Você está na página 1de 3

Informações da Disciplina

Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Direito

Filosofia e Teoria Geral do Direito

Disciplina: DFD0215 - Sociologia Jurídica


Legal Sociology

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
A primeira parte do curso é introdutória e permeia as discussões mais propriamente teóricas sobre o papel do direito na
sociedade, bem como a relação da Sociologia Jurídica com a Teoria Geral do Direito (que, entre outros propósitos, apresenta os
elementos estruturais da “dogmática jurídica”). Como a Sociologia sempre se debateu entre tendências teóricas conflitantes,
produzidas por diferentes visões de mundo e localizadas em formações sociais contraditórias, o curso enfatizará os problemas da
parte da disciplina que considera os elementos básicos da estrutura e funcionamento da sociedade contemporânea. A segunda e
a terceira partes do curso pretendem demonstrar como a Sociologia Jurídica, especialmente em sociedades marcadas por uma
grande tradição de Ciência formal do Direito, como a brasileira, passou a enfrentar os dilemas inerentes às múltiplas
transformações no interior das formações capitalistas - da consolidação e do ápice do Estado-nação, entre o final do século 17 e
a segunda metade do século 20, ao avanço, a partir dos anos 80 do século passado, dos fenômenos do policentrismo decisório e
do pluralismo jurídico. A parte final do curso é dedicada, após a análise das transformações estruturais da sociedade brasileira
desde os anos 30, ao exame das mudanças provocadas no universo jurídico brasileiro pela interconexão dos sistemas
financeiros, pela integração mundial dos mercados de bens e serviços e pela crise econômica iniciada em 2007 e agravada em
2011 – um período que mostrou a necessidade de rearranjos institucionais a partir do questionamento da capacidade, da
eficácia e da legitimidade do poder público para governar a economia. Em síntese, os objetivos da disciplina podem assim ser
descritos: (a) Investigar o papel do direito como instrumento de organização, controle e direção social, mediante o exame de
suas categorias, procedimentos e instituições, tendo como contraponto histórico a evolução socioeconômica da sociedade
brasileira no século 20, especialmente depois da Revolução de 30; (b) examinar as relações entre direito e sociedade no sentido
inverso, verificando os novos tipos de conflito surgidos no País com o avanço da crescente complexidade social, política e
econômica e os desafios que propõem ao direito, enquanto instrumento de organização, direção e controle social; (c) identificar
os novos campos de ação, as novas fontes e as novas formas de produção do direito advindas com a universalização da
concorrência, a integração dos mercados, a relativização do princípio da soberania e a concentração do poder econômico; (d)
avaliar o impacto dessas mudanças nas profissões jurídicas no Brasil e no exterior.

Docente(s) Responsável(eis)
1020071 - Jean Paul Cabral Veiga da Rocha
72582 - Jose Eduardo Campos de Oliveira Faria
1511919 - Orlando Villas Bôas Filho

Programa Resumido
(a) Investigar o papel do direito como instrumento de organização, controle e direção social, mediante o exame de suas
categorias, procedimentos e instituições; (b) Examinar as relações entre o direito e a sociedade no sentido inverso, verificando
os novos tipos de conflito surgidos com o avanço da crescente complexidade social, política e econômica do mundo
contemporâneo e os desafios que propõem ao direito, enquanto instrumento de organização, direção e controle social; (c)
Identificar os novos "campos de ação", as novas fontes e as novas formas de produção do direito advindas com a
universalização e do acirramento da concorrência, a integração dos mercados e a subsequente relativização do princípio da
soberania, a concentração do poder econômico e a ruptura da exclusividade do direito positivo; (d) Avaliar o impacto dessas
mudanças nas profissões jurídicas e no próprio ensino do direito.

Programa
I – Direito e Teoria Social 1. A abordagem clássica da sociologia jurídica: direito e sociedade no pensamento de Émile Durkheim.
2. A abordagem clássica da sociologia jurídica: direito e sociedade no pensamento de Karl Marx. 3. A abordagem clássica da
sociologia jurídica: direito e sociedade no pensamento de MaxWeber. 4. Paradigmas científicos e senso comum: desafios
epistemológicos do direito. 5. Direito e modernização reflexiva. 6. Direito responsivo e direito reflexivo. 7. Direito entre
modernidade e pós-modernidade. 8. Direito e estrutura social no pensamento jurídico contemporâneo: instituições, interesses e
ideais. II - Temas específicos 9. Direito e ordem jurídica liberal. 10. Direito, democracia e Estado de bem-estar social. 11.
Direito, economia e justiça social. 12. Legalidade, eficácia, efetividade e legitimidade da ordem jurídica. 13. Direito, risco e
responsabilidade. 14. Direito e desenvolvimento em sociedades complexas. 15. Mudança social e processo legal: a
"complexificação" dos conflitos. 16. Direito, exclusão e vulnerabilidade social. III - Temas contemporâneos 17. Os direitos
humanos e o sistema de justiça como problema social. 18. Direito, protesto e movimentos sociais. 19. O Judiciário e os direitos
sociais. 20. Pluralismo jurídico, novos tipos de conflito e novas configurações do espaço público. 21. A crise do Estado:
globalização, despolitização dos mercados e padronização das políticas econômicas. 22. A globalização e os espaços jurídicos
transnacionais. 23. Direito e política: a juridicização do político e a politização do direito. 24. Novos usos do direito para a
regulação política: o direito numa sociedade policêntrica. 25. O direito e a crise econômica de 2008. 26. Comunidade virtual,
sociedade em rede e comunicação eletrônica: direito, espaço e tempo. IV - Brasil: direito e sociedade 27. O público e o privado:
a construção da legalidade na sociedade brasileira. 28. Regulação e burocratização: o papel do direito na industrialização
brasileira. 29. Direito, tecnocracia e a modernização autoritária pós-64. 30. O direito e a transição democrática brasileira nos
anos 80. 31. Era Vargas versus Era Pós-Vargas: reformas estruturais, abertura comercial e revisão de direitos nos anos 90. 32.
Direito, exclusão social e subcidadania no Brasil 33. Direito e ideologia: ensino jurídico, praxis jurídica e a função social dos
juristas.

