Você está na página 1de 30

PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS
SECUNDÁRIOS
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS SECUNDÁRIOS

 Além dos Meridianos Principais o corpo humano possui outras vias ou trajetos que não só ligam aqueles a várias partes do corpo, como também
cobrem todas as áreas externas e internas por onde circulam as energias. Pela sua natureza são quatro:

a) Meridianos Ligamentares ou Têndino-musculares


b) Meridianos de Passagem – Lo (LUO MAI)
c) Meridianos Distintos ou Colaterais (JING BIE)
d) Meridianos Curiosos ou Irregulares, também chamados de Vasos Maravilhosos (ou de meridianos extraordinários ou, ainda, particulares)

MERIDIANOS LIGAMENTÁRIOS OU TÊNDINO-MUSCULARES

CARACTERÍSTICAS TRAJETO FUNÇÃO PRINCIPAL PONTOS DE REUNIÃO


 Natureza Yang, superficiais, não  Tem início em cada um dos pontos  Proteger o corpo das influências  Possuem um sistema de união
tem ligação com o interior (órgãos e Ting dos MPs, aos quais externas (variações de onde são agrupados de 3 em 3,
vísceras); acompanham seguindo o sulco temperatura, agressões do meio), separadamente, os meridianos das
 São 12 e recebem o mesmo nome entre os músculos. a energia que possuem é mãos e dos pés.
dos MPs;  Trajeto em faixa acompanhando as defensiva, que circula de dia nos ID – TR – IG (Yang das mãos): VB13
 São ramificações que pertencem ao aponeuroses dos músculos. meridianos Yangs e de noite nos P – CS – C (Yin das mãos): VB22
MP;  Nas articulações encontram-se Yin. R – F – BP (Yin dos pés): VC3
 Primeira barreira de proteção formando nós.  A circulação de energia nestes B – E – VB (Yang dos pés): E5/E2
contra as energias perversas, possui meridianos obedece à seguinte  Os YANG das mãos e pés tem
a Energia Defensiva (WEI QI) na ordem: B – VB – E – ID – TR – IG – maior intensidade energética
camada mais superficial BP – F – R – P – CS – C. de dia;
(epiderme).  Os YIN das mãos e pés tem
maior intensidade energética
de noite;
 A energia defensiva segue o
ciclo das Marés Energéticas.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

PONTOS DE REUNIÃO DOS LIGAMENTARES


VB22 E2 (E5) VB13 VC3

E2 - Abaixo da pupila, na depressão do


forame infra orbital.

Na linha média do abdômen, 4 cun abaxo


No meio da linha axilar, ao elevar o A 0,5 cun dentro da linha do couro
do umbigo.
braço, a 3 cun abaixo da axila. cabeludo da fronte, 3 cun ao lado do
VG24.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

TRÊS NÍVEIS DE INSTALAÇÃO DA ENERGIA PERVERSA


INSTALAÇÃO PENETRAÇÃO APROFUNDAMENTO
Não tem excessos ou insuficiências, mas Ocorre enchimento da energia perversa Ocorre esvaziamento da energia ligamentar.
tem sintomas (toca o meridiano ligamentar (excesso).
– epiderme)
TRANSTORN0S DOS MERIDIANOS LIGAMENTARES
 Excesso ou Plenitude: hipersensibilidade, dor espontânea e/ou na palpação superficial, rubor, calor, espasmos, contrações, edemas,
formigamento.
 Insuficiência ou vazio: Hiposensibilidade, frio, paresia ou paralisia motriz, palidez dos tegumentos, atonia ou atrofia muscular,
palpação dolorosa em profundidade.
OBSERVAÇÕES
 Sabendo isto, para avaliar se a doença é produzida por algum têndino-muscular, devemos pressionar sobre os pontos ou zonas
onde se reúnem. Se ao executar esta ação a zona se faz dolorosa é muito provável que a disfunção provenha de um dos 3 canais
têndino-musculares que se reúnem neste ponto, isto se não há uma dor por si mesma, sem necessidade de pressionar.
 Depois temos que averiguar em qual desses 3 canais está a disfunção, para a qual temos de seguir mentalmente o trajeto de cada
um deles até descobrir qual ou quais são os que passam justamente pela região sintomática. Uma vez feita esta comprovação se
põe em prática o tratamento.

