Você está na página 1de 13

Prof.

Roberto Troncoso

Olá, futuros servidores públicos!!

Nesse fim de semana, foram realizadas as provas da Receita Federal.

A prova de Auditor Fiscal foi bastante difícil, mas quem estudou pelo
material do Ponto dos Concursos, não teve problemas e conseguiu
resolver grande parte da prova de Direito Constitucional.

Gostei bastante! A Esaf fez uma prova bem elaborada e com temas
bem distribuídos. No entanto, infelizmente, essa banca ainda insiste
em cobrar alguns temas decorebas e nada inteligentes...

Enfim, a prova foi muito boa e meus alunos não tiveram grandes
dificuldades.

Não vislumbrei nenhuma possibilidade de recurso.

Vamos ver como foi a prova:

21- Em 16 de março de 2014, a Criméia realizou consulta popular


que resultou em ampla maioria favorável à separação da Ucrânia,
abrindo caminho para sua anexação à Rússia, que restou
implementada nos dias seguintes.
A Criméia pertenceu à Rússia até 1953, quando o líder Nikita
Kruschev resolveu que a Península deveria integrar a Ucrânia.
Considerando esses acontecimentos, assinale a opção correta,
tomando por fundamento a Constituição Federal de 1988.
a) A Constituição Federal de 1988 não se ocupa do tema em epígrafe,
vale dizer, não trata de questões internacionais e não menciona os
respectivos princípios que devem guiar as relações internacionais da
República Federativa do Brasil.

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 1


Prof. Roberto Troncoso
b) A Constituição Federal de 1988 se ocupa do tema em epígrafe,
porém, não menciona qualquer princípio de relações internacionais,
deixando para o Congresso Nacional a tarefa de criá-los, via
legislação ordinária.
c) A Constituição Federal de 1988 se ocupa do tema em epígrafe,
estabelecendo, como princípio, que a República Federativa do Brasil
somente intervirá em outro Estado soberano na hipótese de
requisição, em defesa da Democracia e dos Direitos Humanos, com
ou sem mandato da Organização das Nações Unidas.
d) A Constituição Federal de 1988 se ocupa do tema em epígrafe,
estabelecendo, como princípios da República Federativa do Brasil, no
plano internacional, a dignidade da pessoa humana e os valores
sociais do trabalho e da livre iniciativa.
e) A Constituição Federal de 1988 se ocupa do tema em epígrafe,
estabelecendo, como princípios da República Federativa do Brasil, no
plano internacional, os princípios da autodeterminação dos povos e a
não intervenção.

Questão muito tranquila, pessoal! Essa foi pra ninguém


zerar... No artigo 4º, a Constituição nos traz como o Brasil
deve atuar quando for se relacionar com outros Estados. Esses
princípios podem ser divididos, para fins didáticos, em 3
grupos:
- Independência nacional
- Autodeterminação dos povos
1 – Princípios ligados à
- Não-Intervenção
independência nacional
- Igualdade entre os Estados
- Cooperação dos povos para o progresso da humanidade

2 – Princípios ligados - Prevalência dos direitos humanos


à pessoa humana
- Concessão de asilo político

- Defesa da paz
3 – Princípios
- Solução pacífica dos conflitos
ligados à paz
- Repúdio ao terrorismo e ao racismo

Gabarito Preliminar: E.

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 2


Prof. Roberto Troncoso
22- Sobre o Conselho Nacional de Justiça, é correto afirmar que:
a) seus integrantes são oriundos de cada um dos Poderes da
República, sem exceção.
b) sua criação decorre de manifestação do Poder Constituinte
Originário.
c) a Constituição Federal assegura ao Advogado-Geral da União a
prerrogativa de manifestação nas suas sessões.
d) o Supremo Tribunal Federal afastou as alegações de
inconstitucionalidade relativas à sua criação.
e) nas ações diretas de inconstitucionalidade sob sua análise, a
inconstitucionalidade será declarada pela maioria absoluta dos seus
membros.
Letra A – Errado. Os integrantes do CNJ se dividem entre
cidadãos, advogados, membros do MP e membros do Poder
Judiciário. Assim, não há representantes do Poder Executivo
no CNJ.
Letra B – Errado. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi
criado pela Emenda Constitucional nº 45/2004, sendo,
portanto, fruto do Poder Constituinte Derivado.
Letra C – Errado. O Advogado-geral da União não foi
mencionado na CF. O art. 103-B, § 6º fala que: “Junto ao
Conselho oficiarão o Procurador-Geral da República e o
Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do
Brasil.”
Letra D – Certo. Na ADI 3367/DF, a Corte Superior considera a
criação do CNJ constitucional, afastando qualquer dúvida
sobre a sua legitimidade.
Letra E – Errado. O CNJ é um órgão administrativo, ou seja,
não possui função jurisdicional. Compete a ele realizar o
controle da atuação administrativa e financeira do Poder
Judiciário e do cumprimento dos deveres funcionais dos
juízes. Quem julga a ADI é o STF.
Gabarito Preliminar: D
23- Sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental
(ADPF), é correto afirmar que:

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 3


Prof. Roberto Troncoso
a) a decisão do Supremo Tribunal Federal, acolhendo-a, deverá ser
posteriormente comunicada ao Senado Federal, que, por maioria
absoluta, poderá suspender a execução, no todo ou em parte, do ato
ou texto impugnado objeto da decisão.
b) ela somente será admitida se não houver outro meio eficaz de
sanar a lesividade.
c) passou a integrar a Constituição Federal a partir da Emenda
Constitucional n. 45/04, Reforma do Judiciário.
d) ao proferir decisão, acolhendo-a, o juiz de primeiro grau está
obrigado a remeter a decisão para ser confirmada pelo Supremo
Tribunal Federal, considerando que se trata de uma das competências
recursais do STF.
e) é um dos instrumentos utilizados e admitidos pelo Supremo
Tribunal Federal para obstar a tramitação do processo legislativo
quando eivado de inconstitucionalidade.
Letra A – Errado. Todas as decisões do STF em controle
concentrado de constitucionalidade (entre elas a ADPF)
possuem eficácia erga omnes e é o próprio Supremo quem
retira a norma do ordenamento jurídico, se for o caso. O
Senado só atua quando a decisão é proferida pelo STF em
controle difuso de constitucionalidade.
Letra B – Certo. A ADPF possui caráter residual (ou
subsidiário). Assim, ela não será cabível quando houver outro
meio VERDADEIRAMENTE capaz de sanar a lesividade.
Letra C – Errado. A Arguição de Descumprimento de Preceito
Fundamental é uma ação que realiza o controle abstrato de
constitucionalidade e que foi criada pelo constituinte
originário.

Letra D – Errado. Não há julgamento de ADPF por juiz de


primeiro grau. Por ser uma ação do controle concentrado,
somente o STF pode julgar uma ADPF que tenha como
parâmetro a Constituição Federal. E isso ainda é feito segundo
a sua competência originária.

Letra E – Errado. A solução para problemas de


inconstitucionalidade no processo legislativo é o Mandado de

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 4


Prof. Roberto Troncoso
Segurança impetrado por parlamentar da Casa onde a
proposição tramita.

Gabarito Preliminar: B.

24- Assinale a opção correta.


a) O mandado de segurança impetrado com vistas a anular ato lesivo
ao patrimônio público isenta o autor de custas judiciais e do ônus da
sucumbência.
b) O habeas corpus protege o direito constitucional de ir e vir, o
habeas data o direito líquido e certo não amparado por habeas corpus
e pelo mandado de injunção.
c) A ação popular e a ação civil pública são idênticas em propósito,
finalidade e alcance, a diferença é que a última se insere na
competência privativa dos tribunais.
d) Por sua natureza de norma definidora de direitos e garantias, o
habeas data não sofre qualquer tipo de restrição ou limitação
constitucional.
e) Compete ao Supremo Tribunal Federal julgar mandado de
segurança contra ato do Tribunal de Contas da União e do próprio
Supremo Tribunal Federal.

Letra A – Errado. O Mandado de Segurança serve para


proteger direito líquido e certo do impetrante. A ação que visa
anular ato lesivo ao patrimônio público é a Ação Popular.

Letra B – Errado. A questão trocou tudo no HD... A


Constituição dispõe em seu art. 5º, LXXII - conceder-se-á
"habeas-data": a) para assegurar o conhecimento de
informações relativas à pessoa do impetrante, constantes de
registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou
de caráter público; b) para a retificação de dados, quando não
se prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou
administrativo.

Letra C – Errado. A ação civil pública é proposta pelo MP e


serve para tutelar direitos difusos, coletivos e individuais
homogêneos. Por outro lado, a ação popular é proposta pelo
cidadão e visa evitar/reparar lesão ao patrimônio público.

