Você está na página 1de 63

The Sexual Magic Senestre [1]

As Artes Mágicas destinam-se a provocar mudanças, internas ou


externas, de acordo com a vontade do operador, utilizando métodos que,
para a maioria das pessoas, permanecerão sempre esotéricos. Para
simplificar as coisas, poderíamos dizer que provocar essas mudanças
requer acima de tudo uma vontade genuína e poderosa. Graças a essa
vontade, o mágico pode criar dentro de si mesmo seu próprio
reservatório de energia vital e oculta que sempre estará intimamente
ligada à sua mente. Modelado pela vontade, essa energia adotará as
qualidades necessárias para cumprir seus desejos. Por exemplo, a força
vital (energia) produzida durante um ritual de maldição torna-se mortal e
destrutiva, mas, na sua forma original, foi uma fonte de vida e uma força
positiva.
Na verdade, é a vontade que determina a natureza e a forma que levará
a energia que é a força vital em seu estado inicial. A doutrina oculta
também nos ensina que energias da mesma natureza são atraídas umas
para as outras e que, portanto, é possível canalizar fluxos de energia de
fontes externas, desde que se colocem no mesmo estado. mental e
emocional correspondente à energia desta fonte externa. Assim, quando
emitemos energia destrutiva e odiosa para um ritual de maldição,
podemos abrir as portas internas e externas do plano acausal ao mesmo
tempo, o que nos permitirá canalizar e atrair mais energia para o ritual
desejado. . O próximo passo será reunir e concentrar a energia usando a
visualização e a força mental, direcionando-a para o que é o propósito do
ritual. O último passo será liberar a energia, deixá-la ir livremente, para
que ela possa trazer as mudanças desejadas.
Esta é uma fase crítica, o sucesso do ritual de acordo com a forma como
o mago liberará a energia mágica, uma vez modelada por sua
vontade. Uma maneira de fazer isso é criar um talismã que simbolize o
desejo mágico com o próprio sangue em um pedaço de papel. O mago
então carrega o selo com as energias geradas durante o ritual, depois
queima-o para enviar o feitiço. A forma (o selo) é destruída, e a essência
(a vontade) foi lançada para mudar a realidade.
Nós emitimos um exemplo muito simples, mas toda a magia, por mais
poderosa ou boa que seja, segue esses princípios. A vontade é o modo
de poder e poder é o caminho para a manifestação desse
poder.Portanto, um dos componentes mais importantes de toda magia é
saber como atrair e gerar energias de acordo com a vontade do mágico e
é disso que trata este livro. De todos os métodos disponíveis para
despertar o poder interno para fins mágicos, a magia sexual é a mais
efetiva e a mais comprovada.
Na magia sexual, o mágico acumula as energias geradas durante a
estimulação erótica, física ou mental, para redirecioná-los para um
objetivo. Durante os últimos milênios, a magia sexual foi codificada de tal
maneira que se tornou uma das artes mais esotéricas possível, os
autores tratando o assunto optando por uma linguagem simbólica,
hipócrita, escondendo muito mais do que revela. . Neste breve capítulo,
tentaremos explicar os fundamentos da magia sexual inerente ao
caminho da mão esquerda (Vama Marga) e disponibilizar aos leitores
alguns dos métodos que os devotos do MLO Use para controlar a
energia sexual durante seus rituais.
Para praticar essa forma de magia, o mágico deve ter conhecimento da
natureza da energia sexual, bem como como e por que essas energias
podem ser usadas durante a união sexual entre o padre (o mago) e a
sacerdotisa (o bruxa).
Compreender a diferença entre a energia sexual masculina e feminina é
uma parte essencial do trabalho, o poder desta magia vem inteiramente
da polaridade gerada pela união das pessoas do sexo oposto. As
energias sexuais masculinas e femininas se opõem. Tradicionalmente, a
energia masculina é simbolizada por: Alfa, energia positiva, elétrica,
solar, planeta Marte, fogo, Shakta / Shiva e na esfera qlipótica: Satanás /
Samael. Enquanto a energia feminina será: o Omega, a energia negativa,
magnética, lunar, o planeta Vênus, a água, Shakti / Kali e na esfera
qlipótica: Lilith.
Outros símbolos da energia sexual masculina serão a adaga e a
varinha; Aqueles da energia feminina serão o copo e o pentagrama. A
associação desses quatro elementos sexuais é simbolizada pela vela
preta, o que significa a superação espiritual da dualidade e a união dos
opostos no caos. É precisamente a oposição das energias Alpha
(masculina) e Omega (fêmea) que vem o poder gerado pelo
encontro. Isso pode ser comparado ao choque de duas ondas do oceano
que se contraem e cuja colisão cria um redemoinho forte o suficiente
para sugar todo o que está próximo. O mesmo acontece quando as
energias colidem durante a união sexual. Um "vórtice" de energia é então
criado, que sobe como um pilar para os andares mais altos e pode até
penetrar no plano da alma, que é o nível mais alto.
Um dos métodos, particularmente eficaz, é usar este redemoinho para
drenar a energia do plano astral, mental ou espiritual, e depois
transformá-lo, através da vontade, em fins rituais. A magia sexual pode,
portanto, por meio da polaridade, canalizar as energias de fontes
externas, desde que sejam da mesma natureza. Essas energias então
circulam entre o sacerdote e a sacerdotisa durante o ritual, aumentando
constantemente no poder. As energias são então redirecionadas de
maneira tradicional para o objetivo desejado, graças a visualizações,
selos, gestos rituais, manipulação de objetos, fórmulas declaradas ou
mentais, a energia sendo liberada durante o orgasmo.
Entre todos os métodos, o de liberar energia mágica durante o orgasmo
é o mais efetivo. No exemplo acima, as energias geradas pela polaridade
sexual são canalizadas para um vórtice para reforçar o poder do
ritual. Este vórtice deixa de existir assim que um dos parceiros atinge o
orgasmo. Portanto, é desejável que o orgasmo seja alcançado
simultaneamente por ambos os parceiros. Aqui está um exemplo de
como um ritual mágico sexual usando selos, visualizações e fórmulas
pode ser realizado:
O ritual começa de forma tradicional. Os deuses das trevas são
convocados. Uma vela preta e uma vela vermelha estão acesas e o
incenso almíscar é queimado em homenagem à deusa Lilith. O sacerdote
excita a sacerdotisa com cunnilingus, depois se case com ela em nome
de Lilith. Ambas as partes se concentram em dar-se o maior prazer
possível, fortalecer e concentrar o poder da energia sexual. Quanto mais
tempo leva o sacerdote e a sacerdotisa a chegar ao orgasmo - o que
libera as energias acumuladas - e a energia sexual mais poderosa é.
Quando um sacerdote ou sacerdotisa atinge um estado de trance sexual,
ele ou ela deve começar a pronunciar uma fórmula ou frase que
expressa sua vontade comum. Ao mesmo tempo que ele pronuncia esta
fórmula indicando o propósito do ritual, ele deve visualizar claramente
seu parceiro em um estado de transe sexual. O trance é um momento
em que todos os pensamentos desaparecem e um estado de pura
felicidade invade o mágico. As velas entre os diferentes planos são mais
finas e um vórtice é ativado. É altamente desejável que ambos os
parceiros alcancem o trance sexual e pronunciem a mesma fórmula (ou
visualize o mesmo selo). Se nenhum selo é usado, os parceiros podem
ver eventos ou os objetivos mais importantes do ritual. Se o propósito do
ritual é destruir um inimigo, o selo deve, se possível, expressar o dano a
ser feito ao inimigo. O mesmo se aplica a uma fórmula verbal. Na
ausência de uma fórmula, um selo pode ser usado para expressar uma
cadeia de eventos que levam à morte dolorosa do inimigo. O sacerdote e
a sacerdotisa devem concordar antecipadamente sobre o que eles
precisam visualizar e, durante o orgasmo, levam essa visualização ao
seu clímax. Naquela época, a energia sexual, guiada por sua vontade
comum, trará a entidade à vida no plano astral e desencadeará as
conseqüências do ritual no mundo material. Quanto mais forte for a
"criança mágica", mais cedo a manifestação desejada se manifestará.
No processo mágico descrito acima, envolvendo uma visualização, um
selo ou uma fórmula, a energia sexual direcionada pela vontade vem
fertilizar o ovo astral. Se isso foi feito corretamente, será criado um "filho
espiritual da vontade" todo-poderoso e o efeito desejado será
seguido. Tudo o que é criado em um avião também é manifesto em todos
os outros planos existentes. O que está acima é como o que está
abaixo. Portanto, qualquer mudança, por exemplo, através da energia
sexual e visualização no plano astral, eventualmente se manifestará no
plano físico.
Outro elemento muito importante, essencial para a prática da magia
sexual, é o lendário elixir. O elixir é a mistura de fluidos sexuais
alquímicos masculinos e femininos carregados de energia. Estes fluidos,
quando emitidos durante as obras da magia sexual, estão imbuídos das
energias do ritual. O elixir tem múltiplos usos. Entre outras coisas, pode
ser usado para revestir um objeto que desempenha um papel no ritual
para reforçar seus poderes. Ou você pode usá-lo para dar força e vida a
talismãs ou amuletos, ou para aumentar o poder de objetos já dedicados
à magia, como armas mágicas tradicionais.
Dependendo de como o elixir é produzido durante o ritual, o Sacerdote e
a Sacerdota podem optar por misturá-lo com vinho e ingeri-lo durante a
cerimônia, em nome dos poderes invocados. Mas isso deve ser feito
somente se o ritual for destinado a aumentar os poderes dos
mágicos. Durante os rituais da magia sexual, a força de vontade e as
emoções tendem a colorir fortemente o elixir. Se for produzido durante
um ritual destrutivo que, por exemplo, tenha como objetivo agitar a
discórdia, a guerra ou matar um inimigo, obviamente não é desejável
beber. No último caso, o elixir torna-se um veneno de magia negra que
pode ser usado "para propósitos maldosos".
O elixir também é muito útil na magia das velas; o par de magos
expressa a intenção comum e inscreva ou grava o selo em uma vela
preta, então executa um ritual de magia sexual e acobarda a vela com o
elixir. Os magos liguem-se e deixam queimar, desencadear todo o poder
gerado pela magia sexual, para produzir os efeitos desejados. O elixir é
simplesmente uma extensão e uma concentração da vontade,
transformando as energias mágicas; seus usos são limitados apenas
pela imaginação dos mágicos.
Há outra variante muito mais escura e mais poderosa deste elixir e muito
intimamente relacionada com a deusa escura em todos os seus
aspectos. Esta forma superior do elixir só pode ser produzida quando a
sacerdotisa está no período da lua escura, ou seja, quando ela está
menstruando. O sangue menstrual desempenha um papel central nas
artes negras e ainda mais na magia sexual sinistra, onde atua como um
amplificador para energias escuras. Porque, ao contrário do sangue que
traz a vitalidade que atravessa nossas veias, o sangue menstrual,
também chamado de "sangue da lua negra" e "água morta", mantém o
poder (energia) para esterilizar, destruir, dissolver e matar
. Anteriormente, nas tradições antigas, o sangue menstrual era usado
para tornar os cachorros loucos; Ele também deveria dar ao mágico a
capacidade de se transformar em um licantropo e dominar os lobos
sanguinários. Essas tradições são interessantes porque mostram a
conexão entre o sangue menstrual e as forças sombrias e sinistras da
lua, mais fielmente representada pelas deusas da lua negra, sendo os
poderes do sangue menstrual sempre mais fortes durante as fases da lua
diminuindo e ficando no auge da lua nova.
É durante este período que as forças das trevas são as mais vigorosas e
as mais adaptadas para realizar os ritos de senestres visando canalizar
as energias das deusas satânicas. Durante esses rituais, durante os
quais a energia feminina escura amplifica o poder mágico, a sacerdotisa
ainda ocupa o papel dominante. É dito que durante a noite da lua nova, a
Deusa foi ao céu noturno e deixou seu sangue menstrual cair na Terra. É
por isso que também é dito que, se a sacerdotisa estiver menstruada
durante a noite da lua nova, seus poderes de magia negra estão no auge
e ela está em harmonia com a ira da Mãe negra. Durante a menstruação,
a sacerdotisa não pode engravidar, mas está no auge de sua habilidade
de nascer (para criar) para as crianças no plano astral. Assim, a
sexualidade Eve / Lilith pode ser usada para abrir portas para o lado
escuro.
Na Cabalá qlófoba, o sangue menstrual feminino é considerado um
presente de Samael para a mulher, um presente que ela pode usar para
alcançar o poder e a liberdade. Devido à sua forte associação com a
dissolução, os poderes sombrios e mortíferos do sangue menstrual são
uma chave para os poderes anti-cósmicos e qliphotic e podem ser
usados para entrar em contato com os deuses e demônios do Caos
Enragado. Um dos gestos simbólicos em muitos dos rituais da Ordem é
que o mago mergulhe uma adaga ritual em uma xícara de vinho. Uma
transformação ocorre devido ao dagger / Fire / Lucifer e cut / water / Lilith
polarity. Essas energias sexuais opostas transformam o conteúdo da
xícara que simboliza o sangue menstrual da deusa escura em um elixir
chamado "Sangue do Dragão".
O sangue do dragão ou o "veneno Taninsam", bem como este elixir é
chamado no trabalho qliphotic, é uma representação simbólica do elixir
produzido quando o sacerdote e sacerdotisa realizam seus rituais de
magia sexual durante o período menstrual da sacerdotisa. Este elixir
poderoso é chamado, em alquimia proibida, o "ouro vermelho" e seria
dotado de inúmeras qualidades malignas. Entre outras coisas, o sangue
do dragão / ouro vermelho é usado para expulsar os efeitos das energias
luminosas e estagnadas, bem como para difundir fluxos de energia
escuros e disruptivos. O sangue do dragão também pode ser usado
durante a magia sexual para a invocação de deuses escuros. Durante
estas invocações, o poder das energias escuras é desencadeado pelo
vórtice. No clímax do ritual, o Sangue do Dragão é ingerido pelos
participantes, para reforçar a presença dos deuses escuros em sua
consciência.
Este elixir possui muitas aplicações na necromancia, como síntese de
duas energias destrutivas, femininas e masculinas; também está
conectado com o fluxo de energia 353 e os poderes dos mortos-
vivos. Uma maneira de realizar um ritual de necromancia sexual é
colocar onze tochas ou velas negras ao redor do túmulo da pessoa com
quem o mago quer entrar em contato e, em seguida, dentro do círculo
formado pelas onze chamas, para executar o ritual da magia sexual. O
objetivo é dar vida à sombra dos mortos usando o vórtice para extrair a
sombra do túmulo. As invocações aos mortos podem ser recitadas
durante este rito e o selo que simboliza o desejo mágico subjacente terá
que ser visualizado intensamente durante a liberação do vórtice.
O vórtice terá que ser direcionado para baixo e durante o orgasmo, os
magos terão que usar sua vontade de arrancar a sombra do túmulo. O
elixir será misturado com vinho tinto e derramado como um sacrifício no
chão, em frente à sombra dos mortos-vivos que continuarão a ser
intensamente visualizados por ambos os participantes. O sangue do
dragão (elixir) fortalece a sombra, enquanto se conecta à vontade dos
feiticeiros. A sombra pode estar ligada a um talismã ou a um pedaço de
cristal de rocha e algumas coisas podem ser necessárias, se os
feiticeiros tiverem o conhecimento necessário. A sombra também pode
ser usada como um "zumbi astral", ser enviada para o sonho de outras
pessoas e levá-las à loucura.Todas as sombras dos mortos pertencentes
à deusa escura em suas declinações como Lilith, Hecate, Kali, Hel,
Perséfone e Ereshkigal, os mágicos, antes de começar o ritual da
necromancia, terão que oferecer um sacrifício de sangue a um dos esses
aspectos da deusa da morte.
Além desses usos, o sangue do dragão também pode ser usado para
abrir as portas do Sitra Ahra interno, de modo que o veneno de Taninsam
pode queimar todas as ilusões cósmicas e contribuir com a gnose
caótica. Uma das razões pelas quais a magia sexual é particularmente
útil é que, durante o trance sexual, quando o vórtice é ativado, as portas
internas se abrem, fazendo com que uma parte da consciência mágica
vá para os planos mais altos. Portanto, é relativamente fácil, durante
esses ritos, estabelecer um link e receber informações dos poderes
espirituais existentes além do plano material.Como mencionado
anteriormente, eles estão com deusas sombrias como Lilith, Naama,
Mahalath Igrath, Hecate, Lykania, Perséfone, Hel, Ereshkigal, Kali,
Baphomet, Sekhmet e Vamphyria, e assim por diante.que é possível
trabalhar de forma mais eficaz nos rituais da sinistra magia sexual.
No entanto, outras entidades espirituais que são muito importantes na
magia sexual são incubadoras e succubes. Esses demônios
pertencentes à esfera negra da lua são vampiros sexuais e são
considerados no MLO como canais espirituais para redirecionar a
energia sexual e a vitalidade do cosmos em Chaos / qliphoth. Os
succubos, que são demônios e incubadoras femininas, que são
demônios masculinos, são encontrados em todas as culturas senestral
tradicionais e de acordo com lendas antigas, oferecem várias pessoas
presentes em troca da energia que elas extraem dos rituais porque eles
participam e participam de cerimônias de magia sexual. Mas se esses
demonios sentem que os participantes não estão em harmonia com a lua
negra, eles podem vampirize aqueles que participam do ritual e esvaziá-
los de toda vitalidade.
*
Capítulo 17 de Liber Azerate , tradução francesa de Melmothia, 2015.

Alguns rituais de magia negra.


Postado em 26 de março de 2008 por jojo
Não aconselho você a fazer esses rituais! Eu me liberto de qualquer
responsabilidade relacionada à prática da magia negra. É sua escolha se você
quer fazer isso e não o meu!Aqui te avisei novamente!
Formalmente proibir crianças e adolescentes de fazer isso!

Ritual de vingança e outros ...

O Hex of the Rooster Egg

Para bater em alguém com sua maldição. Depois de ter esmagado o galo, um
dos pedaços de sua concha é preenchido com gotas de orvalho de uma espinha
branca coletada ao amanhecer e depois expostas aos raios do sol. Quando a
estrela do dia bebeu o orvalho, a pessoa designada é atingida por uma doença
repentina e desconhecida, que a seca e, apesar de todos os remédios, decai
lentamente.
Para semear discórdia: o encanto de Lilith com jade preto
3 velas negras, incenso de oliban, um pequeno pedaço de jade preto.
Ritual: Em uma noite sem lua, acenda as velas negras e queime o incenso. Em
seguida, esconda o pequeno pedaço de jade preto na sala de estar onde a família
é usada para se encontrar e então pronuncia o seguinte encantamento:
"Loki, Loki, você que ama para semear o caos, venha aqui e você poderá
banquetear ... Deixe a discórdia e o reinado reinar, Deixe o mal-entendido e a
dúvida banhá-los." Então seja.
Evite ir a este lugar porque você também experimentará o feitiço.

Ritual de banimento

O ritual dura nove dias consecutivos a uma taxa de aproximadamente uma hora
por dia.Comece em uma terça-feira entre a meia-noite e 1 am ou na primeira
hora do dia. Para este ritual, você precisará de duas grandes velas decorativas
brancas, incenso brilhante, estimulante, um pouco amargo, uma vela do zodíaco
para a solicitação, quatro velas pretas, quatro velas vermelhas, quatro velas
brancas. Marque as velas de modo a materializar nove períodos de
tempo. Acenda o incenso e coloque-o na parte de trás do altar ou o que fica em
seu lugar. Acenda as velas decorativas e coloque-as em cada lado do
incenso. Acenda a vela do zodíaco e coloque-a no centro do altar. Coloque as
velas negras ao redor da vela do zodíaco e acenda-as com uma fonte diferente
das velas anteriores. Corrija a luz maligna e tente visualizar as forças do
mal. Então invoque o anjo Samael dessa maneira: "Senhor Samael, Anjo do
planeta Mar. Convidamo-lo, Grande Anjo Protetor, a nos ajudar a defender-nos,
a ser indefeso contra este ataque maligno dirigido contra todos os níveis de seu
para ser um lutador das Causas Justas contra o mal e o perverso, Protetor da
Sem Defesa, pedimos que você faça uso de sua força para destruir e destruir esse
mal, purê-lo com seu fogo e purificador sagrados e para limpar esta iniqüidade,
em nome do Supremo Criador Cósmico de todas as coisas - seja assim! "
Por meio de uma das velas decorativas, acenda as velas vermelhas que estão nos
quatro cantos do altar. Visualize o vislumbre destes últimos como a única
esperança que você deixou. Quando a primeira marca é quase alcançada, avance
as velas vermelhas de uma divisão em direção às velas centrais e volte as velas
pretas de uma divisão. Quando a primeira divisão for atingida, desligue as velas
de ignição na ordem inversa da ignição.Os outros dias são uma repetição do
primeiro. No último dia do ritual, as velas vermelhas devem cercar a vela do
zodíaco. No sétimo dia, coloque as velas brancas no lugar ocupado pelas velas
negras no início do ritual. Acenda-os com uma das velas decorativas. Deixe-os
queimar completamente no último dia.

O feitiço do ódio

Pegue um sapo vivo e amarre com o cabelo que é fornecido com


antecedência. Depois de cuspir naquele pacote feio, ele é enterrado sob o limiar
de seu inimigo, ou em qualquer outro lugar que frequente todos os dias por
necessidade. Quanto mais a pessoa pisa em sua carga, mais se tornará
prejudicial.