TÉCNICAS DE TRATAMENTO
1º NÍVEL: INSTALAÇÃO 2º NÍVEL: PENETRAÇÃO 3º NÍVEL: APROFUNDAMENTO
 Quando a energia perversa toca o  Quando a energia perversa alcança o  Ocorre a situação de insuficiência, pois a
meridiano: Ponto de Reunião que é uma barreira: energia perversa escoa para os MPs, se
 Punturar os dolorosos e também os  “Já existe uma situação de excesso: aprofundando, cada vez mais, deixando os
pontos de ação fisiológica: B60 e IG4 nestas situações dispersar os pontos locais Meridianos Ligamentares insuficientes.
(pontos analgésicos para as dores nas e os pontos de reunião e tonificar os MPs,  Quando a energia perversa atinge o MP:
regiões inferiores e superiores). correspondentes à Estação”. (Nei Jing)  “nas situações de insuficiência, tonificar o
 “Não temos que nos preocupar com ligamentar com ponto local e os pontos de
excessos e insuficiências, na 1ª fase há reunião. Moxar os pontos dolorosos e
apenas um ataque”. (Nei Jing) dispersar os MPs correspondentes à
Estação”. (Nei Jing)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

TÉCNICAS DE TRATAMENTO
A) não deve haver preocupação se há plenitude ou vazio; puntura-se os pontos dolorosos até que o paciente esteja aliviado,
acrescentando-se os pontos de ação fisiológica; ex: IG4 para o rosto, B54 para as costas. (Nei-King).
B) Plenitude: dispersar o meridiano ligamentário com agulhas nos pontos dolorosos e tonificar o MP com moxas.
Vazio: usar moxa nos pontos dolorosos do meridiano ligamentário e dispersar o MP com agulhas. (SO-QUENN)
 Também são chamados de meridianos têndino-musculares.
AFECÇÕES COMUNS:
 Reumatismo agudo, algias e contraturas, contusões, lesões musculares ou ligamentares;
 Neurites, mialgias, tendinites;
 Afecções cutâneas: urticárias, eczemas, pruridos, acnes e úlceras;
 Afecções cefálicas: nevralgias, paresias ou paralisias faciais, tiques nervosos, rinites, sinusites, conjuntivites, afonias, catarros.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS SINTOMATOLOGIA
BEXIGA Edemas do calcanhar, contraturas dos músculos, contraturas da cavidade poplítea, rigidez da raque com posição arqueada,
ombro bloqueado, com ascensão impossível, irradiação das algias das axilas para a cavidade subclavicular, dificuldades de
rotação da cabeça.
OBS: Cefaleia Frontal – IG e F Lateral – VB
Superior – F Nuca – VB
VESICULA BILIAR Bloqueio do joelho, contraturas da cavidade poplítea, rigidez do pescoço, algias da coxa irradiando-se para a nádega e, até a
parte inferior das costelas, cavidade clavicular, peito.
ESTÔMAGO Entorses no joelho, dilacerações musculares da coxa, edema da virilha e do escroto, contraturas abdominais, nevralgia e
paralisia facial, câimbras do 2º artelho, problemas para abrir ou fechar as pálpebras.
OBS: golpe de vento pode acarretar problemas neurológicos.

INTESTINO DELGADO Otalgias, hiperacusia, dores no cotovelo, no dedo mínimo, no olecrânio, na face interna do braço até a axila, dores na
omoplata irradiando-se até o pescoço, zumbido no ouvido, dores no maxilar, mandíbula, edema no pescoço.
TRIPO AQUECEDOR Entorses, dor no trajeto, contraturas da língua.
INTESTINO GROSSO Ombro gelado, torcicolo.

BAÇO-PÂNCREAS Algias do maléolo interno e hálux, dores na patela e no côndilo femoral interno da coxa dolorido com a irradiação para o
quadril, dores transfixantes nos órgãos genitais externos, algias umbilicais irradiando-se para os dois lados, dores do peito
irradiando-se para as raques, dores nos gêmeos.

FÍGADO Priapismo, dores à frente do maléolo interno, hálux, dores no fêmur, joelho e face interna da coxa, problemas de ereção,
retração, patologias dos órgãos genitais.
RIM Músculos dolorosos nas costas, abdomens, contraturas e câimbras das solas dos pés, entorses, contraturas e espasmos em
geral, dificuldades ao se dobrar para frente ou para trás.
PULMÃO Câimbras, apneia do sono, expectoração com sangue, entorses, dispneias doloridas, contraturas costais (intercostais).

CIRCULAÇÃO SEXUAL Entorses, dispneias doloridas, parte interna do antebraço.

CORAÇÃO Entorses, espasmos cardíacos dando a impressão de ter uma barra de ferro sob o coração, contraturas do braço com
irradiação para o cotovelo (e antebraço).
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS DE PASSAGEM – LO (LUO MAI)

 São meridianos que conectam os Meridianos Principais.


 Podem ser de dois tipos: TRANSVERSAIS e LONGITUDINAIS.

