Você está na página 1de 3

FAI - FACULDADE DE IPORÁ

PROBLEMAS INTERNALIZANTES, DESENVOLVIMENTOS ATÍPICOS MAIS COMUNS NA


ADOLESCÊNCIA – BULIMIA E ANOREXIA

Iporá
2017
FAI - FACULDADE DE IPORÁ

ENIO CARLOS GOMES


JAQUELINE DE SOUSA SILVA FERREIRA
NÍVEA DE ALMIRAR COLODETO OLIVEIRA

Problemas internalizantes, desenvolvimentos atípicos mais comuns na


adolescência - bulimia e anorexia

Trabalho feito em razão da Disciplina: Semipresencial,


exigido pelo Prof. Ricardo Silvério para obtenção de nota.

Iporá
2017
Tema: problemas internalizantes, desenvolvimentos atípicos mais comuns na
adolescência
Delimitação: bulimia e anorexia
Desenvolvimento atípico, é todo desenvolvimento que se encontra fora de alguns padrões
estabelecidos por pesquisadores do desenvolvimento, que traz alguma consequência negativa para a
vida do indivíduo. Quando o indivíduo se torna alvo de suas frustrações, internalizando os seus
problemas, chamamos de problemas internalizantes. Então surge vários problemas como; depressão,
distúrbios alimentares e suicídio.
Problematização
Como podemos identificar e tratar um adolescente com bulimia e anorexia?
Pesquisas realizadas, nos traz que os problemas internalizantes, de distúrbios alimentares
são mais comuns em meninas do que em meninos. Devido à preocupação exagerada com o corpo e a
aparência física.
A bulimia é geralmente diagnosticada pela própria pessoa, os sintomas incluem
compulsão por comida e logo em seguida o vomito ou o uso de laxantes, também pode incluir excesso
de exercícios físicos e jejum. Os tratamentos incluem terapias, medicamentos e educação nutricional.
A anorexia é um distúrbio alimentar que provoca perda de peso acima do que considerado
saudável para a idade e altura. Pessoas com anorexia apresenta medo intenso de ganhar peso, mesmo
estando magras. Geralmente uma pessoa com anorexia precisa de vários tipos de tratamentos como:
terapias, grupo de apoio, medicamentos e uma reeducação alimentar.
Por que eu escolhi esse tema?
O tema, distúrbios alimentares é um assunto muito atual e comum na nossa sociedade,
que merece uma atenção especial, principalmente entre os adolescentes onde há uma incidência maior
de casos. É importante tirar dúvidas, alertar e trazer mais informações a respeito de um tema com um
grau de importância tão grande.