Você está na página 1de 10

A SAÚDE NO ESTADO

Matérias Jornalísticas - Destaques nos principais jornais e websites

13, 14 e 15 de janeiro de 2018 (Sábado, Domingo e Segunda-Feira)


Dose fracionada da vacina não dará direito a certificado o ato da vacinação, viajantes devem apresentar comprovante de viagem

Por: O Globo 11 de Janeiro de 2018 às 11:08 Atualizado em 11 de Janeiro de 2018 às 13:58

Pessoas que vão viajar para áreas que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, o CIVP, devem tomar a dose inteira
da vacina da febre amarela (0,5 ml) -- e não a dose fracionada, de 0,1 ml, que será aplicada em algumas regiões do país.
"Não será emitido CIVP, em hipótese alguma, para quem apresentar comprovante de vacinação com etiqueta referente a dose fracionada",
diz nota da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
O certificado de vacinas é emitido pela Anvisa e comprova a vacinação contra doenças. A página da agência lista quais países exigem o
documento. Também é possível consultar a lista no site da Organização Mundial de Saúde. Desde julho de 2017, o Brasil passou a exigir
apresentação de comprovante de viagem para que a vacina seja aplicada.
A regra também vai valer para a dose padrão, que será aplicada gratuitamente em postos de vacinação com a apresentação do
comprovante.A agência lembra que as vacinas têm um período para atingir a proteção esperada, que pode variar entre dez dias e seis
semanas.
"No caso da vacinação contra febre amarela, o não cumprimento do prazo de proteção pode impedir sua entrada em alguns países. Por
isso, vacine-se com antecedência", avisa a agência. Além de viajantes internacionais, continuam a receber a dose padrão crianças de 9
meses a até 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids) e gestantes.
O que é dose fracionada?
Na terça-feira (9), o Ministério da Saúde divulgou que os estados da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo vão adotar a dose fracionada da
vacina da febre amarela. Trata-se da divisão da dose antes aplicada: a dose padrão contém 0,5 ml e a versão dividida passa a ter 0,1 ml.
Com isso, uma vacina que antes era destinada para uma pessoa pode ser aplicada em cinco. Estudos da Fiocruz atestaram que a dose
garante imunidade contra a doença por 8 anos.
Idosos devem ter cuidado com o inverno amazônico, aponta médica
Ela ressalta alguns cuidados, entre elas a vacinação anual contra a gripe. A higienização das mãos com água e sabão ou álcool
gel também são importantes.

14/01/2018 18h47

Vacinação contra gripe pode imunizar idosos.Vacinação contra gripe pode imunizar idosos.
Vacinação contra gripe pode imunizar idosos.
As doenças oportunistas, como a gripe, transmitida pelo vírus Influenza, são comuns durante o inverno amazônico. Cuidados simples
podem ajudar a evitar a doença, principalmente, em idosos que tendem a sofrer mais com a incidência de viroses e com os sintomas
típicos, alerta a geriatra do Hospital Jean Bitar (HJB), Laiane Dias.
“Manter-se hidratado é de extrema importância para evitar quadros como esse, já que com o tempo e envelhecimento das células do
cérebro perde-se a sensação de sede”, orienta. Ela ressalta alguns cuidados, entre elas a vacinação anual contra a gripe, que é
disponibilizada em postos de saúde para pessoas com mais de 60 anos.
A médica também relembra que a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel, são importantes. Manter-se afastado de
pessoas contaminadas pela gripe também ajuda a prevenir a doença, que pode agravar com a imunidade baixa e associação com outras
doenças, como pneumonias.
“Todos os cuidados devem ser tomados, já que a saúde do idoso é bastante delicada e doenças como a dengue e zika, que também
costumam surgir no período das chuvas, são outro perigo”, destaca.
Serviço
A equipe multidisciplinar do Hospital Jean Bitar é referência para atendimento na especialidade de geriatria. Foram realizados no ano
passado 21.874 atendimentos ambulatoriais, sendo 1.205 somente nessa especialidade. O Hospital Jean Bitar fica na Rua Cônego
Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800

Seminário voltado ao debate da saúde mental abre inscrições gratuitas


Evento conta com a participação da professora doutora da Universidade Federal do Pará (UFPA), Airle Miranda de Souza

