Você está na página 1de 10

CENTRO UNIVERSITÁRIO INGÁ

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

SUBESTAÇÃO CATUAI LONDRINA

Discente: Jefferson Dos Reis RA: 9703.12


Lucas Piza Delatorre RA: 10634.13
Marcelo Araújo RA: 10889.13
Marcelo Fernandes RA: 9480.12
Docente: Igor Schram
Sistemas Microcontrolados
Engenharia Elétrica 5ª série

Maringá
2017

1
Sumário
1. Introdução .................................................................................................... 3
1.1 Descrição dos componentes do projeto ................................................ 4
1.11 Microcontrolador PIC ........................................................................... 4
1.12 PIC 16F877A ..................................................................................... 4
1.13 TCS 3200 ............................................................................................. 5
2. Materiais e Métodos..................................................................................... 6
2.1 Funcionamento do Projeto ........................................................................ 6
2.2 Programação – Software ( PCWHD) :....................................................... 7
2.3 Simulação do Hardware – PROTEUS....................................................... 8
3. Resultados e Discussões............................................................................. 9
5. Referências................................................................................................ 10

2
PROJETO DE DETECÇÃO DE CORES RGB UTILIZANDO
MICROCONTROLADOR

1. Introdução

A automação industrial trouxe outra realidade para os sistemas produtivos, tudo


passou a ser executado de modo automático reduzindo assim as perdas e erros
oriundos da intervenção humana no processo. Os sensores são os olhos no
sistemas de controle, pois são responsáveis pela estratificação em tempo real
da situação do processo.
A identificação das cores é um recurso muito importante em determinados
processos, tais como:
• Verificação de tampas de produtos: O sensor de cor consegue detectar
fielmente diferenças sutis de cor que geralmente são difíceis de captar
com sensores convencionais. Como eles geralmente se baseiam no
padrão RGB (Red, Green e Blue), a detecção é pouco afetada por
vibrações ou variação de posição.
• Verificação de etiquetas mal colocadas: Com relação à detecção de
etiquetas mal aplicadas, o sensor para detecção de cor pode ser muito
útil, pois uma vez definida a detecção da cor da etiqueta, as cores das
garrafas não afetam na detecção. É possível ainda combinar sensores
e detectar variação de posição.
• Detecção de presença de instruções em rótulos: O sensor é capaz de
detectar cores diferentes contida no papel a fim de detectar se as
instruções foram inseridas corretamente em cada embalagem de
medicamento, garantindo que não haja o risco do produto ir para o cliente
sem as devidas instruções
• Detecção em latas de aerossóis: atas e embalagens e aerossóis devem
ter a impressão do rótulo de forma correta. A fim de garantir a impressão
de acordo com as especificações, podemos aplicar o sensor para detectar
a linha de fechamento da lata. Assim, é possível garantir a qualidade da
impressão.
• Detecção de ausência de impressão: O sensor de cor é capaz de detectar
a presença ou ausência de impressão fluorescentes ou com pequenas
diferenças de tonalidades que dificilmente seriam detectadas com
sensores fotoelétricos reflexivos.
• Detecção de presença de graxa em rolamentos de esfera: A presença de
graxa nos pontos adequados do pode ser detectada por este tipo de
sensor que verifica a presença ou não de componentes de cores densas.
Assim, o sensor consegue distinguir peças de metal brilhante com graxas.
• Verificação de sequência de montagem: só você tenha aplicações que
precisam de uma correta montagem e os componentes sejam de cores
diferentes, o sensor para detecção de cor pode ser aplicado como um
dispositivo poka yoke garantindo o produto correto.

3
1.1 Descrição dos componentes do projeto

1.11 Microcontrolador PIC

Os microcontroladores PIC apresentam uma arquitetura Harvard de estruturação


interna, ou seja, conta com 2 barramentos internos, um dedicado a informações
de dados de 8 bits e o outro dedicado às informações das instruções podendo
ser de 12, 14 ou 16 bits. (SOUZA,2010). Tal configuração permite o
processamento e a execução de instruções selecionadas enquanto a memória
interna está sendo acessada, gerando uma economia de tempo e de memória,
fazendo com que esse processador tenha melhor desempenho que os
microcontroladores com arquitetura tradicional Von-Neumam.
Outro ponto que faz com que o microcontrolador PIC tenha um melhor
desempenho é a sua filosofia de construção do tipo RISC (Reduced Instruction
Set Computer), set de instruções reduzido. Tendo em vista que a arquitetura
CISC torna o hardware mais complexo que o software devido à quantidade e
complexidade das instruções a serem executadas. Desta forma, selecionando
apenas as instruções que são utilizadas com mais frequência e que possui um
grau de complexidade baixo, foi possível “enxugar” a programação tornando
assim um sistema mais funcional.

1.12 PIC 16F877A

O Microcontrolador PIC16F877A é um dispositivo eletrônico capaz de manipular


outros elementos periféricos (leds, displays de sete segmentos, displays de lcd,
relés) a partir de outros dispositivos externos de sinais ( botões, sensores
diversos) através de uma programação pré-estabelecida por intermédio de
linguagens de programação de baixo nível (assembly) ou linguagem de alto nível
(C, C++). Toda essa gama de recursos está dentro de uma pastilha de silício
encapsulada. Internamente o PIC possui uma estrutura de memórias voláteis e
não voláteis para manutenção do programa, uma unidade inteligente de
comando e uma série de elementos periféricos como: entradas e saídas digitais,
comparadores analógicos, timers, contadores, elementos de comunicação serial,
conversores digitais/analógicos entre outros.
O PIC16F877A possui 256 bytes de memória de dados EEPROM, auto-
programação, ICD, 2 comparadores, 8 canais de conversor analógico-a-digital
(A / D) de 10 bits, 2 funções de captura / comparação / PWM, porta serial
síncrona pode sser configurado como interface periférica serial de 3 fios (SPI
™) ou o barramento de circuito inter-integrado de 2 fios (I²C ™), Possui também
um transmissor de receptor assíncrono universal (USART). Todos esses
recursos o tornam ideal a aplicação de conversores A / D de nível mais
avançado para aplicações automotivas, industriais, de eletrodomésticos e de
consumo.