Para submeter ao seu poder

Esse feitiço deve ser feito numa noite de sexta-feira, de preferência em uma
noite sem lua.
Ingredientes / Acessórios: - Um coração de papel vermelho - Uma vela preta -
Pétalas de rosas que você queimará - Uma agulha esterilizada (passar sob uma
chama)
O ritual: escreva o nome da pessoa no seu coração de papel.
Acenda a vela e o incenso ao pronunciar o seguinte encantamento: Lilith, você
que reina sobre a paixão e a concupiscência, coloque seus olhos em mim, eu
desejo essa pessoa, eu quero isso a todo custo, eu quero fazer meu escravo
submissa, conceda-me esse favor, pelo meu sangue, eu me ligo, desejo com
todas as batidas do meu coração, com cada respiração que tomo
Prick a ponta do polegar esquerdo com a agulha e solte três gotas de sangue no
núcleo do papel. Em seguida, coloque-o acima da vela e repita três vezes: pelo
poder do sangue e do fogo, a magia é ativada agora, você sentirá a atração, que
eu exerço em você. Você não tem outro recurso do que vir para mim
Acenda o coração de papel e pétalas de rosa, colocando-os em um incensário ou
em um prato ou em um prato de metal para que eles queimem
completamente. Concentre sua atenção nas chamas e repita: lute comigo,
coração mortal, me deseje com toda a sua alma, sonhe comigo quando a noite
cair, venha até mim, eu espero por você, não pode nada segurar, nem desejar
nem amar, Você pertence a mim agora, então seja
Continue focando por alguns minutos e deixe a vela e o incenso queimar
completamente

O nó que dói

Ingredientes / Acessórios: - Uma corda negra


O ritual: este ritual vem da magia do nó grego em que, tradicionalmente, a corda
de um enforcado ou um pedaço de mortalha era usado. No entanto, você pode
usar uma corda preta.
Você deve ter uma pessoa específica em mente. Pegue a corda e amarre um nó
em uma extremidade dizendo: (diga o nome da pessoa), eu atrazo a dor para
você e eu a amarro.Faça um nó no meio da corda e continue: nessa corda de
poder,
Faça outra na outra extremidade dizendo novamente: de modo que a dor e o
mal não deixem de crescer
Em seguida, junte as duas extremidades, dizendo: no momento eu finto este
nó. Seja assim.
Imagine que a corda atrai a dor para a pessoa. Mantenha o tempo que quiser
que essa pessoa sofra. Para desfazer esse feitiço, corte a corda ou solte-a.

Para ter o superior o inimigo

Ingredientes / Acessórios: - Duas velas, uma branca e uma negra - Do encenz de


oliba- Uma pitada de verbena - Da garra do diabo
O ritual: você pode praticar essa invocação durante o ciclo descendente da lua
ou, de preferência, a lua negra (noite sem lua), seja qual for o dia.
Vestida em preto e escreva o nome do seu inimigo no papel branco; Adicione
sua data de nascimento se for possível (você obterá um resultado mais
devastador com uma fotografia dessa pessoa em que você escreveu seu nome
nas costas)
Acenda a vela e o incenso, depois passe o papel (ou a imagem) sobre a fumaça
do incenso repetindo três vezes: Inimigo, inimigo, você está agora no meu
poder, Que toda a discórdia desaparece entre nós, Inimigo , inimigo, você
pensará que eu sou seu amigo, que o vento do poder me permita subjugar você
Que a força das ervas te ligue, então seja
Coloque a folha ou a foto no envelope, despeje a verbena e a garra do diabo
nele. Selar o envelope e soltá-lo na caixa de correio da pessoa.

Para as pessoas acreditarem em suas fofocas / difamações

Você pode fazer isso convocando uma noite iluminada pela lua
Ingredientes / Acessórios: - Uma vela preta - Incienso de mirra - Um envelope
preto - Uma folha de papel em branco
O ritual: acenda a vela e o incenso, depois passe a folha de papel, na qual você
terá escrito o nome da pessoa a quem deseja trotar, acima da fumaça,
pronunciando as seguintes palavras: (Diga isso nome da pessoa), é hora de você
pagar, Mais do que o tempo, que eu faça você sentir meu poder
É hora de eu espalhar mentiras, deixar as minhas palavras maliciosas fazer o seu
trabalho, e deixar seus amigos me acreditarem e ir embora, seja assim
Repita o encanamento 3 vezes, despejando uma gota de sangue no papel de cada
vez.Em seguida, coloque a folha no envelope e enterre-a em um cemitério.

Ritual do mal-olhado

Ingredientes / Acessórios: - não


Ritual: este ritual permite que você lance um feitiço para alguém, simplesmente
olhando para ele. No entanto, você deve mencionar o nome da pessoa em
questão e quais são suas intenções. Você deve fazer esse ritual numa noite sem
lua, de preferência na véspera da lua nova.
Uma vez que você se formou. seu círculo mágico com sal, demore alguns
minutos para relaxar e beber um chá de ervas, um suco ou um copo de vinho -
no que diz respeito à comida, você terá que esperar após o ritual.
Uma vez que é feito, você pode recitar a seguinte invocação, segurando em sua
mão uma pedra negra ou uma pirâmide negra: eu invoco você, O Nominon, anjo
do abismo, que governa os poderes do mal-estar Eu humildemente pede que
você abra meu terceiro olho e me permita ver a luz secreta. Deixe-me dirigir
minhas intenções, sobre (diga o nome da pessoa), para que ele sinta meu poder
sobre ele, com um olhar malicioso. Repita essa invocação três vezes, de forma
clara e em voz alta.
Uma vez que está pronto, você precisa pensar sobre o que seu olhar terá para
transmitir e repetir a convocação mais uma vez.
Se você deseja lançar um mau olho em mais de uma pessoa, você deve repetir
esse ritual cada vez.

Adivinhação por necromancia

Ingredientes / Acessórios: - Algumas gotas de óleo de cipreste (ou pinho)


O ritual: na primavera ou na noite de verão, cavar um buraco raso no chão de
um cemitério, onde você derrama algumas gotas de cipreste ou óleo de pinheiro
e diga: eu chamo o espírito que descansa sob o solo, eu faço uma pergunta,
responda-me sem demora, seja assim
Faça sua pergunta e coloque sua orelha contra o buraco; você saberá que a
resposta foi enviada para você quando você sente que o frio o invade por alguns
segundos.

Para aumentar seu poder

Ingredientes / Acessórios: - Uma vela preta - incenso violeta


O ritual: acenda a vela e queime o incenso; Levante seus braços para o céu e
diga: Anjos caídos, demônios do abismo, eu chamo você para minha ajuda,
conceda-me poder, para que eu continue, semeie discórdia e aumente meus
bens, ajude-me a preencher meu missão, eu quero continuar a servir você
Seja assim
Permita-se alguns instantes depois para sentir a energia invadir você.

Ritual de vingança contra um amante / parceiro

Se o seu amante é infiel para você e você decide se vingar, aqui está um ritual
muito poderoso que causará azia sempre que ele for infiel. Observe que é
aconselhável fazer esse ritual lá fora.
Ingredientes / Acessórios - Uma vela preta - Incienso de cedro - Um grande
prato de metal - Um churrasco ou um pequeno hibachi- Um coração de vau ou
outro animal (você encontrará no supermercado) - Doze pinos Direita - Uma
bolsa de pano preto
O ritual: em uma noite sem lua, acenda a vela e o incenso, depois as
churrasqueiras ou o hibachi. Prick o coração do animal com os pinos, em
seguida, escová-lo em um ramo ou um garfo grande. Assalte-o no fogo e diga:
Não é esse coração que eu quero queimar, é o de (diga o nome da pessoa) que
me traiu, que ele não conhece nem a paz nem o Descanse, desde que ele seja
infiel para mim. Seja assim
Deixe o coração arder nas chamas até que ele seja completamente queimado,
então mantenha algumas cinzas em uma bolsa de pano preto e poupe tempo
para acabar com sua vingança. Quando você acha que o tempo é para parar o
feitiço, jogue as cinzas no flush, ele cancelará o feitiço.

Ritual of the Evil Eye Stone


Uma vez que esta pedra é ideal para dirigir sua intenção maliciosa em alguém,
você pode programá-la e enviá-la para a pessoa que deseja lidar.
Ingredientes / Acessórios: - Uma vela preta - Incienso de mirra - Uma pequena
tigela de água - Um pedaço de papel - Uma pedra pequena (qualquer)
O ritual: numa noite sem lua, acenda a vela e o incenso. Em seguida, coloque a
pedra na tigela contendo a água e concentre-se nos problemas e infortúnios que
você quer ver cair sobre a pessoa. Ao fazer isso, não pare de encarar a
pedra. Depois de cinco minutos, escreva o nome da pessoa em um pedaço de
papel e mergulhe-o na água dizendo: Meu feitiço está em você, você está agora
debaixo da minha lei, Tudo o que você toca colapsa, Tudo isso você está com
problemas. Seja assim
Envie essa pedra para a pessoa segmentada pelo correio ou colocando-a em um
envelope e deixando-a em casa. Para que o feitiço funcione, a pedra deve estar
em contato com a pessoa.

O ritual da âmbar / descobrir as vidas passadas

É sobre a âmbar no interior do qual está inscrito um bug; simboliza a essência


dos tempos antigos.
Ingredientes / Acessórios: Uma vela roxa - Incenso Violeta - Um âmbar com um
inseto embutido nele
O ritual: numa noite de sábado, quando as energias estão no seu mais forte, ou
seja, cerca de 11 horas, acenda a vela e o incenso, depois passa a âmbar sobre os
cofres do incenso dizendo: Ámbar mágico que contém vida, Deixe-me ir visitar
outras noites, Que vejo o passado distante, Que eu viajo para descobrir, as seitas
esquecidas, então seja
Imediatamente depois, vá dormir.

Provocar argumentos

Ingredientes / Acessórios: - 3 velas pretas - incenso de Oliban Um pequeno


pedaço de jade preto
O ritual: numa noite sem lua, acenda as velas negras e queime o incenso. Em
seguida, esconda o pequeno pedaço de jade preto na sala de estar onde a família
é usada para se encontrar e depois pronuncia o seguinte encantamento: Loki,
Loki, você que ama semear transtorno. Venha aqui e você pode banquetear, Que
o zizanie e discórdia, que o mal-entendido ea dúvida banham-nos, seja assim
Evite ir a este lugar, porque você também sofreria o feitiço.

Para atrair mentes maliciosas

Ingredientes / Acessórios: - Uma vela amarela - Incenso de cedro ou pinho - Um


pouco de barro proveniente de um cemitério - Um quadrado de tecido amarelo
O ritual: acenda a vela e o incenso, depois pegue a terra. Coloque-o no quadrado
de tecido amarelo que você vai amarrar com segurança, como se fosse fazer uma
pequena bolsa.
Passe sobre a chama e a fumaça do incenso, dizendo: invoco os espíritos do mal,
para que eles entrem na casa e digam (o nome da pessoa), e semeie lá discórdia
e dificuldade. Seja assim
Vá levar este saco para a casa da pessoa e, idealmente, coloque-o em um lugar
onde ninguém vai encontrá-lo.
Para dar enxaqueca a alguém

Ingredientes / Acessórios: - Uma vela azul escuro - Incienso de Oliban Um


quadrado de tecido preto - 3 pinças de raiz de mandrágora - Uma pitada de
pimenta de Caiena - Uma pitada de Garra do Diabo
O ritual: acenda a vela e o incenso e, no quadrado de pano, no qual você já
registrou as iniciais da pessoa em questão, coloque lá a raiz da mandrágora, a
pimenta de Caiena e a garra do diabo. Dobre o tecido para formar uma pequena
bolsa e amarre nas extremidades, dizendo:
Ervas mágicas, ervas negras, Envie essa pessoa, Dê-lhe enxaquecas e dores de
cabeça, Sem dormir, ajude-o
Seja assim
Coloque esta saqueta sob o colchão da pessoa

Para criar zizanie no trabalho

Ingredientes / Acessórios: - Uma vela preta - Incenso de rosa - Uma tigela de


pequenas saquetas de sal (como aquelas em restaurantes)
O ritual: acenda a vela, queime o incenso e encha uma tigela com um saco de
sal. Então levante a tigela para o céu, dizendo: invoco os espíritos da discórdia, e
a dissensão, despeje seu poder nessa tigela, transborda de malícia, ferva os
personagens, daqueles que m cercar
Para que haja ridículo e dissensão, a maldade e a injustiça reinarão, então seja
Polvilhe algo disso em documentos que você dá às pessoas ao seu redor, ou
derrame um pouco sobre cadeiras ou mesas. Tenha cuidado para não derramar
no seu!

Abortar um projeto

Ingredientes / Acessórios: - Uma vela vermelha - Incenso de sangue de dragão -


Uma folha de papel em branco
O ritual: acenda a vela e queime o incenso; na folha de papel, descreva o projeto
e o nome dos instigadores em tinta preta, então desenhe um grande X no
conjunto. Em seguida, passe-o sobre a fumaça do incenso e, em seguida,
amasse-o entre as mãos para fazer uma bola enquanto diz:
Eu invoco os espíritos da discórdia, para que eles possam unir-se, sob a chama
ardente, que criem dissensões, que o caos reina entre aqueles que trabalham
neste projeto, para que ele não possa nunca tenha sucesso, então seja

Para criar uma pedra malvada

Ingredientes / Acessórios: - Uma pedra, para escolher (escolha o decorativo,


uma vez que você irá oferecê-lo como presente) - Uma vela amarela - Incenso de
sândalo
O ritual: numa noite sem lua, acenda a vela e o incenso, pegue a pedra nas suas
mãos e passe-a acima dos pergaminhos do incenso. Então, levante-o para o céu,
pronunciando em voz alta o seguinte encantamento: Poderosa Lilith que reina
durante a noite, Despeje seu poder nesta pedra, cheia de malícia e malícia
O que eu posso usar para o infinito, então seja
Dê essa pedra a uma pessoa que não gosta, de modo que ela tenha problemas e
infelicidade.

Charme do sapo (encanto de vingança)

Esse charme não transformará o seu ex em um sapo, mas outros o acharão tão
nojento como um sapo. Bruxas macias no coração feridas por um homem, diga a
si mesmo que, se ele for embora, é que o destino reserva-se algo melhor!
Ingredientes: Um pano ou uma de suas camisas antigas - Um grande punhado
de lama - Uma imagem ou esboço de sua ex - Uma agulha de darning - Fio preto
- Gouache ou feltro verde
Período: À meia-noite, uma noite de lua cheia
Sortilège: Em um lugar calmo, coloque o tecido sobre uma mesa e despeje o
punho da lama com o retrato dos infiéis.
Reúna os quatro cantos do tecido que você costurará com a agulha grande e o fio
preto para fazer um pacote. Com tinta ou feltro verde, tire do lado do pacote um
sapo terrível.Deixe a sua obra-prima toda a noite banhada pelos raios da lua.
Na parte da manhã, jogue no lixo.

Charme para se livrar de bugs

Ingredientes: Uma linha de roupas (para fazer uma figurinha) - Um pouco de


tinta ou um feltro preto - Uma pequena peça de roupa ou o retrato da pessoa -
Fio preto - Um bug de escritório - Pimenta preta
Período: Um sábado à noite na lua que cai
Sortilège: Em uma sala silenciosa, coloque todas as suas ferramentas ao seu
redor, repetindo: eu joguei você, feitiço,

Para impor, meu direito de liberdade,

Escureça minha casa, nada mais. Vá embora, (nome da pessoa), fique longe de
mim!
Para fazer a figurinha, pintar a pinça com tinta preta ou sentir e torcer o retrato
ou vestuário em torno dela. Amarre tudo com o fio. Polvilhe esta figurinha de
pimenta preta e empurre o percevejo ao repetir o encantamento. Enterre a
estatueta perto do limiar da sua porta.

Charm of Conjuration

Se você tiver a impressão de que alguém lhe envia ondas negativas ou de lançar
um feitiço sobre você, esse feitiço levará a maldição. Leia atentamente as
instruções.
Ingredientes: Um ramo de alecrim - Uma folha de papel amarelo - Uma caneta
vermelha - Um par de tesouras - Um pano vermelho - Paprika ou pimenta
vermelha - Um fio de algodão vermelho
Período: Um sábado à noite à meia-noite na lua que cai
Feitiço: Mantenha o ramo de alecrim em você durante todo o feitiço. Escreva o
nome da pessoa no pedaço de papel amarelo. Se você não tiver certeza de quem
está enviando hexágonos ou ondas negativas, escreva "meu inimigo".
Com a caneta vermelha, desenhe o nome de uma figurinha ou uma silhueta que
você corta com as tesouras. Coloque a figura de papel virada para baixo sobre o
tecido vermelho e polvilhe-o com paprika. Amarre o fio de algodão vermelho no
meio da figurinha enrolada sobre si mesmo e embrulhe tudo no tecido
vermelho.
Segure o pacote firmemente em sua mão e repita: meu inimigo, seu poder se
foi. O feitiço está quebrado, O feitiço não funciona mais, O olho girou para o
outro lado. Meu inimigo, você foi embora. Que seja assim agora.
Faça esta mágica sete noites consecutivas à meia-noite. No sábado seguinte,
desenrolle a figura do papel e rasgue-a em nove peças e queime.
Espalhe as cinzas longe de sua casa e jogue o tecido vermelho no lixo.

Charm para se livrar de um vizinho muito barulhento

Ingredientes: Uma vela amarela - Uma colher de chá de sal - Meia xícara de
azeite - Uma pena de galinha
Período: No anoitecer, uma véspera da Lua Nova.
Hex: Com seu equipamento, sente-se em uma sala em casa onde você não será
perturbado. Acenda a vela e despeje o sal no azeite.
Pegue a caneta repetindo estas palavras: Cauda Dragonis, me ajude porque eu
preciso de você. Eu quero (nome da pessoa) para me afastar de mim.
Mergulhe a pena no óleo e, assim que possível, vá varrer com esta caneta oleada
o ritmo da sua porta e a do vizinho (sem fazer você ver).

Para superar um inimigo

O que você precisa: 2 velas (um branco e um preto) - incenso de oliban - um


papel branco - 1 envelope branco - uma pitada de verbena - a garra do diabo
Instruções: você pode praticar esta convocação durante o ciclo descendente da
lua ou, de preferência durante uma noite sem lua. Note que o dia não
importa. Vestida em preto e escreva o nome do seu inimigo no pedaço de papel
branco e adicione sua data de nascimento, se possível. Além disso, se você tiver
uma fotografia da pessoa em questão, você obterá um resultado mais
devastador, substituindo este artigo por esta foto e escrevendo o nome da
pessoa na parte de trás.
Comece iluminando a vela e o incenso, depois passe o papel (ou foto) sobre o
incenso de fumaça repetindo três vezes:
Inimigo, inimigo, você está agora no meu poder, Que toda discórdia desapareça
entre nós, Inimigo, inimigo, você pensará que eu sou seu amigo, Que o vento do
poder me permita subjugar você, Que a força das ervas possa te amarrar , Então
seja
Coloque a folha ou foto no envelope, insira a verbena e a garra do diabo. Selar o
envelope e soltá-lo na caixa de correio da pessoa.

Então, acreditamos nas calúnias que você espalhou

Você pode fazer isso convocando uma noite iluminada pela lua
O que você precisa: 1 vela preta - incenso de mirra - 1 envelope preto - 1 folha
branca
Instruções: Primeiro, acenda a vela e o incenso, depois passe a folha de papel,
na qual você escreverá o nome da pessoa a quem deseja errado, acima da
fumaça pronunciando as seguintes palavras : (Diga o nome da pessoa), é hora
de pagar, Mais do que o tempo, que eu faça você sentir meu poder, é hora de eu,
espalhar mentiras, Que minhas palavras maliciosas, fazer seu trabalho, E que
seus amigos me acreditam, e vá embora, então seja
Repita o encanamento 3 vezes, despejando uma gota de sangue no papel de cada
vez.Em seguida, coloque a folha no envelope e enterre-a em um cemitério.

Ritual of the Evil Eye

Este ritual não requer nenhum acessório. Isso permite que alguém lance um
feitiço apenas olhando para ele. No entanto, você deve mencionar o nome da
pessoa em questão e quais são suas intenções.
Instruções: Este ritual deve ser praticado em uma noite sem lua, de preferência
na véspera da lua nova.
Uma vez que você formou seu círculo mágico com sal, leve alguns minutos para
relaxar e beber um pouco de chá de ervas, suco ou um copo de vinho. * * * No
que diz respeito à comida, você terá que esperar após o ritual. ~
Uma vez feito, você pode recitar a seguinte invocação, segurando uma pedra
preta ou uma pirâmide negra à mão:
Eu invoco você, O Nominon, anjo do Abismo, que governa os poderes do
maligno, peço-lhe humildemente, abra meu terceiro olho e me permita ver a luz
secreta. Deixe-me direcionar minhas intenções, (diga o nome da pessoa), para
que ele sinta meu poder sobre ele
usando um olhar malicioso.
Repita essa invocação três vezes, de forma clara e em voz alta. Você deve então
pensar sobre o que seu olhar terá que transmitir e repetir a convocação mais
uma vez. Se você deseja lançar um mau olho em mais de uma pessoa, você deve
repetir esse ritual cada vez.

O poder do mal do Índice


O índice é o dedo que comanda; e tem muitas outras propriedades (como
indicado na seção mágica dos dedos). Além disso, na magia negra, o índice serve
para lançar um feitiço ruim, direcionando a energia maliciosa a uma pessoa ou a
um objeto que será oferecido à pessoa.
Não são necessários acessórios para praticar este ritual.
Instruções: Para colocar sua energia maliciosa e lançar um feitiço sobre alguém,
primeiro você tem que pensar por que você quer fazer isso, e então você deve
pensar em seu tormento com a maior precisão possível. Quando terminar,
proferir o seguinte convocação em voz alta:
Amodeus, Você que governa a raiva, Dê-me a força para dirigir o meu. Para a
pessoa que vou apontar em breve, seja assim
Imagine a raiva aumentando em você, um feixe de energia deixando o dedo e
dirigindo-se para a pessoa que você está apontando. Respire fundo e, ao exalar,
aponte para a pessoa com um dedo, imaginando o tormento que você está
infligindo sobre ele.

Para atrair espíritos malignos

Este ritual permitirá que você atraia os espíritos malignos e incitá-los a fazer o
mal e a lançar lotes em seu nome para ou para pessoas que você não gosta
O que você precisa: 1 vela amarela - cedro ou incenso de pinheiro - um pouco de
terra de um cemitério - um quadrado de pano amarelo
Instruções: acenda a vela e o incenso, depois pegue a terra. Coloque-o no
quadrado de tecido amarelo que você vai amarrar firmemente (para formar uma
pequena bolsa).Passe sobre a chama e a fumaça do incenso, dizendo: invoco os
espíritos do mal, para que eles entrem na casa e digam (o nome da pessoa), e
semeie lá discórdia e dificuldade. Seja assim
Vá levar esta bolsa na casa da pessoa e isso, em um lugar onde ninguém
provavelmente descobrirá.

Quelques rituels de magie noires.


Publié le 26 mars 2008 par jojo

Je ne vous conseil pas de faire ces rituels !. Je me dégage de toute responsabilité


lié à la pratique de la magie noire. C'est votre choix si vous souhaitez en faire et
pas le mien ! Voilà je vous ai encore prévenu !
Interdire formellement aux enfants et adolescents mineurs de faire ceci !

Rituel de vengeance et autres...