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 5


Prof. Roberto Troncoso
Além disso, as duas ações são julgadas pelo juiz de primeiro
grau, não sendo privativa dos tribunais (2º grau).

Letra D – Errado. O HD tem sim algumas restrições, tais como:


a ação é personalíssima; as informações devem ser relativas à
pessoa do impetrante; o banco de dados tem que ser público
ou de caráter público.

Letra E – Certo. Conforme o art. 102, I, “d” da CF.

Gabarito Preliminar: E.

25- Sobre o Ministério Público, é correto afirmar que:


a) compete privativamente ao Presidente da República propor a
exoneração do Procurador-Geral da República antes do término do
seu mandato.
b) o Ministério Público dos Estados vincula-se ao Ministério Público da
União em razão do princípio constitucional da indivisibilidade.
c) a decretação de estado de defesa requer análise prévia do
Procurador-Geral da República, considerando a excepcionalidade da
medida.
d) ao ser promulgada, a Constituição Federal facultou aos
Procuradores da República o direito de optar, nos termos da lei
complementar, de forma irretratável, entre as carreiras do Ministério
Público Federal e da Advocacia-Geral da União.
e) é da competência exclusiva do Congresso Nacional, por decisão de
maioria absoluta, a exoneração do Procurador-Geral da República
antes do término do seu mandato.

Letra A – Errado. Embora nomeado pelo presidente da


República para um mandato de dois anos, a destituição do
Procurador-Geral da República, por iniciativa do Presidente da
República, deverá ser precedida de autorização da maioria
absoluta do Senado Federal.

Letra B – Errado. O princípio da INDIVISIBILIDADE diz que a


atuação do MP é do respectivo órgão, e não de seus membros
individualmente. Além do mais, não há vinculação entre MPU e
MPE.

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 6


Prof. Roberto Troncoso
Letra C – Errado. Segundo o art. 136, o Presidente da
República deve ouvir o Conselho da República e o Conselho de
Defesa Nacional antes de decretar os estados de sítio e de
defesa.

Letra D – Certo. Essa foi pra sacanear! Isso está no art. 29,
§2º do ADCT!

Letra E – Errado. Como vimos, é por maioria absoluta do


SENADO FEDERAL.

Gabarito Preliminar: D.

26- Com relação aos bens da União e dos Estados, é correto afirmar
que:
a) a faixa de até cento e cinquenta quilômetros de largura, ao longo
das fronteiras terrestres, designada como faixa de fronteira, é
considerada fundamental para defesa do território nacional, e sua
ocupação e utilização serão reguladas por Resolução do Senado
Federal.
b) os recursos naturais da plataforma continental e da zona
econômica exclusiva pertencem à União, sendo assegurada, nos
termos da lei, a outras unidades federativas, a participação no
resultado da exploração de petróleo, gás natural e outros recursos
minerais e de recursos hídricos para fins de geração de energia
elétrica.
c) em razão de sua localização, as ilhas oceânicas e costeiras são de
propriedade da União, sem exceção.
d) pertencem aos Estados as cavidades naturais subterrâneas e os
sítios arqueológicos e pré-históricos localizados dentro de sua
respectiva área territorial.
e) a exploração de recursos minerais de qualquer espécie será objeto
de autorização conjunta da União e do Estado quando os recursos
estiverem localizados em área territorial do Estado.

Letra A – Errado. A utilização e ocupação da faixa de fronteira


será regulada em lei (art. 20, § 2º).

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 7


Prof. Roberto Troncoso
Letra B – Certo. É a redação do art. 20, §1º da Constituição
Federal.

Letra C – Errado. Essa é a regra, mas temos duas exceções:


primeiro, as ilhas oceânicas e costeiras que forem sedes de
Municípios pertencem a estes. Segundo, incluem-se entre os
bens dos Estados as áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras,
que estiverem no seu domínio, excluídas aquelas sob domínio
da União, Municípios ou terceiros (art. 26, II).

Letra D – Errado. Segundo o art. 20, X, da CF são bens da


União, não importa onde se localizem.

Letra E – Errado. Isso é competência da União. Observe que a


CF estabelece como competência comum, no art. 23, XI:
registrar, acompanhar e fiscalizar (não é autorizar) as
concessões de direitos de pesquisa e exploração de recursos
hídricos e minerais em seus territórios.

