Equações Diferenciais de Variáveis Separáveis

4.3 Equações diferenciais como modelos matemáticos É comum desejarmos descrever o comportamento de algum sistema ou fenômeno da vida real em termos matemáticos, quer sejam eles físicos, sociológicos ou mesmo econômicos. A descrição matemática de um sistema ou fenômeno é chamado modelagem matemática. A construção de um modelo matemático de um sistema começa com a identificação das variáveis responsáveis pela variação do sistema. A seguir, elaboramos um conjunto de hipóteses ou pressuposições sobre o sistema. Essas hipóteses deverão incluir também leis empíricas que podem ser obtidas experimentalmente. Como as hipóteses sobre um sistema envolvem, na maioria das vezes, taxa de variação de uma ou mais variáveis, a descrição matemática de todas essas hipóteses pode ser uma ou mais equações envolvendo derivadas. Assim o modelo matemático pode ser uma equação diferencial ou um sistema formado por equações diferenciais. As etapas de um processo de modelagem podem ser dispostas conforme o diagrama abaixo:

Um modelo matemático de um sistema físico, na maioria das vezes, envolve a variável tempo. Uma solução do modelo oferece então o estado do sistema, ou seja, o sistema pode ser descrito no passado, presente e futuro. Veremos a seguir alguns exemplos básicos e importantes de modelagem utilizando equações diferenciais. 4.3.1 Dinâmica Populacional A modelagem matemática do crescimento populacional humano foi desenvolvida, pela primeira vez, pelo economista inglês Thomas Malthus, em 1798. O modelo malthusiano admite a hipótese de que a taxa segundo a qual a população de um país cresce em um determinado instante é proporcional à poputação total do país naquele instante, ou seja, segundo Malthus, quanto mais pessoas houver em um instante t, mais pessoas existirão no futuro. Em termos matemáticos, se P = f(t) for a população total no instante t, então a hipótese de Malthus pode ser expressa por: , onde k é uma constante de

proporcionalidade. As populações que crescem segundo o modelo de Malthus são raras, entretanto esse modelo ainda hoje é utilizando para modelar o crescimento de pequenas populações em um curto intervalo de tempo, por exemplo, o crescimento de uma cultura de bactérias.

a meia – vida é uma medida da estabilidade de uma substância radioativa. transmuta-se no gás radônio radioativo. Em termos matemáticos escrevemos: Nesse caso A representa a quantidade remanescente e k é a constante de proporcionalidade. Robson Rodrigues da Silva Exemplo 1. Pb – 206. Ra – 226. se a taxa de desintegração for proporcional à quantidade remanescente. . Exemplo 3. Por exemplo. A meia . Em física. Esses núcleos são chamados de radioativos. Quanto maior for a meia – vida de uma susbtância.2 Decaimento Radioativo O núcleo de um átomo consiste em combinações de prótons e nêutrons. ou seja. Ache a meia – vida desse isótopo. Se a população dobrou em cinco anos. os átomos transmutam em átomos de outra substância.Prof. 4. isto é. Exemplo 2. determine: a) A expressão matemática que descreve o número P de bactérias em cada instante t. a metade de uma quantidade inicial de U – 238 é transformada em chumbo. Veremos que para k > 0 o modelo pode ser utilizando para crescimento e k <0 para decaimento. b) O número de bactérias para t = 3 h.5 bilhões de anos. Sabendose que a taxa de crescimento é proporcional ao número P de bactérias presente no instante t. Por exemplo.3. Muitas dessas combinações são instáveis.5 bilhões de anos. Em 1 hora. o altamente radioativo elemento rádio. Para modelar o fenômeno de decaimento radioativo. supõe – se que a taxa segundo a qual o núcleo de uma substância radioativa decai é proporcional à quantidade (número de núcleos) de substância remanescente no instante t. c) O tempo necessário para triplicar o número de bactérias. Depois de 15 anos determinou-se que 0. quanto tempo levará para triplicar? E para quadruplicar? Uma única equação diferencial pode servir como um modelo matemático para vários fenômenos diferentes . mais estável ela será.vida é simplesmente o tempo necessário para que a metade dos átomos de uma quantidade incial se desintegre ou se transforme em outro elemento químico. o isótopo de urânio U – 238 tem uma meia-vida de aproximadamente 4. Rn – 222. Ms. em cerca de 4. ao longo do tempo. Crescimento de bactérias Uma cultura tem inicialmente 1000 bactérias. A meia – vida do Plutônio Um reator regenerador converte urânio 238 relativamente estável no isótopo plutônio 239. o número medido de bactérias é de 2000. Crescimento populacional Sabe-se que a população de uma comunidade cresce a uma taxa proporcional ao número de pessoas presentes no instante t.043% da quantidade inicial Ao de plutônio desintegrou-se.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful