Você está na página 1de 57

Índice

1 introdução ............ 3 9 manuseio e instalação de sprinklers .......... 34

2 o que é um sprinkler ............ 5 a importância da conservação e manutenção .......... 36


10 de sprinklers
3 como funciona o sistema de sprinklers .............7

4 os tipos de sprinklers .......... 9


11 por que esse sistema é tão eficiente? .......... 38

8 pontos que você precisa saber na hora de .......... 42


5 Entenda as cores dos bulbos dos sprinklers ...........20 12 pedir orçamento de sprinkler
e sua relação com a temperatura

6 como os sprinklers são ativados .......... 23 13 os 8 passos da correta especificação de


sprinklers da skop
.......... 52

7 normas de projetos .......... 25


14 conclusão .......... 54

8 certificação de sprinklers .......... 27


15 sobre a skop .......... 56

www.skop.com.br

2
introdução
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL introduÇÃO

Introdução

Neste material que preparamos especialmente para você, Por que é importante investir em um sistema de sprinkler?
pretendemos abordar a conscientização do uso de sprinklers. No
tempo em que vivemos, a segurança se tornou uma peça – chave 1 - Protege ocupantes de empreendimentos comerciais e
dentro de ambientes empresariais e residenciais. Quando o assunto residenciais.
é prevenção contra incêndios, tamanha a importância deve haver
para proteger ocupantes de patrimônios e materiais, sejam móveis, 2 - Evita prejuízo em caso de incêndio, como destruição de
eletrônicos ou eletrodomésticos. móveis, tubulações e aparelhos eletrônicos.

3 - Instalação com ótimo custo x benefício.

4 - Sistemas de sprinklers ampliam o tempo de


potencialização do incêndio, passando o flash over de 1 a
4min para mais de 20min, tempo suficiente para o Corpo de
Bombeiros chegar no local, controlar e apagar o incêndio
completamente.

5 - Sistemas de sprinklers ajudam a superar dificuldades


operacionais de combate ao incêndio, como distância
(andares altos), horário que o foco ocorre e locais de acesso
complicados, por exemplo.

Confira tudo sobre Sprinklers neste guia essencial.

www.skop.com.br 4
O QUE É UM
SPRINKLER
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL o que é um sprinkler

O que é um Sprinkler

Os sprinklers são os primeiros a atuar em caso de incêndio. Os chuveiros automáticos são dispositivos inteligentes projetados
Discretos, instalados nos tetos de empreendimentos como edifícios para serem acionados a temperatura pré-determinada. São termo
comerciais, industriais e residenciais, eles funcionam ao estímulo sensíveis, por isso, quando ativados pelo calor, disparam água em
do calor do incêndio como uma forma de proteção de patrimônios forma de aspersão sobre o local para controlar ou até mesmo
e de vidas humanas. Segundo pesquisas, eles têm demonstrado ser extinguir o foco de incêndio da área atingida.
o melhor equipamento disponível no combate / controle aos focos
de incêndio. No Brasil, os sprinklers disponíveis no mercado foram projetados
para serem ativados com temperatura a partir dos 68 graus, mas
Quando o primeiro foco de incêndio começa, é essencial que o existem variações aplicáveis a cada tipo de ambiente. Por isso é
primeiro combate seja feito em até quatro minutos. Por isso que tão importante contratar empresas qualificadas para a instalação
um sistema de sprinklers bem projetado, instalado e mantido é e fornecimento de um sistema de chuveiros automáticos nas
a solução mais eficiente de controle até a chegada do Corpo de edificações.
Bombeiros.

www.skop.com.br 6
como funciona
o sistema de
sprinklers
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL como funciona o sistema de sprinklers

Como funciona o sistema de Sprinklers

Os chuveiros automáticos ou sprinklers, como são mais Este dispositivo é o “cérebro” do sprinkler e é o responsável pelo
conhecidos, servem para proteger os ambientes de incêndios e são acionamento do mesmo, ou seja, ele rompe quando a temperatura
fundamentais para a segurança de patrimônios e vidas humanas. atinge seu valor nominal (68°C, por exemplo). O obturador possui
Os chuveiros automáticos, quando são de qualidade e instalados duas funções distintas, a primeira é servir de base de sustentação
de modo correto, em geral, são os primeiros a “agir” em caso de do bulbo e a segunda é servir de “tampão” do orifício do sprinkler.
incidentes com fogo. Que tal saber um pouco mais de como eles
funcionam? Assim que o bulbo rompe, o obturador é liberado, abrindo o
orifício e permitindo que a água seja despejada sobre o incêndio. O
Pequenos e discretos, eles variam de formato de acordo com a elemento de vedação da água, aplicado entre a mesa do corpo e o
sua finalidade e posição de instalação. São acionados através obturador, tem função de evitar vazamentos (vide curiosidade). Já
da elevação da temperatura devido ao calor produzido por um o defletor é o elemento responsável pela distribuição uniforme da
incêndio. As temperaturas de acionamento mais convencionais são: água que passa pelo orifício do sprinkler após o acionamento.
68°C, 79°C, 93°C e 141°C. A maior parte dos sprinklers fabricados
e instalados no Brasil, possuem temperatura de acionamento de Enfim, para que a água seja liberada em caso de incêndio, os
68°C. sprinklers são instalados em um Sistema Hidráulico de Proteção
Contra Incêndio de um empreendimento qualquer, seja uma escola,
Os chuveiros automáticos são basicamente formados por: Corpo, um edifício comercial, uma indústria, um galpão de armazenagem
Elemento Termo Sensível (bulbo de vidro), Obturador, Elemento e etc.
de Vedação e Defletor. O corpo é a base de montagem dos demais
componentes e é onde existe a rosca de conexão com a tubulação
hidráulica. O bulbo é composto por uma cápsula de vidro que
possui em seu interior um líquido expansível.

