Você está na página 1de 7

Universidade do Vale do Itajaí

CTTMar – Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar.

Curso de Engenharia de Produção

Momento de Inércia

Itajaí, dezembro de 2017.


O momento de inércia é uma grandeza física que estima a dificuldade de alterar o estado de
movimento de um corpo em rotação. Quanto maior for o momento de inércia de um corpo,
maior será a dificuldade de fazê-lo girar ou alterar a sua rotação, ou seja, maior será a
resistência do corpo de alterar sua velocidade angular.

A inércia rotacional é importante em quase todos os problemas da física que envolvem a


massa em movimento rotacional. Ela é usada para calcular o momento angular e nos permite
explicar (através da conservação do momento angular) como o movimento rotacional muda
quando a distribuição de massa é alterada. Ela também é necessária para encontrar a energia
que é armazenada como energia cinética rotacional em um pêndulo giratório.

Inércia rotacional

A inércia rotacional é uma propriedade de qualquer objeto que possa ser girado. É um valor
escalar que nos diz o quão difícil é alterar a velocidade de rotação do objeto em torno de um
eixo de rotação pré-determinado.

Inércia rotacional desempenha um papel semelhante na mecânica rotacional ao da massa na


mecânica linear. Na verdade, a inércia rotacional de um objeto depende de sua massa.
Depende também da distribuição dessa massa em relação ao eixo de rotação.

Quando uma massa se move para mais longe do eixo de rotação, torna-se cada vez mais difícil
alterar a velocidade rotacional do sistema. Intuitivamente, isto ocorre, pois, a massa agora
está carregando mais momento com ela ao redor do círculo (devido à alta velocidade) e
porque o vetor de impulso está mudando mais rapidamente. Ambos os efeitos dependem da
distância até o eixo.

A inércia rotacional é definida pelo símbolo III. Para um único objeto, como uma bola de tênis
de massa mmm (mostrado na Figura 1), girando com um raio rrrem relação ao eixo de rotação,
a inércia rotacional é

I = mr^2

E, consequentemente, a inércia rotacional, em unidades do SI, é dada por kg⋅m^2.

A inércia rotacional também é comumente conhecida como momento de inércia. Também é,


por vezes, chamada de segundo momento de massa; o termo 'segundo' se refere, aqui, ao fato
de que depende do comprimento do braço de momento ao quadrado.

De acordo com a Segunda Lei de Newton, quando aplicamos uma força sobre um objeto que
contém massa, este adquire aceleração. Para um corpo em movimento circular, isto é, para
um corpo em rotação, podemos determinar sua posição e velocidade em função de variáveis
como o ângulo e a velocidade angular, além do raio da trajetória.

O momento de inércia de um objeto depende de sua massa e da distância da massa ao seu


eixo de rotação. Por exemplo, um volante de 1 kg com a maior parte de sua massa perto do
eixo terá um momento de inércia menor que outro volante de 1 kg com a maior parte da
massa próxima à borda. O momento de inércia de um corpo não é uma quantidade única e
fixa. Se um objeto é girado em torno de eixos diferentes, também terá momentos de inércia
diferentes, uma vez que a distribuição de sua massa em relação ao novo eixo é normalmente
distinta do que era no anterior.
A inércia rotacional é importante em quase todos os problemas da física que envolvem a
massa em movimento rotacional. Ela é usada para calcular o momento angular e nos permite
explicar (através da conservação do momento angular) como o movimento rotacional muda
quando a distribuição de massa é alterada. Ela também é necessária para encontrar a energia
que é armazenada como energia cinética rotacional em um pêndulo giratório.

Momento de inércia Barra de comprimento L e massa m (Eixo de rotação no centro da Barra)

Rroda em torno de um eixo perpendicular passando pelo centro de massa. A densidade linear
de massa é λ = M/L, de forma que o elemento infinitesimal possui dm = λ dx = (M/L) dx. Como
–L/2 ≤ x ≤ L/2

I = m L²
12

Momento de inércia Barra de comprimento L e massa m (Eixo de rotação no fim da barra)

A diferença do caso anterior é o intervalo de variação de x, que agora é: 0 ≤ x ≤ L

I = mL²
3

Momento de inércia Aro circular de raio r e massa m

O cálculo do momento de inércia de um arco de raio R em relação a um eixo passando pelo


centro de massa e perpendicular ao plano do anel (eixo polar) também é bastante simples
porque cada elemento de massa dm está à mesma distância r = R = constante do eixo de
rotação,

Iz = m r²

Ix = Iy = m r²
2
Momento de inércia Disco fino de raio r e massa m

Iz = m r²

Ix = Iy = m r²
4

Momento de inércia Casca cilíndrica fina com as extremidades abertas, de raio r e massa m

Iz = m r²

Momento de inércia cilindro sólido de raio r, altura h e massa m

Iz = m r²
2
Ix = Iz = 1 m(3 r²+ h²)
12
Momento de inércia Tubo cilíndrico de paredes espessas com extremidades abertas, raio
interno r1, raio externo r2, comprimento h e massa m

I = 1 m(r1² + r2²)
12
Ix = Iy = 1m[3(r2²+ r1²) + h²]
12

Momento de inércia Esfera (oca) de raio r e massa m

I = 2m r²
3

Momento de inércia Bola (sólida) de raio r e massa m

I = 2m r²
5
Momento de inércia Esfera (casca) de raio r2, com cavidade cocentrica de raio r1 e massa m

I = 2m [ r2^5 – r1^5 /]
5 r2³ – r1³

Momento de inércia Placa retangular fina de altura h, espessura w e massa m (Eixo de


rotação no fim da placa)

Ie = mh² + mw²
3 12

Momento de inércia Placa retangular fina de altura h, espessura w e massa m (Eixo de


rotação no centro da placa)

Ic = m(h² + w²)
12

Teorema dos eixos paralelos

Se conhecermos o momento de inércia de um corpo em relação a um eixo qualquer que passe


por seu centro de massa, podemos inferir o momento de inércia desse corpo em relação a
qualquer eixo paralelo ao primeiro eixo considerado. Se a distância entre os dois eixos for H , a
massa do corpo for M e ICM for o seu momento de inércia em relação a um eixo que passa
pelo centro de massa, teremos o momento de inércia I mencionado:

I = Icm + M H²