4
Pinagem do PIC 16F877A

Figura 1: Pinagem do Microcontrolador PIC

1.13 TCS 3200

CI programável TCS3200 e TCS3210 são conversores de luz em frequência


que combinam configurações Fotodiodos de silício e uma corrente a um
conversor de frequência em um único CMOS monolítico circuito integrado. A
saída é uma onda quadrada (50% do ciclo de trabalho) com frequência
diretamente proporcional à intensidade da luz (irradiação).
Os quatro tipos (cores) dos fotodiodos são interligados para minimizar o efeito
da não uniforme da fotoluz incidente. Todos os fotodiodos da mesma cor estão
conectados em paralelo. Os pinos S2 e S3 são usados para selecionar qual
grupo de fotodiodos (vermelho, verde, azul, claro) estão ativos. Os fotodiodos
têm tamanho de 110 μm x 110 μm e estão ligados nos centros.

Pinagem PCS3200

Figura 2: Pinagem do Sensor TCS 3200

5
2. Materiais e Métodos

Para elaboração do projeto serão utilizados os seguintes componentes:


• Software Proteus: através desse software o hardware do projeto é
simulado permitindo assim o estudo do protótipo do projeto;
• Software Micro C ( PCWHD): em conjunto com o software Proteus
simulam o protótipo do projeto, mas diferentemente do primeiro, nesse, o
software de programação do microcontrolador é compilado e executado.
• Microntrolador PIC 16f877A: responsável pelo processamento das
informações do sensor TCL 3200;
• Sensor TCL 3200: é o sensor responsável pela leitura física dos materiais
e conversão em frequência variável conforme emissividade do material.
• Display LCD: é o componente responsável pela indicação do estado do
sensor, ou seja, nele será impresso as cores detectadas pelo sensor.
• Periféricos: placa para alocação dos componentes, resistores para
controle da corrente da placa, etc..

2.1 Funcionamento do Projeto

O sensor TCL3200 efetua a leitura das peças e possui a capacidade de detecção


das cores azul, verde, vermelho e cores próximas do branco modulando a
frequência de saída nos valores para cada cor conforme as tabelas abaixo:

Figura 3: Status de saída do Sensor TCS 3200

Uma vez feita a leitura pelo sensor, o sinal é coletado pela porta RC2
alocada no pino 17 do microcontrolador PIC. Essa entrada estará
configurada no modo CCP ( Capture. Compare e PWM) no qual será
implementada uma leitura de frequência via programação .
Através de programação será comparada a frequência coletada pelo sensor com
os limiares de cada cor e impresso no LCD a frequência e a cor do material.

6
2.2 Programação – Software ( PCWHD) :

//LEITOR DE CORES RGB


#include <16f877a.h>
#use delay (clock=20000000)
#fuses HS, NOWDT, PUT, BROWNOUT, NOLVP
#define LCD_DB4 PIN_D4
#define LCD_DB5 PIN_D5
#define LCD_DB6 PIN_D6
#define LCD_DB7 PIN_D7
#define LCD_E PIN_E1
#define LCD_RS PIN_E0
#include "flex_lcd.c"
int8 k=1, ct_p = 0;
int16 freq, per, temp;
float freq_k;
int1 flag=0;
int16 x=0,y=0;
#int_ccp1 //Interrupção Captura do CCP1
void capture_isr()
{
++ct_p;
per = get_timer1();
set_timer1(0);
}
atualiza_lcd()
}
}
}

7
2.3 Simulação do Hardware – PROTEUS

Figura 4: Hardware do projeto a plataforma Proteus

8
3. Resultados e Discussões

O trabalho está em fase de implementação, dentro das simulações executadas


não é possível aplicar todo o projeto, pois a biblioteca do software Proteus não
possui em sua biblioteca o componente TCS 3200 que faz a leitura das cores
dos materiais e convertem em frequência.
Assim para simular a leitura do microcontrolador utilizamos um gerador de sinal
que emula o TCS3200 permitindo a elaboração do protótipo.
Também passamos por dificuldade na leitura da frequência do sensor, pois
utiliza-se de um recurso do microcontrolador que ainda não é do nosso
conhecimento que é o módulo CCP ( capture, compare e PWM).

9
5. Referências
• Datasheet PIC 16F877A. Microchip Technology Inc. disponível em: <
http://ww1.microchip.com/downloads/en/devicedoc/39582b.pdf> acesso
em: 05 mar. 2017;
• Dataxheet TCS 3200. Texas Advanced Optoeletronic Solution disponível
em:< http://www.mouser.com/catalog/specsheets/TCS3200-E11.pdf>
acesso em: 13 mar. 2017;
• CASSIANA, Elis N. dos Santos, et. al Máquinas separadoras de MM por
cor Universidade Federal Tecnológica do Paraná, 2015 disponível em:<
paginapessoal.utfpr.edu.br/msergio/portuguese/ensino-de-
fisica/oficina.../file> acesso em: 28 mai. 2017;

10