Avaliação
Método
Aulas teóricas, práticas e seminários.
Critério
A avaliação do rendimento escolar do aluno será feita em cada disciplina em função de seu aproveitamento verificado em
provas, trabalhos e seminários.
Norma de Recuperação
Para alunos que obtiveram média final compreendida entre 3,0 e 4,9 e frequência mínima de 70% será exigida prova
escrita cuja média para aprovação deverá ser igual ou superior a 5,0.

Bibliografia
ARNAUD, André-Jean. Critique de la raison juridique: 1. Où va la sociologie du droit, Paris, L.G.D.J., 1981. ______. Critique
de la raison juridique: 2. Gouvernants sans frontières: entre mondialisation et post-mondialisation, Paris, L.G.D.J., 2003
(Droit e Société). ______. Dictionnaire de la globalisation. Droit, science politique, sciences sociales, Paris, L.G.D.J., 2010.
______. Entre modernité et mondialisation: leçons d’histoire de la philosophie du droit et de l’État. 2e édition revue et
augmentée, Paris, L.G.D.J., 2004. (Droit et Société). BOURDIEU, Pierre. Les juristes, gardiens de l’hypocrisie collective. In:
CHAZEL, François; COMMAILLE, Jacques. Normes juridiques et régulation sociale, Paris, L.G.D.J., 1991 (Collection Droit et
Société). ______. Esprits d’État: genèse et structure du champ bureaucratique. In: Raisons pratiques: sur la théorie de
l’action, Paris, Éditions du Seuil, 1994. CAILLOSSE, Jacques. La sociologie politique du droit, le droit et les juristes. In:
Droit et société, n. 77, 2011, p. 189-206. CANE, Peter; KRITZER, Herbert. The Oxford handbook of empirical legal
research, Oxford, OUP, 2010. CASTELLS, Manuel. The Rise of the Network Society: The Information Age: Economy,
Society, and Culture, Volume I, 2nd ed., Wiley-Blackwell, 2009. COMMAILLE, Jacques; DUMOULIN, Laurence; ROBERT,
Cécile (dirs.) La juridicisation du politique, Paris, L.G.D.J., 2010. COHEN, Gerald Allan. Karl Marx’s theory of history: a
defence, expanded edition, Princeton, Princeton University Press, 2000. CAPELLER, Wanda. Relire Giddens: entre sociologie
et politique, Paris, L.G.D.J., 2011. CARBONNIER, Jean. Flexible droit: pour une sociologie du droit sans rigueur, 10e edition.
Paris, L.G.D.J., 2001. ______. Sociologie juridique, 2e Édition. Paris, P.U.F. 2008. CHEVALLIER, Jacques. L’État post-
moderne, Paris, L.G.D.J., 2003. DEZALAY, Yves; GARTH, Bryan. Global prescriptions: the production, exportation and
importation of a new legal orthodoxy, Ann Arbor, The University of Michigan Press, 2005. DURKHEIM, Émile. De la division
du travail social, 8e édition, Paris, P.U.F., 2007. ______. Leçons de Sociologie. 5e édition, Paris, P.U.F, 2010. EHRLICH,
Eugen. Fundamentos da sociologia do direito, Brasília, ED. UnB, 1986. EWALD, François. L’État providence, Paris, Bernard
Grasset, 1986. ______. Foucault, a norma e o direito, Lisboa, Vega, 1993. FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas
jurídicas, Rio de Janeiro, Nau, 1996. ______. Vigiar e punir. Tradução de Raquel Ramalhete, 21ª edição, Petrópolis, Vozes,
1999. ______. La société punitive. In: Dits et écrits, v. 2, Paris, Gallimard, 1994, p. 456-470. FAORO, Raymundo. Os
donos do poder: formação do patronato político brasileiro, 3a. ed. revista, São Paulo, Globo, 2001. ______. A questão
nacional: a modernização. In: Revista de Estudos Avançados USP. 1992, vol.6, n.14, p. 7-22. GIDDENS, Anthony; BECK,
Ulrich; LASH, Scott. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna, São Paulo, ED. UNESP,
1997. HABERMAS, Jürgen. Legitimation crisis, Beacon Press, 1975. HABERMAS, Jürgen. Between facts and norms, MIT
Press, 1998. HALPÉRIN, Jean-Louis. Profils des mondialisations du droit, Paris, Dalloz, 2009. IANNI, Octavio. Estado e
planejamento econômico no Brasil, 4a. ed. revista e atualizada, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1986. HELD, David.
Debating globalization, Cambridge, Polity Press, 2005. HUNT, Alan; CAIN, Maureen. Marx and Engels on Law, London,