Le Maléfice de l ' œuf à la coq

Pour frapper quelqu'un de sa malédiction . Après avoir écrasé l ' œuf de coq , on
remplit un des morceaux de sa coque avec des gouttes de rosée d'une épine
blanche recueillie à l'aurore , puis on l'expose aux rayons du soleil . Quand
l'astre du jour a bu la rosée , la personne désignée est frappée d'un mal subit et
inconnu , qui la dessèche , et , malgré tous les remèdes , elle dépérit lentement .
Pour semer la discorde : Le charme de Lilith avec du jade noire
3 chandelles noires , de l'encens d'oliban, un petit morceau de jade noir.
Rituel : Par une nuit sans lune, allumez les chandelles noires et faites brûler
l'encens. Dissimulez ensuite le petit morceau de jade noir dans le salon où la
famille a l'habitude de se retrouver et prononcez alors l'incantation suivante:
" Loki, Loki toi qui aime semer la pagaille viens ici et tu pourras faire ripaille.
Que la zizanie et la discorde règne. Que la mésentente et doute les baignent.
Ainsi soit-il. "
Evitez d'aller dans cet endroit, car vous subirez également le sortilège.

Rituel de bannissement

Le rituel dure neuf jour consécutif à raison d'environ une heure par jour .
Commencer un mardi entre minuit et 1 heure ou à la première heure du jour .
Pour ce rituels vous aurez besoin de deux grande bougie blanche décorative , de
l'encens vif , stimulant , voir un peu âcre , une bougie du zodiaque pour le
sollicitant, quatre bougies noires , quatre bougies rouges , quatre bougies
blanches . Marquez les bougies de façon à matérialiser neuf période de temps .
Allumer l'encens et le placer à l'arrière de l'autel ou ce qui en tient lieu . Allumer
les bougies décoratives et les placer de chaque côté de l'encens . Allumer la
bougie du zodiaque et la placé au centre de l'autel . Placez les bougies noires
autour de la bougie du zodiaque et les allumer avec une sources autre que les
bougies précédentes . Fixer leur lumière maligne et essayez de visualisez les
forces du mal . Puis invoquer l'ange Samael de cet manière : " Seigneur Samael ,
Ange de la planète Mars . Nous faisons appel à Toi Grand Ange Protecteur pour
nous aider à nous défendre , étant sans défense face à cette attaque maléfique
dirigée contre tous les niveaux de son être . Combattant des Justes Causes
contre le mal et les méchants , Protecteur des Sans-Défense , nous Te
demandons de faire intervenir Ta force afin de détruire et d'abattre ce mal , de le
purger grâce à ton feu sacré et purificateur , et de nettoyer cette iniquité . Au
nom du Suprême Créateur Cosmique de toute choses - ainsi soit-il !"
Au moyens de l'une des bougies décoratives , allumez les bougies rouges qui se
trouve au quatre coin de l'autel . Visualiser les petite lueur de ces dernière
comme le seule espoirs qu'il vous reste . Lorsque la première marque est
presque atteinte avancez les bougies rouge d'une division vers la bougies
centrale et reculez les bougies noires d'une division . Lorsque la première
division est atteinte , éteignez les bougies dans l'ordre inverse de l'allumage . Les
autres jour sont une répétition du premier . Le dernier jour du rituel les bougies
rouges doivent entourer la bougie du zodiaque . Le septième jour , placer les
bougies blanches à l'endroit occupés par les bougies noires au début du rituel .
Allumer les au moyen d'une des bougies décoratives . Laissez-les se consumer
entièrement le dernier jour .

L ' envoûtement de haine

Prendre un crapaud vivant et le lier avec des cheveux que l'on c'est procurés
d'avance . Après avoir craché sur ce vilaine paquet on l'enterre sous le seuil de
son ennemie , ou en tout autre endroit qu'il fréquente tous les jours par
nécessité . Plus la personne foulera de son pied la charge , plus celle-ci
deviendra néfaste .

Pour soumettre à son pouvoir

Ce sortilège doit être fait un vendredi soir, de préférence par une nuit sans lune.
Ingrédients/Accessoires : - Un coeur de papier rouge- Une bougie noire- Des
pétales de roses que vous ferez brûler- Une aiguille stérilisée (passez la sous une
flamme)
Le rituel :Inscrivez le nom de la personne sur votre coeur de papier.
Allumez la bougie et l'encens en prononçant l'incantation suivante: Lilith, toi
qui règnes sur la passion et la concupiscence, Pose ton regard sur moi, Je désire
cette personne, je la veux à tout prix, Je veux en faire mon esclave soumis,
Accorde moi cette faveur, Par mon sang, je me lie, Je la désire avec chaque
battement de mon cœur, Avec chaque souffle que je prends
Piquez le bout de votre pouce gauche à l'aide de l'aiguille et laissez tomber trois
gouttes de sang sur le coeur de papier. Placez ensuite ce dernier au-dessus de la
bougie et répétez trois fois: Par le pouvoir du sang et du feu, La magie s'active
maintenant, Tu vas ressentir l'attraction, Que j'exerce sur toi Tu n'as d'autre
recours, que de venir vers moi
Enflammez le coeur de papier et les pétales de roses, en les déposant dans un
encensoir ou sur une assiette ou encore sur un plat de métal pour qu'ils se
consument complètement. Concentrez votre attention sur les flammes et
répétez: Bats pour moi, coeur mortel, Désire moi avec toute ton âme, Rêve de
moi lorsque la nuit descend, Viens vers moi, je t'attends, Que rien ne retienne,
ni voeu ni amour, Tu m'appartiens maintenant, Ainsi soit-il
Continuez à vous concentrer quelques minutes et laissez la bougie et l'encens se
consumer complètement

Le noeud qui fait mal

Ingrédients/Accessoires : - Une corde noire


Le rituel :Ce rituel est issu de la magie grecque des noeuds dans laquelle,
traditionnellement, on se servait de la corde d'un pendu ou d'un morceau d'un
linceul. Vous pouvez cependant vous servir d'une corde noire.
Vous devez avoir une personne spécifique en tête. Prenez la corde et faites un
noeud à l'une des extrémités en disant: (dites le nom de la personne), j'attire la
douleur vers toi et je la noue. Faites un noeud au milieu de la corde et
poursuivez: Dans cette corde de pouvoir,
Faites-en un autre à l'autre bout en disant encore: Afin que la douleur et le mal
ne cessent de croître
Nouez ensuite les deux extrémités l'une à l'autre, en disant: Au moment où je
termine ce noeuf. Ainsi soit-il.
Imaginez que la corde attire la douleur vers la personne. Conservez la aussi
longtemps que vous désirez que cette personne souffre. Pour défaire ce sort,
coupez la corde ou dénouez la.

Pour avoir le dessus un l'ennemi

Ingrédients/Accessoires : - Deux bougies, une blanche et une noire- De l'encenz


d'oliban- Une pincée de verveine- De la griffe du diable
Le rituel : Vous pouvez pratiquer cette invocation lors du cycle décroissant de la
lune ou, préférablement, à la lune noire (nuit sans lune), quel que soit le jour.
Habillez vous de noir et inscrivez le nom de votre ennemi sur le papier blanch;
ajoutez-y sa date de naissance si cela est possible (vous obtiendrez un résultat
plus foudroyant avec une photographie de cette personne sur laquelle vous
aurez inscrit son nom au verso)
Allumez la bougie et l'encens, puis passez le papier (ou la photo) au-dessus de la
fumée d'encens en répétant trois fois: Ennemi, ennemi, tu es maintenant en
mon pouvoir, Que toute discorde disparaisse entre nous, Ennemi, ennemi, tu
penseras que je suis ton ami, Que le vent du pouvoir me permette de te
subjuguer
Que la force des herbes te lie à moi, Ainsi soit-il
Placez la feuille ou la photo dans l'enveloppe, versez-y la verveine et la griffe du
diable. Cachetez l'enveloppe et déposez-la dans la boîte aux lettre de cette
personne.

Pour que les gens croient vos médisances/calomnies


Vous pouvez faire cette invocation un soir de pleine lune
Ingrédients/Accessoires :- Une bougie noire- De l'encens de myrrhe- Une
enveloppe noire- Une feuille de papier blanc
Le rituel : Allumez la bougie et l'encens, puis passez la feuille de papier, sur
laquelle vous aurez inscrit le nom de la personne à qui vous voulez du trot, au-
dessus de la fumée en prononçant les mots suivants: (Dites le nom de la
personne), il est temps que tu paies, Plus que temps, que je te fasse sentir mon
pouvoir
Il est temps pour moi, de répandre des mensonges, Que mes paroles
malicieuses, fassent leur travail, Et que tes amis me croient et s'en aillent, Ainsi
soit-il
Répétez l'incantation 3 fois, en versant une goutte de votre sang sur le papier
chaque fois. Placez ensuite la feuille dans l'enveloppe et enterrez-la dans un
cimetière.

Rituel du mauvais œil

Ingrédients/Accessoires : - aucuns
Le rituel : Ce rituel permet de jeter un sort sur quelqu'un en le regardant tout
simplement. Vous devez toutefois mentionner le nom de la personne en
question et quelles sont vos intentions. Vous devez faire ce rituel lors d'une nuit
sans lune, préférablement à la veille de la nouvelle lune.
Une fois que vous avez formé. votre cercle magique avec le sel, prenez quelques
minutes pour vous détendre et pour boire une tisane, un jus ou un verre de vin-
en ce qui concerne la nourriture vous devrez attendre après le rituel.
Une fois que c'est fait, vous pouvez réciter l'invocation suivante, en tenant à la
main une pierre noire ou une pyramide noire: Je t'invoque, Ô Nominon, ange de
l'abîme, qui gouverne les pouvoirs du mauvais œil, Je te demande humblement,
d'ouvrir mon troisième œil, et de me permettre de voir la lumière secrète. Qu'il
me soit permis de diriger mes intentions, sur (dites le nom de la personne), afin
qu'il ressente mon pouvoir sur lui, à l'aide d'un regard malveillant. Répétez cette
invocation trois fois, clairement et à haute voix.
Une fois que c'est fait, vous devez penser à ce que votre regard devra
transmettre et répéter l'invocation une fois de plus.
Si vous désirez jeter le mauvais oeil sur plus d'une personne, vous devez répéter
ce rituel chaque fois.

La divination par la nécromancie

Ingrédients/Accessoires : - Quelques gouttes d'huile de cyprès (ou de pin)


Le rituel : Un soir de printemps ou d'été, creusez un trou peu profond dans la
terre d'un cimetière, ouis versez-y quelques gouttes d'huile de cyprès ou de pin
et dites: J'appelle l'esprit qui repose sous le sol, Je te pose une question,
Réponds moi sans tarder, Ainsi soit-il
Posez votre question et placez votre oreille contre le trou; vous saurez que la
réponse vous a été transmise lorsque vous sentirez le froid vous envahir pendant
quelques secondes.

Pour accroître son pouvoir

Ingrédients/Accessoires : - Une bougie noire- De l'encens de violette


Le rituel : Allumez la bougie et faites brûler l'encens; levez les bras au ciel et
dites: Anges déchus, démons de l'abîme, je vous appelle à mon secours,
Accordez moi la puissance, Afin que je puisse continuer, À semer la discorde et à
accroître mes biens, Aidez moi à remplir ma mission, Je veuz continuer à vous
servir
Ainsi soit il
Accordez vous par la suite quelques instants pour sentir l'énergie vous envahir.

Rituel de vengeance contre un amoureux/associé

Si votre amoureux vous est infidèle et que vous décidez de vous vengez, voici un
rituel très puissant qui lui occasionnera des brûlements d'estomac toutes les fois
où il sera infidèle. Notez qu'il est conseillé de faire ce rituel à l'extérieur.
Ingrédients/Accessoires - Une bougie noire- De l'encens de cèdre- Un grand plat
de métal- Un barbecue ou un petit hibachi- Un coeur de vau ou d'un autre
animal (vous en trouverez à l'épicerie)- Douze épingles droites- Une pochette de
tissu noir
Le rituel : Par une nuit sans lune, allumez la bougie et l'encens, puis le
barbecues ou le hibachi. Piquez le coeur de l'animal avec les épingles, puis
embrochez le sur une branche ou une grande fourchette. Faites le rôtir sur le feu
en disant: Ce n'est pas ce coeur que je désire brûler, C'est celui de (dites le nom
de la personne) qui m'a trahi, Qu'il ne connaisse ni la paix ni le repos,Tant qu'il
me sera infidèle. Ainsi soit-il
Laissez le coeur se consumer dans les flammes jusquà ce qu'il soit
complètement brûlé, puis gardez un peu de cendres dans une pochette de tissu
noir et conservez-les le temps d'assouvir votre vengeance. Lorsque vous jugerez
le moment venu de faire cesser le sortilège, jetez les cendres dans la chasse
d'eau, cela annulera le sort.

Rituel de la pierre du mauvais œil

Comme cette pierre est idéale pour diriger vos intentions malveillantes sur
quelqu'un, vous pouvez la programmer et l'envoyer à la personne sur laquelle
vous souhaitez voir s'abattre les ennuis.
Ingrédients/Accessoires : - Une bougie noire- De l'encens de myrrhe- Un petit
bol d'eau- Un bout de papier- Une petite pierre (n'importe laquelle)
Le rituel :Par une nuit sans lune, allumez la bougie et l'encens. Placez ensuite la
pierre dans le bol contenant l'eau et concentrez vous sur les ennuis et les
malheurs que vous souhaitez vois s'abattre sur la personne. Pendant que vous
faites cela, ne cessez pas de regarder fixement la pierre. Après cinq minutes,
inscrivez le nom de la personne sur un bout de papier et plongez le dans l'eau en
disant: Mon sortilège est sur toi, Tu es maintenant sous ma loi, Tout ce que tu
touche s'effondre, Tout ce que tu fais éprouvre des ennuis. Ainsi soit-il
Faites parvenir cette pierre à la personne visée par la poste, ou encore en la
mettant dans une enveloppe et en la déposant chez elle. Pour que le sortilège
fonctionne, la pierre doit être en contact avec la personne.

Le rituel de l'ambre/découvrir ses vies antérieures

Il s'agit d'ambre à l'intérieur duquel est inscrusté un insecte; il symbolise


l'essence des temps anciens.
Ingrédients/Accessoires : Une bougie violette- De l'encens de violette- Un
ambre à l'intérieur duquel est incrusté un insecte
Le rituel : Un samedi soir, lorsque les énergies sont à leur plus fort, c'est à dire
vers 23 heures, allumez la bougie et l'encens, puis passez l'ambre au-dessus des
voutes de l'encens en disant: Ambre magique qui contient la vie, Permets moi
d'aller visiter d'autre nuits, Que je vois le passé éloigné, Que je voyage pour
découvrir, les sectes oubliés, Ainsi soit-il
Tout de suite après, allez dormir.

Pour provoquer des disputes

Ingrédients/Accessoires : - 3 bougie noires- De l'encens d'oliban- Un petit


morceau de jade noir
Le rituel : Par une nuit sans lune, allumez les bougie noires et faites brûler
l'encens. Dissimulez ensuite le petit morceau de jade noir dans le salon où la
famille a l'habitude de se retrouver et prononcez alors l'incantation suivante:
Loki, Loki, toi qui aimes semer la pagaille, Viens ici et tu pourras faire ripaille,
Que la zizanie et la discorde règnent, Que la mésentente et le doute les baignent,
Ainsi soit-il
Évitez d'aller dans cet endroit, car vous subiriez également le sortilège.

Pour attirer les esprits malicieux

Ingrédients/Accessoires : - Une bougie jaune- De l'encens de cèdre ou de pin-


Un peu de terri qui provient d'un cimetière - Un carré de tissu jaune
Le rituel : Allumez la bougie et l'encens, puis prenez la terre. Placez-la dans le
carré de tissu jaune que vous nouerez solidement, comme pour en faire un petit
sac.
Passez le au dessus de la flamme et de la fumée d'encens en disant: J'invoque les
esprits du mal, Afin qu'ils aillent dans la demeure, de (dites le nom de la
personne), Et qu'ils y sèment la discorde et les tracas. Ainsi soit-il
Allez portez ce sac dans la maison de la personne et, idéalement, placez le dans
un endroit où personne ne le découvrira.

Pour donner la migraine à quelqu'un

Ingrédients/Accessoires : - Une bougie bleu foncé- De l'encens d'oliban- Un


carré de tissu noir- 3 pincées de racine de mandragore- Une pincée de poivre de
Cayenne- Une pincée de griffe du diable
Le rituel :Allumez la bougie et l'encens et, dans le carré de tissu, sur lequel vous
aurez préalablement inscrit les initiales de la personne en cause, placez-y la
racine de mandragore, le poivre de Cayenne et la griffe du diable. Repliez le
tissu de façon à former un petit sachet et nouez en les extrémités en disant:
Herbes magiques, herbes noires, Envoûtez cette personne, Donnez lui des
migraines et des maux de tête, Sans que le sommeil lui vienne en aide
Ainsi soit-il
Placez ce sachet sous le matelas de la personne

Pour créer la zizanie au travail

Ingrédients/Accessoires : - Une bougie noire- De l'encens de rose- Un bol de


petits sachets de sel (comme ceux dans les restaurants)
Le rituel : Allumez la bougie, faites brûler l'encens et remplissez un bol de sachet
de sel. Puis, levez le bol vers le ciel en disant: J'invoque les esprits de la
discorde, Et de la dissension, Déversez votre pouvoir dans ce bol, Qu'il déborde
de malice, Afin de faire bouillir les caractères, De ceux qui m'entourent
Afin que règnent la zizanie et la dissension, que règnent la malice et l'injustice,
Ainsi soit-il
Saupoudrez un peu de ce seul sur des documents que vous remettrez aux
personnes qui vous entourent, ou versez en un peu sur les chaise ou les bureaux.
Prenez garde de ne pas en verser sur le vôtre!

Pour faire avorter un projet

Ingrédients/Accessoires : - Une bougie rouge- De l'encens de sang de dragon-


Une feuille de papier blanc
Le rituel : Allumez la bougie et faites brûler l'encens; sur la feuille de papier,
décrivez le projet et le nom des instigateurs à l'encre noire, puis tracez un grand
X sur le tout. Passez la ensuite au-dessus de la fumée de l'encens, puis froissez la
entre vos mains pour en faire une boule tout en disant:
J'en appelle aux esprits de la discorde, Afin qu'ils s'unissent, Sous la flamme qui
brille, Qu'ils créent des dissensions, Que la pagaille règne entre ceux, Qui
travaille à ce projet, Afin qu'il n'aboutisse jamais, Ainsi soit-il

Pour créer une pierre maléfique

Ingrédients/Accessoires : - Une pierre, au choix (choisissez la décorative


puisque vous l'offrirez en cadeau)- Une bougie jaune- De l'encens de bois de
santal
Le rituel : Un soir sans lune, allumez la bougie et l'encens, prenez la pierre entre
vos mains et passez la au dessus des volutes de l'encens. Puis, levez-la vers le
ciel en prononçant à voix haute l'incantation suivante: Puissante Lilith qui règne
sur la nuit, Verse ton pouvoir dans cette pierre, remplis la de malice et de
zizanie
Dont je puisse me servir à l'infini, Ainsi soit-il
Donnez cette pierre à une personne que vous n'aimez pas afin qu'elle connaisse
tracas et malheur.

Charme du crapaud (charme de vengeance)

Ce charme ne va pas transformer votre ex en crapaud mais les autres le


trouveront aussi répugnant qu'un crapaud. Tendres sorcières au coeur meurtri
par un homme, dites-vous que s'il est parti, c'est que le destin vous réserve
quelque chose de meilleur !
Ingrédients : Un tissu ou l'une de ses vieilles chemises - Une grosse poignée de
boue - Une photo ou un croquis de votre ex - Une aiguille à repriser - Du fil noir
- De la gouache ou un feutre vert
Période : A minuit, un soir de pleine Lune
Sortilège : Dans un lieu tranquille, posez le tissu sur une table et versez-y la
poignée de boue accompagnée du portrait de l'infidèle.
Rassemblez les quatre coins du tissu que vous coudrez avec la grosse aiguille et
le fil noir pour en faire un ballot. Avec la peinture ou le feutre vert, dessinez sur
le côté du ballot un affreux crapaud. Laissez votre chef d'oeuvre toute la nuit
baigné par les rayons de la Lune.
Au matin, jetez-le à la poubelle.

Charme pour débarasser des casses-pieds

Ingrédients : Une pince à linge (pour faire une figurine) - Un peu d'encre ou un
feutre noir - Une petite pièce de vêtement ou le portrait de la personne - Du fil
noir - Une punaise de bureau - Du poivre noir
Période : Un samedi soir en Lune Décroissante
Sortilège : Dans une pièce tranquille, déposez tous vos outils autour de vous en
répétant: Je te lance, sortilège,

Pour faire respecter, mon droit de liberté,

Assombris ma maison, rien de plus. Eloigne-toi, (nom de la personne), Eloigne-


toi de moi !
Pour fabriquer la figurine, peignez la pince à linge avec l'encre ou le feutre noir
et entortillez le portrait ou le vêtement autour. Ficelez le tout avec le fil.
Saupoudrez cette figurine de poivre noir et enfoncez-y la punaise en répétant
l'incantation. Enterrez la figurine près du seuil de votre porte.

Charme de conjuration

Si vous avez l'impression que quelqu'un vous envoie des ondes négatives ou
vous a jeté un sort, ce sortilège va lever la malédiction. Lisez bien les
instructions.
Ingrédients : Une branche de romarin - Une feuille de papier jaune - Un stylo
rouge - Une paire de ciseaux - Un tissu rouge - Du paprika ou du poivre rouge -
Un fil de coton rouge
Période : Un samedi soir à minuit en Lune Décroissante
Sortilège :Gardez sur vous la branche de romarin durant tout le sortilège.
Ecrivez le nom de la personne sur la feuille de papier jaune. Si vous n'êtes pas
sûre de l'identité de la personne qui vous envoit des maléfices ou des ondes
négatives, écrivez "mon ennemi".
Avec le stylo rouge, dessinez près du nom une figurine ou une silhouette que
vous découperez avec les ciseaux. Posez la figurine de papier, face contre terre,
sur le tissu rouge et saupoudrez-la de paprika. Nouez le fil de coton rouge au
milieu de la figurine enroulée sur elle-même et enveloppez le tout dans le tissu
rouge.
Tenez le paquet fermement dans la main et répétez: Mon ennemi, ton pouvoir
s'est envolé. Le maléfice est rompu, Le charme n'opère plus, L'oeil s'est tourné
de l'autre côté. Mon ennemi, tu t'es éloigné. Qu'il en soit ainsi dès maintenant.
Faites ce charme sept nuits consécutives à minuit. Le samedi suivant, déroulez
la figurine de papier et déchirez-la en neuf morceaux et brûlez-la.
Eparpillez les cendres loin de votre maison et jetez le tissu rouge à la poubelle.

