Você está na página 1de 14

DIREITO ADMINISTRATIVO

07 Os Servidores
Públicos

Introdução

Noções Gerais

Servidores Públicos:
Servidores públicos são uma categoria de agentes administrativos, que por sua vez é uma categoria
dos agentes públicos. Os servidores públicos podem ser civis ou militares e os civis ainda se dividem
em funcionários públicos e empregados públicos.

Agentes Públicos
Agentes Agentes Agentes Agentes Agentes
Políticos Delegados Administrativos Credenciados Honoríficos

Agentes Administrativos
Servidores Públicos Servidores Temporários
Civis Militares
Funcionários Públicos Empregados Públicos

Funcionários Públicos:
São os servidores legalmente investidos nos cargos públicos da Administração Direta e sujeitos às
normas do Estatuto da entidade estatal a que pertencem. Assim, somente são funcionários os que
pertencem à organização central da União, dos Estados-Membros e dos Municípios.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 1
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
! Para efeitos penais, outro é o conceito de funcionário público. O Código Penal considera como tal
“quem embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública”.

Empregados Públicos:
É a relação empregatícia estabelecida pelo poder público no regime da CLT.

Classificação:
Os funcionários públicos podem ser classificados, em relação à entidade a que prestam seus serviços,
em: federais, estaduais, distritais, municipais e autárquicos.
Podem, ainda, ser classificados, em relação ao cargo que ocupam, em: comissionados, efetivos e
vitalícios.

Ingresso de Servidores

Ingresso:
O ingresso de qualquer cidadão no quadro (conjunto de carreiras, cargos e função de um mesmo
serviço) de pessoal da Administração Pública é prestigiado pelos princípios da igualdade e da
acessibilidade de todos aos cargos públicos.

Concurso:
É o procedimento posto à disposição da Administração Pública para a seleção do futuro melhor
funcionário, necessário à realização do serviço que está a seu cargo. Por ele se afastam os inábeis e os
afilhados, prestigiando-se os mais aptos e capazes. É, obrigatoriamente, de provas ou de provas e
títulos, salvo as nomeações para cargo em comissão. Uma vez realizado, vale, no máximo por dois
anos, prorrogáveis por igual período.

Livre Escolha:
É o ingresso no quadro de pessoal independentemente de concurso. A autoridade competente, para
nomear, escolhe, observados os requisitos legais, o futuro funcionário. Por essa forma são
preenchidos os cargos de provimento em comissão, declarados, por lei, de livre nomeação e
exoneração. A escolha é livre e a autoridade, competente para nomear, desde que atendidas as
exigências legais.

!
A Constituição (Emenda n° 19) diz respeito às funções de confiança e os cargos em comissão. As
funções de confiança podem ser exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo
efetivo e os cargos em comissão devem ser preenchidos por servidores de carreira nos casos,
condições e percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas a atribuições de direção,
chefia e assessoramento.

Ingresso de Estrangeiros:
Os portugueses, desde que obedecidas as regras do Estatuto da Igualdade (art. 12,II, e §1º, da
Constituição Federal; Decreto Legislativo 82/71) são considerados como brasileiros em relação ao
ingresso em cargo público. Os outros estrangeiros podem ingressar na forma da lei.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 2
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Contratação por Tempo Determinado:
Pode ser realizada para atender a necessidade temporária, de excepcional interesse público (art. 37,
IX, da Constituição Federal). Na área federal vigora a Lei 8.754, de 09.12.93, abrangendo, por
exemplo, a assistência a situações de calamidade pública ou o combate a surtos endêmicos.

Cargos Públicos

Noções Gerais

Conceito:
Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades criado por lei, com denominação
própria e remuneração própria e em quantidade determinada. Ex.: cargo de Procurador do Estado.
Assim, cargo é o posto, o lugar reservado a uma pessoa, para o desempenho de determinadas
funções.

Função Pública:
É uma tarefa. Todos os cargos têm uma função, mas nem todas as funções decorrem de um cargo.