www.skop.com.br 8
os tipos de
sprinklers
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

Os tipos de Sprinklers

Cada sprinkler é destinado para um certo ambiente, não basta você Antes de instalar um sistema de chuveiros automáticos, ou
instalar apenas um modelo padrão. Os sprinklers, quando instalados sprinklers como são mais conhecidos, no seu empreendimento,
de forma correta nos edifícios, são famosos por serem acionados você precisa conhecer os principais modelos e variações que
quando um ambiente está sob ameaça de chamas. Isso porque existem no mercado. Compilamos as características e classificações
os chuveiros automáticos ativam o seu bulbo a uma determinada previstas na Norma Técnica brasileira, ABNT NBR16400:2015,
temperatura, liberando a água das tubulações e fazendo com que para que você comece a conhecer cada um deles e lhe ajude na
vidas humanas e patrimônios não sejam prejudicados. hora de especificar, projetar, comprar entre outros.

Os chuveiros automáticos normalmente estão instalados em


locais de grande circulação de pessoas, como shopping centers,
cinemas, supermercados, indústrias, escolas, universidades,
edifícios comerciais, hospitais e até em áreas comuns de prédios
residenciais, como garagens e corredores. Os pequenos sprinklers
já ganham a preferência do público na prevenção e combate aos
incêndios por serem discretos e eficientes.

www.skop.com.br 10
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

Tipos de chuveiros automáticos conforme o


1
tipo elementos termossensíveis

Tipo ampola de vidro Tipo Liga Fusível


Sprinkler que opera pela ruptura do bulbo de vidro, devido Sprinkler que opera pela fusão de um de seus
a pressão resultante da expansão do fluido contido em seu componentes sob a influência do calor.
interior, sob a ação do calor do ambiente.

NOTA: apesar de ser menos utilizado, no Brasil, que o tipo ampola de vidro, o sprinkler
do tipo liga fusível têm desempenho equivalente e pode ser usado indistintamente.

www.skop.com.br 11
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

2 Classificação quanto à
distribuição de água

Chuveiros de cobertura padrão


Chuveiro projetado para cobrir áreas de cobertura que
dependendo das características de projeto e ambiente,
podem variar entre 8,4 e 20,9m² para chuveiros em pé e
pendente e 7,4 à 18,2m² para chuveiros laterais;

NOTA: todos os modelos de sprinklers fabricados pela Skop são do tipo spray e
cobertura padrão.

www.skop.com.br 12
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

2 Classificação quanto à
distribuição de água

Chuveiro de cobertura estendida


Chuveiro projetado para cobrir uma área maior do que a
área de cobertura de chuveiros-padrão e que dependendo
das características de projeto e ambiente, podem variar
entre 13,7 e 37,2m² para chuveiros em pé e pendente.

Chuveiro tipo Spray


Chuveiro cujo defletor direciona a água para baixo, lançando
uma quantidade mínima de água, ou nenhuma, para o teto,
podendo ser de cobertura-padrão ou estendida;

NOTA: Atualmente todos os sprinklers de cobertura estendida, disponíveis no mercado


brasileiro, são importados.

www.skop.com.br 13
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

3 Classificação quanto à
velocidade de operação

Sprinkler de resposta rápida


Sprinkler que possui bulbo de vidro com 3mm de diâmetro e
índice de tempo de resposta (ITR) igual ou menor que 50 (m.s)1/2.
O ITR é um índice obtido apenas através de ensaios laboratoriais.
Na prática, o bulbo de resposta rápida sempre será acionado alguns
segundos antes do bulbo de resposta padrão.

Sprinkler de resposta padrão


Sprinkler que possui bulbo de vidro com 5mm de diâmetro e
índice de tempo de resposta (ITR) igual ou maior que 80 (m.s) ½.