Gabarito Preliminar: B

27- Sobre o processo legislativo, assinale a opção correta.


a) A Medida Provisória não sofre qualquer limitação de ordem
material.
b) A discussão e deliberação sobre pedido de autorização de lei
delegada será suspensa durante intervenção federal.
c) É da competência privativa do Supremo Tribunal Federal, dos
Tribunais Superiores e dos Tribunais de Justiça proporem ao Poder
Legislativo a criação ou extinção dos tribunais inferiores.
d) São de iniciativa privativa do Presidente da República as leis sobre
relações internacionais da República Federativa do Brasil.
e) Na sessão legislativa extraordinária, o Congresso Nacional
somente deliberará sobre a matéria para a qual foi convocado,
ressalvada a hipótese de Medida Provisória em vigor e existência de
Proposta de Emenda à Constituição, que serão automaticamente
colocadas na pauta de convocação.

Letra A – Errado. O art. 62, § 1º traz uma série de limitações


às medidas provisórias. Vamos relembrar:

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 8


Prof. Roberto Troncoso
§ 1º É vedada a edição de medidas provisórias sobre
matéria:

I – relativa a:

a) nacionalidade, cidadania, direitos políticos, partidos


políticos e direito eleitoral;

b) direito penal, processual penal e processual civil;

c) organização do Poder Judiciário e do Ministério


Público, a carreira e a garantia de seus membros;

d) planos plurianuais, diretrizes orçamentárias,


orçamento e créditos adicionais e suplementares,
ressalvado o previsto no art. 167, § 3º;

II – que vise a detenção ou seqüestro de bens, de


poupança popular ou qualquer outro ativo financeiro;

III – reservada a lei complementar;

IV – já disciplinada em projeto de lei aprovado pelo


Congresso Nacional e pendente de sanção ou veto do
Presidente da República.

Letra B – Errado. Não há esta consequência na intervenção


federal. O que não pode haver é a promulgação de Emenda à
Constituição na vigência de intervenção federal, de estado de
defesa ou de estado de sítio.

Letra C – Certo. O art. 96, II da CF estabelece que compete ao


STF, aos Tribunais Superiores e aos Tribunais de Justiça
propor ao Poder Legislativo:

a) a alteração do número de membros dos tribunais


inferiores;

b) a criação e a extinção de cargos e a remuneração dos


seus serviços auxiliares e dos juízos que lhes forem
vinculados, bem como a fixação do subsídio de seus

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso 9


Prof. Roberto Troncoso
membros e dos juízes, inclusive dos tribunais inferiores,
onde houver;

c) a criação ou extinção dos tribunais inferiores;

d) a alteração da organização e da divisão judiciárias;

Letra D – Errado. Não há qualquer iniciativa privativa nas leis


que disponham sobre relações internacionais. A banca
inventou legal.

Letra E – Errado. Caso haja uma convocação extraordinária,


somente as MPs serão automaticamente incluídas na pauta,
contando o prazo normalmente enquanto o Congresso
Nacional estiver trabalhando. Essa regra não se aplica às
PECs.

Gabarito Preliminar: C.

28- Sobre a Política Urbana, Agrícola, Fundiária e da Reforma Agrária,


é correto afirmar que:
a) compete ao Município estabelecer a política agrária e a
desapropriação por interesse social para fins de reforma agrária no
âmbito do seu território.
b) é facultado ao Município, mediante lei específica incluída no Plano
Diretor, exigir, nos termos de lei federal, do proprietário do solo
urbano, não edificado, subutilizado ou não utilizado, que promova seu
adequado aproveitamento, sob pena, sucessivamente, da adoção de
algumas medidas impositivas.
c) a lei que declarar o imóvel como de interesse social, para fins de
reforma agrária, autoriza a União a propor a ação de desapropriação.
d) a propriedade produtiva é insuscetível de desapropriação para fins
de reforma agrária, desde que seu proprietário não possua outra.
e) a desapropriação com pagamento mediante títulos da dívida
pública de emissão previamente aprovada pelo Senado Federal, com
prazo de resgate de até dez anos, em parcelas anuais, iguais e
sucessivas, assegurados o valor real da indenização e os juros legais,
é competência que a Constituição Federal defere somente à União.

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso


10
Prof. Roberto Troncoso
Questão absurdamente decoreba! Infelizmente, ainda temos
que lidar com este tipo de “arbitrariedade” das bancas... Com
tanta coisa inteligente para ser cobrada, é triste que uma
banca ainda cobre esse tipo de informação...

Letra A – Errado. Tanto a política agrária como a


desapropriação por interesse social são assuntos de
competência da União (art. 184).

