Você está na página 1de 10

24/06/2016

Unidade A – Critérios de evidência


 (A1) Sequencializar um projeto em tarefas elementares (saber os passos a seguir)
 (A2) Usar relações de conversão cambial para proceder a operações financeiras
habituais
MATEMÁTICA  (A3) Analisar e interpretar criticamente gráficos relativos a situações da realidade

PARA A VIDA – B3  (A4) Comparar conjuntos de dados utilizando: frequências absolutas e frequências
relativas
 (A5) Analisar e comparar distribuições estatísticas utilizando medidas de localização
Descodificação do referencial de competências-chave – (moda, mediana e média aritmética)
processo de RVCC – reconhecimento, validação e
certificação de competências  (A6) Analisar criticamente a validade de argumentos baseados em indicadores
estatísticos.
Formadora: Ilda Reis – Agrupamento de Escola do Castêlo
da Maia  (A7) Tratar informações numéricas contidas em textos, com vista a uma interpretação
mais esclarecida
 (A8) Comunicar processos e resultados usando a linguagem matemática e a língua
portuguesa

Unidades de competência (UC) Unidade A – Critérios de evidência – Como provar o que sei?
 Sequencializar um projeto em tarefas elementares (saber os passos a seguir)
 Unidade A – Interpretar, organizar, analisar e comunicar informação utilizando
processos e procedimentos matemáticos  Planear uma viagem;
 Comprar uma casa;
 Abrir uma pequena empresa; etc
 Unidade B – Usar a matemática para analisar e resolver problemas e situações
problemáticas  Usar relações de conversão cambial para proceder a operações financeiras
habituais
 Unidade C – Compreender e usar conexões matemáticas em contextos de vida
Exemplo: A viagem a Londres
O Rui foi a Londres de 5 a 10 de fevereiro. A figura ao
 Unidade D – Raciocinar matematicamente, nomeadamente de forma indutiva e de
lado mostra o valor de 1€ na moeda inglesa, a libra, nos
forma dedutiva
primeiros 15 dias do mês de fevereiro.
a) Quanto valia 1€, em moeda inglesa, no dia 1/02?
b) Na véspera da partida, o Rui trocou 100€ por libras.
Quantas libras recebeu?
c) No dia seguinte à sua chegada, o Rui foi trocar as libras
por euros. Quantos euros recebeu?
24/06/2016

Unidade A – Critérios de evidência – Como provar o que sei? Unidade A – Critérios de evidência – Como provar o que sei?
 Analisar e interpretar criticamente gráficos relativos a situações da realidade
 Analisar e comparar distribuições estatísticas utilizando medidas de localização
 Retirar informação útil dos gráficos apresentados, por exemplo, nas faturas de eletricidade e do gás e
tecer considerações sobre esses dados.
(moda, mediana e média aritmética)

Exemplo: A fatura da luz Exemplo: Os salários


O gráfico a seguir mostra os consumos de eletricidade nos últimos 12 meses de um agregado familiar. Um grupo de 7 amigos, trabalhadores de uma mesma empresa, juntou-se a discutir a situação
económica familiar de cada um. Os vencimentos auferidos são os que constam na tabela abaixo:

505€ 505€ 980€ 750€ 2200€ 1250€ 505€

a) Qual é a média dos vencimentos destes amigos?


b) Qual é o vencimento mais frequente (moda dos vencimentos)?
c) Qual o valor mediano dos vencimentos?
a) Qual o mês de maior consumo?
d) Se os trabalhadores quiserem pedir um aumento de salário, a que medida de localização (média,
b) Qual o motivo para não haver registos em todos os meses? moda e mediana) devem apelar?
c) Qual o mês de menor consumo? e) Qual destas medidas deve usar o patrão para refutar a proposta de aumento?
d) Qual a causa provável para o aumento do consumo entre os meses de Outubro a Abril? f) Compare estes dados com os salários de outro grupo de amigos (desta vez com um número par de
e) Indique uma vantagem e uma limitação de apresentar os dados usando um gráfico de barras. amigos)

Unidade A – Critérios de evidência – Como provar o que sei? Unidade A – Critérios de evidência – Como provar o que sei?

