Você está na página 1de 21

Universidade Federal do Ceará - UFC

Centro de Tecnologia
Departamento de Engenharia Elétrica - DEE

PROTEÇÃO
à DE
SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA - SEP

p
Prof. Raimundo Furtado Sampaio
Tópico
p III

Funções
F õ ded Proteção
P t ã
Funções de Proteção

 As funções dos dispositivos de controle e proteção são


definidas pelas normas internacionais:
 ANSI (American National Standards Institute)

 Norma IEC (International Electrotechnical Commission)


Funções de Proteção
CÓDIGO ANSI FUNÇÃO DE PROTEÇÃO E CONTROLE
50/50N S b
Sobrecorrente
t instantânea
i t tâ de
d fase/de
f /d neutro
t
51/51N Sobrecorrente temporizada de fase/de neutro
50/51NS Sobrecorrente neutro sensível
46 Desequilíbrio de corrente (condutor partido)
sobrecorrente seqüência negativa I2 ou I2/I1
64 S b
Sobrecorrente de
d terra (relé
( lé de
d carcaça))
67/67N Direcional de fase/Direcional de neutro
32 Direcional de potência
25 Cheque sincronismo (synchrocheck)
26 Temperatura do óleo
49 Imagem térmica
71 Nível de óleo
63 R lé d
Relé de pressão
ã (d
(de nível/fluxo/líquido/gás)
í l/fl /lí id / á )
52 Disjuntor
Funções de Proteção

CÓDIGO ANSI FUNÇÃO DE PROTEÇÃO


87 Diferencial
21 Distância
27 S bt
Subtensão
ã
59 Sobretensão
81 Sub ou sobrefreqüência
51G Sobrecorrente de terra;
61 Desequilíbrio de corrente.
79 Religamento
62/50BF Falha do disjuntor
30 R lé anunciador
Relé i d
37 Subcorrente
43 chave de transferência
47 sobretensão de sequência negativa
Funções de Proteção

CÓDIGO ANSI FUNÇÃO DE PROTEÇÃO


81 sub ou sobrefreqüência
86 relé de bloqueio
90 dispositivo de regulação
94 relé de desligamento ou disparo livre
Diagrama Unifilar Simplificado
02C5

Rel LEGENDA:
Rel ‐ 50/51, 50/51N
D 12D1 43C5 D 12C5 Rta ‐ 50/51, 50/51N
02B1 Rtd ‐ 87, 50/51, 51G
02B2
Rtb ‐ 50/51, 50/51N, 50BF
50/51, 50/51N, 50BF
D Rdt ‐ 50/51, 50/51N, 50BF
Ra1 ‐ 50/51, 50/51N, 50/51NS, 79.
43Ta
Rbc ‐ 50/51, 50/51N, 50/51NS, 27, 61.
02Z2
Rti ‐ 63, 63A, 80, 49, 26, 71
Rta 43 Função de transferência da proteção
43 ‐ Função de transferência da proteção
86 ‐ Relé de Bloqueio
86 Rtd 02T1
Rti

Rtb
01H2
01Z1
Rbc 43Tb
D 11D1
D 11H2 D Rdt
11T1
01B1
01BA
Ral Ra2 Ra3 Ra4

R R R R
21I1 21I2 21I3 21I4

01I1 01I2 01I3 01I4


Elementos Funcionais de um Relé

Valores
de
Referência

Elemento Elemento Elemento Elemento


de de de de
Medição Comparação Decisão Atuação

 Condições
ç p
para o relé atuar:
 Valor medido maior do que a corrente ajustada no relé.
 Duração da falta ultrapassar o valor do tempo pré-definido no
relé.
relé
Tópico
p III

Função
F ã de
d Sobrecorrente
S b t
Relé de Sobrecorrente
 O Cálculo e ajustes dos relés envolve os conceitos de:
 TAP
TAP’ss ou faixas de ajuste
 Corrente de pick-up

 Curvas

 Dial de tempo ou multiplicador de tempo

 Múltiplo

 Margem de coordenação
Relé de Sobrecorrente
 TAPs::
 São as derivações da bobina do relé que permite o ajuste do relé
para diversas correntes de atuação.

RTC = 100/5 = 20
TAP = 1,5x Icarga/RTC
TAP = (1,4x100)/20 = 7A
TAP disponível no relé = 7,5

 O ajuste do TAP define a corrente de pick


pick-up
up do relé.
relé
 Se Icc < Ipick-up, o relé não fechará seu contato NA.