NOTA IMPORTANTE: não confunda “cobertura padrão”, que diz respeito à área que
o sprinkler vai proteger, com o “resposta padrão”, que está relacionado ao tempo de
ativação do sprinkler.

www.skop.com.br 14
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

4 Classificação quanto à
orientação de instalação

Chuveiro em pé
Chuveiro projetado para ser instalado em uma posição na
qual o jato de água seja direcionado para cima, contra o
defletor;

Chuveiro embutido
Chuveiro decorativo, cujo corpo, ou parte dele, exceto a
rosca, é montado dentro de um invólucro embutido;

www.skop.com.br 15
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

4 Classificação quanto à
orientação de instalação

Chuveiro flush
Chuveiro decorativo, cujo corpo, ou parte dele, incluindo
a rosca, é montado acima do plano inferior do teto. Ao ser
ativado, o defletor se prolonga para baixo do plano inferior
do teto;

Chuveiro lateral
Chuveiro projetado para ser instalado em paredes e
descarregar água em direção oposta à parede em que esteja
instalado;

www.skop.com.br 16
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

4 Classificação quanto à
orientação de instalação

Chuveiro oculto
Chuveiro embutido, coberto por uma placa, que é liberada
antes do funcionamento do chuveiro;

Chuveiro pendente
Chuveiro projetado para ser instalado em uma posição na
qual o jato de água seja direcionado para baixo, contra o
defletor.

www.skop.com.br 17
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

5 Classificação quanto às
condições especiais de uso

Chuveiro decorativo
Sprinkler, pintado ou revestido com camada metálica pelo
fabricante;

Chuveiro resistente à corrosão


Sprinkler, fabricado com materiais resistentes à corrosão
ou com revestimentos especiais, para ser utilizado em
atmosferas agressivas; Como exemplo temos o modelo
JL112 da Reliable possui revestimento a corrosão nas cores
preta, branca ou ainda revestido em PTFE (Teflon).

Chuveiro seco
Chuveiro fixado a um niple de extensão, que possui um
selo na extremidade de entrada, para permitir que a água
ingresse em seu interior somente em caso de operação do
chuveiro. Este tipo de sprinkler é largamente utilizado em
câmaras frigoríficas.

www.skop.com.br 18
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL os tipos de sprinklers

6 Classificação quanto às características


de desempenho e projeto

Sprinkler de controle para aplicações


específicas (CCAE)
Chuveiro que atua no modo de controle, se caracteriza por
produzir gotas grandes de água e que é testado e aprovado
para uso em áreas de incêndios de alta intensidade;

Sprinkler de resposta e supressão rápidas


(ESFR)
Chuveiro que atua no modo de supressão e que se
caracteriza por ter resposta rápida e por distribuir água em
grande quantidade e de forma especificada, sobre uma área
limitada, de modo a proporcionar rápida supressão do fogo,
quando instalado apropriadamente;

www.skop.com.br 19
ENTENDA AS CORES DOS
BULBOS DOS SPRINKLERS E SUA
RELAÇÃO COM A TEMPERATURA
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL ENTENDA AS CORES DOS BULBOS DOS SPRINKLERS E SUA RELAÇÃO COM A TEMPERATURA

1 Definição

Os bulbos de vidro dos sprinklers se rompem quando atingem uma


determinada temperatura. O tempo que o sprinkler leva para ativar
o restante do sistema de proteção contra incêndio depende do tipo
bulbo utilizado no sprinkler. Este é um dado definido em projeto em
função das características do ambiente a ser protegido.

Tecnicamente o bulbo de vidro (ampola ou ainda elemento


termossensível) é definido como: “Componente destinado a liberar o
obturador pelo efeito de elevação de temperatura, quando atingida
a temperatura (nominal) de operação.” (ABNT NBR16400, 2015, p.
Elementos termossensíveis do tipo
2). Possuem três classificações básicas quanto ao tempo de resposta:
ampola de vidro (bulbo) de resposta
Resposta rápida, especial ou padrão, porém no Brasil as mais adotadas padrão (acima) e resposta rápida
são os do tipo de resposta rápida (Ø 3mm) e padrão (Ø 5mm). (abaixo).

www.skop.com.br 21
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL ENTENDA AS CORES DOS BULBOS DOS SPRINKLERS E SUA RELAÇÃO COM A TEMPERATURA

2 Cores e temperaturas

Os bulbos possuem faixas específicas de temperatura de ativação. Dentro das faixas definidas em norma, são adotados
Estas faixas estão bem definidas em norma e possuem uma alguns valores padrão (temperatura nominal) para
padronização universal. Segundo a Tabela 2 da atual Norma Técnica facilitar a definição de projeto, compra e venda dos
brasileira de sprinklers (ABNT NBR16400:2015), são ao todo sete sprinklers. As temperaturas nominais mais utilizadas
cores que podem ser facilmente identificadas e são classificadas da no Brasil são: 68°C, 79°C, 93°C e 141°C.
seguinte maneira:

68oC Bulbo vermelho

79oC Bulbo amarelo

93oC Bulbo verde

141oC Bulbo azul

Valores de temperaturas nominais


mais convencionais no Brasil

www.skop.com.br 22
COMO OS SPRINKLERS
SÃO ATIVADOS
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL como os sprinklers são ativados

Como os Sprinklers são ativados?

Como responsável pela ativação do sprinkler, o bulbo precisa Além de compor o mecanismo de desarme do sprinkler, o bulbo
acionar dentro de uma faixa específica de temperatura e tempo, também compõe o conjunto de fechamento e vedação, isto significa
determinadas na Norma Técnica. O bulbo se rompe quando atinge dizer, que sofre esforços físicos enormes, porém controlados,
a temperatura indicada por sua cor. O tempo que demora antes de de forma que não comprometam a estanqueidade, não gerem
um bulbo quebrar depende da potência do incêndio. Em geral, um trincas ou fissuras na superfície do bulbo e não comprometam o
bulbo é ativado entre 15 e 30 segundos. funcionamento do sistema como um todo.