 Comparar conjuntos de dados utilizando: frequências absolutas e frequências  Analisar criticamente a validade de argumentos baseados em indicadores estatísticos.
relativas  Quando usamos estatística temos de prestar atenção a todos os dados do problema sob pena das
Exemplo: O parque automóvel conclusões distorcerem a realidade ou sermos facilmente manipulados..
Dia 3 Dia 4
O Sr. José é vigilante de um parque automóvel
durante o período da manhã.  Exemplo: Suponha que, numa dada localidade, o hipermercado “Preços loucos” é o que mais
08:00 – 08:59 30 10 promoções faz num determinado mês. Podemos concluir que é o que vende mais barato?
Todos os dias regista hora a hora o número de
veículos que entra no parque. 09:00 – 09:59 20 4  Tratar informações numéricas contidas em textos, com vista a uma interpretação
Suponha que dispõe dos dados recolhidos
10:00 – 10:59 10 5
mais esclarecida
nos dias 3 e 4 de um determinado mês.
a) Em qual dos dias foi maior a afluência de 11:00 – 11:59 30 6 Exemplos: Orçamentos
automobilistas?
O Sr. Manuel pretende pavimentar o terraço de sua casa e pediu ao empreiteiro um
b) Qual a percentagem de veículos recolhidos entre as 10:00 e as 12:00 em cada um dos dia? orçamento para ter uma ideia de quanto vai gastar. O valor do orçamento foi de 1100€ e no
c) Se a frequência relativa de veículos recolhidos em determinada hora for maior num dos dias podemos final continha a menção “acresce IVA à taxa legal em vigor”. Sabendo que o IVA é de 23%,
concluir que o número de veículos recolhido nessa hora foi maior? qual foi o valor pago?

Outros exemplos: analisar o artigo publicado em www.edificioseenergia.pt, a 3/11/2015, sobre


Outro exemplo: comparar as despesas mensais de dois meses e analisar as frequências absolutas e eficiência energética; calcular o aumento da renda de uma habitação
relativas de algumas rúbricas)
24/06/2016

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas


Unidade A – Critérios de evidência – Como provar o que sei? recorrendo à matemática sem dar conta do facto?

 Utilizar um modelo de resolução de problemas


 Comunicar processos e resultados usando a linguagem matemática e a língua
portuguesa  Resolver problemas que envolvam modelos matemáticos simples como equações e
 Explicar o orçamento familiar usando alguns termos da matemática como as percentagens, as médias, inequações do 1º grau e o teorema de Pitágoras.
etc.  Equações do primeiro grau
Exemplo: Ida às compras
Um iogurte de fruta custa mais 10 cêntimos do um natural.
A Maria comprou 5 iogurtes naturais e seis iogurtes de fruta
por 5€.
Qual o preço dos iogurtes naturais?

Exemplo: A raspadinha
Na hora do almoço, o Sr. José costuma ir ao café beber
um café e jogar duas raspadinhas iguais.
Para encontrar dados estatísticos podem procurar em jornais, revistas e em sites eletrónicos (por A raspadinha custa mais 0,20€ que o café.
exemplo: Pordata, PordataKids, INE). Na página facebook do Pordata já estão construídos muitos
Sabendo que o Sr. José gastou numa semana (7 dias) 15,40€,
gráficos que podem relacionar com as experiências de vida.
qual o preço da raspadinha?

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas
recorrendo à matemática sem dar conta do facto? recorrendo à matemática sem dar conta do facto?

 (B1) Utilizar um modelo de resolução de problemas  Inequações do primeiro grau

 (B2) Resolver problemas que envolvam modelos matemáticos simples como Exemplo: Salário comissionado
equações e inequações do 1º grau e o teorema de Pitágoras.
O Sr. Manuel trabalha numa empresa de desporto. O seu salário base é de
505€ ao qual acresce um valor de 20 cêntimos por cada artigo vendido.
 (B3) Resolver problemas que envolvam números racionais não inteiros e alguns Quantos artigos tem de vender num mês para auferir um salário de pelo
irracionais (ߨ, 2, etc), usando a estimativa e o cálculo mental como meio de controle

menos 750€?
de resultados.
 (B4) Resolver problemas que envolvam os conceitos de: perímetro, área, volume,
potenciação e radiciação. Exemplo: Classificação do teste

 (B5) Resolver problemas que envolvam o raciocínio proporcional: percentagens, Em quatro testes, o Diogo obteve as seguintes classificações
proporcionalidade aritmética e proporcionalidade geométrica. 68%, 72%, 62%, 86%
Ainda lhe falta fazer um teste e ele gostava de ter uma média de
 (B6) Resolver problemas que envolvem os conceitos de proporcionalidade direta e pelo menos 75%. Qual a nota mínima que precisa de ter?
inversa.
24/06/2016

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas
recorrendo à matemática sem dar conta do facto? recorrendo à matemática sem dar conta do facto?