12/01/2018 18h08

A importância de cuidar da saúde mental é tema do seminário “Janeiro Branco - Cuidar de Si para Cuidar do Outro”. que abriu incrições
gratuitas para interessados. O evento será realizado em Belém e vai contar com a participação de profissionais reconhecidos na área da
Psicologia, como a professora doutora da Universidade Federal do Pará (UFPA), Airle Miranda de Souza.
O seminário, realizado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, está com inscrições online. Para
participar, o interessado deve se inscrever até o dia 23/1. As vagas são limitadas.
O evento
O seminário faz parte da Campanha “Janeiro Branco”, que a Pró-Saúde desenvolve nos hospitais geridos pela entidade, em Belém (PA),
durante o mês de janeiro. São eles: Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) e
Oncológico Infantil Octávio Lobo.
As atividades serão realizadas de 8h às 18h, no auditório da Devry Faci, localizado na travessa Tupinambás, 461, bairro de Batista
Campos, em Belém (PA).
DIÁRIO ON LINE

Bruxismo e apneia estão entre os distúrbios do sono. Veja os principais!

Segunda-Feira, 15/01/2018, 09:09:39

Bruxismo e apneia estão entre os distúrbios do sono. Veja os principais!


Você sabe o que é síndrome das pernas inquietas? E terror noturno?
Despertar frequentemente durante a noite ou ter dificuldade para iniciar e manter o sono podem ser indicativos dos chamados transtornos
do sono (TS), distúrbios que podem surgir em qualquer idade. Mais do que atrapalhar uma noite, os transtornos podem causar prejuízos à
saúde e, portanto, exigem acompanhamento
médico especializado.
O médico neurologista Hideraldo Cabeça aponta que o sono é um aspecto fundamental na vida do ser humano, já que possui função
restaurativa, de conservação de energia e de proteção. Por isso mesmo, a ocorrência de episódios que prejudiquem o sono pode trazer
consequências para a saúde do indivíduo. “Sua privação (sono) pode determinar importante prejuízo em curto ou em longo prazo nas
atividades diárias do paciente, causando adversidades sociais, somáticas, psicológicas ou cognitivas”.
Tanto em crianças como em adultos os TS podem estar ligados a sintomas como insônia, sonolência excessiva diurna, incapacidade de
dormir no momento desejado e outros eventos. Em muitos casos, os sinais relacionados à dificuldade de dormir bem também podem ser
indicativos de outras doenças.
“Através da análise das queixas do paciente pode-se identificar alteração clínica na respiração, estado de depressão, transtorno
gastrointestinal, síndrome de pernas inquietas, doenças do coração, doença pulmonar e outros”, enumera o médico. Por meio das
informações repassadas pelo neurologista Hideraldo Cabeça, o DIÁRIO aponta outras informações sobre transtornos relacionados ao
sono.
SERVIÇO
SINTOMAS
-Deve-se procurar um médico para fazer uma avaliação em caso de cansaço, fadiga, esquecimento e sonolência excessiva durante o dia
-Durante a avaliação clínica, são analisados sintomas noturnos associados, como a presença de roncos, respiração bucal, apneias,
dispneia, refluxo gastroesofágico, disfunção urinária noturna, disfunção erétil, sonambulismo, bruxismo, movimento de pernas, paralisia do
sono
-Os sintomas diurnos são sonolência, alterações de humor, queda da produtividade, dificuldade de concentração e memória, diminuição da