Academic Press, 1979. HUNT, Alan. Explorations in law and society, New York, Routledge, 1993. JOERGES, Christian;
FALKE; Josef (ed.). Karl Polanyi, globalization and the potential of law in transnational markets, Oxford, Hart Publishing,
2011. KENNEDY, Duncan. A critique of adjudication fin de siècle), Harvard University Press, 1998. KRONMAN, Anthony. Max
Weber, Stanford, Stanford University Press, 1983. LUKES, Steven; SCULL, Andrew (ed). Durkheim and the law, Martin
Robertson, Oxford, 1983. LUHMANN. Niklas. Das Recht der Gesellschaft. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1993. (Trad.
Inglesa: Law as a social system. Oxford: Oxford University Press, 2004; trad. espanhola: El derecho de la sociedad.
México: Universidad Iberoamericana, 2002). ______. Rechtssoziologie. 3. Auflage. Opladen: Westdeutscher, 1987. (Trad.
Brasileira: Sociologia do direito. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983. 2 vols.) MACAULAY, Stewart; FRIEDMAN,
Lawrence; MERTZ, Elizabeth. Law in action: a socio-legal reader, Foundation Press, 2007. MARTUCCELLI, Danilo.
Sociologies de la modernité, Paris, Gallimard, 1999. MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã, São Paulo,
Boitempo, 2007. NONET, Philippe; SELZNICK, Philip. Law and society in transition: toward responsive law. 2. ed., New
Brunswick, Transaction Publishers, 2001. O’DONNELL, Guillermo. Democracy, agency and the state: theory with
comparative intent, OUP, 2010. OFFE, Claus. Capitalismo desorganizado, São Paulo, Brasiliense, 1985. RENNER, Karl. The
Institutions of Private Law and their Social Function, London, Routledge & Kegan Paul, 1949. ROSANVALLON, Pierre. La
nouvelle question sociale: repenser l’État-providence, Paris, Éditions du Seuil, 1995. ______. La legitimité démocratique:
impartialité, reflexivité, proximité, Paris, Éditions du Seuil, 2008. SAN TIAGO DANTAS, Francisco C. Palavras de um
professor, 2a. ed., Rio de Janeiro, Forense, 2001. SANTOS, Boaventura de Sousa. Toward a new common sense: law,
science and politics in the paradigmatic transition, New York, Routledge, 1995. SOLA, Lourdes (org.). Estado, mercado e
democracia: política e economia comparadas, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1993. STEPAN, Alfred (ed.). Authoritarian Brazil:
origins, policies and future, New Haven, Yale University Press, 1973. SWEDBERG, Richard. Max Weber e a ideia de
sociologia econômica, Rio de Janeiro, UFRJ, 2005. TEUBNER, Gunther. How the law thinks: toward a constructive
epistemology of law, San Domenico, European University Institute, Badia Fiesolana, 1989. ______. Constitutional
Fragments: societal constitutionalism and globalization, OUP, 2012. ______.; FEBBRAJO; KJAER, Poul F. The financial crisis
in constitutional perspective: the dark side of functional differentiation, Oxford, Hart Publishing, 2011. TRUBEK, David;
VIEIRA, Jorge Hilário Gouvêa; SÁ, Paulo Fernandes de. Direito, planejamento e desenvolvimento do mercado de capitais
brasileiro (1965-1970), 2a. ed., São Paulo, Saraiva, 2011. TRUBEK, David; SANTOS, Alvaro. The new Law and Economic
Development, Cambridge, Cambridge University Press, 2006. UNGER, Roberto Mangabeira. What should legal analysis
become?, Verso, 1996. ______ . Politics: the central texts, edited and introduced by Zhiyuan Cui, New York, Verso, 1997.
VENÂNCIO FILHO, Alberto. Das Arcadas ao bacharelismo. São Paulo, Perspectiva, 1982. WEBER, Max. Economia e
Sociedade, vol. 2, UnB/Imprensa Oficial de SP, 2004. ______ . General economic history, New York, Collier Books, 1961.
WILKE, Helmut. Smart governance: governing the global knowledge society, Frankfurt/New York, Campus, 2007.

Clique para consultar os requisitos para DFD0215

Clique para consultar o oferecimento para DFD0215

Créditos | Fale conosco


© 1999 - 2018 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP