Você está na página 1de 155

APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL

PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

ADMINISTRAÇÃO GERAL E PÚBLICA

1000 QUESTÕES COM GABARITO

www.estrategiaconcursos.com.br Página 1 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

SUMÁRIO
Sumário .......................................................................................... 2
Motivação e Liderança ....................................................................... 4
Gabarito ..................................................................................... 15
Planejamento e Estratégia. Balanced Scorecard. Estrutura Organizacional.
Departamentalização. Processo Organização ...................................... 16
Gabarito ..................................................................................... 29
Controle. Indicadores de Gestão. Gestão de processos. Conceitos da
abordagem por processos. Técnicas de mapeamento, análise e melhoria
de processos. Processos e certificação ISO 9000:2000 ........................ 30
Gabarito ..................................................................................... 38
Gestão da Qualidade. Ferramentas da Qualidade. Melhoria Contínua.
Método Kaizen e 5S. Gestão de Conflitos nas Organizações. Trabalho de
Equipe ........................................................................................... 39
Gabarito ..................................................................................... 51
Processo decisório. Tomada de decisões nas organizações. Gestão do
Conhecimento. Aprendizagem Organizacional. Gestão de Pessoas por
Competências................................................................................. 52
Gabarito ..................................................................................... 63
Teorias da Administração. Evolução do estudo da Administração.
Comunicação. Clima e Cultura Organizacional. Gestão de Projetos ........ 64
Gabarito ..................................................................................... 80
Modelos Teóricos de Administração Pública: Patrimonialista e Burocrático e
Gerencial; Evolução dos modelos/paradigmas de gestão: a nova gestão
pública. Gestão por resultados na produção de serviços públicos. Novas
formas de gestão de serviços públicos: formas de supervisão e
contratualização de resultados ......................................................... 82
Gabarito ..................................................................................... 91
Experiências de reformas administrativas; O processo de modernização da
Administração Pública. Controle da Administração Pública. Controle social
e cidadania. O Sistema de Freios e Contrapesos: autotutela; Controle
Interno, Controle Externo, o papel da CGU; revisão jurisdicional dos atos
administrativos. Governo eletrônico .................................................. 92
Gabarito ................................................................................... 106
Organização do Estado e da Administração Pública. Mudanças
institucionais: conselhos, organizações sociais, organização da sociedade
civil de interesse público (OSCIP), agência reguladora, agência executiva.
Transparência. LAI. Compras Governamentais .................................. 107
Gabarito ................................................................................... 124

www.estrategiaconcursos.com.br Página 2 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Governabilidade, governança e accountability. Ética no exercício da função


pública. Gestão Pública empreendedora ........................................... 126
Gabarito ................................................................................... 141
Convergências e Divergências entre a Gestão Pública e a Gestão Privada.
Contratos Administrativos .............................................................. 142
Gabarito ................................................................................... 154

www.estrategiaconcursos.com.br Página 3 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

MOTIVAÇÃO E LIDERANÇA

1. (CESPE – DPU – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2016) Atualmente, a


liderança que contribui para o desempenho eficaz da equipe ampara-se
em características ou qualidades pessoais como carisma, propósito e
realização, o que leva as pessoas a perceberem a influência do líder em
situações de maior ou menor estabilidade.

2. (CESPE – DPU – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2016) Segundo as


abordagens de traços e competências de liderança, a presença de
comportamentos orientados ao trabalho e ao relacionamento
interpessoal no modo de agir do líder favorece eficazmente o alcance
dos resultados de equipes e organizações.

3. (CESPE - FUB – PSICÓLOGO – 2015) Qualquer indivíduo tem potencial


para exercer a liderança e para utilizar todos os seus estilos quando for
conveniente, pois não existe um único estilo de liderança a ser adotado
permanentemente nas organizações.

4. (CESPE - FUB – PSICÓLOGO – 2015) As teorias de liderança que


defendiam uma abordagem situacional, flexível e rapidamente
adaptável às constantes mudanças das organizações evoluíram para
uma abordagem que descreve traços e características pessoais
necessários aos líderes eficazes bem como ações que eles devem
realizar.

5. (CESPE - MPOG – TÉCNICO – 2015) Na perspectiva da teoria de traços,


que compreende a liderança a partir das características pessoais dos
líderes, os atributos pessoais são inatos e capazes de exercer influência
sobre as pessoas, o que diferencia os líderes dos demais.

6. (CESPE - MPOG – TÉCNICO – 2015) Os três estilos básicos de liderança


— autocrática, democrática e laissez faire — são definidos com base no
comportamento do líder nos grupos de trabalho.

7. (CESPE - FUB – PSICÓLOGO – 2015) Na liderança autocrática, as


decisões são tomadas de forma demorada e as tarefas são realizadas
após os líderes consultarem seus subordinados.

8. (CESPE - FUB – PSICÓLOGO – 2015) Na liderança democrática, os


membros da equipe reconhecem devidamente o papel do líder no

www.estrategiaconcursos.com.br Página 4 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

processo, a tomada de decisão tende a ser mais rápida e a


produtividade é elevada.

9. (CESPE - FUB – PSICÓLOGO – 2015) A liderança Laissez-Faire é eficaz


quando os subordinados não são dotados de capacidade de auto-
organização, gerando desempenho nas tarefas satisfatórias.

10. (CESPE - MPOG – TÉCNICO – 2015) São características que evidenciam


a liderança transformacional; trocas entre líderes e liderados com
vistas ao alcance das metas organizacionais; monitoramento frequente
para correção de desvios; e programas de recompensas que permitam,
por exemplo, que liderados exerçam outras atividades no horário de
trabalho.

11. (CESPE - MPOG – TÉCNICO – 2015) São ações e características de um


líder alinhado à liderança transformacional: ser carismático, estimular a
criatividade, inspirar confiança e propor desafios, além de estimular e
motivar seus liderados para superação e desenvolvimento pessoal e no
trabalho.

12. (CESPE – PF - ADMINISTRADOR – 2014) Nas organizações, o líder


define-se pela autoridade que lhe é delegada.

13. (CESPE – MS – ANALISTA – 2013) A liderança não está associada a


estímulos e incentivos que possam provocar motivação nas pessoas
para a realização da missão e dos objetivos organizacionais, visto que
tal função é uma atribuição da chefia dos indivíduos.

14. (CESPE – ANP – ANALISTA – 2013) A liderança é um predicado das


pessoas, diferentemente da autoridade formal, que é atributo do cargo.

15. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) De acordo com princípios da


gerência colaborativa, os gestores devem abdicar de sua posição de
liderança e destiná-la a seus subordinados, a fim de que estes tomem
as decisões sobre as mudanças nas organizações.

16. (CESPE – UNIPAMPA – ANALISTA – 2013) O líder autocrático pronuncia


comentários irregulares sobre as atividades dos membros da equipe e
determina as providencias para a execução das tarefas apenas quando
solicitado.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 5 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

17. (CESPE – UNIPAMPA – ANALISTA – 2013) Emergente é o líder que


reúne habilidades para conduzir a equipe a objetivos específicos,
porém, nessa situação, a equipe geralmente se desorganiza, o que
pode gerar insegurança e atritos entre os membros da equipe.

18. (CESPE – MI – ASSISTENTE TÉCNICO – 2013) Nas organizações


públicas, lideranças eficazes decorrem diretamente de atribuições
regimentais e de uma estrutura organizacional rígida e com muitos
níveis hierárquicos.

19. (CESPE – UNIPAMPA – ANALISTA – 2013) Para exercer a liderança é


necessário que o funcionário tenha habilidade de relacionamento com
as equipes e motivação para condução das atividades propostas.

20. (CESPE - ANCINE - ANALISTA – 2013) A maturidade do líder é a


principal característica do modelo de liderança de Hersey & Blanchard,
que demonstra as situações enfrentadas pelos subordinados. Esse
modelo deve ser analisado em um conjunto de tarefas, a partir das
quais é possível enquadrar os líderes em categorias universais,
considerando suas competências e motivações.

21. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) Na liderança do tipo laissez-faire,


o líder não define etapas ou métodos de trabalho, apenas fornece
materiais ou informações que lhe sejam solicitados.

22. (CESPE – TJ-ES - ANALISTA – 2011) Em qualquer situação, o estilo de


liderança positiva, participativa e cordial é o mais apropriado.

23. (CESPE – TJ-ES - ANALISTA – 2011) De acordo com os estudos


clássicos a respeito de estilos de liderança, administrador que conduz
seus subordinados por meio de liderança liberal obtém produtividade
superior à obtida por aquele que adota liderança autocrática, em razão
da criatividade e da inovação geradas.

24. (CESPE – CORREIOS / PSICÓLOGO – 2011) Independentemente de


fatores situacionais, líderes voltados ao cumprimento de metas e
preocupados com aspectos técnicos das tarefas são mais eficazes que
líderes orientados para o relacionamento.

(CESPE – PREVIC / ANAL. ADM. – 2011) No contexto das organizações,


pesquisadores ligados ao estudo da liderança situacional têm apresentado
diversas propostas de modelos para serem aplicados em instituições. Um

www.estrategiaconcursos.com.br Página 6 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

desses modelos baseia-se em três aspectos inter-relacionados: o


comportamento de tarefa, o comportamento de relacionamento e a
maturidade dos subordinados. Com base nessas informações, julgue os
itens que se seguem, referentes à liderança situacional.

25. A maturidade de um grupo ou de um liderado deve ser considerada


globalmente, e não somente em relação à tarefa específica a ser
realizada.

26. Consideram-se comportamento de tarefa o apoio socioemocional e o


encorajamento dado pelo líder.

27. (CESPE – ANATEL/ANALISTA ADMINISTRATIVO – 2009) A teoria da


liderança situacional procura definir qual estilo de liderança se ajusta
melhor a cada situação organizacional. Para atingir-se esse propósito,
deve-se, preliminarmente, diagnosticar a situação existente.

28. (CESPE – CETURB-ES/ADMINISTRADOR – 2010) O monge defende que


a base da liderança não é o poder, e, sim, a autoridade, conquistada
com amor, dedicação e sacrifício. Afirma, ainda, que respeito,
responsabilidade e cuidado com as pessoas são virtudes indispensáveis
a um grande líder. Ou seja, para liderar é preciso estar disposto a
servir.
James C. Hunter. O Monge e o executivo. Rio de Janeiro: Sextante, 2004, contracapa (com
adaptações).

No que concerne a liderança, julgue os próximos itens. (ADAPTADA)

O líder transacional é o personagem inspirador que recompensa seus


liderados com o prestígio de pertencer a determinado grupo na
organização.

29. (CESPE – BASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) Na atualidade, inexiste


situação que comporte a aplicação da liderança autocrática no âmbito
de uma organização, pois essa é uma teoria sem aplicabilidade prática.

30. (CESPE – ABIN / OFICIAL TÉCNICO – 2010) Em organizações formais


contemporâneas, os dirigentes ocupam posição em uma hierarquia
regida por normas impessoais. A autoridade formal concedida a esses
dirigentes não garante a liderança e a condução de pessoas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 7 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

31. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O estilo de liderança


adotado por uma organização influi direta e indiretamente em seus
resultados. No caso da liderança orientada para tarefas, a autocracia e
o autoritarismo são características marcantes. Já no estilo de liderança
voltado para as pessoas, as características são democracia e
participação dos funcionários.

32. (CESPE – UNIPAMPA/ ADMINISTRADOR – 2009) Caso o administrador


adote uma liderança liberal, as questões serão debatidas e decididas
pelo grupo.

33. (CESPE – UNIPAMPA/ ADMINISTRADOR – 2009) Se desejar valorizar do


mesmo modo os cargos e funções com perfil técnico ou gerencial, o
administrador deverá adotar a carreira em Y, pois, desse modo, os
empregados receberão remuneração e status proporcionais ao nível em
que se encontrem.

34. (CESPE – ANATEL/ANALISTA ADMINISTRATIVO – 2009) A teoria da


liderança situacional procura definir qual estilo de liderança se ajusta
melhor a cada situação organizacional. Para atingir-se esse propósito,
deve-se, preliminarmente, diagnosticar a situação existente.

35. (CESPE – TRT-17 / PSICOLOGIA – 2009) Liderança é definida como a


influência exercida por aqueles que possuem autoridade formal na
organização.

36. (CESPE – HEMOBRÁS/ ADMINISTRADOR – 2008) O exercício pleno da


liderança depende da ocupação de cargo de chefia pelo líder.

37. (CESPE – MIN. ESPORTE - ADMINISTRADOR – 2008) No trabalho em


equipe, o estilo de liderança democrático, por compartilhar o processo
decisório, contribui para o aumento da motivação dos membros da
equipe.

38. (CESPE – DFTRANS / ADMINISTRADOR – 2008) A liderança autocrática


tem como foco a automatização dos processos de trabalho e o
compartilhamento das decisões com os membros da equipe.

39. (CESPE – MTE / ADMINISTRAÇÃO – 2008) O managerial grid (grade


gerencial) proposto por Blake e Mouton pressupõe que o administrador
deva se preocupar apenas com os resultados.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 8 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

40. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) O líder autocrático é


aquele que delega a autoridade e encoraja a participação dos membros
da equipe.

41. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) Identifica-se o estilo


de liderança diretivo quando o líder explica aos demais membros quais
são as tarefas deles e como devem executá-las.

42. (CESPE – TRE-GO – ANALISTA – 2015) Caso se busque motivar um


colaborador que tenha alta necessidade de realização nos termos
propostos pela teoria das necessidades adquiridas, deve-se considerar
que pessoas com essa característica preferem trabalhar sozinhas.

43. (CESPE - STJ – TÉCNICO – 2015) A escassez de recursos no setor


público tende a conferir importância ao papel do líder na motivação do
servidor.

44. (CESPE - TCU – TÉCNICO – 2015) Os indivíduos com elevada


autoeficácia prescindem da participação em programas de treinamento
e desenvolvimento.

45. (CESPE - DEPEN – AGENTE – 2015) De acordo com a teoria


motivacional do estabelecimento de objetivos, pessoas orientadas por
gestores que adotam estilos mais participativos de liderança e de
gestão apresentam melhor desempenho profissional, já que elas
trabalham com objetivos claros, específicos e desafiadores e recebem
feedbacks gerenciais.

46. (CESPE - DEPEN – AGENTE – 2015) A motivação no trabalho


caracteriza-se pelo esforço despendido pelo indivíduo para cumprir
objetivos e metas previamente estipulados, ainda que dificuldades e
obstáculos afetem seu desempenho profissional por um breve período.

47. (CESPE - ANATEL – ANALISTA – 2014) Os construtos da teoria da


expectância de Vroom podem ser representados da seguinte forma: um
indivíduo deseja uma promoção (instrumentalidade — grau de
atração), passa a estender o seu horário de trabalho (valência —
visualização da relação entre a ação e a obtenção do resultado), pois
acredita que, assim, poderá ser promovido (expectância — antecipação
dos resultados e probabilidade subjetiva).

www.estrategiaconcursos.com.br Página 9 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

48. (CESPE – MI – ASSISTENTE TÉCNICO – 2013) Embora a motivação


enseje empenho no trabalho, o desempenho individual também
depende da presença de habilidades relevantes para o trabalho e de
fatores contextuais, tais como o apoio da organização.

49. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) O desempenho humano no


trabalho está relacionado a motivação, conhecimentos, habilidades e
atitudes, bem como à existência de suporte organizacional para que as
atividades, tarefas e responsabilidades sejam realizadas de maneira
adequada e conforme os padrões esperados.

50. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) A motivação para o trabalho,


sob o enfoque das necessidades humanas, é resultado do quanto a
pessoa se percebe capaz de realizar uma determinada tarefa de forma
autônoma e exemplar.

51. (CESPE – ANCINE – TÉCNICO – 2012) O desempenho humano,


resultado da motivação e das competências para a realização do
trabalho, está relacionado à inexistência ou pouca incidência de
obstáculos contextuais.

52. (CESPE – ANP – ANALISTA – 2013) A teoria de McClelland propõe que


o gestor atenda às necessidades de realização, afiliação ou poder dos
seus colaboradores.

53. (CESPE – MPE-PI – ANALISTA – 2012) As intervenções que busquem


agregar aspectos motivacionais extrínsecos tendem a ser eficazes para
a manutenção da motivação dos indivíduos com forte necessidade de
realização.

54. (CESPE – ANATEL – TÉCNICO – 2012) Caso determinado gestor


empregue a teoria X para motivar sua equipe, é correto afirmar que ele
adota o estilo de liderança democrática, ou mesmo laissez-faire, no
relacionamento com sua equipe.

55. (CESPE – MPE-PI – TÉCNICO – 2012) De acordo com a teoria dos dois
fatores — motivação e higiene —, o oposto de satisfação não é a
insatisfação. Ainda segundo essa teoria, a eliminação dos aspectos de
insatisfação de um trabalho não o torna necessariamente satisfatório.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 10 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

56. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A atuação de um gestor público


que desenvolva atividades na função de direção restringe-se ao nível
hierárquico mais alto da organização.

57. (CESPE – ANAC – TÉCNICO – 2012) O objetivo principal das teorias de


conteúdo é analisar a motivação com base no estudo dos motivadores
do comportamento organizacional.

58. (CESPE – MPE-PI – TÉCNICO – 2012) De acordo com a teoria dos dois
fatores — motivação e higiene —, o oposto de satisfação não é a
insatisfação. Ainda segundo essa teoria, a eliminação dos aspectos de
insatisfação de um trabalho não o torna necessariamente satisfatório.

59. (CESPE – ANCINE – TÉCNICO – 2012) O desempenho humano,


resultado da motivação e das competências para a realização do
trabalho, está relacionado à inexistência ou pouca incidência de
obstáculos contextuais.

60. (CESPE – MPE-PI – ANALISTA – 2012) As intervenções que busquem


agregar aspectos motivacionais extrínsecos tendem a ser eficazes para
a manutenção da motivação dos indivíduos com forte necessidade de
realização.

61. (CESPE – ANATEL – TÉCNICO – 2012) Caso determinado gestor


empregue a teoria X para motivar sua equipe, é correto afirmar que ele
adota o estilo de liderança democrática, ou mesmo laissez-faire, no
relacionamento com sua equipe.
62. (CESPE – TJ-ES - ANALISTA – 2011) No trabalho de motivação dos
funcionários, pesquisas recentes recomendam que os profissionais de
gestão de pessoas adotem, sem restrições, a teoria de Maslow.

63. (CESPE – STM / ANAL ADM. – 2011) É possível afirmar que quanto
maior for a motivação de um funcionário para o trabalho, tanto melhor
será o seu desempenho em determinado contexto laboral.

64. (CESPE – STM / ANAL JUD. PSI – 2011) A relação existente entre
motivação e satisfação no trabalho é evidente nas organizações, não
havendo, portanto, necessidade de um modelo para explicá-la.

65. (CESPE – TJ-ES / ANALISTA – 2011) Consoante os pressupostos da


hierarquia de necessidades de Maslow, um administrador que almeje

www.estrategiaconcursos.com.br Página 11 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

motivar seus colaboradores deve considerar primeiramente as


necessidades fisiológicas destes.

66. (CESPE – STM / ANAL JUD. PSI – 2011) As teorias de conteúdo da


motivação no trabalho enfatizam de que maneira as pessoas pensam
ao escolher entre diferentes caminhos quando tentam satisfazer suas
necessidades.

67. (CESPE – STM / ANAL JUD. PSI – 2011) Uma comparação de equidade
ocorre sempre que as organizações estabelecem recompensas
intrínsecas e extrínsecas.

68. (CESPE – ANEEL - TÉCNICO – 2010) No modelo piramidal criado por


Maslow para explicar a motivação, constam as seguintes necessidades
humanas, dispostas em ordem hierárquica: fisiológicas, segurança,
social, estima e autorrealização.

69. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) A teoria de Maslow cita as


necessidades humanas como uma pirâmide, fazendo um paralelo com
uma hierarquia. Na base dessa pirâmide, encontram-se as
necessidades básicas ou fisiológicas e o pressuposto é: uma
necessidade, em qualquer ponto da hierarquia, precisa ser atendida
antes que a necessidade do nível seguinte se manifeste.

70. (CESPE – AGU- ANAL. ADM. – 2010) Ao assumir a gerência de


qualidade de uma organização, Maria pretende criar uma auditoria de
processos gerenciais, que avaliará a conformidade das atividades
desenvolvidas pelos diversos setores componentes da organização.
Para compor sua equipe, Maria decidiu recrutar pessoalmente cada
colaborador, por meio de seleção externa, pois acredita que, de modo
geral, as pessoas não são responsáveis e não gostam de trabalhar.
Visando atrair colaboradores para o cargo, ela oferecerá as melhores
gratificações financeiras da organização. Os futuros auditores de
processos terão uma rotina muito bem delineada e serão avaliados
semestralmente pelas chefias imediatas. Os aspectos da avaliação
julgados deficientes serão objeto de capacitações. Com referência a
essa situação hipotética e ao tema por ela evocado, julgue os próximos
itens.

Maria, em termos de liderança, se pauta na teoria X de McGregor.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 12 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

71. (CESPE – BASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) Se o gerente de uma


agência bancária com 35 funcionários do quadro, 10 terceirizados e 5
estagiários adotar uma postura única como forma de motivar seus
colaboradores, essa conduta estará de acordo com os pressupostos da
teoria de Maslow.

72. (CESPE – BASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) A preocupação do gerente


de uma agência bancária com a salubridade do ambiente de trabalho
identifica-se com os aspectos motivacionais propostos na teoria de
Herzberg.

73. (CESPE – BASA - ADMINISTRAÇÃO – 2010) A implantação de um novo


plano de remuneração que contemple um aumento substancial no
salário dos colaboradores de uma organização vai ao encontro dos
fatores extrínsecos propostos na teoria de Herzberg.

74. (CESPE – CETURB-ES - ADMINISTRADOR – 2010) A oportunidade de


liderar uma equipe representa, muitas vezes, um fator de motivação
para o colaborador, que considera a tarefa como um voto de confiança
dos seus superiores.

75. (CESPE – POLICIA FEDERAL / AGENTE – 2009) Ao considerar a teoria


da equidade como forma de maximizar o desempenho dos
colaboradores que lhe estão subordinados, o gestor público deve levar
em conta que qualquer injustiça sentida em relação às recompensas
pode motivar essas pessoas a agirem de forma a restaurar o senso de
equidade percebida.

76. (CESPE – TCU - ACE – 2009) Considerando a teoria dos dois fatores de
Hezberg, existem duas formas de motivar os empregados: uma
pautada em uma ação mais dura, voltada apenas para aspectos
financeiros (fator X), e outra mais participativa, voltada para aspectos
de socialização (fator Y).

77. (CESPE – UNIPAMPA/ ADMINISTRADOR – 2009) Segundo a teoria dos


dois fatores, proposta por Herzberg, ao conceder aumento na
remuneração de seus colaboradores, o administrador atuará em um
fator motivacional.

78. (CESPE – UNIPAMPA/ ADMINISTRADOR – 2009) Caso o administrador


pretenda motivar sua equipe baseando-se na teoria de motivação
chamada hierarquia das necessidades, a primeira providência a ser

www.estrategiaconcursos.com.br Página 13 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

tomada deverá ser a adoção de um programa que vise preservar e


desenvolver as relações sociais no grupo de empregados.

79. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) Conforme a teoria


da hierarquia das necessidades de Maslow, por serem as necessidades
da base da pirâmide de hierarquias as únicas que realmente produzem
motivação para o trabalho, as recompensas oferecidas aos empregados
devem ter sido de natureza monetária.

80. (CESPE – MTE / ADMINISTRAÇÃO – 2008) Segundo o modelo de


Vroom, a motivação para produzir em uma entidade está calcada
estritamente nas recompensas ofertadas pela organização.

81. (CESPE – MTE / ADMINISTRAÇÃO – 2008) Segundo a teoria proposta


por Hezberg, o aumento salarial dado a uma categoria de servidores
públicos, por exemplo, não seria um fator motivacional.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 14 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. E 28. E 55. C
2. E 29. E 56. E
3. C 30. C 57. C
4. E 31. C 58. C
5. C 32. E 59. C
6. C 33. C 60. E
7. E 34. C 61. E
8. E 35. E 62. E
9. E 36. E 63. E
10. E 37. C 64. E
11. C 38. E 65. C
12. E 39. E 66. E
13. E 40. E 67. E
14. C 41. C 68. C
15. E 42. C 69. C
16. E 43. C 70. C
17. E 44. E 71. E
18. E 45. C 72. E
19. C 46. C 73. C
20. E 47. E 74. C
21. C 48. C 75. C
22. E 49. C 76. E
23. E 50. E 77. E
24. E 51. C 78. E
25. C 52. C 79. E
26. E 53. E 80. E
27. C 54. E 81. C

www.estrategiaconcursos.com.br Página 15 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIA. BALANCED SCORECARD.


ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. DEPARTAMENTALIZAÇÃO.
PROCESSO ORGANIZAÇÃO

1. CESPE – ANTAQ – ANALISTA – 2014) O planejamento estratégico


situacional separa as funções de planejamento das funções de
execução e possui regras mais rígidas do que em casos de
planejamentos tradicionais.

2. (CESPE – SUFRAMA – ADMINISTRADOR – 2014) Ao implementar o


balanced scorecard, a organização demonstra sua intenção estratégica
de gerir o desempenho organizacional e tomar decisão gerencial
orientada à otimização da estrutura e dos resultados por meio da
melhor alocação de recursos na organização.

3. (CESPE - TJ-CE – ANALISTA – 2014) São ações representativas dos


níveis estratégico, tático e operacional, respectivamente:
a) recrutamento, gestão de arquivos de pessoal e motivação.
b) definição de políticas de gestão, treinamento e definição de sistemas
de remuneração.
c) motivação, recrutamento e definição de políticas de gestão.
d) controle de horários, definição de políticas de gestão e
recrutamento.
e) motivação, treinamento e controle de horários.

4. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) Por meio do balanced


scorecard, mede-se o desempenho organizacional como um todo, de
acordo com as seguintes perspectivas: financeiras; processos internos
do negócio; aprendizado e crescimento; e clientes.

5. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) O balanced scorecard, uma


ferramenta de gestão estratégica alternativa aos métodos tradicionais
de medida de desempenho, permite o monitoramento de metas,
estratégias e objetivos organizacionais com base na missão e na visão
da organização.

6. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) O planejamento estratégico


pode ser considerado como a formalização das metodologias de
desenvolvimento e implantação estabelecidas; o planejamento tático
tem por objetivo a otimização dos resultados da empresa como um

www.estrategiaconcursos.com.br Página 16 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

todo; e o planejamento operacional relaciona-se com objetivos de


longo prazo e com estratégias e ações para se alcançá-los. Todos esses
tipos de planejamento, portanto, estão associados aos níveis de
decisão da organização.

7. (CESPE – ICMBIO – ANALISTA – 2014) Caso a situação atual seja


diagnosticada e se estabeleçam os objetivos a serem alcançados, o
planejamento estratégico terá cumprido seu objetivo.

8. (CESPE - TJ-CE – ANALISTA – 2014) Com relação aos elementos


envolvidos na elaboração de planejamento estratégico, assinale a
opção correta.
a) Conjuntos de projetos organizados em prol de um objetivo comum
denominam-se de planos.
b) As estratégias de uma organização assinalam suas diretrizes,
políticas e objetivos.
c) Os resultados do diagnóstico estratégico de uma organização podem
revelar ameaças naturais, aceitáveis ou mesmo inaceitáveis.
d) A visão da organização manifesta a razão central de seu
planejamento estratégico, ou seja, seu motivo de existência.
e) A missão de uma organização deve ser definida com base na oferta
de um produto ou serviço, independentemente de seu espaço de
mercado.

9. (CESPE – CADE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) A missão da


organização deverá ser definida no planejamento estratégico.

10. (CESPE – CADE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) A primeira


etapa da elaboração de um planejamento estratégico é a definição do
plano de ações.

11. (CESPE – CADE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) A mobilização


de atores é a última tarefa que deve ser executada pelo gestor durante
a elaboração de um planejamento estratégico.

12. (CESPE – CADE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) O


planejamento estratégico e situacional é uma ferramenta utilizada para
viabilizar os processos de planejamento em organizações públicas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 17 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

13. (CESPE – MJ – ADMINISTRADOR – 2013) O controle estratégico


decorrente do planejamento estratégico envolve decisões relacionadas
a alterações de objetivos estabelecidos em função de alterações
ambientais.

14. (CESPE – ANS – ANALISTA – 2013) Em uma análise SWOT, o baixo


número de especialistas em regulação de saúde suplementar é
considerado uma ameaça.

15. (CESPE – TELEBRÁS – ESPECIALISTA – 2013) Ao realizar a análise


SWOT no processo de planejamento, a organização deve identificar as
variáveis externas, mesmo sabendo que elas não poderão ser
controladas.

16. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) O planejamento tático,


elaborado pelos gerentes de cada departamento existente na empresa,
é realizado com base no plano estratégico, referindo-se ao nível
intermediário da organização.

17. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) Os objetivos definidos no


planejamento estratégico são atingidos a partir do cumprimento das
atividades definidas no planejamento de curto prazo.

18. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) Um dos atributos do


planejamento estratégico é a exigência de longo prazo entre seu início
e os resultados esperados.

19. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) Os planos funcionais ou


administrativos definem as atividades, os recursos e as formas de
controle necessários para a realização dos cursos de ação escolhidos.

20. (CESPE – MJ - ADMINISTRADOR – 2013) O primeiro passo no


planejamento é a fixação de metas específicas e desafiadoras para
orientar o seu cumprimento e melhorar o desempenho da organização.

21. (CESPE – MJ - ADMINISTRADOR – 2013) O diagnóstico estratégico,


considerado a primeira fase de um planejamento estratégico, baseia-se
em uma análise interna da organização a fim de evidenciar suas
deficiências e qualidades.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 18 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

22. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) O planejamento estratégico


subsidia as grandes decisões da organização.

23. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) A etapa de planejamento


estratégico compreende a definição da missão e da visão corporativas e
a revisão dos valores corporativos.

24. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) A análise de SWOT (strenghts,


weakness, opportunities, threats) visa à formulação de estratégias para
aproveitar as oportunidades do mercado, sem a preocupação com as
fragilidades da organização.

25. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) O processo de planejamento


estratégico é feito com base no diagnóstico das ameaças e das
oportunidades do ambiente externo, bem como dos pontos fracos e
fortes do ambiente interno.

26. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) A natureza cíclica do processo


de planejamento garante feedback em relação às ações anteriores,
orientando as posteriores, dentro do período de execução das
atividades planejadas.

27. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Para alcançar as metas, as


organizações utilizam determinadas estratégias que visam à obtenção
de maior comprometimento afetivo do indivíduo com a organização.

28. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Elaboração e análise de


cenários pressupõem criações de representações de futuro que
garantam previsibilidade e evitem que o gestor conviva com incertezas
e ambiguidades.

29. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) O balanced scorecard (BSC)


permite medir o desempenho estratégico com base em indicadores que
não se restringem aos aspectos financeiros.

30. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Sob o enfoque do Balanced


Scorecard (BSC), que é alicerçado na premissa de convergência
estratégica, a consistência interna da estratégia refere-se ao grau de
alinhamento dos planos estratégico, tático e operacional entre si.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 19 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

31. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) O BSC (Balanced Scorecard)


possui perspectivas bem definidas: financeira, processos internos,
inovação, clientes e aprendizagem e crescimento.

32. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A frase “ser reconhecida como


a mais importante organização de fomento da ciência e tecnologia no
país” encerra missão definida no processo de planejamento.

33. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) O planejamento tático do


órgão está vinculado à definição de aspectos como missão, visão,
princípios, crenças e valores da organização.

34. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2012) O processo de planejamento


estratégico, em que se definem a missão e a visão da instituição,
alinhado à construção da matriz SWOT, objetiva alavancar a sinergia e
o nível de entropia da organização.

35. (CESPE – ANATEL - TÉCNICO – 2012) A análise do ambiente


interno, o estabelecimento de objetivos e a escolha das estratégias são
atividades inerentes ao processo de planejamento.

36. (CESPE – TRE-RJ - ANALISTA – 2012) Na gestão estratégica, o


processo de diagnóstico estratégico pode se utilizar da análise SWOT
para obter uma análise do ambiente interno e externo da organização.

37. (CESPE – TRE-ES - ANALISTA - 2011) A administração estratégica


exige o cumprimento de etapas básicas, tais como: avaliação do
ambiente; formulação e implementação de uma estratégia
organizacional; e controle estratégico.

38. (CESPE – TRE-ES - TECNICO – 2011) O uso de ferramentas como o


Balanced Scorecard (BSC) é inviável no modelo de gestão estratégica,
dado o nível de atuação desse modelo.

39. (CESPE – MS - ADMINISTRADOR – 2010) O BSC busca estratégias e


ações equilibradas em todas as áreas cujos efeitos afetem o negócio da
organização como um todo.

40. (CESPE – MS - ADMINISTRADOR – 2010) O BSC cria um contexto


para que as decisões estejam relacionadas com a estratégia e a visão
organizacional.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 20 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

41. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) Em função das


constantes mudanças nos ambientes de negócios, o planejamento
estratégico possui caráter de curto prazo. Um claro exemplo disso é a
constante revisão que a alta gerência executa semestralmente em
algumas empresas.

42. (CESPE – ABIN - OFICIAL TÉCNICO – 2010) A primeira tarefa do


planejador é definir um plano, parte mais importante do processo de
planejamento. Em seguida, ele deve coletar e processar dados
relevantes para a implementação desse plano, a partir de novas
informações e decisões.

43. (CESPE – INCA - GESTÃO PÚBLICA – 2010) Manter-se reconhecido e


referenciado como laboratório de excelência de gestão da produção em
pesquisa, desenvolvimento e extensão, com ética e responsabilidade
social, é uma declaração que exemplifica uma visão.

44. (CESPE – INCA - GESTÃO PÚBLICA – 2010) Constitui um exemplo


de missão da organização a declaração: a empresa X atuará no Brasil e
no exterior de forma integrada no negócio de energia, com um
crescimento médio anual de 11% na produção de óleo e gás, durante
três anos.

