Você está na página 1de 5

A chegada do europeu

O impacto da conquista européia sobre as populações nativas das Américas


foi imenso e não existem números precisos sobre a população existente à
época da chegada dos europeus, apenas estimativas. As referentes à
população indígena do território brasileiro em 1500 variam entre 1 e 10
milhões de habitantes.

Estima-se que só na bacia amazônica existissem 5.600.000 habitantes.


Também em termos estimativos, os lingüistas têm aceito que cerca de 1.300
línguas diferentes eram faladas pelas muitas sociedades indígenas então
existentes no território que corresponde aos atuais limites do Brasil.

Dezenas de milhares de pessoas morreram em conseqüência do contato


direto e indireto com os europeus e as doenças por eles trazidas. Doenças
hoje banais, como gripe, sarampo e coqueluche, e outras mais graves, como
tuberculose e varíola, vitimaram, muitas vezes, sociedades indígenas
inteiras, por não terem os índios imunidade natural a estes males.

Em face da ruptura demográfica e social promovida pela conquista européia,


foi sugerido que os padrões de organização social e de manejo dos recursos
naturais das populações indígenas que atualmente vivem no território
brasileiro não seriam representativos dos padrões das sociedades pré-
coloniais.

Esse é um ponto controvertido entre os pesquisadores, pois ainda não há


dados suficientes advindos de pesquisas arqueológicas, bioantropológicas e
de história indígena enfocando o impacto do contato europeu sobre as
populações nativas para que se possa fazer tal afirmativa.

O atual estado de preservação das culturas e línguas indígenas é


conseqüência direta da história do contato das diferentes sociedades
indígenas com os europeus que dominaram o território brasileiro desde 1500.
Os primeiros contatos se deram no litoral e só aos poucos houve um
movimento de interiorização por parte dos europeus.

Os indígenas
A colonização do território brasileiro pelos europeus representou em grande
parte a destruição física dos indígenas através de guerras e escravidão,
tendo sobrevivido apenas uma pequena parte das nações indígenas originais.
A cultura indígena foi também parcialmente eliminada pela ação da
catequese e intensa miscigenação com outras etnias. Atualmente, apenas
algumas poucas nações indígenas ainda existem e conseguem manter parte
da sua cultura original.

Indígena brasileiro, representando sua rica arte plumária e de pintura


corporal.

Apesar disso, a cultura e os conhecimentos dos indígenas sobre a terra foram


determinantes durante a colonização, influenciando a língua, a culinária, o
folclore e o uso de objetos caseiros diversos como a rede de descanso. Um
dos aspectos mais notáveis da influência indígena foi a chamada língua geral
(Língua geral paulista, Nheengatu), uma língua derivada do Tupi-Guarani com
termos da língua portuguesa que serviu de lingua franca no interior do Brasil
até meados do século XVIII, principalmente nas regiões de influência paulista
e na região amazônica. O português brasileiro guarda, de fato, inúmeros
termos de origem indígena, especialmente derivados do Tupi-Guarani. De
maneira geral, nomes de origem indígena são frequentes na designação de
animais e plantas nativos (jaguar, capivara, ipê, jacarandá, etc), além de
serem muito frequentes na toponímia por todo o território.

A influência indígena é também forte no folclore do interior brasileiro,


povoado de seres fantásticos como o curupira, o saci-pererê, o boitatá e a
iara, entre outros. Na culinária brasileira, a mandioca, a erva-mate, o açaí, a
jabuticaba, inúmeros pescados e outros frutos da terra, além de pratos como
os pirões, entraram na alimentação brasileira por influência indígena. Essa
influência se faz mais forte em certas regiões do país, em que esses grupos
conseguiram se manter mais distantes da ação colonizadora, principalmente
em porções da Região Norte do Brasil.

Valorizando e preservando as raízes

Os índios representam uma parcela muito importante e expressiva da


população, que precisa ser resguardada como um dos tesouros étnicos do
Brasil. O processo de colonização levou à extinção muitas sociedades
indígenas que viviam no território dominado, seja pela ação das armas, seja
em decorrência do contágio por doenças trazidas dos países distantes, ou,
ainda, pela aplicação de políticas visando à "assimilação" dos índios à nova
sociedade implantada, com forte influência européia.

Os índios brasileiros sobrevivem utilizando os recursos naturais oferecidos


pela natureza. Para eles, a terra é um bem coletivo. Aprenda sobre seus
costumes e tradições.

Os colonizadores viam os índios como seres inferiores e incapazes, que


precisavam adquirir novos hábitos para estarem aptos a conviver com eles.
Os nativos perderam sua autonomia e passaram a viver em função das leis
que os brancos criavam para eles ou a respeito deles. Saiba sobre os direitos
dos índios brasileiros!

História e atualidade – número de índios brasileiros

É difícil afirmar exatamente a origem e data dos primeiros índios no mundo,


mas há algumas teorias. Historiadores afirmam que antes da chegada dos
europeus à América havia aproximadamente 100 milhões de índios no
continente. Só em território brasileiro, esse número chegava a cinco milhões
de nativos, divididos em tribos, de acordo com o tronco linguístico ao qual
pertenciam: tupi-guaranis (região do litoral), macro-jê ou tapuias (região do
Planalto Central), aruaques (Amazônia) e caraíbas (Amazônia).

Atualmente, calcula-se que apenas 460 mil índios ocupam o território


brasileiro, principalmente em reservas indígenas demarcadas e protegidas
pelo governo. Saiba a situação dos índios no Brasil. São cerca de 200 etnias
indígenas e 170 línguas. Porém, muitas delas não vivem mais como antes da
chegada dos portugueses. O contato com o homem branco fez com que
muitas tribos perdessem sua identidade cultural.

Do total de índios, 150 mil estão em idade escolar e são atendidos em


escolas de ensino médio e fundamental em suas aldeias ou em municípios
próximos. Há também mais de mil jovens indígenas que frequentam diversas
universidades e faculdades brasileiras. Parte dessas conquistas está ligada à
Fundação Nacional do Índio (FUNAI), um órgão do Governo Federal brasileiro
que estabelece e executa a política indigenista no Brasil. Compete à FUNAI
promover a educação básica aos índios, demarcar, assegurar e proteger as
terras por eles tradicionalmente ocupadas, estimular o desenvolvimento de
estudos e levantamentos sobre os grupos indígenas. Mas não se pode afirmar
que este trabalho esteja sendo exercido com determinação e transparência.
Infelizmente, há muitos obstáculos ainda a serem vencidos.
Trabalho
De
Sociologia

Nome: Jhonata Neves Barbosa


Nº.: 19 Serie: 2º. B
Prof. Ariele

Influencia européia no povo indígena brasileiro

Interesses relacionados