Você está na página 1de 11

REFORMA TRABALHISTA

LEI 13.467/17

VÓLIA BOMFIM CASSAR

voliabomfim@gmail.com
COMUNIDADES SOCIAIS

Vólia Bomfim Conteúdo Acadêmico

@VoliaBomfim

@voliabomfim

Periscope voliabomfim
§ 5º Os sindicatos subscritores de
convenção coletiva ou de acordo coletivo
de trabalho deverão participar, como
litisconsortes necessários, em ação
individual ou coletiva, que tenha como
objeto a anulação de cláusulas desses
instrumentos.
COMENTÁRIOS

1- Limitação à atuação do Judiciário


Trabalhista;
2- Apesar da expressão “exclusivamente” há
outras hipóteses de nulidade – art. 612, 613,
614, 611-A, p.2º e 611-B da CLT e
Constituição;
3-Criação de um listisconsórcio necessário;
4- Indireta permissão de declaração de
nulidade de norma coletiva por meio de ação
individual.
TEMPO À
DISPOSIÇÃO
Art. 4º .................................

§ 2° Por não se considerar tempo à disposição do


empregador, não será computado como período
extraordinário o que exceder a jornada normal,
ainda que ultrapasse o limite de cinco minutos
previsto no § 1º do art. 58 desta Consolidação,
quando o empregado, por escolha própria, buscar
proteção pessoal, em caso de insegurança nas vias
públicas ou más condições climáticas, bem como
adentrar ou permanecer nas dependências da
empresa para exercer atividades particulares,
entre outras:
I – práticas religiosas;
II – descanso;
III – lazer;
IV – estudo;
V – alimentação;
VI – atividades de relacionamento social;
VII – higiene pessoal;
VIII – troca de roupa ou uniforme, quando
não houver obrigatoriedade de realizar a
troca na empresa.
FIM DAS HORAS IN ITINERE
ART. 58 DA CLT - COMPARATIVO

§ 2º O tempo despendido pelo § 2º O tempo despendido pelo


empregado desde a sua empregado até o local de
residência até a efetiva trabalho e para o seu retorno,
por qualquer meio de
ocupação do posto de trabalho
transporte, não será
e para o seu retorno, computado na jornada de
caminhando ou por qualquer trabalho, salvo quando,
meio de transporte, inclusive o tratando-se de local de difícil
fornecido pelo empregador, não acesso ou não servido por
será computado na jornada de transporte público, o
empregador fornecer a
trabalho, por não ser tempo à
condução.
disposição do empregador.
§ 2º O tempo despendido pelo empregado
desde a sua residência até a efetiva
ocupação do posto de trabalho e para o
seu retorno, caminhando ou por qualquer
meio de transporte, inclusive o fornecido
pelo empregador, não será computado na
jornada de trabalho, por não ser tempo à
disposição do empregador.
§ 3º (Revogado).
COMENTÁRIOS

1- Contrariar o entendimento do TST.

2- Cancelamento de parte da Súmula 366


do TST, das Súmulas 90, 320 e da Súmula
429 do TST.

Interesses relacionados