Você está na página 1de 25

Administração Financeira II

Sistema Financeiro
Nacional

Professor: Roberto César


SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL

O Sistema Financeiro Nacional pode ser definido como o


conjunto de instituições e orgãos que regulam, fiscalizam e executam as
operações relativas à circulação da moeda e do crédito

Oferta de Sistema Demanda de


Recursos Financeiro Recurso

Faz a intermediação de recursos no mercado


Estrutura do Sistema Financeiro
Sistema
Financeiro
Nacional
Sistema Sistema
Operativo Normativo

Inst. Sist. Inst. Cons. Con. Nac. C. Gestão Inst.


Financ. Brasileiro não Monetário Seguros Previd. Especiais
Bancárias de Poupança Financeiras Nacional Privados Complem
e .
Empréstimos
Super. Inst.
Seguros Resseg.
Inst. Inst. Privados Brasil
Financ. Auxiliares
Sec.
não Previd.
Bancárias Banco Com.
Complem.
Central Valores
Mobiliár.
BB BNDES CEF
Subsistema normativo

Responsável pelo funcionamento do mercado


financeiro e de suas instituições, fiscalizando e
regulamentando suas atividades por meio de
principalmente do CMN (conselho monetário nacional). É
constituído por instituições que estabeleçam diretrizes para
atuação das instituições operativas e controle de mercado.
Conselho Monetário Nacional

O Conselho Monetário Nacional é o órgão supremo do


SFN. Sua finalidade é fixar as diretrizes para as políticas
monetárias, creditícias e cambial do país.
Banco Central

O BACEN é resultado da transformação da antiga SUMOC


que tinha como objetivo implícito preparar a organização do futuro
Banco Central do Brasil.

Atua como órgão executivo central do sistema financeiro.

Sua sede é em Brasília e possui representações regionais


em Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de
Janeiro e São Paulo.
Banco Central

É uma autarquia federal que tem como principal missão


institucional assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda
nacional e da solidez do SFN.

É o "banco dos bancos".

A partir da Constituição de 1988, o BC passou a ter o exercício


exclusivo para emissão de moeda. O presidente do BC e os seus
diretores são nomeados pelo Presidente da República após a aprovação
prévia do Senado Federal, que é feita por uma argüição pública e
posterior votação secreta
Comissão de Valores Mobiliários

A CVM tem por finalidade disciplinar, fiscalizar e


desenvolver o mercado de valores mobiliários, onde são
negociados os títulos emitidos pelas empresas para captar
recursos destinados ao financiamento de suas atividades.

É administrada por um Presidente e quatro Diretores,


nomeados pelo Presidente da República e aprovados pelo Senado
Federal. Eles formam o chamado "colegiado" da CVM. Seus
integrantes têm mandato de 5 anos.
Intermediários financeiros

Bancos

Os bancos, principalmente os comerciais, representam


a base do sistema monetário brasileiro. Eles estão sob a
supervisão, regulamentação e fiscalização do Banco Central
do Brasil e são classificados de acordo com a atividade que
exercem:
Bancos Comerciais

Os bancos comerciais são instituições financeiras privadas ou


públicas que têm como objetivo principal proporcionar suprimento de
recursos necessários para financiar, a curto e a médio prazos, o
comércio, a indústria, as empresas prestadoras de serviços, as pessoas
físicas e terceiros em geral.
Bancos Comerciais

Têm como atividade típica o recebimento de depósitos à


vista em contas de movimento. Efetuam empréstimos, a curto e
médio prazo, ao comércio, à indústria, às empresas prestadoras
de serviços e às pessoas físicas. Prestam serviços de cobrança
bancária mediante o pagamento de comissões e taxas e
transferências de fundos de uma para outra praça. São
constituídas como sociedade anônima e consta na denominação
social o termo "banco".
Bancos de Desenvolvimento

Têm como atividade básica o apoio financeiro às


iniciativas econômicas regionais, por meio empréstimos e
financiamentos, a médio e longo prazo. Também podem
conceder garantias, subscrever ações e debêntures, praticar
operações de arrendamento mercantil, captar recursos com a
colocação de depósitos a prazo e cédulas hipotecárias. São
instituições regionais, estaduais ou federais - como, por exemplo,
o BNDES - sob a forma de sociedade anônima e têm em sua
denominação a expressão "banco de desenvolvimento.
Bancos Múltiplos

São bancos que podem operar simultaneamente com


autorização do Banco Central, carteiras de banco comercial, de
investimento, de crédito imobiliário, de crédito, financiamento e
investimento, de arrendamento mercantil (leasing) e de
desenvolvimento, constituindo-se em uma só Instituição Financeira de
Carteira Múltiplas, com personalidade jurídica própria e, que pode
selecionar com o quê deseja operar, dentre as modalidades referidas.
Cooperativas de Crédito

Atuando tanto no setor rural quanto no urbano, as cooperativas


de crédito podem se originar da associação de funcionários de uma
mesma empresa ou grupo de empresas, de profissionais de
determinado segmento, de empresários ou mesmo adotar a livre
admissão de associados em uma área determinada de atuação, sob
certas condições.

