Você está na página 1de 1

A Fisioterapia na Síndrome de Down

Todos os aspectos da conduta fisioterapêutica na Síndrome de Down requerem familiaridade com o desenvolvimento neuro-psicomotor normal e a capacidade de trabalhar de modo efitivo e empático com as crianças e seus familiares.

A avaliação e tratamento desta criança exige que o fisioterapeuta equilibre as espcetativas dos pais com as capacidades e necessidades da criança, as tecnicas utilizadas devem estar adaptadas as varias faixas etárias e estarem integradas na vida da criança onde os pais e cuidadores devem sentir- se envolvidos em seu tratamento. A fisioterapia visa estimular o desenvolvimento neuro-picomotor utilizando-se de métodos que propiciarão maior independência, auto- confiança e ampliação da relação da criança com Síndrome de Down com o Meio Ambiente. Seus objetivos específicos são a normalização do tono muscular global, inibição dos padrões anormais de postura e movimento, indução e facilitação do desenvolvimento motor, aumento do linear de sensibilidade tática e cinestésica, estímulos proprioceptivos nas diversas posturas, desenvolvimento de reações de retificação, equilíbrio (estático e dinâmico) e proteção, percepção corporal, coordenação dinâmica global e viso motora e aquisição de concentração e compreensão. A avaliação inicial deve estar direcionada para a observação das etapas do desenvolvimento neuropsicomotor, tono muscular, força muscular, deformidades, coordenaçao apendicular, sensibilidade tátil e cinestésica e sociabilidade. É importante que o fisioterapeuta analise as necessidades de cada criança e de cada família, planejando uma intervenção apropriada para cada situação. Reavaliações periódicas determinam o grau de evolução conseguido, permitindo a reprogramação do plano terapêutico. A falta de estimulação é a maior responsável pela limitação do desenvolvimento motor observado nestas crianças. Prevenir esta situação e promover um desenvolvimento adequado de suas potencialidades, requer a aplicação de estímulos precoces, assim como uma colaboração ativa das mães e cuidadores, que devem ser capacitadas para que possam atuar de forma adequada,na tentativa de minimizar os déficits ocasionados pela síndrome .As crianças que participam de programas de intervenção precoce,que significa atendimento nos primeiros meses de vida,onde os pais recebam orientações práticas sobre a continuidade da estimulação domiciliar,são beneficiadas. O Método Neuro-Evolutivo Bobath, é um dos mais adequados para o tratamento das crianças com Síndrome de Down, por estar de acordo com o objetivo do trabalho realizado com bebês.Possibilita o desenvolvimento da integração motora em níveis superiores ,aproveitando-se da plasticidade cerebral e sua abordagem enfoqua a aquisição de habilidades funcionais conseguidas pelo aprendizado motor, utilizando materiais específicos como:bolas,rolos,colchonetes,brinquedos coloridos e sonoros. As crianças que recebem tratamento adequado, apresentam melhor performance nos aspectos motores, sociais e cognitivos, o que facilita sua integração social . escrito por:Márcia Parisi

fonte:http://www.infomedgrp1.famerp.br/default.asp?id=39&mnu=39

A Fisioterapia na Síndrome de Down Todos os aspectos da conduta fisioterapêutica na Síndrome de Downtratamento desta criança exige que o fisioterapeuta equilibre as espcetativas dos pais com as capacidades e necessidades da criança, as tecnicas utilizadas devem estar adaptadas as varias faixas etárias e estarem integradas na vida da criança onde os pais e cuidadores devem sentir- se envolvidos em seu tratamento. A fisioterapia visa estimular o desenvolvimento neuro-picomotor utilizando-se de métodos que propiciarão maior independência, auto- confiança e ampliação da relação da criança com Síndrome de Down com o Meio Ambiente. Seus objetivos específicos são a normalização do tono muscular global, inibição dos padrões anormais de postura e movimento, indução e facilitação do desenvolvimento motor, aumento do linear de sensibilidade tática e cinestésica, estímulos proprioceptivos nas diversas posturas, desenvolvimento de reações de retificação, equilíbrio (estático e dinâmico) e proteção, percepção corporal, coordenação dinâmica global e viso motora e aquisição de concentração e compreensão. A avaliação inicial deve estar direcionada para a observação das etapas do desenvolvimento neuropsicomotor, tono muscular, força muscular, deformidades, coordenaçao apendicular, sensibilidade tátil e cinestésica e sociabilidade. É importante que o fisioterapeuta analise as necessidades de cada criança e de cada família, planejando uma intervenção apropriada para cada situação. Reavaliações periódicas determinam o grau de evolução conseguido, permitindo a reprogramação do plano terapêutico. A falta de estimulação é a maior responsável pela limitação do desenvolvimento motor observado nestas crianças. Prevenir esta situação e promover um desenvolvimento adequado de suas potencialidades, requer a aplicação de estímulos precoces, assim como uma colaboração ativa das mães e cuidadores, que devem ser capacitadas para que possam atuar de forma adequada,na tentativa de minimizar os déficits ocasionados pela síndrome .As crianças que participam de programas de intervenção precoce,que significa atendimento nos primeiros meses de vida,onde os pais recebam orientações práticas sobre a continuidade da estimula ç ão domiciliar,são beneficiadas. O Método Neuro-Evolutivo Bobath, é um dos mais adequados para o tratamento das crianças com Síndrome de Down, por estar de acordo com o objetivo do trabalho realizado com bebês.Possibilita o desenvolvimento da integração motora em níveis superiores ,aproveitando-se da plasticidade cerebral e sua abordagem enfoqua a aquisição de habilidades funcionais conseguidas pelo aprendizado motor, utilizando materiais específicos como:bolas,rolos,colchonetes,brinquedos coloridos e sonoros. As crianças que recebem tratamento adequado, apresentam melhor performance nos aspectos motores, sociais e cognitivos, o que facilita sua integração social . escrito por:Márcia Parisi fonte:http://www.infomedgrp1.famerp.br/default.asp?id=39&mnu=39 WWW.portaldafisioterapia.com " id="pdf-obj-0-18" src="pdf-obj-0-18.jpg">

WWW.portaldafisioterapia.com