Considerando que um incêndio ganha potência máxima entre 1min Este é um dos mais importantes componentes do sprinkler, tanto
e 4min, a ativação do sprinkler garante o alargamento desse tempo que é testado em quatorze dos dezessete ensaios propostos pela
para mais de 30 min, tempo confortável para que os bombeiros Norma Técnica e abarca uma concentração elevada de tecnologia,
cheguem para concluir a supressão total do incêndio. pois passa por mais de 800 medições de engenharia no longo do
seu processo de fabricação.

www.skop.com.br 24
Normas de projetos
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL normas de projetos

Normas e projetos

A norma brasileira que regulamenta a instalação dos sistemas de • Chuveiros automáticos (sprinklers) em novos sistemas instalados
chuveiros automáticos é a NBR 10897:2014. Esta norma estabelece em ocupações de risco leve devem ser de resposta rápida.
os requisitos mínimos para o projeto e a instalação de sistemas de
proteção contra incêndio por chuveiros automáticos, incluindo • Para chuveiros automáticos tipo spray em pé e pendentes de
as características de suprimento de água, seleção de chuveiros cobertura padrão em ocupações de risco leve e ordinário, as
automáticos, conexões, tubos, válvulas e todos os materiais e distâncias entre ramais e chuveiros nos ramais não devem exceder
acessórios envolvidos em instalações prediais. em 4,6m. Em casos extraordinários, as distâncias entre ramais e
entre chuveiros nos ramais não devem exceder em 3,6m.
Já foi comprovado que os sprinklers são eficientes por proteger o
patrimônio e as vidas humanas em caso de um início de foco de • Em tetos inclinados, a NBR 10897:2014 recomenda a distância
incêndio, isso porque eles são acionados com o calor do ambiente máxima de 0,9m (medida perpendicularmente) entre o teto e o
e são os primeiros “a chegar” em caso de acidentes envolvendo defletor de um chuveiro automático instalado sob ou próximo a
chamas. É importante se atentar a algumas regras estabelecidas uma cumeeira.
pela ABNT no momento da instalação, como:
• Quando chuveiros automáticos em pé e pendentes de cobertura-
padrão forem instalados sob tetos muito inclinados, a distância
entre o defletor e a cumeeira pode ser aumentada para manter a
distância livre horizontal mínima de 0,6m.

Essas são apenas algumas das regras estabelecidas pela Norma.


Para acessar o conteúdo completo e atualizado da norma, é
importante adquiri-la através do site da ABNT.

www.skop.com.br 26
CERTIFICAÇÃO DE
SPRINKLERS
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL certificação de sprinklers

Certificação de Sprinklers
ABNT
Um mercado confiável de sprinklers é aquele que envolve três Desde a década de 80 a skop fabrica os seus sprinklers atendendo
pilares: Norma Técnica robusta e consistente com o tamanho às condições técnicas especificadas pela norma NBR6135 e aos
do mercado, Legislação, focada em limitar o padrão mínimo de métodos de ensaio determinados pela NBR6125. O alinhamento
qualidade e Certificação, executado por terceiros para garantir a a tais procedimentos, auditados periodicamente por órgão
imparcialidade na avaliação de uma fábrica submetida à Norma competente, fez com que a ABNT – Associação brasileira de Normas
Técnica e aos limites da Legislação. Sendo assim, o mercado e a Técnicas – conferisse, já naquela década, aos nossos sprinklers
indústria devem ser capazes de atender à legislação e ao padrão a marca de conformidade ABNT, uma garantia de qualidade e
técnico exigido pela Norma Técnica. É fundamental que a ABNT segurança para os clientes. Atualmente a Norma Técnica em
(Associação Brasileira de Normas Técnicas) e as Certificadoras vigência é a ABNT NBR16400:2015 que cancelou e substituiu
renovem sempre as suas normas adequadas ao grau de as normas anteriores, elevando ainda mais o padrão técnico dos
amadurecimento e demanda do mercado. sprinklers nacionais certificados segundo os critérios desta nova
norma. Este processo elevou, em termos de qualidade técnica, a
UL equiparação dos produtos nacionais frente aos internacionais.
A UL (Underwrites Laboratories) iniciou suas atividades em
1894 na cidade de Chicago nos EUA e lançou sua primeira norma FM Global
relacionada a sprinklers em 1919. Segundo informação do escritório Seguradora americana de abrangência global que tem o foco em
da UL no Brasil, a primeira certificação da UL na parte de incêndio gestão do risco, a FM também foca na certificação de produtos
no Brasil foi em 2010 com a Mangueira de Combate a Incêndio e que possam reduzir os riscos de incêndio de edificações. A Skop
em 2013, a UL do Brasil iniciou a certificação de sprinklers. A UL faz uso de sua competência em importação e decidiu atender a
do Brasil é acreditada pelo INMETRO como OPC 0029. mercados específicos no Brasil, que consomem apenas produtos
com certificação FM Approvals.