atenção na condução de veículos, entre outros.
DIAGNÓSTICO
-A avaliação de um paciente com Transtorno do Sono (TS) baseia-se em observação clínica, com ênfase na história do paciente e no
exame físico
-Durante a coleta da história clínica, são considerados fatores como o início do aparecimento, a duração, a frequência e a gravidade dos
sintomas; a ocorrência de fatores precipitantes (incluindo os psicológicos) e predisponentes
-Já o exame físico deve incluir medidas de peso, altura, índice de massa corporal (IMC), circunferência do pescoço, pressão arterial
sistêmica e frequência cardíaca
-O uso de medicamentos também deve ser averiguado, assim como o de cafeína e bebidas energéticas
lDOENÇAS ASSOCIADAS
-Problemas clínicos na tireoide, no coração e no cérebro podem estar associados ao surgimento de distúrbios do sono
-Os TS frequentemente associam-se a comorbidades como hipertensão arterial, síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS), diabetes
mellitus, aumento de resistência à insulina, obesidade e dislipidemia (níveis elevados de gorduras no sangue)
PREVENÇÃO
-Recomenda-se evitar o consumo de bebida alcoólica de forma exagerada, manter o equilíbrio emocional, realizar atividade física
regularmente e manter acompanhamento médico periódico
TEMPO DE SONO
-Não há um tempo de sono igual para todas as pessoas
-Recém-nascidos precisam de muitas horas de sono - até 17 horas por dia
-Já na fase adulta, o tempo ideal de sono é aquele em que, após uma noite de sono, o indivíduo acorda e se sente bem, sem sonolência
excessiva Algumas pessoas necessitam de 7 a 8 horas de sono, outros necessitam de menos tempo
-Para identificar o seu tempo ideal, pode-se observar, sem uso de despertador, a que horas o indivíduo acorda bem, sem se sentir cansado
lPRINCIPAIS DISTÚRBIOS
Insônia - Está relacionada à dificuldade de iniciar o sono, múltiplos despertares noturnos com dificuldade para voltar a dormir, despertar
precoce, além de sonolência/fadiga persistente durante o dia
Sonolência Excessiva Diurna - É caracterizada pela incapacidade de se manter acordado e alerta durante o dia, resultando em sonolência
e lapsos de sono não intencionais
Bruxismo - Está associado à anormalidades que atingem os músculos da mastigação e desgaste dentário. Geralmente, tem início entre 10
e 20 anos, podendo persistir durante toda a vida
Síndrome das Pernas Inquietas - É referida como um desconforto nos membros inferiores no estado de vigília, ou após ter conciliado o
sono, despertando e obrigando o paciente a se levantar e massagear os membros inferiores
Apneia do Sono - É caracterizada pela parada ou diminuição temporária da respiração por várias vezes durante o sono. Pode ser causada
por alguma obstrução nas vias aéreas, assim como por problemas de origem neurológica
Sonambulismo - Consiste na execução de comportamentos motores durante o sono, desde sentar-se no leito, levantar-se e até caminhar.
Os episódios de sonambulismo geralmente terminam com o despertar do indivíduo, ou retornando para o leito e continuando a dormir.
Terror noturno - Caracteriza-se pelo despertar súbito, quando o indivíduo se senta na cama, com o olhar assustado, pálido, transpirando.
Nestes casos o paciente não faz referência a sonhos ou pesadelos e frequentemente não se recorda do episódio

