Você está na página 1de 3

Aterramentos elétricos simples

Postado por Heitor Borba em agosto 31, 2013 em Artigos Técnicos, Materiais para Ler e
Baixar | 0 comentários

Aterramentos elétricos simples- Por Heitor Borba.


O aterramento elétrico objetiva o desvio da corrente de fuga para a terra por meio de um condutor
que facilite a passagem dessa corrente, ou seja, a corrente elétrica deve “preferir” passar pelo
fio-terra do que pelo corpo da vítima.
Para isso, a resistência elétrica a passagem da corrente através do sistema de aterramento deve
ser menor e mais “atrativa” do que através do corpo humano.
Todas as massas metálicas de máquinas e equipamentos, inclusive dos quadros de distribuição,
deverão estar ligados a um condutor de proteção. O condutor de proteção deverá ser ligado a
um barramento de equipotencialização. Este por sua vez, ligado ao fio-terra. O aterramento
elétrico de um conjunto de equipamentos exige projeto elaborado por profissional habilitado
(Engenheiro ou Técnico Eletricista), bem como, o recolhimento da respectiva Anotação de
Responsabilidade Técnica – ART.
Para aterramentos simples e individuais o eletricista executor deverá observar alguns itens de
segurança:
 Utilizar cabo-terra do tipo flexível de bitola superior a do fio fase, encapado e na cor verde ou
verde-amarela. Geralmente para obras de construção civil são utilizados cabos-terra flexíveis de
4 mm (Quatro milímetros) na cor verde;
 Utilizar haste cobreada de 2,40m X 15 mm (Dois metros e quarenta de comprimento por quinze
milímetros de diâmetro) fincada completamente no solo, deixando apenas a extremidade à
mostra;
 Utilizar clips para fixação do cabo-terra na haste de modo que estejam bem apertados;
 Remover a tinta e limpar o ponto de contato do cabo-terra e a parte metálica da máquina ou
equipamento, fixando o cabo terra por meio de parafuso bem apertado. Para motores que
possuam borne de aterramento instalar o cabo-terra nesse ponto;
 Deixar a extremidade da haste-terra com o ponto de fixação do fio-terra à mostra e protegido por
meio de um segmento de tubo em PVC ou cone específico, para que possa ser visualizado pela
fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego;

 Observar os demais dispositivos da NBR 5410 da ABNT.


É de bom grado lembrar que correntes elétricas de apenas 0,05 A (ampère) já podem provocar
graves danos ao organismo.
Pode-se utilizar um único fio terra por eletroduto, interligando vários aparelhos e tomadas. Mas
a bitola deve ser dimensionada por profissional habilitado. Por norma, a cor do fio terra é
obrigatoriamente verde-amarela ou somente verde. Equipamentos sem aterramento ou com
aterramentos irregulares podem causar a morte do trabalhador. Um aterramento ideal não pode
oferecer resistência a passagem da corrente elétrica superior a 3 Ώ (ohms), em alguns casos
pode chegar a 12 Ώ (ohms), mas devem ser dimensionados para o circuito a que se destina.
Todo aterramento elétrico instalado deverá ser dimensionado e vistoriado anualmente por
profissional legalmente habilitado. O profissional habilitado deverá fazer uso do aparelho
terrômetro a fim de verificar a resistência ôhmica do solo. As condições do aterramento também
devem ser verificadas, principalmente presença de oxidação, corrosão, desgastes, incrustações,
sujeiras e outros agentes que possam oferecer resistência a passagem da corrente elétrica nos
pontos de contato. Caso o solo não ofereça condições seguras para o aterramento, outras ações
devem ser tomadas, como por exemplo, tratamento do solo nos pontos de aterramento por meio
de sal grosso e outras substâncias. Abaixo, foto terrômetro.

As obras de construção civil instaladas próximas ao mar devem realizar vistorias periódicas nas
instalações elétricas. Não somente os conectores dos aterramentos como também nos demais
contatos. Os contatos sofrem oxidação ou incrustações devido a maresia. Isso aumenta a
resistência a passagem da corrente elétrica e aquecimentos indesejáveis, podendo levar a
incêndios de Classe “C”.