www.skop.com.br 28
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL certificação de sprinklers

Porque utilizar sprinklers certificados

• Ativam no momento exato da necessidade (em até 30 segundos • Resistem à ação do tempo, já que é um equipamento que não
após o surgimento do foco de incêndio), desencadeando as demais possui prazo de validade;
ações do sistema para controle e combate ao incêndio;
• Estudos comprovam que sistemas de combate a incêndios
• Garantem a distribuição adequada de água sobre o foco do com sprinklers representam apenas 3% do custo total de um
incêndio; empreendimentos da construção civil (RIZATTE, R.A.A. Evolução
do Custo de Sistemas de Sprinklers em Depósitos. In: Congresso
• Não prejudicam a distribuição de água através de um eventual Brasileiro de Sprinklers, 2., 2016, Rio de Janeiro)
alojamento de partes móveis;

• Tem a capacidade, constatada em pesquisas internacionais, de


controlar até 92% dos incêndios com a ativação de até 5 sprinklers;

• Resistem à ação do calor gerado pelo incêndio sem comprometer


sua funcionalidade;

www.skop.com.br 29
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL certificação de sprinklers

1 Por que dar importância?

Certificação de Sprinklers

Não basta apenas instalar um sistema de sprinklers, Boate The Station antes e depois do incêndio
é necessário que o sistema tenha a qualidade
atestada e isso só se alcança através da certificação
dos equipamentos que compõem este sistema,
especialmente do dispositivo que é responsável pela
ativação, que é o sprinkler. Por isso é necessário que
o sprinkler seja certificado, pois se ele falhar, todo o
sistema fica comprometido.

No Brasil, a certificação de produtos só pode ser obtida Boate Kiss depois do incêndio
através de um Organismo Certificador de Produtos, o
conhecido OCP, que recebe a chancela do INMETRO
para a certificação de sprinklers. Conheça as principais
certificadoras, pois é através destes selos que você
terá segurança na hora da escolha de um sistema e
especialmente na hora da escolha do sprinkler que será
utilizado neste sistema que protegerá seu patrimônio e
principalmente sua vida.

www.skop.com.br 30
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL certificação de sprinklers

1 Por que dar importância?

• Sistemas de sprinklers ampliam o tempo de


potencialização do incêndio, passando o flash over de 1 a
4min para mais de 20min, tempo suficiente para o Corpo
de Bombeiros chegar no local e controlar apagar o incêndio
completamente.

• Sistemas de sprinklers ajudam a superar dificuldades


operacionais de combate ao incêndio, como distância
(andares altos), horário que o foco ocorre, locais de acesso
complicados etc.

• O bico de sprinkler tem que funcionar na hora exata do


foco do incêndio e é o gatilho de todo o sistema.

www.skop.com.br 31
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL certificação de sprinklers

2 Os principais riscos de usar


sprinklers não certificados

Podem derreter com o fogo: Comparação entre sprinklers não certificados, recolhidos no mercado nacional,
forjados em zamac e latão, com braços esmerilhados.
E sabido que alguns modelos de sprinklers não
certificados, normalmente importados da Ásia,
utilizam o zamac na construção do corpo devido
ao seu menor custo quando comparado ao latão. O
zamac, ou zamak como também é conhecido, é uma
liga metálica formada basicamente por zinco (Zn),
alumínio (Al), magnésio (Mg) e Cobre (Cu). Estes
quatro elementos formam a base que dá nome à
liga metálica. Em geral este tipo de liga possui mais
de 90% de zinco (Zn) e menos de 4% de cobre (Cu). Sprinklers não certificados, reprovados no ensaio de resistência ao calor
Normalmente ao esmerilhar ou lixar a superfície
de um corpo de sprinkler construído em zamac,
aparecerá sob o acabamento um metal bem mais
claro que o latão.

A título de comparação é importante saber que as ligas


de latão, normalmente utilizadas na construção de
sprinklers certificados, possuem cerca de 60% de cobre
em sua composição.

www.skop.com.br 32
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL certificação de sprinklers

2 Os principais riscos de usar


sprinklers não certificados

Podem entupir: Constatação de alojamento em sprinkler não certificado, ocasionado por


utilização de anel de borracha como elemento vedante.
maior parte dos sprinklers sem certificação usam
O-Ring de borracha e a ação do tempo sobre o
elastômero (borracha) pode derreter e colar o
obturador no corpo do sprinkler, fazendo com que
o orifício de descarga de água fique obstruído.

Pode falhar:
um sprinkler não certificação pode falhar e
comprometer todo o sistema de combate a
incêndio.

www.skop.com.br 33
MANUSEIO E
INSTALAÇÃO DE
SPRINKLERS
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL MANUSEIO E INSTALAÇÃO DE SPRINKLERS

Manuseio e instalação de Sprinklers • Chave de Fixação: Cada modelo de sprinkler possui um modelo
de chave adequada para a instalação, que se encaixa perfeitamente
Quando o projeto de um empreendimento a ser construído na parte sextavada do sprinkler. Nunca tente fazer a instalação
prevê a instalação de um sistema de chuveiros automáticos, ou aplicando esforço mecânico em outras partes do Sprinkler, tais
sprinklers, como são mais conhecidos, isso já significa que existem como: Braços laterais e defletor.
engenheiros e empreendedores preocupados com a segurança de
vidas e do patrimônio daquele local. Especialmente se o projeto • Na instalação, não utilize outros tipos de ferramentas, tais como:
prevê a instalação de sprinklers certificados. Chave de Grifo e Chave Inglesa.