(CESPE – MS - ADMINISTRADOR – 2010) A organização não


governamental (ONG) Viver com Saúde possui programas de incentivo à
prática desportiva, de monitoramento da saúde bucal, de divulgação sobre
a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, entre outros. A
referida ONG atua exclusivamente no Distrito Federal (DF), mas pretende
ampliar sua área de atuação para o estado de Goiás em face da realidade
precária dos fornecedores de serviços de saúde das pequenas cidades do
entorno do DF. Tal ampliação implicará um aumento de 70% nos custos
da organização. Para tanto, a ONG terá de tomar decisões acerca do seu
processo organizacional. A partir da situação hipotética acima, julgue os
itens a seguir com relação ao processo organizacional.

45. A decisão da referida ONG, de ampliar sua área de atuação do DF


para o estado de Goiás, é inerente ao planejamento no nível
operacional, pois envolve uma necessidade de curto prazo e uma
decisão que deve ser tomada pelo gestor tático da organização.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 21 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

46. O presidente da referida ONG integra o nível estratégico da


organização e suas decisões causam impacto, geralmente de longo
prazo, em toda a organização.

47. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) As variáveis externas e


não controláveis pela empresa que podem criar condições
desfavoráveis para ela são conhecidas como pontos fracos.

48. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O processo de


planejamento propicia o amadurecimento organizacional. Nesse
sentido, as variáveis autoridade e responsabilidade são diretamente
proporcionais ao nível de planejamento abordado.

49. (CESPE – INCA - GESTÃO PÚBLICA – 2010) Um secretário executivo


do Ministério da Saúde, cujas atividades relativas ao planejamento
envolvam decisões a serem tomadas acerca de objetivos e estratégias
caracteristicamente de longo prazo, não poderá formular ou
implementar pessoalmente todo o plano.

50. (CESPE – INCA - GESTÃO PÚBLICA – 2010) É um exemplo de meta


a declaração: tirar em matemática nota mínima 7, em todas as provas
do período semestral.

51. (CESPE – MPU - ANALISTA ADMINISTRATIVO – 2010) O processo de


planejamento contempla a definição dos meios de acompanhamento e
avaliação dos resultados.

52. (CESPE – BASA - ADMINISTRAÇÃO – 2010) A concepção de


organização como entidade pressupõe que ela constitui um sistema
frouxamente unido, o que impossibilita planejamentos, na medida em
que planejar é a palavra apropriada para se projetar um conjunto de
ações para atingir um resultado claramente definido, quando se tem
plena certeza da situação em que as ações acontecerão e controle
quase absoluto dos fatores que asseguram o sucesso no alcance dos
resultados.

53. (CESPE – BASA - ADMINISTRAÇÃO – 2010) Enquanto projetar o


futuro é um processo que envolve decidir como agir com base no que
está ocorrendo no ambiente imediato e no futuro próximo, planejar é a
tradução dessa decisão em ações gerenciáveis. A projeção futura e o
planejamento devem encontrar-se no ponto em que seja possível
divisar uma estratégia de ação e traduzi-la em uma meta ou alvo.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 22 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

54. (CESPE – ANEEL - ANALISTA ADM – 2010) Considerando a


metodologia conhecida como avaliação SWOT (strength: forças;
weaknesses: fraquezas; opportunities: oportunidades e threatens:
ameaças), que pode servir de base aos processos de planejamento
estratégico, julgue o item abaixo.
A identificação das fraquezas refere-se ao ambiente externo das
empresas e das organizações.

55. (CESPE – ABIN - OFICIAL TÉCNICO – 2010) Planejamento refere-se


diretamente a competência interpessoal e gestão de pessoas.

56. (CESPE – INCA - GESTÃO PÚBLICA – 2010) Considerando que o


setor de recursos humanos do Ministério da Saúde encaminhe um
secretário executivo do seu quadro de funcionários um relatório
contendo a listagem com as competências essenciais do órgão e o nível
de habilidades e experiências dos seus integrantes em face de tais
competências, é correto afirmar que, sendo o conceito de competência
essencial relacionado a algo em que uma organização se destaca, seja
frente a outras organizações do setor público e(ou) do setor privado, o
referido órgão estará fazendo uma análise ambiental externa.

57. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) A principal variável que


afeta o tipo e o modelo de estrutura de uma empresa é a natureza da
sua atividade, isto é, o produto ou o serviço que é produzido.

58. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Na administração pública, a


estrutura informal facilita a comunicação entre chefia e subordinados,
proporcionando maior rapidez e controle dos processos.

59. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) A amplitude de controle em uma


organização deve ser reduzida nos casos em que o trabalho seja
rotineiro, os subordinados, altamente treinados, o administrador,
altamente capacitado, os cargos, similares e as medidas de
desempenho, comparáveis.

60. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Na gestão pública, a estrutura


organizacional refere-se à estruturação legal dos órgãos que irão
desempenhar as funções por intermédio dos agentes públicos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 23 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

61. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) O organograma é a


representação gráfica ideal das atividades de pessoas envolvidas na
execução de um processo passo a passo.

62. (CESPE – ANP – ANALISTA – 2013) A departamentalização por


produto dificulta a avaliação, realizada pela gerência, do desempenho
da unidade de trabalho, devido à separação das diferentes divisões dos
produtos.

63. (CESPE – ANP – ANALISTA – 2013) A departamentalização funcional


organiza o trabalho e os funcionários em áreas de especialização
distintas.

64. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Uma organização de


produção de softwares que possua órgãos especializados como os de
recursos humanos, o financeiro e o da produção, e que atenda a cada
cliente de maneira específica, conforme a demanda, segue uma
estrutura matricial.

65. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Em geral, a empresa que se


pauta na estrutura funcional apresenta modelo organizacional que
exige um árduo esforço para sinergia interdepartamental. Essa
estrutura torna a empresa menos flexível em processos de adaptação
às mudanças externas.

66. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) Embora confira dinamicidade


aos projetos de uma organização, o modelo de departamentalização
matricial costuma gerar múltiplas subordinações e ambiguidade na
definição de papeis e relações.

67. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) A estruturação dos serviços de


uma organização de forma eficiente implica adotar os mesmos critérios
de agrupamento de funções para todas as unidades.

68. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) O procedimento de


descentralização está associado ao repasse de atribuições e
responsabilidades a setor subordinado.

69. (CESPE – ANATEL – TÉCNICO – 2012) A existência de duas linhas de


comando, ou seja, de dois chefes aos quais os demais administradores
devem se reportar, é característica da estrutura em linha e assessoria.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 24 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

70. (CESPE – TJ-AC – ANALISTA – 2012) A descentralização da


autoridade ocorre por meio do processo de delegação, com a
transferência do poder de decisão para a execução de tarefas
específicas.

71. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – AGENTE – 2012) Na estruturação do


Departamento de Polícia Federal, composto de órgãos como as
Diretorias Técnico-Científica, de Inteligência Policial, de Gestão de
Pessoal e a de Administração e Logística Policial, entre outros, foi
adotada a denominada departamentalização funcional.

72. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA – 2012) A departamentalização, que


consiste na divisão de tarefas em blocos, unidades ou áreas de
trabalho, com base em critérios específicos, tem a finalidade de elevar
a entropia do sistema organizacional.

73. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) Considere que um diretor


pretenda reestruturar a organização que dirige, de modo a conferir
maior centralização à perícia da organização e a permitir maior rigor no
controle das funções pela alta administração. Nessa situação,
recomenda-se a adoção da departamentalização funcional.

74. (CESPE – ANAC – TÉCNICO – 2012) Os problemas de controle na


estrutura funcional podem decorrer do próprio sucesso da organização,
resultado do aumento da complexidade interna provocada pelo natural
crescimento no conjunto de bens e (ou) serviços ofertados pela
organização.

75. (CESPE – EBC – ANALISTA – 2011) O modelo matricial é um tipo de


estrutura resultante da integração de dois tipos de organogramas: o
modelo tradicional de estrutura funcional e o modelo de estrutura
organizado por projeto.

76. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) Não há correlação entre a


amplitude administrativa e a necessidade de delegação no âmbito de
uma organização.

77. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) A realização de


descentralização é mais recomendada em situações de certeza e
estabilidade do que em momentos de incerteza e instabilidade.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 25 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

78. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) Caso opte por descentralizar, o


administrador deve considerar o fato de essa decisão poder acarretar
aproveitamento insuficiente dos especialistas da sua organização.

79. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A estrutura


matricial é indicada para organizações que lidam com projetos
específicos.

80. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A organização


estruturada de forma simples e centralizada em torno de uma
autoridade máxima adota estrutura funcional.

81. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A


departamentalização por produto permite uma visão única acerca da
organização e o controle eficaz sobre seu conjunto.

82. (CESPE – MPU / ANAL. ADMINISTRATIVO – 2010) Ao dar


continuidade à reestruturação de um órgão público, o seu diretor
pretende distribuir as competências internamente, ou seja, no âmbito
do próprio órgão, a fim de tornar mais ágil e eficiente a prestação dos
serviços e conseguir economia de escala na gestão dos custos
operacionais e administrativos. De antemão, o diretor decidiu que, caso
essa reestruturação não fosse bem sucedida, seria firmado contrato
para transferir a outro ente público, fora de sua estrutura, a execução
dos serviços prestados pelo órgão. A partir das informações
apresentadas nessa situação hipotética, julgue o item que se segue.
(ADAPTADA)

Considerando-se que o referido órgão público busca economia de


escala, a centralização é contraindicada.

83. (CESPE – AGU- ANAL. ADM. – 2010) A escolha das tarefas que são
atribuídas às unidades administrativas baseia-se nos critérios de
departamentalização, ou seja, na especialização dos blocos de trabalho
de uma organização. Nesse contexto, as organizações estruturadas no
modelo de projetos delegam grande autoridade e responsabilidade aos
gerentes.

84. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) A estrutura de uma


organização divide-se em formal e informal. A estrutura informal é
composta pela rede de relações sociais e pessoais com ênfase em

www.estrategiaconcursos.com.br Página 26 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

termos de autoridades e responsabilidades. A formal é deliberadamente


planejada e, em alguns aspectos, apresentada pelo organograma.

85. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) Organizações horizontais


e não burocráticas se utilizam, mais comumente, de uma estrutura
linear, basicamente caracterizada por flexibilidade estrutural,
favorecimento do trabalho em equipes de cooperação e
descentralização de autoridade/responsabilidade.

86. (CESPE – ABIN / OFICIAL TÉCNICO – 2010) Entre os critérios de


departamentalização, inclui-se o funcional, organizado por tarefas
independentes e orientadas para um objetivo geral.

87. (CESPE – ABIN / OFICIAL TÉCNICO – 2010) A divisão do trabalho,


cuja finalidade é produzir mais e melhor, com o mesmo esforço, é a
maneira pela qual um processo complexo pode ser decomposto em
uma série de tarefas.

82. (CESPE – MS/ADMINISTRADOR – 2010) Jetro, sogro de Moisés, ao vê-


lo atender ao povo e resolver cada problema apresentado, admoestou-
o. Não é bom o que fazes. Sem dúvida, desfalecerás assim tu, como
este povo que está contigo: pois isto é pesado demais para ti; tu não o
podes fazer assim sozinho. Ouve, pois, minhas palavras. Eu te
aconselharei, e Deus esteja contigo. Representa o povo perante Deus.
Leva a Deus as suas causas, ensina-lhes os estatutos e as leis, e faz-
lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem saber.
Procura entre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de
verdade, aos quais aborreça a avareza. Põe-nos sobre eles, por chefes
de 1.000, chefes de 100, chefes de 50 e chefes de 10, para que
julguem este povo em todo o tempo. Toda causa grave, tra-la-ão a ti,
mas toda causa pequena, eles mesmos a julgarão. Será, assim, mais
fácil para ti, e eles levarão a carga contigo. Se isto fizeres, e assim
Deus te mandar, poderás então suportar; e assim, também, todo este
povo tornará em paz ao seu lugar.
Texto bíblico do Êxodo. In: Idalberto Chiavenato. Teoria geral da administração. v. 1, 5.ª
ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999, p. 46 (com adaptações).

Com base no texto acima, julgue os itens que se seguem.

88. Jetro propôs a Moisés delegar poderes ao povo.

89. A ordem hierárquica formada prevê um organograma composto,


sequenciamente, por chefes de 10, chefes de 50, chefes de 100 e, na
base, chefes de 1.000.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 27 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

90. Em um organograma montado de acordo com os dados do texto,


Jetro teria um cargo de assessor ou conselheiro.

91. No sistema delineado no texto, todas as causas complexas serão


resolvidas pelos chefes de 1.000.

92. No momento em que Moisés atenda a Jetro, cria-se uma cadeia


escalar nessa organização.

93. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) Chefias


generalistas, estabilidade e constância nas relações são características
próprias da estrutura organizacional linear.

94. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A


departamentalização funcional é adequada para o desenvolvimento de
atividades continuadas e rotineiras em que sejam utilizados recursos
especializados.

95. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A


departamentalização por processos favorece a rápida adaptação da
empresa às mudanças organizacionais.

96. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) De acordo com


um dos princípios da departamentalização, as atividades de controle
devem estar separadas das que serão objeto de controle.

97. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A


departamentalização por clientes atende de forma mais apropriada a
organização cujos objetivos principais sejam o lucro e a produtividade.

98. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) O


enfraquecimento da especialização constitui uma desvantagem da
departamentalização geográfica.

99. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2009) Entre as classificações


mecanicistas e orgânicas, as repartições públicas são enquadradas
nesta última.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 28 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. E 34. E 67. E
2. C 35. C 68. C
3. E 36. C 69. E
4. C 37. C 70. C
5. C 38. E 71. C
6. E 39. C 72. E
7. E 40. C 73. E
8. C 41. E 74. C
9. C 42. E 75. C
10. E 43. C 76. C
11. E 44. E 77. E
12. C 45. E 78. C
13. C 46. C 79. C
14. E 47. E 80. E
15. C 48. C 81. E
16. C 49. C 82. E
17. C 50. C 83. C
18. C 51. C 84. C
19. E 52. E 85. E
20. C 53. C 86. E
21. E 54. E 87. C
22. C 55. E 88. C
23. C 56. E 89. E
24. E 57. E 90. C
25. C 58. E 91. E
26. E 59. E 92. C
27. C 60. C 93. C
28. E 61. E 94. C
29. C 62. E 95. E
30. C 63. C 96. C
31. E 64. C 97. E
32. E 65. C 98. C
33. E 66. C 99. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 29 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

CONTROLE. INDICADORES DE GESTÃO. GESTÃO DE


PROCESSOS. CONCEITOS DA ABORDAGEM POR PROCESSOS.
TÉCNICAS DE MAPEAMENTO, ANÁLISE E MELHORIA DE
PROCESSOS. PROCESSOS E CERTIFICAÇÃO ISO
9000:2000

1. (CESPE - ANATEL - TÉCNICO – 2014) As normas da série ISO 9000


constituem ferramentas de normatização de processos de trabalho que
garantem padrões adequados de qualidade aos serviços prestados
pelas organizações.

2. (CESPE - TJ-CE - TÉCNICO – 2014) Acerca da gestão de processos,


assinale a opção correta.
a) Geração de pedidos e atendimento a clientes são exemplos de
processos periféricos em uma organização.
b) Em uma secretaria de educação, as áreas de contabilidade e
compras executam processos de apoio ao funcionamento da secretaria.
c) As áreas de desenvolvimento de projetos de uma organização da
construção civil são consideradas áreas de apoio.
d) Na área de atendimento ao cliente, não se desenvolvem processos
centrais das organizações.
e) A gestão de um processo deve ser executada por especialistas de
uma área específica da organização.

3. (CESPE - CADE - AGENTE – 2014) Atualmente, a gestão por processos


é uma tendência nas organizações, visto que contribui para o aumento
da qualidade e para a redução de custos dos produtos e serviços.

4. (CESPE - CADE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Na gestão por


processos, as necessidades dos clientes são traduzidas como requisitos
de processos a serem desenvolvidos pela organização.

5. (CESPE - CADE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Na administração


pública, o sucesso na gestão de processos pode ser medido
considerando-se a imagem organizacional e a satisfação dos cidadãos.

6. (CESPE - MDIC – AGENTE ADMINSTRATIVO – 2014) Essencialmente,


um ciclo de gerenciamento de processos inicia-se com o planejamento,
visto que, nessa fase, são definidas as especificações de cada etapa do
processo, desde os insumos até o objetivo final.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 30 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

7. (CESPE - ANTAQ - TÉCNICO – 2014) Qualquer atividade que utilize


recursos para transformar entradas em saídas pode ser caracterizada
como processo.

8. (CESPE - ANTAQ - TÉCNICO – 2014) Em processos pautados no


atendimento a cidadãos, as entradas são determinadas pelas
necessidades da organização que realiza o processo.

9. (CESPE - ANTAQ - TÉCNICO – 2014) A gestão por processos é utilizada


nas organizações públicas como uma solução de integração
organizacional capaz de melhorar a qualidade dos serviços públicos
prestados.

10. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) A gestão de processos surgiu


como alternativa às práticas tradicionais de gestão, que mantinham o
foco na definição das tarefas associadas a cada área funcional da
organização.

11. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) A estrutura utilizada na gestão de


processos é a verticalizada, ao contrário da gestão tradicional, que
trabalha com estruturas horizontalizadas.

12. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) Nas organizações, é possível que


um mesmo processo mobilize as áreas de marketing, de finanças, de
gestão de pessoas e de produção.

13. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) O mapeamento de processos por


meio de fluxogramas é adequado para representar macroprocessos,
mas não se aplica à representação de atividades.

14. (CESPE - TC-DF - ANALISTA – 2014) O analista de processos deve ter


como principal objetivo de atuação a criação, implantação e melhoria
do processo que vai suportar o negócio. É dele a responsabilidade de
formalizar o início, meio e fim das atividades, transformar ou montar o
produto que a empresa venderá e analisar a cadeia de valores, a fim
de determinar a real necessidade de cada um dos seus elos.

15. (CESPE - SUFRAMA - ADMINISTRADOR – 2014) Um gerente que


modifique a sequência de atividades geradoras de valor para

www.estrategiaconcursos.com.br Página 31 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

determinado cliente estará alterando a essência de um projeto da


organização.

16. (CESPE – TJ-AC - ANALISTA – 2012) A abordagem por processos


considera que um processo é um conjunto de atividades ou
comportamentos desenvolvidos e executados por pessoas ou máquinas
para alcançar uma ou mais metas.

17. (CESPE – TRE-RJ - ANALISTA – 2012) A gestão por processos é o


principal modelo de gestão administrativa utilizada nos tribunais do
país justamente devido seu objeto de trabalho, os processos.

18. (CESPE - IBAMA – ANALISTA – 2013) Para trabalhos que envolvam o


levantamento e a modelagem de processos são recomendadas
abordagens do tipo top-down (realizadas a partir de uma visão mais
abstrata e genérica) e bottom-up (realizadas com informações obtidas
diretamente dos atores das atividades mais operacionais).

19. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) A reengenharia de processos


consiste em uma análise crítica realizada para eliminar atividades que
não agreguem valor à organização, o que possibilita a adaptação dos
processos à nova realidade pretendida.

20. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) O mapeamento de um processo tem


por finalidade propiciar a transição de uma visão estática para um
modelo dinâmico que possibilite melhor compreensão do processo.

21. (CESPE – ABIN / AGENTE TÉCNICO – 2010) Os macroprocessos,


processos e subprocessos são atividades e (ou) tarefas que iniciam e
terminam com o cliente externo, variando apenas o nível de
complexidade e tamanho de cada um deles.

22. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) O objetivo central da


melhoria de processos é criar novos sistemas e automatizar tarefas
para reduzir a interação humana e, assim, reduzir a quantidade de
falhas.

23. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) Sem a definição clara de


papéis e responsabilidades, uma sequência de atividades, mesmo que
ordenadas de forma lógica para execução, não será considerada um
processo.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 32 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

24. (CESPE – TCE-ES - ACE – 2012) O foco no processo, a promoção de


uma visão sistêmica da organização e a melhor compreensão da cadeia
de valor da organização caracterizam a gestão por processos.

25. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2012) O CBOK é uma metodologia de


gerenciamento de processo de negócio adequada para as organizações
que adotam a gestão por processos.

26. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) A análise de processos,


atividade muito delicada, requer muita atenção e, para ser completa,
exige uma busca exaustiva por detalhamento das tarefas e novas
informações.

27. (CESPE – TRT-10 - ANALISTA – 2013) Os macroprocessos


organizacionais definem como os diversos projetos distribuídos pela
estrutura da organização consolidarão a interação entre a organização
e seus mercados ou ambientes.

28. (CESPE – TCDF - ACE – 2012) De acordo com a abordagem por


processos, o fato de um auditor procurar reduzir os custos financeiros
dos insumos envolvidos no desenvolvimento de suas atividades de
fiscalização constitui um exemplo de auditor que busca melhorar a
cadeia de valor do seu processo de fiscalização.

29. (CESPE – TJ-RR - ADMINISTRADOR – 2012) Por meio da abordagem


por processos buscam-se melhorias estruturais e consistentes na
dinâmica de produtividade de uma instituição, utilizando-se da entropia
para a análise e a melhoria contínua do fluxo de trabalho da
organização.

30. (CESPE – TCDF / ACE – 2012) A organização que se alinha aos


princípios da certificação ISO 9000:2000 deve buscar reduzir os preços
de compra, visando negociar de forma que seja mais vantajosa para si
do que para seus fornecedores.

31. (CESPE – FUB - ENGENHEIRO – 2011) O conjunto de normas ISO 9000


representa uma espécie de consenso internacional a respeito das boas
práticas de administração da qualidade.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 33 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

32. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) Em razão de enfatizar o cliente,


uma das principais características da reengenharia consiste na adoção
de mudanças radicais em processos e produtos da organização.

33. (CESPE – CETURB-ES/ADMINISTRADOR – 2010) Os fluxogramas da


empresa contribuem para uma gestão de processos de qualidade.

34. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O estudo de processos


críticos na organização tem o objetivo de assegurar a fluidez da
movimentação entre pessoas e unidades da organização,
estabelecendo limites de decisão que permitam o aumento da eficácia e
da eficiência dessas ações sistemáticas.

35. (CESPE – FUB - ENGENHEIRO – 2011) O conjunto de normas ISO 9000


representa uma espécie de consenso internacional a respeito das boas
práticas de administração da qualidade.

36. (CESPE – MIN. ESPORTE - ADMINISTRADOR – 2008) A atuação da


reengenharia em nível de processos pressupõe a reavaliação de cada
uma das atividades relacionadas aos processos desenvolvidos e
operacionalizados pela organização.

37. (CESPE – CETURB-ES/ADMINISTRADOR – 2010) A reengenharia de


processos objetiva a redução do número de colaboradores por meio do
redesenho dos fluxos processuais do empreendimento.

38. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) Em razão de enfatizar o cliente,


uma das principais características da reengenharia consiste na adoção
de mudanças radicais em processos e produtos da organização.

39. (CESPE – TCU – ACE – 2013) Custo, tempo, quantidade e qualidade


são variáveis empregadas na construção de indicadores de
desempenho.

40. (CESPE – TCU – ACE – 2013) A avaliação de uma política pública


compreende a definição de critérios, indicadores e padrões.

41. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) O controle consiste em ferramenta


administrativa para a reunião e a coordenação dos recursos humanos,
financeiros, físicos, de informação e outros necessários ao atendimento
dos objetivos organizacionais estabelecidos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 34 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

42. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) Para assegurar maior controle


sobre as operações da instituição, é essencial concentrar esforços para
desconstruir os grupos informais presentes em sua estrutura.

43. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) As medidas objetivas, tais como


índices de produtividade, questionários de percepção e indicadores
referentes a resultados quantitativos, constituem as principais métricas
de avaliação de desempenho nas organizações, pois eliminam a
subjetividade.

44. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A multiplicidade de atores


facilita o processo de avaliação, visto que um estudo de avaliação
implica proporcionar informação suficiente para emitir pareceres.

45. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A avaliação, por ser um


conjunto de procedimentos para o acompanhamento das ações
governamentais, não deve ser formulada com base em critérios de
valor ou julgamento.

46. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A atividade de avaliação é uma


atividade isolada e autossuficiente, que orienta as decisões quanto à
continuidade, necessidade de correções ou, ainda, suspensão de uma
determinada política ou programa.

47. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Na avaliação, as dimensões


relevantes de um programa devem ser comparadas antes e depois da
intervenção, a fim de se comprovar a efetivação das mudanças
esperadas.

48. (CESPE – ANAC – ESPECIALISTA - 2012) Os indicadores de


desempenho podem ser desenvolvidos e medidos exclusivamente por
meio de informações quantitativas ou qualitativas, em virtude de as
informações mistas reduzirem a especificidade desses indicadores.

49. (CESPE – ANATEL – ANALISTA - 2012) O modelo do GESPUBLICA


pressupõe seis categorias básicas de indicadores de desempenho:
eficiência, eficácia, efetividade, economicidade, excelência e execução.
Essas categorias são divididas em duas dimensões: a de resultado e a
de esforço.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 35 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

50. (CESPE – TJ-AC – ANALISTA – 2012) Os tipos de controle são o


preliminar, que ocorre antes das operações iniciarem; o simultâneo,
que ocorre enquanto os planos estão sendo implementados; e o
de feedback, que enfoca o uso da informação sobre os resultados, no
intuito de corrigir desvios em relação aos parâmetros aceitáveis.

51. (CESPE – ABIN / OFICIAL TÉCNICO – 2010) O êxito de uma


organização depende, em grande parte, do poder de controle exercido
sobre os seus colaboradores. Como a maioria deles interioriza suas
obrigações e cumpre voluntariamente seus compromissos, o controle é
facilmente mantido nas organizações em geral.

52. (CESPE – ABIN / OFICIAL TÉCNICO – 2010) Uma das finalidades do


processo de controle é gerar elementos para dar retorno aos
integrantes da equipe. Esse retorno pode ser considerado o processo
de avaliar, informar ou corrigir o desempenho humano.

53. (CESPE – FINEP / ADM. DE MATERIAIS – 2009) O administrador que


monitora o desempenho exerce a função administrativa de
planejamento.

54. (CESPE – MS/ADMINISTRADOR – 2010) A organização não


governamental (ONG) Viver com Saúde possui programas de incentivo
à prática desportiva, de monitoramento da saúde bucal, de divulgação
sobre a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, entre
outros. A referida ONG atua exclusivamente no Distrito Federal (DF),
mas pretende ampliar sua área de atuação para o estado de Goiás em
face da realidade precária dos fornecedores de serviços de saúde das
pequenas cidades do entorno do DF. Tal ampliação implicará um
aumento de 70% nos custos da organização. Para tanto, a ONG terá de
tomar decisões acerca do seu processo organizacional.
A partir da situação hipotética acima, julgue o item a seguir com
relação ao processo organizacional.

Considere a seguinte situação hipotética. A ONG Viver com Saúde está


divulgando na mídia do DF e de Goiás uma nova campanha alertando a
população para a importância do aleitamento materno. Para gerir os
resultados alcançados, decidiu-se analisar a quantidade média de
doações para os bancos de leite antes e após a divulgação da
campanha. Nessa situação, a análise comparativa é ação inerente ao
processo de planejamento da organização.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 36 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

55. (CESPE – PREF. VITÓRIA / ASSISTENTE – 2007) Pressupostos ou


condicionantes são fatores internos importantes para o alcance dos
objetivos estabelecidos, cujo controle é de responsabilidade dos
gerentes do projeto, e sua identificação representa um desafio para a
equipe de planejamento.

56. (CESPE – IPAJAM / ASSISTENTE SOCIAL - 2010) A avaliação ex-ante


não permite a análise custo-benefício, e a ex-post não distingue
projetos concluídos de projetos em andamento.

57. (CESPE – CEF / ENGENHEIRO – 2006) O controle tem caráter de


acompanhamento e uma visão punitiva para erros cometidos no
processo administrativo.

58. (CESPE – SERPRO / GESTÃO EMPRESARIAL – 2008) O controle


preliminar ou prévio é o controle que tem como foco o desempenho
durante a execução dos processos.

59. (CESPE - SGA-AC / GESTOR - 2006) Na avaliação de uma política


pública não se pode utilizar métodos qualitativos, uma vez que eles
não permitem a mensuração de impactos.

60. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL / ASSISTENTE - 2004) Na avaliação de


políticas e programas sociais, a partir da década passada, procurou-se
superar o uso de métodos econométricos, originários de estudos
econômicos.

61. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL / ASSISTENTE - 2004) Como a realidade


social é um sistema complexo, que exige o controle de todas as
variáveis possíveis, cada efeito (impacto) decorre exatamente da
implementação de um determinado programa.

62. (CESPE - AUGE-MG / AUDITOR - 2008) A avaliação ex-ante busca


aferir os eventos já ocorridos e tomar decisões baseadas nestas
informações, enquanto a avaliação ex-post visa orientar o
planejamento do programa ou projeto objeto da avaliação, de forma a
antecipar restrições e respectivas providências a serem tomadas.

63. (CESPE - SGA-AC / GESTOR - 2006) A avaliação ex ante é um tipo de


avaliação de implementação, utilizado para aferir o grau de satisfação
dos usuários da política pública.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 37 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. E 22. E 43. E
2. B 23. E 44. E
3. C 24. C 45. E
4. C 25. E 46. E
5. C 26. E 47. C
6. E 27. E 48. E
7. C 28. E 49. C
8. E 29. E 50. C
9. C 30. E 51. E
10. C 31. C 52. C
11. E 32. C 53. E
12. C 33. C 54. E
13. E 34. C 55. E
14. E 35. C 56. E
15. E 36. C 57. E
16. C 37. E 58. E
17. E 38. C 59. E
18. C 39. C 60. C
19. E 40. C 61. E
20. C 41. E 62. E
21. E 42. E 63. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 38 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

GESTÃO DA QUALIDADE. FERRAMENTAS DA QUALIDADE.


MELHORIA CONTÍNUA. MÉTODO KAIZEN E 5S. GESTÃO DE
CONFLITOS NAS ORGANIZAÇÕES. TRABALHO DE EQUIPE

1. (CESPE – SUFRAMA – ADMINISTRADOR – 2014) Mesmo em situações


complexas, a probabilidade de os resultados alcançados apresentarem
maior valor agregado é maior nos casos em que a organização adota
os círculos de qualidade e torna o trabalho mais desafiador para as
pessoas.

2. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – ADMINISTRADOR – 2014) Na qualidade


total, os parâmetros de qualidade de um produto ou serviço são
estabelecidos pelos engenheiros ou gestores envolvidos no processo de
produção.

3. (CESPE – MDIC – ANALISTA TÉCNICO – 2014) No modelo da Fundação


Nacional da Qualidade, os projetos em andamento ou previstos devem
ser descritos no critério denominado projetos.

4. (CESPE – SUFRAMA – ADMINISTRADOR – 2014) Ao prescrever


aspectos da estrutura, gestão e operação de empresas, o modelo de
excelência da gestão (MEG) estimula as organizações a observarem
necessidades e expectativas das diferentes unidades organizacionais
para melhor elaborar planejamentos estratégicos, táticos e
operacionais.

5. (CESPE – MDIC – ANALISTA TÉCNICO – 2014) Uma organização que


fomenta a abertura de canais de comunicação internamente, de modo
a garantir que os colaboradores sigam as mudanças de gosto e atitudes
dos clientes, está de acordo com as bases do controle da qualidade
total proposto por Kaoru Ishikawa.

6. (CESPE – MDIC – ANALISTA TÉCNICO – 2014) O fluxograma é uma


ferramenta de gestão da qualidade na qual se descreve a análise dos
resultados obtidos durante determinado período.

7. (CESPE - SUFRAMA – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) O controle de


qualidade feito a partir de parcela estatisticamente significativa de
produtos ou serviços considerados perfeitos ou com erro zero ocorre
mediante uso da amostragem para aceitação e do controle de processo
nas organizações.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 39 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

8. (CESPE - ICMBIO - ANALISTA – 2014) Segundo o Gespública, se os


serviços públicos são fornecidos com mais qualidade e maior
possibilidade de acesso, a dimensão “resultados” será observada pela
economicidade medida por esses elementos de desempenho.

9. (CESPE - TC-DF - ANALISTA – 2014) Caso se pretenda descrever


graficamente os itens responsáveis pela maior parcela dos problemas
no âmbito da recepção de um órgão público, poderá ser utilizada a
ferramenta de gestão da qualidade denominada diagrama de Pareto.

10. (CESPE - ANATEL - TÉCNICO – 2014) Originalmente tratado sob os


enfoques de resultados e de custos dos produtos e dos serviços, o
conceito de qualidade evoluiu para o reconhecimento das necessidades
e expectativas do cliente como alvo primordial das ações dentro das
organizações.

11. (CESPE - ANATEL - TÉCNICO – 2014) Os princípios estipulados por


Deming acerca da qualidade nas organizações incluem a constância de
um propósito de melhoria de produtos e serviços, a instituição da
liderança e do treinamento em serviço e a eliminação de metas
quantitativas para os empregados.

12. (CESPE - IBAMA – ANALISTA – 2013) O programa de excelência da


gestão pode ser aplicado em setores estratégicos, em grupos de
organizações de todos os portes e em diferentes setores, contudo, a
partir de 2013, esse programa tem sido dirigido também às áreas de
educação e saúde.

13. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) O método de gestão da qualidade


proposto por Deming caracteriza-se pela ênfase na administração por
objetivos, promovida por meio de slogans que fomentam o zero-defeito
e de quotas numéricas para o incremento de produtividade.

14. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) O modelo de excelência em


gestão pública foi concebido a partir da premissa segundo a qual é
preciso ser excelente sem deixar de ser público.

15. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Regida pelos princípios


constitucionais explícitos, a qualidade da gestão pública deverá pautar-
se em um modelo de excelência em gestão focado em resultados.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 40 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

16. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) O modelo de redução de custos


elaborado por Deming tem como base a melhora contínua do sistema
de produção com o fim de incrementar a qualidade e produtividade e
assim reduzir constantemente os custos.

17. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) Segundo Deming, um dos


principais autores da escola da qualidade, a inspeção em massa
constitui requisito que subsidia o trabalho dos departamentos de
controle da qualidade.

18. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) A moderna concepção de


qualidade responsabiliza o departamento de qualidade como a unidade
central para definir políticas e assegurar os padrões de aceitabilidade
dos produtos.

19. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) A excelência na gestão pública, de


acordo com o entendimento atual, está condicionada aos princípios
constitucionais próprios da natureza pública das organizações, quais
sejam a legalidade, a impessoalidade, a moralidade, a publicidade e a
eficiência.

20. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) A garantia de atendimento impessoal


e padronizado a todos os cidadãos é pressuposto central de excelência
no serviço público.

21. (CESPE – TJ-AC – ANALISTA – 2012) Na era do controle estatístico, a


inspeção um a um de todos os produtos foi realizada no intuito de
garantir excelência na produção.

22. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2012) O modelo de excelência da


gestão é um excelente mecanismo de auxílio ao controle da qualidade
da gestão na instituição, visto que seu ponto focal são os resultados
alcançados pela instituição em detrimento dos aspectos de aplicação.

23. (CESPE – MPE-PI – TÉCNICO – 2012) Entre os quatorze princípios que


caracterizam a filosofia da qualidade de Deming, encontra-se a
eliminação da administração por objetivos.

24. (CESPE – MPE-PI – TÉCNICO – 2012) O ciclo de Shewhart ou Deming,


clássica ferramenta da escola da qualidade, proporciona ao programa
de qualidade uma metodologia de caráter pontual sobre as atividades
de planejamento, execução, checagem e correção.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 41 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

25. (CESPE – MPE-PI – TÉCNICO – 2012) A observação direta do produto


ou serviço ao final do processo produtivo, a inspeção com base em
amostras e o surgimento dos departamentos de qualidade são as
principais características da era da qualidade total.

26. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2012) No programa de autoavaliação


continuada do GESPUBLICA, cada organização conduz o seu próprio
processo de avaliação mediante três instrumentos de avaliação da
gestão pública — de 1.000 pontos, 500 pontos ou de 250 pontos —,
que devem ser utilizados de acordo com a experiência de cada
organização.

27. (CESPE – ANATEL / TÉCNICO – 2012) Considere que determinada


organização necessite solucionar um tipo de reclamação de usuários
motivada por diversas causas e que, por limitação de recursos, a
organização pretenda solucionar as causas mais relevantes. Nessa
situação, o diagrama de Pareto seria uma ferramenta útil para a
priorização das causas mais relevantes.

28. (CESPE – MPE-PI – TÉCNICO – 2012) O diagrama de Ishikawa, o


princípio de Pareto e os modelos estatísticos são instrumentos de
gestão utilizados pelo departamento de qualidade, que deve ser o
responsável único pelos programas de qualidade da organização.

29. (CESPE – TJ-AC – ANALISTA – 2012) O departamento de qualidade é o


principal responsável pelo sistema de qualidade de uma organização.
Contudo, isso não exime outros departamentos da instituição da
responsabilidade em relação à qualidade.

30. (CESPE – TCDF / ACE – 2012) A organização que se alinha aos


princípios da certificação ISO 9000:2000 deve buscar reduzir os preços
de compra, visando negociar de forma que seja mais vantajosa para si
do que para seus fornecedores.

31. (CESPE – FUB - ENGENHEIRO – 2011) O conjunto de normas ISO 9000


representa uma espécie de consenso internacional a respeito das boas
práticas de administração da qualidade.

32. (CESPE – MMA – ANALISTA – 2011) O PDCA, também chamado de


roda de Deming, é um ciclo que não para, por se tratar de uma

www.estrategiaconcursos.com.br Página 42 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

sequência de atividades que são percorridas de maneira cíclica, para


melhorar as atividades.

33. (CESPE – CORREIOS – ANALISTA – 2011) O PDCA é uma ferramenta


de qualidade que representa um conjunto de ações de melhoria
contínua nos processos organizacionais.

34. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) Determinado tribunal pretende,


por meio da adoção de práticas de qualidade e produtividade,
aperfeiçoar a maneira como se realizam as atividades em setor onde se
observou que os servidores gastam muito tempo em tarefas menos
relevantes para o público e onde são cometidos erros recorrentes
relativos à tramitação de processos judiciais. O diretor, então, adotou a
prática de fixar uma série de cartazes que visam estimular os
servidores a tomar mais cuidado no que se refere à expedição e à
recepção de documentos e que, além disso, contêm metas diárias
referentes ao encaminhamento de processos para diversos setores. O
gerente de recursos humanos do tribunal, por sua vez, defende a ideia
de que os servidores devem ser treinados continuamente para
utilizarem, de forma adequada, as novas tecnologias empregadas no
setor.
Com base na situação hipotética acima, julgue os itens seguintes.
Ao propor o treinamento contínuo dos servidores, o gerente de
recursos humanos contraria os princípios de Deming.

35. (CESPE – TJ-ES – ANALISTA – 2011) Entre os denominados 14 pontos


de William Deming, que tiveram influência determinante na escola
japonesa da qualidade, inclui-se a implementação da administração por
objetivos.

36. (CESPE – TRE-ES - ANALISTA – 2011) A adoção do modelo do


GESPÚBLICA assegura a excelência nos serviços públicos, mas não
permite que se realizem avaliações comparativas entre organizações
congêneres.

37. (CESPE – TRE-ES - ANALISTA – 2011) O modelo do GESPÚBLICA não


focaliza resultados, pois a excelência nos serviços públicos, objetivada
por esse modelo, se pauta em critérios como cidadania, estratégia e
responsabilidade socioambiental.

38. (CESPE – CORREIOS – ANALISTA – 2011) As ações de qualidade


desenvolvidas com o intuito de assegurar a satisfação dos clientes
devem-se limitar aos processos problemáticos das organizações.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 43 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

39. (CESPE – EMBASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) O diagrama espinha de


peixe, ou diagrama de Ishikawa, é uma ferramenta da escola da
qualidade que mapeia a correlação entre causas e efeitos de um
processo.

40. (CESPE – INCA / GESTÃO PÚBLICA – 2010) O Programa Nacional de


Desburocratização, instituído na gestão do presidente Figueiredo, e o
Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade, iniciado em 1990,
foram os alicerces para a criação do Programa Nacional de Gestão
Pública e Desburocratização, cuja missão é a promoção da excelência
da gestão pública brasileira, mediante a avaliação continuada das
práticas de gestão e dos resultados das organizações.

41. (CESPE – MPS – ADMINISTRADOR – 2010) O ambiente no qual estão


inseridas as organizações está em constante mudança, fazendo-se
necessária a observação cautelosa da realidade e a boa adaptabilidade.
Essas são as características centrais da administração da qualidade
total, na qual a flexibilidade organizacional é um ponto essencial.

42. (CESPE - TRT-RJ – ANALISTA ADM - 2008) Uma das políticas


formuladas na busca da excelência nos serviços públicos é o
Gespública, elaborado com base na premissa de que a gestão de
órgãos e entidades públicos pode e deve ser excelente, mas não pode
ser comparada com padrões internacionais de qualidade em gestão,
devido às especificidades de cada país.

43. (CESPE – MDS – TÉCNICO - 2006) Programas, tais como o


GESPÚBLICA federal, utilizam, hoje, a avaliação de desempenho, a
disseminação e a premiação de boas práticas de gestão como principais
ferramentas de estímulo à melhoria da gestão pública.

44. (CESPE - TJ-PA / ANALISTA JUD. - 2006) As atribuições do Programa


Nacional de Gestão Pública e Desburocratização não incluem o apoio
técnico aos órgãos e entidades da administração pública na
reestruturação organizacional e de cargos e salários.

45. (CESPE – ANVISA / ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO - 2004) Programas


de qualidade, como o Programa de Qualidade no Serviço Público,
atuam prioritariamente na melhoria de processos de trabalho, dando
menos ênfase à estruturação e reestruturação organizacional.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 44 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

46. (CESPE - IBAMA – ANALISTA – 2013) Conflitos interpessoais podem ser


evitados nas organizações públicas se os servidores empregarem
estratégias informais de comunicação, o que favorece o fluxo contínuo
das informações.

47. (CESPE – TELEBRÁS – ESPECIALISTA – 2013) O uso de estereótipos na


designação de pessoas pode gerar barreiras à negociação e à solução
de conflitos no ambiente de trabalho.

48. (CESPE – TELEBRÁS – ESPECIALISTA – 2013) Emprega-se a tática de


cooperação para a negociação e a solução de conflito quando, em uma
negociação, uma das partes aceita algo que é favorável à contraparte e
que implica redução de custos.

49. (CESPE – ANAC / TÉCNICO – 2012) As consequências dos conflitos no


trabalho incluem as posturas agressivas e os fracos desempenhos.

50. (CESPE – ANATEL / TÉCNICO – 2012) De acordo com a visão


interacionista, nem todos os conflitos são prejudiciais a uma
organização, havendo aqueles que proporcionam a consecução dos
objetivos e o melhoramento do desempenho da equipe.

51. (CESPE – ANAC / TÉCNICO – 2012) A estratégia assertiva de


gerenciamento de conflitos implica a adoção de comportamentos de
compromisso e o engajamento dos integrantes do grupo.

52. (CESPE – ANCINE / TÉCNICO – 2012) O fato de dois colegas de


trabalho procurarem chegar a uma solução comum para um problema
interpessoal na equipe constitui exemplo de evitação de conflitos
interpessoais.

53. (CESPE – STM / ANALISTA – 2011) Competição, concessão e


colaboração constituem abordagens efetivas para a resolução de
conflitos.

54. (CESPE – ABIN / PSICOLOGIA – 2011) Nas organizações, os conflitos


interpessoais são ameaças potenciais à sobrevivência dos grupos de
trabalho e, por isso, devem ser eliminados.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 45 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

55. (CESPE – INCA / GESTÃO DE RH – 2011) Um aspecto crítico da ARH é


a solução de conflitos internos, sendo que, em geral, os conflitos
pessoais são provocados por conflitos organizacionais.

56. (CESPE – PREVIC / ANALISTA – 2011) As atitudes que contribuem para


a prevenção de conflitos entre grupos incluem a manutenção de uma
comunicação intergrupal elevada e frequente, o estímulo à rotatividade
da equipe e o desencorajamento de situações do tipo vence-perde.

57. (CESPE – TRT-21 / TÉCNICO – 2011) A busca da flexibilidade, a gestão


dos conflitos e a gestão das mudanças estão entre as preocupações
fundamentais das organizações que visam à vantagem competitiva.

58. (CESPE – STM / ANALISTA – 2011) A fim de se evitar a emergência de


conflitos entre os trabalhadores de uma organização, recomenda-se
que a gestão do pessoal terceirizado constitua responsabilidade
exclusiva da empresa contratada.

59. (CESPE – DPU / PSICÓLOGO - 2010) A ausência de qualquer tipo de


conflito indica bom ambiente, boas relações e, no caso das
organizações, competência.

60. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) Nas organizações,


cabe à área de recursos humanos garantir o equilíbrio nas relações
entre os funcionários e a organização, e sua ação envolve o
gerenciamento de potenciais conflitos, do que é exemplo a percepção
negativa de funcionários que não são recompensados de forma
compatível com o seu trabalho na organização.

61. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) Em situações


vitais para o bem-estar da organização, a competição é a estratégia
mais adequada para o gerenciamento de conflito no caso de uma das
partes saber que está com razão.

62. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) Aquele que utiliza


a estratégia da acomodação para gerenciar conflitos satisfaz os
interesses do outro em detrimento dos próprios interesses.

63. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) A estratégia de


evitar o conflito é a melhor maneira de garantir o “ganha-ganha”
quando uma das partes não quer negociar.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 46 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

64. (CESPE – ANEEL - ANAL. ADM – 2010) O diretor que propõe uma
reunião de confrontação visando sanear um conflito está adotando uma
abordagem estrutural.

65. (CESPE – ANEEL - ANAL. ADM – 2010) O diretor que busca reduzir o
nível do conflito com uma reação cooperativa está adotando uma
abordagem processual.

66. (CESPE – TRE-BA / TÉCNICO - 2010) Os conflitos interpessoais são de


natureza disfuncional, traduzida pela intensidade, estágio de evolução,
contexto e forma como são tratados e, por tais motivos, esses conflitos
devem ser evitados no contexto de trabalho.

67. (CESPE – TRE-BA / TÉCNICO - 2010) Se um integrante da organização,


em um contexto de conflito em grupo, busca satisfazer seus próprios
interesses, sem avaliar ou se preocupar com os impactos sobre outros
componentes, a decisão tomada por esse integrante possui uma
intenção competitiva.

68. (CESPE – DPU / PSICÓLOGO - 2010) Fenômeno inerente ao contexto


das organizações e das equipes, o conflito intragrupal associa-se,
estritamente, a aspectos negativos como a redução da coesão grupal e
à diminuição dos níveis de desempenho.

69. (CESPE – MPS / AGENTE - 2010) Uma organização do trabalho


embasada em atividades individualizadas e especializadas elimina a
possibilidade de conflitos no trabalho.

70. (CESPE – MPU / TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2010) Denomina-se


abordagem processual a estratégia de resolução de conflito embasada
na modificação das condições antecedentes desse conflito.

71. (CESPE – MEC / AGENTE ADM - 2009) Nas relações humanas, deve-se
partir do pressuposto de que os conflitos podem ser eliminados do
ambiente de trabalho, promovendo-se, assim, um ambiente harmônico
e de conciliação entre todos.

72. (CESPE – TRT-16 / ANALISTA – 2005) Pedro, analista judiciário de um


tribunal do trabalho, está em exercício há 5 anos. Recentemente, Pedro
foi convidado a assumir a gerência de seu setor devido a sua

www.estrategiaconcursos.com.br Página 47 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

competência técnica e interpessoal. Em situações de conflito, Pedro


busca identificar o problema e resolvê-lo por meio de discussão aberta,
evitando o enfrentamento dos envolvidos, minimizando as diferenças
entre as partes conflitantes, enfatizando os interesses comuns e
propondo, quando necessário, a participação em treinamento de
relações humanas. Nessa situação, é correto afirmar que Pedro é
habilidoso na administração de conflitos interpessoais.

73. (CESPE – STJ / ANALISTA - 2008) Conflitos funcionais destroem as


metas do grupo.

74. (CESPE - Prefeitura Municipal de Rio Branco - 2007) A estratégia de


competição deve ser utilizada quando a necessidade de se construir um
relacionamento é mais importante do que a obtenção de ganhos
financeiros imediatos.

75. (CESPE – TRT-16 / ANALISTA – 2005) Os conflitos interpessoais são de


natureza disfuncional, traduzida pela intensidade, estágio de evolução,
contexto e forma como são tratados e, por tais motivos, esses conflitos
devem ser evitados no contexto de trabalho.

76. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Ao nível da organização, a


formação de equipes, uma técnica de desenvolvimento organizacional,
contribui para o aumento da eficácia dos processos de trabalho,
possibilitando o rápido diagnóstico das barreiras ao desempenho e a
melhoria do relacionamento entre os membros das equipes.

77. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A eficácia das equipes de


trabalho depende, inicialmente, do contexto organizacional, que
condiciona tamanho, papéis, composição e tipo de configuração das
equipes de trabalho.

78. (CESPE – TJ-RO – ANALISTA – 2012 - ADAPTADA) Projeto a ser


desenvolvido ou objetivo a ser alcançado, membros, tecnologia ou
formas de desempenho das tarefas associadas às ferramentas
utilizadas caracterizam equipes de trabalho.

79. (CESPE – ANCINE – TÉCNICO – 2012) Pessoas motivadas e


convencidas a permanecer em uma equipe constituem exemplo de
coesão das equipes de trabalho.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 48 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

80. (CESPE – ANCINE – TÉCNICO – 2012) Na fase de tempestade do


processo de formação de equipes de trabalho, as relações entre os
membros de uma equipe tornam-se conflituosas e divergentes.

81. (CESPE – ANATEL – TÉCNICO – 2012) O trabalho em equipe, a


despeito de demandar mais tempo e consumir mais recursos dos
trabalhadores, comparado ao o trabalho individual, é o modelo de
trabalho mais eficiente para o desenvolvimento de quaisquer atividades
nas organizações.

82. (CESPE – PREVIC – ANALISTA – 2011) Grupos são conjuntos de


pessoas que interagem umas com as outras, são psicologicamente
conscientes umas das outras e se percebem como grupo.

83. (CESPE – PREVIC – ANALISTA – 2011) Uma equipe pode ser definida
como um pequeno grupo de pessoas com habilidades complementares,
que trabalham juntas, com o objetivo de atingir os propósitos de cada
um de seus integrantes, e pelos quais se consideram individualmente
responsáveis.

84. (CESPE – TRT-21 – TÉCNICO – 2010) A existência das equipes de


trabalho reflete a necessidade do homem de somar esforços para
alcançar objetivos que, isoladamente, não seriam alcançados ou o
seriam de forma mais trabalhosa.

85. (CESPE – TRT-21 – TÉCNICO – 2010) O trabalho em equipe gera


despersonalização dos indivíduos.

86. (CESPE – TRT-21 – TÉCNICO – 2010) As expectativas positivas sobre a


efetividade de uma equipe são elementos que influenciam
negativamente seus resultados.

87. (CESPE – ANEEL – ANALISTA – 2010) O primeiro estágio de


desenvolvimento do grupo com o qual o gerente terá de se preocupar é
o estágio de atrito.

88. (CESPE – ANEEL – ANALISTA – 2010) No estágio de desenvolvimento


do grupo classificado como normação, o gerente do grupo começará a
ter os componentes reunidos como uma unidade coordenada.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 49 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

89. (CESPE – DPU / AGENTE – 2010 - ADAPTADA) O trabalho em equipe


inevitavelmente gera estresse nos seus membros em virtude da
complexidade das relações entre eles.

90. (CESPE – DPU / AGENTE – 2010 - ADAPTADA) A efetividade do


trabalho em equipe é garantida, de maneira completa, pela qualidade
do relacionamento interpessoal entre os seus membros.

91. (CESPE – TJCE / TÉCNICO ADM. – 2008) A coesão excessiva ocorre


quando a equipe torna-se excessivamente ligada a ideias de pessoas
que não a integram.

92. (CESPE – TJCE / TÉCNICO ADM. – 2008) Quando as recompensas para


os integrantes de uma equipe de trabalho são estipuladas com base no
desempenho da equipe, os níveis de colaboração e coesão nessa
equipe tendem a aumentar.

93. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) As equipes virtuais


são aquelas criadas em caráter permanente, para lidar com tarefas
rotineiras ou cíclicas.

94. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) Em equipes


organizadas de maneira horizontal, a coordenação dos trabalhos
compete a um líder, sendo os demais membros seus subordinados na
hierarquia da organização.

95. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) O trabalho em


equipe, geralmente, proporciona modelos mais flexíveis em relação às
estruturas organizacionais tradicionais.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 50 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. C 33. C 65. C
2. E 34. E 66. E
3. E 35. E 67. C
4. E 36. E 68. E
5. E 37. E 69. E
6. E 38. E 70. E
7. C 39. C 71. E
8. E 40. C 72. C
9. C 41. E 73. E
10. C 42. E 74. E
11. C 43. C 75. E
12. C 44. C 76. E
13. E 45. C 77. C
14. C 46. E 78. C
15. C 47. C 79. C
16. C 48. E 80. C
17. E 49. E 81. E
18. E 50. C 82. C
19. C 51. E 83. E
20. E 52. E 84. C
21. E 53. E 85. E
22. E 54. E 86. E
23. C 55. E 87. E
24. E 56. C 88. C
25. E 57. C 89. E
26. C 58. E 90. E
27. C 59. E 91. E
28. E 60. C 92. C
29. C 61. C 93. E
30. E 62. C 94. E
31. C 63. E 95. C
32. C 64. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 51 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

PROCESSO DECISÓRIO. TOMADA DE DECISÕES NAS


ORGANIZAÇÕES. GESTÃO DO CONHECIMENTO.
APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL. GESTÃO DE PESSOAS
POR COMPETÊNCIAS

1. (CESPE - DPU – ANALISTA – 2016) O mapeamento de competências


consiste na definição dos objetivos estratégicos e na identificação de
competências individuais e organizacionais necessárias ao alcance da
vantagem competitiva.

2. (CESPE - DPU – ANALISTA – 2016) A corrente integradora da


competência procura articular as proposições das correntes norte-
americana e francesa, destacando a competência como a combinação
de conhecimentos, habilidades e atitudes expressos pelo desempenho
de contextos organizacionais.

3. (CESPE – DPU - PSICÓLOGO – 2016) As competências essenciais,


também denominadas core competence, referem-se aos
conhecimentos, às habilidades e às atitudes dos colaboradores para
realizarem seus trabalhos com sucesso.

4. (CESPE - TCU – AUDITOR – 2015) A adoção da gestão por


competências na administração pública resulta, entre outros aspectos,
no aprimoramento dos processos seletivos para os diversos órgãos.

5. (CESPE - FUB – ASSISTENTE – 2015) As competências mobilizadas


pelas pessoas nas organizações agregam valor social e econômico a
indivíduos, equipes e organização, já que os conhecimentos, as
habilidades e as atitudes, incorporados às experiências profissionais,
são os elementos que garantem o bom desempenho de tarefas,
atividades e processos.

6. (CESPE - TCU – TÉCNICO – 2015) A era da informação é


corresponsável por mudanças na gestão de pessoas e apresenta o
conceito de competência com base em três pilares fundamentais —
conhecimento, habilidade e atitude —, os quais servem de
embasamento para a alocação de recursos e a tomada de decisão.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 52 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

7. (CESPE - TC-DF – ANALISTA – 2014) Conforme o conceito de


competência enquanto mobilização de conhecimentos e habilidades
orientada para resultados, o esforço do indivíduo motivado pode ser
considerado o principal responsável pelo seu desempenho no ambiente
de trabalho.

8. (CESPE – TELEBRAS / ESPECIALISTA – 2013) O propósito do


mapeamento de competências é identificar a lacuna entre
competências, ou seja, a equivalência entre as competências
necessárias para concretizar a estratégia corporativa e as competências
internas existentes na organização.

9. (CESPE – TELEBRAS/ESPECIALISTA – 2013) O conceito de entrega


refere-se ao saber teórico, responsável e reconhecido, que agrega
valor à pessoa.

10. (CESPE – TRT-10 / ANALISTA – 2013) Entre os resultados possíveis de


um mapeamento de competências, o principal deles é a lacuna de
competências. A partir desse resultado, podem-se estabelecer as
prioridades da gestão de pessoas. Quando há lacunas grandes de
competências e não há mão de obra qualificada disponível, recomenda-
se o desenvolvimento e a capacitação das pessoas. Porém, quando há
lacuna de competência, mas há mão de obra qualificada disponível,
pode-se priorizar a seleção ou a movimentação nas organizações.

11. (CESPE – TRT-10 / ANALISTA – 2013) O mapeamento de competências


nas organizações procura identificar as competências relevantes para o
alcance dos objetivos organizacionais a partir de técnicas de coleta e
análise de dados como entrevistas, grupos focais, questionários e
estatísticas, entre outros mecanismos.

12. (CESPE – MPU/TÉCNICO – 2013) O modelo de gestão estratégica com


base em competências é considerado uma prática cuja finalidade é
melhorar o desempenho global da organização por meio do incremento
do desempenho individual dos empregados.

13. (CESPE – ANAC / ANALISTA – 2012) De acordo com o modelo de


gestão de competências, deve-se evitar realizar o tradicional
levantamento das necessidades e carências de treinamentos voltado a
atender às necessidades imediatas da organização.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 53 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

14. (CESPE – ANAC / ANALISTA – 2012) Nas organizações, o mapeamento


de competências deve ser realizado a partir da aplicação de diferentes
técnicas de coleta e análise de dados qualitativos e quantitativos.

15. (CESPE – ANAC / ANALISTA – 2012) O mapeamento de competências


origina tanto lacunas de aprendizagem a serem desenvolvidas como
insumos para a realização de avaliações de desempenho nas
organizações, o que representa uma tendência da gestão de pessoas
no setor público.

16. (CESPE – MPE-PI / ANALISTA – 2012) Por se fundamentarem na noção


de competências, os sistemas integrados de gestão de pessoas são
capazes de expressar as demandas por desempenho em termos de
necessidades de aprendizagem.

17. (CESPE – MPE-PI / ANALISTA – 2012) Quando bem planejadas e


executadas para suprir os gaps de competências identificados, as ações
de treinamento garantem que os indivíduos apliquem no trabalho os
novos CHAs aprendidos.

18. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O modelo de gestão por


competências é considerado um fator motivacional, já que incentiva o
desenvolvimento profissional dos colaboradores.

19. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) Uma das vantagens da


gestão por competências é a possibilidade de se trabalhar com os
recursos humanos estratégicos.

20. (CESPE – CETURB-ES/ADMINISTRADOR – 2010) O modelo de gestão


por competência é focado no treinamento e no desenvolvimento
contínuo do colaborador para que este se aperfeiçoe e adquira as
habilidades necessárias à execução das tarefas na organização.

21. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) Competências


representam combinações sinérgicas de conhecimentos, habilidades e
atitudes, expressas no desempenho profissional em determinado
contexto.

22. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2008) A gestão por


competência deve ser implantada a partir do mapeamento das
competências organizacionais e profissionais desejadas bem como das
competências existentes.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 54 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

23. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) Um dos objetivos do


mapeamento de competências é identificar o gap, ou lacuna, de
competências, ou seja, identificar a discrepância entre as competências
necessárias para concretizar a estratégia corporativa e as competências
internas existentes na organização.

24. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) O mapeamento de


competências envolve macroetapas, entre as quais se podem citar a
identificação das competências e a elaboração de plano de
desenvolvimento de competências.

25. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) Competências


funcionais de uma organização são aquelas que a diferenciam de seus
concorrentes e clientes. Constituem a razão de sua sobrevivência e
devem ser desempenhadas em todas as áreas, por grupos e pessoas
da organização, embora em níveis diferenciados.

26. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) As competências


essenciais são aquelas específicas de cada uma das áreas vitais de uma
empresa e são desempenhadas por grupos e pessoas de cada uma
delas.

27. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) As competências


individuais podem ser corretamente classificadas em gerais, que devem
ser desempenhadas por todos os colaboradores, e específicas, que são
próprias da natureza e da área de atuação do profissional.

28. (CESPE – TCU/ ACE GESTÃO DE PESSOAS – 2008) A área de gestão de


pessoas, no contexto da gestão de competências, deve estar voltada
para facilitar o desenvolvimento das competências individuais, das
existentes, das necessárias para a implementação de uma estratégia,
bem como o levantamento de novas competências organizacionais.

29. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2008) A gestão por


competência é voltada para o desenvolvimento sistemático de
competências profissionais das equipes e dos empregados.

30. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2008) As competências


humanas são externadas quando as pessoas relatam verbalmente o
que fazem na organização.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 55 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

31. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2008) Nas


organizações, o enfoque com base em competências possibilita uma
visão mais clara das possibilidades de ascensão do empregado, na
medida em que especifica o conjunto de competências para diferentes
níveis de carreira do mesmo eixo, ou mesmo para eixos distintos.

32. (CESPE - FUNPRESP-EXE - ANALISTA – 2016) Não há processo


decisório quando as decisões de uma organização são tomadas em
variados níveis hierárquicos.

33. (CESPE – STJ / TÉCNICO – 2015) O sucesso na tomada de decisão


depende dos fatores associados a conhecimentos teóricos e à
experiência dos tomadores de decisão; depende, ainda, da
comunicação de diretrizes e das especificações que devem ser
cumpridas, bem como da determinação de prazos, que, se forem
exíguos, podem aumentar o risco de uma decisão abreviada.

34. (CESPE - TELEBRÁS - ANALISTA – 2015) Apesar de as decisões


programadas resolverem problemas organizacionais que já foram
enfrentados e solucionados anteriormente, é necessário fazer
diagnóstico, criar alternativas e escolher o curso de ação mais indicado
sempre que um novo problema ocorrer.

35. (CESPE – TRE-GO / ANALISTA – 2015) O modelo racional de tomada


de decisão exige que o gestor se apoie em informações consideradas
perfeitas e que tome, com base nelas, decisões de forma totalmente
imparcial.

36. (CESPE - ICMBIO - ANALISTA – 2014) O diagrama de Pareto é uma


ferramenta que permite classificar e priorizar oportunidades de
melhoria; facilita a tomada de decisão por parte dos gestores.

37. (CESPE - CNJ – ANALISTA – 2013) De acordo com o modelo racional,


um dos fatores que afeta a tomada de decisão é a limitação cognitiva
do agente, levando-o a tomar decisões satisfatórias, e não ótimas.

38. (CESPE - CNJ – ANALISTA – 2013) O processo racional de tomada de


decisão pressupõe que o agente tenha conhecimento absoluto de todas
as opções disponíveis para a ação.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 56 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

39. (CESPE - CNJ – ANALISTA – 2013) Em uma organização, o processo


decisório visa à resolução de problemas, mas não ao aproveitamento
de oportunidades.

40. (CESPE - CNJ – ANALISTA – 2013) As decisões do tipo não


programadas ou descritivas são aquelas preparadas uma a uma para
tratar de problemas que não foram resolvidos mediante a aplicação de
soluções padronizadas.

41. (CESPE - ANTT – ANALISTA – 2013) Um dos principais objetivos do


processo decisório é incrementar constantemente a base de decisões
programadas das organizações para economizar tempo e energia
intelectual e evitar o desgaste de resolver problemas que já contam
com solução definida.

42. (CESPE - IBAMA – ANALISTA – 2013) No processo decisório, as


decisões programadas, que compõem parte do acervo de soluções da
empresa, requerem a realização de diagnóstico, a criação de
alternativas e a escolha de um curso de ação original.

43. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) As decisões programadas


fazem parte do acervo de soluções da empresa, pois resolvem
problemas que já tenham sido enfrentados antes e que se apresentem
da mesma maneira. Assim, não é necessário fazer diagnóstico, criar
alternativas e escolher um curso de ação original.

44. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A primeira etapa a ser


considerada no processo decisório é a percepção da situação que
envolve o problema.

45. (CESPE – TJ-RO – ANALISTA – 2012) A decisão tomada


corriqueiramente sobre assuntos inéditos e não programados
caracteriza-se como uma tomada de decisão de nível operacional
(ADAPTADA).

46. (CESPE – ANAC – ANALISTA – 2012) Disponibilidade de informações,


conhecimento do assunto, tempo existente e conflito de interesses são
fatores que afetam a decisão.

47. (CESPE – ANAC – ANALISTA – 2012) Uma decisão autocrática poderá


ser utilizada com vistas à aceleração do processo decisório.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 57 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

48. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A técnica de geração de ideias,


de modo isolado ou associativo, que possam, por sua vez, estimular
novas ideias com a finalidade de solucionar problemas é
denominada de brainstorming (ADAPTADA).

49. (CESPE – CORREIOS / ANALISTA – 2011) Entre os métodos de síntese


aplicados ao processo de design, o brainstorming é o mais conhecido,
por produzir um maior número de ideias possíveis acerca de um
problema, proporcionando que dessas ideias surjam soluções mais
viáveis e inovadoras.

50. (CESPE – CORREIOS / ANALISTA – 2011) A transferência de poder


decorrente da descentralização e da delegação proporciona autonomia
nos níveis hierárquicos mais baixos e confere maior agilidade ao
processo de tomada de decisão.

51. (CESPE – CORREIOS / ANALISTA – 2011) Os aspectos emocionais e


afetivos influenciam o processo decisório e restringem a capacidade
racional dos indivíduos.

52. (CESPE – CORREIOS / ANALISTA – 2011) Denomina-


se brainstorming a apresentação livre de ideias ou de alternativas de
solução para determinado problema, mediante a incitação da
imaginação criadora e o afastamento de possíveis restrições ao
pensamento.

53. (CESPE – TRE-ES / RELAÇÕES PÚBLICAS – 2011) Em processos


decisórios envolvendo atividades empresariais, científicas,
governamentais ou culturais, a fase de formulação e estruturação do
problema é posterior à de avaliação dos riscos das alternativas de
solução propostas.

54. (CESPE – TRE-ES / RELAÇÕES PÚBLICAS – 2011) Uma das técnicas de


auxílio à tomada de decisão é o debate público entre especialistas com
visões diferentes do mesmo assunto.

55. (CESPE – TRE-ES / RELAÇÕES PÚBLICAS – 2011) Uma das técnicas


utilizadas no processo de tomada de decisão é o brainstorming não
estruturado, que facilita e propicia a participação espontânea dos mais
tímidos nas discussões, sem que seja necessário pressioná-los a
interagir.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 58 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

56. (CESPE – CORREIOS / ADMINISTRADOR – 2011) Ausência de reação,


regra da autoridade, regra da minoria, regra da maioria, consenso ou
unanimidade estão entre os métodos de tomada de decisão em grupos
e equipes de trabalho.

57. (CESPE – EMBASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) Viéses psicológicos,


pressões de tempo e realidades sociais influenciam as decisões reais.

58. (CESPE – EMBASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) A eficiência


organizacional é facilitada pelo uso de decisões não programadas.

59. (CESPE – EMBASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) Na universidade, o


desenvolvimento de novos recursos didáticos para uso nas salas de
aula é um exemplo de decisão programada.

60. (CESPE – EMBASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) As decisões


programadas maximizam a necessidade de gerentes ou
administradores exercitarem seus critérios para tomada de decisão.

61. (CESPE – EMBASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) A política da empresa


serve de guia para a tomada de decisões programadas.

62. (CESPE – BASA / ADMINISTRAÇÃO – 2010) O conceito de


racionalidade limitada evidencia a impossibilidade de se conceber a
organização como um empreendimento estritamente racional.