MERIDIANOS LO TRANSVERSAIS

CARACTERÍSTICAS TRAJETO FUNÇÃO PRINCIPAL PONTOS


 Ligam 2 meridianos principais de  TRANSVERSAIS, pois seu trajeto  Passar o excesso de Qi de um  PONTOS LO (PASSAGEM):
polaridades opostas pertencentes encontra-se atravessando o canal meridiano para seu acoplado em P7, IG6, E40, BP4, C5, ID7, B54, R4,
ao mesmo elemento (Yin/Yang), Yin até um canal Yang e vice-versa; deficiência. CS6, TR5, F5, VB37.
iniciando-se no ponto de passagem  É uma curta ramificação que une
(Lo) e terminando no ponto Fonte dois canais ou meridianos  PONTOS FONTE (YUAN):
(Yunn); acoplados, sendo importante a IG4, P9, BP3, E42, ID4, C7, R3, B64,
 São em número de 15: passagem de energia de um canal TR4, CS7, F3, VB40.
- 12 entre os principais (6Yin e 6 a outro;
Yang)  Seu trajeto é profundo;
- 2 entre VC e VG  Ligam dois meridianos principais
- 1 Grande Lo – BP21 (conjunto de de polaridades opostas
vasos que se estendem por todo o pertencentes ao mesmo elemento
corpo, comunicando-se, assim, com (Yin/Yang), iniciando-se no ponto
todos os outros Lo). de passagem (Lo) e terminando no
 Não possuem sintomatologia ponto Fonte (Yuan).
própria;

TRATAMENTO

 Dispersa-se o ponto Lo do meridiano em excesso e tonifica-se o ponto Yuan do meridiano acoplado (recepção de energia).
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

PONTO LOCALIZAÇÃO PONTO LO PONTO YUNN OBSERVAÇÕES


VB37 A 5 cun acima do maléolo VB 37 VB40 PROBLEMAS DE VISÃO
externo, sobre o bordo  VB38: em casos de problemas de visão, pode usar
anterior do perônio (SHAO este ponto para melhorar a acuidade visual e
YANG). nutrição dos olhos.
 Aurículo: visão 1 e visão 2, ponto do olho (fazer
uma cruz na direção deste ponto, direcionando
para o centro). Estimular o ponto do olho antes de
colocar a agulha ou moxar de um lado e punturar
do outro.
 Auriculo + VB38, B67 e E1.

F5 A 6 cun acima do maléolo F5 F3


interno numa pequena cúpula
entre a cabeça e o bordo
póstero-inferior da tíbia
(JUEYIN DO PÉ)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

P7 P7 P9
A 1,5 cun abaixo da prega do
punho, numa depressão abaixo da
apófise estiloide, sobre a artéria.
9TAI YIN FEI JING)

IG6 Lado posterior do antebraço, IG6 IG4


bordo interno do rádio, a 3 cun da
prega de flexão do punho (SHAO
YANG MING DA CHANG JING –
YANG MING DA MÃO).
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

E40 Na frente do bordo E40 E42  E32 – principal ponto para tratar muco, fleuma e
anterior do perônio, a 5 catarro;
cun abaixo do E36.  E39 – ponto Ho;
(YANGMING WEI JING –  E36 – Ponto Coringa: pode ser usado em qualquer
YANGMING DO PÉ) tratamento, com exceção da estação verão, onde
não pode ser tonificado, pois é um ponto de
sedação nesta;
 E37 + IG - trata a constipação.
 Para tratar com MOXA:
1. DIARREIA – colocar uma fatia de alho embaixo
do cone de moxa;
2. VÔMITO – colocar uma fatia de gengibre
embaixo do cone de moxa;
3. MOXA no E36: energético (fazer entre 7 e 11
moxas);
4. MOXA: ÍMPAR – avança o tratamento;
PAR – estabiliza.

BP4 Face interna do pé, numa BP4 BP3  BP6: Ponto Mestre Ginecológico.
depressão formada pela 1. Usar semente de trigo ou arroz no formato de
cabeça do 1º metatarso uma estrela e colocar o micropore, em casos
(TAI YIN PI JING – TAI YIN de ausência de regra;
DO PÉ) 2. Ponto proibido para quem está grávida;
3. Reúne os meridianos do: R, BP e F.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

C5 C5 C7  C possui 9 pontos (9 pontos do Tao) – Centrífugo.