Mesmo com a escolha certa da marca e do modelo de chuveiros • Chave de Fixação: Tome cuidado para não apertar excessivamente
automáticos, o manuseio e a instalação também devem ser feitos o sprinkler ou danificar seus componentes funcionais. Além disso,
de modo correto, para que não ocorram prejuízos desnecessários, não deixe sofrer impactos, como marteladas, tanto nos sprinklers,
em caso de ativações indevidas dos sprinklers. como também nos tubos próximos. Os sprinklers podem ser
danificados por impactos diretos ou indiretos.
Confira algumas dicas importantes de manuseio e instalação de
sprinklers durante a instalação. • Quando houver, não remova os escudos de proteção antes da
completa instalação. Remova somente quando é percebido que não
• Os chuveiros automáticos são peças sensíveis. Portanto, tenha há mais possibilidade de danos ao produto. Os escudos de proteção
cuidado ao manuseá-los. devem ser removidos antes de colocar o sistema em serviço.

• Proteja os sprinklers durante o deslocamento. Evite que eles caiam • Quando houver, remova o escudo de proteção do sprinkler
no chão para não causar nenhum dano ao seu bom funcionamento. puxando com cuidado até soltar ao seu ponto de encaixe.

• Durante o transporte evite o choque entre os sprinklers. • Os sprinklers devem ser instalados apenas quando a tubulação
já estiver instalada no local definitivamente, para evitar danos
mecânicos.

www.skop.com.br 35
A IMPORTÂNCIA DA
CONSERVAÇÃO E
MANUTENÇÃO DE SPRINKLERS
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL A IMPORTÂNCIA DA CONSERVAÇÃO E MANUTENÇÃO DE SPRINKLERS

A importância da conservação e manutenção


de Sprinklers

Quando uma empresa decide instalar um sistema de sprinklers, Uma decisão importante que pode fazer toda a diferença e garantir
já se sabe que a decisão correta foi tomada. Afinal, um sistema de o bom funcionamento dos chuveiros automáticos instalados no seu
chuveiros automáticos previne que um incêndio se alastre pelo local, empreendimento, começa por um bom planejamento de manutenção/
preservando assim o patrimônio e também as vidas humanas. Os revisão periódica. Mesmo que eles estejam instalados corretamente,
sprinklers são os primeiros que “chegam ao local” do incêndio. Antes é importante manter um cuidado essencial: A manutenção periódica
mesmo do Corpo de Bombeiros. do sistema. Não basta instalar!

Sprinklers de qualidade (certificados) não tem um prazo de validade O gestor do empreendimento deve contratar uma empresa
determinado, contudo a norma brasileira ABNT NBR10897:2014, no especializada, capaz de executar todos os procedimentos preventivos
item C.4.1, determina uma periodicidade máxima para a execução em um sistema de chuveiros automáticos. Isto inclui, além da
de testes em amostras retiradas da instalação. Temos notícias de manutenção do sprinkler, a manutenção da tubulação e bombas do
sprinklers, instalados a cerca de 30 anos, em sistemas que ainda estão sistema. Se possível, entre em contato com a mesma empresa que fez
em pleno funcionamento. O que vai garantir a funcionalidade, não a instalação. É fundamental ter em mãos todo o acervo técnico do
só do sprinkler, mas também de todo o sistema de combate, são as sistema.
condições de conservação e periodicidade de revisão do sistema.

www.skop.com.br 37
POR QUE ESSE SISTEMA
É TÃO EFICIENTE?
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL POR QUE ESSE SISTEMA É TÃO EFICIENTE?

Por que esse sistema é tão eficiente?

O sistema sprinkler comprova a sua eficiência no combate aos inícios de foco de incêndio através de
estatísticas. Ainda na década de 80, uma pesquisa realizada por PhyllisSolomon, nos Estados Unidos,
constatou que um sistema de chuveiros automáticos se torna essencial para a segurança de um
ambiente. Alguns dados apresentados:

• 8% dos focos de incêndio foram apagados ou controlados por apenas 1 um sprinkler.

• 48% dos focos de incêndio foram apagados ou controlados por apenas 2 chuveiros automáticos.

• 89% dos focos de incêndio foram apagados ou controlados por até 15 sprinklers.

A partir desses dados, colhidos para o livro Automatic Sprinkler System, também apontou que os danos
materiais causados por incêndio em hotéis foram 78% menores nos empreendimentos que possuíam
um sistema correto de chuveiros automáticos.

www.skop.com.br 39
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL POR QUE ESSE SISTEMA É TÃO EFICIENTE?

