Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ

INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SISTEMAS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO


INTRODUÇÃO À ELETRÔNICA ANALÓGICA

Bruna Prazeres Barbosa Toledo - 34025


Cister Oliveira Coutinho Junior - 34538
Diogo Carneiro Dourado - 34370
Jhonny Gomes Pinheiro - 35015
Lucas Barros Scianni Morais - 34923

Projeto de Eletrônica Analógica – Controlador de Temperatura

Itajubá – MG
2016
Bruna Prazeres Barbosa Toledo - 34025
Cister Oliveira Coutinho Junior - 34538
Diogo Carneiro Dourado - 34370
Jhonny Gomes Pinheiro – 35015
Lucas Barros Scianni Morais - 34923

Projeto de Eletrônica Analógica – Controlador de Temperatura

Trabalho de Introdução à Eletrônica


Analógica com o objetivo de criar um
controlador de temperatura utilizando
amplificadores operacionais.

Professora: Ana Paula Siqueira Silva de


Almeida
Disciplina(s): Eletrônica
Analógica/Laboratório
Sigla(s): ELTA00 e ELTA10

Itajubá – MG
2016
Sumário

1- Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
2- Objetivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
3- Projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
4- Simulação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
5- Montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
6- Conclusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
7- Análise de Custos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
8- Datasheet . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
8.1- LM35 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
8.2- LM741. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
9- Referências Bibliográficas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
1. Introdução
Introduzido na década de 40, com o principal objetivo de realizar operações matemáticas, o
amplificador operacional foi de suma importância para áreas ligadas à computação analógica.
Nas últimas décadas, o Amp-Op sofreu melhorias fazendo o mesmo ganhar muito destaque entre
os vários componentes eletrônicos. A principal causa desse destaque são seus diversos modos
de operação, como a amplificação, soma, divisão, integração, etc. Deste modo, o mesmo é usado
em inúmeras aplicações, como os sistemas de controle, de regulação e processamento de sinais,
por exemplo.
Os amplificadores operacionais possuem ganho elevado, terminais inversor e não-inversor.
As características principais do Amp-Op ideal, são: ganho infinito em malha aberta, impedância
de entrada infinita, impedância de saída nula e nenhum ruído. Com tais características, identifica-
se que a corrente que entra no Amp-Op é nula idealmente, mesmo que na prática o valor se
aproxime muito de zero a ponto de ser desprezada. O amplificador é ilustrado resumidamente na
Figura1.

Figura 1. Ilustração de um amplificador operacional

2. Objetivo
O objetivo principal do trabalho proposto foi estimular o aprendizado adquirido nas aulas de
Introdução à Eletrônica Analógica com a montagem de um projeto maior feito pelos alunos. Em tal
projeto, utilizaram-se de conhecimentos sobre amplificadores operacionais, dentre eles o
amplificador não inversor e o comparador não inversor com histerese. O propósito do trabalho era
que um LED vermelho acendesse quando a temperatura estivesse acima de 50°C e que um
verde acendesse abaixo de 35°C.

3. Projeto
Antes de tudo, foi feito um estudo sobre os amplificadores operacionais e suas formas de
funcionamento, a fim de escolher o mais eficiente e que economizasse componentes, para maior
rendimento do projeto. O circuito é composto, além dos amplificadores e resistores, pelo sensor
LM35DZ, fabricado pela National Semiconductor, que apresenta uma saída de tensão linear
relativa à temperatura em que ele se encontrar no momento, trabalhando entre as faixas de -55°C
e 150°C. A exigência do projeto era a faixa de temperatura 35°C-50°C. Como o sensor emite um
sinal de 10mV para cada Grau Celsius de temperatura (10mV/ºC), o valor de comparação inferior
é de 0,35V e o de comparação superior 0,5V.
Primeiramente, como a saída do sensor é de baixa tensão, utilizamos um amplificador não
inversor, para aumentar essa saídas e minimizar erros no circuito como todo por esse fato. A
fórmula para ganho no Amplificador Operacional Não Inversor é:
A = (Ri/Rf) + 1
Como escolhemos Rf = 45K Ω e Ri = 5K Ω,
A = (45/5) +1
A = 10
Produzindo assim, um ganho de 10 vezes no amplificador inversor, e deste modo, a faixa
de operação do próximo amplificador é de 3,5V-5V.
Em segunda instância, foi analisado que para os LEDs se alternarem conforme exigência
do projeto, deveria implementar agora um amplificador comparador não inversor com histerese.
A fórmula do comparador com histerese é:
Vcomp inf = Vcentral - (Ri/Rf)*(+Vsat)
Pelo projeto do circuito, temos que o valor de comparação inferior, depois de amplificado é
3,5V, e o valor central é a soma de ambos os valores de comparação dividido por dois. Como
temos que evidenciar as perdas do amplificador operacional na montagem do circuito,
consideramos ±Vsat = ±13V, quando na verdade estamos alimentando os mesmos com ±15V.
3,5 V = (3,5+5)/2 - ((Ri/Rf) + 13)
13 (Ri/Rf) = 3/4
Rf/Ri = 52/3
Deste modo, foi encontrada a relação entre Rf e Ri, e foi adotado os valores de Ri = 3K Ω e
Rf = 52K Ω para se obter valores próximos às resistências comerciais.
Utilizando-se da forma do Vcentral obtemos:
Vcentral = ((Rf+Ri)/Rf) * Vref
4,25 = (55/52) * Vref
Vref = 4,02 V
Como utiliza-se no projeto apenas a fonte de 15V, foi implementado um divisor de tensão,
a fim de se obter o a tensão de referência obtida na fórmula anterior. O divisor foi feito como na
Figura 2 , em que o Vin é a fonte disponível de 15V e Vout é o valor de referência que queremos,
conectado no terminal mais negativo do amplificador não inversor com histerese.

Figura 2. Divisor de tensão


Pelo divisor, foi observado que a corrente que passa em ambos os resistores é a mesma, e
assim, obtemos a seguinte relação entre R1 e R2:
IR1 = IR2
(15-4)/R1 = 15/(R1+R2)
4R1 = 11R2
Pela relação, adotamos R1 = 11K Ω e R2 = 4K Ω.
Com todas as relações obtidas, podemos agora simular o projeto feito.

4. Simulação
Com todos os dados obtidos no item anterior, o projeto de controlador de
temperatura foi montado no programa Pspice Capture Student, mostrado na Figura 3. Utilizamos
um sinal senoidal para simular mudanças na emissão do sinal do sensor. Além disso, para
simulação, como dito anteriormente, foram utilizadas as tensões de alimentação nos
amplificadores operacionais de ±13V, mas na prática utilizamos ±15 V, a fim de considerar perdas
reais produzidas pelos mesmos.

Figura 3. Simulação do projeto no software feita pelos alunos do segundo ano de Engenharia de Controle e Automação da UNIFEI
Itajubá.

Com isto, simulamos com a ponta de prova em modo de tensão, na entrada do


amplificador com histerese e na saída do mesmo, como na Figura 4, para verificar como ele se
comporta diante das variações de tensão amplificadas emitidas pelo sensor.
Figura 4. Simulação do projeto no software feita pelos alunos do segundo ano de Engenharia de Controle e Automação da UNIFEI
Itajubá.

O resultado da simulação está na Figura 5, observando-se assim que o projeto está


correto, pois a saída do amplificador muda para aproximadamente +13 V quando a tensão de
entrada está em ~ 5V e só se alterna de novo para ~ -15V quando atinge o valor de ~ 3,5V. Tal
mudança representa a faixa de temperatura pedida para controlar no projeto, entre 35 e 50°C.

Figura 5. Resultado da simulação do projeto no software feita pelos alunos do segundo ano de Engenharia de Controle e
Automação da UNIFEI Itajubá.

5. Montagem
Com o resultado do circuito que foi simulado, foi feita a compra dos componentes que
seriam utilizados para a realização do projeto. Após a compra dos componentes, foi realizada a
montagem do circuito no protoboard no laboratório LEA II na Universidade Federal de Itajubá
(UNIFEI). Com o bom resultado o circuito ficou de acordo com a Figura 6 abaixo.
Figura 6. Projeto montado na Protoboard pelos alunos do segundo ano de Engenharia de Controle e Automação da UNIFEI
Itajubá.

6. Conclusão
Concluímos que foi de extrema importância o projeto, principalmente para aplicar
conhecimentos já adquiridos. Com o resultado final, foi analisado que daria para aplicar o obtido
em um ar condicionado automático por exemplo, ou em um algum projeto onde a faixa de
temperatura atuante é importante.

7. Análise de Custos
Na Tabela 1 encontram-se os componentes utilizados que foram comprados na loja "Tecno
Lifes's" em Itajubá, no bairro Medicina.
Nome Preço Unitário Quantidade Preço Final
Resistor de Carbono 620 Ω 5% R$ 0,05 1 R$ 0,05
Resistor de Carbono 1K Ω 5% R$ 0,08 2 R$ 0,16
Resistor de Carbono 2K Ω 5% R$ 0,08 2 R$ 0,16
Resistor de Carbono 3K Ω 5% R$ 0,08 2 R$ 0,16
Resistor de Carbono 4K Ω 5% R$ 0,08 1 R$ 0,08
Resistor de Carbono 10K Ω 5% R$ 0,08 1 R$ 0,08
Resistor de Carbono 43K Ω 5% R$ 0,34 1 R$ 0,34
Resistor de Carbono 51K Ω 5% R$ 0,08 1 R$ 0,08
LED Difuso 5mm Vermelho R$ 0,11 1 R$ 0,11
LED Difuso 5mm Verde R$ 0,11 1 R$ 0,11
Sensor de Temperatura LM35 R$ 11,13 1 R$ 11,13
Amplificador Operacional LM741 R$ 1,20 2 R$ 2,40
Total - - R$ 14,86
Tabela 1. Custos dos materiais utilizados no projeto
8. Datasheet
8.1 LM35:

8.2 LM741:
7. Referências Bibliográficas
O Amplificador Operacional e suas principais configurações. Disponível em:
<http://www.clubedaeletronica.com.br/Eletronica/PDF/Amp-OP%20I%20-
%20conceitos%20basicos.pdf>. Acesso em 28 de junho de 2016.
Amplificador Operacional. Disponível em: <http://app.cear.ufpb.br/~asergio/Eletronica/AMP-
OP/Teoria-7-AmpOp.pdf>. Acesso em 28 de junho de 2016.
Electronic Componentes Datasheet Search. Disponível em: <http://www.alldatasheet.com/>.
Acesso em 28 de junho de 2016.

Você também pode gostar