Fonte: Hideraldo Cabeça – médico neurologista.


AGÊNCIA - PARÁ

Especialista alerta para os cuidados com idosos no inverno amazônico


A equipe multidisciplinar do Hospital Jean Bitar, referência para atendimento na especialidade de Geriatria, realizou ano passado
21.874 atendimentos ambulatoriais, sendo 1.205 somente nessa especialidade.

14/01/2018 13:12h

Com o inverno amazônico chegam as doenças oportunistas, entre elas, a gripe, transmitida pelo vírus Influenza. Cuidados simples podem
ser fundamentais para evitar a doença, especialmente, em idosos que tendem a sofrer mais com a incidência de viroses e com os sintomas
típicos como dores na garganta, tosse e coriza, como alerta a geriatra do Hospital Jean Bitar (HJB), Laiane Dias.
“Manter-se hidratado é de extrema importância para evitar quadros como esse, já que com o tempo e envelhecimento das células do
cérebro perde-se a sensação de sede”, orienta, ressaltando alguns cuidados, entre elas a vacinação anual contra a gripe, que é
disponibilizada em postos de saúde para pessoas com mais de 60 anos.
A médica orienta familiares e cuidadores para a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel, são importantes. Manter-se
afastado de pessoas contaminadas pela gripe também ajuda a prevenir a doença, que pode agravar com a imunidade baixa e associação
com outras doenças, como pneumonias.
“Todos os cuidados devem ser tomados, já que a saúde do idoso é bastante delicada e doenças como a dengue e zika, que também
costumam surgir no período das chuvas, são outro perigo”, atenta a médica, que cita ainda cuidados com água acumulada em recipientes
dentro ou próximo das casas. Isso também pode agravar o estado de saúde do idoso contaminado pela gripe.
O aposentado Gilmar Araújo, de 60 anos, afirma que nessa época de chuva toma todas as precauções possíveis para evitar a gripe e
outras viroses. “Mantenho sempre a casa limpa. Evito que qualquer tipo de objeto que acumule água para que não haja a proliferação do
mosquito Aedes aegypti”, assegura. Como completou recentemente 60 anos, ele diz que adotará o hábito de tomar a vacina anual contra a
gripe e acredita que isso ajudará a evitar a doença.
Laiane Dias também sugere que a nova geração se preocupe mais com a saúde, para que no futuro tenhamos idosos saudáveis. A prática
de exercícios e uma alimentação balanceada são fundamentais no processo de envelhecimento.
A equipe multidisciplinar do Hospital Jean Bitar, referência para atendimento na especialidade de Geriatria, realizou ano passado 21.874
atendimentos ambulatoriais, sendo 1.205 somente nessa especialidade.
O hospital atualmente disponibiliza 70 leitos e também é referência estadual para endoscopia digestiva, endocrinologia, reumatologia,
geriatria, pneumologia e clínica médica.
Serviço: O Hospital Jean Bitar fica na Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800.

Por Vera Rojas

Agência Transfusional reduz em até 40 minutos tempo de transplante no Jean Bitar

Na Agência Transfusional também é mantido o controle de qualidade interno dos reagentes e hemocomponentes. Além disso, a
unidade participa do controle de qualidade externo promovido pelo Hemopa.

14/01/2018 11:18h

Quarenta minutos pode significar a vida de um paciente que necessita de uma transfusão de sangue. Para garantir a rapidez e segurança
no atendimento desses casos, o Hospital Jean Bitar inaugurou, em fevereiro de 2017, a Agência Transfusional, uma unidade hemoterápica
que tem como função armazenar sangue e seus derivados, realizar exames imuno-hematólogicos pré-transfusionais, liberar e transportar
os produtos sanguíneos para as transfusões nos setores do Complexo Hospitalar.
A gerente de enfermagem e responsável pela Agência Transfusional do Jean Bitar, Solange Antonelli, lembra que o sangue é o elemento
que pode garantir a chance de vida de um paciente que tem a necessidade de uma transfusão. "Alguns precisam fazer a transfusão com
certa urgência, e se não fosse a existência da Agência Transfusional o sangue poderia levar entre quatro e cinco horas para chegar até o
paciente. Com a implantação da unidade hemoterápica este tempo é reduzido para 40 minutos”, comenta.
A AT é uma espécie de central de armazenamento que atende os setores do hospital nas necessidades transfusionais. É neste local que
são realizados os exames pré-transfunsionais e onde são identificadas as reações através de exames e notificações. No local também é
mantido o controle de qualidade interno dos reagentes e hemocomponentes, além disso, a unidade participa do controle de qualidade
externo promovido pelo Hemopa.
“Os 40 minutos para um paciente que não está respirando bem, que está com dor e debilitado, pode significar a diferença entre vida e
morte. A AT permite que se trabalhe a transfusão sanguínea com uma margem de segurança muito alta e satisfatória”, garante.
Antes da instalação da agência, explica a enfermeira, entre se fazer a identificação da necessidade, realizar a tipagem e receber o sangue,
levava um certo tempo e o hospital ainda tinha que disponibilizar um transporte para buscar as bolsas. “A principal vantagem é que a
agência realiza todos os testes garantindo que o sangue não provoque um agravamento no quadro do paciente”, explica.
"Perdi as contas de quantas transfusões precisei fazer ao longo de todos esses anos e sempre foi uma dificuldade. Às vezes precisava
esperar dias, mas com a Agência Transfusional bastou o médico solicitar e eu já estava fazendo o procedimento. Tudo muito rápido e
tranquilo, uma felicidade para quem está passando muito mal e quer ter seu sofrimento aliviado o quanto antes", comenta a paciente
Mayara Tenório.
Convivendo há três anos com angiectasia, doença crônica, hereditária, que dilata vasos sanguíneos e forma varizes no intestino causando
hemorragia digestiva, Mayara passou por diversos médicos e hospitais até que pudesse descobrir a causa dos sangramentos contínuos.
Encaminhada ao Hospital Jean Bittar em dezembro de 2016, ela iniciou um tratamento específico no local e, apesar do sofrimento
constante por conta da doença, foi lá que encontrou o melhor tratamento. Próximo de fazer a cirurgia, ela precisou de uma transfusão de
sangue e ficou surpresa com a agilidade no procedimento.
"É muito complicado conviver com essa doença. Ela não tem cura, apenas é tratada, e viver com dores intensas e sangramentos é bem
dificil. Mas poder estar em um ambiente onde todos te dão a maior atenção, te tratam bem e cuidam de você de verdade, é um alívio. Só
tenho a agradecer aos médicos e às enfermeiras que muitas vezes foram como psicólogas pra mim. Me surpreendi muito com o tratamento
do Jean Bittar, é maravilhoso", ressalta.

