Você está na página 1de 42

CADERNO DA MARINA LOPES

3 – INFORMAÇÕES ASSIMÉTRICAS .................................... 17


DIREITO ADMINISTRATIVO DA REGULAÇÃO Fenômenos associados à informação assimétrica ........ 17
Juarez Freitas
I) SELEÇÃO ADVERSA ................................................ 17
II) RISCO MORAL ........................................................ 18
Sumário
DIREITO ADMINISTRATIVO DA REGULAÇÃO ..........................1 4 - THE LEAD TO CONTROL MONOPOLY POWER............... 18

PRINCIPAIS FALHAS DE MERCADO:......................................3 AULA 04 ................................................................................. 19


1º) Assimetria de informação: .............................................3 Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE .... 19

2º) Poder dominante: ..........................................................4 B - LESS SECURE ECONOMIC GROUNDS ................................ 20

3º) Externalidades negativas: ..............................................4 1 - CONTROLE DOS WINDFALL PROFITS ............................ 20

4ª) Elevados custos de transação ........................................4 2 - ELIMINAR COMPETIÇÃO EXCESSIVA............................. 20

5ª) Desalinhamento entre o agente e o principal................4 3 - ALIVIAR A ESCASSEZ...................................................... 20

PRINCIPAIS FALHAS DE GOVERNO: ......................................4 4 - PROBLEMAS DE AGÊNCIAS ........................................... 20

1) Miopia Temporal..........................................................4 JUSTIFICAÇÕES NÃO ECONÔMICAS. ...................................... 21

2) Voluntarismo................................................................4 1- REDISTRIBUTION (REDISTRIBUIÇÃO) ......................... 21

Objetivos da Regulação........................................................4 2 - PROMOVER VALORES QUE NÃO ESTÃO NO MERCADO


........................................................................................... 21
CONCEITOS DE REGULAÇÃO ................................................4
3 - ATACAR DESVANTAGENS E CASTAS ............................. 23
AULA 02..................................................................................12
4 - PLANNING/ PLANEJAMENTO ........................................ 23
Independência decisória: ...................................................12
5 - PATERNALISMO ............................................................ 23
Regulação ≠ Regulamentação ............................................12
AULA 05 ................................................................................. 24
Intervenção indireta ..........................................................13
1) Princípios da Regulação ................................................. 24
Autonomia .........................................................................13
1.1) Vide OECD Best Practice Principles for Regulatory
Funcionalização..................................................................13
Policy: The Governance of Regulators, 2014 ..................... 24
Regulação e Poder de Polícia .............................................13
1.2. Princípios constitucionais brasileiros de regulação (14)
Características do Poder de Polícia ....................................13 – Aula do FOX modificada.................................................. 24
Regulação e Ciências comportamentais ............................15 1 - LEGALIDADE ............................................................. 24
Comentários do professor ao artigo ..................................15 2 - MORALIDADE ........................................................... 24
1) Visão cínica.................................................................15 3 - IMPARCIALIDADE ..................................................... 24
2) Visão equivocada .......................................................15 4 - EQUIDADE ................................................................ 24
3) Visão moderada .........................................................15 5 - EFICIÊNCIA ................................................................ 24
AULA 03..................................................................................15 6 - PUBLICIDADE OU TRANSPARÊNCIA ......................... 24
RAZÕES DA REGULAÇÃO ....................................................15 7 - DEFERÊNCIA ............................................................. 24
- Razões econômicas ......................................................16 8 - PROPORCIONALIDADE ............................................. 24
- Razões econômicas menos consolidadas (p. 8) ...........16 9 – DURAÇÃO RAZOÁVEL .............................................. 24
- Reflexo no campo antidiscriminatório.........................16 10 – PRINCÍPIO DA SUSTENTABILIDADE ....................... 24
- Planejamento/Planning (p. 11) ....................................16 11 - PREVISIBILIDADE (SEGURANÇA JURÍDICA)............ 25
- Paternalismo libertário ................................................16 12 - PRINCIPIO DA SOBERANIA ..................................... 25
JUSTIFICAÇÕES ECONÔMICAS...............................................16 13 – PRINCÍPIO DA LIVRE CONCORRÊNCIA .................. 25
A - FALHAS ECONÔMICAS ......................................................16 14 – PRINCÍPIO DO CONTROLE ..................................... 25
1- EXTERNALIDADES OU CUSTOS DE TRANSAÇÃO ........16 Princípios da Regulação Britânica ...................................... 25
2 - COLLECTIVE ACTION PROBLEMS:..................................17 1 – PROPORTIONALITY.................................................. 25
CADERNO DA MARINA LOPES
2 - ACCOUNTABILITY .....................................................25 3. Sobre Regulação e Concorrência, vide debate sobre
3 - TRANSPARÊNCIA ......................................................25 Bacen e CADE:.................................................................... 33

4 - CONSISTÊNCIA ..........................................................25 4. Vide, sobre outras Agências estaduais e municipais, o


site da ABAR: ..................................................................... 33
5 - EFETIVIDADE .............................................................25
Comentários do Professor ................................................. 33
6 - PREVISIBILIDADE ......................................................25
ADI 1949 ........................................................................ 33
6 - ADAPTABILIDADE .....................................................26
AUTONOMIA ORGÂNICA E FUNCIONAL ........................ 33
Princípios da boa governança da OCDE .............................26
RECURSO HIERÁRQUICO ................................................ 33
1 - ACCOUNTABILITY ......................................................26
NATUREZA INSTITUCIONAL ........................................... 34
2 - TRANSPARÊNCIA .......................................................26
CONCEITO DO PROF. JUAREZ......................................... 34
3 - EFICIÊNCIA E EFETIVIDADE ........................................26
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ................................ 34
4 - RESPONSIVIDADE ......................................................26
AGÊNCIAS REGULADORAS EM ESPÉCIE ......................... 34
5 - CAPACIDADE DE PREVER ACONTECIMENTOS
FUTUROS ........................................................................26 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL ........ 34

Aula 06 ...................................................................................26 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL . 35

2) Debate sobre o texto combinado ..................................26 AGENCIA NACIONAL DE PETRÓLEO - ANP ......................... 35

2.1) Decisão relevante: ......................................................26 AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA 35

2.2. Lei 9.986/2000 (Destaques) ........................................27 AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR - ANS ...... 35

2.3. Vide LEI Nº 9.427, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1996. (Lei AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS - ANA .............................. 35
de criação da Aneel)...........................................................27 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES E
Entre os destaques de 2015:..........................................27 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS -
ANTT E ANTAQ ................................................................... 36
2.4. Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel,
vinculada ao Ministério das Comunicações - Lei 9.472, de AGÊNCIA NACIONAL DO CINEMA - ANCINE ...................... 36
16/7/97 ..............................................................................27 AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC ................ 36
2.5. Agência Nacional do Petróleo – ANP - vinculada, não
subordinada ao Ministério de Minas e Energia Lei no
9.478, de 6/8/97 ................................................................28
................................................................... 36
Entre os destaques de 2015:..........................................29
AULA 07 ................................................................................. 36
2.6. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa
vinculada ao Ministério da Saúde Lei 9.782, de 26/1/99.29 ATIVIDADE FISCALIZADORA E JULGADORA ....................... 36

Entre os destaques de 2015:..........................................29 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA ......................... 37

2.7. Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS CARÁTER TÉCNICO DAS AGÊNCIAS REGULADORAS .......... 37
Ministério da Saúde Lei 9.961, de 28/1/00 .......................30 NOÇÕES SOBRE REGIME PÚBLICO E PRIVADO DA
2.8. Agência Nacional de Águas – ANA Ministério do Meio ANATEL .......................................................................... 37
Ambiente Lei no 9.984, de 17/7/00 ..................................31 CONSULTA E PREGÃO .................................................... 38
2.9 Agência Nacional de Transportes Aquaviários – Antaq PERGUNTA PARA PRÓXIMA AULA ................................. 38
Ministério dos Transportes Lei no 10.233, de 5/6/01 ......31 Aula 08 ................................................................................... 38
2.10. Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT TEMAS DO GRUPO DE REGULAÇÃO: ................................. 38
Ministério dos Transportes Lei no 10.233, de 5/6/01 ......31
REVISÃO PARA A PROVA........................................................ 38
2.11. Agência Nacional de Cinema – Ancine Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ..............32 1) Independência Administrativa: ................................. 38

2.12 Agência Nacional de Aviação Civil – Anac Ministério da 2) Ausência de subordinação hierárquica: .................... 38
Defesa ................................................................................32 3) Mandato fixo e quarentena ....................................... 38
4) Estabilidade dos dirigentes. ....................................... 39
CADERNO DA MARINA LOPES
5) Autonomia financeira ................................................39 disso disse que ia acabar com os agrotóxicos. Isso é
regulação. Regulação salva vidas.
Falhas de Mercado (Justificativas econômicas) .................39
 Agência reguladora americana proibiu gordura trans.
1) Externalidades ou Transaction Acts ...........................39  Quando a União, pelo conselho de uma sociedade mista,
2) Problemas da Ação Coletiva ......................................39 decide de forma contrária aos interesses dos minoritários
e contrária, a médio prazo, aos interesses da própria
3) Necessidade de Compensar a Informação Inadequada sociedade de economia mista. O que houve foi um abuso
39 de controle. Aí vem a regulação e diz que nesse ponto há
3.1) Seleção adversa e Risco moral ................................39 uma falha de mercado e de governo. Quem multou a
União foi a Comissão de Valores Imobiliários (autarquia
4) Necessidade de controlar o monopólio .....................39 reguladora).
5) Necessidade de Controlar os Lucros Inesperados –  Quando determinadas empresas formam cartel estão
Windfall Profits ..................................................................39 exercendo o poder dominante de mercado em
detrimento do art. 170, IV da CF (livre concorrência), de
6) Necessidade de Eliminar a Competição Excessiva .....39 forma abusiva. Quando se forma um cartel, o Estado
7) Necessidade de Aliviar a Escassez..............................39 regulador, administrativamente, intervém e ora pune ora
determina o desfazimento do cartel. Quem faz isso? Uma
8) Necessidade de Resolver Problemas de Agência
agencia reguladora que se chama CADE.
Principal .............................................................................39
Nesse tema, tivemos uma onde muito forte de liberalismo
Justificativas não econômicas ...........................................39
radical. George Stigler acredita que o mercado fatalmente
1) Redistribuição ............................................................39 captura a regulação (teoria da regulação). Essa teoria
1. Tarifas Sociais .............................................................39 influenciou os EUA e o Alan Grispa(?). Alan dizia que quando
houvesse vários sinais óbvios de que o mercado estava
2) Valores Coletivos que não estão no mercado ...........39 desregulado, os juros deveriam ser deixados baixos e o
3) Desvantagens e Castas ...............................................39 mercado andaria porque tem resiliência. O mercado puniria os
agentes econômicos que não agissem de acordo com a
4) Planejamento .............................................................39 liberdade. Dessa forma, seria melhor que o mercado cuidasse
5) Paternalismo ..............................................................39 de si mesmo do que houvesse intervenção estatal, porque o
Estado sempre seria capturado. O que o professor Juarez
Destaque para Lei 12.599 (lei do CADE) ............................39 acredita, no entanto, é que a captura não é irremediável,
Composição de Conflitos ...................................................40 podendo ser reduzida. Diz que o mercado deixado por si
mesmo entra em crise de desregulação. Diz que bancos
Consensualização e Termos de Ajustamento de Conduta.40
sombras fora da regulação movimentaram trilhões no passado
Caráter técnico das agências reguladoras .........................40 e que mensagens dos agentes desses bancos denegriram esse
sistema econômico confiando no jargão “too big to fail”1. Hoje
Questão do Pessoal............................................................40
há certo reconhecimento de que existem falhas de mercado
Estabilidade dos dirigentes ................................................40 devidamente mapeadas e comprovadas empiricamente.
14 Princípios de Direito da Regulação no Brasil ................40 PRINCIPAIS FALHAS DE MERCADO:
Lei da Anatel para depois da prova. ...................................40 1º) Assimetria de informação:
E-mail do professor anterior à P1: .....................................40 Risco moral. Ideia de que se tenho um seguro de
automóvel, corro mais riscos do que aquele que não tem
seguro, porque deixo meu carro na rua, cuido menos. Algumas
Professor defende que a relação custo benefício deve pessoas tinham informações privilegiadas que os tomadores
levar em consideração parâmetros econômicos e sociais. de empréstimo e os investidores não possuíam. Saber que os
Exemplos de regulação: derivativos estavam podres era uma informação que alguns
privilegiados tinham em função da falha de mercado chamada
 A OMS disse que vários agrotóxicos são assimetria de informação. Há assimetria de informação entre
comprovadamente cancerígenos embora largamente o dono do carro e o comprador na venda de carros usados
utilizados pelo Brasil. A Agência americana que cuida (carros abacaxi; caso lemons).

