Você está na página 1de 34

MECÂNICA DOS SOLOS II

Prof.ª Naiara de Lima Silva


Mestrado em Geotecnia – NUGEO/ UFOP
Engenheira Ambiental - UESB
E-mail: nls.naiara@gmail.com
CONTEÚDOS
• Tensões em uma Massa de Solo

• Compressibilidade e Adensamento dos Solos

• Resistência ao Cisalhamento dos Solos

• Ensaios de campo e de laboratório para estudo do


comportamento tensão-deformação-resistência dos
solos.

• Empuxos de Terra

• Estabilidade de Taludes e Encostas


TENSÕES EM UMA MASSA DE SOLO
• A construção de uma fundação geralmente causa aumento da
tensão média do solo e esta depende:

 da carga por unidade de área à


qual a fundação está
submetida;

 da profundidade abaixo
da fundação na qual a
estimativa da tensão é
desejada e outros
fatores.
TENSÕES EM UMA MASSA DE SOLO

Bulbo de tensões  região do subsolo sob o domínio das


tensões induzidas pelo carregamento.
TENSÕES EM UMA MASSA DE SOLO
TENSÕES EM UMA MASSA DE SOLO
TENSÕES EM UMA MASSA DE SOLO
• É necessário estimar o
aumento da tensão vertical
média no solo decorrente
dessa construção de tal
forma que o recalque possa
ser calculado.

• Este tema aborda os


princípios da estimativa do
aumento da tensão vertical
no solo causado por vários
tipos de carga, com base na
teoria da elasticidade.
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO
• Aspecto importante para a Engenharia Geotécnica é a
determinação das deformações devido a carregamentos verticais
na superfície do terreno ou em cotas próximas à superfície.

• As deformações podem ocorrer de dois


modos:

– Rapidamente após a construção (solos


arenosos ou solos argilosos não
saturados);

– Lentamente após a aplicação das


cargas (solos argilosos saturados, pois
é necessária a saída de água dos vazios
dos solo).
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO

• A compressão é causada
por:
– deformação das partículas
de solo;

– deslocamento de partículas
de solo;

– expulsão da água ou do ar
dos espaços vazios.
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO

• RECALQUE DIFERENCIAL
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO
• Em geral o recalque do solo causado por cargas pode
ser dividido em três categorias:
1. Recalque elástico (ou recalque imediato).
2. Recalque por adensamento primário.
3. Recalque por compressão secundária.
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO
1. Recalque elástico (ou recalque imediato)
 Ocorre diretamente depois da aplicação de uma determinada carga;
causado pela deformação elástica do solo seco e dos solos úmidos e
saturados sem qualquer alteração no teor de umidade.

2. Recalque por adensamento primário


 Resultado de uma alteração de volume em solos coesivos saturados
devido à expulsão da água que ocupa os espaços vazios.

3. Recalque por compressão secundária


 Presente em solos coesivos saturados, é resultado do ajuste plástico
da estrutura do solo. Esta é outra forma de compressão que ocorre
sob tensão efetiva constante.

O recalque total de uma fundação pode ser determinado pela


soma dos três tipos de recalques.
COMPRESSIBILIDADE E ADENSAMENTO
• O comportamento dos solos perante os carregamentos depende
da sua constituição e do estado em que o solo se encontra. Pode
ser expresso por parâmetros obtidos em ensaios ou através da
correlações estabelecidas entre esses parâmetros e as diversas
classificações.

Ensaio de Adensamento
RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DOS SOLOS
• A resistência de qualquer material é a maior tensão que o
mesmo pode suportar.

• Quando a tensão aplicada excede a sua resistência

RUPTURA

• Vários materiais empregados na construção civil resistem bem a


tensões de compressão, porém têm uma capacidade limitada de
suportar tensões de tração e de cisalhamento (concreto e solos).

• As tensões cisalhantes são a principal causa do movimento


relativo entre as partículas do solo.
RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DOS SOLOS
• Problemas usuais em que é necessário conhecer a
resistência do solo:
RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DOS SOLOS
• Nos solos, a ruptura por cisalhamento ocorre quando as
tensões entre as partículas são tais que deslizam ou rolam
umas sobre as outras. A resistência ao cisalhamento
depende da interação entre as partículas, e esta interação
pode ser dividida em duas categorias:

 Atrito

 Coesão

Critério de Ruptura de Mohr-Coulomb


RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DOS SOLOS
Ensaios
Resistência ao Cisalhamento dos Solos
• Ensaio de Cisalhamento Direto.
• Ensaios Triaxiais Drenados - CD.
• Ensaios Triaxiais Não Drenados – CU e UU.
• Ensaio de Compressão Simples.
• Ensaio de Cisalhamento de Palheta.
EMPUXO DE TERRA
• Estruturas de contenção, como murros de arrimo, paredes
de subsolos e cortinas, são comumente encontradas na
engenharia de fundações, já que suportam taludes de
massas de terra.
EMPUXO DE TERRA
• O planejamento e a construção destas estruturas exigem
um conhecimento amplo sobre as forças laterais que
atuam entre as estruturas de contenção e as massas de
solo contidas. Essas forças são provocadas pela pressão
lateral da terra.
EMPUXO DE TERRA
• Tipos de Empuxo
PAREDES DE SUBSOLO
• EMPUXO NO REPOUSO: não há deslocamento
da estrutura de contenção.

MURRO DE ARRIMO
• EMPUXO ATIVO: há deslocamento da
estrutura, provocando expansão do maciço.

PAREDE ATIRANTADA
• EMPUXO PASSIVO: há deslocamento da
estrutura, provocando compressão do
maciço.
ESTABILIDADE DE TALUDES
• Uma superfície de solo exposta, formando um ângulo
com o plano horizontal, é chamado de talude. Os taludes
podem ser naturais ou construídos pelo homem e podem
romper de várias formas.
ESTABILIDADE DE TALUDES

• Fatores predisponentes e
Causas dos Movimentos
de Massa

• Tipos de Movimentos de
Massa
• Este tema aborda
principalmente as
análises quantitativas
que se enquadram na
categoria de
deslizamentos.
ESTABILIDADE DE TALUDES
• Métodos de Equilíbrio Limite
A análise é feita comumente por métodos determinísticos, avaliando-
se as condições de equilíbrio da massa de solo num estado de ruptura
iminente.
1. Método Geral  as condições de equilíbrio são aplicadas a toda a
massa de solo potencialmente instável, admitida como se
comportando como um corpo rígido.
2. Método das Fatias  a massa de solo potencialmente instável é
subdividida em fatias (comumente verticais) e as condições de
equilíbrio são aplicadas a cada fatia isoladamente.
3. Método das Cunhas  a massa de solo potencialmente instável é
subdividida zonas ou cunhas de solo e as condições de equilíbrio
são aplicadas a cada zona isoladamente.
ESTABILIDADE DE TALUDES
AVALIAÇÕES

MÓDULO I
• Exercícios (3 pontos).
• 1 Prova escrita e individual (7 pontos).

MÓDULO II
• Exercícios (3 pontos).
• ENADE (2 pontos).
• 1 Prova escrita e individual (5 pontos).
CRONOGRAMA

AULA DATA AVALIAÇÕES

4h 22/03 PROVA I UNIDADE

4h 24/05 PROVA II UNIDADE

4h 31/05 JEPEX

4h 14/06 AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA

3h 28/06 PROVA FINAL


BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BIBLIOGRAFIA DIGITAL
BIBLIOGRAFIA DIGITAL