Você está na página 1de 6

A

 Moderna  Economia  do  Mundo  

-­‐  expansão  ultramarina  

-­‐  sistema  econômico  comercial  –  pré-­‐capitalista  

*  extrai  o  excedente  monetário  entre  compra  e  venda  

-­‐  África  e  América  tronam-­‐se  meras  unidades  produtoras  

-­‐  o  funcionamento  econômico  dependia  das  rotas  comercias  transoceânicas  

-­‐  Portugal,  Espanha,  Holanda,  França  e  Inglaterra  

-­‐  Áreas  centrais  cresciam  em  detrimento  das  periféricas  

Áreas  periféricas  da  Economia  Mundo  

-­‐  expansão  ultramarina  tornou  o  comércio  exterior  de  dimensão  mundial  

-­‐  esse  comércio  era  coordenado  e  controlado  pela  Europa  em  beneficio  próprio.  

-­‐  foi  impulsionada  pelo  tripé:  metais,  alimentos  e  especiarias  

-­‐  arroz,  açúcar,  pimenta,  cravo-­‐da-­‐índia,  moscada,  marfim,  diamantes.  

-­‐  surgem  as  colônias  

O  Sistema  Colonial  do  Oriente  

-­‐  Oceano  Índico  –  Índia,  Birmania,  Indonésia  

-­‐  China  e  Japão  teve  um  forte  impacto  

-­‐  o  principal  eram  as  especiarias  

-­‐  lucros  eram  d  até  6.000%  

-­‐  Fornecia:  diamantes,  pérolas,  seda,  tapetes,  porcelana  

-­‐  inviabilizou-­‐se  pelo  padrão  de  troca:  metais  preciosos  (prata)  

O  Sistema  Colonial  do  Ocidente  -­‐  Americano  

-­‐  no  novo  mundo  o  sistema  encontrou  maior  eficiência    

-­‐  operou  em  regime  de  monopólio  


-­‐  o  continente  foi  dividido  em  colônias  de  exploração  

-­‐  dependiam  das  metrópoles  européias  –  compra  e  venda  exclusivas  

-­‐  os  produtos  eram  vendidos  acima  do  preço  normal  

-­‐  a  forma  de  trabalho  foi  a  compulsória  

*  indígena,  temporária  (órfãos,  desempregados,  criminosos,  etc.)  e  a  africana  

-­‐  a  africana  prosperou  por  ser  uma  região  bem  povoada,  acessível  e  próxima  da  América  

-­‐  a  especialização  da  África  passou  a  ser  a  mão-­‐de-­‐obra  escrava  

-­‐  12  a  15  milhões  de  negros  foram  trazidos  para  a  América  

-­‐  as  colônias  americanas  tiveram  três  características  comuns:  

*  grande  propriedade  rural  

*  especialização  produtiva  

*  comercialização  externa  de  sua  produção  

-­‐  no  nordeste  dos  Estados  Unidos  houve  a  existência  de  colônias  de  povoamento  

-­‐  presença  francesa  no  Canadá.  

Áreas  Centrais  da  Economia  Mundo  

Fase  de  expansão  do  Século  XVI    

-­‐  Estendeu-­‐se  de  1501  –  1620  –  ingresso  do  ouro  das  Américas.  

-­‐  Portugal  e  Espanha  tornaram-­‐se  pólos  econômicos  

-­‐  Portugal  associou-­‐se  aos  Holandeses  no  comércio  do  açúcar  

-­‐  Portugueses  produzia  e  os  holandeses  financiavam  e  comercializavam  na  Europa  

-­‐  Revolução  dos  preços  devido  a  inflação  de  demanda  

-­‐  Afluxo  de  metais  das  Américas  

-­‐  A  inflação  foi  um  grande  incentivo  a  população  global  

-­‐  Moeda  cresceu  10  vezes  e  os  preços  4  vezes  –  Acumulação  de  Capital  

 
 

Fase  de  Depressão  

-­‐  Deveu-­‐se  a  três  razões  principais:  

*  a  redução  no  volume  de  metais  preciosos  

*  a  inconsistência  na  recuperação  demográfica  

*  sistema  comercial  incapaz  de  auto  -­‐  sustentar-­‐se  

-­‐  A  demanda  era  artificial,  ocorreu  pela  entrada  de  metais  

-­‐  a  entrada  de  metais  tornou-­‐se  inconstante,  desequilíbrio  entre  oferta  e  demanda  

-­‐  baixa  os  preços  retração  no  consumo  =  retração  nos  negócios  

-­‐  ampliação  dos  poderes  do  Estado  –  Intervenção  na  Economia    

Mercantilismo  

-­‐  São  teorias  e  práticas  de  intervenção  estatal  na  economia  

-­‐  O  estado  incentiva  o  comércio,  para  tributá-­‐lo  

1.  Metalismo  

-­‐  “fome  metálica”  –  mais  metal  traria  maior  poder  e  prosperidade  

-­‐  a  queda  da  produção  de  minas  e  saída  de  metais  pro  Oriente  desencadeou  a  depressão  

-­‐  entendiam  que:  metais  preciosos  baixavam  os  juros,  estimulando  os  negócios  

-­‐  na  verdade  elevavam  os  preços  e  o  consumo  excessivo  das  importações  que  levavam  os  
metais  

-­‐  a  produção  de  metais  não  era  própria  

2.  Balança  Comercial  favorável  

-­‐  exportações  maiores  que  importações  

-­‐  protegiam  também:  matérias-­‐primas,  artefatos  bélicos  e  conhecimento  técnico  

3.  Nacionalismo  econômico  

-­‐  apoio  e  incentivo  a  produção  manufatureira  nacional  

-­‐  tornam-­‐se  auto-­‐suficiente  e  exportar  o  excedente  


-­‐  preocupação  com  o  crescimento  demográfico  (mão-­‐de-­‐obra)  