1 Taxa de sucesso no controle


de incêncios

Para que tenha eficácia Sprinklers % de incêndios


comprovada, é preciso estar abertos controlados

instalado corretamente
1 74%
A implementação de um sistema de chuveiros
automáticos é uma das etapas mais importantes do 2 88%
processo para garantir a segurança de patrimônio
e de vidas humanas. Para que seja eficiente, o
3 92%
contratante deve se certificar de que a empresa
respeita todas as normas e que os produtos
instalados são certificados. Além de verificar a 4 94%

qualidade da empresa e da mão de obra, vale


lembrar que todos os ambientes com circulação 5 95%
de vidas humanas devem receber o sistema de
sprinkler para que, se caso houver imprevistos, o 10 98%
local esteja completamente protegido contra fogos
e labaredas que rapidamente se espalham pelo
20 99%
ambiente.

www.skop.com.br 40
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL POR QUE ESSE SISTEMA É TÃO EFICIENTE?

2 Sprinklers e a redução do
número de mortes

O Instituto do Sprinkler Brasil divulgou um dado interessante sobre a redução do número de acidentes
que causaram mortes graças aos sistemas de chuveiros automáticos. Confirma em números:

Ocupação Sem Sprinklers Com Sprinklers % redução

Reunião em público 0,5 0,0 100%

Hotéis e motéis 7,2 0,0 100%

Lojas e escritórios 1,5 0,4 72%

Indústria 1,8 0,5 69%

Depósitos 3,0 3,2 -

Todas as ocupações 6,2 0,9 86%

www.skop.com.br 41
8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA
SABER NA HORA DE PEDIR
ORÇAMENTO DE SPRINKLER
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

8 pontos que você precisa saber na hora de pedir orçamento


de Sprinkler

Você sabe como especificar um sprinkler corretamente? Em uma primeira impressão, o sprinkler pode
parecer um equipamento muito simples e sem nenhum rigor técnico. Porém, ao conhecer um pouco
mais de perto percebemos, por exemplo, que fabricar um sprinkler de qualidade certificada é mais
complexo do que imaginamos.

São cerca de 150 processos de fabricação e de controle de qualidade para fabricar apenas um único
sprinkler. Outra questão interessante é que dada a variedade de características técnicas (orifício,
tempo de resposta…), poderíamos chegar a mais de 1100 combinações diferentes.

www.skop.com.br 43
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

1 Fator K (ou coeficiente de


descarga)

Está relacionado ao diâmetro do orifício interno do sprinkler e define


SI (L/min/bar1/2)U S (gmp/psi1/2)
sua capacidade de vazão de água. O valor de “K”pode ser expresso nas
unidades de medida do Sistema Internacional (SI) ou Unidade Americana 20 1.4
(US), essencialmente aplicados em grandes galpões de armazenagem e 25 1.9
indústrias no Brasil.” 40 2.8
60 4.2
80 5.2
115 8.0

160 11.0
200 14.0
240 17.0
280 19.6
320 22.0
360 25.0
400 28.0

www.skop.com.br 44
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

2 Tipo de resposta

Esta característica define a velocidade de ativação


do bulbo de vidro (ou liga-fusível) quando exposto
calor, ou seja, quantos segundos mais rápido, em
média, um bulbo será em relação ao outro. A norma
Brasileira define três classificações, sendo: rápida,
especial e padrão. Porém as mais utilizadas são:
Resposta Rápida e Resposta Padrão. O tipo de
resposta será definido em projeto, pois depende
das características do ambiente protegido. Para
Risco Leve a Norma Brasileira especifica o uso do
sprinklers de Resposta Rápida (bulbo de 3mm).

www.skop.com.br 45
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

3 Posição de instalação e Aplicações Especiais

Este é outro ponto importante. Esta característica


apresenta três possibilidades: em pé (ou upright),
pendente e lateral. Existe ainda a possibilidade de
utilizar as posições acima associadas a condições
especiais de uso. São eles: Decorativos (Embutido,
Flush e Oculto), resistente à corrosão e Seco (Dry).

www.skop.com.br 46
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

4 Tipo de cobertura

Esta característica está relacionada à área (m²) que


o sprinkler conseguirá “cobrir”. A diferença entre
o sprinkler de cobertura padrão e o de cobertura
estendida poderá ser identificada pela constituição
física do defletor e pelas marcações no mesmo.

www.skop.com.br 47
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

5 Diâmetro da rosca

São utilizados basicamente três diâmetros: ½”


(DN15), ¾” (DN20) e 1” (DN25). O padrão NPT
é o principal padrão de rosca utilizado pelos
fabricantes de sprinklers, nacional e internacionais.
É importante esclarecer que o padrão NPT é muito
semelhante ao padrão BSP para os diâmetros de
1/2” e 3/4” pois existe uma similaridade entre as
características técnicas dos fios de rosca nestas
duas variações de padrão.

