Você está na página 1de 16

CONCURSO

RESIDÊNCIA MÉDICA
QUESTÕES COMENTADAS 2010 - 2014
PROCESSO SELETIVO UNIFICADO MG

PEDIATRIA
PROVA GERAL E ESPECÍFICA
Luciano Amédée Péret Filho

CONCURSO
RESIDÊNCIA MÉDICA
QUESTÕES COMENTADAS 2010 - 2014
PROCESSO SELETIVO UNIFICADO MG

PEDIATRIA
PROVA GERAL E ESPECÍFICA

folium
Belo Horizonte, 2014
CONCURSO
RESIDÊNCIA MÉDICA PEDIATRIA
QUESTÕES COMENTADAS 2010 / 2014

Luciano Amédée Péret Filho

Projeto gráfico: Folium Editorial


Copyright © 2014 By Luciano Amédée Péret Filho

Folium Editorial
Av. Carandaí, 161 – sala 702, Funcionários
30130-060 – Belo Horizonte – MG
Tel.: (31) 3287-1960
folium@folium.com.br

P434c Péret Filho, Luciano Amédée


Concurso residência médica pediatria: questões comentadas 2010-2014 / Luciano
Amédée Péret Filho. – Belo Horizonte: Folium, 2014.
106p

ISBN 978-85-88361-85-0

1. Pediatria: concurso residência médica. 2. Questões de prova comentada. I. Título

CDU 616-053.2(079)
371.279.6

Ficha catalográfica
Todos os direitos autorais reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de fevereiro de 1998. É proibida a
duplicação desta obra, no todo ou em parte, sob quaisquer formas ou por quaisquer meios (eletrôni-
co, mecânico, gravação, fotocópia ou outros) sem a permissão prévia, por escrito, do Autor.
APRESENTAÇÃO
Esta obra tem por objetivo listar e comentar as questões de Pediatria dos Concursos do Processo
Seletivo Unificado de Minas Gerais no período de 2010 a 2014, coordenados pela Associação de
Apoio a Residência Médica de Minas Gerais (AREMG), com a participação da maioria das institui-
ções do Estado que oferecem Residência Médica.
Todas as instituições envolvidas podem participar da elaboração das provas.
As questões abrangem amplo espectro de tópicos: da fisiopatologia aos princípios gerais da Pe-
diatria passando pelo período neonatal até a adolescência.
Totalizam 310 questões, sendo 130 da prova geral e 180 que pertencem também a prova de pré-
-requisito em Pediatria.
Após a letra da resposta da prova geral dos anos de 2012 e 2014 encontra-se entre parênteses o
percentual de acerto dos candidados da referida questão. Em poucas respostas existe um as-
terisco, indicando que a questão foi modificada devido a possibilidade de ter sido anulada na
época ou que alguma conduta foi modificada ao longo dos anos.
Optou-se em não colocar a bibliografia.
No final do livro encontra-se o índice por assunto, que poderá facilitar ao candidato, após a re-
visão de determinado tema, testar seus conhecimentos respondendo a questões daquela área.

Luciano Amédée Péret Filho


Organizador
Professor Associado, Doutor do Departamento de
Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG.
Presidente da Associação de Apoio à
Residência Médica do Estado de Minas Gerais.
SUMÁRIO
Perguntas
2010................................................................ 1
2011.............................................................. 10
2012.............................................................. 20
2013.............................................................. 30
2014..............................................................40
Suplementar FEV 2014 ����������������������������� 50
Suplementar MAR 2014 ���������������������������� 55

Respostas
2010.............................................................. 63
2011.............................................................. 70
2012..............................................................77
2013..............................................................84
2014..............................................................90
Suplementar FEV 2014 ����������������������������� 97
Suplementar MAR 2014 �������������������������� 101
QUESTÕES 2010-2014
PROCESSO SELETIVO Questão 03
Mãe pré-natal completo, exames sem alterações,
UNIFICADO 2010 bolsa rota 25 h e líquido aminiótico claro. RN, 38
semanas, PN 3.550 g, Apgar 7 no 1º minuto e 9 no 5º
minuto, após receber oxigênio inalatório. Exames
na urgência evidenciaram LG 23.600, B 6, S 47, E 2,
Questão 01 M 2, L 43, plaquetas 260.000, I/T 0, 113, PCR negati-
Com relação à reanimação neonatal, assinale a va. Ficou no Hood durante 40 minutos. Escolha a
opção ERRADA: opção com a CONDUTA CORRETA para este caso:

A) Hipotermia terapêutica para evitar ou redu- A) Existe presença de fator de risco materno e
zir a lesão neurológica não é recomendada exame laboratorial está alterado: recomen-
na reanimação do recém-nascido asfíxico da-se coleta de hemocultura e cultura de
em sala de parto; líquor antes de iniciar antibióticos;
B) Recém-nascido com IG < 29 semanas deve B) Existe presença de fator de risco materno
ser envolvido em filme plástico poroso e e necessidade de oxigênio: recomenda-se
transparente de polietileno antes de iniciar iniciar antibiótico imediatamente, indepen-
as manobras de reanimação na sala de parto; dente dos resultados de exames;
C) Recomenda-se maior tolerância à cianose C) Os exames laboratoriais estão normais e o
central no RNT que apresente respiração ade- desconforto respiratório transitório sugere
quada, FC > 100 bpm e bom tônus muscular; adaptação à vida extra-uterina: recomenda-
D) Todo RN, com líquido meconial espesso, -se encaminhar RN com a mãe para aloja-
deve ser submetido à aspiração traqueal. mento conjunto sem iniciar antibiótico;
D) Somente a presença do fator de risco materno
já justifica a investigação completa para sepse
Questão 02 precoce e início imediato de antibióticos.
Mãe diabética, com 34 anos, e sem contexto infec-
cioso, tem parto por via vaginal de um RN com 35
semanas de gestação. Ao nascimento, apresentou Questão 04
Apgar 7 e 8, mas evoluiu com dificuldade respira- Prematuro, IG 30 semanas, nascido de parto ce-
tória acentuada (Boletim de Silverman-Anderson sário (bolsa rota, 24 h) foi tratado durante 10 dias
6) sendo necessário o uso de CPAP nasal. Hemo- para sepse precoce confirmada, com ampicilina e
grama normal. Ainda não foi possível realizar o gentamicina, através de cateter umbilical, que foi
estudo radiológico de tórax. Além de distúrbio da mantido durante 7 dias. Está em uso de ventilação
glicose, qual OUTRA DOENÇA explicaria o quadro mecânica desde o nascimento e nutrição parente-
acima descrito? ral parcial há 15 dias. No 17º dia de vida, apresenta
sinais clínicos de sepse tardia, com enterocolite
A) Doença da membrana hialina; necrosante. Selecione a opção que identifica cor-
retamente FATORES PARA SEPSE TARDIA:
B) Pneumonia congênita;
C) Síndrome do pulmão úmido;
A) Nutrição parenteral e ventilação mecânica
D) Taquipneia transitória do RN. prolongada;
B) Prematuridade e bolsa rota de 24 h;
C) Ventilação mecânica prolongada e bolsa
rota 24 h;
D) Uso de ampicilina e gentamicina.

1
Questão 05 tosse freqüente e na ausculta pulmonar presen-
Em relação ao teste de triagem neonatal, é ERRA- ça de roncos e crepitações esparsas bilaterais. A
DO afirmar: radiografia de tórax revela hipeinsuflação pulmo-
nar. O estado geral é bom. Saturimetria normal.
A) A coleta de sangue é realizada no calcanhar Com base na história clínica, a MELHOR proposta
do recém-nascido e no 5º dia de vida; terapêutica é:
B) Após 6 meses de vida, a coleta deve ser rea-
lizada por punção venosa; A) Amoxicilina oral e acompanhamento ambu-
latorial;
C) Em Minas Gerais, fazem parte da triagem
pesquisa para hipotireoidismo, fenilcetonú- B) Eritromicina ou claritomicina por 10 a 14 dias;
ria, galactosemia, doença falciforme e fibro- C) Penicilina cristalina e internação;
se cística; D) Tratamento suportivo e sintomático
D) Não existe impedimento para realização
do teste de triagem quando do uso de me-
dicamentos.
Questão 09
Escolar, de 8 anos de idade, previamente saudá-
vel, apresenta febre (38,8ºC), não acompanhado
Questão 06
de tosse. O estudo radiológico do tórax mostra
Nos casos de diarréia aguda é CORRETO afirmar: condensação na base do pulmão direito. O tra-
tamento antimicrobiano de PRIMEIRA ESCOLHA
A) A presença de sangue nas fezes sugere infec- para este caso é:
ção por mecanismo invasivo provavelmente
rotavírus;
A) Ceftriaxone
B) A presença de vômitos indica que a criança
B) Eritromicina
deve receber hidratação por via venosa;
C) Oxacilina
C) A terapia de reidratação oral dura em média
8 horas; D) Penicilina
D) Na abordagem ambulatorial não são indica-
dos exames laboratoriais de rotina.
Questão 10
Lactente do sexo feminino, 4 meses, em uso
Questão 07(*) de alimentação mista (leite materno + fórmula
As crianças com quadro de paralisia cerebral láctea), sem antecedentes mórbidos, peso de
apresentam, com freqüência, constipação intes- nascimento, 3.200 g. O exame clínico é normal,
tinal, sendo formalmente CONTRA INDICADO o porém sua mãe traz o resultado do hemograma
tratamento com: solicitado por colega que mostra: Hb de 9,7 g%;
Htc 30%; VCM 75; HCM 25; CHCM 32. A MELHOR
A) Hidróxido de magnésio; CONDUTA neste caso é:
B) Lactulose;
A) Completar a propedêutica solicitando ciné-
C) Óleo mineral; tica de ferro: ferro sérico, ferritina, capacida-
D) Propiletilenoglicol. de total de ligação;
B) Diagnosticar anemia ferropriva e entrar com
ferro oral na dose de 5 mg/kg/dia;
Questão 08 C) Tranquilizar a mãe que o exame está normal;
Lactente de 18 meses de idade, sexo masculino, D) Pesquisar sangue oculto nas fezes.
apresenta há 4 dias febre de, no máximo, 38ºC,