Criação:
Os cargos públicos só podem ser criados, nas três esferas do governo, por lei. Essa exigência, na
esfera federal, decorre de imperativo constitucional.

Provimento:
É o ato pelo qual se efetiva o preenchimento de cargo público.
Fases da investidura no cargo:
a) nomeação: ato unilateral da Administração que atribui o cargo a alguém;
b) posse: ato solene pelo qual a pessoa nomeada aceita as atribuições do cargo.

Posse:
Com a posse o servidor estará investido no cargo. Na posse, o servidor assina o termo onde constam
as atribuições, os deveres, as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo ocupado. A posse em
cargo público dependerá de prévia inspeção médica oficial.

Abandono de Cargo:
O servidor empossado deve entrar em exercício no prazo de trinta dias. Se não o fizer será
exonerado.

Inassiduidade Habitual:
Difere do abandono de cargo. Esta é observada quando, há a falta ao serviço, sem causa justificada,
por sessenta dias, interpoladamente, durante o período de doze meses. A sua punição a nível federal é
a demissão.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 3
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Formas de Provimento:
a) originária ou inicial: nomeação;
b) derivados: acesso, reintegração, readmissão, reversão, readaptação, aproveitamento.

Vacância:
É a situação de cargo público vago, sem titular. Pode ser:
a) originária: ex.: cargo criado e ainda não preenchido;
b) derivada: ex.: por aposentadoria, falecimento, acesso do titular.

Tipos de Cargos

1) Quanto à forma de provimento:


a) cargo de provimento efetivo: preenchimento em caráter permanente, mediante concurso; os
cargos efetivos podem ser isolados ou escalonados em carreira;
b) cargo em comissão: preenchimento em caráter provisório, dependendo de confiança do
superior hierárquico.

2) Quanto à possibilidade de progressão:


a) cargo de carreira: se escalona em classes, para acesso de seus titulares;
b) cargo isolado: não se escalona em classes, por ser o único em sua categoria, e constitui
exceção no funcionalismo, porque a hierarquia administrativa exige escalonamento das
funções para aprimoramento do serviço e estímulo aos servidores.

Cargos em Comissão:
Os cargos em comissão, ou cargos de confiança, são ocupados em caráter precário, por pessoas que
podem ser mantidas ou não no lugar pelo superior hierárquico. Nos cargos em comissão o servidor
pode ser exonerado “ad nutum”, ou seja, sem necessidade de fundamentação.

Cargos Técnicos:
É o que exige conhecimentos profissionais especializados para o seu desempenho, dada a natureza
científica ou artística das funções que encerra.

Cargos de Chefia:
É o que se destina à direção de serviços. Pode ser de carreira ou isolado, de provimento efetivo ou em
comissão.

Quadro de Servidores

Quadro de Servidores:
É o conjunto de carreiras, cargos isolados e funções gratificadas de um mesmo serviço, órgão ou
líder. O quadro pode ser permanente ou provisório, mas sempre estanque, não admitindo promoção
ou acesso de um para outro.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 4
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Carreira:
É o agrupamento de classes da mesma profissão ou atividade, escalonadas segundo a hierarquia do
serviço, para acesso privativo dos titulares dos cargos que a integram.

Classe:
É o agrupamento de cargos da mesma profissão, e com idênticas atribuições, responsabilidade e
vencimentos. As classes constituem os degraus de acesso na carreira.

Lotação:
Lotação refere-se ao número de servidores previstos para a repartição.

Acumulação de Cargos Públicos


A proibição de acumulação de cargos, empregos e funções, tanto na administração direta quanto na
indireta visa a impedir que um mesmo cidadão passe a ocupar vários lugares ou a exercer várias
funções, sem que as possa desempenhar proficientemente, embora percebendo integralmente os
respectivos vencimentos.

Exceção à regra, quando houver compatibilidade de horários


a) dois cargos de professor;
b) um cargo de professor com outro técnico ou científico;
c) dois cargos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas;
d) um cargo da magistratura e um cargo de professor;
e) um cargo de promotor e um de professor;
f) um cargo de vereador com qualquer outro cargo, emprego ou função.