Charme pour se débarasser d'un voisin trop bruyant

Ingrédients : Une bougie jaune - Une cuillerée à café de sel - Une demi-tasse
d'huile d'olive - Une plume de poulet
Période : Au crépuscule, une veille de nouvelle Lune.
Sortilège : Avec votre matériel, installez-vous dans une pièce chez vous où vous
ne serez pas dérangée. Allumez la bougie et verser le sel dans l'huile d'olive.
Prenez la plume en répétant ces paroles: Cauda Dragonis, Aide-moi car j'ai
besoin de toi. Je veux que (nom de la personne) s'en aille loin de moi.
Trempez la plume dans l'huile et dès que vous pourrez, allez balayer avec cette
plume huilée le pas de votre porte et celui de ce voisin (sans vous faire voir).

Pour avoir le dessus sur un ennemi

Ce dont vous avez besoin: 2 chandelles (une blanche et une noire) - encens
d'oliban - un papier blanc - 1 enveloppe blanche - une pincée de verveine - de la
griffe du diable
Instructions: Il vous est possible de pratiquer cette invocation lors du cycle
décroissant de la lune ou, de préférence durant une nuit sans lune. Notez que le
jour n'a aucune importance. Habillez vous de noir et inscrivez le nom de votre
ennemi sur le bout de papier blanc et ajoutez-y sa date de naissance si cela est
possible. Aussi, si vous possédez une photographie de la personne en question,
vous obtiendrez un résultat plus foudroyant en remplaçant ce papier par cette
photo et en inscrivant le nom de la personne au verso.
Débutez donc en allumant la chandelle et l'encens, puis passez le papier (ou la
photo) au-dessus de la fumée d'encens en répétant trois fois:
Ennemi, ennemi, tu es maintenant en mon pouvoir, Que toute discorde
disparaisse entre nous, Ennemi, ennemi, tu penseras que je suis ton ami, Que le
vent du pouvoir me permette de te subjuguer, Que la force des herbes te lie à
moi, Ainsi soit-il
Placez la feuille ou la photo dans l'enveloppe, insérez-y la verveine et la griffe du
diable. Cachetez l'enveloppe et déposez-la dans la boîte aux lettre de cette
personne.

Pour que l'on croit les calomnies que vous répandez

Vous pouvez faire cette invocation un soir de pleine lune


Ce dont vous avez besoin: 1 chandelle noire - encens de myrrhe - 1 enveloppe
noire - 1 feuille blanche
Instructions: Tout d'abord, allumez la chandelle et l'encens, puis passez la
feuille de papier, sur laquelle vous aurez inscrit le nom de la personne à qui vous
voulez du tort, au-dessus de la fumée en prononçant les mots suivants: (Dites le
nom de la personne), il est temps que tu paies, Plus que temps, que je te fasse
sentir mon pouvoir, Il est temps pour moi, de répandre des mensonges, Que
mes paroles malicieuses, fassent leur travail, Et que tes amis me croient, et s'en
aillent, Ainsi soit-il
Répétez l'incantation 3 fois, en versant une goutte de votre sang sur le papier
chaque fois. Placez ensuite la feuille dans l'enveloppe et enterrez-la dans un
cimetière.

Rituel du Mauvais Oeil

Ce rituel ne nécessite aucun accessoire. Il permet de jeter un sort à quelqu'un


tout simplement en le regardant. Vous devez toutefois mentionner le nom de la
personne en question et quelles sont vos intentions.
Instructions: Ce rituel doit être pratiqué lors d'une nuit sans lune,
préférablement à la veille de la nouvelle lune.
Une fois que vous avez formé votre cercle magique avec le sel, prenez quelques
minutes pour vous détendre et pour boire une tisane, un jus ou un verre de vin
~*~en ce qui concerne la nourriture vous devrez attendre après le rituel.~*~
Une fois que c'est fait, vous pouvez réciter l'invocation suivante, en tenant à la
main une pierre noire ou une pyramide noire:
Je t'invoque, Ô Nominon, ange de l'Abîme, qui gouverne les pouvoirs du
mauvais œil, Je te demande humblement, d'ouvrir mon troisième œil, et de me
permettre de voir la lumière secrète. Qu'il me soit permis de diriger mes
intentions sur, (dites le nom de la personne), afin qu'il ressente mon pouvoir sur
lui
à l'aide d'un regard malveillant.
Répétez cette invocation trois fois, clairement et à haute voix. Vous devez
ensuite penser à ce que votre regard devra transmettre et répéter l'invocation
une fois de plus. Si vous désirez jeter le mauvais oeil sur plus d'une personne,
vous devez répéter ce rituel chaque fois.

Le pouvoir malveillant de l'Index


L'index est le doigt qui commande; et qui possède bien d'autre propriétés (tel
qu'indiqué dans la section magie des doigts). Par ailleurs, en magie noire,
l'index sert à jeter un mauvais sort en dirigeant l'énergie malveillante sur une
personne ou un objet que l'on offrira à la personne.
Aucun accessoire n'est nécessaire à la pratique de ce rituel.
Instructions: Pour faire passer votre énergie malveillante et lancer un sort à
quelqu'un, vous devez d'abord penser à la raison pour laquelle vous désirez
poser une telle action, puis vous devez imaginer son tourment le plus
précisément possible. Lorsque cela est fait, prononcez l'invocation suivante à
haute voix:
Amodée, Toi qui régis la colère, Donne moi la force de diriger la mienne, Vers la
personne que je pointerai bientôt du doigt, Ainsi soit-il
Imaginez la colère monter en vous, un faisceau d'énergie partant de votre doigt
et se dirigeant vers la personne que vous pointez. Prenez une grande inspiration
et, lors de l'expiration, pointez la personne du doigt en imaginant le tourment
que vous lui infligez.

Pour attirer les esprits maléfiques

Ce rituel vous permettra d'Attirez les esprits maéfiques et de les inciter à faire
du mal et à jetter des sort en votre nom à ou aux personnes que vous n'aimez
pas
Ce dont vous avez besoin: 1 chandelle jaune - encens de cèdre ou de pin - un peu
de terre qui provient d'un cimetière - un carré de tissu jaune
Instructions: Allumez la chandelle et l'encens, puis prenez la terre. Placez-la
dans le carré de tissu jaune que vous nouerez solidement (afin de former un
petit sac). Passez le au dessus de la flamme et de la fumée d'encens en disant:
J'invoque les esprits du mal, Afin qu'ils aillent dans la demeure, de (dites le nom
de la personne), Et qu'ils y sèment la discorde et les tracas. Ainsi soit-il
Allez portez ce sac dans la maison de la personne et ce, dans un endroit où
personne ne risque de le découvrir.

VAUDOU - MÁGICA - DEMONOLOGIA -


vodu
Voodoo (ou voodoo, ou voodoo) é uma religião originária do antigo reino de
Danhome( África Ocidental ). Ainda é generalizada no Benim e no Togo ,
como no famoso mercado de fetiche em Lomé . Esta religião é baseada
na magia vudu

A partir do século XVII , os negros capturados como escravos desta região


da Áfricaespalharam o culto vudu no Caribe e na América . Voodoo é,
portanto, encontrado em diferentes formas em Cuba , Haiti , Brasil ou os
Estados Unidos, especialmente na Louisiana . Também se espalhou para
o norte da África , onde é encontrado em várias formas, sendo o mais
famoso de Gnawa em Marrocos e Argélia , misturado com o folclore
religioso árabe-muçulmano. A adoração do Voodoo tem cerca de 50
milhões de praticantes em todo o mundo. Muitas comunidades "voodoo"
existem em todo o mundo, principalmente nas Américas e nas Índias
Ocidentais. Na Europa, existem comunidades mais discretas e ativas, como
Hounfor Bonzanfe, Lakou sem Lua ou Hounfor Konblanmen. No início do
século XXI, o vodu também se espalha para o Canadá, onde muitas
comunidades emergiram e estão tentando colocar este sistema de crenças
no centro das atenções.

Existe um museu voodoo em Essen , Alemanha e Estrasburgo , na França .

resumo

Origem [ editar | alterar o código ]


Voodoo nasceu do encontro dos cultos tradicionais dos deuses Yorubas e
das deidades fon e ovelhas , durante a criação, em seguida, a expansão do
reino fon de Abomey nos séculos XVII e XVIII.

Voodoo é o fundamento cultural dos povos que vieram de Tado em Togo ,


os povos deAdja (cujos Fons, Gouns, Ewe ... e até certo ponto os Yoruba
...) que constituem um elemento importante das populações em Sul do
Golfo dos Estados de Benim ( Benim ,Togo , Gana , Nigéria ...).

Voodoo ( voodoo pronunciado) é a adaptação pelo Fon de uma palavra


yoruba que significa "deus". Voodoo designa todos os deuses ou forças
invisíveis cujos homens tentam conciliar o poder ou a benevolência. É a
afirmação de um mundo sobrenatural, mas também a totalidade dos
procedimentos que permitem entrar em relação a este.Voodoo é o culto
yoruba dos Orishas . Assim como o voodoo é um culto do espírito do mundo
do invisível. Em cada abertura, o sacerdote vodu pede a ajuda do espírito
de Papa Legba para abrir as portas de ambos os mundos.

O Voodoo pode ser descrito como uma cultura, uma herança, uma filosofia,
uma arte, danças, uma linguagem, uma arte de medicina, um estilo de
música, uma justiça, um poder, uma tradição oral e ritos.

Com o comércio de escravos , a cultura vodu se espalhou para as ilhas dos


Estados Unidos e do Caribe, incluindo o Haiti. Caracteriza-se pelos ritos de
"incorporação" (posse voluntária e temporária dos espíritos), sacrifícios de
animais, a crença nos mortos-vivos (zumbis) e a possibilidade de sua
criação artificial, bem como a prática de feitiçaria em bonecas ( boneca
voodoo ).

A prática de sua religião e cultura foi proibida pelos colonos, punível com a
morte ou prisão, e, portanto, praticada em segredo. Voodoo, no entanto,
incorporou ritos e projetos católicos, tornando-o aceitável. Assim nasceu o
"voodoo cristão".

Na década de 1950, o Vaticano fez a paz com o culto vudu.

Voodoo sofreu e seus praticantes exibem suas crenças sem medo.

Pantheon Voodoo na África alterar o código ]


O panteão voodoo é acima de todas as forças da natureza, como
no xamanismo .Voodoo ( loa , lwa ) e suas relações referem-se a potências
naturais, como relâmpagos, mares , doenças , etc.

Mas a adoração vudu também está interessada em outras entidades


sobrenaturais, como ancestros e monstros deificados (e outros animais).

Deuses (ou Voodoo) alterar o código ]


Mawu ( homem pronunciado) é o Deus supremo que reina sobre os outros
deuses. ( Mawu lo lo para "Deus é ótimo", akpe na mawu para "obrigado a
Deus", mawuena (m)por "presente de Deus"). Como Mawu não tem forma,
ele nunca é representado, nem na pintura nem associado a objetos, assim
como o outro voodoo.

Mawu é incriado e criador de todos os outros voodoo. Mawu não intervém


na vida dos homens. Ele teria criado o outro voodoo para que eles estejam
conectados com homens e o mundo. "Mawu" não é estritamente falando um
panteão voodoo; é um conceito, uma entidade e não uma
pessoa; literalmente Mawu deve traduzir para " o inacessível ". O que
explica por que não existe em nenhum lugar da região vudu um culto para
Mawu; Nós só o agradecemos, glorificá-lo. É dito ser benevolente para
todas as criaturas.

Os cristãos Ewes e Fons usam a mesma palavra Mawu para designar o


Deus cristão.

O panteão Voodoo é composto por uma multidão de Lwas , que são


espíritos, deidades inferiores, capazes de se comunicar e até mesmo
colaborar com humanos. O L se materializou mais frequentemente em
objetos inanimados da natureza, como pedras e árvores; É por isso que
voodoo é descrito como "animista".

Uma das Lwas mais importantes é Erzulie , ou Erzulie Freda, deusa do


amor. Também há Gu (o Ogun dos Yorubas), deus da guerra (e
ferreiros), Sakpata , deus da varíola (e mais geralmente da doença, da cura
e da Terra), Damballa , espírito da conhecimento, bem como o
poderoso Hebieso , deus da tempestade e relâmpagos. O último é
acompanhado por um anão ou um homúnculo carregado de forjar seu
relâmpago.Papa Legba , enquanto isso, tem a função de intermediário e
mensageiro dos deuses.Ele é assimilado, no voodoo sincrético haitiano, a
São Pedro, que detém as chaves do Paraíso e do Inferno.

Em voodoo na África, não há conceitos de paraíso e inferno. Lêgba


( Eshu para falantes de inglês) é de fato o deus mais importante em que ele
é o deus das cruzes, o deus da reflexão ; Seu papel intermediário vem
depois. Ele forma com a deidade Fa (ou Ifa) um casal que leva a pedagogia
dessa cultura 2 .

Outras deidades alterar o código ]


Mami Wata (também chamada Yemendja na tradição do voodoo
brasileiro ), um culto especial é mesmo dedicado. É a mãe (das deusa) das
águas, medo da deusa dos pescadores, simboliza tanto o mar nutritivo
como o oceano destrutivo. Mami Wata é acima de tudo uma deidade
de Ewe , cujo culto está muito presente na costa atlântica do Togo (mas
também na Nigéria , Camarões , Congo-Brazzaville ) onde simboliza o
poder supremo. Mami Wata é muitas vezes retratado na pintura como
uma sereia ou uma bela e jovem mulher segurando cobras.

Mami Wata não é uma adaptação do inglês, como às vezes pensava. Na


língua Mina que é falada no sul do Togo e parte do sul do Benim, "Amui"
significa espremer "Ata" significa a perna (s). Após os rituais dedicados à
deusa da água pela fertilidade da mulher e cuja residência principal é o
oceano, a cerimônia do mestre (Hougan) ou da amante (Mambo) pede-lhe
para repetir: " Mamui Ata " que quer diga: "Eu abro as pernas" para manter
por um momento o que a Deusa semeou. Ao longo do tempo, a deusa
"Amuia Ata" foi nomeada e com sucessivas deformações fonéticas o nome
" Mamui Ata " tornou-se " Mami Wat ".

Dan : Para Fon, Dan significa a cobra , especialmente a pitão , um animal


sagrado que não deveria ser morto. Dan participou da criação e apoia o
universo. Sua adoração é especialmente difundida em Ouidah e sua região,
onde há muitas casas com cobras.

Práticas de adoração e voodoo em África [ editar] alterar o


código ]
Voodoo vem da África Ocidental, mas voodoo também é praticado onde os
escravos africanos foram deportados, como em algumas ilhas do Caribe ou
em alguns países americanos, como Brasil, Estados Unidos, México, etc.

As práticas de Voodoo fora do continente africano são muitas vezes


variantes e restos da religião original. Na verdade, os escravos que estão
proibidos de praticar suas línguas e cultos conseguiram manter apenas uma
pequena parte do seu patrimônio cultural.

Como as línguas crioulas faladas pelos descendentes de escravos ao redor


do mundo, o voodoo dos "novos mundos" são misturas entre diferentes
religiões de origem africana (voodoo ou não) e as de sociedades de
escravidão.

A brutalidade sofrida pelos escravos para criar um clima constante de


"choque" entre os cativos é, sem dúvida, a raiz do uso freqüente do "terror"
e da vingança vudu encontrada em profissionais descendentes. escravos,
que usaram essa religião em resposta a atos de crueldade que eram difíceis
de conceber, cometidos por seus mestres europeus.

Uma estratégia de "terror por voodoo" usado contra os opressores e


transmitida de geração em geração, especialmente entre colonos brancos,
terrores que finalmente se encontraram nos roteiros de filmes de estúdios
de Hollywood, por exemplo, que amplamente disseminados em grande
escala, isso Imagem negativa e guerreira do vodu.

Inspiração Voodoo [ editar | alterar o código ]


A religião vodu tem sido reprimida e demonizada há muito tempo. Os
clichês, os lugares comuns e as fantasias transmitidas pelo passado ainda
são perceptíveis.Assim, quando se diz ser inspirado pelo voodoo, muitas
vezes encontramos o satanismo , o canibalismo , a feitiçaria e
os enamorados , as destruções ... O objetivo que melhor representa essa
percepção do voodoo é a boneca vudu , instrumento mágico de tortura.

A lista abaixo é uma imagem voodoo popular: uma mistura de preconceitos


e inspirações mais realistas.

Cinema [ editar | alterar o código ]


Voodoo inspirou um grande número de filmes. Por exemplo:
 White Zombie , 1932, de Victor Halperin , com Bela Lugosi - o primeiro filme
sobre zumbis .
 Voodoo ( eu andei com um zumbi ), 1943 , de Jacques Tourneur - o clássico
do gênero.
 The Divine Horsemen (The Living Gods of Haiti), 1953 , de Maya Deren .
 The Darkness Reach , 1987 , de Wes Craven .
 Angel Heart , 1987, de Alan Parker , com Mickey Rourke , Robert De
Niro e Lisa Bonet - localizados em Nova Orleans , onde as práticas do
voodoo foram realmente exportadas.
 Welling wall 3 , 2000 , de UNCorporated - filme de arte (encontro entre
voodoo e prática de instalação).
 The Door of Secrets , 2005, de Iain Softley , com Kate Hudson , Gena
Rowlands , John Hurt .
 Miss Shumway lança o feitiço de Claire Deploe após o romance de James
Hadley Chase
 Jogo infantil , de Tom Holland , 1988, com Brad Dourif .
 Homens e deuses , de Anne Lescot e Laurence Magloire , 2002.
 Meia-noite no Jardim do Bem e do Mal com Kevin Spacey, Jude Law, Irma
P. Hall
 Viva e deixe morrer com Roger Moore e Jane Seymour
 Encontro com Joe Black com Brad Pitt, Claire Forlani , Anthony Hopkins
 A princesa e o sapo
 Predator 2 , 1990, com Danny Glover

Veja também : A Zombies Movie List .

Literatura alterar o código ]

 Henry S. Whitehead, Zombie , The Lips , fantástica notícia da possessão


vudu.
 William B. Seabrook, The Magic Island (1929), um livro que transmite
fantasias voodoo.
 Maryse Condé , Me Tituba, bruxa negra de Salem , Gallimard, 1982, conta a
história de um escravo negro das Antilhas iniciado à magia, revendido e
levado a Salem durante a caça às bruxas .
 Jean Métellus , a maioria das cujas coleções de poemas são fortemente
tingidas de vodu, como: The Pilgrim Gods , Janus, 2004, Men of the Wind ,
Southern News, 1981, reeditado em 1992 e Voyance , Hatier, 1984 e
reimpressão, Clairvoyance e outros poemas , janus 2005
 Rene Depestre , Hadriana em todos os meus sonhos , Gallimard, 1988.
 Patricia Geary, Funny Toys , Denoel, coll. Presença do fantástico.
 Tim Powers , On Most Ignored Seas , 1987.
 William Gibson , autor da ficção científica / cyberpunk, incorpora referências
para lwas Voodoo-Ougou Feray, Legba - em suas novelas Comte
Zero e Mona Lisa explodiram .
 Dean Koontz , The Curtain of Darkness (Voodoo Scare Policeman)
 Laurell K. Hamilton, o cadáver de rir em que a senhora é uma grande
sacerdotisa vodu.
 Dany Laferrière, país sem chapéu , edição The Plumed Serpent, 1997.
 Laurence Lefebvre, Habanera , Éditions Ex Aequo 2009. Este romance trata
de diferentes aspectos da adoração vudu no Oceano Índico e, em particular,
da Ilha da Reunião, e contém uma bela descrição da cerimônia do Voodoo.
 Kathy Reichs , The Bones of the Devil , Editions Robert Laffont 2009 (Devil
Bones) aborda diferentes aspectos dos chamados cultos ocultos, na maioria
das vezes através da ignorância.
 Ian Fleming , Live and Let Die , Éditions Bragelonne (1

vodu
Voodoo (ou voodoo, ou voodoo) é uma religião originária do antigo reino
de Danhome (África Ocidental). Ainda está amplamente difundido no
Benim e no Togo, como no famoso m ...

http://fr.wikipedia.org/wiki/Vaudou

Magia (sobrenatural)
Para artigos homônimos, veja Magic .

A magia é uma arte baseada na crença na existência de


seres sobrenaturais ou poderes e leis naturais escondidas para atuar no
mundo material através de rituaisespecíficos.

Em muitas culturas , os meios utilizados pela magia como uma ciência


oculta se opõem às religiões estabelecidas, bem como ao raciocínio
científico . As evoluções do conhecimento científico , que dão explicações a
fenômenos como o relâmpago , os movimentos de planetas ou reações
químicas , gradualmente se opuseram à crença na magia [ref. necessário] .

resumo

Descrição [ editar | alterar o código ]


Etimologia alterar o código ]
A palavra francesa "magia" vem da magia latina , derivada do grego μaγεία
( mageia ), "religião dos magos persas", "feitiçaria 2 ".
Para subir mais alto, devemos ir para a Pérsia. A palavra maguš 3 , "mago"
no velho persa , é visível pela primeira vez em uma inscrição gravada em
515 aC. BC a Behistun (antiga Pérsia, atual Irã), nas façanhas de Dario I, rei
da Pérsia, que derrubou em 522 aC. Gaumata, um mago mediano que se
proclamou rei do império persa."Dario, o Rei, disse:" Então havia um
homem, um mago, chamado Gaumâta ". 4 Em persa, a mag significa
"ciência, sabedoria". Heraclitus (cerca de 500 aC) é o primeiro a usar a
palavra, enumerando "os sonambulistas, os magos (μάγοι), as cantantes
[iniciadas para Dionísio], as maenadas [iniciadas em Dionísio] e a iniciado
" 5 .Heródoto , por volta de 420 aC AD, especifica o significado: "As tribos
lideradas são: Bouses, Parétacènes, Strouchates, Arizantes, Boudiens,
Mages (μάγοι)» 6 . Na verdade, os Magos formam a casta sacerdotal dos
Medos 7 , pois os Brahmanes são a casta sacerdotal dos índios. Alguns
Magos são sacerdotes. Eles têm várias funções: interpretar sonhos, praticar
a adivinhação, sacrificar ao Sol, à Lua, à Terra, ao Fogo, à Água e aos
Ventos, cantar a teogonia, participar do poder político, fazer sacrifícios reais,
execute ritos funerários. Como mostra uma mostra de Kizkapan, eles usam
uma gola que cobre a boca, eles oficiam em um altar de fogo. A palavra
"mago", portanto, existe no Ocidente desde o século V aC. AD ..