Os eventuais lucros auferidos com suas operações - prestação de


serviços e oferecimento de crédito aos cooperados - são repartidos
entre os associados. As cooperativas de crédito devem adotar,
obrigatoriamente, em sua denominação social, a expressão
"Cooperativa", vedada a utilização da palavra "Banco".
Ativos Financeiros

Créditos e valores realizáveis, Ex.: Ações, contratos futuros,


títulos , etc.

Classificação:

• Pré-fixado
 Renda
• Pós-fixado
- Curto (até 6 meses)
• Determinado - Médio (entre 6 e 24 meses)
 Prazos
• Indeterminado
- Longo (acima de 24 meses)

• Público
 Emissão
• Particulares
Mercado de Ações

Ação: parcela do capital social de uma sociedade negociáveis no


mercado.

 Ordinária

 Preferencial
Bolsa de Valores
Bolsa de valores é o local onde se compram e se vendem as
ações das empresas.

Corretora
conecta cliente
com a bolsa
Bolsa de Valores

Para ter ações em Bolsas,


a companhia deve:

Companhia aberta Companhia Pública

Atender aos requisitos estabelecidos pela Lei


das S.A. (Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009)
e pelas instruções da CVM,
além de obedecer a uma série de
normas e regras estabelecidas pelas próprias bolsas.
BOVESPA - Bolsa de Valores de São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) é o principal


mercado de negociação de ações de empresas de capital aberto do
Brasil. Fundada em 1890, sua sede localiza-se no centro da cidade de
São Paulo.

Em 2008, a Bovespa integrou-se operacionalmente com a


BM&F - principal bolsa de mercadorias e contratos futuros do Brasil -
criando a BMF&Bovespa. O Mercado Bovespa abrange a negociação
de valores mobiliários, de renda variável e renda fixa, tanto no
mercado de bolsa quanto no mercado de balcão organizado. As
principais empresas do país estão listadas no mercado de ações da
Bovespa, inclusive a própria BM&FBovespa (BOV:BVMF3).
BOVMESB

A Bolsa de Valores Minas-Espírito Santo-Brasília - BOVMESB resultou


da fusão, ocorrida em 1974, da Bolsa de Valores de Minas Gerais com a Bolsa
de Valores do Espírito Santo, passando a denominar-se Bolsa de Valores
Minas-Espírito Santo; e da fusão, efetuada em 1976, com a Bolsa de Valores
de Brasília, passando, desde, então, a denominar-se Bolsa de Valores Minas-
Espírito Santo-Brasília (BOVMESB). A fusão com a Bolsa de Brasília permitiu à
Bovmesb englobar, também os estados de Goiás, Mato Grosso do Sul,
Rondônia e Tocantins.

Atualmente, a BOVMESB conta com 14 corretoras membros que


operam no mercado nacional de valores mobiliários, através do sistema
eletrônico da Bovespa, o MEGA BOLSA.
Mercados Financeiros

Mercado monetário

o Operações de curto e curtíssimo prazos

o Permitem o controle da liquidez monetária

o Papéis do Banco Central e Títulos de Estados e Municípios


Mercados Financeiros

Mercado de crédito

• Constituído por bancos comerciais e múltiplos

• Supre necessidades de curto e médio prazos

• Concessões de crédito por empréstimos e financiamentos


Mercados Financeiros

Mercado de capitais

o Ligação entre agentes superavitários e deficitários

o Supre necessidades de longo prazo

o Concessões de crédito para giro e capital fixo


Mercados Financeiros

Mercado cambial
o Compra e venda de moedas conversíveis

o Agentes econômicos que operam no exterior:

o Importadores/exportadores, investidores e inst. financeiras


Bibliografia

ASSAF NETO, Alexandre. Finanças Corporativas e Valor. 3 Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

CAVALCANTI, Franciso; MISUMI, Jorge Yoshio; RUDGE, Luiz Fernando. Mercado de


Capitais: o que é, como funciona. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. 5ª Reimpressão.

GITMAN, L. J. Princípios de Administração Financeira. 12 ed. São Paulo: Pearson


Pretencie Hall, 2010.

MELLAGI Filho, Armando; ISHIKAWA, Sérgio. Mercado Financeiro e de Capitais. – 2.ed.


– 3.reimpr. – São Paulo: Atlas, 2007.

PINHEIRO, Juliano Lima; Mercado de Capitais: fundamentos e técnicas; Atlas, 2005

ROSS, Stephen. et al. Administração Financeira: corporate finance. São Paulo: Atlas,
2002.