www.skop.com.br 48
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

6 Temperatura de acionamento

O princípio de funcionamento do sprinkler é a ativação do


elemento termossensível (bulbo ou liga fusível) quando uma 68oC Bulbo vermelho
determinada temperatura é atingida; Esta é a temperatura
de acionamento ou temperatura nominal do sprinkler. Não 79oC Bulbo amarelo
é um valor aleatório e assim como as demais características
técnicas do sprinkler deve ser cuidadosamente definida em 93oC Bulbo verde
projeto. Existem faixas de temperaturas definidas em norma,
porém foram adotados valores de referência comercial. Os 141oC Bulbo azul
mais convencionais no mercado brasileiro são:

www.skop.com.br 49
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

7 Acabamento

Para evitar problemas com o dono da obra e especialmente com o Arquiteto, é melhor especificar
direitinho o acabamento do sprinkler. Se não… Imagina o teto de cinema ou casa de show com
um sprinkler branco. Seria um problema na certa! Os acabamentos mais convencionais são o
cromado e o natural, porém em locais onde se exige mais requinte pode-se adotar o acabamento
branco ou o preto (básico!).

www.skop.com.br 50
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL 8 PONTOS QUE VOCÊ PRECISA SABER NA HORA DE PEDIR ORÇAMENTO DE SPRINKLER

8 Certificação do produto

O sprinkler é um equipamento extremamente técnico e precisa ter sua qualidade comprovada


através de um Órgão Certificador (OCP) devidamente acreditado. As certificadoras mais
conceituadas no mercado nacional são Underwriters Laboratories do Brasil (ULbr) e obviamente
a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Todas certificam o produto seguindo
os critérios da Norma Técnica ABNT NBR 16400:2015. Também existe a possibilidade de
certificação internacional através da FM Approvals (FM).

www.skop.com.br 51
OS 8 PASSOS DA CORRETA
ESPECIFICAÇÃO
DE SPRINKLERS DA SKOP
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL OS 8 PASSOS DA CORRETA ESPECIFICAÇÃO DE SPRINKLERS DA SKOP

OS 8 PASSOS DA CORRETA ESPECIFICAÇÃO DE


SPRINKLERS DA SKOP

1. Marca e a Linha: SKOP/RTR, SKOP/JCR ou SKOP/B-11


2. Fator K: K-80, K-115 ou K-160 (igual a K-5.6, K-8.0 ou K-11)
3. Tipo de Resposta: Resposta Rápida (QR) ou Resposta Padrão (STD)
4. Posição: Pendente (H) ou Para Cima (F) ou Lateral (LH)
5. Diâmetro da Rosca: 15mm ou 20mm (igual a ½” ou ¾”)
6. Temperatura de Acionamento (em °C): 68, 79, 93, 141
7. Tipo de Acabamento: Cromado (CR) ou Natural (NA) ou Preto (PR) ou
Branco (BR)
8. Certificado do Produto: ABNT e/ou FM e/ou UL

www.skop.com.br 53
CONCLUSÃO
SPRINKLERS: O GUIA ESSENCIAL conclusão

CONCLUSÃO

Este guia tem como objetivo explicar a importância da certificação, o funcionamento dos sistemas de
chuveiros automáticos e como eles são parte fundamental em empresas e edifícios residenciais.

Quando o assunto é prevenção, é preciso levar em consideração que nada é mais importante do que as
vidas humanas. Por isso, para evitar um incêndio causado por um curto circuito por um eletrodoméstico
dentro de uma empresa, por exemplo, é fundamental que seja investido em um sistema de sprinklers
certificados.

Imprevistos acontecem e a conscientização é o primeiro passo para um futuro mais seguro!

www.skop.com.br 55
sobre a skop
40 anos dedicados a prevenção de incêndios

Os produtos fabricados pela SKOP salvam vidas humanas, minimizam e evitam a destruição de
patrimônios e a paralisação de atividades produtivas. Desde que inaugurou, em 1977, já forneceu
sistemas de chuveiros automáticos para grandes empreendimentos. Quando foi inaugurada, iniciaram
a sua caminhada com dois modelos: o SK1 e o SK2. Cinco anos mais tarde, se tornaram pioneiros na
Certificação ABNT para sprinklers e em seguida, lançaram a sua linha mais famosa: o RTR, com 64
modelos.

Quase dez anos após o RTR, com abertura de mercado, formaram representação comercial com a
Reliable Sprinklers (1994), fábrica americana de sprinklers certificados, cuja parceria dura até hoje.
Conquistaram a Certificação da Produção (ISO9001), ampliaram a rede de representantes e de
produtos, lançando em 2012 a linha JCR, com tripla certificação (ABNT, FM e ULBR).

Com isso, produzem atualmente mais de 240 modelos diferentes na sua sede do Rio de Janeiro. Criaram
parcerias com importantes empresas do mercado brasileiro e desde do ano de 2011 com a ABSpk –
Associação Brasileira de Sprinklers, que vem fazendo história. Em 2017, a SKOP ficou em segundo
lugar no quarto prêmio ISB (Instituto Sprinkler Brasil) com o tema Sprinklers no Brasil: Apresentação
e análise da nova norma ABNT NBR 16400:2015.

SKOP, a vida mais segura.


Fábrica Tel:
www.skop.com.br Rua Braga, 57, Penha Circular
Rio de Janeiro - RJ
(21) 3147-7777
(21) 98132-0182
CEP 21011-500