4.  Colonialismo  

-­‐  precisavam  das  matérias-­‐primas  tropicais:  

*  as  colônias  atingiam  os  objetivos  metalista  

-­‐  possuíam  metais  preciosos,  consumiam  os  produtos  e  forneciam  matéria-­‐prima  

O  Sistema  Econômico  Capitalista  

-­‐  o  sistema  comercial  superado  pela  produção  fabril  

-­‐  crescimento  do  volume  –  produtividade/inovações  

-­‐  forma  fabril  de  produção  –  início  do  capitalismo  

*  concentração  dos  meios  de  produção:  burguesia  

*  ferramentas  e  matéria-­‐prima  não  lhes  pertence  

*  proletariado  vende  apenas  a  força  do  trabalho  

-­‐  força  de  trabalho  –  é  a  capacidade  de  realizar  uma  tarefa  no  mercado  a  fim  de  garantir  a  
sobrevivência  

-­‐  o  capitalismo  extrai  o  excedente  dentro  do  próprio  processo  produtivo  

-­‐  mais-­‐valia  –  diferença  entre  salário  e  produção  do  trabalho  

-­‐  na  compra  do  produto  o  trabalhador  recebe  uma  dupla  extração  

-­‐  volume  de  produção  cresce  verticalmente  

*  inovação  técnicas  

*  cresce  produtividade  =  cresce  mais-­‐valia  

-­‐  capitalismo  tem  duas  pré-­‐condições  

-­‐  concentração  dos  meios  de  produção  

*  proletariado  somente  com  a  força  da  produção  

-­‐  não  realiza  pleno  emprego:  exército  de  reserva  (desempregados)  

-­‐  permitir  a  produtividade  barateando  os  salários  

 *  reserva  estratégica  para  futura  expansão  

 
Revolução  Industrial  Inglesa  

-­‐  chamada  de  “I  Revolução  Industrial”:  vapor  

-­‐  o  homem  torna-­‐se  independente  das  forças  da  natureza  

-­‐  entre  1769  e  1782  James  Watt  –  Máquina  a  Vapor    

-­‐  expandir  também  para  os  transportes:  ferrovias  e  navios  

-­‐  ciclos  produtivos  em  função  da  demanda    

-­‐  trabalhador  subordinado  a  máquina  –  tarefas  simples  e  repetitivas  

-­‐  a  revolução  inglesa  caracterizou-­‐se  pelo  tripé:  indústria  têxtil,  siderúrgica  e  mineração  de  
carvão  

-­‐  têxtil  –  totalmente  mecanizada  –  primeira  atividade  realmente  fabril  

-­‐  siderurgia  –  utensílios  domésticos  e  implementos  agrícolas  

-­‐  as  primeiras  estradas  de  ferros  comerciais  

-­‐  a  mineração  de  carvão  –  combustível  básico  para  o  vapor  

-­‐  população  rural  caiu  de  52%  (1851)  para  22%  (1911)  

-­‐  população  urbana  chegou  a  decuplicar  

-­‐  trabalhador  –  acessório  substituível  na  produção  

-­‐  empregos  disseminaram-­‐se  entre  mulheres  e  crianças  

-­‐  jornada  de  14  -­‐  16hs  /  6  dias  por  semana  

-­‐  remuneração  a  nível  de  subsistência  

-­‐  habitavam  cortiços  sem  higiene  

-­‐  proletariado  procurou  meios  de  atenuar  este  cenário  

-­‐  conseguiram  :  

*  1833  –  reduzir  jornada  infantil  para  12hs/dia  

*  1842  –  proibir  trabalho  infantil  e  feminino  nas  minas  subterrâneas  

*  1844  –  jornada  máxima  de  10hs  para  mulheres  e  crianças  em  todas  as  fábricas  

 
A  Segunda  Revolução  Industrial  

-­‐  a  partir  do  séc.  XIX  as  inovações  técnicos  estenderam-­‐se  a  outros  países  europeus,  ao  Japão  e  
aos  EUA  

-­‐ferro  transforma-­‐se  em  matéria  –  prima  para  o  aço  

-­‐  o  vapor  é  substituído  pela  eletricidade  e  pelo  petróleo  

-­‐  ferrovias  substitui  o  material  fluvial  

-­‐  siderurgia  substitui  o  ferro  pelo  aço  

-­‐  1864  –  Martin  -­‐  o  ferro  pode  ser  reaproveitado  

-­‐  1879  –  Thomas  Edson  –  lâmpada  –  cabo  elétrico  

-­‐  1876  –  Nikolaus  Otto  -­‐  motor  a  combustão  interna  

-­‐  1885  –  carros  produzidos  industrialmente  

-­‐  1897  -­‐  Diesel  utilizar  óleo  cru  

-­‐  1908  –Henry  Ford  –  EUA  –  produção  em  massa  

-­‐  surge  a  industria  química  –  “imita  a  natura”  

-­‐  especialização,  linhas  de  produção  e  barateamento    

-­‐  II  Revolução  Industrial  –  mudança  na  composição  do  capital  

-­‐  proliferação  das  sociedades  anônimas  

-­‐  pequenas  e  médias  empresas  não  podiam  competir  

-­‐  bancos  passam  a  ter  controle  sem  ter  vínculo  

-­‐  “capital  maior  engole  o  menor”  

-­‐  fusões  e  aquisições:  diminui  a  concorrência  

-­‐  trustes:  acumulação  horizontal  do  capital  

-­‐  cartéis:  acumulação  horizontal  do  capital  

-­‐  ciência  –  P  &  D  

-­‐  surgem  os  administradores  científicos