Você está na página 1de 2

LOCALIZAÇÃO ABSOLUTA E LOCALIZAÇÃO RELATIVA

1- Localizar um lugar significa apontar com precisão a sua posição na superfície terrestre, indicando as suas
coordenadas geográficas (latitude e longitude), principalmente, e também a sua altitude (ou profundidade, no caso de
recursos no subsolo ou no fundo do mar). Mas apenas isso não esgota o tema localização.
1.1- Esses dados fornecem apenas a chamada localização absoluta, ou fixa, também conhecida como posição, que é
a área ou o ponto preciso do espaço terrestre no qual um lugar ou um objeto se encontra.
1.2- Existe ainda a localização relativa, ou situação, que é mais complicada e pode variar bastante com o decorrer do
tempo ou das modificações históricas. A situação, ou localização relativa, diz respeito às relações (reais ou potenciais)
que um lugar mantém com os demais, ou seja, que vantagens (ou desvantagens) esse lugar possui para as atividades
humanas.
1.3- Vejamos alguns exemplos para esclarecer melhor esse tema:
A situação geográfica da cidade de São Paulo
2- Afirma-se, freqüentemente, que a localização da cidade de São Paulo favoreceu bastante a sua industrialização. O
que significa isso? Não se trata apenas da localização absoluta, isto é, da latitude, longitude e altitude dessa cidade.
Trata-se, fundamentalmente, da sua localização relativa ou situação geográfica, que foi favorecida pelos seguintes
fatores, entre outros: o fato de a cidade ser um ponto de passagem obrigatório para Santos, que, na época em que se
iniciou a industrialização (fim do séc XIX e começo do XX), era o grande porto de exportação do principal e quase
exclusivo produto brasileiro até então, o café; o fato de dispor de boas condições naturais para a obtenção de energia
hidrelétrica; o fato de existir na cidade e nas redondezas um bom numero de imigrantes (italianos, espanhóis e outros),
que já haviam trabalhado em indústrias na Europa.
2.1- Dessa forma, a localização relativa leva em consideração uma serie de fatores que favorecem (ou não) um lugar
em relação aos demais. Ela se refere a um determinado momento histórico e é, portanto, algo relativo e dinâmico, ao
contrario da localização absoluta, que nunca muda (pelo menos não para os lugares, as cidades, etc.; ela muda
apenas para os aviões ou navios). Explicando melhor: desde que foi fundada, em 1554, a cidade de São Paulo tem a
mesma posição ou localização absoluta: em média 750 m de altitude, 23º34’ de latitude sul e 46º38’ de longitude
oeste. Mas a sua localização relativa pode se alterar bastante em função das mudanças tecnológicas
(desenvolvimento dos meios de transportes e comunicações), econômicas, sociais, geopolíticas etc. A proximidade
com o porto de Santos, por exemplo, já não garante a afluência de capitais oriundos do comércio de café, tal como
naquele período mencionado, mas existem hoje outros elementos importantes para a localização relativa se São Paulo
(redes de telecomunicações e de informática, por exemplo), que não existiam naquela época.
A importância estratégica da localização do Afeganistão
3- O Afeganistão é considerado um país que possui localização geográfica estratégica. O que isso quer dizer? É
evidente que não é apenas, nem principalmente, a localização absoluta, ou seja, as coordenadas geográficas e a
altitude do território afegão. É a importância (real ou potencial) desse país para a geopolítica dos nossos dias. Para
começar, ele fica bem no meio das duas regiões do globo com as maiores riquezas em petróleo e gás natural: o
Oriente Médio (a oeste do Afeganistão) e a Ásia Central (ao norte). Há trezentos anos, esse fato não tinha a menor
importância, mas, nos dias atuais, essas fontes de energia são vitais para a economia moderna.
3.1- Depois há o fato de que o território afegão encontrar-se no caminho entre a Rússia e o oceano Índico, que tem
como antiga aspiração buscar uma saída para essas águas oceânicas quentes, pois possui litoral apenas com mares
gelados e pouco propícios para a existência de um porto – civil ou militar – que funcione bem durante o ano todo. E
como os países da Ásia Central (Cazaquistão, Usbequistão, Turcomenistão, entre outros), ricos em petróleo e em gás
natural, não possuem saída para o mar, qualquer oleoduto que parta deles em direção ao oceano Índico deverá passar
pelo território do Afeganistão.
3.2- Como se vê, a localização relativa, como o próprio nome sugere, é algo que se refere a um conjunto de relações
(reais ou potenciais) entre um lugar e os seus vizinhos ou até mesmo com o resto do mundo.
Outros exemplos de localização relativa
4- A Localização sempre foi e continua sendo importante para os indivíduos, para os negócios, para a política, para as
mudanças históricas. Uma das maiores preocupações de uma família, quando vai alugar ou comprar uma casa ou um
apartamento, é a localização relativa: se existem transportes coletivos (ônibus, metrô) para o trabalho ou para a
escola; se, no caso de uso de carro, as vias de acesso são boas e o transito não é congestionado; se há segurança,
se existem nas redondezas supermercados ou lojas, escolas, áreas de lazer, etc.