Sobre a artéria cubital, a 1
 C3: ponto da alegria de viver.
cun abaixo da prega do
punho, sobre o ponto mais  C7: Shen Men da sistêmica.
saliente da estiloide cubital.
(SHAO YIN XIN JING – SHAO
YIN DA MÃO)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

ID7 Lado posterior do antebraço, a ID7 ID4


meia distância entre a prega
do punho e do cotovelo, no
bordo do antebraço. (TAI
YANG XIAO CHANG JING – TAI
YANG DA MÃO)

B58 Lado posterior da perna a 7 B58 B64  B67: efeito analgésico para os olhos (poderoso
cun acima do maléolo ponto analgésico).
externo, na inserção dos  B62: ponto de abertura do Vaso Maravilhoso.
gêmeos com seu tendão.  B54 (Ho): para tratar lombalgia, problemas de pele.
(TAI YANG PANG GUANG Não se usa MOXA neste ponto.
JING)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

R4 Borda superior do calcâneo, R4 R3  R27: importante para tratar asma.


entre o maléolo interno e o  R27+VC17 = Triângulo da Ansiedade (Síndrome do
tendão de Aquiles, abaixo da Pânico).
ponta do maléolo. (SHAO YIN  R5: Ponto Fenda
SHEN JING – SHAO YIN DO  R6: Vaso Maravilhoso
PÉ) – Trajeto centrípeto.  R10: Meridiano Distinto

CS6 CS6 CS7  CS9/C9: Sangria para hipertensão ou no ápice das


No meio da face anterior do
orelhas.
antebraço, a 2 cun abaixo da
 CS6: abertura de VM. Importante para Síndrome do
prega do punho , entre dois
Túnel do Carpo + TR5.
tendões. (SHAO JUE YIN XIN BAO
 CS8: estimulante energético. Chakra Secundário.
JING LO MAI – JUE YIN DA MÃO) –
 CS7: Mestre dos Sentimentos.
Trajeto centrífugo. Canal Mestre
do Coração.  CS3: Função.

TR5 Face posterior do antebraço, a 2 TR5 TR4  TR5: excelente para a defesa do corpo.
cun abaixo da prega de flexão do  TR é função, não manda energia para nenhum
punho, entre o rádio e o cúbito. órgão.
(SHAO YANG SAN JIAO JING – SHAO
YANG DA MÃO)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS LO LONGITUDINAIS

CARACTERÍSTICAS TRAJETO FUNÇÃO PRINCIPAL PONTOS


 O canal desses vasos é sempre  Iniciam num ponto Lo (passagem)  Suporte de proteção contra as  PONTOS LO (PASSAGEM):
paralelo ao canal principal, daí vem e terminam numa configuração Energias Perversas (externas). P7, IG6, E40, BP4, C5, ID7, B54, R4,
o nome Longitudinal; arborescente. CS6, TR5, F5, VB37.
 São em número de 12 e recebem o  É uma curta ramificação que une
mesmo nome dos MPs;  PONTOS FONTE (YUAN):
 São canais energéticos que IG4, P9, BP3, E42, ID4, C7, R3, B64,
possuem sintomatologia própria; TR4, CS7, F3, VB40.
 É usado quando o paciente
apresenta um sintoma específico
no canal longitudinal.
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES
 Quando a Energia Perversa entra no Lo Longitudinal é porque a energia do canal principal encontra-se insuficiente;
 Quando a Energia Perversa está dentro do Lo Longitudinal, o ponto Lo encontra-se doloroso à palpação. O reequilíbrio é rápido e fácil;
 Existem duas formas de Qi dentro dos Lo Longitudinais:
PLENITUDE: cheio de XIE.
VAZIO: o XIE atingiu o MP e deixou o Lo vazio.
TRATAMENTO
 EXCESSO: Dispersa-se o ponto Lo do meridiano doente;
 VAZIO: Tonifica o Lo do acoplado e dispersa o YUNN (Fonte) do meridiano afetado.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

PONTO LOCALIZAÇÃO PLENITUDE (EXCESSO) VAZIO (INSUFICIÊNCIA)


VB37 A 5 cun acima do maléolo Pernas e pés frios nas extremidades. Debilidade nas pernas, apresentando
externo, sobre o bordo dificuldades para se levantar da
anterior do perônio (SHAO cadeira e deambular.
YANG).

F5 A 6 cun acima do maléolo Pênis e escroto com moléstia e dor. Sensação de queimação no escroto.
interno numa pequena cúpula
entre a cabeça e o bordo
póstero-inferior da tíbia
(JUEYIN DO PÉ)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

P7 A 1,5 cun abaixo da prega do Palma da mão muito quente Micção constante, excesso de
preguiça com bocejos contínuos.
punho, numa depressão abaixo da
apófise estiloide, sobre a artéria.
9TAI YIN FEI JING)

IG6 Lado posterior do antebraço, Surdez, cárie Opressão e/ou dor no peito, dor de
bordo interno do rádio, a 3 cun da dente e de ouvido.
prega de flexão do punho (SHAO
YANG MING DA CHANG JING –
YANG MING DA MÃO).
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

E40 Na frente do bordo Transtornos mentais graves. Endurecimento dos músculos da


anterior do perônio, a 5 perna, falta de força nas articulações
cun abaixo do E36. dos joelhos.
(YANGMING WEI JING –
YANGMING DO PÉ)