63. (CESPE – MS/ADMINISTRADOR – 2010) Considere a seguinte situação


hipotética. Em um hospital privado, o gestor decidiu adquirir um
sistema de monitoramento de câmeras e catracas eletrônicas e alterar
todos os procedimentos relativos à segurança. Tal decisão ocorreu após
a denúncia de duas pacientes de que teriam sido molestadas por um
médico. Após apuração dos fatos pela autoridade policial, concluiu-se
que se tratava de um falso médico que teve acesso a essas pacientes
em um único dia, no referido hospital. Apesar de nunca ter ocorrido tal
fato anteriormente, tais decisões foram consideradas importantes.
Nessa situação, a decisão de adquirir mais um item para o patrimônio,
além da alteração dos procedimentos de segurança, caracteriza-se por
ser programada.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 59 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

64. (CESPE – TCU / ACE – 2008) O brainstorming pressupõe uma postura


ativa do facilitador, que deve manter o dinamismo e a objetividade das
sugestões e, ao mesmo tempo, assegurar o direcionamento das
sugestões dadas pelo grupo. Para isso, ele deve eliminar, logo de
início, ideias aparentemente desconexas.

65. (CESPE – DPU / PSICÓLOGO – 2016) No processo corporativo de


aprendizagem, o conhecimento tácito do colaborador, por ser
subjetivo, complexo e pessoal, deve ser substituído pelo conhecimento
explícito, que se caracteriza por ser formal, sistemático e de fácil
transmissão.

66. (CESPE – STJ / ANALISTA – 2015) Gestão de informação e gestão de


conhecimento são conceitos diferentes, mas complementares, dado
que a gestão da informação integra a gestão do conhecimento.

67. (CESPE – STJ / ANALISTA – 2015) A matéria-prima do trabalho da


gestão de conhecimento é informação, sendo o conhecimento o seu
resultado.

68. (CESPE – STJ / ANALISTA – 2015) Por ser uma organização


hierárquica, rígida, formalista e descomprometida com os resultados, a
administração pública é conflitante com a gestão de conhecimentos.

69. (CESPE – STJ / ANALISTA – 2015) A gestão do conhecimento depende


das condições de criação desse conhecimento na organização.

70. (CESPE – STJ / ANALISTA – 2015) A gestão do conhecimento favorece


a competitividade entre seus membros, com vistas ao desenvolvimento
de suas capacidades individuais.

71. (CESPE – TC-DF / ANALISTA – 2014) O conhecimento tácito é fruto de


aprendizado e experiência de vida e é disseminado de maneira
formalizada e declarada por meio de artigos e livros.

72. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A gestão do conhecimento e a


gestão por competência são ferramentas do mesmo construto
organizacional, segundo o qual, as organizações modernas devem ser
competitivas e estratégicas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 60 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

73. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Nas organizações, os


conhecimentos podem ser tangíveis e intangíveis, conforme os
mecanismos de compartilhamento e gestão do conhecimento adotados.

74. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) Os modos de conversão do


conhecimento (externalização, internalização, socialização e
combinação) são operacionalizados nas organizações a partir dos
espaços de interação, chamados de ba, em que conhecimentos,
experiências, habilidades e demais recursos valiosos são combinados
nas interações entre as pessoas.

75. (CESPE – TJ-RO- ANALISTA – 2012) Acerca dos modos de conversão


do conhecimento nas organizações, a conversão do conhecimento
denota as interações entre o conhecimento tácito e o conhecimento
explícito.

76. (CESPE – PREVIC - ANALISTA – 2011) Comparando-se as organizações


orientadas para aprendizagem e as organizações tradicionais, percebe-
se que as primeiras são mais propensas à inovação.

77. (CESPE – IBRAM/ADMINISTRADOR – 2009) Conforme a tipologia de


conhecimento definida por Nonaka e Takeuchi, a socialização é a
transformação de conhecimento tácito em conhecimento explícito.

78. (CESPE – INMETRO / RECURSOS HUMANOS – 2009) Atividades


organizacionais de pesquisa e desenvolvimento são processos de
aquisição interna de novos conhecimentos.

79. (CESPE – INMETRO / RECURSOS HUMANOS – 2009) A contratação de


especialistas e consultores é considerada um processo de aquisição
externa de conhecimentos por vários teóricos da área.

80. (CESPE – INMETRO / RECURSOS HUMANOS – 2009) Reuniões de


trabalho são consideradas oportunidades para discussão e análise de
eventos passados, constituindo-se em exemplos de aprendizagem pela
experiência.

81. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) A aprendizagem


organizacional é um fenômeno que ocorre tanto no nível individual
quanto no da organização.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 61 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

82. (CESPE – PETROBRÁS / ADMINISTRADOR – 2007) As organizações de


aprendizagem apresentam cultura direcionada à conservação dos
conhecimentos anteriormente produzidos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 62 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. E 29. C 57. C
2. C 30. E 58. C
3. E 31. C 59. C
4. C 32. E 60. E
5. C 33. C 61. C
6. C 34. E 62. C
7. E 35. C 63. E
8. E 36. C 64. E
9. E 37. E 65. E
10. C 38. E 66. C
11. C 39. E 67. E
12. C 40. C 68. E
13. C 41. C 69. C
14. C 42. E 70. E
15. C 43. C 71. E
16. C 44. C 72. E
17. E 45. E 73. C
18. C 46. C 74. C
19. C 47. C 75. C
20. C 48. C 76. C
21. C 49. C 77. E
22. C 50. C 78. C
23. C 51. C 79. C
24. C 52. C 80. C
25. E 53. E 81. C
26. E 54. C 82. E
27. C 55. E
28. C 56. C

www.estrategiaconcursos.com.br Página 63 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO. EVOLUÇÃO DO ESTUDO DA


ADMINISTRAÇÃO. COMUNICAÇÃO. CLIMA E CULTURA
ORGANIZACIONAL. GESTÃO DE PROJETOS

1. (CESPE – FUNPRESP-EXE - ANALISTA – 2016) Interesse geral,


equidade, iniciativa e espírito de equipe são princípios universais da
teoria da administração contingencial.

2. (CESPE – FUNPRESP-EXE - ANALISTA – 2016) A teoria estruturalista,


voltada ao estudo das organizações formais, surgiu da necessidade de
eliminar as distorções e limitações do modelo burocrático.

3. (CESPE – FUNPRESP-EXE - ANALISTA – 2016) O princípio da


remuneração, previsto na teoria da administração clássica, estabelece
que o pagamento de salário deve ser condizente com as atividades
exercidas pelo empregado.

4. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) A principal preocupação de Taylor


era o aumento da eficiência na produção, o que reduziria os custos e
aumentaria os lucros, possibilitando aumentar a remuneração do
trabalhador a partir de sua maior produtividade.

5. (CESPE - ICMBIO – TÉCNICO – 2014) A administração científica


constitui uma combinação de princípios, os quais podem ser assim
sumariados: ciência, em lugar de empirismo; harmonia, em vez de
discórdia; cooperação, e não individualismo; rendimento máximo, em
lugar de produção reduzida; e desenvolvimento de cada homem, no
sentido de alcançar maior eficiência e prosperidade.

6. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) O fundador da Ford Motor Co.,


Henry Ford, introduziu o sistema de produção em massa por meio da
padronização de máquinas e equipamentos, da mão de obra e das
matérias primas e, consequentemente, dos produtos. A fim de atingir
esses objetivos, Ford adotou os seguintes três princípios básicos:
princípio do controle, princípio de economicidade e o princípio de
produtividade.

7. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) As origens da abordagem clássica


da administração estão relacionadas ao crescimento acelerado e
desorganizado das empresas e à necessidade de aumentar a eficiência
e a competência das organizações.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 64 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

8. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) As principais contribuições da


abordagem clássica da administração se referem às preconizadas por
Taylor e por Fayol. Enquanto Taylor focalizava as atividades nos níveis
baixos (inferiores) da organização, Fayol encarava a administração sob
o ponto de vista do executivo de alto nível.

9. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) Uma das contribuições de Taylor


à teoria clássica da administração foi o desenvolvimento do conceito de
organização linear, fundamentado nos princípios de unidade de
comando ou supervisão única, unidade de direção, descentralização da
autoridade e cadeia escalar.

10. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) Com relação ao funcionamento


das organizações, o caráter legal das normas e regulamentos é uma
das características da teoria clássica de administração de Fayol.

11. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) De acordo com Henri Fayol,


planejamento, preparo, controle e execução são as funções universais
da administração.

12. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Uma instituição que segue


modelo organizacional fundamentado na teoria da burocracia
caracteriza-se por confusão, demora e falta de critérios objetivos para
promoção e assunção de cargos de chefia.

13. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A teoria desenvolvida por Fayol


focava o operário como fator produtivo.

14. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Para se tornar eficiente, a produção


deve basear-se na divisão do trabalho, ou seja, na maneira pela qual
um processo complexo pode ser decomposto em uma série de
pequenas tarefas que o constituam.

15. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) As funções organizacionais


são tarefas especializadas executadas por pessoas e grupos para o
atingimento de objetivos da empresa. As mais importantes tarefas
comuns a qualquer tipo organização incluem a de produção, de
marketing, de pesquisa e desenvolvimento, de finanças e de recursos
humanos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 65 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

16. (CESPE – TCE-RO – AGENTE - 2013) Segundo Max Weber, a


organização burocrática viabiliza uma forma de dominação racional,
que possibilita o exercício da autoridade e a obediência com precisão,
continuidade e disciplina.

17. (CESPE – MPU – TÉCNICO - 2013) Segundo a concepção burocrática de


administração pública, o modo mais seguro de evitar o nepotismo e a
corrupção no serviço público é por meio do controle rígido dos
processos e procedimentos.

18. (CESPE – INPI – ANALISTA – 2013) A teoria estruturalista das


organizações constituiu-se a partir do aprofundamento dos aspectos
formais da Escola Clássica, da teoria burocrática de Max Weber e da
negação das contribuições da Escola das Relações Humanas.

19. (CESPE – IBAMA – ANALISTA – 2013) Na abordagem da administração


pelo pensamento sistêmico, a ideia de sistema refere-se a um conjunto
de entidades, denominadas elementos ou componentes, que mantém
uma espécie de relação ou interação, o que possibilita a visão de uma
entidade nova e distinta, em que é possível o foco no todo e não
apenas nos seus componentes.

20. (CESPE – ANTT – ANALISTA – 2013) Entre as ideias apresentadas na


teoria geral dos sistemas desenvolvida pelo biólogo alemão Ludwig Von
Bertalanffy, incluem-se a interdependência entre as partes — teoria
segundo a qual, o todo é formado por partes interdependentes — e o
tratamento complexo da realidade complexa — concepção que se
refere à necessidade de aplicar diferentes enfoques para se
compreender realidades cada vez mais complexas.

21. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) Propostas pela teoria clássica da


administração, a abordagem normativa e a prescritiva fundamentam-se
em princípios gerais de administração, como o da visão sistêmica das
organizações, formulados a partir de experimentos científicos acerca de
aspectos formais e informais da organização.

22. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) A burocracia nos moldes


weberianos é definida como o tipo ideal de organização que aplica, em
sua forma mais pura, a autoridade racional-legal.

23. (CESPE – MJ – ADMINISTRADOR – 2013) A Teoria das Relações


Humanas é marcada pela introdução da aplicação de uma abordagem

www.estrategiaconcursos.com.br Página 66 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

mais humanística na administração das organizações, em que seu foco


são as pessoas, e não as tarefas.

24. (CESPE – ANCINE – TÉCNICO – 2012) A administração pública


burocrática adota sistemas de controle e gestão centrados em
resultados e não em procedimentos.

25. (CESPE – CAMARA DOS DEPUTADOS – TÉCNICO – 2012) Para Max


Weber, no modelo burocrático ideal, a escolha ou a promoção do
profissional devem ser fundamentadas exclusivamente no mérito.

26. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A evolução das civilizações


antigas contribuiu para o desenvolvimento das teorias administrativas.

27. (CESPE – CAPES – ANALISTA – 2012) A abordagem contingencial


mostra que as influências que o ambiente externo das organizações
exerce no ambiente interno não geram mudanças e, por isso, não
exigem tratamento diferenciado.

28. (CESPE – ABIN / OFICIAL – 2011) O modelo organizacional racional


preconiza a adequação dos meios aos fins, base da teoria da
burocracia, a qual se apoia no entendimento de que as pessoas podem
ser pagas para agir e se comportar de maneira preestabelecida.

29. (CESPE – CORREIOS / ADMINISTRADOR – 2011) Nas organizações


vistas como sistemas fechados, há constante relação de múltiplos
impactos ou interferências entre os subsistemas que constituem as
estruturas organizacionais.

30. (CESPE – PREVIC / ANAL. ADM. – 2011) De acordo com a teoria de


sistemas, sistema consiste no conjunto de partes interagentes e
interdependentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com
determinado objetivo e função. Um sistema compõe-se de objetivos,
entradas, processo de transformação, saídas, controles, avaliações e
retroalimentação ou realimentação ou feedback. Com base nessas
informações, julgue os itens subsecutivos.
As saídas devem ser coerentes e com os objetivos estabelecidos; no
entanto, em função da retroalimentação, não devem ser quantificáveis.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 67 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

31. (CESPE – PREVIC / ANAL. ADM. – 2011) Entre os objetivos do controle


e da realimentação do sistema, inclui-se o de propiciar a ocorrência de
situação em que esse sistema se torne autorregulador.

32. (CESPE – FUB / SECRETÁRIO – 2011) De acordo com Taylor, o nível de


eficiência do trabalhador é estabelecido com base na capacidade social
que esse trabalhador apresenta, e não em sua capacidade de executar
o trabalho corretamente no prazo estabelecido.

33. (CESPE – CORREIOS / ADMINISTRADOR – 2011) Os múltiplos elos


entre as organizações e o ambiente tornam intangível a clara definição
das fronteiras que marcam os limites organizacionais.

34. (CESPE – CORREIOS / ADMINISTRADOR – 2011) As organizações


podem ser consideradas sistemas abertos, já que estão em constante
interação com o ambiente por meio da transformação de insumos em
produtos e serviços.

35. (CESPE – TCU / ACE – 2009) A organização que adota a especialização


das tarefas e das pessoas para aumentar a sua eficiência vai ao
encontro de um dos princípios gerais da administração propostos por
Fayol.

36. (CESPE – TCU / ACE – 2009) Segundo Fayol, são exemplos de


elementos da administração ou funções do administrador: prever,
organizar, coordenar, controlar e comandar.

37. (CESPE – TCU / ACE – 2009) Um órgão público, que preconize o


respeito ao canal de comunicação e impeça cada setor de acessar
outros níveis organizacionais diferentes dos que se encontrem
hierarquicamente logo acima e logo abaixo, respeitando a autoridade
única do nível acima, estará de acordo com os pressupostos de Fayol
em seus princípios gerais da administração no que tange à unidade de
comando.

38. (CESPE – TCU / ACE – 2009) A abordagem em que está contida a


teoria proposta por Fayol é a ideal para a administração de uma
organização em um cenário de mudanças e instabilidade.

39. (CESPE – TCU /ACE – 2008) Atualmente, não há mais espaço para a
utilização da teoria proposta por Taylor, em nenhum de seus aspectos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 68 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

40. (CESPE – TCU /ACE – 2008) De acordo com o texto em apreço, a busca
por maior eficiência e produtividade nas organizações é uma tônica em
diversas teorias da administração. Nesse sentido, uma das vantagens
destacadas por Max Weber na abordagem burocrática é a rapidez nas
decisões.

41. (CESPE – MTE / ADMINISTRAÇÃO – 2008) O gestor público que se


preocupa em eliminar o desperdício de esforço desenvolvido pelos
demais colaboradores, procurando racionalizar as tarefas e eliminar os
movimentos inúteis, adota pressupostos coerentes com a abordagem
clássica da administração.

42. (CESPE – INCA / GESTÃO PÚBLICA – 2010) Oposição radical à escola


clássica, visão simplista dos conflitos e enfoque manipulativo são as
principais críticas à abordagem humanística das organizações.

43. (CESPE – MPS / ADMINISTRADOR – 2010) A racionalização do


trabalho, segundo Taylor, era vista como um meio de aumentar a
eficiência da produção, evitando desperdício e promovendo
prosperidade entre patrões e empregados, sendo esses os primados da
administração científica.

44. (CESPE – MS / NUTRICIONISTA – 2010) As funções clássicas do


administrador, segundo a teoria de Fayol, são: organizar, planejar,
coordenar, comandar e controlar; funções estas que ainda hoje são
exercidas nas relações de produção mais tradicionais.

45. (CESPE – TCU / ACE – 2009) A abordagem proposta por Taylor


defendia que fossem priorizados na administração o empirismo e a
prática, dando ênfase, desse modo, ao pragmatismo da ponta da linha
e ao conhecimento já existente nos trabalhadores.

46. (CESPE – TRT-17 / PSICÓLOGO – 2009) Segundo Taylor, o trabalho de


cada operário é planejado pela direção.

47. (CESPE – UNIPAMPA/ ADMINISTRADOR – 2009) De acordo com a


teoria da administração científica, o administrador terá um papel
primordial na otimização das tarefas desenvolvidas pelos empregados.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 69 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

48. (CESPE – UNIPAMPA/ ADMINISTRADOR – 2009) Caso dê ênfase à


estrutura, o administrador se pautará nos pressupostos da teoria
clássica, que teve Henry Fayol como um de seus representantes.

49. (CESPE – TCU /ACE – 2008) A abordagem contingencial abarca as


contribuições de todas as demais abordagens que a antecederam,
principalmente da abordagem clássica no que tange à constatação da
existência de princípios universais que podem ser aplicados nos
diversos níveis da organização.

50. (CESPE – MIN. ESPORTE - ADMINISTRADOR – 2008) Segundo a


abordagem de sistemas, as organizações são sistemas fechados,
compostos de partes inter-relacionadas e interdependentes que
funcionam como um todo, tendo o objetivo de alcançar metas comuns.

51. (CESPE – INSS / PSICOLOGIA – 2008) Os pioneiros da abordagem


contingencial distinguiram dois tipos de estruturas organizacionais: a
mecânica e a orgânica. A orgânica é mais efetiva em ambientes
estáveis, enquanto a mecânica é mais efetiva em ambientes instáveis,
de alta incerteza.

52. (CESPE – FUB - PSICÓLOGO – 2015) O clima organizacional diz


respeito ao funcionamento das organizações, ao passo que a cultura
organizacional refere-se às razões de funcionarem de determinada
forma.

53. (CESPE – FUB - PSICÓLOGO – 2015) O nível de favorabilidade do clima


organizacional pode ser avaliado com base em taxa de turnover e de
absenteísmo, em resultados de avaliações de desempenho e em tipos
de queixas no serviço médico.

54. (CESPE – FUB - PSICÓLOGO – 2015) A cultura de uma organização


atua como um elemento unificador, pois, mesmo que os indivíduos
possuam características individuais diferentes, eles pensam e criam
soluções de forma semelhante, a fim de que os objetivos finais sejam
alcançados.

55. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A cultura organizacional inicia-


se com a seleção dos empregados que comporão a estrutura
organizacional.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 70 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

56. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Haja vista à multiplicidade de


culturas organizacionais, é essencial às organizações conhecer a
cultura dominante e as subculturas que a integram.

57. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A gestão do clima nas


organizações deve fundamentar-se na premissa de que o clima
organizacional é um elemento emocional compartilhado pelas pessoas
no ambiente em que trabalham e se realizam profissionalmente.

58. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) Tradicionalmente, o processo de


criação da cultura organizacional ocorre de três maneiras: os
fundadores contratam e mantêm empregados que pensem e sintam as
coisas da mesma forma que eles; ou doutrinam e socializam esses
empregados de acordo com sua forma de pensar e de sentir; ou,
então, estimulam os empregados a se identificar com eles e a
internalizar seus valores, convicções e premissas.

59. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Os sistemas de valores de uma


organização exprimem as características básicas que as pessoas
compartilham nesse ambiente, tais como inovação e assunção de risco,
atenção aos detalhes e orientação para resultados.

60. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) Em uma empresa em que a cultura


organizacional é difundida e os valores e as crenças são pontos de
referência claros e compartilhados pelos colaboradores, estabelece-se
um acordo tácito que evoca o lema “um por todos, todos por um”.

61. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) Na cultura organizacional, os


valores compreendem as crenças, os preconceitos, a ideologia e todos
os tipos de atitudes e julgamentos compartilhados pelos integrantes da
organização, a respeito de qualquer elemento, interno ou externo.

62. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) As culturas organizacionais


dividem-se em subculturas, pois, à medida que as organizações
crescem, são criados departamentos que se diferenciam nas missões e
desenvolvem suas próprias culturas ocupacionais.

63. (CESPE – ANP – ANALISTA – 2013) As organizações são


compreendidas a partir das dimensões subjetiva e objetiva da cultura
organizacional, a qual descreve os elementos culturais tangíveis e
intangíveis que caracterizam o modo de ser e agir das organizações.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 71 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

64. (CESPE – ANP – ANALISTA – 2013) A singularidade cultural manifesta-


se não apenas nas especificidades de cada organização, mas também
dentro de cada grupo e profissão.

65. (CESPE – TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) A cultura e subculturas


das organizações resultam do processo de adaptação ao ambiente e da
integração interna do grupo organizacional.

66. (CESPE – ANAC – ANALISTA – 2012) A cultura organizacional consiste


em um fenômeno multidimensional e multinível.

67. (CESPE – ANAC – ANALISTA – 2012) A cultura organizacional pode ser


definida como o conjunto de valores e normas que são compartilhados
pelos membros de uma organização e controlam a forma como eles se
relacionam entre si, com fornecedores, clientes e membros externos.

68. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA – 2012) O sistema de valores


compartilhados pelos membros da organização e o conjunto de
características-chave que a instituição valoriza e que a diferencia das
demais é conhecido como cultura organizacional.

69. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA – 2012) Os padrões culturais das


organizações moldam os comportamentos, dão sentido aos
pensamentos e canalizam as emoções, sendo, pois, mecanismos de
controle organizacional.

70. (CESPE – TRT - 10° REGIÃO - ANALISTA – 2012) A qualidade de vida


apoia-se na satisfação no trabalho, que resulta das percepções afetivas
e cognitivas que as pessoas têm sobre seu contexto laboral.

71. (CESPE – ANAC - ANALISTA – 2012) A satisfação é um fenômeno de


natureza afetiva, mas não cognitiva, em que pessoas demonstram o
quanto gostam ou não dos diferentes aspectos do trabalho,
evidenciando a qualidade de vida no trabalho.

72. (CESPE – MPU / ANAL. ADMINISTRATIVO – 2010) A cultura


organizacional não comporta gerenciamento, dado o descompasso, nas
organizações, entre a situação real e a situação ideal.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 72 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

73. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2010) Os três níveis da


cultura organizacional são: artefatos observáveis, valores adotados e
pressupostos básicos.

74. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2010) Quando as


organizações visam promover maior efeito da cultura organizacional
sobre o comportamento dos funcionários, é essencial que se garanta
que os funcionários compreendam os valores praticados em detrimento
dos valores adotados.

75. (CESPE – ANAL. GESTÃO PESSOAS- SERPRO – 2010) Os pressupostos


básicos da cultura organizacional são de difícil mudança, pois são
implícitos, arraigados e orientadores do comportamento organizacional.

76. (CESPE - FUNPRESP-EXE - ANALISTA – 2016) O processo de


comunicação do administrador permeia as etapas de planejamento,
organização, direção e controle do processo administrativo.

77. (CESPE - FUNPRESP-EXE - ANALISTA – 2016) Um líder que se


comunica de maneira clara e fluente garante a eficácia da comunicação
com os receptores da mensagem, ainda que eles não a compreendam.

78. (CESPE - TRE-PI - ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) A comunicação


pública recebe essa denominação por estar diretamente vinculada à
comunicação praticada pelos entes públicos.

79. (CESPE - FUB - TÉCNÓLOGO – 2015) Um empregado, ao realizar a


modificação de uma orientação para acesso às dependências da
empresa, gera uma barreira ao processo de comunicação denominada
distorção.

80. (CESPE - FUB - TÉCNÓLOGO – 2015) É correto afirmar que o processo


de comunicação ocorreu satisfatoriamente quando o diretor de uma
organização redige uma orientação estratégica contendo dados de
produtividade, bem como a análise dos resultados obtidos.

81. (CESPE - TJ-CE - TÉCNICO – 2014) A respeito do processo de


comunicação em organização e dos seus componentes, assinale a
opção correta.
a) A comunicação efetiva-se por completo mediante a emissão de uma
mensagem pelo emissor.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 73 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

b) Em ambiente de trabalho organizacional, há mensagens verbais e


não verbais.
c) No âmbito da administração, o email institucional deve ser
empregado para comunicações pessoais e de conteúdo emocional.
d) O canal de comunicação refere-se aos símbolos utilizados para a
composição da mensagem.
e) O veículo de comunicação utilizado corresponde ao decodificador da
mensagem.

82. (CESPE – MI – ASSISTENTE TÉCNICO – 2013) Uma comunicação eficaz


ocorre quando o significado pretendido da fonte e o significado
percebido pelo receptor são os mesmos.

83. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) A codificação, um dos


componentes da comunicação interpessoal, consiste na formulação
tangível de uma ideia ou informação a ser enviada para uma pessoa.

84. (CESPE – SERPRO – ANALISTA – 2013) Os gestores desempenham


importante papel nas organizações, atuando como canal central de
comunicação no processamento de informações e no compartilhamento
de informações internas e externas ao ambiente organizacional com os
seus subordinados.

85. (CESPE – MI – ASSISTENTE TÉCNICO – 2013) Uma comunicação eficaz


ocorre quando o significado pretendido da fonte e o significado
percebido pelo receptor são os mesmos.

86. (CESPE – TJ-AC / TÉCNICO – 2012) Existem duas formas de


comunicação organizacional: a oral e a escrita, que podem ser
auxiliadas por recursos visuais, e podem ocorrer de cima para baixo,
de baixo para cima e lateralmente.

87. (CESPE – PREVIC / ANALISTA – 2011) A comunicação, base de


qualquer processo administrativo em uma organização, influencia
fortemente a imagem institucional, por isso, deve compor o
planejamento estratégico da organização.

88. (CESPE – CORREIOS / ANALISTA – 2011) Consolidar e ampliar a


imagem da organização perante os públicos de interesse consiste no
principal objetivo da comunicação interna.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 74 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

89. (CESPE - EBC / ANALISTA - 2011) Dentro da organização, a eficiência


da comunicação interpessoal independe da capacidade de cada
indivíduo, sendo influenciada por regras, normas e outros múltiplos
fatores.

90. (CESPE – CNPQ - ANALISTA – 2011) Uma das finalidades da


comunicação nas instituições é a divulgação de informações sobre
procedimentos e práticas organizacionais.

91. (CESPE – FUB / SECRETÁRIO EXECUTIVO – 2011) Para que haja


adequado posicionamento da marca de uma empresa, é necessário
que, ao se adotar uma estratégia de comunicação, sejam considerados
tanto o público interno, formado pelos funcionários e administradores,
quanto o externo, composto de clientes, parceiros comerciais,
acionistas, entre outros participantes.

92. (CESPE – FUB / SECRETÁRIO EXECUTIVO – 2011) Uma das grandes


barreiras à comunicação interpessoal diz respeito aos aspectos
semânticos da linguagem, ou seja, aos diferentes sentidos que as
pessoas associam às palavras de outrem, o que pode causar
desentendimentos decorrentes de interpretações equivocadas.

93. (CESPE – FUB / SECRETÁRIO EXECUTIVO – 2011) Em uma empresa,


estabelece-se entre pessoas de mesmo nível hierárquico a
comunicação horizontal, considerada prejudicial ao bom funcionamento
das atividades organizacionais, que devem ser pautadas pela
competição entre departamentos.

94. (CESPE – CORREIOS - ADMINISTRADOR – 2011) A comunicação de


marketing demanda a execução de uma estratégia de comunicação
empresarial completa e integrada.

95. (CESPE – MPU / ANAL. ADMINISTRATIVO – 2010) Um dos obstáculos à


comunicação no processo organizacional é a avaliação prematura da
mensagem pelo receptor.

96. (CESPE – MPU / ANAL. ADMINISTRATIVO – 2010) A comunicação


constitui atividade que demanda grande parte da atenção de quem
ocupa cargo gerencial.

97. (CESPE – INCA / ANALISTA – 2010) Suponha que essa servidora


tenha divulgado via intranet e cartazes o anúncio de uma palestra

www.estrategiaconcursos.com.br Página 75 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

sobre o tema qualidade de vida no trabalho. Suponha, ainda, que


nenhum integrante da organização a tenha contatado para coletar
maiores informações ou para dar ciência de que havia sido informado
sobre a palestra. Nessa condição, o processo de comunicação está
formalmente completo.

98. (CESPE - TCU / ACE - 2008) A comunicação no serviço público está


sujeita a algumas falhas caracterizadas pelos autores como distorção,
quando, por exemplo, as chefias não transmitem a orientação
necessária à realização das tarefas atribuídas ao servidor, ou, então,
como omissão, quando a quantidade de informações transmitidas
excede a capacidade do destinatário de processá-las adequadamente.

99. (CESPE – FUB – RELAÇÕES PÍÚBLICAS - 2015) Projetos e planos


desenvolvidos nas organizações podem afetar muitos grupos com
interesses diversos, que são impactados pelas decisões tomadas.

100. (CESPE – MEC – ANALISTA – 2014) Para uma instituição pública, é


válida a premissa de que o cliente, interno ou externo à instituição, é o
destinatário do produto ou serviço de um projeto.

101. (CESPE – MEC – ESPECIALISTA – 2014) No âmbito do governo federal,


conceitua-se projeto como o conjunto de tarefas limitadas no tempo
cujo resultado será um produto ofertado à sociedade.

102. (CESPE – SUFRAMA – ANALISTA – 2014) O processo de análise


qualitativa de risco em um projeto visa, basicamente, priorizar os
diversos riscos identificados.

103. (CESPE – TJ-SE – TÉCNICO – 2014) O risco do projeto é um evento


que possui uma causa específica e, durante a execução do projeto,
produzirá efeito negativo.

104. (CESPE - SUFRAMA - ADMINISTRADOR – 2014) Um gerente que


modifique a sequência de atividades geradoras de valor para
determinado cliente estará alterando a essência de um projeto da
organização.

105. (CESPE – TCE-ES - AUDITOR – 2012) Um programa pode ser


caracterizado como um grupo de projetos relacionados.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 76 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

106. (CESPE – TRE-RJ - ANALISTA – 2012) Atividades de natureza


operacional executadas na organização são mais frequentes no ciclo de
vida de um produto do que no ciclo de vida de um projeto.

107. (CESPE – TCDF - ACE – 2012) Na gestão de projetos, o principal


produto da etapa de planejamento é o termo de abertura do projeto −
documento que contempla a estrutura analítica do projeto.

108. (CESPE – TCDF - ACE – 2012) O órgão que adota o modelo de gestão
de projetos deve descrever o produto demandado com todos os
requisitos exigidos por todas as partes interessadas.

109. (CESPE – TCE-ES - AUDITOR – 2012) No que diz respeito ao


gerenciamento dos riscos de um projeto, a matriz de probabilidade e
impacto possibilita a avaliação de cada risco de acordo com sua
probabilidade de ocorrência e impacto em algum objetivo do projeto,
mas não permite a distinção dos riscos em função dos limites de
tolerância da organização.

110. (CESPE – TRE-RJ - TÉCNICO – 2012) Para o gerenciamento de


projetos, consideram-se riscos as ameaças e oportunidades, que
podem ter impacto positivo ou negativo ao projeto.

111. (CESPE – TRE-RJ - ANALISTA – 2012) São opções para tratamento do


risco: reduzi-lo, aceitá-lo, evitá-lo ou transferi-lo.

112. (CESPE – TRE-RJ - TÉCNICO – 2012) A análise SWOT deve ser utilizada
para avaliar o projeto a partir da identificação de pontos fortes e
pontos fracos, ou seja, identificar os riscos.

113. (CESPE – CORREIOS – ANALISTA – 2011) O ciclo de vida de um


produto inicia-se quando os ciclos de vida dos projetos a ele
relacionados são encerrados.

114. (CESPE – TRE-ES – ANALISTA - 2011) Um projeto pode ser definido


como o esforço temporário empreendido para se criar um produto,
serviço ou resultado, e o seu término somente é alcançado quando se
atingem os objetivos.

115. (CESPE – CORREIOS – ANALISTA – 2011) A gerência de projetos leva


em consideração apenas os fatores ambientais da empresa que

www.estrategiaconcursos.com.br Página 77 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

restringem as opções de gerenciamento e têm influência negativa no


resultado do projeto. Esses fatores são considerados como entrada
para os processos de planejamento.

116. (CESPE – TRE-ES – ANALISTA - 2011) Um projeto pode ser definido


como o esforço temporário empreendido para se criar um produto,
serviço ou resultado, e o seu término somente é alcançado quando se
atingem os objetivos.

117. (CESPE – STM - ANALISTA – 2011) Segundo o guia PMBOK, o termo


escopo refere-se ao período necessário para se entregar um produto,
serviço ou resultado com características e funções especificadas.

118. (CESPE – TRE-BA - TÉCNICO – 2010) O gerenciamento de projetos


tenta adquirir controle sobre algumas variáveis consideradas
fundamentais para todo projeto. Essas variáveis — tempo, custo e
recursos — são também conhecidas como triângulo da gerência de
projeto. Se um lado desse triângulo é (variável) alterado, os outros
sofrem impacto.

119. (CESPE – INCA - GESTÃO PÚBLICA – 2010) Ao descobrir um erro no


plano de implementação do projeto, que vai provocar um impacto na
data da próxima entrega do projeto, a primeira atitude do gerente
deverá ser solicitar uma mudança na data e encaminhar para
aprovação do patrocinador.

120. (CESPE – BANCO DA AMAZÔNIA - TÉCNICO – 2010) Projetos de alta


qualidade devem entregar o produto, o serviço ou o resultado solicitado
dentro do escopo, no prazo e dentro do orçamento. Um risco do
projeto é um evento ou condição que, apesar de certo e conhecido, é
associado a um ou mais dos objetivos do projeto e produzirá um efeito
positivo ou negativo.