1
The "too big to fail" theory asserts that certain corporations, popularized by U.S. Congressman Stewart McKinney in a 1984
particularly financial institutions, are so large and so interconnected Congressional hearing, discussing the Federal Deposit Insurance
that their failure would be disastrous to the greater economic Corporation's intervention with Continental Illinois.[2] The term had
system, and they therefore must be supported by government when previously been used occasionally in the press (Wikipedia).
they face potential failure.[1] The colloquial term "too big to fail" was
CADERNO DA MARINA LOPES
2º) Poder dominante: PRINCIPAIS FALHAS DE GOVERNO:
Tendência muito forte de alguns agentes econômicos de 1) Miopia Temporal
acabarem com a livre concorrência. Ideia de domínio. Nas
Quando o governo tendencialmente está voltado a
licitações públicas isso acaba em superfaturamento, cartéis...
decisões de curto prazo (miopia temporal). Governo
Poder dominante tem também a ver com fusões. As empresas
preocupado com a eleição. O senso de racionalidade para
não podem ficar grandes demais. Também não podem ser
existir precisa de autonomia e independência.
pequenas demais. Ocorre, porém, que a lei de concessões, por
exemplo, quando fala em modicidade tarifária, não permite 2) Voluntarismo
que haja dois fornecedores de energia elétrica, é necessário A segunda falha de governo é o voluntarismo. O governo
haver escala (monopólio natural). Em outros setores o não pensa antes de agir e comete as maiores demonstrações
monopólio não é natural, então deve ser respeitada a de insensatez por falta de análise das consequências. As
possibilidade de concorrência (celulares). agencias reguladoras exercem a racionalidade intertemporal.
3º) Externalidades negativas: Então, temos falhas de mercado e outras de governo.
Monto uma indústria e gero poluição, mas não quero Será que existe uma super entidade regulatória que não vai
responder pelos custos decorrentes dessa poluição cometer nenhuma dessas falhas? Não. As agências
(compensação ambiental, saúde pública). Não quero reguladoras correm o risco de se deixar influenciar por essas
internalizar as externalidades negativas que eu gero. As falhas, por isso precisamos ter a contability, a prestação de
externalidades positivas também são geradas (educação, por contas. Não há garantia de que o regulador, por ter garantia
exemplo). A maior externalidade negativa é a poluição. Outro de ser independentemente, efetivamente o será. Todo ser
exemplo: tenho um setor de museu em Washington que humano é enviesado. Queremos ter instituições de Estado que
mostra como o americano foi condicionado a associar consigam pensar a longo prazo.
autonomia com o fato de possuir um carro. No Brasil,
importamos essa coisa, mas não deu certo, pois as pessoas se Objetivos da Regulação
endividam demais. Ex. de externalidades negativas:  Combater falhas de mercado, de governo, bem como as
congestionamento e poluição. próprias falhas regulatórias.
 Tomar cuidado para não cair no paternalismo autoritário.
Joseph S. (Regulation and Failure) diz que não há como Em contraposição a esse paternalismo autoritário, existe o
negar que existem problemas regulatórios de mercado, paternalismo libertário.
porque o mercado é falho. Sozinho se destrói. Livro de como estabelecer regras padrão inclusive em matéria regulatória:
Choosing Not to Choose (Cass R Sunstein).
Outras falhas:  Alcançar o desenvolvimento sustentável nos termos do
art. 225 do CF. Uma regulação voltada para o PIB é infame.
4ª) Elevados custos de transação PIB é um péssimo indicativo. Não quer dizer qualidade de
5ª) Desalinhamento entre o agente e o principal vida. Para uma empresa, é mais barato pagar indenizações
O principal do médico é o paciente. Se o médico que do que fazer recall. Essa decisão econômica é imoral,
detém a capacidade de domínio da relação por informação insustentável, antijurídica, inconstitucional, mas é comum.
estiver desalinhado pelo interesse pode receitar um
Próxima aula: pesquisar derivativo2. Forex. Esse mercado
medicamento mais caro (não o mais indicado) para receber
mexe com trilhões por dia e está quase totalmente
incentivos/benefícios pessoais. O principal do político é o povo
desregulado.
que o elege. Só que o político é eleito por mecanismo de
campanha de financiamento de pessoas jurídicas, e o CONCEITOS DE REGULAÇÃO
patrocínio gera desalinhamento. 1) A regulação econômico-social consiste na atividade estatal
de intervenção indireta sobre a conduta dos sujeitos públicos
e privados de modo permanente e sistemático para
implementar as políticas de governo e a relação dos direitos
fundamentais; (Marçal Justen Filho). Quando o estado atua
prestacionalmente de forma direta, explorando atividade