BP4 Face interna do pé, numa Dores fortes nos intestinos. Inchaço no intestino com possível
depressão formada pela inflamação no ventre.
cabeça do 1º metatarso
(TAI YIN PI JING – TAI YIN
DO PÉ)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

C5 Moléstias e dores no tronco. A pessoa quer, mas não consegue


Sobre a artéria cubital, a 1
falar.
cun abaixo da prega do
punho, sobre o ponto mais
saliente da estiloide cubital.
(SHAO YIN XIN JING – SHAO
YIN DA MÃO)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

ID7 Lado posterior do antebraço, a Dor no corpo, em qualquer posição, dor Dor de garganta e maxilares.
meia distância entre a prega ou moléstia no ombro.
do punho e do cotovelo, no
bordo do antebraço. (TAI
YANG XIAO CHANG JING – TAI
YANG DA MÃO)

B58 Lado posterior da perna a 7 Dores nas costas, na cabeça e Coriza.


cun acima do maléolo congestão nasal.
externo, na inserção dos
gêmeos com seu tendão.
(TAI YANG PANG GUANG
JING)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

R4 Borda superior do calcâneo, Constipação. Dor nos rins.


entre o maléolo interno e o
tendão de Aquiles, abaixo da
ponta do maléolo. (SHAO YIN
SHEN JING – SHAO YIN DO
PÉ) – Trajeto centrípeto.

CS6 Contração das articulações do corpo. Falta de força nas articulações do


No meio da face anterior do
corpo.
antebraço, a 2 cun abaixo da
prega do punho , entre dois
tendões. (SHAO JUE YIN XIN BAO
JING LO MAI – JUE YIN DA MÃO) –
Trajeto centrífugo. Canal Mestre
do Coração.

TR5 Face posterior do antebraço, a 2 Contração da articulação do cotovelo. Incômodo na articulação do cotovelo.
cun abaixo da prega de flexão do Não consegue levantar o braço.
punho, entre o rádio e o cúbito.
(SHAO YANG SAN JIAO JING – SHAO
YANG DA MÃO)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS DISTINTOS OU COLATERAIS (JING BIE)


 São vias de conexão interna dos Meridianos Principais dos órgãos. Iniciam-se no joelho e cotovelo dirigindo-se ao interior.

CARACTERÍSTICAS TRAJETO FUNÇÃO PRINCIPAL PONTOS DE REUNIÃO


 Participam da relação interna /  Os MDs Yin iniciam no MP Yin  Levar a Energia de Defesa (WEI  F - VB: VB1 e VC2
externa (Brad Li); do cotovelo ou joelho, atingem QI) até a profundidade do  C – ID: ID18 e B1
 São 12 e recebem o nome dos o órgão correspondente, a corpo.  BP – E: B1 e E30
MPs; víscera acoplada, dirigindo-se ao  R – B: B54 e B10
 Possuem sintomatologia própria, meridiano Yang acoplado ao  P – IG: IG 18
tendo como principaisponto de união situado no  TR – CS: TR16
transtornos: intermitência pescoço.
(patognomônico), intensidade e  Os MDs Yang começam no MP OBS:
frequência; Yang do cotovelo ou joelho, TR16 + IG18 - antidepressivo
 É usado quando o paciente atravessa a víscera
apresenta um sintoma específico correspondente e o órgão
no canal longitudinal. acoplado retornando ao
meridiano Yang principal no
ponto de união do pescoço.
 São trajetos lineares e iniciam-
se nos pontos Shu e tem um
sistema de união próprio,
formando duplas de
acoplamento (Yin/Yang).
 Os pontos de reunião
estabelecem a conexão entre os
MDs.
TRATAMENTO
 Punturar o ponto Ting no MP correspondente e contralateral;
 Punturar os Pontos de Reunião referentes aos meridianos com transtorno.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

MERIDIANOS SINTOMATOLOGIA
BEXIGA Dor intermitente do pescoço até a cabeça, contratura e dor paravertebral (costas e região lombar).

VESICULA BILIAR Dores intensas nas costas que impedem de respirar, transpiração abundante, dor aguda, lancinante na parte
posterior do quadril, ao nível do VB30.
OBS: transpiração abundante tratar R, TR e P.

ESTÔMAGO Epistaxe e sensação de frio nos lábios e nos dentes.

TRIPO AQUECEDOR Dores de garganta e boca seca, dor na face póstero-externa do braço que impede de encostar a mão na parte
posterior da cabeça, língua retraída, mal-estar no coração.

INTESTINO GROSSO Dispneia, asma, sensação de calor no peito e sensação de inchaço na parte lateral do tórax, surdez intermitente,
odontalgia.

BAÇO-PÂNCREAS Dores intermitentes na região renal, que irradiam para o ventre e costas, impossibilidade de deitar de costas.