Por Márcio Flexa


Cozinha do Regional de Paragominas recebe certificação
O processo de certificação destaca ainda a inclusão de legumes e verduras 100% orgânicas, produzidas e colhidas em horta
própria do estabelecimento hospitalar.
13/01/2018 11:10h
Integrante da rede de regionalização de saúde pública do estado, o Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas, nordeste
paraense, conquistou mais uma certificação. Dessa vez foi o selo Green Kitchen, que ratifica a segurança e a qualidade na produção da
alimentação servida aos colaboradores, usuários e acompanhantes.
A certificação à cozinha do HRPL foi concedida pelo programa da Fundação para a Pesquisa em Arquitetura e Ambiente. Ele é indicado
para restaurantes que estão em constante aprimoramento do seu padrão de qualidade em benefício de seus usuários, na sua região e seu
ambiente social, baseado na alimentação saudável, ambientação natural e sustentabilidade.
De acordo com a responsável pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do hospital, a nutricionista Brenda Camelo, o processo destaca
ainda a inclusão de legumes e verduras 100% orgânicas, produzidas e colhidas em horta própria do estabelecimento hospitalar. Somente
em 2017, o setor produziu cerca de 180 mil refeições. “São servidos diariamente seis refeições, além de serviços extras como coffe break e
lanches, entre outras solicitações”, comentou Brenda, ressaltando o empenho da equipe do SND para manter a qualidade do atendimento
na cozinha.
O primeiro passo para concorrer ao selo Green Kitchen foi dado em 2016 pela nutricionista Sueanne Pacheco, que antes de entrar em
licença maternidade, passou o desafio para a colega de trabalho que levou a equipe a atingir o objetivo com o apoio da Diretoria
Administrativa e Financeira.
”Pretendemos manter o selo com reuniões periódicas internas a fim de garantir a pontuação ou melhorarmos nossa posição nesse ranking,
tendo em vista que se trata de um processo criterioso e que garante a satisfação de nossos usuários com a excelência do serviço”,
destacou a nutricionista.
O diretor administrativo e financeiro do HRPL, Cledes Silva, fez questão de parabenizar cada colaborador envolvido direta e indiretamente
na conquista do mais novo reconhecimento obtido pelo hospital. “É uma imensa satisfação ser reconhecido pela atuação de qualidade
junto aos que precisam dos nossos serviços. Isso é motivador e passa ainda mais segurança ao nosso público interno e externo.”
Sustentabilidade e responsabilidade social
O HRPL já coleciona algumas certificações, entre elas o “Selo Ouro” do Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces), da Fundação
Getúlio Vargas, destinado às empresas e instituições que possuem inventários de emissão de gases de efeito estufa.
No âmbito da responsabilidade social, o projeto “Capacitar para salvar”, deu ao HRPL o título de Instituição do Ano – Saúde Pública, na
segunda edição do Prêmio Líderes da Saúde Norte e Nordeste, durante a Feira HospitalMED, realizada em 2017 no Centro de
Convenções de Pernambuco.
Com 70 leitos, o HRPL dispõe de clínica médica e cirúrgica, nas especialidades de neurologia/neurocirurgia, traumatologia/ortopedia,
cirurgia geral e suporte de anestesia, além de consultas ambulatoriais em cardiologia, clínica cirúrgica, clínica médica,
neurologia/neurocirurgia, urologia, endocrinologia, ginecologia, mastologia e traumatologia/ortopedia.
O HRPL é um hospital do governo do Estado, administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em
parceria com a Secretaria de Estado de Sa´de Pública (Sespa).
Serviço: O Hospital Regional Público do Leste (HRPL) fica na rua Adelaide Bernardes, s/n, bairro Nova Conquista, em Paragominas. Mais
informações pelos telefones (91) 3739-1046 / 3739-1253 / 3739-1102.