2
Derivativos são contratos que derivam a maior parte de seu valor Os derivativos, em geral, são negociados sob a forma de contratos
de um ativo subjacente, taxa de referência ou índice. O ativo padronizados, isto é, previamente especificados (quantidade,
subjacente pode ser físico (café, ouro, etc.) ou financeiro (ações, qualidade, prazo de liquidação e forma de cotação do ativo-objeto
taxas de juros, etc.), negociado no mercado à vista ou não (é possível sobre os quais se efetuam as negociações), em mercados
construir um derivativo sobre outro derivativo). Os derivativos organizados, com o fim de proporcionar, aos agentes econômicos,
podem classificados em contratos a termo, contratos futuros, oportunidades para a realização de operações que viabilizem a
opções de compra e venda, operações de swaps, entre outros, cada transferência de risco das flutuações de preços de ativos e de
qual com suas características. variáveis macroeconômicas (Portal do Investidor).
CADERNO DA MARINA LOPES
econômica, não está regulando, é, pelo contrário, regulado. A racionalidade e aos critérios para aferir eficácia e
Petrobrás explora atividade econômica, é o Estado em efetividade de suas intervenções. Antes e depois da
atividade prestacional direta. A ANP (Agencia Nacional de tomada de decisão regulatória, a avaliação dos
Petróleo) multou já mais de uma vez a Petrobrás (atividade de impactos de longo prazo mostra-se crucial, porém
polícia repressiva regulatória). O professor concorda com com o cuidado de não se prestar como instrumento
Marçal no sentido de que a regulação é inerente ao Poder de paralisia em intermináveis trade-offs. Não deve
Administrativo de polícia, mas que merece uma teorização à sucumbir à tentação de
parte. Comentário sobre o conceito de Marçal: o professor justificar a posteriori decisões irracionais, tampouco
tem restrições a respeito da expressão “implementar políticas servir como barreira contra o cumprimento, em
de governo”. O professor acredita que políticas públicas são tempo útil, de funções constitucionais atinentes à
implementadas pela regulação, mas tais políticas públicas são promoção de práticas sustentáveis.
constitucionalizadas em grande medida e são diferentes de
política de governo (o governo tem falhas de governo). Sumário: 1 Introdução – 2 Questões medulares do
“Direito Fundamental à Boa Administração Pública”, livro do Direito Administrativo Regulatório – 2.1 Quanto às
professor que tem o conceito de política pública (último funções regulatórias do Estado-Administração – 2
capítulo de regulação). 2 Quanto à extensão da presença regulatória estatal
2) Conjunto de medidas legislativas administrativas – 2.3 Quanto à racionalidade regulatória
convencionais materiais ou econômicas abstratas ou – 2.4 Quanto às relações entre a regulação e os
concretas pelas quais o estado restritivo da autonomia novos achados sobre o comportamento dos agentes
empresarial ou de forma meramente indutiva determina a de mercado – 2.5 Quanto à possibilidade de realizar
conduta dos agentes econômicos para orientá-los em com métricas seguras avaliação de impactos
direções socialmente desejadas. Trata de regulação legislativa regulatórios – 3 Conclusões
além da administrativa. Não é possível regulação sem 1 Introdução
embasamento em lei. Conceito de Alexandre Aragão. Muito
amplo. Abre demais. A regulação estatal contemporânea tem de mapear
3) Regulação é a intervenção administrativa indireta com o e resolver satisfatoriamente impasses de fundo, sob
propósito de implementar com autonomia, eficiência e pena de não ter tração suficiente para viabilizar as
eficácia as políticas públicas constitucionalizadas via medidas estruturais indispensáveis ao
correção sistemática das falhas de mercado e de governo em desenvolvimento continuado. O imediatismo da
caráter promocional ou repressivo no intuito de tutelar a política convencional, a falta de sinergia entre os
eficácia direta e imediata dos direitos fundamentais das reguladores, o improviso voluntarista na
gerações presentes e futuras. Eficiência é fazer certo as coisas, implementação de políticas públicas, a cooptação
eficácia é fazer as coisas certas. Eficácia aqui não é aptidão patrocinada por grupos de interesse e o omissivismo
para produzir efeitos no mundo jurídico, é a obtenção de injustificável, tudo isso pode conspirar contra a
resultados compatíveis com os objetivos fundamentais da regulação entendida como intervenção indireta e
constituição. Ex.: ANCINE é basicamente só promocional. A proporcional do Estado-Administração no âmbito de
regulação tem que estar ligada a um projeto maior de Estado relevantes atividades econômicas e no campo de
Constitucional que é o projeto do Estado Sustentável. Quem serviços públicos, tendo como desiderato a obtenção
regula energia é o primeiro a dizer que precisamos de um de pressupostos qualitativos e quantitativos para o
plano de energias renováveis. A ANTT que trabalha com desenvolvimento sustentável, aquele capaz de
transportes tem que ter plano no sentido de que o modal viabilizar o bem-estar das gerações presentes sem
rodoviário deve receber investimentos menores do que o impedir o bem-estar das gerações futuras.
modal hidroviário e ferroviários. Nesse contexto, avultam temas cruciais e basilares a
O professor se opõe à teoria da discricionariedade equacionar. Em primeiro lugar, cumpre esclarecer,
administrativa mal compreendida. com a maior nitidez, as primordiais funções
regulatórias do Estado-Administração. Ato contínuo,
www.altosestudos.com.br  vários assuntos sobre direito cabe definir a extensão desejável da presença
Próxima aula: capítulo do Marçal Justen Filho sobre regulação regulatória do Estado e o grau de confiança que se
+ artigo do professor. deve depositar na racionalidade dessa atuação.
Outro tópico nevrálgico reside no esclarecimento de
Material enviado por e-mail: quais são as interfaces entre a regulação e os novos
achados sobre o comportamento dos agentes de
mercado e de governo. Por derradeiro, neste
Direito da regulação: avaliação de impactos de longo
primeiro momento, fundamental responder se é
prazo
plausível, com métricas relativamente seguras,
Resumo: A regulação estatal tem de enfrentar empreender uma consistente e congruente avaliação
determinados impasses, relacionados à de impactos regulatórios, a longo prazo.
CADERNO DA MARINA LOPES
Nas linhas que seguem, será oferecido o início de donde segue a relevância do (re)desenho
resposta conjunta a essas questões. A hipótese institucional e do escrutínio dinâmico de benefícios
básica é a de que apenas uma regulação de Estado líquidos de longo prazo, não apenas materiais; c) o
(não propriamente governativa), com a maior exercício, nos limites competenciais, da função
cientificidade disponível, revela-se inteligente e apta arbitral pública no setor regulado; d) o desempenho
a realizar (antes e depois da decisão) adequada de atividade (preventiva ou repressiva) de polícia
avaliação de impactos, de maneira a disciplinar, com administrativa em sentido amplo (ex ante e
eficiência e eficácia, os setores envolvidos, obtendo repressiva); d) a implementação, com avaliação
benefícios líquidos, (sociais, ambientais e contínua de impactos, das políticas públicas,
econômicos), aferíveis em horizonte temporal observados parâmetros cogentes (vinculantes da
prolongado. O estudo sugere, com o resguardo de discricionariedade), em face da constitucionalização
futuros desdobramentos, a viabilidade dessa de expressiva parcela dessas políticas; e) o fomento,
regulação mais desenviesada,1 sem incorrer nas o incentivo e o induzimento de modos de produção e
crenças ingênuas da resiliência do mercado2 ou na de consumo inclusivos, limpos e equitativos; f) a
quimera da completa imparcialidade. O que se promoção, com o respeito à autonomia, de ambiente
pleiteia é expressar os contornos de plausível padrão negocial previsível e desburocratizado, em especial
regulatório com impactos proporcionais, deixando na defesa do uso cooperativo dos bens de uso
nítido, de um lado, que os agentes reguladores comum do povo.
precisam ser capacitados para lidar com desvios
cognitivos e, de outro, que a arbitrariedade 2.2 Quanto à extensão da presença regulatória
regulatória pode ocorrer por excesso ou por omissão, estatal
diagnosticável em ambos os casos por uma avaliação No atinente à extensão da regulação administrativa,
apropriada de impactos. uma posição ainda muito difundida veta a regulação
2 Questões medulares do Direito Administrativo estatal, ao imaginar a máquina pública
Regulatório irremediavelmente contaminada ou
capturada.5 Revela postura pessimista sobre a
2.1 Quanto às funções regulatórias do Estado- política em geral, vistos os representantes e os
Administração eleitores como meros maximizadores de interesses
autocentrados do “homo economicus”,6 com total
Útil, de plano, retomar o conceito de regulação indiferença ao que afeta o bem de todos. Esta visão,
administrativa, a saber: trata-se da intervenção por assim dizer, cínica (ainda que apontando o risco
indireta3 do Estado-Administração no âmbito de
real de captura), resulta, no mais das vezes, em
atividades econômicas significativas ou no campo de
atitudes conformistas com o status quo e opera com
serviços normativamente essenciais, seja para a crença reducionista de que a natureza humana
incentivar boas práticas de governança, seja para seria apenas egoísta, sem lugar para o altruísmo, a
inibir condutas nocivas e combater falhas de reciprocidade, os princípios (como a impessoalidade)
mercado4 (posição dominante, assimetria de e a generosidade.7 Suspeita (ou nutre a certeza) que
informação, externalidades negativas, elevados não poderia haver agente estatal confiavelmente
custos de transação) ou de governo (patrimonialismo treinado para tomar decisões racionais menos
clientelista e imediatismo míope), com o fito de enviesadas,8 tampouco para alertar a sociedade
promover o desenvolvimento sustentável. Dito em sobre os riscos de manipulações gananciosas e
outros termos, trata-se da intervenção equívocos cognitivos. A concepção daí resultante, em
administrativa (não diretamente prestacional) que
termos de teoria do direito administrativo
visa implementar, com autonomia, eficiência e regulatório, conduz ao absenteísmo radical,
eficácia, as políticas públicas constitucionalizadas, via conjugado à rejeição de qualquer postura que
correção sistemática das falhas de mercado e de intente preservar a dignidade do indivíduo
governo, em caráter promocional ou repressivo, no vulnerável ou com autonomia diminuída.
intuito de tutelar a eficácia direta e imediata dos
direitos fundamentais das gerações presentes e Noutro polo, detecta-se a assunção autoritária de
futuras. que o regulador conhece exatamente o que é o
melhor para os demais. Em face disso, se julgar
Nesse horizonte conceitual, emergem, com limpidez, necessário, poderia impor escolhas sem discussão.
as principais FUNÇÕES REGULATÓRIAS, quais sejam: Para essa maneira de pensar a regulação, a liberdade
a) a defesa da eficácia direta e imediata dos direitos seria detalhe incômodo, que caberia ao Estado
fundamentais e da sustentabilidade de induções arredar ou suprimir em nome de supostos benefícios
estratégicas ou de interesse geral; b) a mitigação das superiores. O resultado costuma ser, na vida real, a
falhas de mercado e de governo, sem minimizar os negação nuclear dos direitos fundamentais, sob o
riscos de captura e ilusões cognitivas (“biases”), pretexto do intervencionismo governamental
CADERNO DA MARINA LOPES
onisciente, censor e substitutivo da sociedade, sem excessivo, no sentido de que a racionalidade regula-
requerer a sua mínima adesão. tória seria ilimitada, inspirada quiçá na ideia de razão
absoluta, no “demônio de Laplace” ou no solipsismo
Numa zona intermediária, com nuances mais ou cartesiano, que parece desconhecer inferências
menos intervencionistas (a depender do grau de inconscientes.17
confiança na racionalidade decisória do Estado9),
surge a posição que, embora admita que a regulação Outra concepção seria completamente pessimista: as
possa ser capturada, entende de todo conveniente decisões do Estado regulador tenderiam a ser tão ou