FÍGADO Dores súbitas e intensas ao nível dos órgãos genitais, com predominância unilateral.

RIM Dores precordiais bruscas com sensação de inchaço no tórax e hipocôndrios, dores na garganta com dificuldade
de engolir. Estados de irritação e cólera, sensação que a energia sobe até o diafragma.

OBSERVAÇÕES  C, ID, CS e P não apresentam sintomatologia própria.


 Massagear BP2 e BP3 ou estimular constantemente auxilia no tratamento da DIABETES. Usar semente de
trigo + Aurículo (BP, endócrino, hipófise e Shen Men)
 F3 + IG para relaxamento muscular e anti-estresse.
 “Um principiante no tratamento das doenças, deve aprender a teoria dos canais, e para ser um bom
médico, precisa estar atento a isso. Um médico de baixo nível pensa que a teoria dos canais é fácil de
aprender, mas um médico de alto nível considera difícil o seu domínio completo”. (LING SHU)
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

ACIDENTES E INTERVENÇÕES / INTERDIÇÕES

 A acupuntura é interditada em determinadas circunstâncias.


 Alguns pontos em determinadas situações.

QUADROS TRATAMENTO
ESTADO DE CÓLERA OU  Diálogo para acalmar;
PAVOR  Yintang, VC17 e VG20 – eixo do equilíbrio.
EMBRIAGUEZ / JEJUM  Difícil tratamento;
PROLONGADO  Embriaguez: ponto extra Pi Tchou, inserção oblíqua, 2 a 3 cun, por 15-20 min.
 VC17, VC6 e E36 – levantam a energia. Colocar uma moxa em cada ponto.

EMPAZINAMENTO  E45: ângulo ungueal externo do 2ª metatarso.


 Microssistema: Crânio (área gástrica), linha da pupila 2 cm para cima da linha capilar.

EXTENUAÇÃO FÍSICA  E36: 3 cun abaixo da patela.


 VC6: 1,5 abaixo do umbigo.
 B38: a 4 cun da linha média, abaixo da apófise espinhosa da 4ª vértebra dorsal, a 2 cun por fora do ponto B14.

OBSERVAÇÕES  Pontos de Assentamento são próprios para doenças crônicas. Usar moxa; ventosa + moxa serve para trazer o Yang
para a superfície.
 PONTOS DE ASSENTAMENTO: B11 (ossos), B12 (vento), B13 (P), B14 (CS), B15 ©, até B25 tratar com moxa.
 Triângulo dos Ossos: Ponto entre cervical 5 e 6 + B11.

GRAVIDEZ  A acupuntura não é contraindicada, mas alguns pontos são: todos os pontos abaixo do umbigo até o 5º mês.
 E36, BP6, B60 e IG4: não interrompe a gravidez, mas afeta o desenvolvimento do feto.
 BP6: Mestre Ginecológico.
 PONTOS RECOMENDADOS:
B38 – melhora a saúde materna durante a gestação e trata anemias, melhora as condições energéticas em geral.
R9 – proteção do feto, trabalha a energia ancestral de má qualidade;
R9 + B38 – podem ser usados durante toda a gravidez.
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

 FREQUÊNCIA DAS APLICAÇÕES:


 15 minutos.
 Durante o pré-natal, entre a lua nova e a lua cheia, ou seja, um dia antes d alua cheia.
 Pode usar tanto moxa como agulha.
 Ponto anticoncepcional: VC5.

INFERTILIDADE  B16: ponto Lo do VG


 B31: nutre o rim, fortalece o sangue e harmoniza o útero.
OBS: tratar o casal.  B38: ligado ao ponto de assentamento do CS.
 R1: infertilidade, gravidez nervosa.
 R14: reúne o canal do rim e o vaso Chrong Mai
 VC15: ansiedade, náusea, esgotamento pós-estresse.
 VG3: impotência, espermatorreia, problemas menstruais.
 VG4: Ming Men – Porta da Vida.
 BP6: reúne os três Yins do pé (F, R, BP)
 F1 + BP1 – menstruação que não cessa (MENOMETRORRAGIA).
 AMENORREIA: BP6, VC4, Triângulo da ansiedade ou Eixo do equilíbrio + C7.
 INFERTILIDADE NO HOMEM acrescentar
 E30 – debilidade geral, esgotamento, inapetência, dor no pênis, impotência. LOCALIZAÇÃO: bordo superior
do púbis, a 2 cun lateral do VC2.
 R7 – ponto de tonificação do Rim (metal mãe da água). LOCALIZAÇÃO: 2 cun acima do maléolo interno.
 OBS: VC2: 5 cun abaixo do umbigo.
 INFERTILIDADE NA MULHER acrescentar
 E30 - debilidade geral, esgotamento, inapetência, amenorreia, dismenorreia, ovarites. LOCALIZAÇÃO: bordo
superior do púbis, a 2 cun lateral do VC2.
 VC4 – ponto de reunião dos meridianos Yins dos membros inferiores: BP, R e F. Esgotamento das mulheres,
contração do colo uterino, metrorragias, esterilidade.
 BP9 (HO) – vaginite.
 TR3 – libido. Associar à Aurículo: gônadas, ponto da excitação (dentro do antítragos, na base).

