Você está na página 1de 26

TRANSFORMAÇÕES DE FASES

EM METAIS E
MICROESTRUTURAS

Tópicos da Aula:

- Características das Microestruturas


PERLITA

A microestrutra para um aço eutetóide que é resfriado


lentamente através da temperatura eutetóide consiste em
camadas alternadas ou lamelas composta de duas fases (
+ Fe3C );
Proveniente da reação eutétoide:    + Fe3C
Formada no sistema Ferro-carbono;
Pode formar a perlita grosseira e a perlita fina;
A perlita grosseira forma-se a temperaturas mais altas
(menores taxas resfriamento);
A perlita fina forma-se a temperatura mais baixas (maiores
taxas resfriamento).
PROPRIEDADES MECÂNICAS DA
PERLITA
PERLITA GROSSEIRA PERLITA FINA

• Baixa dureza (20-30 HRc) • Alta dureza (35-38 HRc)


• Baixa tensão de • Alta tensão de
escoamento escoamento
• Baixo limite de • Alto limite de
resistência a tração resistência a tração
• Alta ductibilidade. • Baixa ductibilidade.
PERLITA

FERRITA
MICROESTRUTURAS RESULTANTES DO
RESFRIAMENTO FORA DAS CONDIÇÕES DE
EQUILÍBRIO
BAINITA

• Ocorre a uma temperatura inferior a do joelho


• Estrutura formada a partir da austêmpera
austenita  resfriamento rápido  bainita
(estrutura de agulhas);
• Forma de agulhas, contendo Ferrita e Cementita,
que só podem ser vista com microscópio
eletrônico
Dureza: Bainita Superior 40-45 HRc e
Bainita Acidular 50-60 HRc
PROPRIEDADES MECÂNICAS DA
BAINITA
A Bainita possui uma dureza superior a Perlita e a Bainita
Inferior possui uma dureza maior que a Bainita Superior.
BAINITA SUPERIOR BAINITA INFERIOR
(Grosseira) (Fina)
• Baixa dureza • Alta dureza
• Baixa tensão de • Alta tensão de
escoamento escoamento
• Baixo limite de • Alto limite de
resistência a tração resistência a tração
• Alta ductibilidade • Baixa ductibilidade
Obs: A Bainita superior ocorre a uma temperatura entre 300°C e 540°C,
enquanto a inferior ocorre entre 215°C e 300°C
Microestrutura da BAINITA contendo
finíssimas agulhas das fases

Fe3C
(Cementita)

(Ferrita)

Uma “ripa”
(Fe3C+ ferrita)
MICROESTRUTURAS RESULTANTES DO
RESFRIAMENTO FORA DAS CONDIÇÕES DE
EQUILÍBRIO
ESFEROIDITA
- É obtida pelo reaquecimento (abaixo da
temperatura eutetóide) da Perlita ou Bainita,
durante um tempo bastante longo

(Ferrita)

Fe3C
(Cementita)

60 m
CEMENTITA GLOBULIZADA OU ESFEROIDITA
MICROESTRUTURAS RESULTANTES DO
RESFRIAMENTO FORA DAS CONDIÇÕES DE
EQUILÍBRIO
TROOSTITA

- Os carbonetos precipitam de forma globular (forma


escura)

Tem baixa dureza (30~40 HRc)


TRANSFORMAÇÕES

AUSTENITA
Resf. Rápido
Resf. lento Resf. moderado
(Têmpera)
Perlita
Bainita Martensita
( + Fe3C) + a
fase ( + Fe3C) (fase tetragonal)
próeutetóide
Reaquecimento

Martensita
Ferrita ou Cementita Revenida
( + Fe3C)
FATORES QUE AFETAM A POSIÇÃO
DAS CURVAS TTT NOS AÇOS
Teor de Carbono

Tamanho do grão da Austenita


• Quanto maior o tamanho de grão, mais demorada será a
transformação total da Austenita, deslocando a curva
para a direita.