 Teorema de Pitágoras (ver demonstração geométrica de Perigal)  Resolver problemas que envolvam números racionais não inteiros e alguns irracionais
(ߨ, 2 , etc), usando a estimativa e o cálculo mental como meio de controle de


Num triângulo retângulo, a soma dos quadrados das medidas dos catetos é igual ao quadrado da resultados.
medida da hipotenusa.

 Resolver problemas que envolvam os conceitos de: perímetro, área, volume,


potenciação e radiciação.

Exemplo: A circunferência
Um jardineiro colocou um estaca num terreno e atou um fio com
1,8 metros de comprimento. Na outra extremidade do fio colocou
um prego. Com a corda sempre esticada deu uma volta completa
em torno da estaca desenhando assim uma circunferência.
a) Qual o perímetro (comprimento) da circunferência?
b) O jardineiro decidiu vedar a região delimitada pela circunferên-
cia. Quantos metros de rede teve que adquirir?
c) Que área delimita a circunferência?
d) Se a área fosse, aproximadamente, 20,36 metros quadrados, (isto é, o dobro da calculada na alínea
anterior) poderia concluir-se que o raio da circunferência era o dobro do atual?

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas
recorrendo à matemática sem dar conta do facto? recorrendo à matemática sem dar conta do facto?
Exemplo: Floreira
Exemplo: Altura do telhado Pretende-se construir floreiras, em cimento, com a forma geométrica de um para-
lelepípedo contendo um buraco no centro com a forma de um cilindro de altura
Ao lado pode ver-se a vista frontal de uma casa. Atendendo aos dados igual à do paralelepípedo, tal como ilustra a figura ao lado.
da figura, determine a) Qual o volume de cimento necessário para construir esta floreira? Apresente o
a) a altura h do telhado? resultado aproximado às décimas de decímetro cúbico.
b) De seguida encheu-se o buraco de terra até 2/3 da sua altura. Qual o volume
b) o comprimento c, arredondado às decimas? de terra necessário?
c) Quantas floreiras iguais a esta poderão ser construídas de forma a minimizar o desperdício de terra?

Exemplo Comprimento do reforço do portão Exemplo: Piscina


Uma quinta tem um portão com 2,3 metros de comprimento e A piscina da casa do Sr. Lima tem o modelo geométrico da
0,9 metros de altura. figura ao lado cujas medidas estão expressas em metros.
a) Quantos litros de água serão necessários para encher
Qual o comprimento do reforço colocado sobre a diagonal do totalmente a piscina?
portão? b) Quanto tempo, em dias, horas e minutos, serão necessários
para encher totalmente a piscina se for usada uma torneira com um caudal constante de 100l por
minuto?
Exemplo: Altura de uma escada
Uma escada de 5,3 metros está apoiada numa parede e afastada 1,2 metros do solo. Qual a altura a que Poderia ser um assunto a tratar aquando dos problemas ambientais, nomeadamente do uso racional da água
se encontra do solo?
24/06/2016

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas
recorrendo à matemática sem dar conta do facto? recorrendo à matemática sem dar conta do facto?

 Resolver problemas que envolvam o raciocínio proporcional: percentagens,  Resolver problemas que envolvem os conceitos de proporcionalidade direta e inversa.
proporcionalidade aritmética e proporcionalidade geométrica.
Proporcionalidade direta:
Percentagens: Exemplo: Receita de bolo
Exemplo: Preço das calças Para fazer a massa de um bolo de chocolate são necessários:
6 ovos; 125 g manteiga; 125 g açúcar; 100 g chocolate em pó e 250 g farinha.
A Maria comprou umas calças por 51€. Sabe-se que teve um desconto de 15%.
Quais as quantidades necessárias de ingredientes para fazer um bolo idêntico
Qual o preço original das calças? de 12 ovos? E de 9 ovos?
(outro exemplo: preço base de um produto conhecendo o preço de venda ao publico)

Proporcionalidade aritmética Exemplo: Canetas


Exemplo: Poupança fixa mensal A Joana comprou três canetas iguais por 1,65€. Quanto teria pago se tivesse
A Maria pretende juntar dinheiro para aquelas férias de sonho. Começou a juntar comprado 15 canetas iguais com as mesmas condições?
70€ mensais. Quanto terá juntado ao fim de 15 meses? E ao fim de 20? E se tivesse comprado 10 canetas iguais?