Em meados do século IV aC A palavra Mageia ( magia latina) é usada pelos


gregos como uma doutrina da Pérsia, especialmente com Zoroaster (cerca
de 590 aC?). Entre os Mages Persas (e não mais liderados), ou os
sacerdotes de Zoroastro, os mais famosos são: Ostanès Mage 9 e
Hystaspe, que teriam vindo ao Ocidente já em 480 aC. Teriam
acompanhado Xerxes I , rei da Pérsia, em plena "guerras medianas", até
Abdere 10 .

Mágico latino aparece a partir de 506 no Conselho de Agde 11 .

Definições alterar o código ]


A palavra "magia" às vezes significa uma técnica (as artes mágicas), às
vezes processos, operações, às vezes uma ação, um efeito, mas não é tão
embaraçoso. Por exemplo, a magia de Merlin diz respeito à arte mágica
(arte oculta: Merlin sabe e pratica processos ocultos para produzir efeitos
maravilhosos), ou processos mágicos (técnicas ocultas: Merlin usa fórmulas
secretas) ou efeitos mágicos. (poderes misteriosos: Merlin torna invisível).

Apuleius : "A magia é a ciência da piedade e do divino (...). Os meus


opositores, no entanto, podem adotar a vulgar sensação de que o mago, em
comunidade com os deuses imortais, tem o poder de fazer tudo pela virtude
misteriosa dos encantamentos.

Helena Blavatsky : "A magia, considerada ciência, é o conhecimento dos


princípios e a maneira pela qual a onisciência e a onipotência do Espírito e
seu controle sobre as forças da natureza podem ser adquiridas pelo
indivíduo enquanto que ele ainda está no corpo. Considerada arte, a magia
é a aplicação deste conhecimento para a prática " 13 . "A magia é a ciência
da comunicação com os eternos poderes super mundanos e sua direção,
bem como o comando daqueles dos poderes pertencentes às esferas
inferiores; conhecimento prático dos mistérios escondidos da natureza
conhecidos apenas por pequenos números, porque é muito difícil adquiri-los
sem cair em pecados não naturais " 14 .

Aleister Crowley : "A magia é a ciência ea arte de fazer mudanças de


acordo com a vontade" 15 .

Papus : "A magia é o estudo e a prática de lidar com as forças secretas da


natureza" 16 .

Pierre A. Riffard : "A magia é a ação efetiva em um objeto real ou mental,


por fala, gesto, imagem ou pensamento, independentemente das categorias
de ser (espaço, tempo, causalidade), mas de acordo com correspondências
analógicas (por exemplo, vermelho = ferro, terça-feira) ou mecânica
[vermelho → excitação, amadurecimento] "17 .

Definição do dicionário Hachette : "Ciência oculta que permite obter efeitos


maravilhosos usando meios sobrenaturais. A idéia de magia requer admitir
a existência de forças sobrenaturais e secretas, restringir os poderes do céu
ou da natureza, recorrer a meios de ação que não são religiosos nem
técnicos, mas oculto.

Mentire, mago, mago são distinguidos.

1. O mago é um homem sábio, que conhece os segredos da natureza (os


Magos).
2. O mago é um praticante, ele percebe maravilhas; na década de 1760, foi
dito que o conde do mago de St. Germain , porque, supostamente, ele vivia
desde o tempo de Jesus, não comeu, criou pedras preciosas, retirou as
manchas de diamantes, transmutou os metais em ouro ...
3. O mago é um praticante sábio, ele é ao mesmo tempo erudito como mágico
e hábil como mágico; No século XIX, Helena Blavatsky e Papus foram
consideradas magias.
4. O feiticeiro (em feiticeiro inglês) procura prejudicar, por várias técnicas
mágicas."O poder do mágico é maravilhoso, o do mago diabólico e
infernal" 18 .
5. O mago negro se prejudicaria, por causa de sua presença ou poderes
supostamente malignos.

Outras pessoas fazem "milagres", mas de outra forma. O conjurador e


o fakir usam a ilusão; o meio e o prodígio têm um presente; O santo e o
místico contam com Deus.

Fatores práticos da ação mágica [ editar | alterar o código ]


Esta seção precisa ser reciclada . É necessária uma reorganização e
esclarecimento do conteúdo. Discuta áreas para melhoria na página de
discussão .
A prática da Magia baseia-se na crença de que o espírito humano é todo-
poderoso em todo o mundo em torno dele e que um pensamento
determinado, bem focado e bem focado pode ser realizado, influenciando
coisas e seres [ ref. necessário] . Mas como essa realização de pensamento
pode ser possível? De acordo com as mentes materialistas e a maioria dos
estudiosos [Quem?] , Este é um fenômeno fisicamente impossível e falta de
fundamentos científicos. De acordo com os magos [Quem?] ,
Um poder ou força secreta serviria de mediador entre o mundo mental e o
plano da realidade física. A magia é, de fato, apresentada por seus
seguidores como o uso de um poder ou uma força para influenciar um
determinado alvo (o próprio praticante, um terceiro, uma comunidade, uma
coisa). [Ref. necessário] Os seguidores da Magia
Ocidental [Quem?] contemporâneo definem assim o papel das práticas
mágicas: colocar em ação essa famosa força ou poder para influenciar o
destino de um alvo.[Ref. necessário] A conexão pode ser facilitada por
acessórios, como incenso ou ingredientes.

De acordo com algumas teorias mágicas [quais?] , O operador deve


estabelecer uma conexão psíquica com o alvo de sua ação. Ele deve então
imaginar esse alvo na situação que ele quer ver acontecer. Tudo isso é feito
por concentração e visualização mental, mas os magos também se ajudam
a falar (então chamado de "encantamento"). No entanto, o ser humano não
pode ficar focado no mesmo objeto há muito tempo.Para remediar isso, os
mágicos usam um objeto mágico (chamado "testemunhas"), que é
encenado em um ritual e cuja função é facilitar a conexão em questão,
ajudando o praticante a se concentrar em seu alvo. e sobre o efeito que ele
deseja, por outro lado. Existem dois tipos de testemunhas: as testemunhas
de ação (representações do efeito desejado, da situação como se gostaria)
e os testemunhos-alvo (representação do indivíduo alvo ou da comunidade).
Ambos são parte dos fatores básicos da ação mágica.

As testemunhas de ação, cuja função é ajudar o mágico a se concentrar no


efeito desejado, mergulhar em seu desejo, podem ser
desenhos, símbolos (astrológicos ...), incenso , velas de certa cor, óleos ...
tendo correspondências de tipo analógico, arquetípico , com o efeito
desejado.

No caso de um feitiço de amor, o testemunho de ação pode ser: o desenho


de um coração, o símbolo do planeta Venus (porque está associado à
astrologia com o amor), de incenso de rosa (porque a rosa é
tradicionalmente associada à noção de amor), óleo essencial de rosa, uma
ou mais velas vermelhas (esta cor está associada à paixão), etc. As
correspondências podem ser aplicadas até a quantidade de velas: os 15
serão aqui de rigor, porque este número é, em numerologia , o sinal do
amor. Em suma, uma testemunha de ação é a representação simbólica
e arquetípica do efeito desejado. [Ref. requerida]
Princípios teóricos da ação mágica [ edit | alterar o código ]
Como qualquer tradição humana, a magia tem aspectos teóricos. Deve-se
notar a este respeito que a separação entre magia e ciência é recente e que
muitos cientistas líderes também eram "mágicos" que aplicavam suas
mentes à magia como faziam em obras agora reconhecidas. como
cientista. haverá semelhanças.

Magia oriental - Mesopotâmia, egípcia, iraniana - explica seus efeitos pelo


arquétipo, o modelo divino ou cosmogônico. Em seus olhos, para agir
magicamente, é preciso fazer o que os deuses fazem ou fazem como era
originalmente. Os deuses são exemplos, criadores, poderosos, as origens
são momentos fortes, eles concentram poderes ideais, possibilidades. É,
portanto, mágico, por identificação, analogia. Muitas vezes lemos sobre o
papiro egípcio ou grego-egípcio 20 : "Eu sou Isis", "Eu sou Osiris".

Bôlos de Mendès , o primeiro dos ocultistas, explica magia por "simpatias e


antipáticas" e por "virtudes ocultas". Segundo ele, a salamandra e o fogo
estão em simpatia, o galo e o leão na antipatia, em inimizade; os restos de
uma cobra têm a maravilhosa propriedade de promover a menstruação.

Pic de la Mirandole , em neoplatônica, explica a magia através do amor. "As


maravilhas da arte mágica são realizadas apenas através da união e
atualização de coisas que são latentes ou separadas na natureza. (...) Fazer
magia não é mais do que casar com o mundo ( Magicam operari no é aliud
quam maritare mundum ). Assim como o videologista enxerta a videira em
um abalone, o mágico liga o inferior ao superior, o material ao divino, no
plano do oculto, o latente, o seminal. Para fazer um talismã é necessário
vincular o sinal gravado ou inscrito a um espírito planetário, a uma
das sefirot da árvore dos cabalistas.

Paracelso explica a magia do astral, tanto os corpos siderais quanto os


corpos astrais ( corpus sidereum ), por outro lado, explica pela vontade e
imaginação do mago. "O espírito sideral" é a luz que se aplica à nossa
mente tanto quanto a razão universal."Mesmo coisas insensíveis, plantas,
sementes, frutas, pedras, etc., todos têm um corpo astral", este é um "íman"
que atrai "influxo sideral", um "motor" que dá vida e espírito no corpo
elementar 23 . O mago sabe como capturar e dirigir "forças celestiais",
"poderes astrais" em objetos terrestres, mas também usar
imagens, letras , números , palavras, sons . O pensamento de Paracelsus,
no entanto, continua a ser difícil de entender.

Agrippa de Nettesheim , Giambattista Della Porta , Swedenborg , a maioria


dos autores explica a magia pelas analogias e correspondências 24 para o
lado abstrato, pelos links ou as falhas para o lado concreto. Esta é a famosa
noção de "ligadura" (aperte um link, faça um nó). Esta é uma ideia mágica
de todos os tempos e de todos os lugares. Exemplo: há, de acordo com o
mago, uma analogia, uma semelhança, uma metáfora, uma relação entre
amor e um elo, um nó, uma seqüência, portanto, para criar um amor
mágico, o mago fará um nó. A analogia criará o link. Receita do quarto
século : "Incrível charme para amarrar uma mulher amada. Faça 365
nós. Receita de 1997: "Para atrair o amor. Em uma fita vermelha, você
escreverá seus dois nomes com o sangue de um deles. Vincule a fita para
que os nomes sejam associados 25 . A ação mágica transfere para duas
pessoas o poder do nó em duas cordas, a de unir, de unir.Um mago, por
outro lado, examina, sabe, por outro lado, manipula, transfere as
equivalências simbólicas.

Franz Anton Mesmer (1766) e todo o movimento do magnetismo


animal explicam por um "fluido magnético universal", ou mais prosaicamente
por eletromagnetismo.

Eliphas Levi explica com vontade 26 . "Para saber, para ousar, querer ficar
em silêncio, estes são os quatro verbos do mago (...). Desejar, longo,
desejar sempre, mas nunca desejar nada, é o segredo da força; e é este
arcano mágico que a Copa coloca em ação na pessoa dos dois cavaleiros
que vêm entregar Renaud e destruir os encantas de Armida. (...) O que fez
a Juana de Arco sempre ser vitoriosa foi o prestígio de sua fé. "

Frazer , etnólogo inglês, explica por associações de ideias 27 . "Os homens


confundem a ordem de suas idéias com a ordem da natureza e, portanto,
imaginam que o controle que exercem ou parecem exercer sobre seus
pensamentos lhes permite praticar um controle correspondente sobre as
coisas. Frazer distingue, em sua análise de magia, três leis, que procedem
por associações (semelhança, contiguidade, contrariância). Primeira lei,
semelhança, simpatia por imitação: "Todos gostam de chamar o gosto, ou
um efeito é semelhante à sua causa"; por exemplo, a técnica de lançamento
de feitiços envolve o piercing de uma boneca com uma agulha que imita a
pessoa que quer machucar. Segunda lei, contigüidade, simpatia por
contato, contágio: "As coisas que já estiveram em contato continuam a atuar
umas nas outras, mesmo que esse contato tenha cessado"; por exemplo,
um mágico pode machucar uma pessoa ao trair as pegadas deixadas por
essa pessoa. Terceira lei: "o oposto age pelo contrário"; por exemplo, para
contrariar uma lesão, pode-se trazer o seu oposto na forma de uma imagem
de cura.

Mikhael Aivanhov , um mestre espiritual búlgaro, explica pela aura 28 . "Ser


um mago é criar. O verdadeiro mago é cercado por um círculo de luz, sua
aura, aquele halo de luz invisível que emana dele e que ele formou através
de seu trabalho espiritual e da prática das virtudes. Para criar, o mago usa
os mesmos meios que o próprio Deus: projeta uma imagem ou pronuncia
uma palavra que cruza sua aura, e é a aura que fornece o material para a
manifestação. Existem três grandes leis mágicas: 1) a lei do registro, 2) a lei
da afinidade, 3) a lei do choque de volta 29 . "

[estilo a rever]
Operação [ editar | alterar o código ]
Cada tradição ou cultura tem suas próprias definições de categorias
mágicas.

Intenção: magia negra, magia branca alterar o código ]


Já Santo Agostinho distingue na magia uma forma "mais detestável", o
gosto (feitiçaria) e uma forma de "mais honrosa" teurgia. Desde o final da
Idade Média, cerca de 1450, 31 cientistas distinguiram dois tipos de
práticas, de acordo com seus objetivos morais: magia
negra (" nigromancia ") e magia branca (" mageia ").Anteriormente vimos
em cada magia do mal e do bem. Os estatutos de Narbonne (1638) expõem
a seguinte sequência, diminuindo em valor: magos, adivinhos, feiticeiros,
feiticeiros.

 A magia negra tem efeitos negativos devido ao mago, a sua pessoa e


feitiçaria ter metas conscientemente maléficas e intencionalmente significa
negativo ("diabolismo"). Os feiticeiros e bruxos escuros são considerados
prejudiciais para a sociedade, envenenam, enfeitiçam, maldições,
convocam demônios ou demônios, 32 usam figuras de feitiço, aninham as
agulhas (causam impotência sexual) causar secas ou tempestades, etc. Em
1317, o bispo Hugues Géraud de Cahors foi condenado à estaca por ter
tentado matar o papa João XXII com imagens de cera.
 A magia branca, diz respeito ao uso da magia para fins altruístas, ou
preventiva ("magia azul"), com meios quase sempre positivos,
benéficos. Ele cura, protege, exorciza, fortalece, reconcilia ... Invoca os
"bons espíritos", Deus ... e não os maus demônios.

A magia negra / distinção mágica branca quase se sobrepõe à distinção


entre magia ilícita ( ars prohibita ) e magia legal, mas também a distinção
entre magia diabólica (que depende da ajuda de demônios ruins) e magia
natural (com base em um arranjo adequado de causas físicas). J. Pic de la
Mirandole diz sobre esta última distinção: "Há uma magia dupla. Um é
inteiramente a atividade e a autoridade dos demônios (...). O outro não é
senão a conclusão absoluta da filosofia da natureza ( exacta et absoluta
cognitio omnium rerum naturalium ) 33 . "

De acordo com a Bíblia satânica , não existem duas formas de magia: a


magia não é maniquecida com um bem e o outro não. De acordo com Anton
Szandor LaVey, há apenas uma mágica, mas várias maneiras de usá-la:
assim, algumas as usarão para punir e outras para curar.

 A magia vermelha faz sua aparência - pelo menos o termo - por volta de
1840 34 .A maioria das definições de magia vermelha associam-na com
sexualidade, amor, sedução e prazer amoroso ou carnal.
 A magia verde só diz respeito à ordem vegetal natural (mesmo animal, se
os animais são selvagens).
 A magia azul às vezes se refere a toda a magia da proteção.
A Igreja Católica não distingue entre diferentes magias, elas estão todas
associadas a demônios de forma mais ou menos explícita.

No Tibete , a religião de Bön e seus seguidores de Bön-po foram versados


em magia negra e magia branca. A magia negra é um dos temas
de Milarepa: The Way to Happiness . Atualmente, o Bön-po só praticaria
magia branca.

Método: Magia Operativa, Magia Natural [ editar | alterar o código ]


Uma segunda oposição coloca duas magias cara a cara, um ritual, a outra
física: magia operativa e magia natural. Agrippa insiste nessa distinção.

 A magia ritual, no nível mais simples, é uma magia operativa, isto é, feita de
atos pensativos e eficientes. É suficiente emitir um som , colocar um objeto
perto de outro ... Também precisa de algumas condições, as mais
importantes são, diz-se, "o respeito escrupuloso das regras" e "a força
magnética do operador ". Essas condições já são tão difíceis, que qualquer
falha na magia acaba sendo explicada!Se acrescentarmos a escolha do
momento certo, o lugar dedicado, o objeto apropriado, a magia torna-se
quase impossível. O rito do círculo mágico é famoso 36 . O mago, com uma
espada ou uma varinha, traça em volta dele um círculo, para proteger-se de
influências negativas, fora e para atrair poderes positivos para dentro. Os
ritos mágicos mais comuns são, quanto à função, os ritos de reforço do
poder, de proteção, de cura, de adivinhação e para a forma, os
encantamentos, os gestos, os sacrifícios ... Os grimoires , a maçonaria
Ocultismo, os Rosicrucianos, o Golden Dawn oferecem aos seus seguidores
rituais muito complexos.
 A magia natural é quase uma ciência comum. Os fatos sempre
existiram.Anthème de Tralles, no século 6, sabia, tecnicamente, para criar
trovões. A noção aparece apenas em 1230, graças a Guillaume
d'Auvergne 37 e Roger Bacon 38 e a outros autores. Della Porta, tanto um
mago como um físico, define-a como: "Natural ... essa magia, dotada de um
poderoso poder, abunda em mistérios escondidos e dá a contemplação de
coisas que se deitam sem serem apreendidas, e a qualidade, propriedade e
conhecimento de todos os tipos como o cume de toda filosofia. Em outras
palavras, é ciência física, mas trata de fenômenos que não são bem
conhecidos, ou que criam fenômenos que parecem milagres sem serem,
por exemplo, os incêndios dos gregos, a atração de ferro pela Ímã,
monstros, ilusões de ótica, conjuração. O antigo Claude Elien deu a chave:
"A natureza também é mago 39 . "

Uso: magia médica, magia de adivinhação ... [ editar] alterar o código ]


Existem diferentes tipos de magia:

 Magia de caça. É mágico para a caça.


 Adivinhação mágica. A magia e a adivinhação foram confundidas até o
início do século XIII, então foram distinguidas, mas podemos juntá-las,
quando se trata de questionar o passado, o futuro, os segredos, os
esconderijos. O caso mais violento é a necromancia, onde o mago
questiona uma pessoa morta. O caso mais elevado é theurgy, quando o
mago questiona um deus ou um anjo; John Dee, com um meio, praticou
"conversas angélicas" (1581): "Edward Kelly é um vidente de alta
qualidade. Ele invocou e falou com Uriel, um dos Sete Anjos. Ele ora
primeiro comigo o Senhor, então invoca o Anjo Bom, escuta suas palavras e
responde 40 . "
 Magia erótica ou mágica sexual (in) ou magia vermelha. Os meios
tradicionais são bem conhecidos, pelo menos em teoria. Já Sophocles as
cita: "Se, por meio de philtres e encantos tocando em Herakles, eu peguei a
garota, vou ter conduzido meu plano com a arte". Ervas e
encantamentos. Mas outros meios estarão disponíveis, como a magia da
aproximação, a magia de contato que permite atuar sobre um objeto que
pertence à pessoa desejada, perfumes, visualizações, rituais ...
 Magia iniciadora. Desde a pré-história, existem iniciações onde se transmite
um instrumento, uma técnica, um conhecimento mágico ou que dá a
iniciação graças a operações mágicas, como a evocação de um mestre
falecido, o uso de um talismã.
 Magia médica. O primeiro uso da magia era provavelmente
remédio. Quando todos os meios comuns falham, como não podemos
pensar em magia? Nós, então, somos prejudicados pela escolha dos meios:
pedras ou plantas ou animais mágicos, fórmulas ou gestos mágicos, de
mãos dadas, tranças mediúnicas, orações ... E os especialistas são
multidões: curandeiros ,
boneters, radiesthesists, magnetizadores , xamãs ...

Suportes externos: plantas, estrelas, números, símbolos ... [ editar | alterar o


código ]
Um texto mágico grego já aponta para o assunto: "Em plantas, fórmulas e
pedras, toda arte e favor e o poder mágico do efeito desejado
residem". Marsilio Ficino faz uma lista das sete coisas que podem atrair
influências celestiais, de acordo com os planetas, começando com os
apoios externos, físicos: Lua (pedras, metais, etc.), Mercúrio (plantas, frutas,
animais), Venus (pó, vapores, cheiros), Sol (palavras, músicas, sons), Marte
(emoção, imaginação), Júpiter (razão), finalmente Saturno (contemplação
intelectual, intuição divina) 43 . Ele recomenda "emoções, canto, cheiro e
luz" para capturar as divindades planetárias.