MAL-ESTAR COM  Usar poucas agulhas, se o paciente suportar 4/5;


ACUPUNTURA  É relativamente frequente;
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

 Deficiências de energia em distonias neurovegetativas;


 Desencadeia quadros sérios, porém benignos;
 Mais comuns em situações de jejum;
 Sincopes;
 Náuseas são frequentes;
 Cefaleias durante as sessões;
 Suores profusos, mais frequentes;

PROCEDIMENTOS PARA O  Deitar o paciente em decúbito dorsal com a cabeça mais baixa que o corpo;
MAL-ESTAR  Comprimir o abdômen, levantando as pernas do paciente e empurrando para frente, ou seja, em direção ao peito;
 Tranquilizar o paciente e demonstrar segurança;
 Interromper imediatamente a sessão;
 Retirar as agulhas que já foram colocadas;
 Quando o paciente estiver tranquilo, reiniciar o tratamento;
 Nunca colocar as agulhas com o paciente em pé;
 Manipular um pouco os pontos mais indicados nestes casos:
 VG26: principal ponto para reanimação;
 CS9: circulação arterial;
 E36: energização;
 VG20: ação mental.
 DESIDRATAÇÃO:
 Não há pontos para reequilibrar; só beber água.

RESISTÊNCIA DO PONTO À  Há uma barreira energética que impede a penetração da agulha – agulha entorta, mas não entra;
PUNTURA  Introduzir a agulha debaixo do ponto, na região vizinha o bloqueio inexiste;
 Girar a agulha suavemente nos dois sentidos.

RESISTÊNCIA À RETIRADA DA  Girar suavemente nos dois sentidos;


AGULHA  Se não der resultado, aguarde um pouco e repita a operação;
 Se não resolver, massagear com a unha ao longo do meridiano;
 Se não resolver, fazer cerclagem (pontos cercando o local) com três agulhas e aguarde.
 INFECÇÃO LOCAL:
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

 Não fazer acupuntura no local;


 Fazer cerclagem;
 Ulceras, Erisipelas, etc.
 CERCLAGEM:
 Indicado para ulceras de decúbito, varicosas, traumáticas,...
 2 a 3 cun de espaço entre as agulhas;
 Perpendicular ou tangencial à lesão;
 Colocar em número ímpar;
 Moxar: perpendicular (45º);
 Cerclagem: tangencial.
 OBS: em casos de ulcera usar a moxa no anel de moxas para cicatrizar.

ACIDENTENTES E INTERDIÇÕES
ACIDENTES COM AGULHAS  Pode quebrar por descuido do paciente ou do terapeuta;
 Nunca introduzir agulhas até o cabo;
 Caso se quebre, retirar com pinça:
 Na impossibilidade, comprimir lateralmente com a unha, pois pode entrar mais;
 Sem sucesso, retirada cirúrgica.
 Uso de luvas:
 MTC não recomenda;
 Deve haver troca energética ao colocar agulha / moxa;
 Lavar as mãos – absorção de energia.

MÁCULAS / PÁPULAS  Manchas avermelhadas, rosadas – podem ser por liberação de substâncias químicas;
 Dilatação capilar ou aporte de leucócitos;
 Ação pruriginosa – histamina;

HEMATOMAS / EQUINOSES  Vermelho, roxo, com elevação da pele;


 Sem gravidade, apenas estética.

SANGRAMENTOS  Normal – comprimir com algodão seco;


 Recomendados em alguns casos – sangrias;
 Tranquilizar o paciente – avisá-lo antes;
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

OBS: para melhorar a circulação, tomar suco verde, em jejum, todo dia.

EXSUDAÇÃO DE PLASMA /  Coagulação difícil;


SORO  Geralmente edemas linfáticos;
 Gotículas de plasma na retirada da agulha;
 Edemas nos músculos inferiores, mau retorno da circulação, retenção de plasma;
 Colocar agulhas para melhorar edemas;
 Medicina diz – evitar agulhas;
 Acupuntura diz – evita edemas;
 Insuficiência de gânglios linfáticos – edemas;
 Colocar a perna para cima, comprimir com algodão seco por um breve momento;
 Esvaziamento ganglionar pós-mastectomia;
 Agulha de acupuntura é fina, limpa, seca e lisa, não causa absolutamente nenhum dano.