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas
recorrendo à matemática sem dar conta do facto? recorrendo à matemática sem dar conta do facto?

Proporcionalidade inversa:
Proporcionalidade geométrica:
No passado domingo, dia 24 de janeiro, na capa do JN podia ler-se:
Exemplo: Juros capitalizáveis
Quando a família Silva teve o primeiro bebé, os amigos “Amorim tem tanto [dinheiro] quanto dois milhões
reuniram-se e deram-lhe um prenda em dinheiro. A família [de trabalhadores] ganham em três meses.”
Silva juntou esse dinheiro ao que tinha amealhando e ficou
com 5000€. Como completaria
. as seguintes frases de modo a traduzirem
Com esse dinheiro decidiu criar uma poupança mobilizável a mesma ideia?
pela criança apenas quando ela atingir a maior idade.
Sabendo que conseguiu negociar com o banco “Dinheiro
“Amorim tem tanto [dinheiro] quanto um milhão
a crescer” uma taxa fixa de 5% ao ano, determine:
[de trabalhadores] ganham em _____________ meses.”
a) Quanto dinheiro tinha a conta ao fim do primeiro ano? “Amorim tem tanto [dinheiro] quanto quatro milhões
b) E ao fim do segundo ano? [de trabalhadores] ganham em ____________ meses.”
c) E ao fim de cinco ano?
d) E quando criança atingiu a maior idade?

Duas grandezas dizem-se inversamente proporcionais se dependem uma da outra de tal modo que se uma for
multiplicada por um número a outra é dividida por esse número.
24/06/2016

Unidade B – Critérios de evidência – Como resolvo problemas Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática
recorrendo à matemática sem dar conta do facto? no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo!
 Usar criticamente as funções de uma calculadora científica.
Exemplo: Duração da viagem
Um automobilista demora 4 horas a deslocar-se de uma cidade a outra Exemplo: Erros na realização de operações
circulando a uma velocidade média de 80 km/h. Qual o motivo para aparecer uma mensagem de erro na calculadora quando
Quanto tempo, em horas e minutos, demoraria se fosse a uma velocidade tenta realizar a operação:
média de 100 km/h? E a 120 km/h? a) 4 a dividir por 0?
b) Raiz quadrada de -2?

Exemplo: Excursão  Reconhecer diferentes modos de representação de números.


O Sr. Fontes organiza excursões.
O aluguer de um autocarro de 50 pessoas custa 500 euros de Guimarães a Lisboa. Exemplo:
O Sr. Fontes quer ter um lucro de 150 euros. Os bilhetes têm que ser vendidos ao Reconhecer que dois números são iguais quando um deles está escrito em notação científica.
mesmo preço independentemente do lugar. Reconhecer que 0,5 é o mesmo que ½
a) Sabendo que vendeu 40 bilhetes, qual o preço de cada bilhete? Reconhecer que 1/3 é o mesmo que 0,(3)
b) Sabendo que vendeu os bilhetes a 13 euros cada, quantos bilhetes vendeu? As frações são usadas, por exemplo, nas partilhas de bens para encontrar a quota parte de cada herdeiro.
c) Qual a relação entre o número de bilhetes e o preço de cada um? Saber porque motivo não é habitual usar números decimais nesta situação

Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática
no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo! no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo!
 (C1) Usar criticamente as funções de uma calculadora científica.  Utilizar a notação científica para representar números muito grandes ou números
muito próximos de zero
 (C2) Reconhecer diferentes modos de representação de números.
 (C3) Utilizar a notação científica para representar números muito grandes ou números A notação científica é usada quando se trabalha com números muito grandes ou muito pequenos. Ela
recorre a potências de base 10.
muito próximos de zero.
 (C4) Utilizar estratégias de cálculo mental adequadas às situações em jogo e relacioná-las Exemplo de potências de base 10
com propriedades das operações. 103 = 10 × 10 × 10 = 1000
 (C5) Resolver problemas de medida em desenhos à escala, escolhendo escalas para 1 1 1
representar situações. 10−3 = 3 = = = 0, 001
10 10 × 10 ×10 1000
 (C6) Reconhecer o conceito de semelhança de figuras e usar as relações entre elementos
de figuras com a mesma forma. 100 = 1
 (C7) Estabelecer a ligação entre conceitos matemáticos e conhecimento de
Nas conversões de unidades recorre-se a potências de base 10.
procedimentos na realização de construções geométricas (quadriláteros, outros polígonos
e lugares geométricos). Por exemplo:
 (C8) Descrever figuras geométricas no plano e no espaço 1m = 1×102 cm ; 1mm = 1× 10−3 m
24/06/2016

Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática
matemática no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo! no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo!

Um número diz-se escrito em notação científica se é da forma


 Utilizar estratégias de cálculo mental adequadas às situações em jogo e relacioná-las
com propriedades das operações.
a ×10 n , onde 1 ≤ a < 10 e n é um número inteiro
Exemplo: Sodoku
Nota: nos boletins das análises clínicas nem todos os resultados estão em notação científica porque o valor Explicar as regras do Sodoku (Tabela 9x9 dividida em 9 quadradinhos
de a não respeita a condição 1 ≤ a < 10 3x3. Em cada linha, coluna e quadradinho devem estar todos os
Números de 1 a 9 (não pode haver repetições)).
Como é que se escreve cada um dos seguintes números em notação científica?
Contexto: num serão de inverno, à lareira, …

Sugestão: começar pela última linha.

Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática
matemática no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo! no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo!

A notação científica aparece Exemplo: Jogo do 24


Explicar as regras do jogo 24 (usar as operações de adição, subtração, multiplicação e divisão para
no dia a dia? encontrar o número 24 usando todos os números que se encontram na cartas).
Explique como procederia em cada caso.
Claro que sim!

Repare, por exemplo, na


quantidade de eritrócitos
desta análise sanguínea
24/06/2016

Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a
no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo! matemática no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo!
 Resolver problemas de medida em desenhos à escala, escolhendo escalas para
representar situações.  Reconhecer o conceito de semelhança de figuras e usar as relações entre elementos
As escalas representam a relação entre a distância representada no mapa e de figuras com a mesma forma.
a distância real
Reconhecer que as figuras seguintes são semelhantes (isto é, cada uma pode ser obtida a partir de outra
Há dois tipos de escalas: as numéricas e as gráficas
por uma ampliação ou redução

Todos os canteiros circulares são semelhantes; as matrioskas são semelhantes; os televisores preparados
Escala numérica (unidade a definir) Escala gráfica (medidas já definidas)
para emitir no formato 4:3 são semelhantes.

Distância no mapa

Distância na realidade

Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática Unidade C – Critérios de evidência – Provavelmente uso a matemática
no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo! no decorrer do meu dia a dia e não me apercebo!
 Estabelecer a ligação entre conceitos matemáticos e conhecimento de procedimentos na
Exemplo: Planta da casa realização de construções geométricas (quadriláteros, outros polígonos e lugares
Considere a seguinte planta representada na escala 1:125. geométricos).
 Descrever figuras geométricas no plano e no espaço
a) Calcule a área real do quarto.
b) O quarto será pavimentado com mosaicos quadrados de
lado 25 cm. Quantos serão necessários? Exemplo:
c) Determine o comprimento real do rodapé que será Saber construir e descrever: um quadrado, um retângulo, uma circunferência, um cubo, um paralelepípedo,
colocado na sala de estar. um cilindro, …
d) O arquiteto decidiu que a sala de estar deveria ter uma
janela com as dimensões 1,75mx1m. Qual o tamanho da Identificar figuras geométricas (cone, paralelepípedo, cilindro, esfera, pirâmide, …) com objetos do dia a dia.
janela na planta.
e) Decidiu ainda substitui a base do chuveiro por uma outra
com a forma de um quarto de circulo. Qual o raio desse
círculo?