Direitos e Deveres dos Funcionários Públicos

Direitos
Aos funcionários públicos a Constituição Federal e as leis ordinárias, a exemplo dos estatutos,
asseguram certos direitos:

1) Estabilidade ou Vitaliciedade.
Estabilidade é a garantia funcional adquirida após três anos de efetivo exercício pelo funcionário
concursado, impede que ele seja desvinculado do serviço público. A vitaliciedade é prerrogativa que
impede a perda do cargo, salvo por sentença transitada em julgado, aposentadoria compulsória,
exoneração a pedido ou morte. A vitaliciedade abrange os magistrados, membros do Ministério
Público e membros dos Tribunais de Contas.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 5
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
2) Inamovibilidade:
É prerrogativa que impede a remoção do juiz ou de membro do Ministério Público, salvo interesse
público e nas condições estatuídas respectivamente na Constituição.

3) Irredutibilidade:
Essa prerrogativa impede a diminuição dos vencimentos, no entanto, não inibe a exigência de
tributos, a exemplo do Imposto de Renda. É prerrogativa de todos os servidores.

4) Aposentadoria.
Aposentadoria é a garantia de inatividade remunerada reconhecida aos servidores que já prestaram
longos anos de serviços, ou se tornaram incapacitados para suas funções. A Constituição Federal
assegura a igualdade de vencimentos ou proventos entre os inativos e os servidores em atividade.

5) Remuneração / Subsídio.
Remuneração é a retribuição pecuniária a que faz jus o funcionário pelo efetivo exercício do cargo,
significando a retribuição pecuniária básica padrão. A remuneração não pode ser inferior ao salário
mínimo e tem caráter salarial e alimentar, sendo portanto, impenhoráveis. O subsídio é forma de
remuneração, constituída de parcela única paga a determinadas categorias de agentes públicos e
significando a soma do padrão mais vantagens do cargo, como adicional e gratificações. Há limite
máximo de percepção baseados na remuneração dos Ministros do STF.

6) Disponibilidade:
É o afastamento do funcionário do serviço público, por prazo indeterminado, em razão da extinção
ou da declaração de desnecessidade do cargo que ocupava (CF, art. 41, § 3o). Só nesses dois casos
assegura-se a disponibilidade remunerada.

7) Férias:
São períodos anuais de trinta dias de repouso do funcionário público, sem perda dos vencimentos e
demais vantagens do cargo.

8) Licenças:
As licenças, variáveis de legislação para legislação, são períodos de afastamento do funcionário do
serviço público, com ou sem perda dos vencimentos.

9) Adicionais:
São vantagens pecuniárias a que tem direito o funcionário público em razão do tempo de serviço
(adicional por tempo de serviço) ou do cargo que exige conhecimentos especializados ou um regime
especial de trabalho (adicional de função).

10) Gratificações:
São vantagens de ordem pecuniária outorgadas aos funcionários públicos que desempenham serviços
comuns em condições incomuns ou anormais de segurança, salubridade ou como ajuda, em razão de
certos encargos pessoais (gratificação pessoal).

11) Direito de Greve:


O direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei complementar.

12) Associação Sindical:


É garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 6
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Aplica-se também aos servidores públicos outros direitos assegurados também aos empregados
privados (art. 39, § 3o da CF):

13) Salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades
vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário,
higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder
aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim.

14) Irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.

15) Garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável.

16) Décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria.

17) Remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.

18) Salário-família para os seus dependentes.

19) Duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais,
facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva
de trabalho.

20) Repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos.

21) Remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do


normal.

22) Gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal.

23) Licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cento e vinte dias.

24) Licença-paternidade, nos termos fixados em lei.

25) Proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos termos da lei.

26) Redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança.

27) Adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei.

28) Proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo
de sexo, idade, cor ou estado civil.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 7
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Deveres
Os Estatutos impõem aos funcionários das várias esferas de governo uma série de deveres, tidos
como de observância necessária para o desempenho satisfatório dos respectivos cargos e funções e o
normal funcionamento dos serviços prestados pela Administração Pública aos administrados:

1) Assiduidade:
Deve comparecer habitualmente ao local de trabalho e desempenhar as funções sob sua
responsabilidade.

2) Pontualidade:
Observância dos horários.

3) Discrição:
Exige-se do funcionário reservas sobre os assuntos que lhe são submetidos à apreciação ou serviços
dados à sua execução.

4) Urbanidade:
Tratar os colegas e os administrados com solicitude, respeito e tolerância.

5) Zelo e Lealdade:
Deve ser dedicado ao serviço e respeitar as leis e instituições.

6) Obediência:
Impõe ao funcionário o acatamento das ordens recebidas e a sua imediata execução, salvo se
manifestamente ilegais.

Proibições
Não se confundem com os deveres. As proibições são imposições legais ou constitucionais que
impedem certa atividade ou o exercício de determinado direito. São proibições:

a) a acumulação remunerada de cargo, emprego ou função;


b) o exercício do comércio ou assumir a direção de empresa comercial ou sociedade civil;
c) a pratica de usura;
d) deixar que estranhos à repartição façam o serviço, salvo nos casos previstos em lei; etc.

Atribuição Disciplinar
A atribuição disciplinar, também chamada poder disciplinar, é a que se reconhece a favor da
Administração Pública para punir seus funcionários pelo cometimento de infrações funcionais.

Punições:
As punições geralmente encontradas são:
a) advertência: é aplicada por escrito, nas infrações mais leves;
b) multa;

www.concursosjuridicos.com.br pág. 8
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
c) suspensão: até 90 dias, é aplicada na reincidência de infrações leves;
d) destituição de função;
e) demissão: é aplicada nas faltas graves, podendo ser acrescida da nota “a bem do serviço
público”;
f) cassação de aposentadoria ou disponibilidade: é penalidade aplicada no caso de falta punível
com demissão praticada ao tempo em que o servidor, ora aposentado, ainda estava na ativa.

Processo Devido:
Essas penas só podem ser aplicadas depois de regular processo disciplinar (inquérito administrativo),
salvo os casos de verdade sabida e de flagrância. Nesses casos, do termo respectivo deve constar a
confissão do infrator.

! Demissão é dispensa em caráter de penalidade; exoneração ao contrário, é dispensa sem conotação


de penalidade.

Disponibilidade:
A disponibilidade consiste no desligamento do serviço ativo de servidor estável em razão da extinção
do cargo, da desnecessidade do cargo ou da reintegração de seu titular, com proventos proporcionais
ao tempo de serviço, até o aproveitamento do servidor em outro cargo vago compatível.
A disponibilidade figura também como medida disciplinar em certas carreiras, como, por exemplo,
no art. 42, IV, da Lei Orgânica da Magistratura Nacional, Lei Complementar 35, de 14.03.79.

Processo Administrativo Disciplinar

Sindicância:
O processo administrativo disciplinar pode ser precedido por uma sindicância, para apuração prévia e
reservada de irregularidade.
Nas infrações leves (punidas com advertência ou suspensão de até 30 dias) pode ser aplicada a
penalidade na própria sindicância, sem a necessidade de processo administrativo. Neste caso porém,
deve ser garantido o direito de defesa, na própria sindicância.

O Processo na Área Federal:


O processo na área federal é conduzido por uma comissão de três servidores estáveis, sob a
presidência de um deles, conforme designação da autoridade competente. Divide-se o feito em três
fases:

1) Instauração, com a publicação do ato que constitui a comissão processante.

2) Inquérito administrativo, que compreende instrução, defesa, e relatório.

3) Julgamento.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 9
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Responsabilidade do Funcionário

Conceito:
É em sentido amplo, o dever que o funcionário tem de suportar as sanções que lhe são impostas em
razão de fato ou ato, comissivo ou omissivo, que lhe seja atribuído.