 Coisas mágicas. Para um mago como Henri-Corneille Agrippa , o mundo


"elemental", o dos quatro ou cinco elementos (Terra, Água, Ar, Fogo, Eter),
é inferior, mas "é governado pelo seu superior e recebe suas influências, em
de modo que o Arquetipo e o Criador-Trabalhador soberano nos
comuniquem as virtudes de sua onipotência por anjos, céus, estrelas,
elementos, animais, plantas, metais e pedras. A magia elementar é sobre os
Elementos, a magia astral sobre os "espíritos planetários" (os de Vênus,
Marte, etc.) ... As relíquias dos santos, desde o século 6. é suposto ter
presentes milagrosos 45 , seus túmulos também 46 .
 Fumigações e perfumes. Incenso, cheiros, etc. atrair ou repelir forças
naturais ou "espíritos". De acordo com o Picatrix (I, 2), "as fumigações dão
forças e atraem mentes para as imagens", imagens mágicas.
 Números mágicos. Desde Pitágoras, os magos distinguem suportes
inteligíveis (sons, formas, princípios) e suportes sensíveis (letras do
alfabeto, figuras geométricas, números) 47 e acreditam que os números são
princípios de organização, forças . Há também quadrados mágicos ou
tabelas de letras mágicas, às vezes associados a planetas às vezes com
forças terrestres ( magia Henokian )

 Sinais mágicos. Para o pseudo-Paracelso do Archidox Mágico , "Os


personagens [escrituras e símbolos ocultos], as palavras e os selos
[imagens astrológicas] têm em si uma força que não é de modo algum
contrária à natureza e não tem relação com superstição 48 . "

Jean Pic de la Mirandole menciona "palavras e palavras", "números",


"letras", "personagens, figuras", música 49 . O mago geralmente desenha
"imagens sagradas", "imagens divinas". Estes são símbolos gráficos (como
o pentagrama), "personagens" (letras ou hieróglifos, "selos planetários"),
símbolos, "quadrados mágicos", talismãs ou amuletos; Para o mago, agir
sobre essas figurações de forças é agir sobre as próprias forças
figurativas. O mago mesopotâmico ou egípcio, por exemplo, derrama água
em uma estátua coberta de inscrições mágicas: a água leva os
personagens e será usada como bebida, como medicina ou poção. O uso
de figuras, desenhos é bem conhecido.Qualquer representação de um
mago mostra com a figura de um pentagrama ou selo de Salomão . Uma
cúpula da magia das imagens é "a arte notória ", desenvolvida nos
séculos XII e XIII : o sujeito, geralmente um monge ignorante, "em jejum e
oração", contemplou por muito tempo figuras geométricas ("notas") que
representam uma ciência, e ele contou com a possibilidade de adquiri-lo,
por magia de contágio.

Suportes internos: fala, gesto, imaginação, irá [ editar | alterar o código ]


O mago pode atrair uma força mágica de maneiras diferentes:

 A palavra mágica é suposto ser eficaz desde que você conheça a


entonação correta e as palavras mágicas ( voces mágicas ). A palavra
mágica é, na escolha, uma oração, um encantamento, uma fórmula,
"palavras bárbaras" 51 , o nome de um anjo, uma invocação, uma
onomatopéia, uma sucessão de vogais ... Os magos citam a palavra bíblica:
"Isso a luz seja ", ou a fórmula da consagração romana Se fas é (" se é
permitido ", de acordo com as leis divinas ou com as leis naturais).
 O gesto mágico é um ato supostamente efetivo, especialmente o
sacrifício. O gesto mágico muitas vezes requer instrumentos. Os mais
conhecidos são a varinha mágica, o espelho mágico, o caduceu de Hermes,
a estrela flamejante.Devemos adicionar objetos mais comuns, como velas
litúrgicas, copos de água lustrais.
 A imaginação mágica, através de visualizações, simbolizações, sonhos,
fantasias, poesia, é suposto mudar as coisas. O mago não inventou uma
imagem, ele encontra na mente a imagem verdadeira das coisas, por
exemplo, para o homem, o de um pentagrama, para o planeta Saturno, o de
um homem velho. O papel da imaginação foi enfatizado por Marsile
Ficin 52 , Paracelsus.
 A vontade mágica é uma força tão real como a vontade física ou o
vapor. Magia, diz o iluminista Jacob Böhme 53 , "não é em si nada além de
uma vontade, e essa vontade é o grande mistério de cada maravilha e todo
segredo: é efetuado pelo apetite do desejo do mundo. ser. Pensar unir algo
a alguma coisa, de acordo com sua vontade.

Suportes Espirituais: Angelologia, Demonismo, Shamanismo, Theurgy


[ editar] alterar o código ]
Quando o mágico não tem poder suficiente ou se os itens mágicos não são
suficientemente poderosos, ele pode invocar espíritos para ajudá-lo em sua
tarefa, benéfica ou má. Assim, ele pode invocar demônios, incubus e
succubes (demonios sexuais), espíritos da natureza, almas das mortas,
fadas, anjos ou mesmo deuses.

Os magos às vezes usam um assistente mágico, chamado "paredre", que é


um demônio, um deus, um gênio, um espírito, a alma de uma pessoa
morta. "Nós adquirimos um demônio como assistente: ele vai contar tudo,
ele vai viver, comer e dormir com você". "

 Angélologie . Alguns magos dizem que agem graças aos anjos, cujos
nomes ou "personagens" (glifos, sinais) representam; eles saberiam como
convocá-los e ordená-los. Um cabalista cristão, Johannes Reuchlin 55 , fala
dos 72 anjos que "têm poder sobre toda a terra" e cada um tem um Nome
Secreto correspondente a um poder de Deus ( Schemhamphoras ); ele
acrescenta outros nomes: Metraton ("príncipe do universo"), Raphael
(governador do Ponant), etc. Observe uma forma mais controversa de
angelologia / angiologia chamada "Henoken magic" 56,cujos especialistas
não sabem como funciona e o que exatamente pensar sobre isso; de
repente apareceu no século XVI na Inglaterra, os manuscritos deste sistema
mágico afirmam que o schemamphorash anteriormente citado seria uma
versão degradada desta assim chamada magia "Henok". Os espíritos que
deram o ditado dos manuscritos se apresentam como anjos e explicam que
também há demônios cujos nomes e funções dão, bem como os de seus
oponentes angélicos.
 Demonismo . O uso de espíritos malignos ("magia demoníaca") através de
invocações ("goetia") ou ritos ("magia baixa") é assustador. No entanto, isso
existe e cai sob Satanismo ou magia negra. Mas todos os tipos de
"espíritos" existem, para um mágico, na água, no céu, nos órgãos, em todos
os lugares, podemos evocá-los e obter um resultado. "Um certo Harnouphis,
um mago egípcio da comitiva de Marcus Aurelius, chamado gênios pela arte
mágica, notavelmente Hermes Aerios, e, através deles, provocou, diz-se, a
chuva. Já Platão associa magia e demônios 58 . São Agostinho traz de volta
todos os apoios à ação dos demônios: "Com ervas, pedras, animais, sons e
palavras definitivas, representações e imagens, refletindo os movimentos
das estrelas observados em sua evolução celestial, os homens poderia
fazer em poderes terrestres capazes de realizar os diferentes movimentos
das estrelas ... Tudo isso vem dos demônios que jogam almas sujeitas ao
seu poder "( Cidade de Deus , X, 11).
 Necromancia . Uma classe comum de magia é a magia da morte e das
almas dos mortos. Inclui, entre outras coisas, as mágicas famosas relativas
aos mortos-vivos, os zumbis, os fantasmas.
 Médioismo . O mago pode passar por um meio de transe, um
sonâmbido. Crowley entrou em alta magia usando, no Cairo, os presentes
médios de sua primeira esposa, Rose Kelly.
 Shamanismo . Um xamã, por definição, entra em comunicação com
os espíritos mestres dos animais, que são seus "auxiliares". O primeiro
xamã ocidental, Aristeas de Proconnese (cerca de 600 aC), deveria
"assumir a forma de um corvo 61 "; A lenda faz dele um mágico capaz de
estar em dois lugares distintos ao mesmo tempo (bilocação), que poderia
viver sem comer ( não editado ).
 Theurgy . Não estamos tão longe da angelologia prática. "A teurgia é uma
forma de magia, que torna possível entrar em contato com os poderes
celestiais benéficos para vê-los ou agir sobre eles (por exemplo, obrigando-
os a animar uma estátua, a habitar um ser humano, a revelar
mistérios) 62 . O theurge invoca ou evoca "entidades superiores", arcanjos,
anjos, gentios, espíritos ou deuses ("alta magia"), e ele sobe para eles ou
ele os faz descer até ele ("telestique") por meios espirituais, como a
meditação ou por meios materiais, tais como ervas, música, rombo. Theurgy
estava presente entre neoplatônicos como Jamblique e Elus Coens
(ver Martinismo ).

Em suma, a magia que invoca demônios ou demônios demoníacos é goetia,


aquele que invoca anjos ou deuses benéficos é a teurgia; ambos formam
"magia cerimonial" 63 . "

Muitas vezes, todos os apoios intervêm. Esse é o "ritual do chamado das


forças"."Você deve primeiro obter uma folha de pergaminho animal
[símbolo] na qual você escreve seu pedido. O ritual será realizado na lua
ascendente [estrela], quer na oratória, quer ao ar livre [condição do lugar], a
noite [condição do tempo]. No altar estão dispostos: o pergaminho envolto
em seda, duas velas litúrgicas [Element Fire], água lustral [Element Water],
uma tigela de terra ou um crânio [Element Earth], incenso em uma queima
Fragrância [Elemento de ar]. Vamos desenhar [expressão por gesto] o
círculo de proteção. Nós tomamos sua faca ritual com um punho preto
[instrumento] e dizemos [expressão por palavra]: Introïbo ad altare
Demiurgi , então lemos os salmos 2, 6, 101, 129 e 142. Imagine [expressão
pela imaginação] então o seu pedido : se queremos dinheiro, vemos pilhas
de belas notas. Chamamos o genio que escolhemos
[demonismo]. Esperamos até sentir a presença da entidade chamada
[expressão por vontade], e, acreditem, nós a sentimos. Nós lemos
novamente o texto do pergaminho e depois recitamos a seguinte
fórmula: Demiurgus Caeli 64 ... "

Theories on Magic [ editar | alterar o código ]


Mágica de acordo com os filósofos [ editar | alterar o código ]
Plotino , no seu tratado 28, explica a magia através de antipatias e
simpatias (como Bolos de Mendes ), amor e ódio cósmico
(como Empedocles ), simpatia cósmica (como
os estóicos ), demônios (como Pitágoras e Xenócrates ) 65 . "Para os atos
de feitiçaria ( goetéia ), como explicá-los? por simpatia, pelo fato de que
existe, por natureza, uma harmonia entre os semelhantes e uma oposição
entre os opostos, pela variedade dos muitos poderes que estão preparados
para realizar a unidade do ser vivo. Além disso, sem que ninguém interveja,
muitas atrações e feitiços ocorrem;porque a verdadeira magia é o amor que
existe no universo e vice-versa odeia. "Esses sábios antigos, que
procuraram assegurar a presença de seres divinos ao erguer santuários e
estátuas (...) entendeu que esta Alma [do mundo], embora esteja presente
em todos os lugares, possa ser capturada a partir de Muito mais facilmente
do que um receptáculo adequado foi fornecido para este propósito, um lugar
particularmente adequado para colecionar parte ou fase, algo que pode
reproduzir ou capturar sua imagem à maneira de um espelho 66 . "

Os humanistas do Renascimento. Os grandes nomes são Marsile


Ficino , Henri-Corneille Agripa de Nettesheim , Pic de la Mirandole . Um
sente que seu conhecimento sobre o assunto é livre.

Marsile Ficin opera uma revolução na história da magia, dando uma versão
subjetiva, completamente espiritual. Limita o poder da magia ao único
espírito do mágico. Como os estóicos e Plotinus, ele pensa que um Espírito
cósmico ( spiritus mundi ), intermediário entre a Alma do mundo ( Anima
mundi ) e o Corpo do mundo ( Corpus mundi ), da natureza do éter, que
"vivifica" tudo, que é "a causa imediata de toda geração e todo movimento",
cruza o todo; o mago pode atrair esse Espírito que pode canalizar a
influência das estrelas, "atrair a vida celestial".

De acordo com Pic de la Mirandole , então com 24 anos, "nenhuma ciência


confirma a divindade de Cristo mais do que a magia e Cabala". Mas ele faz
o esforço para separar a magia natural que é na verdade a palavra
tradicional para ciência ou filosofia, a magia demoníaca que é
rigorosamente condenada. "Eu digo e repito que esse nome de" magia "é
um termo equívoco e significa tanto a necromancia, onde passamos por
pacto e acordos íntimos com os demônios, que a parte prática da ciência da
natureza, que não ensina nada além de realizar obras maravilhosas através
de forças naturais.Neste sentido e sob esta restrição fundamental "Fazer
magia é se casar com o mundo.Para ele, o conhecimento não é apenas
especulativo: leva a ação no mundo. Ele acredita em alguns princípios:
o animismo (tudo está vivo e providencial), latência (o mágico pode
"atualizar ou reunir" com outra força oculta), Deus (todo o trabalho deve ser
relatado ao Criador), analogias. Para Pic, a magia é confiar
na astrologia para ler o Livro da Natureza e a Cabala para interpretar
a Bíblia .

Para Agripa, plantas e planetas têm uma alma racional. As influências vão
do superior ao inferior, verticalmente, como em Platão: Deus, Idéias, Alma
do mundo, Figuras e Números, raios de estrelas, espíritos e almas
humanas, coisas materiais 70 .

Mágica de acordo com antropólogos [ editar | alterar o código ]

 As abordagens evolucionistas e positivistas

Desde o final do século XIX , a magia tem sido pensada por especialistas
nas ciências humanas. Edward Burnett Tylor faz uma diferença radical entre
magia e abordagem. A magia é baseada em "o erro de fazer uma analogia
ideal para uma conexão real", por exemplo, o raciocínio do mago inferior
que o galo canta quando o Sol levanta a idéia de que se o Galo, o sol
aumentará. Em qualquer caso, a magia dá uma explicação do mundo. Em
seu livro The Golden Ram 73 , James George Frazer teoriza a hipotética
passagem da humanidade por três estágios intelectuais: magia, religião,
ciência e, portanto, apropria-se da simplificação "progresso =
racionalização". Frazer distingue esses três estágios e mentalidades de
acordo com a intenção, a racionalidade e a autonomia do agente. A magia é
a fase mais antiga e mais baixa. A magia e a ciência juntos querem a
autonomia do agente e mudam o mundo, mas a magia, ao contrário da
ciência, não é racional, tem princípios muito diferentes. A magia ea religião
admitem a existência de poderes sobrenaturais, mas a magia tem um
propósito prático e quer forçar os poderes sobrenaturais, enquanto a religião
não tem um propósito prático e busca reconciliar os poderes sobrenaturais
(Deus, anjos, demônios ...).

 Abordagens sociológicas

Para Hubert e Mauss 74 , a religião é um sacrifício extremo, enquanto a


magia é um mal extremo; A religião procura o grande dia e o público,
enquanto a magia os foge; A religião se mostra como um "culto organizado",
enquanto a magia é muitas vezes vista como "irregular, anormal e
irreconhecível". O mago tem uma posição social, recebe poderes especiais,
"é, portanto, a opinião que cria o mago e as influências que libera"."E o
mago se engana. Nas formas elementares de religião , Emile
Durkheim separa-se entre magia e religião: individualista e anti-social, a
magia não se presta a manifestações coletivas e é visceralmente
antireligiosa. Mauss, então, concentra sua abordagem no conceito
de mana . "Mana é antes de tudo a ação espiritual à distância que ocorre
entre seres amigáveis. É também uma espécie de éter, imponderável,
transmissível e se espalhando. Mana, além disso, opera em um meio que é
mana. "
Para Lucien Lévy-Bruhl , a magia é uma mentalidade pré-lógica, porque
ignora os princípios da não contradição e da identidade; enfoca a noção
de participação mística , que afirma que "objetos, seres, fenômenos podem
ser eles mesmos e algo diferente de si mesmos", por exemplo, um primitivo
pensa em si mesmo e em seu totem .

 Abordagens funcionais

Para Bronisław Malinowski 76 , a magia é pragmática , responde a objetivos


específicos, especialmente em caso de infortúnio e fracasso, e é
individual. Buscamos sua eficácia e achamos seus fins pelos ritos . A
religião é mais abstrata, desinteressada do que a magia, a magia intervém
onde a técnica falha. A magia como religião tem como denominador comum
a sua função calmante durante períodos de problemas ou dúvidas
psicológicas; no entanto, se os avanços na ciência reduzirão a magia, a
religião continuará a tranquilizar.

 Abordagens estruturalistas

Para Claude Levi-Strauss, 77 a magia não é uma ciência falsa (como diz
Frazer), um pensamento pré-lógico (como argumenta Lévy-Bruhl), mas
outra racionalidade, uma maneira de dar sentido. Ele configura um sistema
de classificação.

A magia pode ser efetiva? alterar o código ]


Ponto de vista historiografia alterar o código ]
Poucos fatos mágicos são atestados. Estes são frequentemente eventos
racontares, mal apresentados ou mal datados. Tome a maldição dos
Templários dos Cavaleiros. A lenda diz que no momento de sucumbir às
chamas, Jacques de Molay lançou uma maldição para o rei e o papa: "Papa
Clemente! Rei Philip! Antes de um ano, eu cito você para aparecer no
tribunal de Deus para receber sua justa punição! Maldito!Maldito! Todos
malditos até a décima terceira geração de suas raças! "A maldição do
Templário provaria: Clement V morreu em 20 de abril de 1314 de sufocação
e Philip the Fair morreu em novembro de 1314 de um acidente vascular
cerebral cerebral; seus três filhos morrerão nos próximos doze anos,
deixando nenhuma prole masculina. Na realidade, a maldição é devido a
uma confusão de Paul Emile no De Rebus Gestis Francorum (1548) com a
maldição de outro Templário. As biografias de Pitágoras , Appolonius de
Tyana , o Conde de St. Germain , Helena Blavatsky , Franz Bardon , o
curador Serge Alalouf , certamente são fascinantes, mas eles são
verdadeiros? E se eles são verdadeiros, eles não são redutíveis a uma
explicação racional (prestidigitação do autor, ilusão do espectador,
mecanismos escondidos, chance ...)?

Abordagem parapsicológica [ editar | alterar o código ]


Alguns "poderes mágicos" são examinados por parapsicólogos, mas não
são muito reproduzíveis e podem ser interpretados de forma diferente. De
qualquer forma, a psicocinese, a influência distante do magnetizador, a cura
paranormal e a eficácia terapêutica da oração nunca foram cientificamente
comprovadas.

Entendimento epistemológico [ editar | alterar o código ]


A magia nunca é verificável e sempre encontra uma justificativa. Se o rito
falhar, o assistente dirá que as condições não foram atendidas.

Visão Sociológica [ editar | alterar o código ]


Mauss 78 acredita em uma "sugestão coletiva". A sociedade tem influência
no indivíduo. A sociedade ou grupo acredita na magia, e o efeito ocorre, por
insinuação.Por exemplo, uma obsessão com a morte, de origem puramente
social, pode levar à morte. Alguns aborígenes na Austrália praticam o
destino do "osso pontiagudo", que é destinado a quem deve morrer com um
osso de comprimento de 15-22 cm, de origem humana ou animal.

Magia no cristianismo alterar o código ]


O Antigo Testamento rejeita as práticas mágicas: "Não permitirás que a
bruxa viva" (Êxodo, xiii, 18). "Você, então, não escute seus profetas, seus
adivinhadores, seus sonhos, seus augurios ou seus mágicos" (Jeremias,
XXVII, 9). A magia é comparada aos sacrifícios de crianças pelo fogo,
feitiçaria, necromancia e atribuído a estrangeiros, egípcios, mesopotâmicos,
persas, cananeus.

No cristianismo, a magia tem uma má reputação. Os governos, de 311 a


361, proibiram a magia, a haruspicina (o interrogatório das entranhas das
vítimas sacrificais para a adivinhação), os cultos sírios. Constantino, em
321, castiga o mero conhecimento de magia, mesmo sem prática. São
Justino ( Diálogo contra Tryphon ), Ambrósio, São Agostinho ( Da doutrina
cristã ), os teólogos condenam, não distinguindo a magia de outras ciências
ocultas e vendo ali um culto de demônios ou heresia. A Igreja também é
grave. O Decreto de Gratian , redigido em torno de 1140 e que reúne mais
de 3800 textos, contém muitas convicções.

De acordo com o Apocalipse, os magos são excomungados de fato; eles


não têm acesso à vida eterna, e vão diretamente ao inferno.

História da Magia Ocidental alterar o código ]


Pré-história e antiguidade alterar o código ]

 Em que ponto na pré-história a magia aparece? Ninguém pode


responder. Pode-se imaginar que houve rituais mágicos durante a
descoberta do fogo (750 000 anos), ou que o homem pré-histórico, o
caçador (125 000 anos), adornou cavernas de representações de animais
para se multiplicar magicamente suas pegadas 80 . O uso de ocre vermelho
(280 000 anos) para armas, para pinturas, para enterros também é uma
pista. "O homem de Neanderthal, de um grau de evolução antes da nossa
humanidade, já mostra a presença do comportamento magico-religioso", de
acordo com o pré-historiador André Leroi-Gourhan. É possível que algumas
figuras pintadas de 33.000 a 10.000 aC. J. - C. são "feiticeiros" (segundo o
abade Breuil), ou "xamãs" (segundo Jean Clottes) 82 .
 No entanto, Marcel Mauss 83 , Marija Gimbutas e Hiramash 56 convergem
para a seguinte hipótese, no todo ou em parte, com base em fatos de cada
um deles: há mais de 25 mil anos, a maioria das sociedades humanas de
natureza matriarcal e os tamanhos desses grupos humanos não excederam
trinta ou quarenta pessoas, o que o cérebro humano pode naturalmente
apoiar e assimilar na sua vida social.Eles também se entregaram
espontaneamente à magia que os seres humanos acreditavam em
uma mãe deusa que criou o mundo (não um deus ), e forneceu o que eles
precisavam através da magia. As pinturas nas paredes eram então fetiches,
então uma cena de caça destinava-se a atrair o jogo na "vida real". Seus
habitats semelhantes a cavernas imaginaram que essas cavernas eram o
"útero" da Deusa Mãe, em que qualquer "semente do desejo" (neste caso, a
pintura que descrevia o desejo) depositada nas paredes levaria a
necessariamente para a realização deste desejo. Então, há 7000 anos, por
razões ainda obscuras de que Hiramash simbolicamente se identifica com o
mito da vitória de Horus (patriarcado) contra Seth (matriarcado), todas as
sociedades humanas se voltam para o patriarcado, com religiões com
deuses governantes e convicção íntima de que o homem é superior à
mulher. Grupos de mais de quarenta pessoas estão se formando para
buscar mais "grandeza", é o nascimento de instituições, igrejas, religiões e
administrações, que Hiramash avança que estão condenados como
sistemas . O sentido de honra aparece, estados, fontes e exércitos, bem
como o mito de uma "tradição mágica primordial" e uma propensão a
desrespeitar a natureza (a Mãe primordial) e a poluição; Todas as
consequências cientificamente avaliadas desta transição são discutidas
em antropologia política .

