Você está na página 1de 3

O USO DE ÓRBITAS NA ANÁLISE DE VIBRAÇÕES DE PENEIRAS VIBRATÓRIAS

As peneiras vibratórias fazem parte de um grupo de máquinas que produzem


movimentos: Elíptico, Circular ou Linear. Elas servem para executar tarefas de separação de
produtos e têm aplicação principal nas indústrias de Cimento e Mineração. Os movimentos
desejados, são produzidos por mecanismos vibratórios, geralmente baseados em sistemas de
massas excêntricas, que produzem forças dinâmicas para obter amplitudes de vibrações, com
frequências de operação de 700 a 1200 rpm.
Os principais modos de Falha, por tipo de sistema de Peneiras Vibratórias são os seguintes:
Acionamento:

 Motor elétrico: Falha do rolamento e falha de elétrica


 Cardam: quebra dos parafusos e dos componentes internos
 Acionamento por Polia e Correia: Desgaste dos canais e rompimento das correias

Estrutura:

 Trincas, fissuras e rompimento das chapas internas


 Deformação excessiva por erro de ajuste de contrapesos
 Fixação inadequada e quebras das vigas e fixadores
 Quebra, trinca e fissura dos quadros
 Soltura de parafusos e fixadores

Para identificar antecipadamente as falhas acima, sugere-se integrar inspeções visuais com
medições e analises de vibrações. A principal componente de vibração medida, normalmente,
corresponde ao efeito do acionamento excêntrico na frequência de rotação. Esta componente
é muito maior do que as outras que aparecem nos gráficos, em função de falhas estruturais,
e pode mascarar os resultados.

A Orbita do movimento é uma informação importante para identificar alterações


estruturais. Existe uma relação ideal entre rotação de operação, amplitude e ângulo de
inclinação do equipamento em função da abertura das malhas instaladas nas peneiras.

Figura 1: Tipos de movimentos das Peneiras Vibratórias.


A Orbita dos movimentos, em ambos os lados, na alimentação deve ser quase igual, assim
como na descarga. Detectar alguma diferença relevante na forma da Orbita, significa
distorção no movimento, ou seja, irregularidade na vibração, provocada por algum dano
estrutural ou sobrecarga na alimentação.

Sinal Bom Sinal com defeito


Figura 2: Exemplos de variação da Orbita em função de diferentes alterações estruturais na
Peneira Vibratória, antes e depois.

Exemplo de uma peneira vibratória considerada normal, através da informação no espectro e


na forma de onda. Através da orbita, observa-se 2 alterações a 4 e 10 horas e foram
identificados durante inspeção componentes internos quebrados

Figura 3: Exemplos de variação da Orbita em função de diferentes alterações estruturais na


Peneira Vibratória, antes e depois
Conclusão:

Além do valor global, da forma de onda e espectro de vibrações coletados nos mancais de
rolamentos, podemos também medir as Orbitas sobre os apoios das Molas.

Para agilizar a identificação de deterioração estrutural das Peneiras Vibratórias, através de


identificação das variações das Orbitas, pode-se utilizar de Sistemas de Monitoramento
Permanente (On line) com baixo investimento.

Figura 4: Exemplo de Sistema de Monitoramento Permanente (On Line) com baixo


investimento.

Autor: Ricardo Vieira do Amaral, tel.: 11 993746588, Ricardo.amaral@smpreditiva.com.br

SM Preditiva

Consultoria em equipamentos de vibração e balanceadoras da Teknikao.

Serviços: Treinamentos de analise de vibrações (Básico e Avançado,Baixa rotação, Peneiras vibratórias,


Equipamentos navais, Turbo máquinas, etc).

Implantação de manutenção preditiva.

Avaliação de programas de preditiva implantados.