Composição química (elementos de liga)


• Em geral, com o aumento do teor de carbono, a curva
desloca-se para a direita (com exceção do Co, os
elementos de liga agem como o carbono).
TEOR DE CARBONO

Quanto menor o teor de Carbono


(abaixo do Eutetóide) mais difícil de se
obter estrutura Martensítica
COMPOSIÇÃO QUÍMICA /
ELEMENTOS DE LIGA
Todos os elementos de liga que são adicionados
aos aços, com exceção do Cobalto, deslocam as
curvas de início e de fim de transformação para a
direita.
Praticamente, todos os elementos de liga se dissolvem
na Austenita.
Os elementos apresentam tendência diversas.
COMPOSIÇÃO QUÍMICA /
ELEMENTOS DE LIGA
Quanto maior o teor e o número dos elementos de
liga, mais numerosas e complexas são as reações

Todos os elementos de liga (exceto o Cobalto)
deslocam as curvas para a direita, retardando as
transformações

Facilitam a formação da Martensita
*** Consequência: em determinados aços pode-se obter Martensita mesmo
com resfriamento lento
EFEITO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA /
ELEMENTOS DE LIGA NAS CURVAS TTT
AISI 1335 AISI 5140

Mesmo teor de Carbono mas com diferentes elementos de liga


EFEITO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA /
ELEMENTOS DE LIGA NAS CURVAS TTT

Diferente teor de Carbono mas com mesmos elementos de liga


COMPOSIÇÃO QUÍMICA/ELEMENTOS DE
LIGA

AISI 4340 neste aço é possível obter Bainita


por resfriamento contínuo
COMPOSIÇÃO QUÍMICA/ELEMENTOS DE
LIGA

AISI 1321 Cementado as linhas Mi e Mf são


abaixadas.
Neste aço a formação da Martensita não se finaliza, levando a se ter
Austenita residual a temperatura ambiente.
TAMANHO DE GRÃO DA AUSTENITA

Quanto maior o tamanho de grão mais para a direita


deslocam-se as curvas TTT


Tamanho de grão grande dificulta a formação da
Perlita, já que a mesma inicia-se no contorno de grão


Então, tamanho de grão grande favorece a
formação da Martensita
TAMANHO DE GRÃO DA AUSTENITA

No entanto deve-se evitar tamanho de grão da


Austenita muito grande porque:

Diminui a tenacidade

Gera tensões residuais

É mais fácil de empenar

É mais fácil de ocorrer fissuras


TAMANHO DE GRÃO DA AUSTENITA

Então, o material com


granulação grosseira
apresenta em geral,
propriedades inferiores às
do mesmo material com
granulação fina, à
temperatura ambiente.

E é determinado por
comparação direta ao
microscópio metalográfico.
HOMOGENEIDADE DA AUSTENITA

Quanto homogênea a Austenita mais para a direita


deslocam-se as curvas TTT

Os carbonetos residuais ou regiões ricas em C atuam
como núcleos para a formação da Perlita

Então, uma maior homogeneidade favorece a
formação da Martensita
Lista de Exercícios

1) Construa uma tabela relacionando as microestruturas resultantes das


curvas TTT para o aço eutetóide e suas respectivas durezas em HRC.
2) Quais os principais fatores que afetam a posição das curvas TTT nos
aços?
3) Quais as influências/relações do tamanho do grão da Austenita?
Lista de Exercícios
4) Usando o diagrama de transformação isotérmica para uma liga ferro-carbono com
composição eutetóide (Fig.), especifique a natureza da microestrutura final (em termos dos
microconstituintes presentes e das porcentagens aproximadas) de uma pequena amostra que foi
submetida aos seguintes tratamentos tempo-temperatura. Em cada caso, suponha que a amostra
se encontra inicialmente a uma temperatura de 760°C (1400°F), e que ela foi mantida a essa
temperatura por um tempo suficiente para que fosse atingida uma estrutura austenítica
completa e homogênea.

(a)Resfriamento rápido até 350°C (660°F), manutenção dessa temperatura durante


104 s, e em seguida resfriamento rápido até a temperatura ambiente.

(b)Resfriamento rápido até 250°C (480°F), manutenção dessa temperatura durante


100 s, e em seguida resfriamento rápido até a temperatura ambiente.

(c)Resfriamento rápido até 650°C (1200°F), manutenção dessa temperatura durante


20 s, resfriamento rápido até 400°C (750°F), manutenção dessa temperatura durante 103 s, e
em seguida resfriamento rápido até a temperatura ambiente.
DATA DA ENTREGA DESSA LISTA “AULA 8” DIA 20/09/17
Lista de Exercícios

6)
PRÓXIMA AULA

AVALIAÇÃO
DIA 19/09/17