121. (CESPE – DETRAN-DF – ANALISTA - 2009) Projetos de alta qualidade


entregam o produto, o serviço ou o resultado solicitado dentro do
escopo, no prazo e dentro do orçamento. Ocorrendo alguma alteração
em um desses fatores, os demais podem alterar.

122. (CESPE – ANTAQ – ANALISTA - 2009) De acordo com o PMBok, o


entendimento do ambiente de um projeto pode requerer conhecimento
de natureza política, legal, social, física e (ou) ecológica.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 78 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

123. (CESPE – DETRAN-DF – ANALISTA - 2009) Projetos de alta qualidade


entregam o produto, o serviço ou o resultado solicitado dentro do
escopo, no prazo e dentro do orçamento. Ocorrendo alguma alteração
em um desses fatores, os demais podem alterar.

124. (CESPE – ANTAQ – ANALISTA - 2009) De acordo com o PMBok, o


entendimento do ambiente de um projeto pode requerer conhecimento
de natureza política, legal, social, física e (ou) ecológica.

125. (CESPE – TCE-RN – ANALISTA - 2009) No PMBOK, os stakeholders são


definidos como indivíduos ou organizações envolvidos no projeto, ou
que serão afetados positivamente ou negativamente pelo resultado
final de um projeto. Esses indivíduos e organizações devem ser
identificados mas não são elementos chave em um projeto.

126. (CESPE – ANATEL - ANALISTA ADMINISTRATIVO – 2009) Os projetos


não precisam necessariamente ter uma duração, pois há casos em que
não é possível definir o tempo de execução, como no caso da
elaboração de produtos intelectuais.

127. (CESPE – SEAPA-DF - ADMINISTRADOR – 2009) O gerenciamento de


projetos é segmentado em cinco estágios ou grupos de processos:
iniciação, planejamento, execução, controle e encerramento.

128. (CESPE – SEAPA-DF - ADMINISTRADOR – 2009) O triângulo da


gerência de projetos representa as três principais variáveis a serem
consideradas no gerenciamento de projetos: tempo, custo e recursos
humanos.

129. (CESPE – ANATEL - ANALISTA ADMINISTRATIVO – 2009) A boa técnica


de administração aconselha que os projetos sejam geridos em
conjunto, em uma carteira, visto que, nesse caso, tem-se a visão do
todo de uma organização e a possibilidade do compartilhamento de
recursos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 79 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. E 40. C 79. C
2. C 41. C 80. E
3. C 42. C 81. B
4. C 43. C 82. C
5. C 44. C 83. E
6. E 45. E 84. C
7. C 46. C 85. C
8. C 47. C 86. C
9. E 48. C 87. C
10. E 49. E 88. E
11. E 50. E 89. E
12. E 51. E 90. C
13. E 52. C 91. C
14. C 53. C 92. C
15. C 54. C 93. E
16. C 55. E 94. E
17. C 56. C 95. C
18. E 57. E 96. C
19. C 58. C 97. E
20. C 59. C 98. E
21. E 60. C 99. C
22. C 61. C 100. C
23. C 62. C 101. C
24. E 63. C 102. C
25. C 64. C 103. E
26. C 65. C 104. E
27. E 66. C 105. C
28. C 67. C 106. C
29. E 68. C 107. E
30. E 69. C 108. C
31. C 70. C 109. E
32. E 71. E 110. C
33. C 72. E 111. C
34. C 73. C 112. C
35. C 74. E 113. E
36. C 75. C 114. E
37. C 76. C 115. E
38. E 77. E 116. E
39. E 78. E 117. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 80 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

118. E 122. C 126. E


119. E 123. C 127. C
120. E 124. C 128. E
121. C 125. E 129. C

www.estrategiaconcursos.com.br Página 81 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

MODELOS TEÓRICOS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:


PATRIMONIALISTA E BUROCRÁTICO E GERENCIAL;
EVOLUÇÃO DOS MODELOS/PARADIGMAS DE GESTÃO: A
NOVA GESTÃO PÚBLICA. GESTÃO POR RESULTADOS NA
PRODUÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS. NOVAS FORMAS DE
GESTÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS: FORMAS DE SUPERVISÃO E
CONTRATUALIZAÇÃO DE RESULTADOS

1. (CESPE – TRE-PI / ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) A definição de


critérios de seleção, a organização das instituições em hierarquias
estabelecidas e os cargos com esfera de competência prevista em
termos legais e sujeitos à disciplina são algumas das características do
modelo administrativo racional-legal

2. (CESPE – TRE-PI / ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) O modelo racional-


legal, pautado na modernização e no gerencialismo, originou-se da
administração pública burocrática, que é fundamentada em uma gestão
impregnada de administração familiar, na qual não há distinção, pelos
gestores, entre o público e o privado.

3. (CESPE – TRE-PI / ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) O modelo pós-


burocrático, cujo principal objetivo é o abandono definitivo de todas as
categorias da burocracia clássica, preconiza uma menor intervenção do
Estado nas atividades econômicas.

4. (CESPE – TRE-PI / ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) No modelo de


administração pública gerencial, o Estado opta por implementar
políticas públicas resultantes das agendas governamentais e definidas
exclusivamente pelas autoridades decisórias.

5. (CESPE - CGE-PI – AUDITOR – 2015) O modelo gerencial da


administração pública é dinamizado por meio da concessão de
liberdade gerencial aos gestores públicos, aspecto essencial para que
seja garantida a cobrança de resultados e para o estabelecimento de
metas e condições de accountability.

6. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) Nas gestões que adotaram os


modelos gerenciais de administração pública, os quais surgiram como
uma fase de modernização do modelo burocrático, o Estado
permaneceu responsável pela formulação e execução de serviços
prestados à sociedade de forma direta.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 82 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

7. (CESPE - TELEBRÁS – ANALISTA – 2015) O modelo burocrático, que


conseguiu diminuir em grande parte a presença do patrimonialismo na
administração pública, está orientado para resultados e focado no
cidadão.

8. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) O modelo burocrático foi


adotado por diversos países em substituição ao modelo patrimonialista
de administração pública, no qual o patrimônio público não se
distinguia do privado.

9. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) Comparativamente a outros


modelos, as desvantagens do modelo burocrático incluem a sua rigidez,
que pode levar à ineficiência do aparelho administrativo.

10. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Fruto da evolução do estamento


burocrático patrimonialista, a moderna burocracia manteve o caráter
aristocrático e estava circunscrita ao Estado.

11. (CESPE – CNJ - ANALISTA – 2013) A administração pública gerencial,


estimulada pela crise fiscal da década de 70 do século passado, segue
fundamentos do racionalismo econômico, como medidas de
austeridade fiscal e o evitamento de privatizações e terceirizações.

12. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) A administração pública gerencial


adota os mesmos pressupostos da iniciativa privada, em termos de
planejamento, controle e resultados.

13. (CESPE - IBAMA – ANALISTA – 2013) De modo geral, a nova


administração pública tem caráter descentralizador, pois, por meio do
gerencialismo, equilibraram-se as questões relativas à complexidade da
gestão, como, por exemplo, a integração entre os aspectos técnicos e
políticos.

14. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Preservando a ideologia do


formalismo e do rigor técnico da burocracia tradicional, a administração
pública gerencial proporcionou um sistema de gestão e controle
centrado em resultados.

15. (CESPE – CNJ - TÉCNICO – 2013) De acordo com a administração


pública gerencial, o servidor público trabalha para atender aos

www.estrategiaconcursos.com.br Página 83 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

cidadãos, considerados consumidores e clientes, mediante a


descentralização da decisão e das funções.

16. (CESPE – CNJ - ANALISTA – 2013) O gerencialismo caracteriza-se por


manobras administrativas, como competição, incentivos de mercado,
mensuração de desempenho, foco na produtividade e
desregulamentação.

17. (CESPE – CNJ - ANALISTA – 2013) De acordo com a nova gestão


pública, o governo deve adotar, além de técnicas de gestão de
negócios, valores relativos aos negócios, dos quais derivam práticas
que foram propostas desde a gestão científica até a gestão da
qualidade total.

18. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) A organização pública que adotar o


paradigma pós-burocrático avançará nos pressupostos da burocracia,
porém com maior ênfase no rigor técnico da burocracia tradicional.

19. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) Segundo a concepção burocrática


de administração pública, o modo mais seguro de evitar o nepotismo e
a corrupção no serviço público é por meio do controle rígido dos
processos e procedimentos.

20. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) A burocracia nos moldes


weberianos é definida como o tipo ideal de organização que aplica, em
sua forma mais pura, a autoridade racional-legal.

21. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) No modelo de administração


pública gerencial, o aparelho de Estado deve ser responsável apenas
pela execução das políticas públicas.

22. (CESPE – TRT-10 – ANALISTA – 2013) O modelo de administração


burocrática adotado no Brasil separou serviços de controle e passou a
definir, medir e analisar resultados.

23. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Contrapondo-se à ideologia do


formalismo e do rigor técnico da burocracia tradicional, o paradigma
gerencial fundamentado nos princípios da confiança e da
descentralização da decisão exige formas flexíveis de gestão.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 84 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

24. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Quanto à profissionalização, o


modelo racional-legal se opõe ao nepotismo que caracterizava o
modelo patrimonialista.

25. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Na perspectiva da reforma gerencial,


o Estado amplia seu papel de prestador direto de serviços, abstendo-
se, porém, do papel de regulador de serviços sociais como educação e
saúde.

26. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) O modelo da administração pública


patrimonialista foi o primeiro esforço do Estado em cuidar do
patrimônio público, mediante a criação de mecanismos de controle e de
preservação do uso indevido dos bens do Estado pelos servidores.

27. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) Uma das características da


administração pública patrimonialista é a ausência de carreiras
administrativas definidas em sua estrutura organizacional.

28. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) Uma organização pública com base


no modelo patrimonialista apresenta grande permeabilidade à
participação social-privada na instituição.

29. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) Uma desvantagem do modelo de


administração pública burocrática é a grande pessoalidade existente
nas relações entre chefia e subordinados.

30. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) Uma organização pública que adota


os pressupostos da administração burocrática busca combater o
nepotismo na instituição.

31. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) A administração pública burocrática


busca enfatizar o conhecimento técnico-profissional, o que garante sua
superioridade em relação a outros modelos de administração.

32. (CESPE – CNJ - TÉCNICO – 2013) A administração pública burocrática


é orientada para a racionalidade absoluta e prevê o controle rígido dos
processos e procedimentos como o meio mais seguro para evitar o
nepotismo e a corrupção.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 85 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

33. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) A burocracia weberiana ideal não se


consolidou no Brasil, em função das brechas das normas legais
contrárias à burocracia racional-legal.

34. (CESPE – TJ-AL – TÉCNICO – 2012) A nova gestão pública reúne


características positivas dos modelos patrimonial e gerencial de
administração pública.

35. (CESPE – ANAC – ANALISTA - 2012) De acordo com o modelo


patrimonialista, o gestor público deve ter autonomia para gerir os
recursos humanos, materiais e financeiros colocados à sua disposição,
a fim de que os objetivos contratados e a finalidade pública sejam
atingidos.

36. (CESPE – TCU – ACE - 2011) O Estado patrimonialista é aquele em que


a propriedade individual é concedida pelo Estado.

37. (CESPE – TRE-ES - ANALISTA - 2011) O gestor público que se pauta


pelo modelo patrimonialista age de acordo com o princípio que
preconiza ser o Estado aparelho que funciona em prol da sociedade.

38. (CESPE – ANAC – ANALISTA - 2012) No contexto da administração


pública burocrática, o interesse público é frequentemente identificado
com a afirmação do poder do Estado.

39. (CESPE – ANAC – ANALISTA - 2012) A administração pública


burocrática representou uma tentativa de substituição das práticas
patrimonialistas, originárias das monarquias absolutistas, em que
inexistia clara distinção entre a res pública e a res privada.

40. (CESPE – MC - TÉCNICO – 2013) A ênfase da administração pública


gerencial recai sobre o controle do processo em detrimento do
resultado, pois, segundo esse modelo, é por meio do acompanhamento
dos indicadores de tendência que os objetivos fixados são alcançados.

41. (CESPE – TRE-BA - ANALISTA – 2010) A administração pública


burocrática se alicerça em princípios como profissionalização,
treinamento sistemático, impessoalidade e formalismo, que são
abandonados à medida que a administração pública gerencial, calcada
na eficiência e na eficácia, se sobrepõe ao modelo burocrático.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 86 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

42. (CESPE – ANCINE – TÉCNICO – 2012) A administração pública


burocrática substituiu a administração patrimonialista, na qual o Estado
era entendido como propriedade do rei e em que não havia clara
distinção entre o patrimônio público e o privado.

43. (CESPE – ANAC – ANALISTA - 2012) O modelo burocrático adotado no


Brasil caracteriza-se pela racionalidade absoluta e pela grande
despersonalização no relacionamento.

44. (CESPE – ANAC - ANALISTA - 2012) A administração pública gerencial


produziu avanços para a gestão do Estado, tendo sido marcada pelo
rompimento com princípios da administração pública burocrática e pela
adoção da administração por objetivos.

45. (CESPE – TCU – ACE - 2011) O modelo burocrático de administração


separa o político e o administrativo.

46. (CESPE – TRE-BA /ANAL JUD - ADMINISTRATIVA – 2010) A


administração pública burocrática se alicerça em princípios como
profissionalização, treinamento sistemático, impessoalidade e
formalismo, que são abandonados à medida que a administração
pública gerencial, calcada na eficiência e na eficácia, se sobrepõe ao
modelo burocrático.

47. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) Raymundo Faoro, em sua


clássica obra Os Donos do Poder, ao confrontar o Estado patrimonial
com o feudal, já se referia ao sistema patrimonial como aquele que, ao
contrário dos direitos, dos privilégios e das obrigações fixamente
determinados do feudalismo, prende os servidores em uma rede
patriarcal, na qual eles representam a extensão da casa do soberano.

48. (CESPE – MPS / ADMINISTRADOR – 2010) De acordo com Max Weber,


em Economia e Sociedade, o grau de qualificação profissional cresce
continuamente na burocracia, até os níveis mais elevados da
organização. O topo da dominação é representado por um ou alguns
elementos, que têm caráter puramente burocrático.

49. (CESPE – AGU- AGENTE ADM. – 2010) A administração pública


brasileira, embora marcada pela cultura burocrática e regida pelo
princípio do mérito profissional, não constitui, no seu conjunto, uma
burocracia profissional nos moldes weberianos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 87 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

50. (CESPE – AGU- AGENTE ADM. – 2010) A administração pública


burocrática sustenta, entre seus objetivos globais, a necessidade de
aumentar a governança do Estado, ou seja, sua capacidade
administrativa de governar com efetividade e eficiência, direcionando a
ação dos serviços de Estado para o atendimento dos cidadãos.

51. (CESPE – MDS / ADMINISTRADOR – 2006) Impessoalidade, hierarquia,


flexibilização de procedimentos, especialização e ênfase nos controles
são características dos modelos das organizações burocrático de
gestão.

52. (CESPE – MDS / ADMINISTRADOR – 2006) Max Weber considera a


existência de três tipos puros de dominação legítima: a tradicional, a
racional-legal e a gerencial.

53. (CESPE – STM / ANAL JUD – 2004) Historicamente, a dominação


racional-legal ou burocrática surgiu no século XIX como uma forma
superior de dominação, legitimada pelo uso da lei, em contraposição ao
poder tradicional (divino) e arbitrário.

54. (CESPE – TRE-PI – ANALISTA - 2016 - ADAPTADA) Ao adotar um


modelo de gestão por resultados, a administração pública prioriza
procedimentos característicos de uma administração burocrática, haja
vista que o planejamento passa a ser orientado à ação para o alcance
de resultados

55. (CESPE – TRE-PI – ANALISTA - 2016 - ADAPTADA) Nos contratos de


gestão celebrados entre a administração pública e os interessados em
executar determinado serviço público, o foco principal é o
acompanhamento e o controle dos procedimentos legais, sendo
facultativa a determinação de metas e resultados a serem alcançados.

56. (CESPE – TRT-PA – ANALISTA - 2016 - ADAPTADA) A gestão por


resultados envolve o monitoramento e a avaliação de desempenho da
instituição para a verificação dos resultados almejados, bem como a
retroalimentação e a adoção de medidas corretivas decorrentes da
avaliação.

57. (CESPE – TRT-PA – ANALISTA - 2016 - ADAPTADA) A administração


por resultados no setor público tem como foco o alcance de metas
orçamentárias, independentemente do grau de satisfação do cidadão.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 88 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

58. (CESPE – CADE– ANALISTA - 2014) Uma gestão eficaz de serviços


públicos orientada por resultados implica a totalidade do atendimento
das demandas da sociedade, sem margens a atendimentos parciais.

59. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Por visar atender o interesse


público, a administração pública tem de alinhar suas ações e resultados
às necessidades e expectativas dos cidadãos, mediante a assunção do
compromisso de fazer o melhor no cumprimento da sua missão.

60. (CESPE – ANAC – ANALISTA – 2012) A definição de indicadores de


desempenho para fins de monitoramento poderá ser suprimida na
implementação de um modelo de gestão de resultados.

61. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA – 2012) A atuação da organização


pública alinhada ao paradigma do cliente na gestão pública procura dar
ao cidadão-usuário atendimento semelhante ao que ele teria como
cliente em uma empresa privada.

62. (CESPE - STM / ANALISTA - 2011) No setor público, a noção de gestão


para resultados relaciona-se ao atendimento das demandas dos
cidadãos e à criação de valor público por meio de um gerenciamento
integrado e eficiente de políticas, programas e projetos públicos.

63. (CESPE - ANEEL / ANALISTA - 2010) A eficácia do modelo de gestão


por resultados depende da definição de metas factíveis.

64. (CESPE - ABIN / ANALISTA - 2010) Ao adotar a gestão por resultados,


o dirigente de uma organização deve sempre focar suas prioridades
pessoais e desenvolver a seguinte sequência de ações: planejamento,
controle e ação.

65. (CESPE - ABIN / ANALISTA - 2010) Na gestão por resultados,


desenvolvem-se ações contrárias às consideradas necessárias ao
atendimento das demandas de accountability.

66. (CESPE - ABIN / ANALISTA - 2010) No âmbito da administração pública


brasileira, a gestão por resultados tem foco distinto do verificado em
programas de qualidade e excelência, visto que estes não contemplam
a busca de resultados.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 89 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

67. (CESPE - ABIN / ANALISTA - 2010) A adoção da gestão por resultados


na administração pública implica a realização periódica de negociação e
acordos que envolvam os objetivos e metas fixados, em compromisso,
entre o Estado e cada órgão a ele subordinado.

68. (CESPE - ABIN / ANALISTA - 2010) A administração pública brasileira,


embora caracterizada pela adoção de pressupostos da administração
por objetivos, não dispõe de organizações pautadas concretamente em
resultados.

69. (CESPE – INMETRO – ANALISTA - 2009) A contratualização é uma


prática importante na administração pública pós-reforma do Estado,
pois possibilita instituir práticas de planejamento, avaliação e
monitoramento da execução por parte do Estado e o terceiro ou órgão
público contratado. Os contratos de resultados podem ser firmados
com quase todas as instituições, principalmente as estatais e aquelas
do terceiro setor, excetuando-se as entidades privadas, qualificadas
como organizações sociais.

70. (CESPE - TCU / ACE - 2008) O controle dos resultados de forma


descentralizada, na administração pública, depende de um grau de
confiança limitado nos agentes públicos, que, mesmo com estrito
monitoramento permanente, devem ter delegação de competência
suficiente para escolher os meios mais apropriados ao cumprimento
das metas prefixadas.

71. (CESPE - TRT-RJ – ANALISTA - 2008) A adoção da gestão pública por


resultados limita a autonomia do gestor público na forma como
implementar a produção dos serviços públicos, em função dos
resultados acordados.

72. (CESPE - TRT-RJ – ANALISTA - 2008) Os indicadores utilizados na


gestão pública por resultados têm como finalidade exclusiva o
monitoramento do atingimento dos resultados propostos em seus
objetivos.

73. (CESPE – INMETRO – ANALISTA - 2007) No modelo gerencialista, em


comparação ao burocrático, a autonomia do administrador público é
ampliada, para que os objetivos contratados sejam atingidos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 90 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

1. C 26. E 51. E
2. E 27. C 52. E
3. E 28. E 53. C
4. E 29. E 54. E
5. C 30. C 55. E
6. E 31. C 56. C
7. E 32. C 57. E
8. C 33. C 58. E
9. C 34. E 59. C
10. E 35. E 60. E
11. E 36. X 61. C
12. E 37. E 62. C
13. E 38. C 63. C
14. E 39. C 64. E
15. C 40. E 65. E
16. C 41. E 66. E
17. C 42. C 67. C
18. E 43. C 68. C
19. C 44. E 69. E
20. C 45. C 70. C
21. E 46. E 71. E
22. E 47. C 72. E
23. C 48. E 73. C
24. C 49. C
25. E 50. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 91 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

EXPERIÊNCIAS DE REFORMAS ADMINISTRATIVAS; O


PROCESSO DE MODERNIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO
PÚBLICA. CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.
CONTROLE SOCIAL E CIDADANIA. O SISTEMA DE FREIOS E
CONTRAPESOS: AUTOTUTELA; CONTROLE INTERNO,
CONTROLE EXTERNO, O PAPEL DA CGU; REVISÃO
JURISDICIONAL DOS ATOS ADMINISTRATIVOS. GOVERNO
ELETRÔNICO

1. (CESPE – TRE-PI / ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) A reorganização do


poder público por meio da descentralização administrativa e
flexibilização do sistema, com a criação dos entes da administração
indireta, resulta do modelo gerencial implementado pelo plano diretor
de reforma do aparelho do Estado.

2. (CESPE – TRE-PI / ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) O plano diretor de


reforma do aparelho do Estado, ao introduzir o modelo racional-legal,
predominante até a atualidade, representou uma significativa reforma
e modernização da administração pública brasileira.

3. (CESPE – MPOG – ANALISTA – 2015) A administração federal foi o foco


do Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado, que também
incluiu as administrações estaduais e municipais

4. (CESPE – MPOG – ANALISTA – 2015) A reforma administrativa de


1967, realizada por meio do Decreto-lei n.º 200, ampliou a
administração indireta, transferindo atividades para fundações e
empresas públicas.

5. (CESPE – STJ – ANALISTA – 2015) Inspirada no gerencialismo inglês, a


reforma do Estado brasileiro deflagrada em 1995 teve como principal
objetivo manter as contas públicas equilibradas e reduzir o poder da
ação gerencial do Estado.

6. (CESPE – TRE-GO – TÉCNICO – 2015) A reforma administrativa


ocorrida em 1967 pretendia o rompimento com a rigidez burocrática, e,
para isso, as atividades da administração foram centralizadas e
algumas instituições de administração indireta foram extintas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 92 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

7. (CESPE – MPOG – ANALISTA – 2015) A Constituição Federal de 1988


representou um avanço à descentralização do poder público, uma vez
que acrescentou poderes à administração indireta por meio da
flexibilização de suas normas operacionais.

8. (CESPE – ICMBio – TÉCNICO – 2014) As teorias das organizações,


além de contribuírem para o modelo brasileiro de administração
pública, especialmente a teoria da burocracia, ajudaram a despertar
novos enfoques sobre a motivação humana. A respeito desse assunto,
julgue o item seguinte.
A Constituição Federal de 1988 instituiu um Estado nacional forte, pois
não persistiu com o modelo estatizante anterior.

9. (CESPE – ICMBio – TÉCNICO – 2014) As teorias das organizações,


além de contribuírem para o modelo brasileiro de administração
pública, especialmente a teoria da burocracia, ajudaram a despertar
novos enfoques sobre a motivação humana. A respeito desse assunto,
julgue o item seguinte.
Com a Constituição Federal de 1988, a administração pública brasileira
retornou aos anos 30 do século passado, época em que foi implantada
a administração burocrática clássica no Brasil.

10. (CESPE - TC-DF - ANALISTA – 2014) A instituição do Decreto-lei n°


200/1967 foi um esforço do governo da época para racionalizar os
processos, garantir a implantação do modelo burocrático e centralizar a
administração pública.

11. (CESPE - TC-DF - ACE – 2014) A reforma administrativa embutida no


Decreto-Lei nº 200/1967 impediu a sobrevivência de práticas
patrimonialistas e fisiológicas nos diversos níveis da administração
pública.

12. (CESPE - CADE - ANALISTA – 2014) O Decreto-lei nº 200/1967, o qual


embasou a reforma administrativa de 1967, estabeleceu mecanismos
de avaliação de desempenho dos entes descentralizados.

13. (CESPE - CADE - ANALISTA – 2014) A reforma administrativa de 1967


deu ênfase à centralização, de modo a instituir o orçamento como
princípio de racionalidade administrativa.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 93 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

14. (CESPE - CADE - Analista – 2014) A criação do DASP representou a


primeira reforma administrativa do país e a afirmação dos princípios
centralizadores e hierárquicos da burocracia clássica.

15. (CESPE – BSF - CEBRASPE – 2014) Obrigatoriedade de concurso


público para a contratação de servidores e estabilidade no serviço
foram medidas instauradas pela reforma da administração pública
ocorrida durante o regime militar.

16. (CESPE – BSF - CEBRASPE – 2014) A reforma da administração pública


proposta pelo governo de Getúlio Vargas objetivava superar o modelo
patrimonialista e instaurar uma burocracia pública.

17. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) A reforma administrativa de


1967 promoveu a centralização progressiva das decisões no Poder
Executivo federal nos moldes da administração burocrática.

18. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Após a promulgação da Constituição


Federal de 1988, foi deflagrado um processo de municipalização da
gestão pública e, consequentemente, de concessão de maiores poderes
aos municípios.

19. (CESPE – MI – ADMINISTRADOR – 2013) O modelo de reforma do


Estado brasileiro, posto em prática sob a ótica neoliberal, mostrou-se
eficaz na solução dos problemas socioeconômicos do país, pois estava
orientado para o desenvolvimento e levou em consideração a
necessidade do Estado e sua construção em novas bases.

20. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) A transição democrática de 1985


representou um avanço na modernização da administração pública, na
medida em que atribuiu à administração indireta normas de
funcionamento idênticas às que regem a administração direta.

21. (CESPE – TJ-AL – TÉCNICO – 2013) A reforma administrativa


resultante da independência do Brasil apresentou o patrimonialismo
como modelo de administração pública, que, apesar de superado, ainda
revela grande importância no governo do país.

22. (CESPE – TCE-RO – AGENTE – 2013) O Departamento Administrativo


do Serviço Público foi o primeiro órgão da estrutura administrativa
brasileira ao qual se atribuiu a responsabilidade de diminuir a
ineficiência do serviço público e reorganizar a administração pública.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 94 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

23. (CESPE – TCU – AUDITOR – 2013) A criação do Departamento


Administrativo do Serviço Público (DASP) em 1936 representou uma
modernização na administração pública brasileira, haja vista que
promoveu a descentralização das atividades administrativas, com o
intuito de se gerar maior eficiência.

24. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) A reforma administrativa iniciada


pelo Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP) instituiu o
Estado moderno no Brasil, com vistas ao combate ao patrimonialismo e
à burocracia estatal.

25. (CESPE – MPU – TÉCNICO – 2013) As grandes reformas


administrativas do Estado brasileiro, ocorridas após 1930, foram do
tipo patrimonialista, burocrática e gerencial.

26. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) O Departamento Administrativo


do Serviço Público (DASP) foi criado com o objetivo de aprofundar a
reforma administrativa destinada a organizar e racionalizar o serviço
público no país.

27. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Na área de administração de


recursos humanos, o Departamento Administrativo do Serviço Público
(DASP) inspirou-se no princípio do mérito profissional para estruturar a
burocracia.

28. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Fruto da evolução do estamento


burocrático patrimonialista, a moderna burocracia manteve o caráter
aristocrático e estava circunscrita ao Estado.

29. (CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) A instituição, em 1936, do


Departamento de Administração do Serviço Público (DASP) teve como
objetivo principal suprimir o modelo patrimonialista de gestão.

30. (CESPE – AGU- AGENTE ADM. – 2010) As reformas realizadas por meio
do Decreto-lei n.o 200/1967 não desencadearam mudanças no âmbito
da administração burocrática central, o que possibilitou a coexistência
de núcleos de eficiência e de competência na administração indireta e
formas arcaicas e ineficientes no plano da administração direta ou
central.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 95 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

31. (CESPE – TCE-RS – OCE – 2013) A reforma administrativa no Brasil,


realizada por meio do Decreto-Lei n.o 200/1967, representou um
avanço em relação à tentativa de romper com a rigidez burocrática,
podendo ser entendida como a primeira experiência de implantação da
administração gerencial no país.

32. (CESPE - TCU / ACE - 2008) A estruturação da máquina administrativa


no Brasil reflete a forte tradição municipalista do país, cujo ímpeto
descentralizante se manifesta, na Constituição de 1988, reforçado pela
longa duração do período transcorrido entre 1964 e 1985,
marcadamente caracterizado pela associação entre autoritarismo e
centralização.

33. (CESPE - TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO - 2006) A Constituição de


1988 promoveu um avanço significativo na gestão pública, concedendo
mais flexibilidade ao aparelho estatal.

34. (CESPE – TCU – AUDITOR – 2013) Na reforma gerencial de 1995, a


qual visava eliminar os elementos patrimonialistas ainda existentes,
enfatizaram-se a hierarquização e o rígido controle de procedimentos.

35. (CESPE – TJ-AL – TÉCNICO – 2013) A nova gestão pública reúne


características positivas dos modelos patrimonial e gerencial de
administração pública.

36. (CESPE – TJ-AL – TÉCNICO – 2013) A última reforma administrativa


que se têm notícia no Brasil foi aquela baseada nos princípios
burocráticos estabelecidos pelo presidente Vargas.

37. (CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) As tentativas de reformas


ocorridas na década de 50 do século passado guiavam-se
estrategicamente pelos princípios autoritários e centralizados, típicos
de uma nação em desenvolvimento.

38. (CESPE – TRE-ES / ANAL ADM – 2011) Em relação às reformas


administrativas empreendidas no Brasil nos anos de 1930 a 1967,
julgue o item a seguir.
Nesse período, a preocupação governamental direcionava-se mais ao
caráter impositivo das medidas que aos processos de internalização das
ações administrativas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 96 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

39. (CESPE - TCE-AC / ACE - 2008) A reforma iniciada pelo Decreto n.º
200/1967 foi uma tentativa de superação da rigidez burocrática, e pode
ser considerada como o começo da administração gerencial no Brasil.

40. (CESPE - TCE-AC / ACE ADMINISTRAÇÃO - 2006) No início dos anos 80


do século passado, com a criação do Ministério da Desburocratização e
do Programa Nacional de Desburocratização, registrou-se uma nova
tentativa de reformar o Estado na direção da administração gerencial.

41. (CESPE - TCU / ACE - 2008) De acordo com o Plano Diretor da Reforma
do Aparelho do Estado (1995), os serviços não-exclusivos constituem
um dos setores correspondentes às atividades-meio, que deveriam ser
executadas apenas por organizações privadas, sem aporte de recursos
orçamentários, exceto pela aquisição de bens e serviços produzidos.

42. (CESPE – MTE / ADMINISTRAÇÃO – 2008) O Estado oligárquico, no


Brasil, é identificado com a República Velha, e caracteriza-se pela
associação entre as instituições políticas tradicionais e as entidades da
sociedade civil mobilizadas em torno dos segmentos mais pobres e
desprotegidos da população, por meio de fortes redes de proteção
social.

43. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O Estado oligárquico,


modelo adotado no século passado, no Brasil, antes do primeiro
governo Vargas, atribuía pouca importância às políticas sociais, o que
fortaleceu o papel de instituições religiosas, voltadas para o
atendimento das populações mais pobres e desprotegidas.

44. (CESPE – TERRACAP / TECNICO RH - 2004) Um governo empreendedor


se fundamenta em alguns princípios essenciais, tais como: o controle a
posteriori dos resultados, elemento que faz parte da busca da
modernização administrativa e que tem sido buscado desde a criação
do DASP, destacando-se, entretanto, de modo mais efetivo, no Plano
Diretor da Reforma do Aparelho do Estado.

45. (CESPE – TCE-AC / ACE - 2008) A função orçamentária, como atividade


formal e permanentemente vinculada ao planejamento, já estava
consagrada na gestão pública brasileira quando da implantação do
modelo de administração burocrática.

46. (CESPE – MCT / ANALISTA PLENO - 2004) O conceito de administração


para o desenvolvimento consistia no fortalecimento de estruturas

www.estrategiaconcursos.com.br Página 97 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

estatais responsáveis pelo planejamento e pela implementação de


projetos desenvolvimentistas nos quais o Estado atuava como produtor
direto de bens e serviços.

47. (CESPE – SENADO / CONSULTOR ADM – 2002) A continuidade do DASP


foi assegurada nos governos que se seguiram — Dutra e JK —, de
modo a possibilitar a estruturação dos grupos executivos incumbidos
de implementar o Plano de Metas.

48. (CESPE – MCT / ANALISTA JR - 2004) O principal mecanismo de


implementação do desenvolvimentismo do período JK foram os grupos
executivos que, embora constituíssem estruturas ad hoc dotadas de
grande flexibilidade, acabaram sendo posteriormente engolfadas pela
burocracia governamental.

49. (CESPE – TCU / PLANEJAMENTO – 2008) Os grupos executivos e o


Conselho de Desenvolvimento, criados na Era JK, constituíam
estruturas paralelas à burocracia tradicional e atuavam na linha de
formulação política, paralelamente às atividades de rotina. O Programa
de Metas exigia estruturas flexíveis, não-burocráticas, e uma
capacidade de coordenação dos esforços de planejamento.

50. (CESPE – TCE-AC / ACE - 2008) Com a edição do Decreto n.º


200/1967, o concurso público passou a ser o único meio de contratação
de pessoal para o serviço público.

51. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) A reforma administrativa


materializada pelo Decreto-lei n.º 200/1967 é associada à primeira
experiência de implementação da administração gerencial no país.
Adotada em pleno período ditatorial, reforçou a centralização funcional
e promoveu a criação das carreiras da administração pública de alto
nível.

52. (CESPE – MDS / TÉCNICO ADM - 2006) O Decreto-lei n.º 200/1967


instituiu maior flexibilidade administrativa para todos os órgãos da
administração pública, reduzindo a rigidez burocrática imposta pelas
reformas do DASP.

53. (CESPE – AGU - AGENTE ADM. – 2010) A reforma administrativa


instituída pelo Decreto-lei n.o 200/1967 distinguiu claramente a
administração direta e a administração indireta no que se refere às
áreas de compras e execução orçamentária, padronizando-as e

www.estrategiaconcursos.com.br Página 98 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

normatizando-as de acordo com o princípio fundamental da


descentralização.

54. (CESPE – TCE-AC / ACE - 2008) A Constituição Federal de 1988 acabou


com a rigidez burocrática e possibilitou a adoção de técnicas modernas
da administração gerencial, como a instauração do regime jurídico
único para os servidores públicos federais.

55. (CESPE – TRE-MA / ANAL JUD – 2005) Com a Constituição de 1988,


ocorreu a descentralização de recursos orçamentários e da execução
dos serviços públicos para estados e municípios.

56. (CESPE – MCT / ANALISTA PLENO - 2004) Instituído durante o governo


Collor pela Lei n.º 8.112/1990, o Regime Jurídico dos Servidores
Públicos Civis da União choca-se com os ideais ortodoxos expressos na
Constituição de 1988.

57. (CESPE – STM / ANAL JUD – 2004) O foco das ações do governo Collor
concentrou-se no projeto de centralização da gestão dos serviços
públicos.

58. (CESPE – AGU - AGENTE ADM. – 2010) Executado ao longo de toda a


década passada, o Plano Diretor de Reforma do Aparelho do Estado
previu não ser possível promover de imediato a mudança da cultura
administrativa e a reforma da dimensão-gestão do Estado ao mesmo
tempo em que se providencia a mudança do sistema legal.

59. (CESPE- MDS / TECNICO SUPERIOR - 2006) A reforma administrativa


empreendida pelo DASP, na década de 30 do século passado, foi
inovadora por não estar alinhada aos princípios da administração
científica presentes na literatura mundial da época.

60. (CESPE – MCT / ANALISTA C&T - 2004) As denominadas atividades


exclusivas de estado, conforme definidas no Plano Diretor da Reforma
do Aparelho do Estado, deveriam ser exercidas por órgãos da
administração direta.

61. (CESPE – MCT / ANALISTA - 2004) O Plano Diretor da Reforma do


Aparelho do Estado, documento referencial da proposta de
modernização da gestão pública do governo Fernando Henrique
Cardoso, preconizava separação entre o núcleo estratégico formulador

www.estrategiaconcursos.com.br Página 99 de
155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

de políticas, que deveria permanecer estatal, e atividades periféricas,


que deveriam ser privatizadas.

62. (CESPE – MPOG – ANALISTA – 2015) O controle interno deriva do


poder de autotutela que a administração tem sobre seus próprios atos
e agentes.

63. (CESPE – MPOG – ANALISTA – 2015) O controle interno pode ser


definido como o exercido no âmbito do mesmo Poder, ainda que por
órgão diverso daquele que sofra a correição.

(CESPE - TRE-GO – ANALISTA – 2015) Um candidato a deputado


estadual ajuizou ação pleiteando a anulação de decisão administrativa
que desaprovou suas contas como prefeito. O órgão indicado como réu
na ação considerou irregular a delegação de permissão de serviço
público com base em tomada de preços. O candidato autor da ação
apontou suposto excesso de poder e nulidades na decisão.
64. A situação em apreço é essencialmente de controle externo, pois o
dever de prestar contas no âmbito interno limita-se a aspectos
financeiros da utilização do dinheiro público.

65. (CESPE - DPE-PE – DEFENSOR PÚBLICO – 2015) Por ser um órgão


constitucional autônomo, a Defensoria Pública não está sujeita a
controle interno de suas funções administrativas.

66. (CESPE – MPU – ANALISTA – 2015) Compete ao Poder Judiciário, como


mecanismo de controle judicial, sustar, de ofício, os atos normativos do
Poder Executivo que exorbitem do poder regulamentar.

67. (CESPE - DPE-RN – DEFENSOR PÚBLICO – 2015) Tendo em vista que,


relativamente aos mecanismos de controle da administração pública, a
própria CF dispõe que os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário
manterão, integradamente, sistemas de controle interno em suas
respectivas esferas, assinale a opção que apresenta exemplo de meio
de controle interno da administração pública.
a) Fiscalização realizada por órgão de controladoria da União sobre a
execução de determinado programa de governo no âmbito da
administração pública federal.
b) Controle do Poder Judiciário sobre os atos do Poder Executivo em
ações judiciais.
c) Sustação, pelo Congresso Nacional, de atos do Poder Executivo que
exorbitem do poder regulamentar.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 100 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

d) Julgamento das contas dos administradores e dos demais


responsáveis por dinheiro, bens e valores públicos da administração
direta e indireta realizado pelos TCs.
e) Ação popular proposta por cidadão visando à anulação de
determinado ato praticado pelo Poder Executivo municipal, considerado
lesivo ao patrimônio público.

68. (CESPE - TRE-MT – ANALISTA – 2015) Com relação às formas de


controle da administração pública, assinale a opção correta.
a) A possibilidade de criação de comissões parlamentares de inquérito
constitui exemplo de controle legislativo da administração pública,
permitindo que a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, de forma
autônoma ou em conjunto, investiguem condutas e apliquem
penalidades aos responsáveis por atos ilegais.
b) O recurso administrativo pode ser considerado um mecanismo de
controle interno, por possibilitar à própria administração a revisão de
seus atos, com o objetivo de atender ao interesse público e garantir a
observância do princípio da legalidade.
c) O controle dos atos administrativos realizado pela administração
pública denomina-se tutela administrativa e possibilita que o próprio
ente que produziu o ato avalie sua legalidade, de ofício ou após
provocação.
d) O controle externo pode ser conceituado como aquele realizado por
autoridade administrativa superior, em grau de recurso hierárquico ou
de revisão de ofício do ato administrativo.
e) O controle judicial do ato administrativo não pode avaliar o mérito
administrativo, ou seja, não pode reavaliar as condições de fato
utilizadas como fundamento para a prática do ato administrativo.

69. (CESPE - TRE-GO – ANALISTA – 2015) Conforme a doutrina dos checks


and balances, a preservação do equilíbrio das instituições
democráticas, inclui-se entre os objetivos do controle administrativo.

70. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA – 2014) No Brasil, o


Poder Executivo exerce a função jurisdicional de forma atípica quando
julga seus próprios servidores por infrações cometidas no exercício do
cargo. Esse exercício é possível graças ao sistema de pesos e
contrapesos adotado no país.

71. (CESPE – CD – ANAISTA LEGISLATIVO – 2014) O controle pode ser


classificado como executivo ou legislativo, a depender do órgão que o
exerça.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 101 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

72. (CESPE – CD – ANALISTA LEGISLATIVO – 2014) O controle interno


poderá ser realizado previamente, concomitante e subsequentemente
aos atos administrativos, a fim de evitar o desperdício dos recursos e o
uso indevido de recursos e bens públicos.

73. (CESPE – CD – ANALISTA LEGISLATIVO – 2014) O controle exercido


pela corregedoria do tribunal de justiça de um estado sobre os atos
praticados por serventuários da justiça é classificado, quanto à
natureza do controlador e à extensão, como controle administrativo e
interno.

74. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA – 2014) Havendo


suspeita de desvio de verbas em projeto realizado por determinada
sociedade de economia mista, essa sociedade estará sujeita à
supervisão ministerial, embora seja pessoa jurídica de direito privado.

75. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA – 2014) O controle


legislativo, prerrogativa atribuída ao Poder Legislativo para fiscalizar a
administração pública, não incide sobre os atos praticados pelo Poder
Judiciário, dada a previsão constitucional de autonomia financeira
desse poder.

76. (CESPE – TRT/RN – ANALISTA – 2010) O Tribunal de Contas da União,


órgão ao qual incumbe a prática de atos de natureza administrativa
concernentes à fiscalização contábil, financeira, orçamentária,
operacional e patrimonial da União, é subordinado ao Poder Legislativo,
do qual é órgão auxiliar e de orientação.

77. (CESPE – FUB – SECRETÁRIO EXECUTIVO – 2011) O controle interno


da administração pública é realizado pelo Poder Judiciário, com o apoio
do Poder Legislativo; o controle externo está a cargo da Controladoria
Geral da República.

78. (CESPE – TRE-PR – ANALISTA – 2009) O Tribunal de Contas da União,


mesmo como órgão integrante da estrutura da administração pública
direta, tem competência para deixar de aplicar uma lei que entenda ser
inconstitucional.

79. (CESPE - TCE-RO – TODOS OS CARGOS – 2013) O Poder Judiciário


não pode apreciar de ofício a validade de um ato administrativo.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 102 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

80. (CESPE - ANTAQ - TÉCNICO – 2014) O controle administrativo exercido


com base na hierarquia denomina-se supervisão ministerial.

81. (CESPE - ANTAQ – TÉCNICO - 2014) A análise da prestação de contas


de uma autarquia federal pelo Tribunal de Contas da União é exemplo
de controle posterior e externo.

82. (CESPE – EBC – ANALISTA – 2011) O controle social refere-se ao


controle da sociedade, ou de setores organizados da sociedade, sobre
as ações do Poder Judiciário, conforme previsto na Constituição
Federal.

83. (CESPE – TRE-PI – ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) O uso de


tecnologias da informação, que possibilita a elevação da eficiência
administrativa e a melhoria tanto dos serviços internos como daqueles
prestados ao cidadão, deu origem ao chamado governo eletrônico.

84. (CESPE – TRE-PI – ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) As ações do


governo eletrônico, relacionadas especialmente ao e-governança, e-
democracia e e-governo, embora favoreçam a transparência, limitam a
participação do cidadão e o fortalecimento da cidadania.

85. (CESPE – TRE-PI – ANALISTA – 2016 - ADAPTADA) O uso de


tecnologias da informação e comunicação, especialmente após a
ampliação do acesso à Internet, dificulta a transparência da
administração pública devido ao excesso de informações cuja
avaliação, em termos de veracidade, depende de conhecimentos
técnicos.

86. (CESPE – MEC – WEBDESIGN – 2015) A política de governo eletrônico


brasileira (e-GOV) segue um conjunto de diretrizes que atuam em três
frentes. 1-junto ao cidadão; 2-na melhoria da gestão interna; e 3-na
integração com parceiros e fornecedores.

87. (CESPE – CADE – ANALISTA TÉCNICO – 2014) Vinculado apenas às


tecnologias da informação, o governo eletrônico permite o controle e o
acompanhamento dos atos de governo.

88. (CESPE – SUFRAMA – ANALISTA TÉCNICO – 2014) A adoção do


governo eletrônico no Brasil é resultado das transformações do papel
do Estado e da busca por mecanismos de transparência e controle
social.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 103 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

89. (CESPE – TCU – ACE – 2013) O governo eletrônico associa-se ao


conceito de accountability, por proporcionar transparência aos atos do
governo e publicidade às informações governamentais.

90. (CESPE – TCU – ACE – 2013) Participação cidadã, melhoria do


gerenciamento interno do Estado e integração com parceiros e
fornecedores são pressupostos que fundamentam as ações do
programa de governo eletrônico.

91. (CESPE – ANAC – ANALISTA – 2012) Os avanços tecnológicos têm


gerado ferramentas mais acessíveis que incentivam o controle social e
demandam novos aplicativos, no âmbito do governo eletrônico.

92. (CESPE –STM – ANALISTA - 2011) As iniciativas de e-gov (governo


eletrônico) têm se mostrado insuficientes no que se refere ao
fornecimento de acesso de maior qualidade às informações e serviços
públicos à população.

93. (CESPE –CORREIOS – ANALISTA - 2011) O modelo de acessibilidade de


governo eletrônico (e-MAG) consiste em um conjunto de
recomendações a ser considerado no desenvolvimento de portais e
sítios eletrônicos da administração pública, a fim de garantir, a pessoas
com necessidades especiais, o pleno acesso aos conteúdos disponíveis.

94. (CESPE –TCU – ANALISTA - 2011) O governo eletrônico provoca uma


integração daqueles que possuem mais recursos, deixando de fora
parte considerável da população.

95. (CESPE –TRE-MA – ANALISTA - 2009) O aumento das tecnologias de


informação no setor público tem gerado maior nível de burocratização
dos serviços de gestão governamental, pois demanda atualizações
frequentes dos dados daquelas organizações que lidam com o governo
(ADAPTADA).

96. (CESPE –TRE-MA – ANALISTA - 2009) O uso das tecnologias de


informação e comunicação promove avanços significativos na gestão da
informação pelo serviço público, o que possibilita a redução dos custos,
o aperfeiçoamento dos processos e a capacitação para prestar serviços
e informações de melhor qualidade, promovendo a transparência das
ações governamentais (ADAPTADA).

www.estrategiaconcursos.com.br Página 104 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

97. (CESPE –TRE-MA – ANALISTA - 2009) Ainda que a rede do governo


ofereça acesso a informações sobre as políticas, os projetos e as ações
governamentais, bem como sobre a tramitação de demandas dirigidas
aos órgãos públicos ou de interesse do cidadão, falta a ela a integração
necessária com os sistemas administrativos informatizados dos
variados órgãos, limitando o acesso dos cidadãos às informações,
principalmente quanto aos gastos governamentais (ADAPTADA).

98. (CESPE –TRE-MA – ANALISTA - 2009) Os avanços na tecnologia da


informação produzem profundos impactos na administração pública.
Apesar de a reforma gerencial proporcionar mais informações e melhor
qualidade aos dirigentes públicos, a transparência pública não contribui
para garantir caráter mais democrático e orientado para a consolidação
da cidadania (ADAPTADA).

99. (CESPE – SENADO – CONSULTOR - 2002) A implementação do governo


eletrônico envolve a aplicação maciça de tecnologia da informação,
visando a otimização de processos de trabalho.

100. (CESPE – SENADO – CONSULTOR - 2002) A implementação do governo


eletrônico envolve a diminuição da exclusão digital, mediante a
promoção de uma cultura de utilização e popularização do acesso às
tecnologias informacionais a segmentos específicos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 105 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

35. E 69. E
1. E
36. E 70. E
2. E
37. E 71. E
3. C
38. C 72. C
4. C
39. C 73. C
5. E
40. C 74. C
6. E
41. E 75. E
7. E
42. E 76. E
8. E
43. C 77. E
9. C
44. E 78. C
10. E
45. E 79. C
11. E
46. C 80. E
12. E
47. E 81. C
13. E
48. C 82. E
14. C
49. C 83. C
15. E
50. E 84. E
16. C
51. E 85. E
17. E
52. E 86. C
18. C
53. E 87. E
19. E
54. E 88. C
20. E
55. C 89. C
21. E
56. E 90. C
22. C
57. E 91. C
23. E
58. E 92. E
24. E
59. E 93. C
25. E
60. E 94. E
26. C
61. E 95. E
27. C
62. C 96. C
28. E
63. C 97. E
29. C
64. E 98. E
30. C
65. E 99. C
31. C
66. E 100. C
32. C
67. A
33. E
68. B
34. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 106 de


155
APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO


PÚBLICA. MUDANÇAS INSTITUCIONAIS: CONSELHOS,
ORGANIZAÇÕES SOCIAIS, ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE
CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP), AGÊNCIA
REGULADORA, AGÊNCIA EXECUTIVA. TRANSPARÊNCIA. LAI.
COMPRAS GOVERNAMENTAIS

1. (CESPE – STJ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2015) É defesa aos


Poderes Judiciário e Legislativo a criação de entidades da administração
indireta, como autarquias e fundações públicas.

2. (CESPE – FUB – ADMINISTRADOR – 2015) As empresas públicas e


sociedades de economia mista, que possuem personalidade jurídica de
direito privado, estão desobrigadas de se submeter ao regime da Lei nº
8.666/1993.

3. (CESPE – STJ – ANALISTA – 2015) O simples fato de o poder público


passar a deter a maioria do capital social de uma empresa privada a
transforma em sociedade de economia mista, independentemente de
autorização legal.

4. (CESPE – AGU – AGU – 2015) Em consonância com o entendimento do


STF, os serviços sociais autônomos estão sujeitos ao controle finalístico
do TCU no que se refere à aplicação de recursos públicos recebidos.

5. (CESPE - TCE-RN – AUDITOR – 2015) Determinada organização da


sociedade civil de interesse público (OSCIP), escolhida pela prefeitura
de certa cidade para a prestação de serviços em centro educacional,
atrasou por dois meses os salários de seus empregados. Desconfiados
de que as demais verbas trabalhistas não estavam sendo recolhidas, os
empregados consultaram a Caixa Econômica Federal e o INSS e
certificaram-se de que a organização não realizava os depósitos havia
vários meses. A OSCIP, alegando que os repasses da prefeitura não
estavam sendo realizados, deu aviso prévio aos empregados, mas não
lhes pagou nenhuma verba trabalhista. Em decorrência, a prefeitura foi
chamada a se responsabilizar pelo pagamento das verbas, visto que,
segundo a defesa dos empregados, teria negligenciado sua função de
fiscalização da OSCIP.
A qualificação de OSCIP, a exemplo da entidade em questão, é
destinada a pessoas jurídicas de direito privado com fins lucrativos,

www.estrategiaconcursos.com.br Página 107 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

habilitando-as a receberem delegação estatal para o desempenho de


serviços sociais não exclusivos do Estado mediante incentivo do poder
público e fiscalização deste.

6. (CESPE – STJ – ANALISTA – 2015) O princípio da especialidade na


administração indireta impõe a necessidade de que conste, na lei de
criação da entidade, a atividade a ser exercida de modo
descentralizado.

7. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) O poder


normativo das agências reguladoras, cujo objetivo é atender à
necessidade crescente de normatividade baseada em questões técnicas
com mínima influência política, deve estar amparado em fundamento
legal.

8. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) As decisões


das agências reguladoras federais estão sujeitas à revisão ministerial,
inclusive por meio de recurso hierárquico impróprio.

9. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) Dada a


importância da ANTAQ como autoridade administrativa independente
das atividades portuárias e de transporte aquaviário, ela figura entre as
três primeiras agências criadas com assento constitucional, ao lado da
Agência Nacional do Petróleo (ANP) e da Agência Nacional de
Telecomunicações (ANATEL).

10. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) A criação das


agências reguladoras advém da política econômica adotada no Brasil na
década de 90 do século XX, quando ocorreram privatizações
decorrentes do Plano Nacional de Desestatização.

11. (CESPE - ANTAQ – TÉCNICO EM REGULAÇÃO – 2014) A função


normativa das agências reguladoras se equipara à função regulamentar
do chefe do Poder Executivo de complementação das leis.

12. (CESPE - ANTAQ – TÉCNICO EM REGULAÇÃO – 2014) As agências


reguladoras exercem função normativa primária, observadas as
normas hierarquicamente superiores.

13. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) Os órgãos


administrativos são pessoas jurídicas de direito público que compõem
tanto a administração pública direta quanto a indireta.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 108 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

14. (CESPE - ANATEL – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) No Brasil, as


agências reguladoras, assim como o Banco Central, são dotadas de
autonomia operacional e independência em relação aos poderes do
Estado.

15. (CESPE - ANATEL – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) As agências


reguladoras no Brasil foram criadas no governo Collor como
instrumentos do Poder Executivo para minimizarem os problemas
econômicos relacionados à prestação dos serviços públicos.

16. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) As entidades


que compõem o serviço social autônomo prestam serviço público e, por
isso, integram a administração pública indireta, estando sujeitas ao
controle do tribunal de contas.

17. (CESPE - ANTAQ - TÉCNICO – 2014) Para a criação de entidades da


administração indireta, como sociedades de economia mista, empresas
públicas e organizações sociais, é necessária a edição de lei formal pelo
Poder Legislativo.

18. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA LEGISLATIVO –


2014) Autarquias são entidades criadas para desenvolver atividades
que não exijam execução por órgãos portadores de natureza jurídica de
direito público.

19. (CESPE - TJ-DF – JUIZ – 2014) No que diz respeito ao terceiro setor,
assinale a opção correta à luz da doutrina, da legislação de regência e
da jurisprudência do STF acerca da matéria.
a) Os serviços sociais autônomos, embora não integrem a
administração pública, se sujeitam à obrigatoriedade de realização de
concurso público para a contratação de pessoal.
b) O DF pode dispensar a realização de licitação para a celebração de
contrato de prestação de serviços com organização social, assim
qualificada por meio de contrato de gestão celebrado com município de
estado da Federação.
c) Os serviços sociais autônomos, tais como SESI e SENAI, ainda que
de âmbito nacional, sujeitam-se à jurisdição da justiça estadual.
d) Devido à competência exclusiva da União para legislar sobre normas
gerais de contratação, será inválida lei distrital que regulamente, no
âmbito do DF, a qualificação de organização social, dado o caráter
nacional da Lei n.º 9.637/1998.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 109 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

e) As instituições religiosas podem qualificar-se como OSCIPs, desde


que não tenham fins lucrativos e os respectivos objetivos sociais e
normas estatutárias atendam aos requisitos instituídos por lei.

20. (CESPE - MTE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) As empresas


públicas são entidades integrantes do quadro da administração direta
dotadas de personalidade jurídica própria.

21. (CESPE – CAIXA – NÍVEL SUPERIOR – 2014) Sendo o capital social das
empresas públicas integralmente público, a personalidade jurídica
dessas empresas é de direito público.

22. (CESPE - SUFRAMA – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Considerando


que a SUFRAMA, autarquia vinculada ao Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pretenda contratar
serviços de consultoria para auxiliar na elaboração do Plano Diretor
Plurienal da ZFM, julgue o item a seguir:
Sendo uma autarquia, a SUFRAMA não é obrigada a realizar prévio
procedimento de licitação para contratar o serviço.

23. (CESPE - SUFRAMA – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Empresa


pública e sociedade de economia mista são entidades da administração
indireta com personalidade jurídica de direito privado.

24. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) O Serviço Social do Comércio,


exemplo de entidade de direito privado que atua em colaboração com o
Estado, apesar de ter sido criado por lei, não integra a administração
indireta.

25. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) Os municípios, assim como os


estados-membros, poderão ter sua administração indireta, em razão da
autonomia a eles conferida pela CF.

26. (CESPE - TC-DF – TÉCNICO – 2014) Ao contrário das empresas


públicas, em que o regime de pessoal é híbrido, sendo permitida a
vinculação de agentes tanto sob o regime celetista quanto sob o
estatutário, nas sociedades de economia mista, o vínculo jurídico que
se firma é exclusivamente contratual, sob a égide da Consolidação das
Leis do Trabalho.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 110 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

27. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) Em virtude do princípio da reserva


legal, a criação dos entes integrantes da administração indireta
depende de lei específica.

28. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA LEGISLATIVO –


2014) As autarquias só podem ser criadas por lei.

29. (CESPE - MTE - CONTADOR – 2014) As OSCIPs podem cooperar com o


poder público prestando serviços intermediários de apoio a
organizações sem fins lucrativos e a órgãos da administração pública
que atuem em áreas similares àquelas em que desenvolvem suas
atividades, sendo-lhes vedado executar diretamente projetos,
programas e planos de ação.

30. (CESPE - PGE-BA - PROCURADOR – 2014) Desde que presentes a


relevância e urgência da matéria, a criação da autarquia pode ser
autorizada por medida provisória, devendo, nesse caso, ser
providenciado o registro do ato constitutivo na junta comercial
competente.

31. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – AGENTE – 2014) O cargo de dirigente


de empresa pública e de sociedade de economia mista é regido pela
Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

32. (CESPE - TJ-SE – TÉCNICO – 2014) As empresas públicas se


diferenciam das sociedades de economia mista, entre outros fatores,
pela forma jurídica e de constituição de seu capital social.

33. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) Existem órgãos da administração


direta atuando na administração federal, estadual e municipal.

34. (CESPE - MEC – TODOS OS CARGOS – 2014) No âmbito federal, as


autarquias são entes da administração indireta dotados de
personalidade jurídica própria e criados por lei para executar atividades
típicas da administração. Essas entidades sujeitam-se à supervisão
ministerial, mas não se subordinam hierarquicamente ao ministério
correspondente.

35. (CESPE - ANTAQ - TÉCNICO – 2014) As entidades administrativas,


como as autarquias, são pessoas jurídicas de direito público interno,
detentoras de autonomia política e financeira e de autorregulação.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 111 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

36. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) Embora as


autarquias não estejam hierarquicamente subordinadas à
administração pública direta, seus bens são impenhoráveis e seus
servidores estão sujeitos à vedação de acumulação de cargos e funções
públicas.

37. (CESPE - ICMBIO - TÉCNICO – 2014) As autarquias integram a


administração indireta e, por isso, não possuem patrimônio.

38. (CESPE - MEC – TODOS OS CARGOS – 2014) No âmbito federal, as


autarquias são entes da administração indireta dotados de
personalidade jurídica própria e criados por lei para executar atividades
típicas da administração. Essas entidades sujeitam-se à supervisão
ministerial, mas não se subordinam hierarquicamente ao ministério
correspondente.

39. (CESPE - TJ-DF – TITULAR DE SERVIÇOS DE NOTAS E REGISTROS –


2014) No que se refere à administração pública, assinale a opção
correta.
a) Consoante o entendimento do STF, encontra fundamento
constitucional a exigência legal de aprovação legislativa prévia para a
exoneração de ocupante do cargo de presidente de autarquia.
b) Por não se submeterem ao regime jurídico de direito público, as
sociedades de economia mista exploradoras de atividade econômica
estão dispensadas da realização de concurso público para a admissão
de pessoal.
c) Não se aplica às empresas públicas prestadoras de serviço público a
responsabilidade civil objetiva pelos danos que seus agentes, nessa
qualidade, causarem a terceiros.
d) A descentralização administrativa por meio de delegação de serviço
público pode ocorrer por meio de contrato e pressupõe relação de
hierarquia.
e) As entidades paraestatais, entes privados que não integram a
administração pública direta e indireta, colaboram com o Estado no
desempenho de atividades de interesse público, sem finalidade
lucrativa, como os serviços sociais autônomos.

40. (CESPE - TJ-CE – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2014) A respeito de


organização administrativa, assinale a opção correta.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 112 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

a) As organizações sociais são pessoas jurídicas de direito público que


celebram contrato de gestão com o poder público para a prestação de
serviços públicos de natureza social.
b) São consideradas agências executivas as autarquias, fundações,
empresas públicas e sociedades de economia mista que apresentam
regime jurídico especial que lhes concede maior autonomia em relação
ao ente federativo que as criou.
c) Os consórcios públicos sob o regime jurídico de direito público são
associações públicas sem personalidade jurídica criadas para a gestão
associada de serviços públicos de interesse de mais de um ente
federativo.
d) Tratando-se de órgão público, a competência é irrenunciável e
intransferível.
e) As autarquias são entidades criadas pelos entes federativos para a
execução atividades que requeiram gestão administrativa e financeira
descentralizada, porém, o ente federativo continuará titular do serviço,
sendo responsável, dessa forma, pelos atos praticados pela autarquia.

41. (CESPE - MEC – TODOS OS CARGOS – 2014) Ao consórcio público — é


vedado firmar convênios, contratos e acordos de qualquer natureza,
receber auxílios, contribuições e subvenções sociais ou econômicas de
outras entidades e órgãos do governo.

42. (CESPE - MTE - CONTADOR – 2014) Os consórcios públicos são


constituídos por meio de ato editado pelo chefe do Poder Executivo dos
entes federativos consorciados.

43. (CESPE - MTE - CONTADOR – 2014) A retirada de um dos entes


federativos que integra um consórcio público desconstitui todo esse
consórcio e implica a extinção das obrigações já constituídas, como os
contratos de programa.

44. (CESPE - TRT - 10ª REGIÃO – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2013) As


autarquias federais detêm autonomia administrativa relativa, estando
subordinadas aos respectivos ministérios de sua área de atuação.

45. (CESPE - TRT - 10ª REGIÃO – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2013) As


empresas públicas devem ser constituídas obrigatoriamente sob a
forma de sociedade anônima.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 113 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

46. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA LEGISLATIVO -


2012) O início da personalidade jurídica de uma autarquia coincide com
o registro de seu estatuto no cartório competente.

47. (CESPE - TCE-ES – AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA


GOVERNAMENTAL – 2012) O regime jurídico a que se sujeitam as
empresas públicas e as sociedades de economia mista é de natureza
híbrida.

48. (CESPE - PRF – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2012) São exemplos de


prerrogativas estatais estendidas às autarquias a imunidade tributária
recíproca e os privilégios processuais da Fazenda Pública.

49. (CESPE - TJ-AC – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2012) A empresa pública


criada com a finalidade de explorar atividade econômica deve ser,
necessariamente, formada sob o regime de pessoa jurídica de direito
privado.

50. (CESPE - ANAC – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2012) A


desconcentração administrativa consiste na distribuição interna de
competências, no âmbito de uma mesma pessoa jurídica; a
descentralização administrativa pressupõe a distribuição de
competência para outra pessoa, física ou jurídica.

51. (CESPE - TCU – TÉCNICO – 2012) Não se admite a criação de


fundações públicas para a exploração de atividade econômica.

52. (CESPE – TRE-BA - ANALISTA – 2010) Os contratos de gestão são


instrumentos modernos que possibilitam maior autonomia em algumas
agências do governo.

53. (CESPE - TCU - ACE - 2008) A qualificação como organização da


sociedade civil de interesse público (OSCIP), atribuível às pessoas
jurídicas de direito privado, requer que tais organizações não tenham
fins lucrativos ou que, tendo-os, elas não distribuam os resultados aos
seus dirigentes e os apliquem preferencialmente na consecução do
respectivo objeto social.

54. (CESPE – TJ-DF - ANALISTA - 2008) O uso indiscriminado da expressão


terceiro setor acabou por tornar o conceito demasiadamente
abrangente, fazendo que nele se possam enquadrar todos os modelos

www.estrategiaconcursos.com.br Página 114 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

de entidades que não se incluam no conceito do primeiro setor, o


Estado, e do segundo setor, o mercado.

55. (CESPE - TCU - ACE - 2009) As entidades do Sistema S (SESI, SESC,


SENAI etc.), conforme entendimento do TCU, não se submetem aos
estritos termos da Lei n.º 8.666/1993, mas sim a regulamentos
próprios.

56. (CESPE - TCU - ACE - 2008) A organização social, que integra as


chamadas entidades paraestatais, insere-se na concepção
administrativa fundada no conceito de Estado mínimo, segundo o qual
a saúde não é considerada atividade típica de Estado.

57. (CESPE - TCU - ACE - 2008) Os diretores das agências reguladoras


serão escolhidos pelo presidente da República, mas essa escolha deve
ser aprovada, por meio de voto secreto, após arguição pública, pelo
Senado Federal.

58. (CESPE – TJ-DF - ANALISTA - 2008) Embora seja possível identificar


dissenso na doutrina acerca das características das entidades do
terceiro setor, são comumente apontadas como diferenciais das
entidades que o compõem a natureza privada, a ausência de finalidade
lucrativa, a autoadministração, a institucionalização e o fato de serem
voluntárias.

59. (CESPE – TJ-DF - ANALISTA - 2008) Ao termo publicização do terceiro


setor podem ser atribuídos pelo menos dois sentidos. Um é o que se
refere à prestação de serviços de interesse público por entidades
componentes do terceiro setor, com o apoio do Estado. O segundo
refere-se à transformação de entidades públicas em entidades privadas
sem fins lucrativos.

60. (CESPE - ANATEL - ANALISTA - 2009) O mandato dos conselheiros e


dos diretores das agências reguladoras terá o prazo fixado na lei de
criação de cada agência.

61. (CESPE - ANATEL - ANALISTA - 2009) As agências reguladoras serão


dirigidas em regime de colegiado, por um conselho diretor ou diretoria
composta por conselheiros ou diretores, sendo um deles o seu
presidente, o diretor-geral ou diretor-presidente.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 115 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

62. (CESPE - ANATEL - ANALISTA - 2009) As agências reguladoras têm


caráter nacional, sendo vedado aos estados e ao Distrito Federal criar
suas próprias agências estaduais quando se tratar de serviço público,
por ausência de previsão constitucional.

63. (CESPE - MS - ANALISTA - 2010) Entidades paraestatais são pessoas


jurídicas de direito privado que colaboram com o Estado no
desempenho de atividades não lucrativas; elas não integram a
estrutura da administração pública.

64. (CESPE - ANATEL - ANALISTA - 2006) Três meses após ter tomado
posse para cumprir o seu mandato, um diretor da ANATEL foi
exonerado a pedido e, em razão de sua experiência no setor, foi
contratado, logo após a exoneração, para prestar consultoria a uma
empresa ligada ao setor de telecomunicações.
A esse ex-diretor não se aplica nenhum impedimento para prestação
de qualquer tipo de serviço a empresa integrante do setor regulado
pela agência.

65. (CESPE - MPU - TÉCNICO - 2010) Considere que Pedro, imediatamente


após o término de seu mandato como dirigente de agência reguladora,
tenha sido convidado a assumir cargo gerencial em empresa do setor
regulado pela agência onde cumprira o mandato. Nessa situação, Pedro
não poderá assumir imediatamente o novo cargo, devendo cumprir
quarentena.

66. (CESPE - MPU - ANALISTA - 2010) As agências executivas fazem parte


da administração direta, e as agências reguladoras integram a
administração pública indireta.

67. (CESPE – IBRAM - ADVOGADO - 2009) Se determinada associação,


com natureza de pessoa jurídica privada, sem fim lucrativo, que tinha
por objeto a proteção e a preservação do meio ambiente, firme
contrato de gestão com o poder público, por meio do qual passe a ser
qualificada como organização social, então, com essa qualificação, ela
poderá celebrar contratos de prestação de serviços com o poder
público, para desempenhar as atividades contempladas no contrato de
gestão, sem que haja necessidade de prévia licitação.