4.1- Também na vida política isso ocorre: quase todos os políticos querem mais verbas para as áreas ou regiões onde
tem a maior parte do seu eleitorado. Assim, a cidade de Washington, a capital dos Estados Unidos, foi construída no
fim do século XVIII no lugar em que se encontra em virtude de sua localização: no nordeste do país, onde se
concentrava a imensa maioria da população no período, próxima de Filadélfia e de Nova York e numa área banhada
pelo rio Potomac e com um relevo ondulado propício à construção de monumentos. E Londres foi escolhida para
capital do Reino Unido no séc IX em virtude de sua posição, que permitia maior defesa contra os freqüentes ataques
inimigos.
4.2- No que se refere a empresas, também sua localização é algo determinante para o seu sucesso ou fracasso:
algumas indústrias necessitam de água abundante, outras de minérios, outras de boas estradas para escoar a
produção, outras ainda necessitam estar próximas a um importante mercado consumidor, e a maioria das empresas de
hoje em dia precisa estar localizada num lugar em que haja boa infra-estrutura em comunicações (principalmente
telefonia), etc.
GPS, o mais moderno sistema de lacalização
5- Localizar-se no espaço geográfico sempre foi uma necessidade para os seres humanos. Todos eles – e talvez até
alguns animais – possuem os seus mapas mentais, que são esquemas de orientação. Os primeiros mapas escritos
surgiram há milhares de anos. Mas o maior problema de localização era quando se viajava, especialmente de navios.
5.1- Durante milênios, o sol e algumas estrelas foram utilizados como meio de localização. Mas eles não bastam, pois
apenas indicam de forma aproximada os meios de orientação – norte, sul, noroeste, etc. – e nunca uma localização
exata. A invenção da bússola foi importante, embora ainda insuficiente. Afinal, ela também indica os pontos de
orientação (com maior precisão do que os astros), mas não as coordenadas geográficas do lugar onde se está.
5.2- No séc XX, surgiu a localização através de sinais de rádio, o que aprimorou bastante a orientação de qualquer
navio ou de qualquer pessoa que esteja num lugar desconhecido. Mas a última palavra em matéria de localização, de
saber com precisão a latitude e a longitude (e também a altitude e a profundidade) de um lugar é o Global Positioning
System (GPS), ou sistema de posicionamento global.
5.3- O GPS foi concebido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos na década de 1960 e considerado como
totalmente operacional apenas em 1995. consiste de 24 satélites artificiais que foram colocados em órbita a cerca de
20.200 km da Terra. Eles circulam duas vezes por dia ao redor do planeta, emitindo sinais de rádio codificados. Testes
realizados em 1972 mostraram que a pior precisão (isto é, a margem de erro) do sistema era de 15 m e a melhor de
um metro.
5.4- Para utilizar esse sistema de localização, é necessário dispor de um receptor, que possui uma antena que capta
os sinais de alguns desses satélites. Menos de um segundo é o tempo necessário para processar os dados e calcular
a posição em que você está. Receptores de vários tipos são utilizados por navios e aviões, por inúmeros caminhões e
demais veículos e até mesmo por pesquisadores de campo (técnicos e cientistas que fazem levantamentos de áreas
para estudar algum impacto ambiental, por exemplo).
5.5- O uso de GPS associado com um bom mapa é um excelente instrumento de localização, de orientação e de
navegação. O GPS tem se tornado cada vez mais popular entre Ciclistas, balonistas, pescadores, ecoturistas e
mesmo entre pessoas que apenas querem se orientar melhor em suas viagens.
5.6- Ele produziu também uma nova modernização na agricultura, gerando a chamada agricultura de precisão. Uma
máquina agrícola dotada de receptor GPS armazena dados relativos à produtividade em um cartão magnético, e esses
dados são manipulados com ajuda de um programa de computador, que origina num mapa de produtividade da
lavoura. As informações permitem também aprimorar a aplicação de corretivos e fertilizantes. Lavouras norte-
americanas e européias já usaram esse processo.
5.7- Apesar de ser cada vez mais usado pelas empresas e pelo público em geral, o GPS continua a ser controlados
pelos militares dos Estados Unidos. Preocupados com o uso inadequado do sistema, as autoridades norte-americanas
instalaram dois tipos de precisão: alguns códigos que permitem uma localização bem mais acurada são conhecidos
apenas pelos “usuários autorizados” (ou seja, as forças armadas dos Estados Unidos) e outros códigos, um pouco
menos precisos, foram liberados para os usuários em geral (isto é, ara os civis, para uso comercial).
5.8- Os receptores GPS de uso militar Têm precisão de 1 metro, e os de uso civil, de 15 a 100 metros.

ATIVIDADES

I- O que é localização absoluta? E localização relativa?


II- Comente a respeito da localização relativa do seu município: quais são os seus meios de transporte e de
comunicação? Ele está perto de qual município ou municípios importantes? Quais são os seus recursos naturais?
III- Explique o que é GPS.