Hemocentro do Oeste conta com a população para reforçar a campanha de carnaval


Em Santarém, o Hospital Regional do Baixo Amazonas estabeleceu parceria com a unidade local do Hemopa para reforçar a
campanha e na quarta (10) e quinta-feira (11) promoveu uma ação nas suas dependências para aumentar o estoque de bolsas de
sangue.
12/01/2018 12:27h
A proximidade do período carnavalesco faz aumentar a preocupação dos hemocentros do País com a demanda por transfusões nas redes
pública e privada de saúde, que segue na contramão dos comparecimentos voluntários aos postos de doação de sangue nesse período.
Como os demais núcleos da rede nacional, o Hemocentro Regional do Oeste do Pará, com sede em Santarém, conta com a colaboração
da população para aumentar o estoque estratégico de sangue. Por isso, na semana que antecede o carnaval, a unidade estará mobilizada
em torno da campanha de doação lançada estrategicamente para reverter os índices decrescentes que se registram em fevereiro.
"A campanha do carnaval é estratégica e mobiliza toda a hemorede estadual. As unidades estarão a postos para a coleta de bolsas no
período de 05 a 09 de fevereiro, das 7h às 12h30. É uma campanha, inclusive, pela qual muitos doadores já aguardam. Eles sabem que
sempre acontece uma semana antes do carnaval", explica a assistente social Anaídes Silva.
Esta é a primeira campanha externa realizada pela Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) este ano. Em
Santarém, o Hospital Regional do Baixo Amazonas estabeleceu parceria com a unidade local do Hemopa para reforçar a campanha. Na
quarta (10) e quinta-feira (11), a direção do HRBA promoveu uma ação nas suas dependências para aumentar o estoque de bolsas de
sangue. "Tivemos a grata ajuda do Hospital Regional, que mobilizou seus pacientes e colaboradores para reforçar o nosso estoque
técnico. Ao longo de quatro horas foram coletadas 84 bolsas, um resultado muito bom que colaborou para que atingíssemos nossa meta",
informou Anaides.
A coordenadora da Agência Transfusional do HRBA, Terezinha Leão, diz que é fundamental que as pessoas se sensibilizem e doem
sangue. “O Hospital Regional, pelo porte que tem e pela complexidade dos serviços, precisa de muitas bolsas de sangue. Então, a única
forma que temos para suprir essa demanda é incentivando as pessoas a doarem e a verem o quanto isso é importante”, afirmou a médica.
Estoque - Atualmente, a unidade do oeste do Pará vem trabalhando com um estoque abaixo do que é considerado regular para atender
Santarém e mais 17 municípios da região. A assistente social informa que o hemocentro regional precisa de uma quantidade que varia
entre 600 e 650 bolsas mensais para atender a demanda.
"A gente entende que todo final e início de ano há uma queda acentuada das coletas nos hemocentros de uma forma geral, por isso
sempre vamos em busca de parcerias para que possamos equilibrar o estoque. Nesse ponto, contamos com a ajuda sempre bem vinda da
imprensa para informar e conscientizar os cidadãos sobre a importância das doações", argumenta Anaídes.
Serviço: Para doar sangue basta procurar o Hemocentro Regional em Santarém, que funciona na Avenida Frei Vicente, nº 628, bairro
Aeroporto Velho, de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h. O doador precisa ter entre 16 e 69 anos, pesar acima de 50 kg, estar bem
alimentado e apresentar documento original com foto. Menores de 18 anos precisam estar acompanhados de pais ou responsáveis legais
para assinar um termo de consentimento. A coordenação do Hemopa reitera que todas as informações são repassadas a fim de esclarecer
dúvidas e questionamentos a quem vai doar sangue pela primeira vez.

Por Samuel Alvarenga