apostar numa arquitetura regulatória idônea, mais irracionais do que a dos particulares e,
articulada e independente,10 a ponto de permitir portanto, quando menor a intervenção, menores os
uma intervenção relativamente desenviesada e riscos e custos associados.
protetiva dos vulneráveis. Não há garantia de êxito
na blindagem institucional, donde segue a Finalmente, terceira posição (a preferível, por
importância da transparência e da participação simetria com a opção anterior) reconhece a limitação
pública no processo administrativo de regulação. Ou da racionalidade regulatória, sobretudo à vista dos
seja, esse modo de ver dá como evidente que o vieses cognitivos18 e, às vezes, de influências
mercado, entregue a si mesmo, corre o risco de se perniciosas. Contudo, ainda assim, não desiste de
tornar sistemicamente destrutivo e de maximizar, capacitar o regulador, com a maior cientificidade
não raro, a eficiência de modo trágico.11 Mas não disponível, para cumprir o seu papel interventivo da
desiste da racionalidade da regulação administrativa, maneira mais satisfatória possível,19operando
que pode-deve literalmente salvar vidas. Em outras deliberadamente com heurísticas e desmascarando
palavras, reconhece que a omissão racionalizadora fraudes e desvios. Esta terceira posição assume, em
pode ser fatal. O Estado-Administração assume, outras palavras, aquela racionalidade que se atém ao
nessa ótica, o irrenunciável papel de protagonista da essencial (quantitativo e qualitativo). Admite a
razão moderada, no intuito de, sem abrir mão de sua inexatidão de toda métrica e não renuncia à
presumível vocação emancipatória, alertar para as inteligência que mede custos diretos e indiretos, no
manipulações patológicas, coibi-las, assim como cotejo com os benefícios materiais e imateriais de
prevenir e corrigir falhas de mercado e de governo. longo prazo. A terceira posição cuida, pois, de não
Eis, ao que tudo indica, a melhor opção. As outras sonegar o ensejo de que a regulação se mostre, ao
conduzem ora ao Estado omisso, ora ao Estado mesmo tempo, positiva e pouco onerosa, sem
fortemente opressor, ambas fórmulas paralisá-la no cipoal de trade-offs infindáveis. Trata o
autocontraditórias. Mais: a terceira posição acervo de intervenções estatais indiretas como
experimenta chances concretas de melhoria ferramenta a serviço de benefícios líquidos20(sociais,
contínua de qualidade12 e de inteligente escrutínio, ambientais e econômicos), com a modéstia derivada
já para garantir a saúde pública e o bem-estar da compreensão de que, às vezes, o menos pode ser
socioambiental (não apenas econômico),13 já para mais e melhor.21Percebe as vantagens da
estabelecer condições hígidas de trocas, além de simplicidade não simplista no tratamento de
induzir a alocação eficiente e eficaz dos recursos questões complexas22 e não foge de críticas
escassos e a solidariedade (intra e intergeracional), a retrospectivas. Regula, com metodologias empíricas,
partir do reconhecimento de que a cooperação em abordagem marcadamente comparativa. Não
representa poderosa vantagem de grupo.14 supõe que a regulação seja o governo da razão estrita
ou da lógica formal, porque, para usar a famosa
2.3 Quanto à racionalidade regulatória imagem de Herbert Simon,23 a mente e o ambiente
trabalham como duas lâminas de uma só tesoura. Em
Tópico de notável relevo concerne à racionalidade termos de regulação satisfatória (não maximizadora
(como deliberação ponderada, justificada e de utilidade, a qualquer preço), opera com
consciente sobre meios e finalidades) do regulador racionalidade limitada, embora defina, com afinco,
às voltas com os seus limites (cognitivos e não as prioridades eleitas, pautando-se de acordo com
cognitivos15). Consiste em saber até que ponto a tais escolhas e acolhendo o caráter cogente de
regulação estatal (ou de qualquer natureza) está políticas constitucionalizadas.24
habilitada a tomar decisões racionais (não meras
opiniões impulsivas, acompanhadas de justifica- 2.4 Quanto às relações entre a regulação e os novos
tivas a posteriori) e a compensar as limitações achados sobre o comportamento dos agentes de
cognitivas ou morais, próprias e de terceiros, típicas mercado
do irracionalismo político.16
Uma abordagem considera que a regulação seria
No ponto, há, pelo menos, três posições. Uma eminentemente jurídica, sem vez para o diálogo
primeira é a do otimismo róseo e flagrantemente interdisciplinar com áreas complementares de
estudo do comportamento (economia
CADERNO DA MARINA LOPES
25
comportamental, biologia evolucionária, psico- factível a avaliação de custos e benefícios, sem
logia, neurociência, assim por diante). Em margem expressiva de erro, com aquela hiperbólica
contrapartida quase antitética, existe o enfoque de confiança ilimitada, aludida no tópico sobre a
que o jurídico deveria ser caudatário do racionalidade regulatória.
consequencialismo econômico, de molde a priorizar
decisões maximizadoras da eficiência, às quais o Revela-se, outra vez, melhor a posição ponderada: na
arcabouço normativo caberia, por via legislativa ou regulação, existem zonas de incerteza, deficiências e
interpretativa, simplesmente se ajustar. incognoscibilidade, todavia isso não significa
inviabilidade de avaliação razoável dos impactos de
Uma posição despida do extremismo das anteriores longo prazo, sobremodo se acompanhada da revisão
observa conscienciosamente que o estudo da crítica dos conceitos de perda e benefício.30 Quer
regulação não pode, embora mantida a centralidade dizer, plausível realizar uma avaliação de impactos
jurídico-normativa, ignorar os aportes valiosos de (inclusive distributivos), desde que com a cautela de
outros campos de pesquisa.26 Nota a valia de estudos traçar modelos e cenários alternativos, checá-los e
comportamentais que permitem abordagem mais ajustá-los continuamente, com o amparo simultâneo
rica e produtiva, desvelando vieses e heurísticas. das ciências e do escrutínio social.31
Trata, pois, de compreender o funcionamento
psicológico da tomada de decisões e, nessa A avaliação de impactos regulatórios é, assim,
perspectiva, desenvolve uma teoria da regulação instrumento significativo de análise custo-benefício,
voltada para lidar com tais vieses e heurísticas, custo-efetividade e multicritério.32Não pode ser pre-
sopesando as vantagens e os riscos correspondentes. texto para, na ambiguidade de considerações de prós
e contras, deixar de intervir quando a regulação se
No atinente ao alcance jurídico, por assim dizer, da mostrar normativa e empiricamente mais do que
regulação, uma primeira posição advoga o caráter defensável, obrigatória.
estritamente nacional. Qualquer tentativa de
extrapolar a esfera da jurisdição nacional seria Quer dizer, a avaliação de impactos regulatórios,
encarada como manobra corrosiva da soberania. A notadamente de longo prazo, a despeito das suas
concepção oposta superdimensiona o fenômeno naturais deficiências, pode ser valiosa ferramenta
inegável da globalização27 e magnifica os efeitos para responder, entre outras, às seguintes
do soft law. Novamente, afigura-se melhor, ao que indagações: “Qual é o problema a ser resolvido?
tudo indica, a posição balanceada, que reconhece o Quais são os objetivos a serem alcançados? Quais são
muito que se tem de fazer no âmbito nacional, mas as opções existentes para resolver o problema?
Quais grupos são potencialmente afetados pelo
percebe que determinadas regulações demandam
problema? Como pretende fazer a consulta? Qual
transcender o nacional (sem negá-lo), como sucede
nos emblemáticos casos de mudanças climáticas, das opções elencadas é a mais adequada para
perda de biodiversidade e sistema financeiro. Logo, a resolver o problema?”33 34
melhor opção consiste em afirmar a possibilidade de Mais: imprescindível perquirir sobre os custos diretos
atuação regulatória, sob certo aspecto, global, desde e indiretos de regular e de não regular (com ênfase
que não iniba a adoção de medidas internas, para os princípios da prevenção e da precaução),
preferencialmente as que demonstrarem efeitos além da justiça na distribuição de efeitos. Impõe-se,
benéficos universalizáveis. com acurácia, verificar se o problema é verdadeiro e,
Em resumo, o projeto de desenviesar e de em caso afirmativo, quais as suas causas. A
universalizar a regulação reclama abordagem jurídica intervenção (e a não intervenção) tem de encontrar
multidimensional, deixando de ver só aquilo que justificação explícita e convincente (baseada em
quer ver (viés da confirmação28) e de resistir à evidências), com alta inteligibilidade e pleno
inovação (viés do status quo29). Eis outra opção- respaldo no Estado Democrático de Direito.35
chave. Em suma, a avaliação de impactos regulatórios
2.5 Quanto à possibilidade de realizar, com métricas precisa servir para bloquear as regulações
seguras, avaliação de impactos regulatórios francamente nefastas (em termos sociais,
econômicos e ambientais), mas, sobretudo, para
Posição refratária diria ser impossível avaliar o apontar casos em que a omissão regulatória se faz
impacto (qualitativo e quantitativo) da regulação causadora de danos juridicamente injustos. Não
administrativa e, ainda que a admitisse viável, pode funcionar, por conseguinte, como estratagema
afirmaria ser inútil em função de suposta ausência do ardiloso para evasão de responsabilidades
interesse em promover ajustes e correções. Nessa constitucionais (fiscalização, incentivo e
visada, restaria condenada qualquer tentativa séria planejamento, nos termos do art. 174), nem como
de avaliação regulatória. Em sentido diametralmente guia presunçoso e ilimitado de conduta. Tem de
oposto, existe a posição que entende claramente respeitar os consagrados princípios da boa regulação
CADERNO DA MARINA LOPES
3
(tais como proporcionalidade, accountability, Vide JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de Direito
consistência, transparência e foco na minimização de Administrativo. 10. ed. São Paulo: RT, 2014, p. 688. A
adversos efeitos colaterais).36Para esse objetivo, regulação econômico-social consiste na atividade
importa reconhecer que existem regulações que estatal de intervenção indireta sobre a conduta dos
funcionam, outras que perturbam e finalmente as sujeitos públicos e privados, de modo permanente e
que devem ser evitadas a todo transe. sistemático, para implementar as políticas de
governo e a realização dos direitos fundamentais.
Boa avaliação regulatória, em última análise, será
4
aquela que efetivamente apontar alternativas que Vide, sobre defeitos de mercado que justificam
permitam tutelar, com eficiência e eficácia, os regulação, BREYER, Stephen et al. Administrative
direitos fundamentais dos usuários dos serviços Law and Regulatory Policy. 7. ed. New York: Wolters
públicos e dos partícipes de atividades econômicas Kluwer, 2011, p. 4-15.
sensíveis ou de interesse geral, sob o prisma 5
incontornável das prioridades constitucionais. Vide, sobre captura, STIGLER, George Joseph. The
Theory of Economic Regulation. Bell Journal of
3 Conclusões Management Science, 2 (1), p. 3-21, Spring 1971. O
risco desse enfoque é, mercê do excessivo temor de
Tudo considerado, observa-se que as questões captura, deixar de regular a contento.
inicialmente formuladas requerem um tratamento
6
sistemático. Desse modo, a extensão proporcional Vide, para ilustrar o estudo dos grupos de
(nem intrusiva, nem omissiva) da presença interesse, DOWNS, Anthony. An Economic Theory of
regulatória do Estado depende do entendimento de Democracy, New York: Harper and Row, 1957.
que, apesar de limitada, a racionalidade regulatória 7
relativamente desenviesada é possível. Vide, ao apresentar o altruísmo como conceito
biológico, SOBER, Elliot; WILSON, David Sloan. Unto
De outra parte, resulta manifesto que não se pode Others: the Evolution and Psychology of Unselfish
cogitar de soluções regulatórias acertadas, a longo Behavior. Cambridge: Harvard University Press,
prazo, sem contemplar as interfaces entre a 1998, p. 296-328.
regulação e os novos achados sobre o
comportamento humano, jamais trabalhando no 1) Direito Administrativo da Regulação: Sustentabilidade:
vácuo do formalismo. Energia solar: Surpresa positiva