Espécies de Responsabilidade:
O funcionário pode ser responsabilizado penal, civil e administrativamente . Essas responsabilidades
não se excluem mutuamente. Pelo mesmo ato o funcionário pode responder penal, civil e
administrativamente. A par disso, nem sempre a absolvição em uma esfera acarreta a absolvição em
outra.

Responsabilidade Penal:
A responsabilidade penal do funcionário público decorre da prática de qualquer dos crimes
funcionais previstos nos arts. 312 usque 327 do Código Penal, cujo processo obedece ao que dispõem
os arts. 513 a 518 do Código de Processo Penal.

Responsabilidade Civil:
A responsabilidade civil do funcionário público decorre da prática ou da omissão, culposa ou dolosa,
de atos ou fatos que lhe são atribuídos e que causam um dano à Administração Pública.

Responsabilidade Administrativa:
A responsabilidade administrativa resulta de cometimento de infração, pelo funcionário, de normas
internas da Administração Pública ou da violação do correto desempenho das competências de seu
cargo. Incorrem os funcionários nas punições já vistas.

Extinção do Vínculo Estatutário


A relação jurídica que se estabelece entre a Administração Pública e o funcionário pode romper-se.
Essa quebra põe fim à relação jurídica que existia, e as partes (funcionário e Administração Pública)
voltam à situação que vigorava antes desse liame. Diversas são as formas desse rompimento:

1) Extinção por ato da Administração Pública: exoneração e demissão.

2) Extinção por ato do funcionário: exoneração a pedido e aposentadoria facultativa

3) Extinção por fato natural: aposentadoria compulsória, morte e aposentadoria por invalidez.

4) Extinção por lei: perda do cargo em razão de condenação penal.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 10
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Questões de Concursos

01 - (Magistratura/SP – 170) Em relação aos servidores públicos civis, consta que: I) os cargos
públicos são acessíveis a todos brasileiros e estrangeiros residentes no País, que preencham
os requisitos estabelecidos em lei; II) o funcionário público em estágio probatório não pode
ser dispensado por conveniência da Administração e independentemente de inquérito ou da
observância de formalidades para apuração de sua capacidade; III) têm eles direito à
irredutibilidade dos vencimentos ou salários, à licença paternidade e ao repouso semanal
remunerado. Pode-se dizer que
( ) a) apenas as afirmativas I e II são corretas.
( ) b) apenas as afirmativas I e III são corretas.
( ) c) apenas as afirmativas II e III são corretas.
( ) d) todas as afirmativas são corretas.

02 - (Magistratura/SP – 171) É incorreto dizer que


( ) a) o servidor público civil possui direito à livre associação sindical.
( ) b) o concurso público terá a validade de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual
período.
( ) c) os cargos em comissão dependem de concurso público.
( ) d) poderá haver contratação, por tempo determinado, para atender à necessidade
temporária excepcional.

03 - (Magistratura/SP – 173) O servidor público estável


( ) a) poderá perder o cargo mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada
ampla defesa.
( ) b) pode ser demitido em decorrência de avaliação insuficiente.
( ) c) só pode ser demitido por decreto do Chefe do Poder Executivo.
( ) d) só pode ser afastado por efeito de decisão judicial.

04 - (Magistratura/SP – 173) Da independência das instâncias administrativas, civil e criminal,


resulta que
( ) a) o funcionário poderá sempre ser punido em qualquer dessas esferas sem a preocupação
de se esperar o resultado de qualquer outra instância.
( ) b) a absolvição criminal somente afasta a responsabilização administrativa, quando ficar
comprovada a inexistência do fato ou a não-autoria imputada ao funcionário.
( ) c) a absolvição por falta de provas, na esfera criminal, necessariamente terá reflexo no
processo administrativo.
( ) d) a absolvição por falta de provas, no processo criminal, somente terá reflexo na esfera
civil.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 11
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
05 - (Ministério Público/SP – 82) O ato por meio do qual se preenche um cargo público, com a
designação de seu titular, é
( ) a) lotação.
( ) b) preenchimento.
( ) c) transferência.
( ) d) provimento.
( ) e) promoção.