A magia ocidental não tem dúvida de outras culturas. Os gregos estavam


cientes disso, especialmente quando disseram que Apolônio de Tyana tinha
"visitado os Magos da Babilônia, os Brahmins indianos e os Gymnosophists
do Egito". "

 A magia grega pode começar em Creta com os Dactylas (metallurges), os


Curetes (dançarinos) (cerca de 2500 aC?). Os chamãs gregos são
conhecidos a partir de 600 aC. 85 aC. Os principais documentos sobre
magia antiga consistem em papiros mágicos, comprimidos de magia e
amuletos. Os espíritos foram marcados por esta passagem do Corpus
Hermeticum , tratado XIX: Asclépio (século 1): "São estátuas com alma,
consciente, cheia de respiração vital, e que realizam uma infinidade de
maravilhas, estátuas que conhecem o futuro e projetam por feitiços,
inspirações proféticas, sonhos e muitos outros métodos que enviam
doenças aos homens e curá-los, o que, de acordo com nossos méritos, dá
dor e alegria. "
A magia é politicamente controlada, ameaça a autoridade. Em Roma, a Lei
das Doze Tabelas (450 aC) sanciona muitas operações mágicas,
especialmente contra as terras de outros. O imperador romano Constant I,
em 341, proíbe a magia, sob a pena de morte. A Igreja está bastante
preocupada com o paganismo, a heresia, a competição com a criação
divina: o conselho de Laodicéia (Laodicæa ad Lycum), em direção a 364, no
seu 36º cânone, proíbe aos sacerdotes cuidar de magia e feitiçaria.

A Igreja distingue artes e magias mágicas no Conselho de Ancyra em 314.

Idade Média e Renascimento [ editar | alterar o código ]

 A Idade Média vive nesta definição confusa do mago de Isidoro de Sevilha


em torno de 630

O 4º Conselho de Toledo, presidido por Isidoro de Sevilha em 633, ainda


distingue os magos dos adivinhos (aruspices, arioli, augurs, sortilegi). Serão
necessários muito esforço para esperar até o século XVI para separar a
magia não só de outras artes ocultas (como a adivinhação), mas também da
feitiçaria, da heresia, do paganismo e da necromancia.

A confusão de palavras é acompanhada por terríveis repressões, censuras,


inquisições. Em 343-381, o sínodo de Laodicéia exige que "os membros do
alto clero e do clero inferior não sejam mágicos, feiticeiros ou horóscopos ou
astrólogos e não fabricam o que nós chamam amuletos, que são
impedimentos para a própria alma 88 .A partir de 438, o código teodósico
proibia a magia, a adivinhação. Em 506, o Conselho de Agde condena os
feiticeiros (feiticeiros), mas distingue a magia da religião e enumera o que é
mágico: encantamentos, filacterias, feitiços malignos, maravilhas 89. O
Conselho de Roma, em 721, proíbe encantamentos .

A noção de magia, isolada, distinta do paganismo ou da feitiçaria, aparece


apenas no início do século XIII. Em 1277, o Bispo Tempier condena os
tratados de geomancia, necromancia, coleções de feitiços e invocações de
demônios 90 . Giovanni Balbi (João de Gênova) distingue
o prestígio ( prestidigitação ), que vem sob a ilusão dos sentidos, e
o maleficio , o que implica a submissão dos demônios ao poder dos
mágicos ( Catholicon , 1286).

O papel dos tradutores é importante. O Rei de Castela e Leão, Alfonso X o


Sábio, teve o Sefer Raziel , um tratado cabalístico em hebraico, traduzido
para o latim, em 1256 Picatrix , tratado em árabe.

Textos importantes na Idade Média são O Segredo dos Segredos do


pseudo-Aristóteles * , o Picatrix [3] do pseudo-al-Majriti árabe, os Raios das
Estrelas do Al-Kindi árabe, o Grande Albert (1245 ss.), o Livro das
Visões de Jean de Morigny (1323), A Mágica Sagrada de Abramelin de
Mago (1450? ou falso século XVIII?). Nós falamos principalmente de
virtudes ocultas, espíritos, talismãs, astrologia. A partir de 1250 livros de
"magia solomônica" circulam, incluindo a Clavicula Salomonis ( Small Key
Solomon , século XV ) [4] , e o Lemegeton (mais tarde, século XVI ). Eles
lidam com figuras mágicas, nomes de espíritos, anjos ou demônios para
invocar para obter o que você deseja. O Livro do Anjo Raziel faz o vínculo
entre magia e Cabala, porque coleta fragmentos de Eléazar de Worms com
várias pinturas e imagens. Cabalística. [5]

Hugues de Saint-Victor , em seu Didascalicon (cerca de 1135) distingue


cinco tipos de magia: a mantique (adivinhação), a matemática, os
hexágonos, os feitiços, o prestígio.

 O Renascimento, ao estudar os textos, desenvolvendo o exame gratuito,


coloca clareza e inteligência, mesmo que a palavra "Magia" designe a
filosofia ocultista, o esoterismo. De acordo com Robert-Léon Wagner, "o
desenvolvimento intelectual do conceito de magia não é anterior ao século
XVI . Grandes mentes explicam: Marsilio Ficino , Jean Pic de la
Mirandole em 1496, Henri-Corneille Agripa de Nettesheim em
1510, Paracelso em 1537, Nostradamus , Giordano Bruno , Thomas
Campanella . A influência da Cabala é sentida. As noções de microcosmo,
assinatura, magia natural, analogias são essenciais. Em 1575, Camerarius
divide magia em encantamentos, prestígio e evocação dos mortos.

Séculos XVII e XVIII alterar o código ]

 O século 17 já não confunde astronomia e astrologia, física e magia natural,


teologia e teosofia. A magia é racionalizada, com Robert Fludd , Athanase
Kircher. Na França, o último autor a acreditar nos feiticeiros e feiticeiros é
Jacques d'Autun ( L'infédulité sçavante , 1671). Em França, por edicto real
de 1682, sob Louis XIV, a noção de feiticeiro ou mago é suprimida:
doravante, o Estado reconhece apenas charlatães, impostores ou
imaginativos, lunáticos. Não foi até 1735 na Inglaterra ( Witchcraft Act ).

 O século XVIII. Parisiano vê pergaminhos figuras altas da Magia, como


o Conde de Saint-Germain em 1763, Franz Anton Mesmer em
1778, Cagliostro em 1785, todos contestados. Mais discretos, outros
praticam a teurgia, incluindo martinistas(J. Martines de Pasqually, Louis-
Claude de Saint-Martin). Grimoires , claramente satanista, circula, por
exemplo, o grimório de Honorius III (em torno de 1670), o grande grimório
ou o Dragão Vermelho (1750?).

Séculos XIX e XX alterar o código ]


A contribuição melhor organizada e melhor concebida para a magia vem de
uma organização iniciática, fundada em 1888 por dois ingleses: o Golden
Dawn . Ela desenvolveu rituais, símbolos mágicos de todos os tipos e
desenhou em suas fileiras os maiores mágicos e mágicos, incluindo Samuel
MacGregor Mathers, Arthur Edward Waite , Aleister Crowley , Israel
Regardie . Crowley é " a personalidade mais controversa e incompreendida
na nova era da feitiçaria moderna (a personalidade mais controversa e
incompreendida na nova era da bruxaria moderna ) ".

Dois movimentos emergem no século XIX: a Sociedade Teosófica


de Helena Blavatskye o neo-ocultismo de Eliphas Levi e Papus . Os
teósofos usam noções orientais, os neo-ocultistas querem conciliar a magia
com a ciência.

Franz Bardon é um excelente nome do estilo mágico e ocultista do século


XX.

Um membro de várias organizações iniciáticas, Gerald Gardner fundou em


1939 uma tradição de bruxas e feiticeiros que se tornou a Wicca ; Na
Inglaterra, a pena de morte imposta às bruxas foi abolida duas vezes (o Ato
de feitiçaria de 1735 e 1951). A ênfase é sobre magia, magia pagã,
influenciada pelo livro de bruxas 93 , 94 de Margaret Murray .

A " magia do caos ", inspirada nas idéias de Austin O. Spare e na etiqueta
punk do Do it yourself , é uma forma de magia pós-moderna e pragmática
que apareceu em Londres na década de 1980.

A Nova Era , nascida em 1970 nos Estados Unidos, sem ser mágica, se
banha em uma atmosfera mágica. A ótima idéia da Nova Era é que se pode
criar a própria realidade através de visualizações ou afirmações como "Eu
sou Deus". A magia consiste em participar de forma mística no
encantamento do mundo e aumentar espiritualmente seu poder de
encantamento.

Bibliografia [ editar | alterar o código ]


Tratados de magia [ editar | alterar o código ]

 Papyri Graecae Magicae (PGM, coleção de textos mágicos gregos, do


século IV aC até o século IV, trad.: Michael Martin, O papiro mágico grego ,
Manuscript-University Publishing, "History", 2002, 284 p.
 Grande Papiro Mágico nº 754 da Biblioteca Nacional de Paris (PGM IV.297-
408) (4º século), trans. do grego: Manual da Magia egípcia , Paris, Les
Belles Lettres, "As Fontes da Tradição", 1995, 165 p. Faz parte
da Liturgia Mithraica ou do Ritual Mithraico [7]
 pseudo-al-Majriti (Picatrix), o objetivo do sábio em magia (Ghâyat al-hakîm
fi'l-sihr)( Picatrix ) (circa 1050), trans. da versão latina (1256): Picatrix ,
Turnhout (Bélgica), Brepols, "Espelho da Idade Média", 2003, 383
p. Extratos on-line: [8]
 O grande e o pequeno Albert (em direção a 1245-1703 para o Grande
Albert , com extratos, na verdade, de Albert o Grande), trad. do Latin
Trajectoire, 1999, 391 p. Excertos on-line do Great Albert : [9] . Little
Albert : [10]
 Marsilio Ficino, Os Três Livros da Vida (1489), trans. do latim, Fayard,
"Corpus das obras da filosofia", 2000, 276 p.
 Henri-Corneille Agrippa de Nettesheim , Filosofia Oculta ou Magia (1510, 1ª
edição, 1531-1533), livro I, 218 p. Mágica natural , livro II, 228 p. Magia
Celestial , Livro III, 248 p. Magia cerimonial , trad. do latin Jean Servier,
Paris, Berg International, 1982. O livro IV é apócrifo e demoníaco: a filosofia
oculta, quarto livro. As cerimônias mágicas (1559), Paris, edições
tradicionais, 2000, 80 p.
 Paracelso , magia. Estudo e textos escolhidos por Lucien Braun ,
Strasbourg, University Press de Estrasburgo, 1998, 147 p.
 Eliphas Levi , Dogma e Ritual of High Magic (1854-1861), History of
Magic (1859), The Key to Great Mysteries (1859): Secrets of Magic , Paris,
Robert Laffont, "Bouquins", 2000, 1066 p. Online: [11]
 Papus , Tratado Metodico da Magia Prática (póstumo, 1924), Saint-Jean-de-
Braye, Dangles, 1999, 648 p. Online: [12]
 Philippe Pissier , Magick, parte I e II (tradução de Aleister Crowley), edições
de Blockhaus
 Philippe Pissier , EQUINOXE , revista, duas entregas no momento, cheio de
traduções de textos de Crowley.
 Franz Bardon , The Way to the Real Magical Initiation (1956)
Online [13] , The Practice of Evocative Magic (1956), The Key to True
Kabbalah (1957), trans. de todos., Courbevoie, Éditions Alexandre
Moryason, 2001
 Jean-Pascal Ruggiu , Magic Rituals Golden Dawn, volume 1
 Alexandre Moryason , A luz sobre o reino ou Prática do diário sagrado
mágico, Volume 1 (Moryason, como editor, permitiu que Franz Bardon fosse
publicado na França)

Magic Grimoires [ editar | alterar o código ]


ver em grimoire

Estudos sobre magia alterar o código ]


(em ordem cronológica)

 Jules Garinet , História da magia na França , (1818).


 Pierre Christian, História da magia (1870), 666 p.
 Edward B. Tylor , The Early Civilization (1871), trans. do ano., Paris,
Reinwald, 1876, 2 t.
 Daremberg e Saglio, Dicionário de Antiguidades Gregas e Romanas , 1877-
1919, artigo "Magia" Dicionário das Antiguidades Gregas e Romanas de
Daremberg e Saglio
 Marcel Mauss , Esboço de uma teoria geral da magia (1902-1903, 1a
edição, 1950), em Sociologia e Antropologia (1902-1934, 1a edição, 1950),
Paris, PUF, 2004, p. 1-141
 James George Frazer , The Golden Bough (1911-1915), trans. do ano,
Paris, Robert Laffont, "Bouquins", 1981, vol. Eu: O rei mágico na sociedade
primitiva(1890). Texto online: Frazer, Sir James George. 1922. O Golden
Bough
 Lynn Thorndike , uma história da magia e da ciência experimental durante
os primeiros treze séculos da nossa era (1923-1934), New York, Columbia
University Press, 1984, 8 vols. . T 1: 835 p. ; t. II: 1036 p. ; t. III: 827 p. ; t. IV:
767 p. ; t. V: 695 p. ; t. VI: 766 p. ; t. VII: 695 p. ; t. VIII: 808 p.
 Kurt Seligmann, The Mirror of Magic (1948, The History of Magic ), trad.,
The Best Book Club, 1956.
 Mircea Eliade , Shamanismo e técnicas arcaicas do êxtase , 1951
 Claude Levi-Strauss , Antropologia Estrutural (1958), cap. IX: "O feiticeiro e
sua magia", cap. X: "A eficiência simbólica", Paris, Pocket, "L'agora", 2003,
480 p.
 François Ribadeau-Dumas, História da Magia (1960?), Paris, Pierre Belfond,
"Secret Sciences", 1973, 621 p.
 Claude Lévi-Strauss, The Wild Thought , 1962
 Jeanne Favret-Saada , palavras, morte, feitiços. Feitiço no bosque (1977),
Paris, Gallimard, "Folio", 1985, 427 p. ( ISBN 978-2070322817 )
 Régis Boyer, o mundo dos duplos. A magia entre os antigos escandinavos ,
Paris, Berg International, 1986, 219 p.
 Richard Kieckhefer, Magia na Idade Média , Cambridge University Press,
1989
 H. Maguire (ed.), Magic bizantina , Cambridge (Massachusetts), 1995.
 Alain Moreau e Jean-Claude Turpin, The Magic , Montpellier, Publicações
da Universidade Paul Valéry, 2000, t. 1: Do mundo babilônico ao mundo
helenístico , 330 p. T. 2: 2. Magia na antiguidade grega tardia. Mitos , 340
p., T. 3. Do mundo latino ao mundo contemporâneo . 362 p.,
T. 4: Bibliografia . 169 p.
 Jean Servier, Magic , Paris, PUF, "O que eu sei?", 1993, 127 p.
 MW Dickie, Magia e Magos no Mundo Greco-Romano , Londres e Nova
York, Routledge, 2001, 380 p.
 Claude Lecouteux, The Book of Grimoires (2002), Imago, 2008, 320 p.
 Leo Ruickbie, Witchcraft Out of the Shadows , Robert Hale, 2004, p. 193-
209 (sobre magia no neo-paganismo da Wicca).
 Jean-Michel Salmann (dir.), Dicionário histórico de ciências mágicas e
ocultas , Paris, The paperback, "Pochothèque", 2006, 935 p.
 Pierre A. Riffard, Novo Dicionário de Esoterismo , Paris, Payot, 2008, 331 p.

Referências: filmes, jogos ... [ editar] alterar o código ]


Filmes e séries de televisão [ edit | alterar o código ]
(em ordem cronológica)

 My Beloved Witch , Series, 1964-1972, Estados Unidos;


 The Monk and the Witch , filme, 1987, França, Suzanne Schiffman;
 The Witches of Eastwick , filme, 1987, Estados Unidos, George Miller;
 Minha sogra é uma bruxa , filme, 1988, EUA, Larry Cohen;
 Hocus Pocus , filme, 1993, EUA, Kenny Ortega;
 Charmed , series, 1998-2006, Estados Unidos;
 Anjo , série, 1999-2004, Estados Unidos;
 Harry Potter , série mundialmente famosa de filmes, 2001, United States-
Gr.Br., David Heyman;
 Buffy vs vampiros , série, 1996-2003, Estados Unidos;
 Hex: The Curse , 2004-2005, Gr.Br. ;
 Winx Club , 2004-ongoing, italy.
 Supernatural Series, 2005, Estados Unidos;
 WITCH
 Fairy Tail , manga de Hiro Mashima
 The Illusionist , filme, 2006, EUA, Neil Burger;
 The Prestige , filme, 2006, EUA, Christopher Nolan.
 Eragon
 Sabrina, a aprendiz de bruxa
 Magia negra
 Wizards of Waverly Place
 Magia (série de TV animada)
 Merlin , série, 2008, Gr. Br.
 Série de Vampire Diaries
 The Secret Circle Series
 Once Upon a Time , séries
 Doremi mágico
 American Horror Story: série Coven
 Elusive , filme, 2013, Estados Unidos-França, Louis Leterrier.

Alguns assistentes conhecidos alterar o código ]

 Circe , em sua ilha, na Odisseia . Ela é a tia de Medea .


 Medea , ajudou Jason a encontrar o Velo dourado e, depois, abandonado
pelo herói por outro, matou seus próprios filhos.
 Merlin, do mito Arthuriano
 Morgane, também do mito Arthuriano
 Gandalf, Lord of the Rings
 Saruman, também do Senhor dos Anéis
 Radagast o Brown of Bilbo o Hobbit
 Belgarath e Polgara, de La Belgariade
 Harry Potter (e outros na série)
 Willow, do filme homônimo Willow
 o Mágico, aventureiro da famosa série The Dungeon of Naheulbeuk

Jogos de role-playing com magia [ edit | alterar o código ]


Muitos jogos de papéis incluem magia, mas aqueles que seguem os
tornaram o pivô de seu universo:

 Dungeons and Dragons


 Final Fantasy
 Ars Magica
 Earthdawn
 uivos
 Mage: Despertar e Mago: Ascensão
 Nephilim
 Nobilis
 Talislanta
 Exércitos desconhecidos
 World of Warcraft (todas as séries)
 The Elder Scrolls III: Morrowind
 The Elder Scrolls IV: Oblivion
 The Elder Scrolls V: Skyrim
 Golden Sun
 Breath of Fire
 Heroes of Might e Magic
 O Senhor dos Anéis online
 Emblema de fogo, Despertar

Notas e referências [ editar | alterar o código ]