Nesse enfoque, a avaliação segura de impactos Fonte: Exame


(qualitativos e quantitativos) da regulação é
O preço teto do leilão de reserva de 28 de agosto de 2015,
empreendimento que solicita racionalidade sempre
que contratará apenas usinas solares fotovoltaicas, foi bem
à prova. Ao que tudo indica, com a requerida cautela,
recebido no mercado, que espera disputa acirrada e vê o
tal avaliação torna realista a obtenção do padrão
sustentável de regulação administrativa com novo patamar alinhado às mudanças que impactaram o custo
impactos proporcionais. Padrão que se confunde dos projetos, como o novo cenário macroeconômico e a
com a observância rigorosa dos princípios da boa desvalorização do real. O valor limite para a energia gerada
regulação e das prioridades constitucionais. Nada pelos projetos foi definido pela Agência Nacional de Energia
disso acontece, todavia, se os reguladores não Elétrica (Aneel) em 349 reais por megawatt-hora, 33% acima
aprenderem a lidar, com filtragem autocrítica, com do praticado no primeiro leilão para as usinas fotovoltaicas,
os desvios cognitivos, entre os quais os vieses de em outubro passado. "O preço dá um sinal positivo do
confirmação e do status quo. Por fim, na perspectiva interesse do governo federal em desenvolver a fonte solar
esposada, lícito assinalar que a arbitrariedade fotovoltaica como relevante na matriz nacional. Estamos
regulatória ocorre por excesso ou por omissão. Esta confiantes para o leilão... com certeza a competição vai ser
última deve ser especialmente enfrentada, haja vista
bastante acirrada", disse à Reuters o diretor-executivo da
a forte tendência inercial ligada ao viés
Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar), Rodrigo
do status quo.
Sauaia. O diretor-executivo de sustentabilidade da E&Y,
Mário Lima, esperava um preço mais próximo do praticado
1
Vide FREITAS, Juarez. Direito fundamental à boa no último certame, e viu o valor estabelecido como uma
Administração Pública. 3. ed. São Paulo: Malheiros, surpresa positiva.
2014. "Veio bem acima do esperado. Existe uma margem para o
2
Vide SHILLER, Robert. Irrational Exuberance. 2. ed. mercado poder absorver tanto o aumento do dólar quanto o
New York: Broadway Books, 2009. do custo-Brasil", disse Lima, que cita maiores dificuldades de
financiamento como um dos fatores macroeconômicos que
reflete nos custos da energia solar.
CADERNO DA MARINA LOPES
"A taxa de retorno vai ser interessante, acho que vai ser dos empreendimentos está na região Nordeste, dado
melhor do que em alguns projetos que foram apresentados destacado pelo relator do processo, o diretor Reive Barros,
no primeiro leilão", comentou Lima. que observou a vocação da região para os empreendimentos
desse tipo de fonte, bem como o potencial econômico da
O real perdeu cerca de 38 por cento frente ao dólar desde 31
atividade para o desenvolvimento da região".
de outubro de 2014, quando foi realizado o primeiro leilão
solar do Brasil. 2) Direito Administrativo da Regulação: Alimentação limpa:
Seminário discute agrotóxico, em Porto Alegre
A disparada do dólar acendeu preocupações no mercado,
uma vez que a maior parte dos equipamentos para os Fonte: ZH
projetos será importada.
Cada brasileiro consome, em média, 7,3 litros por ano de
Além disso, o setor elétrico tem visto maior dificuldade na agrotóxicos, conforme dossiê da Associação Brasileira de
liberação de financiamentos pelo BNDES, fator que pegou Saúde Coletiva (Abrasco). No Rio Grande do Sul, o volume é
alguns empreendedores de surpresa. "A rentabilidade maior: de 8,3 litros ao ano. É como se cada gaúcho tomasse
desses projetos, mesmo em um cenário com BNDES e (uso de quase 14 garrafas de 600ml por ano de "veneno", como são
recursos do) Fundo Clima, não é tão espetacular assim.... mas chamados, popularmente, os insumos usados na agricultura,
a maioria dos projetos tem nomes grandes e bons por com a finalidade de controlar doenças e aumentar a
trás.Pode ter um ou outro ali que vai ficar (sem entregar), produtividade. Com objetivo de reduzir a quantidade de
mas a maioria vai (ser concluída)", disse à Reuters na semana agrotóxico usada no Estado, a Assembleia Legislativa
passada o chefe de Project Finance do Itaú BBA, Marcelo promoveu nesta sexta um seminário para discutir
Girão. alternativas. O encontro contou com a presença da ministra
do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que destacou duas
O diretor do Itaú afirmou que, nesse cenário, passa a fazer
frentes de trabalho que o governo federal já vem tocando: a
mais sentido para os investidores avaliar modelos de negócio
avaliação de insumos de baixa toxidade para produzir
que não incluam o uso de empréstimos do BNDES. "O
alimentos orgânicos e a produção de um novo relatório com
binômio painel importado com financiamento mais caro
produtos que não poderão ser utilizados ou então com
talvez já faça mais sentido que painel nacional mais caro e
melhores formas de aplicação.
financiamento mais barato do BNDES", disse Girão. (Fonte:
Exame) — Estamos muito preocupados em produzir alimentos mais
limpos e sustentáveis. Se tiver que usar (agrotóxico), temos
Nota: A propósito, em complemento, vide matéria da Aneel:
que encontrar produtos de baixa toxidade. Sou daquelas que
"O edital do Leilão nº 08/15, de energia de reserva, foi
não procura problemas, mas aposta em soluções — afirmou
aprovado nesta terça (28/07), durante a 27ª Reunião Pública
Izabella.A ministra, ao lado de integrantes do Ministério da
da diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).
Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde, apontou o
O certame será realizado no dia 28 de agosto para
problema das intoxicações por insumos agrícolas — que
contratação de energia de novos empreendimentos de
acabam sobrecarregando e onerando o SUS. Mais do que
geração a partir de fonte solar fotovoltaica, com início de
isso, ressaltaram o limbo das subnotificações, já que os sinais
suprimento em 1º de agosto de 2017. O leilão será realizado
da contaminação, por apresentarem sintomas comuns como
pela Internet, com operacionalização da Câmara de
dor de cabeça e náuseas, não são mapeados e, portanto,
Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo. A
ficam à margem das políticas públicas. O encontro serviu
energia elétrica gerada será objeto de Contrato de
para lançar a Frente Parlamentar Gaúcha em Defesa da
Energia de Reserva (CER), nas modalidades por quantidade
Alimentação Saudável, que vai formar um grupo de trabalho
de energia com prazo de suprimento de 20 anos. O Preço
com movimentos sociais, ecologistas e órgãos públicos — a
Inicial do Produto Quantidade, para empreendimentos fonte
iniciativa da frente é do deputado Edegar Pretto (PT). Entre
solar fotovoltaica será de R$ 349/MWh. O documento
seus primeiros objetivos está a aprovação de uma lei que
segue as diretrizes publicadas nas
obrigue a rotulagem de agrotóxicos nos produtos e outra que
Portarias, 275/2015 e69/2015 do Ministério de Minas e
proíba a pulverização aérea no Estado, alegando que
Energia (MME). Os documentos relativos ao leilão estarão
pesquisas comprovam que apenas 30% do produto lançado
disponíveis na página da ANEEL (www.aneel.gov.br), a partir
atinge o alvo e o restante se espalha para outras áreas.Mais
de amanhã (29), em Espaço do Empreendedor, Editais de
de 800 pessoas participaram do seminário, entre elas
Geração.Para este leilão, o sistema de cadastramento da
representantes municipais gaúchos, ecologistas,
Empresa de Pesquisa Energética – EPE recebeu 382 inscrições
pesquisadores e movimentos sociais, como a Via Campesina.
de empreendimentos, cujas fichas de dados e demais
Apesar de elogiar a iniciativa da Assembleia gaúcha, que
documentos serão examinados no processo de habilitação
historicamente ajudou a encabeçar discussões
técnica que antecede a realização do Leilão. A maior parte
CADERNO DA MARINA LOPES
agroecológicas, a ministra deu um "puxão de orelha" nos Eles são cada vez mais onipresentes nos céus. É só olhar para
gaúchos. O Estado está em último lugar no ranking nacional cima: shows, casamentos, manifestações - basta um grande
de adesão ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), com apenas evento e lá vem um drone bisbilhoteiro filmando tudo.
3% das propriedades registradas, iniciativa pioneira que visa Levantamento obtido pela reportagem do jornal O Estado de
fazer um raio-X da agricultura.— Esse cadastro acaba com o S. Paulo mostra, entretanto, que apenas sete veículos aéreos
achismo ambiental e vai ajudar no combate ao agrotóxico não tripulados (VANTs, como são chamados os drones) estão
com o mapeamento — justificou. regularizados no País. Estima-se entre 50 mil e 100 mil os
veículos do tipo no País - não há um número preciso, porque
3) Direito Administrativo da Regulação: Regras para "recall"
muitos são importados ilegalmente. De acordo com a
de alimentos
Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), os sete VANTs que
Fonte: Anvisa têm o Certificado de Autorização de Voo Experimental (Cave)
são: dois da Polícia Militar Ambiental de São Paulo, dois da
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou Polícia Federal, um do Departamento Nacional de Produção
(9) os novos critérios para recolhimento de alimentos com Mineral e dois da empresa Xmobots, localizada em São
riscos à saúde da população. Além de alimentos, bebidas e Carlos, no interior paulista. Há duas formas de regular o uso
águas engarrafadas, ingredientes, embalagens e qualquer desse equipamento hoje, segundo a Anac: como
material que entre em contato com alimentos durante o aeromodelismo (uso recreativo) ou para operações
processo de fabricação estarão sujeitos a essas regras, assim experimentais (geralmente voltadas a pesquisas). Embora
como a comunicação das empresas responsáveis com a uma proposta de regulamentação para operações não
Anvisa e os consumidores. A resolução foi publicada experimentais esteja em fase de construção, a Anac veta o
no Diário Oficial da União e entra em vigor em 180 dias. A uso das aeronaves sem autorização.
partir de agora, todas as empresas da cadeia produtiva de
alimentos deverão ter um plano de recolhimento de "A instrução da Anac prevê explicar seu projeto (de uso do
produtos disponível para funcionários e agentes de vigilância drone) e fazer o pedido (de autorização) com base na
sanitária, além de garantir a rastreabilidade dos produtos, normativa atual. Então, as filmagens comerciais estão
com sua identificação de origem e destino. irregulares", diz o engenheiro e advogado especialista em
tecnologia Hélio Ferreira Moraes, do escritório Pinhão e
Aprovada pela diretoria colegiada da Anvisa, a norma Koiffman Advogados. Para Moraes, o principal desafio é
determina que as empresas comuniquem a necessidade de aplicar sanções a quem já atua na ilegalidade. "A Anac está
realização de recall imediatamente após a identificação do anunciando uma consulta pública que regulamentaria o uso
problema. O descumprimento das novas regras caracterizará comercial dos drones, com categorias conforme peso e
infração à legislação sanitária. A empresa estará sujeita ao aplicação, mas está anunciando isso há mais de ano. O
recolhimento obrigatório dos produtos, à interdição, ao negócio está bem atrasado, todo mundo usando sem
cancelamento de autorização e a multa de R$ 2 mil a R$ 1,5 fiscalização", afirma. "Independentemente de regulamentar,
milhão. a Anac já teria de fiscalizar, mas, se for considerar que o
Segundo a Anvisa, além de disciplinar o pronto recolhimento órgão ainda tem de fiscalizar autorização de aeroporto,
dos alimentos, a medida objetiva responsabilizar o setor licença de aeronave, etc, é difícil imaginar que vá dar alguma
produtivo pela oferta de produtos impróprios ao consumo, prioridade aos drones." Para o engenheiro mecânico Giovani
fortalecer o controle sanitário e adotar mecanismos Amianti, diretor da Xmobots, a dificuldade da legalização, do
eficientes de gestão de risco que desonerem o Sistema ponto de vista empresarial, é o alto custo. "É preciso um
Nacional de Vigilância Sanitária do país. certificado de responsabilidade técnica, emitido por um
engenheiro, tem o trabalho do despachante, obrigatoriedade
A Anvisa compara dados de vigilância sanitária do Brasil e dos de seguro e taxas. Não sai por menos de R$ 15 mil", afirma.
Estados Unidos. No Brasil, dados do Boletim Saúde e É por isso, de acordo com ele, que as sete aeronaves
Segurança do Consumidor 2015, do Ministério da Saúde, regulamentadas são as de grande porte (mais de 7 kg), que
indicam que, em 2014, houve 120 campanhas de recall no custam entre R$ 150 mil e R$ 800 mil. A minuta que está
Brasil, sendo 15 relativas a produtos sujeitos à vigilância sendo preparada pela Anac e que deverá ser levada para
sanitária. Desses, seis foram referentes a alimentos. consulta pública se preocupa especialmente com o risco de
Nos Estados Unidos, a FDA (agência americana de regulação acidentes, tanto os que envolvem quem está em solo quanto
de medicamentos e alimentos) registrou 396 recalls em eventuais choques com aviões e helicópteros. As
2014, sendo 278 de alimentos. informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

4) Direito Administrativo da Regulação: Drones Comentários do professor ao capítulo do Marçal:


CADERNO DA MARINA LOPES
AULA 02 atividade econômica, o Estado age na fiscalização, incentivo e
planejamento (outras funções implícitas).
Independência decisória:
Independência administrativa, orçamentária e A regulação não é só econômica. Marçal diz que também
financeira. As agências reguladoras precisam ter autonomia é social. Tese francesa sobre regulação que o professor leu
financeira. Existe regulação fora das agências e dentro da tem como cerne a conciliação de objetivos econômicos e não
Administração Pública direta. Ex.: a agência de proteção econômicos na regulação. Saldar dívidas, ainda que isso cause
ambiental americana é vinculada ao Executivo diretamente. problemas econômicos é importante ou não? Posso diminuir
Agora, independência em relação ao governo, todas devem uma atividade econômica exigindo que polua menos ou posso
ter. fazer como fez SP agora, determinando a logística reversa3. No
entender do professor, essa legislação de SP corrobora a
Não temos agência federal de saneamento, porque a interpretação que o professor faz da Política Nacional de
titularidade é estadual ou municipal. O regime de titularidade Resíduos Sólidos (PNRS), Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010.
de água é assim: as águas são públicas, não há água particular. Há benefícios sociais em se combater a poluição (e também
Tampouco há águas municipais. São estaduais ou federais. A ambientais) que justificam atos de contenção.
titularidade do serviço de saneamento é produção política
estadual ou municipal. Existem serviços públicos que somente serão acessíveis
se tivermos as chamadas TARIFAS SOCIAIS (Estatuto das
Regulação ≠ Regulamentação concessões). Tarifa social de energia elétrica é, por exemplo,
A regulação, apesar de posição diversa do Eros Grau, não conceder desconto na conta de luz às famílias inscritas em
pode ser confundida com regulamentação, segundo Marçal. cadastro de pobreza. Justo ou injusto? Justo e necessário para
Esta está prevista no art. 84, IV da CF. Em direito que se cumpra um propósito irrenunciável m matéria de
administrativo, é uma espécie de poder normativo que serviços públicos: universalização. Agora, isso tem um custo
consiste no estabelecimento de regras infralegais para facilitar que será arcado pelo demais consumidores e pelo
a execução da lei (poder regulamentar). No Brasil, a concessionário que terá menos lucro (a taxa interna de
regulamentação se dá por resoluções (genéricas e abstratas ou retorno do concessionário será menor). Viagens gratuitas em
concretas). A regulamentação é uma faceta/dimensão da transporte coletivo interestadual por ônibus trem ou barco
tarefa regulatória. Também se trata de outra faceta quando para deficiência física mental auditiva ou visual.
se mexe no câmbio, nas sanções (regular mercado). A
Os objetivos sociais (art. 3 e 225 da CF4) estão na
regulação não se limite à regulamentação. A regulação está
interpretação sistemática da ordem constitucional.
muito presente no art. 174 da CF. Como agente regulador da