Letra B – Certo. Redação do art. 182, §4º, da Constituição


Federal.

Letra C – Errado. O DECRETO que declarar o imóvel como de


interesse social, para fins de reforma agrária, autoriza a União
a propor a ação de desapropriação (art. 184, § 2º).

Letra D – Errado. A propriedade produtiva é SEMPRE


insuscetível de desapropriação para fins de reforma agrária.
Confira a redação do art. 185 da CF:
“São insuscetíveis de desapropriação para fins de
reforma agrária:
I - a pequena e média propriedade rural, assim definida
em lei, desde que seu proprietário não possua outra;
II - a propriedade produtiva.”

Letra E – Errado. A Constituição Federal considera FACULDADE


do Poder Público MUNICIPAL! (art. 182, § 4º)

Gabarito Preliminar: B.

29- Sobre competência para legislar, é correto afirmar que:


a) compete privativamente à União legislar sobre sistemas de
consórcios e sorteios.
b) é competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e
dos Municípios legislar sobre propaganda comercial.
c) Lei Ordinária poderá autorizar os Estados a legislar sobre questões
específicas das matérias que são de competência privativa da União.

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso


11
Prof. Roberto Troncoso
d) a competência da União para legislar sobre normas gerais exclui a
competência suplementar dos Estados.
e) compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar
concorrentemente sobre Direito do Trabalho.

Letra A – Certo. É redação do art. 22, XX, da CF.

Letra B – Errado. A competência para legislar sobre


propaganda comercial é privativa da União. (art. 22, XXIX)

Letra C – Errado. Lei Complementar poderá autorizar os


Estados a legislar sobre questões específicas das matérias de
competência privativa da União.

Letra D – Na competência concorrente, a competência da


União para legislar sobre normas gerais não exclui a
competência suplementar dos Estados. (art. 24, § 2º)

Letra E – Errado. Direito do Trabalho é competência legislativa


privativa da União. (art. 22, I)

Gabarito Preliminar: A.

30- O Comandante da Marinha praticou ato administrativo, no âmbito


de sua competência, que ensejou irresignação por parte de alguns
destinatários do ato. Um deles, cidadão comum, sem qualquer
prerrogativa de foro especial, resolveu impetrar mandado de
segurança que foi negado pelo órgão judiciário competente para
julgar o referido mandado. Simultaneamente esse mesmo cidadão,
autor do mandado de segurança, foi objeto de outra decisão judicial
que lhe foi desfavorável, em outra ação, proposta por organismo
internacional. Ele resolveu recorrer. Considerando o enunciado,
assinale a opção correta, atendo-se à competência dos juízes e
tribunais estabelecida na Constituição Federal.
a) Compete ao Tribunal Regional Federal julgar o mandado de
segurança. A competência para julgar o recurso contra a decisão
favorável ao organismo internacional é do Supremo Tribunal Federal.
b) Compete a juiz federal julgar o mandado de segurança. A
competência para julgar o recurso contra a decisão favorável ao
organismo internacional é do Supremo Tribunal Federal.
www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso
12
Prof. Roberto Troncoso
c) Compete ao Superior Tribunal de Justiça julgar o mandado de
segurança. A competência para julgar o recurso contra a decisão
favorável ao organismo internacional é também do Superior Tribunal
de Justiça.
d) Compete ao Superior Tribunal Militar julgar o mandado de
segurança. A competência para julgar o recurso contra a decisão
favorável ao organismo internacional é do Tribunal Regional Federal.
e) Compete a juiz federal julgar o mandado de segurança. A
competência para julgar o recurso contra a decisão favorável ao
organismo internacional é do Superior Tribunal Militar.

Agora sim uma questão muito inteligente! E também muito


difícil!

A questão envolve Mandado de Segurança impetrado por


cidadão e ação proposta por organismo internacional, ambos
contra ato administrativo do Comandante da Marinha, que
possui foro privilegiado. Conforme a CF, o MS deve ser julgado
pelo STJ (art. 105, “b”). Já as causas em que forem parte
organismo internacional, de um lado, e, do outro, Município ou
pessoa residente ou domiciliada no País, são julgadas pelos
juízes federais em primeira instância, cabendo recurso para o
STJ (art. 109, II c/c art. 105, II, “c”.

Gabarito Preliminar: C

Isso aí rapaziada!

Grande abraço e bons estudos!

Roberto Troncoso

www.pontodosconcursos.com.br | Prof. Roberto Troncoso


13