68. (CESPE – IBRAM - ADVOGADO - 2009) Uma autarquia pode ser


qualificada como agência executiva desde que estabeleça contrato de
gestão com o ministério supervisor e tenha também plano estratégico
de reestruturação e de desenvolvimento institucional em andamento.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 116 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

69. (CESPE - TCU - ACE - 2009) O Estado, quando celebra termo de


parceria com organizações da sociedade civil de interesse público
(OSCIPs), abre mão de serviço público, transferindo-o à iniciativa
privada.

70. (CESPE - ANATEL / ANALISTA - 2006) As organizações sociais podem


receber legalmente recursos orçamentários e bens públicos necessários
ao cumprimento do contrato de gestão.

71. (CESPE - ANATEL - ANALISTA - 2006) Segundo o plano diretor da


reforma do aparelho do Estado, o terceiro setor é entendido como
aquele de atuação simultânea do Estado e da sociedade civil na
execução de atividades de interesse público ou social não-exclusivas do
Estado. São entidades do terceiro setor, por exemplo, as autarquias
qualificadas como agências executivas, por meio de contrato de gestão,
após o qual estão autorizadas a executar atividades mais eficientes de
interesse público.

72. (CESPE – CGE-PI– AUDITOR – 2015) A transparência, referente à


possibilidade de acesso do cidadão às informações governamentais, é
um elemento essencial para o controle do aparelho do Estado pela
sociedade.

73. (CESPE – TJ-CE – TÉCNICO – 2014 - ADAPTADA) A transparência


consiste em um mecanismo de controle social que permite ao cidadão
avaliar a efetividade da administração pública.

74. (CESPE – SUFRAMA – ANALISTA TÉCNICO – 2014) Uma forma de


promover a transparência na administração pública consiste no
investimento e na profissionalização dos serviços públicos.

75. (CESPE – SUFRAMA – ANALISTA TÉCNICO – 2014) Em atendimento às


expectativas dos cidadãos quanto à eficiência do Estado, as compras
públicas se tornaram objeto de controle social.

76. (CESPE – EBC– TÉCNICO – 2011) A gestão pública moderna apresenta


um conceito importante de transparência, que faz referência à
possibilidade de o cidadão ter acesso às informações e ações do
governo e de intervir em caso de verificação de fatos e atos que
atentem contra os seus direitos.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 117 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

77. (CESPE –CORREIOS – ANALISTA - 2011) A prestação de contas é dever


do administrador público e de qualquer pessoa que seja responsável
por bens e valores públicos, a fim de que se atenda o interesse da
coletividade e, consequentemente, o bem comum.

78. (CESPE –EBC – ANALISTA - 2011) A adoção de sistema integrado de


administração financeira e de controle que atenda a padrão mínimo de
qualidade estabelecido pelo Poder Executivo da União é requisito
essencial para se assegurar a transparência da gestão fiscal nos
municípios.

79. (CESPE – INCA – ANALISTA – 2010) A transparência pública implica


maior publicidade das ações dos gestores públicos, no que tange ao
uso adequado dos recursos, maior concorrência entre os fornecedores
e legitimidade oriunda da participação da sociedade no processo
decisório.

80. (CESPE – MDS – TÉCNICO – 2006) O insulamento burocrático é um


fenômeno característico de administrações públicas com alto grau de
controle social

81. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) Critérios de sustentabilidade


ambiental devem ser observados no processo licitatório.

82. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) As modalidades de licitação


incluem a concorrência, a tomada de preços, o convite, o concurso, o
leilão e a seleção por melhor técnica e preço.

83. (CESPE - TRE-GO – ANALISTA – 2015) Determinado ente da


administração pública deseja realizar procedimento licitatório para a
contratação de serviços de segurança patrimonial armada para seu
edifício sede.
A contratação dos serviços pretendidos constitui forma descentralizada
de execução de serviços públicos, por delegação, na modalidade
terceirização.

84. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) Na modalidade convite,


empresas que não tenham sido convidadas pela administração não
poderão participar da licitação.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 118 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

85. (CESPE – MPU – ANALISTA – 2015) Se a administração pública


pretender vender bens móveis inservíveis, ela deverá fazê-lo mediante
leilão a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao valor da
avaliação dos bens em questão.

86. (CESPE - CGE-PI – AUDITOR GOVERNAMENTAL – 2015) A modalidade


de licitação por leilão pode ocorrer entre os interessados, previamente
cadastrados, que atendam aos requisitos exigidos para o
cadastramento até o terceiro dia anterior à data de recebimento das
propostas.

87. (CESPE - TRE-GO – TÉCNICO – 2015) Leilão é a modalidade de


licitação entre interessados devidamente cadastrados ou que
atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento até o
terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas, observada a
necessária qualificação.

88. (CESPE – FUB – ENGENHEIRO – 2015) As situações de emergência ou


de calamidade pública justificam a inexigibilidade da licitação.

89. (CESPE – MPU – ANALISTA – 2015) A contratação de serviços técnicos,


de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória
especialização, insere-se entre as hipóteses de licitação dispensável.

90. (CESPE – FUB – ENGENHEIRO – 2015) As situações de emergência ou


de calamidade pública justificam a inexigibilidade da licitação.

91. (CESPE – FUB – ENGENHEIRO – 2015) Dentro do contexto da Lei de


Licitações, o projeto básico é entendido como o conjunto de elementos
necessários suficientes e precisos, de forma a possibilitar a avaliação
do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de execução.

92. (CESPE - TJ-CE – TÉCNICO – 2014) Assinale a opção em que se


apresenta a ordem que caracteriza, respectivamente, as hipóteses de
contratação direta quando 1) há discricionariedade da administração
para que se decida realizar a contratação direta; 2) há hipóteses
exemplificativas de contratação direta; e 3) a contratação direta
decorre da inviabilidade de competição.
a) licitação inexigível; inexigível; e dispensável
b) licitação dispensável; inexigível; dispensável
c) licitação inexigível; dispensável; e dispensável

www.estrategiaconcursos.com.br Página 119 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

d) licitação dispensável; dispensável; e inexigível


e) licitação dispensável; inexigível; e inexigível

93. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – ADMINISTRADOR - 2014) A dispensa de


licitação é prevista em caso de inviabilidade de competição, situação
que permite à administração adjudicar diretamente o objeto do
contrato.

94. (CESPE – ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) O regime


diferenciado de contratações públicas não pode ser aplicado para obras
e serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde.

95. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) É inexigível a licitação para a


contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente ou
por intermédio de empresário exclusivo, desde que o referido
profissional seja consagrado pela crítica especializada ou pela opinião
pública.

96. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) Ao Poder Legislativo estadual é


permitida a criação de novas modalidades de licitação, conforme as
peculiaridades locais existentes.

97. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – AGENTE - 2014) Considere que


determinada pessoa jurídica de direito privado que administra um porto
brasileiro pretenda contratar o único escritório de advocacia
especializado em direito portuário no Brasil para promover ações
judiciais acerca dessa matéria. Nessa situação, é dispensável a
licitação.

98. (CESPE – ANTAQ – TÉCNICO – 2014) Nos casos de inexigibilidade de


licitação, ainda que seja possível a competição, a lei autoriza a não
realização de processo licitatório, com base em critérios de
oportunidade e conveniência.

99. (CESPE - INPI - ANALISTA – 2013) O sistema de registro de preços não


obriga a administração pública a firmar contrato com o particular
beneficiário do registro, mas lhe assegura o direito de preferência,
durante seu prazo de vigência.

100. (CESPE - INPI – ANALISTA - 2013) Concorrência e tomada de preços


são modalidades de licitação que garantem a universalidade de acesso,

www.estrategiaconcursos.com.br Página 120 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

pois delas podem participar quaisquer interessados que, na fase inicial


de habilitação preliminar, comprovem possuir os requisitos mínimos de
qualificação exigidos no edital.

101. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL - ESCRIVÃO – 2013) Haverá dispensa de


licitação nos casos em que houver fornecedor exclusivo de determinado
equipamento.

102. (CESPE – TRT/ES – TÉCNICO – 2013) A tomada de preços é a


modalidade de licitação adequada para serviços de engenharia, como
construção, cujos valores sejam entre R$ 150 mil e R$ 1.500.000,00.

103. (CESPE – BACEN – TÉCNICO – 2013) O sistema de registro de preços é


um procedimento realizado por uma ou mais entidades públicas para
futura contratação de bens e serviços por meio de licitação na
modalidade de concorrência ou pregão, em que as empresas
vencedoras se comprometem a fornecer bens e serviços a preços e
prazos registrados em ata específica.

104. (CESPE – BACEN – TÉCNICO – 2013) Em licitação, modalidade e tipo


são termos sinônimos e referem-se aos procedimentos mais utilizados
para o julgamento das propostas.

105. (CESPE - INPI - ANALISTA – 2013) A habilitação, como fase em que se


examina, no procedimento licitatório, a existência das condições que
garantem aos interessados o direito de participar da licitação, não tem
natureza vinculada, pois, além da análise dos requisitos constantes da
lei e do ato convocatório, a autoridade administrativa dispõe de
autonomia para avaliar a idoneidade e exigir quaisquer documentos
dos licitantes.

106. (CESPE - TCE-RO – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2013) É


inconstitucional considerar como fatores de averiguação da proposta
mais vantajosa os valores relativos a impostos pagos ao ente
federativo que realiza a licitação.

107. (CESPE - MCT – ANALISTA - 2012) A Lei n.º 12.462/2011 tem


incidência em âmbito nacional, atingindo todos os entes da Federação.

108. (CESPE – TJ/AL – ANALISTA – 2012) É característica do regime de


contratação integrada:

www.estrategiaconcursos.com.br Página 121 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

a) impossibilidade de execução de todas as etapas da obra pelo


contratado.
b) entrega de obra incompleta e sem condições de operação.
c) possibilidade de aditivos ao contrato na fase de projeto executivo.
d) possibilidade de remuneração variável vinculada ao desempenho da
contratada.
e) o fato de projeto básico e executivo serem objetos de licitações
distintas.

109. (CESPE – STJ – TÉCNICO – 2012) Melhor técnica e menor preço são
exemplos de modalidades de licitação.

110. (CESPE - TCU - TÉCNICO – 2012) Poderá o cidadão, mesmo não sendo
licitante, impugnar edital de licitação pública que não esteja em
conformidade com a lei.

111. (CESPE - ANATEL - ANALISTA – 2012) Caso a administração pública


necessite contratar um serviço que somente possa ser prestado por
determinada empresa, de modo que seja inviável a competição, deverá
haver dispensa de licitação.

112. (CESPE - IBAMA - TÉCNICO – 2012) No edital, são definidas as normas


do procedimento licitatório, com a determinação dos direitos e das
obrigações da administração e dos licitantes.

113. (CESPE - IBAMA – TÉCNICO – 2012) O tipo de licitação denominada


melhor técnica é empregado, exclusivamente, para serviços de
natureza predominantemente intelectual.

114. (CESPE - IBAMA – TÉCNICO – 2012) A modalidade de licitação


denominada pregão é obrigatória para a contratação de bens e serviços
comuns no âmbito federal e opcional para a contratação no âmbito
estadual e no municipal.

115. (CESPE - TCU - TÉCNICO – 2012) Por representarem exceção ao


princípio da licitação consagrado no texto constitucional, as hipóteses
de inexigibilidade de licitação previstas na Lei n.º 8.666/1993
configuram um elenco taxativo, e não meramente exemplificativo.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 122 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

116. (CESPE - TCU - ACE – 2011) O edital de processo de licitação para a


aquisição de material de consumo pode conter regra segundo a qual
seja beneficiada empresa que produza os materiais no Brasil.

117. (CESPE - TCU - ACE – 2011) O princípio da adjudicação obrigatória ao


vencedor é a garantia de que a administração pública celebrará o
contrato com o vencedor do certame.

118. (CESPE – ANEEL – TÉCNICO – 2010) O pregão constitui modalidade de


licitação para aquisição de serviços comuns, qualquer que seja o valor
estimado da contratação.

119. (CESPE – ANEEL – TÉCNICO – 2010) Convite, leilão, concurso e


compra direta são modalidades de licitações públicas.

120. (CESPE – TRT/RN – ANALISTA – 2010) É vedada a combinação das


modalidades de licitação previstas em lei, mas, nos casos em que
couber convite, a administração poderá utilizar a tomada de preços e,
em qualquer caso, a concorrência.

121. (CESPE – STJ – TÉCNICO – 2008) Menor preço e melhor técnica são
modalidades de licitação.

122. (CESPE - TJ-AL – JUIZ – 2008) Licitação entre interessados prévia e


devidamente cadastrados ou interessados que atendam a todas as
condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à
data do recebimento das propostas, observada a necessária
qualificação, enquadra-se na modalidade de:
a) tomada de preços.
b) convite.
c) concorrência.
d) pregão.
e) concurso.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 123 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

40. D 79. C
1. E
41. E 80. E
2. E
42. E 81. C
3. E
43. E 82. E
4. C
44. E 83. E
5. E
45. E 84. E
6. C
46. E 85. C
7. C
47. C 86. E
8. C
48. C 87. E
9. E
49. C 88. E
10. C
50. C 89. E
11. E
51. C 90. E
12. E
52. C 91. C
13. E
53. E 92. E
14. E
54. C 93. E
15. E
55. C 94. E
16. E
56. E 95. C
17. E
57. C 96. E
18. E
58. C 97. E
19. C
59. C 98. E
20. E
60. C 99. C
21. E
61. C 100. E
22. E
62. E 101. E
23. C
63. C 102. C
24. C
64. C 103. C
25. C
65. C 104. E
26. E
66. E 105. E
27. C
67. C 106. C
28. C
68. C 107. E
29. E
69. E 108. D
30. E
70. C 109. E
31. E
71. E 110. C
32. C
72. C 111. E
33. C
73. C 112. C
34. C
74. C 113. C
35. E
75. C 114. E
36. C
37. E 76. C 115. E
77. C 116. E
38. C
78. C 117. E
39. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 124 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

118. C 120. C 122. A


119. E 121. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 125 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

GOVERNABILIDADE, GOVERNANÇA E ACCOUNTABILITY.


ÉTICA NO EXERCÍCIO DA FUNÇÃO PÚBLICA. GESTÃO
PÚBLICA EMPREENDEDORA

1. (CESPE – SUFRAMA – ANALISTA TÉCNICO – 2014) Accountability se


refere às condições de um Estado para uso de sua autoridade política
na proposição de políticas públicas.

2. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) Atualmente, a avaliação de


desempenho na gestão pública está associada ao processo de
accountability.

3. (CESPE – TJ-CE – TÉCNICO – 2014 - ADAPTADA) Accountability refere-


se à capacidade de administração de um governo.

4. (CESPE - TC-DF - ACE – 2012) Mudanças na organização pública Alfa


estão sendo implementadas para propiciar o alcance de resultados,
seguindo modelos adotados por organizações privadas. A Alfa também
facilitará o acesso do cidadão aos seus atos, resultados, processos,
custos operacionais e administrativos por meio de portal na Internet, o
que elevará suas despesas com investimentos em TI.
Infere-se da situação apresentada que a Alfa está se alinhando com os
pressupostos de accountability.

5. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA – 2012) Tendo em


vista que o principal elemento comum aos regimes tidos
como democráticos é a realização de eleições periódicas e livres
para o governo, julgue o item a seguir, relativo à representação
política.
Os mecanismos de accountability vertical dificultam a fiscalização,
pelos representantes, dos atos dos representados.

6. (CESPE - TC-DF - ACE – 2012) O fato de o governador de uma unidade


federativa, incluso o DF, perder sua legitimidade democrática lhe
acarreta a perda da governança.

7. (CESPE – ANCINE – ANALISTA – 2012) Governança representa a


capacidade de um governo para formular e implementar suas decisões.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 126 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

8. (CESPE – TRE-ES – ANALISTA – 2011) No modelo gerencial, a


governança constitui importante ação governamental, visto que propõe
a ampliação do papel da sociedade civil organizada e a diminuição do
tamanho do Estado.

9. (CESPE - TCU - ACE – 2011) Governança trata do aperfeiçoamento dos


conflitos de interesses presentes em determinada sociedade quando se
trata de defender interesses.

10. (CESPE - TCU - ACE – 2011) Entre outros aspectos, a governança trata
das condições sistêmicas sob as quais se dá o exercício de poder em
determinada sociedade.

11. (CESPE - EBC – TÉCNICO – 2011) Governança e governabilidade são


conceitos distintos, contudo fortemente relacionados, até mesmo,
complementares. O primeiro refere-se às condições substantivas de
exercício do poder e de legitimidade do Estado; o segundo representa
os aspectos instrumentais do exercício do poder, ou seja, a capacidade
do Estado de formular e implementar políticas públicas

12. (CESPE - TCU - ACE - 2011) Processos de accountability, tanto política


quanto democrática, são formas escolhidas pelos governos eleitos para
estruturar o Poder Executivo.

13. (CESPE – TRE-BA – ANALISTA - 2010) O conceito de accountability


implica a transparência das ações e práticas governamentais que
passam a ter mais visibilidade e ser do conhecimento das pessoas em
geral, portanto, representa ferramenta de combate à corrupção.

14. (CESPE – ABIN – OFICIAL - 2010) A notícia institucional pode ser


utilizada como ferramenta para o exercício da accountability em
organizações públicas, privadas e do terceiro setor.

15. (CESPE – INCA – ANALISTA – 2010) Os mecanismos de accountability


vertical, baseados na liberdade de opinião e de associação, impõem a
necessidade da existência de instituições estatais e agências com poder
legal e para a realização de ações de supervisão de rotina até no
âmbito das sanções legais decorrentes de ações contra atos delituosos.

16. (CESPE – ABIN – OFICIAL – 2010) Denomina-se accountable a pessoa


ou instituição que assume a responsabilidade por decisões tomadas e

www.estrategiaconcursos.com.br Página 127 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

pelas consequências de suas ações e inações, mantendo a sua


integridade e resguardando a sua reputação.

17. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O modelo gerencial da


administração pública, que disseminou a adoção de práticas
estritamente privadas no setor público, mostrou-se incapaz de atender
a todas as demandas da sociedade. Das mudanças realizadas, ressalta-
se a preocupação com a chamada accountability, que reflete uma
evolução da ótica do usuário do serviço, de cliente/consumidor para
cidadão, e que se compatibiliza melhor com a descentralização dos
serviços públicos.

18. (CESPE – MPS - ADMINISTRADOR – 2010) O modelo gerencial da


administração pública, que disseminou a adoção de práticas
estritamente privadas no setor público, mostrou-se incapaz de atender
a todas as demandas da sociedade. Das mudanças realizadas, ressalta-
se a preocupação com a chamada accountability, que reflete uma
evolução da ótica do usuário do serviço, de cliente/consumidor para
cidadão, e que se compatibiliza melhor com a descentralização dos
serviços públicos.

19. (CESPE - INSS - TÉCNICO – 2008) Visando-se ao fortalecimento da


regulação coordenada pelo Estado, é importante reforçar a governança,
que diz respeito à maneira pela qual o poder é exercido no
gerenciamento dos recursos sociais e econômicos de um país, e que
engloba, desse modo, as técnicas de governo.

20. (CESPE – SERPRO / GESTÃO EMPRESARIAL – 2008) As demandas


recorrentes por políticas públicas são aquelas não resolvidas ou mal
resolvidas. Quando se acumulam sem uma solução satisfatória,
dependendo de sua duração e gravidade, podem levar a crises de
governabilidade que, no limite, chegam a provocar rupturas
institucionais.

21. (CESPE – SERPRO / GESTÃO EMPRESARIAL – 2008) As demandas


recorrentes por políticas públicas são aquelas não resolvidas ou mal
resolvidas. Quando se acumulam sem uma solução satisfatória,
dependendo de sua duração e gravidade, podem levar a crises de
governabilidade que, no limite, chegam a provocar rupturas
institucionais.

22. (CESPE – TCU / PLANEJAMENTO – 2008) A chamada accountability


horizontal implica a existência de agências e instituições estatais com

www.estrategiaconcursos.com.br Página 128 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

poder legal e efetivo para realizar ações de controle preventivo,


concomitante e a posteriori. Entre os diversos tipos, os denominados
controles externos — legislativos e judiciários — têm caráter
eminentemente técnico, e os internos — administrativos — têm caráter
eminentemente político.

23. (CESPE – TCU / PLANEJAMENTO – 2008) A governabilidade diz respeito


às condições sistêmicas e institucionais sob as quais se dá o exercício
do poder, tais como as características do sistema político, a forma de
governo, as relações entre os poderes e o sistema de intermediação de
interesses.

24. (CESPE – MDS / TÉCNICO – 2006) O termo governabilidade está


associado às condições políticas de gestão do Estado, enquanto
governança refere-se às condições administrativas de gestão do
aparelho estatal.

25. (CESPE - TCE-AC / ANALISTA - 2006) Aumentar a governança do


Estado significa aumentar sua capacidade administrativa de gerenciar
com efetividade e eficiência, voltando-se a ação dos serviços do Estado
para o atendimento ao cidadão.

26. (CESPE – MDS / TÉCNICO – 2006) O termo governabilidade está


associado às condições políticas de gestão do Estado, enquanto
governança refere-se às condições administrativas de gestão do
aparelho estatal.

27. (CESPE – TERRACAP – TÉCNICO -2004) Não se pode dizer que


accountability esteja relacionada com o processo de reforma do Estado
e com a responsabilização do servidor público.

28. (CESPE - ANTAQ – TODOS OS CARGOS – 2014) A ética é a ciência do


comportamento moral dos homens em sociedade.

29. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) A ética ocupa-se,


independentemente do contexto da ação, da melhor maneira de agir,
garantindo os melhores resultados por meio dos princípios que
sustentam uma justa ou correta atuação.

30. (CESPE – TCE-RN – ASSESSOR TÉCNICO JURÍDICO – 2015) De acordo


com a teoria contratualista, os conceitos éticos são extraídos das

www.estrategiaconcursos.com.br Página 129 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

regras morais que possam conduzir à perpetuação da sociedade, da


paz e da harmonia do grupo social.

31. (CESPE – TCE-RN – ASSESSOR TÉCNICO JURÍDICO – 2015) A ética é


um conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um
indivíduo, de um grupo social ou de uma sociedade.

32. (CESPE – DEPEN – CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – 2015) Uma equipe


que pretende ver seus colaboradores adquirindo novos valores éticos
deve considerar que a aprendizagem formal deve dar-se por meio das
relações humanas e não apenas pela chamada “natureza humana”
preexistente.

33. (CESPE – MPU – ANALISTA – 2015) Não atentará contra os deveres


fundamentais do servidor público, previstos no Decreto n.º
1.171/1994, o servidor público federal que, mesmo exercendo a sua
função com finalidade estranha ao interesse público, atue em
conformidade com as formalidades legais e não viole expressamente
disposições de lei.

34. (CESPE – MPU – ANALISTA – 2015) É vedado ao servidor público,


conforme o Decreto n.º 1.171/1994, retirar da repartição pública
qualquer documento pertencente ao patrimônio público, salvo se
estiver legalmente autorizado a fazê-lo.

35. (CESPE – DEPEN – CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – 2015) As decisões


tomadas por um servidor com base no código de ética profissional do
servidor público devem ser pautadas na legalidade, moralidade,
conveniência e oportunidade, ao passo que aspectos subjetivos da
personalidade dos indivíduos, como honestidade e desonestidade e o
bem e o mal, não são passíveis de apreciação.

36. (CESPE – DEPEN – CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – 2015) De acordo


com o Decreto nº 1.171/1994, a moralidade da administração pública
fundamenta-se na distinção entre o bem e o mal e na ideia de que o
fim é sempre o bem comum, devendo a conduta do servidor público
ater-se à busca do equilíbrio entre legalidade e finalidade.

37. (CESPE – DEPEN – CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – 2015) Bruno,


servidor público federal, teve de cumprir suas atividades diárias após o
horário do expediente devido ao fato de ter se prontificado, durante o
dia, a auxiliar um colega de outro setor em uma atividade de caráter

www.estrategiaconcursos.com.br Página 130 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

emergencial. Nessa situação, Bruno agiu em consonância com a


conduta ética que se espera do servidor público, já que, ao ter
auxiliado o colega e ainda ter finalizado suas atividades diárias depois
do expediente, ele fez mais do que sua função lhe exigia

38. (CESPE – DEPEN – CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – 2015) Lucas,


servidor público, por não ter conseguido finalizar o trabalho durante o
expediente, levou para casa livros e documentos relacionados a um
processo sigiloso que estava analisando. A fim de comunicar o fato a
seu superior, Lucas escreveu-lhe um bilhete informando o ocorrido.
Nessa situação, Lucas poderá sofrer penalidade administrativa, ainda
que sua intenção tenha sido a de terminar o trabalho em tempo hábil.

39. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) Os valores morais são


historicamente construídos pelas sociedades, como forma de organizar
a convivência e garantir, tanto quanto possível, o bem-estar do
indivíduo consigo mesmo e em suas relações com as outras pessoas.

40. (CESPE - DEPEN – AGENTE - 2013) A ética refere-se a um conjunto de


conhecimentos advindos da análise do comportamento humano e dos
valores morais, enquanto a moral tem por base as regras, a cultura e
os costumes seguidos ordinariamente pelo homem.

41. (CESPE – MTE – CONTADOR – 2014) A função pública, para todos os


efeitos, deve ser tida como exercício profissional, não se integrando à
vida particular do servidor público, o qual deve ser capaz de distinguir
entre seus interesses privados e o bem comum.

42. (CESPE – TEM – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Considere que


Edilson, presidente de uma autarquia federal, tenha recebido um
presente de entidade comercial privada que mantém relações com a
referida autarquia. Considere, ainda, que em função da impossibilidade
de devolução do presente, Edilson tenha determinado a incorporação
do presente ao patrimônio da autarquia. Nessa situação hipotética, não
foi infringida nenhuma resolução da Comissão de Ética Pública da
Presidência da República.

43. (CESPE - INPI – TODOS OS CARGOS – 2013) O equilíbrio entre o


objetivo e o orçamento previsto poderá consolidar a moralidade do ato
administrativo na conduta do servidor público.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 131 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

44. (CESPE - INPI – TODOS OS CARGOS – 2013) Entre os primados


maiores, que devem nortear o servidor público no exercício da função,
estão o decoro e a eficácia.

45. (CESPE - TJ-AC – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2012) A conduta do


servidor público, no exercício do cargo ou função, ou fora dele, deve
orientar-se por valores como dignidade, decoro, zelo, eficácia e
consciência dos princípios morais.

46. (CESPE – STM – ANALISTA – 2011) A ausência de publicidade nos atos


administrativos enseja, necessariamente, comprometimento ético.

47. (CESPE – STM – ANALISTA – 2011) Os integrantes da comissão de


ética deverão, durante o desempenho das atividades de membro da
comissão, se afastar do exercício de outras funções.

48. (CESPE – MTE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Considere que


Vagner, servidor do MTE, no final de semana, quando não trabalhava,
tenha feito circular mensagem de correio eletrônico que caluniava
Sílvia, colega de trabalho. Nessa situação, como a mensagem não
partiu do espaço de trabalho e foi feita fora do horário de serviço,
Vagner não cometeu atitude que fira o Código de Ética do MTE.

49. (CESPE – MTE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) O servidor público


tem o dever de demonstrar integridade de caráter, escolhendo a
melhor e mais vantajosa opção para o bem comum quando estiver
diante de uma diversidade de alternativas.

50. (CESPE – MTE – CONTADOR – 2014) O servidor público deve ser


assíduo e frequente em seu serviço, posto que suas ausências ou
atrasos causam prejuízos à ordem do trabalho, o que repercute,
negativamente, em todo o sistema no qual esteja inserido.

51. (CESPE - TJ-RR – NÍVEL SUPERIOR – 2012) O servidor público que age
contra a injustiça, ainda que em prejuízo próprio, demonstra um
comportamento ético.

52. (CESPE – MTE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) O servidor público


pode alterar o teor de documentos que deva encaminhar para
providências sempre que notar que a modificação colabora para o
melhor andamento do serviço.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 132 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

53. (CESPE - MMA – ANALISTA AMBIENTAL II – 2011) As disposições desse


código não se restringem à conduta do servidor público no âmbito do
local de trabalho e às funções precipuamente exercidas. Nesse código,
também constam, entre as vedações que compreende, as que dizem
respeito a servidor embriagar-se fora do serviço habitualmente e a
ligar seu nome a empreendimentos de cunho duvidoso.

54. (CESPE - IBAMA – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2012) É dever do


servidor público atuar em benefício da comunidade, sem levar em
conta interesses particulares, seus ou dos cidadãos.

55. (CESPE – MTE – AFT – 2013) De acordo com o Código de Ética


Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal, a
pena aplicável ao servidor público pela comissão de ética é pecuniária e
sua fundamentação deverá constar do respectivo parecer, assinado por
todos os integrantes da comissão, com ciência do faltoso.

56. (CESPE - ANATEL - ANALISTA – 2014) Toda ausência injustificada do


servidor de seu local de trabalho é fator de desmoralização do serviço
público, podendo conduzir à desordem nas relações humanas.

57. (CESPE - CADE – NÍVEL MÉDIO – 2014) A divulgação dos valores


insculpidos no Código de Ética é dever exclusivo da administração
pública, não havendo obrigação do servidor público de fazê-la.

58. (CESPE - CNJ - TÉCNICO – 2013) Estimular a observância do Código de


Ética do Serviço Público é um dever de todo e qualquer servidor
público.

59. (CESPE - CADE – NÍVEL MÉDIO – 2014) A deterioração de bem público


por descuido de servidor, embora seja socialmente condenável e
passível de punição administrativa, não constitui falta ética.

60. (CESPE - ANAC - TÉCNICO – 2012) É dever do servidor público zelar


pela economia do material e pela conservação do patrimônio público.

61. (CESPE - CADE – NÍVEL MÉDIO – 2014) De acordo com as regras


deontológicas estabelecidas no Código de Ética, a consolidação da
moralidade do ato administrativo ocorrerá a partir do equilíbrio entre a
legalidade e a finalidade.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 133 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

62. (CESPE – MTE – CONTADOR – 2014) Considere que Carlos, presidente


de uma autarquia federal, tenha participado de atividade de natureza
político-eleitoral quando resolveu expor publicamente suas divergências
com Vânia, secretária de Estado federal, ao criticá-la duramente a
respeito de seu desempenho funcional. Nessa situação hipotética, não
há que se falar em violação de qualquer das disposições normativas
das resoluções de 1 a 10 da Comissão de Ética Pública da Presidência
da República, visto que as críticas públicas entre membros da alta
administração federal revelam maturidade democrática e
aprofundamento do exercício da cidadania.

63. (CESPE - CADE – NÍVEL MÉDIO – 2014) O servidor público está


autorizado a omitir a verdade se o interesse do Estado o exigir.

64. (CESPE - MDIC - ANALISTA – 2014) Em uma sociedade de economia


mista que desenvolve atividade de prevalente interesse do Estado,
determinado empregado falta ao trabalho frequentemente, sem
justificativas. Nessa situação, a conduta do empregado constitui falta
apenas em relação à Consolidação das Leis do Trabalho e ele não está
sujeito ao Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do
Poder Executivo.

65. (CESPE - ANATEL - ANALISTA – 2014) É vedado ao servidor público


manter-se habitualmente embriagado, ainda que fora do serviço.

66. (CESPE - MDIC - ANALISTA – 2014) Em uma repartição onde há


atendimento ao público para fornecimento de certidões, a emissão de
documentos foi interrompida em virtude de problemas técnicos,
quando ainda havia tempo razoável de expediente de trabalho.
Entretanto, um servidor público, sem buscar informações junto aos
profissionais técnicos, exigiu que todos os cidadãos se retirassem das
instalações do órgão e voltassem no dia seguinte, sem prestar qualquer
informação sobre os motivos da decisão ou da interrupção do serviço.
Nessa situação, o servidor público cometeu infração ética, uma vez que
compete a ele informar aos usuários os motivos da paralisação do
serviço, pois o aperfeiçoamento da comunicação e do contato com o
público é um dever ético-funcional.

67. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) A comissão de


ética poderá aplicar ao servidor público que descumprir dever ético
pena de advertência e, no caso de reincidência, censura ética, sendo
necessário parecer assinado pelo presidente da comissão.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 134 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

68. (CESPE - ANTAQ – CONHECOMENTOS BÁSICOS – 2014) É dever do


servidor público respeitar a hierarquia, não podendo representar em
hipótese alguma, contra qualquer comprometimento indevido da
estrutura em que se funda o poder estatal.

69. (CESPE - ANTAQ – CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2014) Ser assíduo e


frequente ao serviço não é um dos principais deveres do servidor
público, caso este desempenhe bem e a tempo as atribuições do cargo,
função ou emprego público de que seja titular.

70. (CESPE - MDIC – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) O Decreto n. o


1.171/1994 (Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do
Poder Executivo Federal) impõe aos servidores públicos o dever de, em
suas atividades, privilegiar a perfeição em detrimento da rapidez.

71. (CESPE - MTE - CONTADOR – 2014) No que tange aos princípios


morais, o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder
Executivo Federal trata dos primados da dignidade e da consciência
como normas hierarquicamente superiores aos primados da eficácia e
do zelo, visto que estes representam princípios técnicos de caráter
secundário.

72. (CESPE – PF – NÍVEL SUPERIOR – 2014) De acordo com o Código de


Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal,
tratar mal um cidadão significa causar-lhe dano moral.

73. (CESPE – PF - AGENTE – 2014) Ocorrerá desvio ético na conduta de


servidor público que se recuse a utilizar um eficiente sistema de gestão
de almoxarifado, sob a alegação de maior confiabilidade do seu
controle manual de entrada e saída de materiais.