1. ↑ Entrada " Magic" [ arquivo ] , Universalis Encyclopedia , versão disponível


online em 16/03/2012.
2. ↑ Etymological definition [ archive ] magia do Centro Nacional de Recursos
Textual e
Lexical . http://elearning.unifr.ch/antiquitas/fiches.php?id_fiche=30 [ arquivo ]
.Pierre Chantraine, Dicionário Etimológico da Língua Grega , t. 3, 1974. Veja
a palavra "mago" e as reações da Igreja: Jean-Baptiste Thiers, Tratado das
superstições , 1741, 4 vols.
3. Old-Persian Meill [ arquivo ]
4. ↑ "Inscrição de Behistun" (515 aC), cuneiforme e três idiomas [ arquivo ]
(antigo persa, babilônico, elamita)
5. Heráclito, fragmento B 14: Os presocráticos , Paris, Gallimard, "Pléiade",
1988, p.149.
6. Heródoto, O Inquérito , Livro I, 101, trans. do grego, Gallimard, "Folio", t. 1,
p. 95.
7. Sobre os Mages Medianos: RC Zaehner, The Dawn e Twilight of
Zoroastrianism(1961), Phoenix Press, 2002, p. 160 sq. G. Widengren, The
Religions of Iran(1965), trad., Paris, Payot, "The Religions of Humanity",
1968, p. 134 sq. Pierre A. Riffard, Esoterismo em outros lugares , Paris,
Robert Laffont, "Bouquins", 1997, p.503-511.
8. (En) A. de Jong, Zoroastrismo na literatura grega e romana , Leiden, 1997.
9. A matéria-prima do Magistério [ arquivo ]
10. Diógenes Laerce, VII, 109; IX, 34. J. Bidez e F. Cumont, Os magos
helenizados.Zoroaster, Ostanes e Hystaspe de acordo com as tradições
gregas (1938), Paris, Les Belles Lettres, 2 t., 1973. Textos colocados em
grego em torno de 270 aC. J. - C., sob Ptolomeu II Philadelphus. Textos em
grego em t. I.
11. Gian Mansi, Sacrorum Conciliorum nova e amplissima collectio (31 vols.,
Folio, Florença e Veneza, 1758-1798), vol. VIII.
12. ↑ Apuleius, Apologia ou magia (cerca de 158), XXVI, 6, trad. Latin Classics
Garnier, 1933, p. 47. Leia Adam Abt, Die Apologie des Apuleius von
Madaura, um antike die Zauberei , Giessen, A. Töpelmann Verlag, 1908.
13. Helena Blavatsky, Isis revelou (1877), t. 2: Teologia , trad. do ano., Adyar,
2000.
14. Helena Blavatsky, Glossário Teosófico (1892), trans., Adyar, 1981, p. 226.
15. ↑ " Magick é a Ciência e a Arte da Causa Mudança para ocorrer de acordo
com Will. Aleister Crowley, Magick in Theory and Practice (1929-1930),
Routledge e Kegan Paul, 1975, p. 125.
16. ↑ Papus, ocultismo ilustrado ABC (1922, póstumo), Saint-Jean-de-Braye,
Dangles, 1984, p. 395.
17. Pierre A. Riffard, Dicionário de Esoterismo , Paris, Payot, 1983, p. 198.
18. Rene Bailly, Dicionário de sinônimos da língua francesa , Larousse, 1971,
p. 356.
19. ↑ Edward Evans-Pritchard distingue feitiçaria e feitiçaria ( feitiçaria, orações
e magia entre os Azande , Oxford, Clarendon Press, 1937, tradução: Feitiço,
oráculos e magia entre os azendés , Gallimard, 1972).
20. Karl Preisendanz e Albert Henrichs, Papyri Graecae Magicae. Die
Griechischen Zauberpapyri , 2a ed., 1974, 2 vols. Stuttgart, Teubner. Trad. :
Michael Martin, The Greek Magic Papyri , Manuscript-University Publishing,
"História", 2002, 284 p.
21. Em Boles de Mendes: A.-J. Festugière, A revelação de Hermes
Trismegistus , t. 1: Astrologia e Ciências Ocultistas (1944), Paris, Les Belles
Lettres, 1981, p. 193-238.
22. Jean Pic de la Mirandole, 900 conclusões (1486), n. ° 782 e 784, trad.,
Paris, Allia, 1999, p. 195.
23. Paracelso, a grande astronomia (1537, 1ª edição 1571), trad. de All., Paris,
Dervy, 2000, p. 88, 106, 179. Na magia p. 166-175.
24. Analogias e correspondências: Pierre A. Riffard, Esoterismo , Robert
Laffont, "Bouquins", 1990, p. 335-349; Wouter J. Hanegraaff
(eds.), Dicionário de Gnose e Esoterismo Ocidental , Leiden, Brill, 2005,
vol. 1, p. 275-279.
25. Grande magia dos papiros da Biblioteca Nacional de Paris (IV ° s.), Trad. do
grego: Manual de Magic egípcia , Paris, The Beautiful Letters, "The Sources
of Tradition", 1995. Eric Pier Sperandio, The Guide to White Magic. Recipes
of witches (1997), Paris, eu li, "Secret Adventure", 2004, p. 54.
26. Eliphas Levi: Secrets of Magic , p. 54, 203-204, 824-826.
27. James George Frazer, The Golden Bough , t. 1: O rei mágico na sociedade
primitiva (1890), cap. 3, trans., Robert Laffont, "Bouquins". Veja Marcel
Mauss ,Esboço de uma teoria geral da magia (1902-1903), em Sociologia e
Antropologia , PUF, 1950, p. 56-66). As "leis das associações de ideias"
remontam ao filósofo David Hume .
28. ↑ Omraam Mikhael Aivanhov, "Procure o Reino de Deus e Sua Justiça" , VI,
3: "Magia Divina", Fréjus, Prosveta Publishing, "Sinopse", 1998, p. 463-
478. Veja O Livro da Magia Divina , Fréjus, Prosveta, "Izvor".
29. ↑ OM Aivanhov, O Livro da Magia Divina , Frejus, Prosveta, "Izvor", cap. 11.
30. Santo Agostinho, Cidade de Deus (420-429), X, 29-32.
31. ↑ Veja Thiers Jean-Baptiste superstições Tratado assistindo os sacramentos
de acordo com a escritura, os decretos dos Conselhos e os sentimentos dos
Padres e teólogos Santos , Paris, 1741, 4 vols. [Ref. incompleta] | date =
7.8.2009
32. ↑ Grimoire para evocar o espírito de um lugar , etc.
33. ↑ J. Mirandola , Discurso sobre dignidade humana (1486). Da mesma forma,
em Apologia , 1489.
34. ↑ Simon BLOCQUEL, creme magia Vermelho ou oculta adivinhação natural,
pelo helenista Aaron , 1843, 160 p.
35. ↑ Agripa paradoxo de incerteza, vaidade e abuso de Ciências (1531),
cap. 41-46, trans. 1608 Latina.
36. ↑ No círculo mágico: Theophraste, pesquisas sobre as plantas , IX, 8, trans
(século III aC ..). Gregas, Les Belles Lettres, "Bude", t. 3, 1989; Plínio, o
Velho, História Natural (cerca de 70), livro XXX, 49 e 107, trans. Latina, Les
Belles Lettres, "Bude" de 1974.
37. ↑ William de Auvergne, em fé e leis (De fide e legibus) (1230).
38. ↑ Roger Bacon, do poder admirável (De Secretis operibus e artis
naturae) (1260), trans. Latina, Gutenberg Reprints, 2008. texto on-
line [ arquivo ]
39. ↑ Cláudio Eliano, o Tratado sobre a natureza dos animais (terceiro século.),
II, 14, trans. Grega. Ver Michael Martin, Magia e magos do mundo greco-
romano , Paris, Wandering, 2005, p. 204.
40. ↑ Claude Postel, John Dee. O ouro de Mage pista , romance, Les Belles
Lettres, 1995, p. 106. De acordo com John Dee, Uma relação verdadeira e
fiel do que passava por muitos anos between Dr. John Dee e alguns
espíritos , 1ª ed. Casaubon, 1659. [1] [ arquivo ].
41. ↑ Sófocles O Trachiniae (415 aC.), 585.
42. ↑ GCC Catálogo Codicum Astrologorum graecorum , Bruxelas, 12 volumes
em 20 volumes, 1898-1953, VIII, 2, p. 143, trans. Festugière.
43. ↑ Ficino, Os três livros de vida (De Vita triplici) (1489), III, 21: Opera
omnia p. 562. D.-P. Walker, magia espiritual e angelical. Ficino para
Campanella (1958) Dervy, 1988, p. 26-27.
44. ↑ Heinrich Cornelius Agripa, filosofia Occult , t. 1, p. 1.
45. ↑ Jacques de Voragine, The Golden Legend (1250), trad., Paris, Gallimard,
"Plêiade", 2004 1550 p.
46. ↑ De acordo com Gregório de Tours (século VI)
47. ↑ Porfírio, Vida de Pitágoras , § 48, Les Belles Lettres, p. 59.
48. ↑ (Pseudo) Paracelse, Liber secundus archidoxis magicae , Basileia, 1570.
Trans. Claude Lecouteux, O Livro dos tomos , Imago, 2002, p. 38.
49. ↑ Mirandola, 900 conclusões filosóficas, e cabalística teológica (1486),
concluiu XXX, trans. Latin, Paris, Allia, 1999, p. 197-201.
50. ↑ sobre a arte notória estudos Julien Veronese, incluindo Ars Notoria da
Idade Média e nos tempos modernos. Estudo de uma tradição mágica
theurgic (décima segunda-século XVII) , tese, Paris X-Nanterre de 2004.
51. ↑ Eurípides Ifigênia em Táuris (414 aC), 1336.
52. ↑ Ficino, platônica Teologia , XIII, 1: Opera omnia p. 284.
53. ↑ Jacob Böhme, mystica Sex puncta , 1620.
54. ↑ Berlin Papyrus . Veja Fritz Graf, Magia na Antiguidade greco-romana ,
Paris, Les Belles Lettres de 1994. 126-134, 223-226.
55. ↑ Johannes Reuchlin, De arte cabalistica (1517), trans. François
segredo Kabbalah , Aubier-Montaigne, 1973. [ref. incompleta]
56. ↑ a e b Magia Enoch, Hiramash, edições âmbar
57. ↑ Dio Cassius, História Romana (III c.), Livro LXXII, 8, trans. Grega, Paris,
Les Belles Lettres, "Bude".
58. ↑ Plato, O banquete , 203
59. ↑ Aleister Crowley Livro da Lei. Liber Legis (1904).
60. ↑ Roberta Hamayon, caça alma. Esboço de uma teoria do xamanismo
siberiano , Paris, Sociedade Etnológico da Universidade de Paris X,
p. 533. Michel Perrin , Xamanismo , Paris, PUF, "Que sais-je?", 1995, p. 39.
61. ↑ Heródoto, O levantamento , IV, 15. See Eliade, Xamanismo e as técnicas
arcaicas de êxtase (1968), Payot, p. 86, 305.
62. ↑ P. Riffard, Dicionário do esoterismo , Payot, 1983, p. 340.
63. ↑ Santo Agostinho, sobre a doutrina cristã (397-427) em oposição à magia
(II, 36-38) noção de "pacto com o diabo" (II, 24); Cidade de Deus (420-429),
Livros V, VIII e X. 9. Agripa de Nettesheim, The Occult Philosophy , vol. III: A
magia cerimonial . P. Masse Le Mans De impostura e engano devils,
mágicos, encantadores, feiticeiros, tecelões de esguillettes, chevilleurs,
necromantes, quiromantes ...1579.
64. ↑ PR Johannes, praticar bruxaria Manuel Berry , Paris, Guy Trédaniel-
Edições A Maisnie, 1986, p. 63-65.
65. ↑ Plotino Enéadas (III c.), Tratou-se 28 (Ennéade IV.4), Proc. Grega, 27-29
Tratado , Garnier-Flammarion de 2004.
66. ↑ Plotino Enéadas , IV, 3, 11.
67. ↑ Ficino, Os três livros da vida (1489), Livro III ( "Como organizar sua vida
tão celestial" De vita coelitus comparanda ), trans. Latin, Paris, Fayard,
"Corpus da filosofia funciona", 2000, 276 p. Veja Daniel-P. Walker, Espiritual
e Angelic Magia Ficino para Campanella (1958), trad. do ano., Paris, Albin
Michel, 1988.
68. ↑ Ficino, comentário sobre o 'Simpósio' de Platão (1469), VI, 10.
Trad. Marcel R., 1956, p. 219.
69. ↑ Giovanni Pico della Mirandola, Apologia (1487), H. apud
CROUZEL, controvérsia sobre Origen no Renaissance , Vrin, 1977.
70. ↑ Agripa filosofia Occult , I, cap. 11. Ver Platão, Timeu , 29-50.
71. ↑ Frederic Keck , Teorias da magia no Inglês e tradições antropológicas
franceses " [ arquivo ] MÉTODOS , 2, 2002.
72. ↑ Edward B. Tylor, Civilização Primitive (1871), trad. do ano., Paris,
Reinwald de 1876 2 t.
73. ↑ James Frazer, The Golden Bough (1911-1915), trans. Ano. Robert Laffont,
Mouthpieces coleção, 1981-1984, 4 vols.
74. ↑ Marcel Mauss, Esboço de uma teoria geral da magia (1902-1903),
em Sociologia e Antropologia (1902-1934, 1ª ed. 1950), Paris, PUF, 2004,
p. 1-141.
75. ↑ Emile Durkheim, As Formas Elementares da Vida Religiosa (1912), PUF,
2007, 647 p.
76. ↑ Bronislaw Malinowski, Coral Gardens (1935), trad. do ano., Paris,
Descoberta, 2007. ilhas Trobriand, off-Nova Guiné. Alfred R. Radcliffe-
Brown , Estrutura e função na sociedade primitiva (1952), trad. do ano,
Seuil, "Pontos de teste", 1969; Bruxaria, Magia e Oráculos entre os
Azande (1937), trad., Gallimard, 1972. Niger.
77. ↑ Claude Levi-Strauss, antropologia estrutural , Plon, 1958 "O feiticeiro e
sua magia", "A eficácia simbólica".
78. ↑ Marcel Mauss, efeito físico no indivíduo a idéia da morte sugerida pela
comunidade (Austrália, Nova Zelândia) (1926) em Sociologia e
Antropologia , PUF, p. 311 sq.
79. ↑ Sr. Berger, "O esotérico espiritual", 1998. [2] [ arquivo ]
80. ↑ Salomon Reinach, "Arte e Magic", Antropologia , Paris, 1903, vol. XIV,
p. 257-266; Cultos, mitos e religiões , t. I, 1905, p. 125-136.
81. ↑ André Leroi-Gourhan, "As premissas da pré-história", apud Henri-Charles
Puech (ed.), História das Religiões , Paris, Gallimard, "Pleiades", t. 3, 1976,
p. 570.
82. ↑ Jean Clottes e David Lewis-Williams, Shamans da pré-história. Trance and
Magic em cavernas decoradas (1996), Paris, As rochas casa, 2001, 236 p.
83. ↑ esboço de uma teoria geral da magia, Mauss
84. ↑ Philostratus, o ateniense, Vida de Apolônio de Tiana , I, 2, em grego e
romances latino , Gallimard, coll. "Pleiades", 1958. [ref. incompleta]
85. ↑ Na manhã de Homens-Deuses: Estudo sobre o xamanismo
grega [ arquivo ]
86. ↑ Isidoro de Sevilha, Etymologiae (630), livro VII, cap. 9: De Magis , Oxford,
1957.
87. ↑ Gian Mansi, OC, vol. X, col. 627.
88. ↑ Helefe-Leclercq, História dos Conselhos dos documentos originais , I, 2,
p. 1018.
89. ↑ Conselho de Agde (em 506): Gian Mansi, OC, vol. VIII, col. 336.
90. ↑ Chartularium Universitatis Parisiensis , edi. Denifle H. e A. Chatelain,
1891-1899, t. Eu p. 543.
91. ↑ Robert Leon Wagner, "Sorcerer" e "Assistente". Sobre a história do
vocabulário de magia , Droz, 1939, p. 138.
92. ↑ Camerarius Commentarius de generibus divinationum ... , 1575, p 151-11.
93. ↑ Margaret Murray, The Witch-Cult na Europa Ocidental (1921), Filiquarian
Publishing, 2007, 348 p.
94. ↑ Gerald Gardner Witchcraft Today (1954), Seta Livros, 1970, 192 p.
95. ↑ Wouter J. Hanegraaff, New Age Religião e Cultura Ocidental SUNY
(Universidade Estadual de Nova York) Press, 1998, p. 394.

Magic (sobrenatural) - Wikipedia


Em muitas culturas, os meios mobilizados pela magia como ciência
oculta opor as religiões estabelecidas e o raciocínio
científico. Mudanças na ...

http://fr.wikipedia.org/wiki/Magie_(surnaturel)
demonologia
Informações deste artigo ou secção deverá ser melhor conectado às
fontes mencionadas na bibliografia ou ligações externas.

Melhorar a sua verificabilidade na combinação com referências .

A demonologia é um termo para o estudo dos demônios ou crenças


relacionadas com demônios 1 . A palavra " demonologia " vem
do grego δαίμooν , Daimon , "Divindade", "poder divino", "Deus" 2 e -
λογία , -logia .

Até o final do século XIII , pouca atenção foi trazido para os


demônios. O Tratado sobre o mal de St. Thomas Aquinas em 1272 , disse
que o diabo é uma heresia, feitiçaria um crime de heresia . Teólogos, em
seguida, abordar as entidades do mal. Demonologia foi realizado sob os
auspícios e com o incentivo das autoridades católicas mais altos e o próprio
papa.

resumo

Definição [ editar | modificar o código ]


Os objetivos da demonologia estão a operar uma classificação hierárquica
dos demônios, conhecer suas histórias e entender sua forma de operar.
Neste, há duas partes representadas pelo Bom Deus e mal representado
pelo diabo 3 . Demonologia afirma que os anjos são mensageiros e
ministros de Deus em suas relações com homens e que, após a criação,
eles tiveram a escolha entre o bem eo mal. Os anjos maus (anjos da
escuridão ou anjos caídos) escolheu o mal para longe de Deus. A origem de
Lúcifer parece ser descrito figurativamente na Bíblia, no livro de Isaías 14:
12-20, de acordo com uma interpretação cristã, como segue:

Ah! como caíste do céu, você, Lucifer, filho da alva! Como você derrubará
por terra, tu que debilitavas as nações! Quanto a você, você disse em seu
coração: Eu subirei ao céu. Acima das estrelas de Deus exaltarei o meu
trono (...) Eu serei semelhante ao Altíssimo. (...)

Satanás também chamado Leviathan, Belial, Lúcifer e seu primeiro nome. O


número 666 é geralmente associado a ele; ela vem da Bíblia e simboliza o
que é humano 4 , imperfeita como ela é "uma figura de homem" (Apocalipse
01:18). demônios bíblicos responder a uma hierarquia, semelhante à militar.
A passagem da Bíblia (Marcos 5: 9) menciona um homem possuído
denominando Legião por causa de seu grau de propriedade (ver legião ).

De acordo com Richelmus Schental, abade cisterciense de Württemberg


no século XIII, os demônios na casa das centenas de milhares de milhões.
Em 1467 , Afonso Spina calcula 133 306 668 5 . No século XVI , Johann
Weyer não registrado como 44.435.556, dividido em 666 legiões menos de
66 príncipes. Outros cientistas disputar essas figuras demonologistas
incluindo Pannethorne Hughes (que identifica 1758064176), Martin
Barshaus (2 665 866 746 664) e John Oswald (14400000) [ref. necessária] .
Cada demônio tem suas próprias características. Alguns têm um nome
derivado da forma como eles se manifestam ( Belzebusenhor das moscas,
etc). Em épocas anteriores, por isso, os demônios eram anjos antes de sua
queda. A alta corte do céu pela primeira vez consistia de cinco Arcanjos -
Miguel, Gabriel, Rafael, Lúcifer e Belzebu, seguidos por cinco anjos -
miroton Príapo, Barjabul, Jezebel Palingrène, Baco e Cervantes. Tudo caiu,
impulsionado pelo pecado de Lúcifer, que queria subir acima de Deus; mas
três: Miguel, Gabriel e Rafael. Foi São Miguel que reprimida de Lúcifer
quando Deus condenou seu orgulho. O pecado de Lúcifer era
particularmente grave, uma vez que tem o mesmo pecado perante a glória
de Deus. Portanto, tendo em consideração a sua insolência mais forte do
que os homens (que pecam sem ver Deus), tornou-se a encarnação da
maldade. Enquanto isso,Deus recompensou sua audácia, dando-lhe uma
aura que geralmente desperta medo e, deve ser dito, um pouco de respeito.
Deus, então, criado o inferno como um espelho reverso do Paraíso (este é o
mesmo que dizer, em vez da Glória de Deus), e colocou todos os anjos
caídos (um terço da corte celestial em todos)[Ref. necessária] . O inferno é
o reino do diabo e seus asseclas. Eles têm autoridade e reinará supremo,
cada um em seu campo [ref. necessária] .

nomes de outros demônios são conhecidos na demonologia: Asmodeus,


Belial, Melchior, Azazel, Isman, Iblis e Astaroth são os mais perigosos.

Os símbolos mais comuns de demônios são os chifres ou a coroa para


poder, cabeça cabra tirada das origens do paganismo , onde os sacrifícios
eram oferecidos aos deuses, as asas para o âmbito da sua autoridade, a
cobra ao engano ( do Eve Bíblia foi enganada pela serpente), eo dragão,
serpente caído representante Asmodeusamaldiçoado por Deus (Gênesis
4:14). Alguns demônios estão oferecendo seus serviços para humano para
colocar sob seu domínio. Daí a expressão definitivamentevender sua alma
ao diabo . O Fausto de Goethe é um exemplo famoso [ref. necessária] .

Na tradição oriental [ mudança | modificar o código ]


A demonologia oriental é baseada em três pilares:

 o gênios
 o Cheitan
 o Chhour

O djinn ou Chung é o nome dado aos demônios por exegese islâmica. Nós
combater a recitação diligente dos versos do Alcorão, que contém as suras
de conspiração.
O Cheitan é o nome dado ao diabo pelos árabes.
O Chhour é uma mágica ou mau-olhado que são jogados em um terceiro.
Esta palavra é amplamente utilizado entre os norte-africanos. Sefardita e
árabe usá-lo para quebrar um casamento, por exemplo. As mulheres, então
queimar incenso em uma mistura contendo jasmim e alecrim 6 .
Sob o Império Neo-Babilônico de Nabucodonosor 7 , os filisteus, povo
pagão da Mesopotâmia erguido um templo em honra de Belzebu.
Belzebu exigiu sacrifícios sangrentos, como crianças pequenas imolação. A
conversão do Império Romano ao cristianismo no quinto AD pôr fim a essas
práticas.
O período antigo no Oriente tem sido marcada pela adoração abundante o
diabo, seja assírios, filisteus ou civilização egípcia.
Príapo foi homenageado como o aparecimento de uma divindade pênis
enorme, trazendo força e vigor aos seus seguidores 8 .

No Novo Testamento [ editar | modificar o código ]


Jesus expulsou sete demônios do corpo de Maria Madalena, depois de ter
lavado os pés com os seus cabelos e uma garrafa de óleo precioso 9 .
Jesus ordenou aos demônios para ficar quieto como eles denunciam como
o Filho de Deus, como ele tenta curar um demônio 10 .

Referências [ mudar | modificar o código ]

1. ↑ (em) "Demonologia" [ arquivo ] no Dictionary.com Unabridged (v 1.1)


Random House, Inc .. Retirado 29 de janeiro, 2007.
2. ↑ (en) Autenrieth, Um Homérico Lexicon
3. ↑ (em) "Demon" [ arquivo ] a partir de Funk & Wagnalls New Encyclopedia ,
© 2006 Grupo de Educação World Almanac, deouishistory.com/
history.com]
4. ↑ (em) Demônio [ arquivo ], a entrada na etimologia dicionário on-line , ©
2001 Douglas Harper, dictionary.com [ arquivo ]
5. ↑ fortalicium fidei , Estrasburgo, 1460
6. ↑ Eliette Abecassis, sefardita: romance, Paris, A. Michel, 2009, 21 cm, 455
p. ( ISBN 978-2-226-19223-3 , instrução BNF No. FRBNF42036638 )
7. ↑ Antigo Testamento da Bíblia, 2 Reis 25
8. ↑ http://mythologica.fr/grec/priape.htm [ arquivo ]
9. ↑ Evangelho de Lucas 7: 36-50
10. ↑ Evangelho segundo São Marcos, 9, 14-32

Apêndices [ editar | modificar o código ]


Referências [ mudar | modificar o código ]

 Jean Bodin , De feiticeiros demonomania , (Paris, 1580 ) - Este demonologia


clássico, muitas vezes reimpresso, é um verdadeiro bruxas Código Penal.
 Rémy Nicolas , The demonolatry , (1582) - Livros escritos pelo secretário
doduque de Lorraine Charles III , que o condenou à morte 900 bruxas em
15 anos.
 Henry Boguet , feiticeiros discurso de ódio (Lyon, 1602 ) - O autor deste livro
entregues 600 julgamentos contra as bruxas; seu livro foi onze edições.
 Pierre de Lancre , inconstância Tabela dos anjos maus e
demônios (Paris, 1612 , Aubier-Montaigne reedição, 1982 ) - publicado
trabalho em que há muita conversa de bruxas e bruxarias.
 Lista de verdadeiros religiosos e seculares possuíam, obcecado,
maléficiées, o nome de seus demônios, seu local de residência, com os
sinais de suas saídas(1634)
 Confissões e história de Madeleine Bavent, Louviers religiosa com seu
interrogatório , (Rouen, 1652 )
 Jacques Auguste Simon Collin de Plancy , Dictionnaire
Infernal (Paris, 1818 ) - Este livro lista o tempo todo do conhecimento sobre
(a) a superstição (s) e demonologia.
 Alexander Hislop, The Two Babylons ( 1916 )
 Henry Ansgar Kelly, o diabo e seus demônios, Paris, cervos de 1977.
 Kurt Koch, Demonologia no passado e hoje (em Inglês)
 Weirus, De praetistigiis (reeditada em 1958 )
 Roland Villeneuve , dicionário do diabo (Bordas, 1989 )
 André Frossard, 36 provas da existência do diabo ( 2000 )