MASTECTOMIA  Ideal começar no pré-operatório:


 Vaso CS6 – BP4
 B60 – Mestre das dores;
 VB38 – atua em problemas de pele;
 VB34 – Mestre dos Músculos;
 BP5 – Mestre das articulações;
 BP9 – circulação venosa;
 F3 – antiespasmódico;
 P9 – distúrbios arteriais;
 CS9 – melhora a circulação coronária.

HEMOFILIA  Se sangrar, comprimir com algodão.

DOR PERSISTENTE PÓS-  Raro – ponta da agulha atingindo fibras nervosas de maior calibre;
PUNTURA  Puxar as agulhas sem retirá-las;
 Se, ao retirar a agulha, a dor persiste, massageie ao longo do meridiano;
 Moxa ao redor do ponto;
 Se houver irradiação da dor – massagear ou moxar seguindo a irradiação;
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

 Imã – colocar polo negativo onde dói;


 Tranquilizar o paciente.

NEURITE PÓS-PUNTURA OU  Mais raro e mais sério;


LESÃO DO NERVO  Localizada ao longo da fibra lesada;
 Leva meses para a cura espontânea;
 Melhora com aplicação de moxa no trajeto da dor;
 E36 – ajuda a corrigir erros. Ponto coringa.

QUEIMADURA POR MOXA  Avisar ao paciente para não tolerar queimadura;


 Avaliar a sensibilidade do paciente;
 Nunca deve acontecer;
 Cuidado com os diabéticos, pois eles têm uma menor percepção desse calor.

ELETRÓLISE NA ELETRO-  ELETRÓLISE: conjunto de fenômenos que ocorrem nos eletrodos ligados às agulhas quando inseridos na pele,
ESTIMULAÇÃO provocada pela passagem da corrente na agulha;
 A eletrólise provem dessa propriedade iônica, constitui um processo que se baseia na descarga de íons, onde ocorre
uma perda de carga por parte de cátions e ânions;
 Uma agulha recebe estímulo elétrico positivo e negativo;
 Ambas fazem contato com os líquidos orgânicos da pele que tem como íons negativos e positivos: sódio, potássio,
cloro, hidrogênio e fosfato;
 Ocorre aumento de temperatura capilar;
 Queimadura elétrica;
 Dano sério: retirada de agulhas à força – lesão;
 Então, cuidado com a eletroestimulação;
 Respeitar os protocolos e parâmetros indicados;
 Eletroestimulação é indicada para: dores localizadas e dores nas articulações;
 CONTRA-INDICADA:
 Na área do tronco em pacientes portadores de marca-passo;
 No crânio;
 Defeitos anatômicos;
 No rosto: colocar a agulha no mesmo lado. Ex: paralisia facial;
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

 Sempre que possível, optar por agulha e moxa;

LESÃO DE ÓRGÃOS  Maior perigo quando a musculatura é menos presente;


 Cuidado especial: mucosa, virilha, face;
 Cuidado: B1, E1 e BP21;
 Pescoço: artérias calibrosas - evitar agulhas e moxa, recomenda-se massagem;
 Região poplítea – evitar moxa.

CONTAMINAÇÃO DE  Agulhas de aço inoxidável;


AGULHAS  Fácil fabricação, custo baixo, reposição de estoque;
 Fácil conservação;
 Descartáveis;
 Reaproveitáveis para o mesmo paciente – efeito psicológico;
 As agulhas são lisas, maciças, pontiagudas, secas, esterilizadas;
 Agulhas de injeção – ocas, retenção de células, plasma, sangue, restos tissulares – meio de cultura de bactérias,
vírus;
 No passado, contaminações com agulhas foram associada às agulhas de acupuntura;
 AIDS – também houve associação;
 Cargas positivas externas de íons – sódio, potássio, magnésio e cálcio;
 Cargas negativas internas de íons – cloreto, iodeto, sulfato e fosfato;
 Células eletricamente carregadas;
 Contato da superfície eletricamente carregada com metal (como condutor elétrico) faz com que a carga positiva
escoe ao longo da agulha;
 Células vivas – membrana externa polarizada eletricamente;
 Camada externa – carga elétrica positiva maior que a externa;
 Camada interna – predomínio de carga negativa;
 2ª ETAPA:
 Princípio do tudo ou nada – trânsito de cargas negativas e positivas para dentro e para fora da membrana;
 Princípio de manutenção da vida;
 Carga positiva em contato com o metal escoa energia;
 Poucos segundos – depleção elétrica e iônica – morte.
 Passar tranquilidade e esclarecer ao paciente;
PROFª ROSELY MODESTO – ABA/PI 2017

 Respeitar o medo do paciente;


 Assepsia da pele com álcool;
 Tubo de ensaio – agulhas próprias.

REFERÊNCIAS

 AULA PROFESSOR WENDEL GUSMÃO – ABA / PE