Você está na página 1de 1

No dia 30 de setembro (quarta-feira), das 19h às 21h foi realizada uma palestra “Identidades de

gênero: (re)conhecendo a travestilidade e a transexualidade”, com as palestrantes Andrea Lais


Cantelli e Josiane Bougers de Lima, participantes do Transgrupo Marcela Pradoe, estiveram,
na Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), Câmpus Barigui.

O evento foi uma idealização do grupo de Protagonismo Infantil da UTP com o apoio da
Coordenação Estadual de DST/Aids do Governo do Paraná, sob a direção da professora do
Mestrado em Psicologia Social Comunitária da UTP, Grazielle Tagliamento.Evento aberto a
qualquer pessoa, teve como entrada um brinquedo em bom estado que será doado para a
ONG Fênix – Ações pela vida. Para os alunos da UTP, as palestras contarão com três horas de
certificação.

No evento em questão as duas palestrantes falaram sobre a identidade de gênero, construção


corporal e psíquica,salientaram que os gêneros são conceitos pré-estabelecidos, mas muitas
vezes o individuo não se encaixa neste.

Relataram a utilização do nome social,nas unidades básicas de saúde, e a luta para


acessibilidade nas instituições de ensino privadas e públicas, no caso deste ainda não ter
autorização ou estar em tramitação judicial, na data também abordaram as dificuldades que as
travestis e transexuais enfrentam no seu dia-a-dia, seja com a auto estima, ou com o auto
julgamento que sofrem, muitas vezes desde a infância por familiares ou terceiros, ressaltam
que a falta de informações e mesmo o preconceito acaba as colocando em situações
complicadas, sendo assim até entrar no torna-se algo inviável, e as leva a buscarem soluções
paliativas como a prostituição, seja pela aceitação das cafetinas ou por extrema necessidade.

Neste ponto da palestra, a palestrante Josiane apontou também de quão custosa pode ser a
qualidade de vida da mulher transexual, por seu oficio ou por puro preconceito, comentou que
pousadas e hotéis chegam a cobrar o dobro do valor, salientou que muitas meninas precisam
fugir por não ter condições de manter sua moradia. Neste momento mostrou-se emotiva ao
contar alguns fatos de violência e até homicídio cometidos contra elas por inadimplência ou
puro preconceito.

A palestra foi fundamentada na igualdade de tratamento acima do gênero, mas pautada no ser
humano como um todo. Alem de orientar aos acadêmicos participantes com relação ao
tratamento de gênero, Exemplo: Identidade de Gênero - A Travesti, A/O Transexual, a mulher
Transexual ou O homem Transexual, para a travesti sempre será usado o pronome A,
exemplo: A travesti trabalha no salão de beleza e nunca "O travesti".

Ao final exibiram um vídeo de conscientização,e agradeceram a participação de todos.

Data de realização: 30/10

Hora: das 19h às 21h

Local: Universidade Tuiutí do Paraná (UTP) – Câmpus Barigui – Rua Sydnei Antonio Rangel
Santos, 238. Sala 508 do Bloco C