06 - (Magistratura/RS – 2000) Quando se trata de servidor público, a Lei n.º 8.112, de 11.12.90,
Estatuto do Servidor Público Civil da União, Autarquias e Fundações Públicas, é parâmetro
para toda Administração Pública. Neste contexto, é correto afirmar que
( ) a) o concurso público será de provas ou de títulos.
( ) b) a investidura em cargo público ocorrerá com a posse.
( ) c) readaptação é o retorno à atividade do servidor aposentado.
( ) d) reversão é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades
compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade.
( ) e) reintegração é o retorno do servidor estável a cargo anteriormente ocupado.

07 - (Ministério Público/MG – 40) Assinale a alternativa incorreta.


( ) a) O Presidente da República, os Governadores e os Prefeitos são agentes públicos.
( ) b) Os Senadores, os Deputados, os Vereadores, os Ministros de Estado e os Secretários
Estaduais e Municipais são agentes políticos.
( ) c) As pessoas contratadas por tempo determinado para que a Administração Pública
possa atender a necessidade temporária de excepcional interesse público ocupam cargo
público.
( ) d) A contratação de agentes temporários não exige concurso público.
( ) e) As pessoas que colaboram com a Administração Pública por vontade própria são
chamados funcionários de fato.

08 - (Ministério Público/SP – 81)


O servidor titular de cargo efetivo, nos termos do regime de
previdência que a Constituição Federal lhe assegura, pode aposentar-se voluntariamente,
com direito a proventos integrais (correspondentes à totalidade da remuneração do cargo
ocupado no momento da aposentadoria), desde que atenda às seguintes condições:
( ) a) 10 (dez) anos de efetivo exercício no serviço público; 70 (setenta) anos de idade, se
homem, e 65 (sessenta e cinco) anos de idade se mulher.
( ) b) 5 (cinco) anos no cargo; 70 (setenta) anos de idade, se homem, e 65 (sessenta e cinco),
se mulher.
( ) c) 10 (dez) anos de efetivo exercício no serviço público e 5 (cinco) anos no cargo efetivo
em que se dará a aposentadoria; 60 (sessenta) anos de idade e 35 (trinta e cinco) anos
de contribuição, se homem, e 55 (cinqüenta e cinco) anos de idade e 30 (trinta) anos de
contribuição, se mulher.
( ) d) 65 (sessenta e cinco) anos de idade, se homem, e 60 (sessenta) anos, se mulher.
( ) e) 10 (dez) anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria; 53 (cinqüenta e três)
anos de idade, se homem, 47 (quarenta e sete), se mulher.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 12
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
09 - (Ministério Público/SP – 81) Assinale a opção em que não há erro, no que se refere às
conseqüências advindas do exercício de mandato eletivo por parte de servidor público.
( ) a) Tratando-se de mandato de deputado federal, ficará afastado do cargo, emprego ou
função.
( ) b) Tratando-se de mandato de deputado estadual ou distrital, poderá optar entre afastar-se
ou não.
( ) c) Tratando-se de mandato de prefeito, o afastamento será obrigatório, vedada a
faculdade de optar pelos vencimentos de servidor.
( ) d) Tratando-se de mandato de vereador, não havendo compatibilidade de horários,
perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo de
remuneração do cargo eletivo.
( ) e) Tratando-se de mandato de vereador, havendo compatibilidade de horários, aplicar-se-
á a norma da alternativa “B”.

www.concursosjuridicos.com.br pág. 13
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.
Gabarito

01.D 02.C 03.A 04.B 05.D 06.B 07.C 08.C 09.A

Bibliografia

• Curso de Direito Administrativo


Hely Lopes Meirelles

www.concursosjuridicos.com.br pág. 14
 Copyright 2003 – Todos os direitos reservados à CMP Editora e Livraria Ltda.
É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila por qualquer processo eletrônico ou mecânico.