3
Entre outros princípios e instrumentos introduzidos pela Política regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de
Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei nº 12.305, de 2 de agosto origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de
de 2010, e seu regulamento, Decreto Nº 7.404 de 23 de dezembro discriminação.
de 2010, destacam-se a responsabilidade compartilhada pelo ciclo
de vida dos produtos e a logística reversa. Nos termos da PNRS, a Art. 225, CF Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente
responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos é o equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia
"conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o
fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, dos dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras
consumidores e dos titulares dos serviços públicos de limpeza gerações. § 1º Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe
urbana e de manejo dos resíduos sólidos, para minimizar o volume ao Poder Público: I - preservar e restaurar os processos ecológicos
de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como para reduzir os essenciais e prover o manejo ecológico das espécies e ecossistemas;
impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental II - preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético
decorrentes do ciclo de vida dos produtos, nos termos desta Lei." do País e fiscalizar as entidades dedicadas à pesquisa e manipulação
A logística reversa é um dos instrumentos para aplicação da de material genético; III - definir, em todas as unidades da
responsabilidade compartilhado pelo ciclo de vida dos produtos. A Federação, espaços territoriais e seus componentes a serem
PNRS define a logística reversa como um "instrumento de especialmente protegidos, sendo a alteração e a supressão
desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto permitidas somente através de lei, vedada qualquer utilização que
de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a comprometa a integridade dos atributos que justifiquem sua
restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para proteção; IV - exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou
reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou atividade potencialmente causadora de significativa degradação do
outra destinação final ambientalmente adequada. ” (Ministério do meio ambiente, estudo prévio de impacto ambiental, a que se dará
Meio Ambiente). publicidade; V - controlar a produção, a comercialização e o emprego
4
Art. 3º, CF: Constituem objetivos fundamentais da República de técnicas, métodos e substâncias que comportem risco para a vida,
Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e a qualidade de vida e o meio ambiente; VI - promover a educação
solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública
pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e para a preservação do meio ambiente; VII - proteger a fauna e a flora,
CADERNO DA MARINA LOPES
Intervenção indireta reguladoras federais, mas temos outras autarquias
A intervenção administrativa é indireta. Por que não é reguladoras como a CVM e o CADE. Na regulação das 10
direta a regulação? Porque a direta se dá na prestação de federais, fica claro que a agência implementa políticas
serviços públicos pelo art. 175 da CF ou na execução indireta públicas, mas não as formula. Não é um fim em si mesma.
em que permanece a titularidade do serviço público (art. 173, Implementa criticamente. A agência não decide fazer ou não
CF - empresas públicas e sociedade de economia mista - ou art. fazer trem bala, mas pode dizer qual melhor forma de trilho,
177, CF - regime de monopólio; ex.: empresa pública de de traçado, pode falar se é ou não anti-econômico... Se a
correios e telégrafos que presta serviço público). O STF tem agência tiver independência real, é isso que ela vai fazer.
uma tese pragmática que reconhece que, mesmo sendo Importante! Não formula, mas implementa criticamente e
pessoa jurídica de direito privado, a empresa pública de não servilmente. A regulação propõe modos de implementar
correios e telégrafos (trabalhadores celetistas) está submetia políticas públicas.
ao regime de precatórios. O art. 174 fala em consórcio. A Outro ponto relevante, é que a agência reguladora tem
empresa pública federal CEITEC S.A situada em POA é a única que ter o cuidado de se auto conter e não inovar no seu
empresa no Brasil que produz chip. exercício de poder normativo. Não pode jamais, em suas
O Estado é regulador, prestador de serviços e resoluções, inovar como se legislador fosse. A atividade
empreendedor. O caso da CEITEC é típico caso de Estado regulatória no Brasil é sempre infralegal. Somente o art. 84,
empreendedor. Pesquisas voltadas para a inovação de longo VI, a e b da CF permitem ao Presidente fazer decretos
prazo quase sempre demandam, ao longo da história do autônomos (regulação autônoma). Algumas agências se
capitalismo, a participação do Estado como empreendedor. empolgam e criam punições/sanções indevidamente, pois
Exemplo robusto e irrefutável: a internet só é possível graças essa é a função da lei.
ao fato de que surgiu como algo do Estado. Depois foi que a
Funcionalização
iniciativa privada entrou no ramo. O táxi não é serviço público,
Há FUNCIONALIZAÇÃO, diz Marçal, dos poderes
é serviço regulado, segundo o professor, tendo, porém,
reconhecidos à iniciativa privada. Os serviços regulados são
algumas características de serviço público. O “uber” não foi
privados, mas não inteiramente de mercado (privados).
ainda regulado, mas o professor acredita que deva ser. O táxi
Quando o serviço é prestado mesmo que em direito privado,
é regulado, tem preço teto, mas nada impede que o motorista
ele é funcionalizado socialmente, passando a ter
(se for dono do taxi) dê desconto (existe essa margem). É
características de incidência de princípios de direito público.
possível e necessário que na atividade de intervenção
administrativa indireta o Estado seja promocional e repressor.  Funcionalização = incidência de princípios de Dir. Público
Aja com normas mandatórias.
Regulação e Poder de Polícia
Promocional: ANCINE; A regulação nada mais é do que EXERCÍCIO DO PODER DE
Repressor: ANP, ANEEL. POLÍCIA. Marçal diz isso com todas as letras. Não há agência
reguladora (vide as taxas de fiscalização) que não exerça poder
A regulação não se exerce só sobre particulares, mas de polícia. Poder de polícia é a restrição administrativa do
também sobre sujeitos de direito público e de direito privado. exercício dos direitos de liberdade e propriedade, tendo em
A ANP multou a Petrobrás em milhões pelo não pagamento de vista uma melhor coexistência social. A regulação impõe
dívida referente a royalties no Paraná. A ANEEL multou a deveres de abstenção e de ação eventualmente.
COPEL no Paraná por incorreção nos cálculos de
compensações dos consumidores. Características do Poder de Polícia
Autonomia a) Gratuidade e Proporcionalidade
A regulação das agências reguladoras, autarquias Jamais o exercício regular do poder de polícia
especiais, ocorre com FORTE AUTONOMIA. Outro ponto (proporcional/legítimo/legal) pretende indenização. Ele não
fundamental destacado por Marçal. Temos 10 agências causa dano. Quando alguém, no exercício da vigilância

vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-
função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização
os animais a crueldade. § 2º Aquele que explorar recursos minerais far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a
fica obrigado a recuperar o meio ambiente degradado, de acordo preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos
com solução técnica exigida pelo órgão público competente, na naturais. § 5º São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas
forma da lei. § 3º As condutas e atividades consideradas lesivas ao pelos Estados, por ações discriminatórias, necessárias à proteção dos
meio ambiente sujeitarão os infratores, pessoas físicas ou jurídicas, ecossistemas naturais. § 6º As usinas que operem com reator nuclear
a sanções penais e administrativas, independentemente da deverão ter sua localização definida em lei federal, sem o que não
obrigação de reparar os danos causados. § 4º A Floresta Amazônica poderão ser instaladas.
CADERNO DA MARINA LOPES
sanitária, vai até a farmácia, adentra a liberdade de comércio próximo a uma área de preservação ambiental importante do
e apreende um remédio, a farmácia perde a propriedade. país. Nesse caso o poder de polícia administrativa de órgão
Houve confisco? Não, pois o vendedor não poderia estar ambiental deve agir sobre o governo do DF, sobre pessoas
vendendo o remédio de forma irregular. A regulação está jurídicas de direito público, portanto7.
autorizada a restringir quase o núcleo da atividade
c) Coercibilidade
profissional. O princípio da proporcionalidade surgiu no
A regulação tem que ter poder de se impor. Registre-se
direito administrativo no estudo do poder de polícia. Caso5: ex
que a AGERGS é a única agência reguladora do Brasil que não
dirigente do Banco Central que prestou socorro ao Banco
pode multar, multando, porém, por delegação de outras
FonteCindam em 1999 foi condenado em ação de
agências.
improbidade e, 16 anos depois da condenação judicial, o TCU
determinou que ressarcisse os cofres públicos bem como que O professor insiste na ideia de que uma autarquia
pagasse uma multa de um milhão de reais. Entendeu-se, a reguladora pode SANCIONAR UM ESTADO DA FEDERAÇÃO ou
juízo do professor, de forma equivocada, que houve regulação a PRÓPRIA UNIÃO. Prova de independência em relação ao
desproporcional. O professor não viu ofensa à governo. Isso considerando o exercício regular do poder de
proporcionalidade, pela ideia do too big to fail. Em 1999, a regulação. Normalmente pensamos em regulação econômica,
quebra do banco socorrido talvez tivesse efeito similar a do mercado e particulares, mas isso é um erro. A regulação se
Lehman Brothers6. O dever de ressarcir surge quando há exerce sobre pessoas particulares e públicas. Ex.: Processo
atuação desproporcional. Atualmente, o Banco Central está administrativo sancionador instaurado pela CVM contra o
mexendo com swaps e, com algumas manobras erradas, está estado de SP (empresa metropolitana de águas e energias de
tendo prejuízos enormes. Será que isso é exercício regular? Se SP e companhia de saneamento de SP); Processo
for desproporciona, o BC vai ter que devolver, e ninguém mais administrativo sancionador instaurado pela CVM contra a
vai querer ser da diretoria. União na qualidade de controladora de centrais elétricas
(Eletrobrás)8. A legislação do CADE prevê multas bilionárias. As
b) Atuação também sobre pessoas de direito público
cimenteiras já receberam multas de mais de 3 bilhões. O
Sobretudo em matéria ambiental. Por exemplo, o maior
problema é cumprir a multa. De 2005 a 2010, somente 0,75%
lixão da América Latina fica a 15 km do Palácio do Planalto e

5
Em decisão unânime, o Tribunal de Contas da União (TCU) complexas operações e investimentos. Apesar disso, o colapso da
condenou nesta quarta-feira [06/08/2015] o ex-presidente do Banco instituição provavelmente será sentido por milhões de pessoas em
Central Francisco Lopes, os ex-diretores do BC Cláudio Ness Mauch e todo o mundo – pelo menos indiretamente. Muitos bancos e fundos
Demósthenes Madureira de Pinho Neto, o Banco FonteCindam e de pensão têm negócios com o Lehman Brothers ou com firmas
alguns de seus executivos a devolverem R$ 522 milhões aos cofres como fundos de hedge que operam exclusivamente com o banco.
públicos. A cifra é de 1999 e ainda será corrigida. Deve alcançar R$ Desatar as complexas relações do Lehman Brothers pode levar
3,77 bilhões. O TCU também multou o FonteCindam em R$ 1 bilhão semanas ou até meses. Neste tempo, o mercado financeiro
e as pessoas físicas envolvidas em R$ 1 milhão cada. Segundo o TCU, permanecerá confuso. Muitos bancos não saberão exatamente em
trata-se das maiores cobranças de multa e ressarcimento já que medida estão expostos ao Lehman, e será difícil liberar recursos
estabelecidas pelo tribunal. Os condenados ainda podem recorrer e, nestes casos. Ao mesmo tempo, isto deve intensificar a crise de
com isso, adiar ou até mesmo anular a punição. Mas, como o TCU crédito, com consequências potencialmente negativas para as
decretou também a indisponibilidade dos seus bens por um ano, eles companhias e os consumidores. O colapso dramático do Lehman
não poderão negociá-los. No caso do FonteCindam, foram Brothers também já abalou as bolsas, com os preços de ações
condenados o dono da instituição, Luiz Antônio Andrade Gonçalves; despencando em todo o mundo. (BBBC Brasil)
7
e os herdeiros de outro controlador do banco, Roberto José Depósito inadequado de lixo oferece riscos à maior unidade de
Steinfeld, já falecido. No caso dos herdeiros, a medida vai até o limite conservação ambiental do DF [Parque Nacional de Brasília]. A 15
do que foi transferido por meio da herança. [...] Segundo a relatora quilômetros do Palácio do Planalto, a capital do País abriga o maior
do processo, a ministra Ana Arraes, o socorro dado pelo BC ao lixão a céu aberto da América Latina. Com 174 hectares, e 30 milhões
FonteCindam em 1999, quando houve mudança do sistema de de toneladas de lixo acumulado, o Lixão da Estrutural não suporta
câmbio no país, não teve base técnica e beneficiou uns poucos em mais receber dejetos e deveria ter sido desativado em 1997, por
detrimento dos demais agentes do mercado. Além do FonteCindam, determinação judicial. Apesar disso, nove mil toneladas de lixo ainda
outro banco foi socorrido: o Marka, cujo processo ainda não foi são despejadas diariamente no local. Desse total, 70% são restos de
julgado pelo TCU. (Infoglobo Comunicação e Participações S.A) construções civis e 30% de lixo residencial e comercial. (R7)
6 8
O Lehman Brothers, quarto maior banco de investimentos dos Colegiado da CVM, por unanimidade de votos, em razão da
Estados Unidos, pediu concordata após incorrer em perdas relevância dos montantes envolvidos no caso concreto e dos
bilionárias em decorrência da crise financeira global. Temores de que consolidados precedentes em matéria de conflito de interesses, bem
a carteira de ativos do banco, em grande parte ancorada em valores como dos antecedentes da União perante esta Autarquia, decidiu:
hipotecários, valia muito menos do que o originalmente estimado Aplicar à União a pena de multa pecuniária no valor de
minaram a confiança na instituição de 158 anos. Do ano passado R$500.000,00, por votar pela renovação das concessões de
para cá [2008], Lehman Brothers viu suas ações despencarem mais distribuição e transmissão de energia elétrica de companhias
de 95%. [...] Ninguém tem cheque ou conta corrente do Lehman controladas pela Eletrobrás, infringindo, dessa forma, o disposto no
Brothers. Trata-se de um banco especializado em grandes e art. 115, §1º, da Lei nº 6.404/76. O processo foi instaurado pela
CADERNO DA MARINA LOPES
das multas ambientais aplicadas pelo IBAMA foram 1) Visão cínica
efetivamente pagas (dados de pesquisa realizada pelo próprio Ideia de que “se a regulação vai ser capturada, melhor não
órgão, que culpa a demora dos processos administrativos pelo regular”. Esse “melhor não regular” é equivocado. Problema
não pagamento das multas). A MULTA TEM FUNÇÃO DE de liberdade de escolha. Postura de total suspeita em relação
PERSUASÃO E INIBIÇÃO. à regulação. O professor pede para olharmos a nota do George
Uso político das estatais pelo acionista controlador em Stigler sobre captura da regulação.
detrimento do minoritário. O estatuto das estatais está 2) Visão equivocada
previsto na CF, mas ainda não existe. Há uma proposta do Intervencionismo estatal onisciente e hobbesiano. É o
PMDB sobre responsabilidade fiscal das estatais9. O Conselho que o professor chama de assunção autoritária. Modelo que
de Gestão que a lei de responsabilidade fiscal prevê não saiu é mais eficiente, mas não é eficaz. Impõe condutas como uma
do papel, o que é bom porque já existe o tribunal de contas. regulação chinesa. Paternalismo autoritário. Ex.: Proibir as
Regulação e Ciências comportamentais pessoas de se bronzearem de qualquer forma, porque a
Há nova tendência, conforme Marçal em rápido câmara de bronzeamento é cancerígena. Multa por atitude
apontamento, que é a regulação de acordo com ciências hostil ao próprio corpo.
comportamentais. Abordagem promissora que deriva das 3) Visão moderada
ciências comportamentais. Não adianta regular sem Posição que embora admita que a regulação é capturada,
inteligência estratégica, sem conhecer como funciona o e é claro que pode ser, entende de todo conveniente apostar
cérebro. Do Marçal o professor ainda apresenta a definição de numa arquitetura regulatória idônea articulada e
agência reguladora como autarquia especial independente independente. Atuação desenviesada e protetiva dos
com autonomia assegurada em face da administração direta vulneráveis. Melhor posição. Sem intervenção proporcional,
(regulação setorial) poderia haver omissão específica no caso de alvará dado às
Comentários do professor ao artigo câmaras de bronzeamento comprovadamente cancerígenas
Os objetivos da regulação não são apenas econômicos. de funcionarem. PRINCÍPIO DA CONFIANÇA LEGÍTIMA:
Seria um paternalismo autoritário ou libertário? Libertário e cidadão vulnerável confia que o poder público, ao dar uma
necessário, portanto (caso dos agrotóxicos que são chancela, um alvará, não o fará em detrimento da saúde dos
declaradamente cancerígenos conforme a OMS e precisam da administrados. Há um espaço que deve ser regulado e outro
regulação que salva vidas). que deve ficar a critério da escolha do cidadão. Apesar disso,
é dever do Estado, por força do art. 196 da CF pelo menos “dar
Qual foi a agência que fez pela primeira vez a avaliação de um toque”10.
impacto regulatório? A ANVISA. Ano passado o Senado sustou
uma resolução da ANVISA que proibia a venda de AULA 03
emagrecedores à base de anfetaminas. Princípio da prevenção Administrative Law and Regulatory Policy: Problems Text, and
e da precaução. No entender do professor já deveria ser Cases. Stephen G. Breyer, Richard B. Stewart, Cass R. Sunstein,
obrigatória a regulação interventiva (avaliação de impacto Adrian Vermeule, Michael Herz.
regulatório obrigatório). O PMDB tem a proposta de tornar
obrigatória tal avaliação. Ex.: A câmara de bronzeamento RAZÕES DA REGULAÇÃO
artificial, porque comprovadamente cancerígena, foi proibida. Páginas 4 e 15