2
RESPOSTAS COMENTADAS
PROCESSO SELETIVO cujo valor preditivo negativo é de 97% a 99% e as
plaquetas estão em número também normais.
UNIFICADO 2010 O desconforto respiratório transitório, associado
a exames laboratoriais normais sugere adaptação
à vida extrauterina. Recomenda-se encaminhar o
recém-nascido para junto da mãe sem antibiótico
1 – Resposta D e manter observação constante.
Se o recém-nascido nasce com líquido meconial,
mas respirando, chorando, ativo, com FC > 100
bpm e alguma movimentação, basta aspirar ini- 4 – Resposta A
cialmente a boca e o nariz com uma sonda calibro- Os dispositivos que invadem barreiras naturais
sa, sem laringoscopia ou entubação. Se existir des- como presença de cateter intravascular e tubo en-
conforto respiratório, fazer a laringoscopia e, se for dotraqueal são fatores de risco para sepse tardia.
visto mecônio nas cordas vocais entubar e aspirar. A prematuridade também é fator de risco, porém
Se nascer deprimido em apneia e hipotônico ou a bolsa rota por tempo ≥ 18 horas constitui fator
com FC < 100 bpm, a entubação é imediata para de risco para sepse precoce.
aspirar a traqueia.
O risco de aspiração é maior quando o mecônio
for espesso e volumoso. 5 – Resposta C
Em Minas Gerais, fazem parte da triagem neona-
tal (“exame do pezinho”) a pesquisa para hipoti-
2 – Resposta A reoidismo congênito (1994); fenilcetonúria (1994),
Trata-se de parto prematuro, com 35 semanas de doença falciforme (1994) e fibrose cística (2003). A
gestação em mãe diabética e sem contexto infec- pesquisa de galactosemia não faz parte da rotina
cioso. Nasceu bem (Apgar 7 e 8) porém evoluiu de triagem.
nos minutos seguintes com dificuldade respira-
tória acentuada, comprovada pelo Boletim de Sil-
verman – Anderson de 6, sendo necessário o uso 6 – Resposta D
de CPAP nasal. Como o hemograma está norma,l Na abordagem ambulatorial dos casos de diarreia
o diagnóstico provável é de doença da membrana aguda, em crianças não desidratadas, indicando
hialina. menor gravidade, não é necessário solicitação
Os principais fatores de risco são a prematuridade de exames laboratoriais de rotina. Deve-se reali-
e diabetes materno. zar a prevenção da desidratação aumentando a
oferta de líquidos, incluindo também a solução de
reidratação oral e respeitando a aceitação pela
3 – Resposta C criança. Ofertar dieta normal segundo a idade,
Trata-se de recém-nascido à termo (38 semanas) evitando diluições das fórmulas lácteas.
peso adequado para idade gestacional. Neces-
sitou ao nascimento de oxigênio inalatório por
curto período (menos de uma hora). Mãe realizou 7 – Resposta C
pré-natal completo, sem fatores de risco. As crianças com paralisia cerebral apresentam
O único fator de risco para sepse precoce é bolsa dificuldade de deglutição que predispõe a engas-
rota de 25 horas embora o líquido amniótico esti- gos e aspiração pulmonar. Em caso de constipa-
vesse claro, ou seja, não sugerindo infecção intra- ção intestinal nestas crianças é contraindicado a
-útero ou asfixia. Leucograma está normal, não prescrição de óleo mineral como laxante. A sua
apresentando leucopenia (LG < 5000) ou leucoci- aspiração faz com que surja pneumonia lipoídica
tose (LG > 25.000), o índice neutrófilo < 0,2 (0,113) de difícil controle.
é também normal. A proteína C reativa é normal,

63