações patrimoniais, ativas e passivas,


transmitidas pelo de cujus.

08 – Herança é a representação do espólio na seara judicial ou extrajudicial,


embora trata-se de um ente despersonalizado.

09 – A herança é um bem imóvel.


10 – Apesar de ser um bem imóvel, não é necessária a vênia uxória para
venda da cota da herança, independentemente do regime de casamento,
pois em regra ela não se comunica com os bens do casal.

11 – Para demandar questões patrimoniais do de cujus o polo ativo deve ser


o espólio. Já na seara extrapatrimonial, os legitimados são os herdeiros.

12 – Por se tratar de um condomínio necessário, a herança tem como


características ser universal, individual e imóvel.

13 – O princípio do Droid de Saisine, por ficção jurídica, que a divisão dos


bens do de cujus, seja transmitido automaticamente para seus herdeiros,
salvo os legatários.

14 – A norma sucessória mais favorável é somente aplicada aos imóveis


localizados no Brasil.

15 – Para a aplicação da norma sucessória mais favorável, o estrangeiro é o


indivíduo, mesmo nacional, tenha residencial fora do Brasil e que
cumulativamente tenho imóveis e herdeiros no Brasil.

16 – As pessoas jurídicas não criadas não podem ser beneficiadas pela


sucessão, mesmo aquelas que o testador reservou para a sua criação parte
de sua parte disponível.

17 – Trata-se de presunção absoluta de nulidade a doação não onerosa para


pessoas não legitimadas a suceder tais como, filho da concubina, e do
tabelião perante o qual se procedeu o testamento.

18 – Os atos de administração e a alienação onerosa de bens da herança


pelo herdeiro aparente, que fora declarada indigno, são legítimas e será
protegido o terceiro de boa-fé.

19 - É necessário o transito em julgado do acusado de homicídio, contra as


pessoas referidas no artigo 1814, para que o juiz civil sentencie indigno um
herdeiro.

20 – A indignidade será sempre anterior a morte, a deserdação poderá ser


anterior ou posterior a abertura da sucessão.
21- Aponte a opção incorreta

22 - São Características da herança, exceto

a) Indivisível

b) Divisível...

c) Imóvel

d) Universal

e) Direto Fundamental

23. (OAB/IX Exame de Ordem Unificado/Fundação Getulio Vargas/2012)


José, viúvo, é pai de Mauro e Mário, possuindo um patrimônio de R$
300.000,00. Casou-se com Roberta, que tinha um patrimônio de R$
200.000,00, pelo regime da comunhão universal de bens. José e Roberta
tiveram dois filhos, Bruno e Breno.
Falecendo Roberta, a divisão do monte seria a seguinte:
a) José recebe R$ 250.000,00 e Mauro, Mário, Bruno e Breno recebem
cada um R$ 62.500,00.
b) O monte, no valor total de R$ 500.000,00, deve ser dividido em cinco
partes, ou seja, José, Mauro, Mário, Breno e Bruno recebem, cada um, R$
100.000,00.
c) José recebe R$ 250.000,00 e Bruno e Breno recebem, cada um, a
importância de R$ 125.000.00...
d) A herança deve ser dividida em três partes, cabendo a José, Bruno e
Breno 1/3 do monte, ou seja, R$ 166.666,66 para cada um.