Superintendência de Relações com Empresas em face da União uma proposta de lei de responsabilidade para as estatais. Segundo
Federal, a fim de apurar um suposto descumprimento do art. 115, Cunha, a nova legislação seria criada nos mesmos moldes da Lei de
§1º, da Lei nº 6.404, de 1976. Segundo o Termo de Acusação, a União Responsabilidade Fiscal e teria o objetivo de dar maior transparência
teria violado a disposição legal que trata do impedimento de voto às contas das estatais. A Lei de Responsabilidade Fiscal foi criada
por conflito de interesses, ao votar em assembleia geral para controlar os gastos da União, dos estados e dos municípios. A
extraordinária da sua controlada Centrais Elétricas Brasileiras S.A. – lei obriga que os governantes prestem conta de suas finanças aos
Eletrobras, realizada em 3.12.2012. Naquela ocasião, a União votou TCU, TCE, órgãos responsáveis por aprovarem ou não as contas
favoravelmente à renovação de contratos de concessão de geração públicas. (G1)
10
e transmissão de energia elétrica celebrados entre ela própria, Nudge, o nome do livro de THALER & SUNSTEIN (2009) significa dar
enquanto poder concedente, de um lado, e sociedades controladas este empurrão. Logo no começo eles explanam sobre o tema:
da Eletrobras, enquanto concessionárias, de outro. (CVM) “Nudge significa ‘empurrar levemente ou tocar suavemente nas
9
Os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da costelas, especialmente com o cotovelo’. Uma pessoa que faz isso –
Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciaram nesta quinta-feira a ‘para alertar, lembrar ou alertar levemente outra’ – (...)”
criação de uma comissão mista no Congresso Nacional para elaborar
CADERNO DA MARINA LOPES
- Razões econômicas Se a regulação quiser tratar das externalidades
- Razões econômicas menos consolidadas (p. 8) positivas, como a educação, será apenas para incentivá-la.
Atividade de FOMENTO do Estado. A regulação é feita pelo
- Reflexo no campo antidiscriminatório
próprio Ministério ou por entidades indiretas. Temos no BR
- Planejamento/Planning (p. 11) uma Fundação que avalia os programas de pós-graduação
- Paternalismo libertário brasileiros. Alguns ficam com nota baixa, 3 de 0 a 7, por
Why Regulate? exemplo, e essa avaliação se traduz em uma garantia à
a. Market Failures: regulation to achieve public objective sociedade interessada em se matricular em alguma das
marketplace cannot provide. instituições examinadas. Se a educação for de qualidade,
i. Control of monopoly power produz externalidades positivas.
ii. Compensation for inadequate information
Fenômeno das externalidades por PAUL KRUGMAN
iii. Collective action problems
(economista norte-americano, vencedor do Nobel de
iv. Correction for externalities, transaction costs
Economia de 2008): em lugar de a regulação de Estado tratar
b. Less Secure Economic Grounds:
de impor custos para o produtor econômico de bens ou
i. Control of windfall profits
serviços, a própria sociedade deveria barganhar e negociar
ii. Elimination of “excessive” competition
desde que os bens de propriedade fossem bem definidos e
iii. Alleviation of scarcity
desde que os custos de transação fossem baixos ou idealmente
iv. Agency problems
não existissem.
v. Redistribution
vi. Nonmarket / Collective Values Fenômeno das externalidades por RONALD COASE: em
vii. Disadvantage and Caste artigo de 1960, o economista e também ganhador do prêmio
viii. Planning Nobel, Ronald Coase, argumentou que, em um mundo ideal, o
ix. Paternalism setor privado poderia de fato lidar com todas as
externalidades. Ele criou um teorema conforme o qual,
mesmo na presença de externalidades uma economia sempre
JUSTIFICAÇÕES ECONÔMICAS poderia alcançar uma solução eficiente, desde que os custos
de realizar uma transação (custos de fazer um negócio) fossem
A - FALHAS ECONÔMICAS suficientemente baixos. Segundo o teorema de Coase, os
1- EXTERNALIDADES OU CUSTOS DE TRANSAÇÃO efeitos negativos da produção deveriam ser devolvidos entre
A primeira falha de mercado (p. 5) que justifica a a fábrica poluente e os afetados (os vizinhos, por exemplo). Os
regulação administrativa e o direito da regulação é vizinhos escolheram morar perto e devem negociar com a
externalities of transaction costs. A EXTERNALIDADE fábrica. Se as partes forem capazes (informação, resistência),
NEGATIVA é um problema, mas as EXTERNALIDADES diante de um baixo custo de transação, poderiam chegar a um
POSITIVAS não. Spill-over effects (efeitos transbordantes dos acordo, não precisaria o Estado regular. A solução seria a
nossos atos). Efeitos colaterais, indiretos, inicialmente não redução dos transation costs a custos possíveis para se
desejados, mas que sobrevêm mesmo assim. Ex.: poluição, chegar a um acordo (que compense as externalidades).
acidentes (externalidades negativas). Uma política que
No caso da chuva ácida, seria proibitivamente caro tentar
incentive crédito para aquisição de veículo tem como efeito
fazer acordo entre todas as pessoas prejudicadas e a
colateral negativo a poluição, o congestionamento...
termelétrica privada. Quando os transaction costs não
O produtor maximiza seu benefício com a produção e permitissem que o setor privado lidasse com externalidades,
transfere o custo das externalidades para a sociedade. As então, daí já segundo KRUGMAN, seria o momento de
externalidades passam a ser um CUSTO SOCIAL NÃO examinar as soluções do governo.
ASSIMILADO PELO PRODUTOR. Uma das tarefas do Estado
Será que poderíamos imaginar um cenário em que haja
regulador é fazer com que esse produtor internalize tal custo
redução de custo de transação para negociarmos com as
ao máximo, até para inibi-lo, para motivá-lo a realizar
fábricas de Gravataí? Nem o mais otimista dos seres imagina
investimentos que redundem na redução das externalidades.
que isso reduziria a poluição do Rio Gravataí.
A regulação frequentemente é justificada pela necessidade de
compensar o fato de que o preço do produto não reflete os Krugman fala que com a chegada da lei do ar puro em
custos de sua produção e os custos impostos à sociedade para 1970, regulando a emissão de dióxido de enxofre, a acidez das
sua produção. A lei do regime diferenciado de contratações foi chuvas declinou significativamente. Algum tipo de intervenção
muito feliz ao falar em custos indiretos (custos relacionados (pode não ser pela criação de um tributo) seria, então,
às externalidades negativas). necessário. A quantidade de poluição numa economia de
mercado sem intervenção pública será maior do que numa
CADERNO DA MARINA LOPES
sociedade econômica ótima. Longe das abstrações, o que 3 – INFORMAÇÕES ASSIMÉTRICAS
temos é que as transações têm custos expressivos na vida A regulação existe para compensar informações
concreta. A economia do mercado sem regulação produz mais inadequadas que também podemos chamar de assimétricas
externalidades negativas do que seria razoável para a ou privilegiadas. Informação assimétrica, segundo Krugman,
sociedade assimilar. É claro que existem empresários que ocorre quando algumas pessoas sabem coisas que outras não
patrocinam causas sustentáveis, mas são a minoria. O que sabem e usam isso para distorcer decisões econômicas
prepondera hoje é o que está no livro de R. Schiller e G. Akerlof fazendo com que transações econômicas mutuamente
(Espírito Animal). Se alguém mora perto de usina nuclear e benéficas deixem de acontecer. No mercado de capitais, na
reclama que não está dormindo bem de preocupação, porque bolsa de valores, ter um inside information e utilizar para obter
sabe que a empresa não destina corretamente seus resíduos ganhos é delito grave e falha administrativa sancionável. Essa
sólidos de forma que as chances de acidente são gigantes, o sanção se faz no âmbito da CVM. Todos têm informações
empresário vai mandar a pessoa ir ao médico para que este assimétricas e alguns exploram essa diferença de informação
lhe prescreva medicamentos para dormir. Não ocorrem em detrimento de outros. A regulação tende a equilibrar o
acordos. jogo da informação. Fazer, por exemplo, com que o banco
informe claramente os riscos da aplicação. Isso é equilibrar o
2 - COLLECTIVE ACTION PROBLEMS:
jogo. Os bancos hoje são obrigados a desenhar o perfil do
Problemas de ação coletiva. Comportamentos racionais
investidor e a não oferecer produtos fora desse perfil. Existem
individuais de busca da maximização da utilidade individual
produtos que só podem ser oferecidos para investidores super
produzem danos coletivos, públicos e que podem ser trágicos.
qualificados financeiramente (presunção de que possuem
Acordo de delação (delação premiada). Indivíduos agindo em
educação financeira). A CVM não se preocupa muito com
seu autocentrado (racional) interesse criam problemas para
pessoas com mais de 10 milhões de reais. Se a pessoa aceitar
todos. Tragédia dos Commons, tragédia dos bens comuns.
ser super qualificada, a CVM deixa de se preocupar muito com
Existe também a tragédia dos anti commons (quando a
ela. Agora, a pessoa com mais de 10 milhões pode se recusar
propriedade está fragmentada demais). Há um texto de 68
a ser considerada super qualificada.
inspirado em inglês do final do século XIX. Na Inglaterra,
quando não havia delimitação da propriedade, os pastos eram Fenômenos associados à informação assimétrica
dos pastores e cada um tinha suas ovelhas. Cada vez mais os I) SELEÇÃO ADVERSA
pastores que prosperavam ocupavam espaços maiores Pode ser exemplificada por meio de exemplo clássico do
coletivos. A área comum se extenuou, acabando o pasto. Essa “Market of lemons”. Lemon é o que chamamos de abacaxi
é a tragédia dos commons, quando todos maximizam sua (defeituoso). Carros bons dificilmente estão à venda como
vontade individual autocentrada temos uma tragédia usados. Por quê? Porque os carros oferecidos para venda têm
coletiva. Quando o autor fala em Government regulation, a tendência forte a ter problemas (tese do ensaio). Como os
tradução é “regulação pública” e não “regulação do governo”. vendedores potenciais sabem mais da qualidade do que o
A única forma de lidar com a tragédia dos commons é comprador potencial, têm incentivo para selecionar as coisas
PROMOVER A INTERAÇÃO COLETIVA (PROCESSO piores para vender. Essa assimetria de informação e o
COOPERATIVO). Escola do interesse público vs. Escola do comportamento de seleção adversa trazem desconfiança aos
interesse privado. Essa conversa lembra a Escola do interesse consumidores o que leva à queda do preço médio do produto.
público. Se a regulação estatal não conseguir incentivar a A desconfiança reduz o preço. O sujeito que tem um bom carro
public good (bem de todos) não é o mercado sozinho que vai não aceita que seu carro valha tão pouco, então, se tiver que
conseguir. Visão realista dos autores de que uma das funções vender, sai prejudicado. Este é o problema da seleção adversa.
básicas da regulação no sentido de resolução dos problemas A falta de informação simétrica implica SELEÇÃO DOS PIORES
de ação coletiva é encontrar uma regulação correta que PRODUTOS. O segundo exemplo é o caso das seguradoras.
compatibilize objetivos econômicos e não econômicos que Tendem a fazer seguros aqueles que têm risco superior à
incentive a cooperação. É o oposto da visão do homo média. As seguradoras preferem mulheres, porque
economicus tradicional. Uma das alternativas seria delimitar estatisticamente são mais cautelosas. As cidades mais
bem as propriedades, mas isso não funciona, porque alguns violentas são aquelas em que a população mais tem seguros.
bens devem/precisam ser comuns. A GRANDE SOLUÇÃO É A Como se reduz a seleção adversa?
PROMOÇÃO DA ECONOMIA COLABORATIVA OU  Reputação: pessoa/empresa é reconhecida por vender
COOPERATIVA (ECONOMIA COMPARTILHADA). Incentivar os com seriedade, por exemplo.
traços não autocentrados do homem. Não se trata de um  Garantias longas;
discurso ético exortativo. Deixado solto o mercado produz a  Regulação administrativa.
tragédia coletiva.
CADERNO DA MARINA LOPES
II) RISCO MORAL empresas fortes incentivos para prestar serviço às fragilidades
Exemplo típico de risco moral por informação assimétrica humanas e lucrar com elas. A só concorrência não resolve, tem
é o caso dos bancos que nunca pensaram que pudessem que haver regulação.
quebrar, porque pensavam que teriam algum auxílio estatal
(socorro financeiro). Esses bancos ASSUMEM RISCOS MUITO
4 - THE LEAD TO CONTROL MONOPOLY POWER
ALÉM DO QUE A PRUDÊNCIA ACONSELHA. Figuras que se Ao invés de “necessidade de controlar o poder de
consideram too big to fail (o Banco Central e a CVM cuidam monopólio” o professor vai usar a expressão brasileira. A Lei
para que nossos bancos sejam conservadores e não estejam do CADE define o que é a posição dominante de mercado12.
alavancados demais). Quando a parte se fia em informação Art. 36, L. 12.529/11: Constituem infração da ordem
privilegiada ou na informação de que é grande demais para econômica, independentemente de culpa, os atos sob
quebrar, assume riscos imprudentes, não aceitáveis qualquer forma manifestados, que tenham por objeto ou
moralmente, colocando a economia no chamado RISCO possam produzir os seguintes efeitos, ainda que não
SISTÊMICO. Nos anos 70, houve uma “epidemia” de incêndios sejam alcançados: I - limitar, falsear ou de qualquer forma
em NY. O risco moral foi a explicação. Como os seguros haviam prejudicar a livre concorrência ou a livre iniciativa; II -
sido contratados por valores altos, e os preços dos imóveis dominar mercado relevante de bens ou serviços; III -
caíram, alguns mal-intencionados começaram a comprar aumentar arbitrariamente os lucros; e IV - exercer de
imóveis para atear fogo e embolsar o seguro. O dono do forma abusiva posição dominante. § 1º A conquista de
imóvel tinha informação privilegiada sobre se tomou ou não mercado resultante de processo natural fundado na
medidas adequadas de produção (plano de combate à maior eficiência de agente econômico em relação a seus
prevenção de incêndio). competidores não caracteriza o ilícito previsto no inciso II
Para mercados competitivos funcionarem bem (p. 6) os do caput deste artigo. § 2º Presume-se posição
consumidores precisam obter informações para avaliar os dominante sempre que uma empresa ou grupo de
competidores. Se faltam informações, o mercado falha11. empresas for capaz de alterar unilateral ou
coordenadamente as condições de mercado ou quando
Problemas cognitivos chamados desvios cognitivos todos controlar 20% (vinte por cento) ou mais do mercado
temos, pois a racionalidade humana é limitada. Sendo assim, relevante, podendo este percentual ser alterado pelo
é justo que tenhamos pessoas com expertise que possam nos Cade para setores específicos da economia.
ajudar a não tomarmos decisões que nos prejudiquem. Quem
estudou isso foi Daniel Kahneman (teórico da finança Uma das funções do Estado regulador, do CADE, é evitar
comportamental, a qual combina a economia com a ciência cartéis, inclusive nas licitações públicas, que distorcem o
cognitiva para explicar o comportamento aparentemente mercado a seu favor e impedem a realização dos princípios do
irracional da gestão do risco pelos seres humanos). O seu livro art. 170 da CF (equidade). Existem, contudo, monopólios que
“Rápido Devagar” mostra que nosso cérebro tem dois se justificam como o da energia elétrica, chamados
sistemas e temos vários automatismos mentais que podem MONOPÓLIOS NATURAIS. Mesmo estes, porém, precisam de
nos atrapalhar quando não conseguimos processar bem as regulação, porque precisam continuar investindo, precisam
informações. Nesse contexto a regulação nos ajuda. Os ser forçados pelo Estado, uma vez que a margem de lucro já
mercados, apesar de suas virtudes (autor liberal) dão às está estabilizada. O Brasil é um país altamente CONCENTRADO
ECONOMICAMENTE13. Quem diz isso com todas as letras é o

