Você está na página 1de 16

HELENA, MEU PÉ DE PIMENTA

HELENA ERA UM PÉ DE PIMENTA.


MAS NÃO DESSAS PIMENTAS COMUNS;
ELA ERA UMA PIMENTA SALTADORA.
ELA PULAVA DE UM CANTO A OUTRO
SEMPRE COM SEU JEITO ENCANTADOR.
DA HORTA AO POMAR,
HELENA PULAVA SEM PARAR.
UM DIA HELENA PULOU...
PULOU...
MAS PULOU TANTO,
QUE ACABOU SE PERDENDO
DO SEU JARDIM.
ASSUSTADA E SOZINHA,
HELENA COMEÇOU A CHORAR.

CHAMOU O MAIS ALTO QUE PODIA:


-MAMÃE, VENHA ME AJUDAR!
A MÃE DE HELENA ESCUTOU,
E MUITO PREOCUPADA FICOU.
O PROBLEMA ERA QUE,
A MÃE DE HELENA JÁ ERA UMA PIMENTA ADULTA,
ELA NÃO CONSEGUIA MAIS PULAR.

SUAS RAÍZES HAVIAM CRESCIDO TANTO


QUE JÁ NÃO PODIAM DO CHÃO DESGRUDAR.
ENTÃO MAMÃE PIMENTA GRITOU:
-HELENA MINHA PEQUENA,
PRESTE ATENÇÃO!
PARE DE CHORAR E
ACALME SEU CORAÇÃO.
-FECHE OS OLHOS,
OUÇA MINHA VOZ,
RESPIRE FUNDO E SINTA
O AROMA DO AR.
COM PACIÊNCIA SEMPRE PODEMOS
UMA SAÍDA ENCONTRAR.
HELENA AOS POUCOS
COMEÇOU A SE ACALMAR.

RESPIROU FUNDO
E PAROU DE CHORAR.
AGORA, PARA SE CONCENTRAR
UMA COISA NOVA TENTOU
PAROU DE PULAR
E OS OLHOS FECHOU.
COMO MÁGICA HELENA COMEÇOU A SENTIR
O AROMA DELICIOSO QUE VINHA DO SEU JARDIM.
ENTÃO ELA ABRIU OS OLHOS
E MAIS UMA VEZ ALGO NOVO FEZ:
COMEÇOU A CAMINHAR!
ISSO MESMO,
CAMINHAR LENTAMENTE.
AOS POUCOS FOI SEGUINDO SEUS SENTIDOS
QUE LHE MOSTRAVA CLARAMENTE POR ONDE IR.
DERREPENTE HELENA RECONHECEU
O LINDO CANTEIRO, DAS ROSAS
MARIANA, ELISA E BEATRIZ.
-HELENA, VOCÊ VOLTOU! – DISSERAM TODAS DE UMA SÓ VEZ.
-SIM MINHAS QUERIDAS AMIGAS,
SEGUI O PERFUME DE VOCÊS! –
EXCLAMOU HELENA, VOLTANDO A SER AQUELA PIMENTINHA
SALTITANTE DE SEMPRE.
ENTÃO,
HELENA EM UM PULO SÓ,
FOI DIRETO PARA O PÉ DA MAMÃE PIMENTA.
DEU-LHE UM LONGO ABRAÇO E DISSE:
-MAMÃE, APRENDIA A LIÇÃO. PULAR APENAS COM SUPERVISÃO.
HELENA DESCOBRIU
QUE NÃO PRECISAVA PULAR O TEMPO TODO PARA SE DIVERTIR.
AGORA DE VEZ EM QUANDO, ELA FECHAVA OS OLHOS
PARA ENCHERGAR COM O CORAÇÃO,
SÓ COM CALMA PODIA APRECIAR
SEU LINDO JARDIM CHAMADO LAR.