 Ipick-up = RTCxTAP
Relé de Sobrecorrente
 Corrente de Pick-up:
 É o termo g g
genérico designado p p ç
para a menor corrente de operação
ajustada no relé que proporciona o fechamento dos seus contatos
e o comando de abertura do disjuntor.
 Ipick-up
p p = RTCxTAP

RTC = 100/5 = 20
TAP = 1,5x Icarga
ca ga/RTC

TAP = (1,4x100)/20 = 7A
TAP disponível no relé = 7,5
Ipick-up = RTCxTAP
Ipick-up = 7,5x20
p p = 150 A
Ipick-up

 Também denominada corrente de atuação ou corrente de


acionamento ou corrente de operação.
operação
Relé de Sobrecorrente
 Múltiplo (M):
 Relação entre a corrente de curto-circuito
curto circuito e a corrente de
pick-up.
 O múltiplo do relé indica o quanto a corrente de curto-circuito
é maior do que sua corrente de ajuste.
ajuste

Icc Icc
M 
Ipick _ up RTC *TAP

Onde:
M – Múltiplo
ú
Ipick-up – Corrente de atuação do relé
Ip
p – Corrente de curto-circuito no p
primário.
TAP – Corrente de ajuste do relés
Relé de Sobrecorrente
 Curva:
 As normas IEC 255 e BS 142 define o tempo de operação
matematicamente pela fórmula:
kx 
t 
 Icc 
   1
 Ipick
p  upp 
Esta relação corresponde ao Múltiplo

Onde:
t – tempo de operação do relé em segundos;
k – Dial ou tempo multiplicador
Icc - Corrente de curto-circuito;
Ipick-up – Corrente de atuação do relé.
Relé de Sobrecorrente
 Curva:
 As constantes  e  determinam a inclinação da curva
característica do relé. Para os três tipos de relés de sobrecorrente
padrão seus valores são dados na tabela a seguir:
Relé de Sobrecorrente
 DIAL de tempo ou tempo multiplicador
 O ajuste do dial ou multiplicador defini o tempo exato da
operação do relé.

Aj
Ajuste do
d dial
di l de
d tempo
t

3
2
1

I
Sistema de Proteção
ç
 Margem de Coordenação
 Ao determinar os ajustes dos relés de sobrecorrente e demais
dispositivos de proteção em série, deve-se manter uma margem de
tempo adequada entre suas curvas características a fim de se obter
uma operação coordenada.

t4

t3
t2
t1
M1 M2 M3 M4 M
Relé de Sobrecorrente
 Margem de Coordenação (∆t):
 é a mínima diferença de tempo em que dois relés próximos
devem ter para garantir a coordenação.

 t  t relé a mon tan te  t relé a jusante

 Ex.: Relé de tempo


p inverso
T
TR

R1

D1
Margem de t2
cordenação R2 R3 R4
t1 D2 D3 D4

M AL1 AL2 AL3


ma
Falta
Sistema de Proteção
ç
 Coordenograma:

COORDENOGRAMA DE NEUTRO - (QXD 21P4-11B1) E (12L1


JTM)
62,52

100,00 RELIGADOR 21P4 IPK=30,40A


DISJ. GERAL 11B1 IPK= 84A
DISJ. 12L1-(JTM) *(IPKF=140A (69kV))
23,76

7,02
5,31
10,00
(100A-1,17)

8,60

1,76
TEMPO ( seg. )

1,35
3,15

1 00
1,00

1,39
9

1,03
(126A-0,85)

0,62

0,62
0,62

0,62
(200A-0,48)

00A-0,22)

A-0,14)

(3610A--0,14)

(4332A--0,14)
(1050A--0,14)
0,10

(2000A-0,14)
0,14)

(1810A-
(800A-0
(40

0,01
100 1000 10000

CURTOS-CIRCUITOS MONOFÁSICOS ( A )
Diagrama
g Funcional Simplificado
p
 Trip:
 Ponto em q que o relé fecha o contato de saída na ocorrência da
manutenção do valor da corrente ou tensão de pick-up por um
período ou curva pré-determinada pelo usuário.

 Condições para o relé atuar:


• Valor
l medido
did maiori d do que a corrente ajustada
j d no relé.

• Duração da falta ultrapassar o valor do tempo pré-definido no relé.
Próxima Aula

Tópico 4: Evolução dos Relés de


Proteção