Outro exemplo:
Calcular a distância real entre duas cidades consultando um
mapa de estradas.
24/06/2016

Unidade D – Critérios de evidência – Provavelmente argumento Unidade D – Critérios de evidência – Provavelmente argumento
usando raciocínio matemático! usando raciocínio matemático!
 (D1) Inferir leis de formação de sequências, numéricas ou geométricas, utilizando
simbologia matemática, nomeadamente expressões designatórias. Exemplo: Correntes de mensagens
No exemplo da correntes de mensagens apresentado na unidade B
 (D2) Revelar competências de cálculo, apresentando nomeadamente exemplos de
situações em que um produto é menor que os fatores e de situações em que o Ordem/
quociente é maior que o dividendo. posição Termo

 (D3) Estabelecer conjeturas a partir da observação (raciocínio indutivo) e testar 1


conjeturas utilizando processos lógicos de pensamento. 2

 (D4) Usar argumentos válidos para justificar afirmações matemáticas, próprias ou não, 3
como por exemplo, a particularização e a generalização. …
7 Suponha que a corrente começou consigo, no dia 1. Suponha ainda
que cada pessoa só recebe a mensagem no máximo uma vez.

a) Quantas pessoas receberam a mensagem no dia 2? E no dia 3?
n
b) Quantas pessoas receberam a mensagem no 7 dia?
… c) Quantas pessoas receberam a mensagem no dia n?

Unidade D – Critérios de evidência – Provavelmente argumento Unidade D – Critérios de evidência – Provavelmente argumento
usando raciocínio matemático! usando raciocínio matemático!
 Inferir leis de formação de sequências, numéricas ou geométricas, utilizando  Revelar competências de cálculo, apresentando nomeadamente exemplos de
simbologia matemática, nomeadamente expressões designatórias. situações em que um produto é menor que os fatores e de situações em que o
quociente é maior que o dividendo.
Exemplo: Tabuadas
Considere o quadro abaixo: Exemplo: Cálculos
5x0,5=2,5 -> quando se multiplica um número por um valor menor que 1 obtém-se um número menor que o
Ordem/posição 1º 2º 3º …. 7º … 15º … nº … inicial
termo/múltiplo 5:0,5=10 -> quando se divide um número por um valor menor que 1 obtém-se um valor maior do que o
inicial
a) Quais os três primeiros múltiplos de 7?
b) Como obter o 7º múltiplo? E o 15º?
c) Se prosseguisse com o cálculo dos múltiplos de 7 obteria uma sequência (com infinitos múltiplos de 7).
 Estabelecer conjeturas a partir da observação (raciocínio indutivo) e testar conjeturas
De um modo geral como procederia para obter o múltiplo que ocupa a posição n? utilizando processos lógicos de pensamento.
Ideia: tirar uma conclusão partindo de casos particulares.
Quando se extrapola nem sempre as conclusões são válidas.
Contexto: Quando andava na escola era um às em algumas disciplinas. As tabuadas sempre foram o meu forte. Por
exemplo, na tabuada dos 7, sabia que para passar de um múltiplo para o seguinte bastava somar mais 7. Depois de repetir
este processo algumas vezes acabei por interiorizar a tabuada e se me perguntassem qual era o quarto múltiplo sabia
imediatamente que tinha fazer a conta 7x4=28; se fosse o oitavo múltiplo bastava fazer a conta 7x8=56. De um modo geral,
para saber o múltiplo de ordem n bastava apenas fazer o produto 7xn.
24/06/2016

Unidade D – Critérios de evidência – Provavelmente argumento


usando raciocínio matemático!

Exemplo:
Rui: Quando chego ao trabalho, a Maria já lá está.
João: De certeza que dorme na empresa.
Beatriz: Não, sou eu que lhe dou boleia.

O João tirou uma conclusão precipitada e confirmou-se que estava errada.

Exemplo:
O João começou a sentir dores de cabaça cada vez que passava várias horas ao computador e pensou
que provavelmente deveria estar a ver mal. Certo dia foi às compras e, por coincidência, a ótica do centro
comercial estava a fazer testes de visão gratuitos e decidiu submeter-se ao teste e o optometrista
aconselhou a usar óculos.

Neste caso a conclusão estava correta.

FIM!
Boa escrita