24. (MP/PE/Promotor de Justiça/2008) Concorrendo à herança do falecido


irmãos bilaterais com irmãos unilaterais,
a) todos herdarão em partes iguais.
b) cada um destes herdará metade do que cada um daqueles herdar...
c) somente herdarão os irmãos unilaterais.
d) somente herdarão os irmãos bilaterais.
e) estes somente herdarão se habitarem imóvel do falecido.
24. (MP/RJ/Promotor de Justiça/XXXII Concurso/2011) O Código Civil de
2002 trouxe para o ordenamento jurídico pátrio profundas modificações no
direito sucessório decorrente do casamento e da união estável. O novo
diploma legal, editado após a Constituição Federal de 1988, preconiza que o
cônjuge sobrevivente:
a) possui os mesmos direitos sucessórios que o companheiro
sobrevivente, em razão da isonomia constitucional entre o casamento e a
união estável. O novo código estipulou a mesma ordem de vocação
hereditária para o companheiro e o cônjuge sobrevivente;
b) concorrerá com todos os demais herdeiros, que são os descendentes,
ascendentes e colaterais, aplicando-se os princípios da sucessão legítima e
a forma de participação preconizada nos artigos 1.829 e seguintes do citado
diploma legal;
c) não concorrerá com os ascendentes, caso o seu casamento tenha sido
celebrado pelo regime da comunhão universal de bens; entretanto, será
assegurado a ele o direito real de habitação previsto no artigo 1.831 do
Código civil;
d) concorrerá com os descendentes existentes, na hipótese de ser casado
com o falecido pelo regime da separação convencional de bens, na forma do
artigo 1.829, inciso I, do Novo Código Civil, e também terá assegurado o
direito real de habitação previsto no artigo 1.831 do mesmo diploma;...
e) participará no regime da separação obrigatória de bens da sucessão do
outro somente quanto aos bens adquiridos onerosamente na vigência do
casamento.

25. (TJ/RJ/Juiz de Direito/VUNESP/2012) Considerando as disposições


positivadas no Código Civil, é CORRETO afirmar sobre a sucessão dos
ascendentes:
a) Na falta de descendentes, são chamados à sucessão os ascendentes
em concorrência com o cônjuge sobrevivente, salvo se casado este com o
falecido no regime da comunhão universal, participação final nos aquestos,
ou da separação obrigatória de bens se, no regime da comunhão parcial, o
autor da herança houver deixado bens particulares.
b) Na falta de descendentes, são chamados a suceder os ascendentes em
concorrência com o cônjuge ou companheiro sobrevivente, salvo se casado
este com o falecido no regime da comunhão parcial de bens, ou da
separação obrigatória, desde que haja bens particulares.
c) Havendo igualdade em grau e diversidade em linha, os ascendentes da
linha paterna herdam a metade, cabendo a outra aos da linha materna...
d) Concorrendo com ascendente em primeiro grau, ao cônjuge tocará a
metade da herança; caber-lhe-á um quarto desta se houver um só
ascendente ou se maior for aquele grau.
26. (OAB/Exame de Ordem Unificado 2010.3/Fundação Getulio
Vargas/2011) Josefina e José, casados pelo regime da comunhão universal
de bens, tiveram três filhos: Mário, Mauro e Moacir. Mário teve dois filhos:
Paulo e Pedro. Mauro teve três filhos: Breno, Bruno e Brian. Moacir teve duas
filhas: Isolda e Isabel. Em um acidente automobilístico, morreram Mário e
Mauro. José, muito triste com a perda dos filhos, faleceu logo em seguida,
deixando um patrimônio de R$ 900.000,00. Nesse caso hipotético, como
ficaria a divisão do monte?

a) Josefina receberia R$ 450.000,00. Os filhos de Mário receberiam cada


um R$ 75.000,00. Os filhos de Mauro receberiam R$ 50.000,00 cada um. E,
por fim, as filhas de Moacir receberiam R$ 75.000,00 cada uma.
b) A herança seria dividida em três partes de R$ 300.000,00. Paulo e
Pedro receberiam cada um R$ 150.000,00. Breno, Bruno e Brian receberiam,
cada um, R$ 100.000,00. E, por fim, Isabel e Isolda receberiam cada uma a
importância de R$ 150.000,00.
c) Paulo e Pedro receberiam cada um R$ 150.000,00. Breno, Bruno e
Brian receberiam, cada um, R$ 100.000,00. E, por fim, Moacir receberia R$
300.000,00.
d) Josefina receberia R$ 450.000,00. Paulo e Pedro receberiam cada um
R$ 75.000,00. Breno, Bruno e Brian receberiam cada um R$ 50.000,00.
Moacir receberia R$ 150.000,00...