Você está na página 1de 1

Kuok Chi Kin disputou final do salto em comprimento

Macau ainda sem medalhas em Incheon

A segunda edição dos Jogos Para-Asiáticos já leva quatro dias nas pernas, mas a comitiva que
representa a Região Administrativa Especial de Macau no certame ainda não garantiu qualquer
medalha na principal competição asiático de desporto adaptado. As cores do território fazem-se
representar em Incheon por um total de 25 atletas, que já competiram ou vão ainda competir em
modalidades tão distintas como o atletismo, o badminton em cadeira de rodas, a natação, o ténis de
mesa em cadeira de rodas, o boccia ou a esgrima, também em cadeira de rodas.
Ontem, os atletas do território estiveram em acção em modalidades como o boccia e o atletismo,
mas não conseguiram emular o desempenho alcançado pela delegação que representou Macau, há
cerca de um mês, na décima sétima edição dos Jogos Asiáticos, disputados nas mesmas instalações
que agora acolhem o mais competitivo certame do desporto adaptado do continente asiático. Na
mais emblemática das modalidades para atletas com portadores de deficiência – o boccia – os
atletas de Macau ficaram aquém das expectativas, ao não conseguirem levar a melhor sobre os
adversários. Nas provas mistas da categoria BC1, os três representantes do território somaram por
derrotas os desafios disputados. Tang U Kei foi a primeira a entrar em cena, perdendo frente ao sul-
coreano Lee Dong-won por 5-1. Ngai Tong Loi competiu pouco depois e não esteve muito melhor,
ao perder frente a Sun Kai, da República Popular da China, por 7-0. Choi Io Hong encerrou a
participação dos atletas de Macau nas provas da categoria BC1 com nova derrota, desta feita frente
a Leung Mei Yee. A atleta da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong derrotou Choi
Io Hong por 9-1. Mais severa foi a derrota encaixada por Wong Mei San nas provas mistas da
categoria BC4. A atleta de Macau perdeu por 18-0 frente ao tailandês Larpyen Pornchok.
Não foi, no entanto, apenas nas andanças do boccia que as cores da RAEM se fizeram representar.
No atletismo, Kuok Chi Kin esteve ontem em destaque na final da prova masculina de salto em
comprimento na categoria T20. O atleta, de 18 anos, completou a prova na décima primeira e última
posição da tabela, num evento ganho pelo malaio Abdul Latif Romly.
Vistos mais como um mecanismo de integração do que um desafio ou do que um convite à
competitividade, os Jogos Para-Asiáticos exponenciam o papel do desporto como elemento de
valorização pessoal, mas as principais potências desportivas do continente asiático nem por isso
deixam créditos por mãos alheias. Ao fim de quatro dias de competição, a República Popular da
China encabeça a lista dos países e territórios mais medalhados, com 179 galardões, seguida da
anfitriã Coreia do Sul com 79 medalhas. Há quatro anos, em Cantão, Macau esteve representada em
quatro modalidades, tendo encerrado a participação na edição inaugural da prova sem qualquer
medalha.