74. (CESPE – PF - AGENTE – 2014) Se uma autoridade administrativa


proibir o uso de bermudas ou shorts nas dependências de determinada
repartição pública e essa vedação causar indignação entre seus
subordinados, constatar-se-ão, nessa hipótese, indícios de desvio ético
na conduta do gestor.

75. (CESPE - INPI – TODOS OS CARGOS – 2013) A função pública está


relacionada ao exercício profissional e, portanto, não se integra à vida
particular de cada servidor público.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 135 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

76. (CESPE - MTE - ADMINISTRADOR – 2008) As ordens de superiores


hierárquicos devem ser sempre atendidas, sem questionamento, em
respeito à hierarquia nas relações de trabalho.

77. (CESPE - MPE-PI – TÉCNICO MINISTERIAL – 2012) Em cada órgão e


entidade da administração pública federal direta, indireta autárquica e
fundacional, deverá ser criada uma comissão de ética, encarregada de
orientar e aconselhar sobre a ética profissional do servidor, no
tratamento com as pessoas e com o patrimônio público.

78. (CESPE - PRF – TODOS OS CARGOS – 2012) A moralidade da


administração pública norteia-se pela distinção entre o bem e o mal e
pela noção de que sua finalidade é o bem comum.

79. (CESPE - MPU – TÉCNICO DE APOIO ESPECIALIZADO - SEGURANÇA –


2010) Os códigos de ética expressam a filosofia de ação profissional, o
que confere verdadeiro sentido à profissão.

80. (CESPE - MEC – TODOS OS CARGOS – 2011) Para fins de aplicação do


Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder
Executivo Federal, entende-se por funcionário público somente o
servidor efetivo ou comissionado vinculado à administração pública
direta.

81. (CESPE - 2007 - ANVISA – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2007) O


servidor público jamais pode desprezar o elemento ético de sua
conduta, embora, em algumas situações, tenha de decidir entre o que
é legal e ilegal.

82. (CESPE – TELEBRÁS – NÍVEL MÉDIO – 2013) De acordo com o código


de ética profissional do serviço público, José faltou com a ética, uma
vez que usou um bem pertencente ao patrimônio público para fins
particulares.

83. (CESPE - ANVISA – TÉCNICO – 2007) Por meio do exercício dos


princípios e valores morais no trabalho, como ser probo, reto, leal e
justo, entre outros, o servidor, além de desenvolver suas capacidades,
habilidades e competências, projeta também seus valores éticos.

84. (CESPE - PRF – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2012) Veda-se ao


servidor público a participação em movimentos político-partidários,
dado o caráter apolítico do serviço público.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 136 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

85. (CESPE - ANAC – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2012) A alteração do


teor de documentos é falta ética grave, caso ocorra sem autorização
legal anterior.

86. (CESPE - TCU – AUDITOR FEDERAL DE CONTROLE EXTERNO –


AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS – 2011) A recusa sistemática do
servidor em participar de programas de atualização profissional
promovidos pelo próprio TCU, incluindo-se os ministrados por outras
instituições, à falta de justificativas plausíveis, fere o Código de Ética,
configurando descumprimento de dever funcional.

87. (CESPE - IBAMA – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2012) Uma psicóloga,


funcionária concursada e contratada em um órgão público, que, após
atender uma servidora do órgão, sugerir que essa servidora faça
acompanhamento terapêutico em seu consultório particular, por achar
que atender nas dependências do órgão é impróprio, estará agindo de
maneira ética, já que se prontifica a ajudar a servidora.

88. (CESPE - TRE-RJ – TÉCNICO JUDICIÁRIO – OPERAÇÃO DE


COMPUTADOR – 2012) O servidor público pode subverter e (ou)
desconsiderar a hierarquia entre cargos em situações em que sejam
comprometidos o seu bem-estar e o efetivo exercício de suas
atividades.

89. (CESPE - MPE-PI – TÉCNICO MINISTERIAL – 2012) A pena aplicável ao


servidor público por uma comissão de ética poderá ser a de censura e,
possivelmente, a de demissão, sendo que sua fundamentação deverá
constar do respectivo parecer, assinado por todos os seus integrantes,
com ciência do servidor.

90. (CESPE - MPE-PI – TÉCNICO MINISTERIAL – 2012) É vedado ao


servidor público, ainda que imbuído do espírito de solidariedade, ser
conivente com erro ou infração a qualquer norma do referido código.

91. (CESPE - EBC – TÉCNICO - ADMINISTRAÇÃO – 2011) Fatos e atos


relativos à conduta do servidor no dia a dia de sua vida privada não
podem ser considerados para acrescer ou diminuir o seu bom conceito
na vida funcional, em razão de terem ocorrido ou sido praticados fora
do local de trabalho.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 137 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

92. (CESPE - EBC – TÉCNICO - ADMINISTRAÇÃO – 2011) O servidor que,


por desconhecimento das atualizações legais, pratica ato de acordo
com normas e legislações já alteradas não age em desacordo com o
referido código de ética.

93. (CESPE - MS – TÉCNICO DE CONTABILIDADE – 2010) A pena aplicável


ao servidor público pela comissão de ética é a de censura e sua
fundamentação constará do respectivo parecer, assinado por todos os
seus integrantes, com ciência do faltoso.

94. (CESPE - ABIN – OFICIAL DE INTELIGÊNCIA – 2008) Salvo os casos de


segurança nacional, investigações policiais ou interesse superior do
Estado e da administração pública, a serem preservados em processo
previamente declarado sigiloso, nos termos da lei, a publicidade de
qualquer ato administrativo constitui requisito de eficácia e moralidade,
ensejando sua omissão um comprometimento ético contra o bem
comum, imputável a quem a negar.

95. (CESPE - ABIN – AGENTE DE INTELIGÊNCIA – 2008) Os fatos e atos


verificados na conduta do dia-a-dia do servidor em sua vida privada
poderão acrescer ou diminuir o seu bom conceito na vida funcional,
podendo caracterizar, inclusive, violação ao Código de Ética, o que será
passível de censura.

96. (CESPE – MTE – AFT – 2013) Para fins de apuração do


comprometimento ético, a caracterização do servidor público restringe-
se àquele que preste, mediante lei autorizativa para tal, serviços de
natureza permanente, temporária ou excepcional, ainda que sem
retribuição financeira, desde que ligado direta ou indiretamente a
qualquer órgão ou setor onde prevaleça o interesse do Estado.

97. (CESPE - ANCINE – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – 2012) Embora toda


pessoa tenha o direito à verdade, é facultado ao servidor público omiti-
la, desde que o faça no interesse da própria pessoa ou da
administração pública.

98. (CESPE - CNJ – ANALISTA - 2013) Empreender, para o governo,


significa mobilizar competências individuais e organizacionais para
provocar inovações e mudanças tecnológicas nos sistemas
informatizados nos modelos de gestão exceto nas políticas públicas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 138 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

99. (CESPE - TCE-RO – AGENTE ADM. - 2013) O modelo de


empreendedorismo governamental preconiza a reforma no sistema
público, de modo que o cidadão seja chamado a participar do governo,
na definição do destino da sua comunidade.

100. (CESPE - TCE-RO – AGENTE ADM. - 2013) O governo que prioriza o


empreendedorismo governamental deve assumir seu papel de
comando, buscando maior centralização da autoridade.

101. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) A gestão pública empreendedora


implica a busca por resultados, visando atender às necessidades dos
cidadãos e não aos interesses da burocracia mediante o estímulo da
sua parceria com sociedade.

102. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Aproximando-se do modelo


tradicional burocrático, o governo empreendedor visa estimular a ação
e a parceria da sociedade, exercendo forte controle sobre a economia.

103. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) O governo empreendedor visa


atender aos interesses da sociedade e da burocracia, controlando a
economia e se orientando por missões e objetivos.

104. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) A gestão empreendedora no setor


público pressupõe a autonomia de decisão e a responsabilização.

105. (CESPE – TRE-MA / ANAL JUD – 2005) A comunicação pode fluir


verticalmente ou lateralmente. Sob a ótica de um governo
empreendedor, a comunicação só deverá fluir via rede de comunicação
formal; sob a ótica da iniciativa privada, a comunicação pode ser
formal ou informal.

106. (CESPE – TRE-MA / ANAL JUD – 2005) Considere que determinada


cidade teve aumento considerável da criminalidade nos últimos 6
meses. Em decorrência dessa nova realidade, o governo decidiu
aumentar a contribuição financeira para a polícia da localidade. Nessa
situação, é correto afirmar que tal atitude é característica de uma
gestão tradicional de governo.

107. (CESPE – TRE-MA / ANAL JUD – 2005) Um princípio inerente ao


governo empreendedor é a sua orientação para missões. Isto significa
que as organizações públicas devem ser rigidamente dirigidas por

www.estrategiaconcursos.com.br Página 139 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

objetivos, regulamentos e normas para que suas missões possam ser


eficazmente atingidas.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 140 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

36. C 72. C
1. E
37. C 73. C
2. C
38. C 74. E
3. E
39. C 75. E
4. C
40. C 76. E
5. E
41. E 77. C
6. X
42. C 78. C
7. C
43. E 79. C
8. C
44. C 80. E
9. E
45. C 81. C
10. E
46. E 82. C
11. E
47. E 83. C
12. E
48. E 84. E
13. C
49. C 85. E
14. C
50. C 86. C
15. E
51. C 87. E
16. C
52. E 88. E
17. C
53. C 89. E
18. C
54. C 90. E
19. C
55. E 91. E
20. C
56. C 92. E
21. C
57. E 93. C
22. E
58. C 94. C
23. C
59. E 95. C
24. C
60. C 96. E
25. C
61. C 97. E
26. C
62. E 98. E
27. E
63. E 99. C
28. C
64. E 100. E
29. E
65. C 101. C
30. C
66. C 102. E
31. C
67. E 103. E
32. C
68. E 104. C
33. E
69. E 105. E
34. C
70. E 106. C
35. E
71. E 107. E

www.estrategiaconcursos.com.br Página 141 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS ENTRE A GESTÃO


PÚBLICA E A GESTÃO PRIVADA. CONTRATOS
ADMINISTRATIVOS

1. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) À semelhança das organizações


privadas, a administração pública utiliza estratégias de segmentação de
mercado, estabelecendo diferenciais de tratamento para clientes
preferenciais.

2. (CESPE – TRT-10 – TÉCNICO – 2013) Diferentemente das organizações


privadas, as organizações públicas são regidas pela supremacia do
interesse público e pela obrigação da continuidade da prestação do
serviço público.

3. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) O interesse mobilizador da gestão


privada é a lucratividade; o da gestão pública é a efetividade.

4. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) As organizações públicas


assemelham-se às organizações privadas na medida em que também
necessitam da aplicação dos processos administrativos de
planejamento, organização, direção e controle, porém diferenciam-se
na forma de aplicação.

5. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Em consonância com o princípio da


legalidade, na gestão pública, em oposição à gestão privada, é lícito
fazer apenas o que se determina em lei.

6. (CESPE – MI – ANALISTA – 2013) Semelhantemente à gestão privada,


cabe à gestão pública a publicidade dos seus atos a fim de demonstrar
transparência de suas ações para a coletividade.

7. (CESPE – ANAC – ANALISTA– 2012) O setor privado visa ao lucro, ao


passo que a administração pública visa ao bem-estar da coletividade.

8. (CESPE – ANAC – ANALISTA– 2012) Assim como a estrutura


organizacional do setor privado, a administração pública também
apresenta uma estrutura verticalizada, burocratizada e flexível.

9. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA– 2012) Na gestão de organizações


privadas, utilizam-se estratégias de segmentação do mercado,

www.estrategiaconcursos.com.br Página 142 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

definindo-se diferenciais de tratamento para grupos. Na gestão pública,


por outro lado, não se deve, por uma questão de isonomia, discriminar
grupos de pessoas. Os casos de tratamento diferenciado, nas
organizações públicas, devem-se restringir aos previstos em lei.

10. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA– 2012) As organizações públicas, em sua


gestão, devem utilizar estratégias de segmentação do mercado iguais
às adotadas pelas organizações privadas, estabelecendo diferenças
específicas de tratamento para os grupos diferenciados de cidadãos.

11. (CESPE – TRE-RJ – ANALISTA– 2012) A organização pública que


pretende ter uma postura empreendedora deve buscar inovações por
meio de ações similares às organizações privadas, como, por exemplo,
realizar tudo que não for proibido em lei.

12. (CESPE – STM / ANAL ADM. – 2011) Apesar de partilharem de algumas


funções básicas, gestores públicos e privados têm posições antagônicas
quanto ao aspecto econômico e à orientação dos negócios sob sua
responsabilidade.

13. (CESPE – AGU- AGENTE ADM. – 2010) Há diferenças fundamentais


entre a administração de empresas e a administração pública gerencial.
Uma delas diz respeito à receita: a das empresas depende dos
pagamentos que os clientes fazem livremente na compra de seus
produtos e serviços; a do Estado resulta principalmente de
contribuições obrigatórias, os impostos, sem contrapartida direta.

14. (CESPE – TRE / BA - ANALISTA – 2010) No Brasil, a gestão privada,


em relação à gestão pública, é mais flexível no que se refere ao
tratamento de questões administrativas no âmbito das funções de
planejamento, organização, direção e controle. No setor público, o
tratamento dessas questões é determinado, principalmente, pelas
peculiaridades da burocracia sistêmica predominante nesse setor.

15. (CESPE – TRE-BA /ANALISTA – 2010) Enquanto a gestão privada,


visando o interesse da sociedade, procura satisfazer os interesses de
indivíduos e grupos que consomem seus produtos e(ou) serviços, a
gestão pública, em uma concepção pós-burocrática, busca o lucro em
suas atividades para que possa obter recursos para satisfazer o
interesse e promover o bem-estar geral dos cidadãos por meio da
prestação de serviços públicos de qualidade.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 143 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

16. (CESPE – ANATEL / ANAL ADM. – 2006) Embora muitos princípios


aplicados na modernização da administração pública sejam oriundos de
modelos típicos da gestão privada, esta continua, de forma geral,
visando ao lucro, enquanto a gestão pública tem por objetivo cumprir
sua função social e atender ao interesse público.

17. (CESPE – TRE-MA / ANAL JUD – 2005) Enquanto a receita das


empresas depende dos pagamentos que os clientes fazem livremente
na compra de seus produtos e serviços, a receita do Estado deriva de
impostos, ou seja, de contribuições obrigatórias, sem contrapartida
direta.

18. (CESPE – STM / ANAL JUD – 2004) Como técnica exclusiva da


administração empresarial, a análise e a melhoria de processos não se
aplicam aos objetivos dos sistemas de administração pública.

19. (CESPE - TCU / ACE - 2008) O clientelismo e o corporativismo são


padrões institucionalizados de relações que estruturam os laços entre
sociedade e Estado no Brasil. O clientelismo, que faz parte da tradição
política secular brasileira, está associado ao patrimonialismo e ao
fisiologismo. O corporativismo emergiu nos anos 30, sob o governo de
Getúlio Vargas. Essas características passaram, então, a inter-
relacionar-se, e constituem instrumentos de legitimação política.

20. (CESPE – IPEA – TÉCNICO - 2008) O padrão corporativista brasileiro


caracterizou-se pela exclusão dos trabalhadores das arenas decisórias
governamentais, ao mesmo tempo em que os interesses empresariais
garantiram sua representação no aparelho estatal.

21. (CESPE – IPEA – TÉCNICO - 2008) Em suas origens, o sistema


corporativista brasileiro constituiu a base institucional para a
incorporação subordinada dos setores urbanos, no contexto de um
Estado centralizador e intervencionista.

22. (CESPE – IPEA – TÉCNICO - 2008) O arranjo corporativista brasileiro


configurou-se como um conjunto articulado de estruturas institucionais,
com duas características centrais: a proibição da unicidade sindical e o
pluralismo de representação imposto pelo Estado.

23. (CESPE – IPEA – TÉCNICO - 2008) Características essenciais desse


modelo corporativista são: o monopólio da representação dentro de
cada categoria ocupacional, assegurado pelo Estado por meio do
reconhecimento de um sindicato por base territorial; o poder de

www.estrategiaconcursos.com.br Página 144 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

intervenção do Ministério do Trabalho e Emprego; uma relação


institucionalizada entre empregados e empregadores, destinada a
prevenir conflitos, pela intermediação do Estado e julgamento pela
justiça trabalhista, o que colocou obstáculos à negociação coletiva.
(ADAPTADA).

24. (CESPE – TRE/PA – ANALISTA - 2007) A força do esquema de


clientelismo político foi plenamente extinta no Brasil.

25. (CESPE - DPE-PE – DEFENSOR PÚBLICO – 2015) De acordo com a Lei


n.º 8.666/1993, o contrato administrativo deve ser escrito, sendo nulo
e de nenhum efeito todo contrato verbal celebrado com a
administração pública.

26. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) Aos contratos administrativos


aplicam-se, supletivamente, as disposições de direito privado.

27. (CESPE - MTE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Em razão da


submissão ao regime jurídico administrativo, a administração pública
não dispõe da mesma liberdade para contratar que é conferida a
particular.

28. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) Em decorrência do princípio do


formalismo, todas as contratações celebradas pela administração
pública devem ser formalizadas por meio de instrumento de contrato,
não sendo possível a sua substituição por outros instrumentos, como a
nota de empenho de despesa.

29. (CESPE - TJ-SE – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2014) Os contratos


administrativos submetem-se ao princípio do formalismo, razão pela
qual é obrigatório que sejam formalizados mediante instrumento de
contrato, sendo vedada a formalização por meio de qualquer outro
instrumento.

30. (CESPE - MTE – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2014) Todos os contratos


para os quais a lei exige licitação são firmados intuitu personae, ou
seja, em razão de condições pessoais do contratado, apuradas no
procedimento da licitação.

31. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) Considerando que a Secretaria de


Cultura do DF pretenda contratar empresa de publicidade para realizar

www.estrategiaconcursos.com.br Página 145 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

campanha de divulgação de um festival de música que ocorrerá em


Brasília, julgue o item que se segue.
Em razão do caráter personalíssimo dos contratos administrativos, a
administração não poderá admitir a subcontratação do referido serviço.

32. (CESPE – ANTAQ – ANALISTA – 2014) Determinado órgão da


administração indireta celebrou contrato administrativo cujo objeto era
o fornecimento de serviços terceirizados de mão de obra para limpeza
e conservação do seu edifício-sede.
Conforme expresso na Lei n.º 8.666/1993, caso haja inadimplência do
contratado em relação a encargo trabalhista, a responsabilidade pelo
pagamento desse encargo não será transferida à administração.

33. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – AGENTE - 2014) Como o contrato


administrativo é um contrato de adesão, todo o seu conteúdo será
definido unilateralmente pela própria administração.

34. (CESPE – ANATEL – ANALISTA – 2014) Determinada autarquia fez


publicar edital de licitação para a construção de nova sede, no qual
estavam previstas todas as cláusulas obrigatórias de contratação, mas
não a de prestação de garantia. Decorridas todas as fases legalmente
previstas, foi firmado contrato com a empresa vencedora, entretanto,
faltando cinco dias para o início da execução da obra, os trabalhadores
da construção civil entraram em greve.
A empresa vencedora da licitação poderá exigir o reajuste dos preços
do contrato após o decurso de um ano da data da assinatura do
contrato.

35. (CESPE - TC-DF – TÉCNICO – 2014) Considerando que a Secretaria de


Educação do DF tenha celebrado contrato de prestação de serviços de
vigilância armada com a empresa X. Caso seja celebrada convenção
coletiva de trabalho que conceda aumento de salário aos empregados
das empresas de vigilância armada, a empresa X terá direito à
repactuação do valor do contrato, respeitado o interregno de um ano.

36. (CESPE - MEC – TODOS OS CARGOS – 2014) O contrato administrativo


poderá ser modificado unilateralmente pela administração caso haja
modificação do projeto ou das especificações para adequação técnica
aos objetivos do contrato ou caso se julgue necessário modificar o
valor contratual em decorrência de acréscimo ou diminuição
quantitativa do objeto do contrato.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 146 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

37. (CESPE - TC-DF - TÉCNICO – 2014) A administração pública possui a


prerrogativa de alterar unilateralmente o objeto do contrato, desde que
a alteração seja apenas quantitativa, mantendo-se a qualidade do
objeto.

38. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – AGENTE - 2014) A rescisão unilateral do


contrato poderá ocorrer tanto por inadimplência do contratado quanto
por interesse público, exigindo-se, em ambos os casos, da
administração justa motivação para a rescisão.

39. (CESPE - TC-DF - ANALISTA – 2014) É imprescindível que haja


previsão orçamentária no plano plurianual para que sejam realizados
contratos de longo prazo, ou seja, contratos com prazo superior ao
prazo de vigência do crédito orçamentário.

40. (CESPE - TC-DF - ANALISTA – 2014) A regra de prorrogabilidade dos


contratos poderá ser usada para assegurar compras de bens de uso
contínuo destinados a atender a necessidades públicas permanentes.

41. (CESPE – ANTAQ – ANALISTA – 2014) A duração do contrato


administrativo ficará adstrita à vigência dos respectivos créditos
orçamentários, sendo exceção a contratação de serviços a serem
executados de forma contínua.

42. (CESPE – ANTAQ – ANALISTA – 2014) Nos casos de prestação de


serviços a serem executados de forma contínua, a duração dos
contratos poderá ser prorrogada ordinariamente por períodos iguais e
sucessivos, até o prazo máximo de 60 meses.

43. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) O contrato administrativo


é sempre consensual e, em regra, formal, oneroso e comutativo, mas
não é intuitu personae ou personalíssimo.

44. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) O contratado é


responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e
comerciais decorrentes da execução do contrato, porém sua
inadimplência transfere a responsabilidade relativa a esses encargos
para a administração pública.

45. (CESPE - PG-DF – PROCURADOR – 2013) Desde que haja previsão


editalícia e contratual, e depois de demonstrada analiticamente a

www.estrategiaconcursos.com.br Página 147 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

variação dos custos, a eventual contratada no processo licitatório


poderá solicitar a repactuação dos preços ajustados.

46. (CESPE – ANCINE – ANALISTA – 2013) Em que pese não ser


obrigatório nos contratos administrativos, o reajuste periódico de
preços é uma prática de mercado que também deve ser seguida pela
administração pública, de modo a trazer equilíbrio econômico-
financeiro ao contrato.

47. (CESPE - MI – TODOS OS CARGOS – 2013) A prestação de garantia


pelo particular é obrigatória para a execução de contratos
administrativos, por constituir exigência expressa em lei.

48. (CESPE – TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) A conclusão do objeto


contratual determina a extinção do contrato pela cessação do vínculo
obrigacional entre as partes, dado o integral cumprimento de suas
cláusulas.

49. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) Segundo o entendimento


firmado no âmbito do STJ, rescisão de contrato administrativo por ato
unilateral da administração pública, sob a justificativa de interesse
público, impõe ao contratante a obrigação de indenizar o contratado
pelos prejuízos daí decorrentes, considerando-se não apenas os danos
emergentes, mas também os lucros cessantes.

50. (CESPE – TCDF – ACE – 2012) A administração pública não pode


celebrar contratos regidos pelas regras do direito privado. Assim, em
um hipotético contrato de manutenção de elevadores, celebrado entre
uma empresa e o TCDF, valerá somente em favor do órgão público a
exceção de contrato não-cumprido.

51. (CESPE – TCU – TÉCNICO – 2012) A celebração de um contrato de


abertura de conta corrente entre um banco público e um particular
pessoa física é exemplo de ato administrativo.

52. (CESPE - IBAMA - TÉCNICO – 2012) Todo contrato celebrado pela


administração pública será considerado um contrato administrativo.

53. (CESPE - TCU - ACE – 2011) A rescisão de um contrato administrativo


por culpa da administração pública somente pode ser feita na esfera
judicial ou por acordo entre as partes.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 148 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

54. (CESPE - TCE-RO – AGENTE ADMINISTRATIVO – 2013) Como regra


geral, os créditos orçamentários têm a mesma duração do contrato
administrativo.

55. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) Nos contratos públicos, o


direito privado atua de forma supletiva, pois não substitui ou derroga
as normas privativas da administração pública.

56. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) A publicação do contrato


e seus aditivos não constitui condição indispensável à sua eficácia.

57. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) O equilíbrio financeiro do


contrato administrativo é a relação, estabelecida inicialmente pelas
partes, entre os encargos do contrato e a retribuição da administração
para a justa remuneração do objeto do ajuste.

58. (CESPE – POLÍCIA FEDERAL – DELEGADO – 2013) Considere que uma


empresa vencedora de certame licitatório subcontrate, com terceiro, o
objeto do contrato firmado com a administração pública, apesar de não
haver previsão expressa para tanto no edital ou no contrato. Nessa
situação, caso o contrato seja prestado dentro do prazo estipulado e
com estrita observância aos critérios de qualidade impostos
contratualmente, não poderá a administração rescindir o contrato
unilateralmente, visto que não se configura hipótese de prejuízo ou
descumprimento de cláusulas contratuais.

59. (CESPE - CNJ – TÉCNICO – 2013) Considere que uma sociedade


empresária tenha celebrado contrato administrativo de prestação de
serviço com determinado órgão público. Nessa situação hipotética, caso
a administração julgue conveniente a substituição da garantia de
execução, o contrato poderá ser alterado unilateralmente.

60. (CESPE - TJ-DF – ANALISTA – 2014) Suponha que, na execução de


determinada obra pública, o contratado paralise a obra sem justa causa
e sem prévia comunicação à administração. Nesse caso, a
administração estará legitimada a promover a rescisão do contrato
após obter autorização judicial em ação proposta com essa finalidade
específica.

61. (CESPE - TCE-RS - OCE – 2013) A Lei n.º 8.666/1993 prevê como
cláusula necessária em todo contrato administrativo a adoção de juízo

www.estrategiaconcursos.com.br Página 149 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

arbitral para eventuais conflitos durante o período de vigência


contratual.

62. (CESPE - MI – TODOS OS CARGOS – 2013) O resumo do instrumento


de contrato deve ser publicado na imprensa oficial no prazo máximo de
vinte dias, contados a partir do quinto dia útil do mês seguinte ao de
sua assinatura.

63. (CESPE - MI – TODOS OS CARGOS – 2013) A administração pública


pode rescindir unilateralmente o contrato administrativo, devendo
motivar formalmente sua decisão e assegurar ao particular a ampla
defesa e o contraditório.

64. (CESPE - MI – TODOS OS CARGOS – 2013) Embora os contratos


administrativos possam ser prorrogados, é vedado à administração
pública celebrar o contrato com prazo de vigência indeterminado.

65. (CESPE - TELEBRAS – ESPECIALISTA – 2013) O caráter personalíssimo


do contrato administrativo não é absoluto, podendo, em determinadas
circunstâncias, o licitante vencedor do certame ser substituído.

66. (CESPE - SERPRO - ANALISTA – 2013) Será nulo qualquer contrato


administrativo celebrado e ajustado verbalmente com a administração
pública.

67. (CESPE - SERPRO - ANALISTA – 2013) O termo de contrato


administrativo, dependendo do valor, é facultativo nos casos de
compra com entrega imediata e integral dos bens adquiridos dos quais
não resultem obrigações futuras, inclusive assistência técnica.

68. (CESPE - TCU - TCE – 2012) A regra segundo a qual o prazo de


vigência do contrato administrativo não pode ultrapassar os limites de
vigência dos créditos orçamentários correspondentes comporta
exceções, como a que envolve os projetos de longo prazo previstos no
plano plurianual, caso seja do interesse da administração pública e
desde que a prorrogação tenha sido prevista no ato convocatório.

69. (CESPE - AGU - ADVOGADO – 2004) A publicação resumida do


instrumento do contrato ou de seus aditamentos é condição
indispensável para sua eficácia, dispensada a publicação apenas dos
instrumentos dos contratos sem ônus para a administração.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 150 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

70. (CESPE - TRE-RJ - ANALISTA – 2012) Os contratos administrativos,


ressalvadas as espécies de contratos previstas em lei, devem,
necessariamente, conter cláusula que identifique o crédito
orçamentário que responderá pela despesa. Portanto, considerando-se
as normas vigentes no país, a duração e a execução dos contratos
administrativos não podem, via de regra, ultrapassar o prazo de um
ano.

71. (CESPE - TRE-RJ - ANALISTA – 2012) Contratos de compra de pequeno


valor e com pagamento imediato podem ser celebrados verbalmente
pela administração pública.

72. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS - ANALISTA - 2012) Em se


tratando de compras ou de locação de equipamentos, executado o
contrato administrativo, seu objeto deve ser recebido, provisoriamente,
por servidor ou comissão designada por autoridade competente,
mediante termo circunstanciado, assinado pelas partes, após o decurso
do prazo de observação ou vistoria que comprove a adequação do
objeto aos termos contratuais.

73. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA – 2012) É


considerado nulo, sem qualquer efeito, o contrato verbal feito pela
administração, com exceção dos relativos a contratações de pequenas
compras de pronto pagamento, como as de valor não superior a 5% do
valor estimado para a modalidade convite, feitas em regime de
adiantamento.

74. (CESPE – CÂMARA DOS DEPUTADOS – ANALISTA – 2012) Considere


que um licitante vencido em certame regular licitatório pretenda
impugnar a publicação do resumo do instrumento do contrato, feita no
diário oficial em prazo legalmente estabelecido. Nessa situação,
procede a pretensão do licitante, dada a exigência legal de publicação
integral do instrumento do contrato e dos seus aditamentos na
imprensa oficial, condição indispensável para sua validade, em
observância ao princípio da publicidade.

75. (CESPE - STJ - ANALISTA – 2012) Na execução dos contratos


administrativos, prorrogações de prazo devem ser justificadas por
escrito e previamente autorizadas pela autoridade competente para
celebrar o contrato.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 151 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

76. (CESPE - TRT - RN - ANALISTA – 2010) O valor da multa aplicada pela


inexecução total ou parcial do contrato é coberto pela garantia
oferecida no ato da contratação, sendo que o contratado não responde
por outros pagamentos dessa natureza.

77. (CESPE - TJ-ES - ANALISTA - 2011) O contrato administrativo é uma


modalidade de contrato em que a administração pública estabelece um
acordo com outra entidade administrativa, sendo vedada a contratação
com particulares.

78. (CESPE - TJ-ES – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2011) A regra segundo a


qual os contratos administrativos são realizados intuitu personae é
absoluta.

79. (CESPE – CORREIOS – ANALISTA – 2011) Celebrado o contrato com a


administração pública, a execução desse contrato deve ser
acompanhada e fiscalizada por um representante da administração
especialmente designado para tal fim, admitida a contratação de
terceiros para assistir ou subsidiar o trabalho.

80. (CESPE - MPE-PI – ANALISTA MINISTERIAL – 2012) No que se refere à


formalização do contrato administrativo, o denominado termo de
contrato é dispensável nos casos de concorrência e de tomada de
preços.

81. (CESPE – TCDF – ACE – 2012) A administração pública não pode


celebrar contratos regidos pelas regras do direito privado. Assim, em
um hipotético contrato de manutenção de elevadores, celebrado entre
uma empresa e o TCDF, valerá somente em favor do órgão público a
exceção de contrato não-cumprido.

82. (CESPE – TCU – TÉCNICO – 2012) A celebração de um contrato de


abertura de conta corrente entre um banco público e um particular
pessoa física é exemplo de ato administrativo.

83. (CESPE – TCU – AUDITOR – 2009) É nulo e de nenhum efeito o


contrato verbal com a administração, salvo o de pequenas compras de
pronto pagamento, assim entendidas as que tenham até determinado
valor previsto em lei, feitas em regime de adiantamento.

84. (CESPE – ABIN – OFICIAL – 2010) Se, após procedimento de dispensa


de licitação, a administração convocar o contratado para firmar o

www.estrategiaconcursos.com.br Página 152 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

contrato, no valor de R$ 6.000,00, não será facultado à administração


substituir o instrumento do contrato por outros instrumentos hábeis.

85. (CESPE – TCU – AUDITOR – 2010) Se o convocado não assinar o termo


de contrato, a administração pública poderá convocar os licitantes
remanescentes, na ordem de classificação, para esse fim, no prazo e
nas condições por eles apresentadas nas respectivas propostas.

86. (CESPE – MDIC – ACE – 2008) São características do contrato


administrativo: formalismo, comutatividade e bilateralidade.

87. (CESPE – INSS – DIREITO – 2008) A forma verbal de contratação com


a administração é admitida para pequenas compras de pronto
pagamento.

88. (CESPE – TCDF – ACE – 2012) O resumo do instrumento de contrato,


qualquer que seja o valor, deve ser publicado na imprensa oficial,
sendo a publicação uma condição indispensável para a sua eficácia.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 153 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Gabarito

31. E 61. E
1. E
32. C 62. C
2. C
33. E 63. C
3. C
34. E 64. C
4. C
35. C 65. C
5. C
36. C 66. E
6. E
37. E 67. E
7. C
38. C 68. C
8. E
39. C 69. E
9. C
40. C 70. C
10. E
41. C 71. C
11. E
42. C 72. E
12. C
43. E 73. C
13. C
44. E 74. E
14. C
45. E 75. C
15. E
46. E 76. E
16. C
47. E 77. E
17. C
48. C 78. E
18. E
49. C 79. C
19. C
50. E 80. E
20. X
51. E 81. E
21. C
52. E 82. E
22. E
53. C 83. C
23. C
54. C 84. E
24. E
55. C 85. E
25. E
56. E 86. C
26. C
57. C 87. C
27. C
58. E 88. E
28. E
59. E
29. E
60. E
30. C
89.

www.estrategiaconcursos.com.br Página 154 de 155


APOSTILA 1000 QUESTÕES DO CESPE MATERIAL
PROF. RODRIGO RENNÓ GRATUITO

Por hoje é só pessoal! Estarei disponível no e-mail abaixo para qualquer


dúvida.

rodrigorenno99@hotmail.com

https://www.facebook.com/profrodrigorenno/

http://twitter.com/rrenno99

https://www.youtube.com/user/rodrigorenno99/

Bons estudos e sucesso!

Rodrigo Rennó

www.estrategiaconcursos.com.br Página 155 de 155