11
Exemplo brasileiro: o que aconteceu semana passada em relação discrimination amongst different consumers (Peak load pricing).
a alguns planos de saúde em função de uma medida tomada pela (Economicsdiscussion.net)
13
ANS. Vários planos foram suspensos em função do desrespeito ao Além da concentração espacial ou geográfica [indústrias procuram
vulnerável consumidor. A alternativa à regulação do Estado (ANS) se localizar nas áreas que oferecem a maior quantidade ou a melhor
seria a seguinte (liberal radical): cada um negocia com o plano de combinação possível de fatores necessários à produção (fontes de
saúde e telefona para os consumidores para perguntar se estão energia, mão de obra, transporte, capitais, mercado consumidor)],
existe também a concentração financeira ou, digamos, a
sendo bem atendidos (impraticável, por isso é boa a regulação).
12
concentração econômica ou empresarial. Essa forma de
Monopoly is known as a great social evil because the monopolist
concentração começou a acentuar-se no final do século XIX com a
charges high price. Monopolist does not produce at full capacity and
formação de fruístes e cartéis para monopolizar o mercado
resorts to price discrimination. Under this system, there is no rival
(capitalismo monopolista). No século XX, e sobretudo nos dias atuais,
competitor, and sells lesser output but earns more profit. It increases
essas concentrações estão representadas pelas conhecidas
inequality of income. Thus, many steps are suggested regulating
multinacionais (ou transnacionais), gigantescas empresas que
monopoly. There are three methods of controlling monopoly. These
dominam a maior parte do mercado mundial. Embora atualmente o
are: 1. By regulation through taxation. 2. By regulation of conditions
monopólio total seja raro (o oligopólio é mais comum) e proibido
of monopoly, as in case of natural and regulated monopolies (MC
pela legislação de grande parte dos países, o que se verifica na
pricing). 3. By anti-monopoly laws and policies to prevent unfair price
prática é o emprego de vários artifícios ou expedientes (cartéis,
CADERNO DA MARINA LOPES
atual presidente do CADE. Concentração é quando alguns aprecia processos relativos a atos de concentração econômica
players dominam o mercado. O STF está julgando uma disputa para evitar o poder dominante de mercado.
de competências entre o Banco Central e o CADE (mas o
Art. 7º A perda de mandato do Presidente ou dos
professor acha inútil discutir isso14). Sem a regulação, o
Conselheiros do Cade só poderá ocorrer em virtude de
mercado tende a se tornar altamente dominado por alguns
decisão do Senado Federal, por provocação do Presidente
players que produzem o quanto querem pelo preço que
da República, ou em razão de condenação penal
querem. A sociedade funciona melhor se tivermos LIVRE
irrecorrível por crime doloso, ou de processo disciplinar
COMPETIÇÃO (art. 170, IV da CF). A economia altamente
de conformidade com o que prevê a Lei nº 8.112/90 e a
concentrada desestimula a produtividade e a concorrência. O
Lei no 8.429/92, e por infringência de quaisquer das
sujeito muito dominador que não se expõe à concorrência
vedações previstas no art. 8º desta Lei. Parágrafo único.
tende a ficar preguiçoso, então a regulação deve incentivar a
Também perderá o mandato, automaticamente, o
desconcentração. A LC 123 tenta fazer isso. Num equívoco
membro do Tribunal que faltar a 3 (três) reuniões
monumental, o BNDES resolveu investir em “campeões
ordinárias consecutivas, ou 20 (vinte) intercaladas,
nacionais”15 para competir no mundo. O BNDES queria ter o
ressalvados os afastamentos temporários autorizados
maior frigorífico do planeta, isso é falta de conhecimento
pelo Plenário.
regulatório.
Descabimento do recurso hierárquico: é expresso (art.
AULA 04 9º, § 2º da lei do CADE). Não posso fazer recurso ao ministro.
O mercado sozinho não é capaz de alcançar o public good. Isso é importante. As decisões do Tribunal não podem ser
É isto que está dito na p. 6. Vimos a necessidade de compensar revistas pelo poder Executivo. Mais tarde vamos verificar se
a informação inadequada (por exemplo, regulação dos planos cabe esse recurso em relação às autarquias reguladoras.
de saúde, seleção adversa “caso dos lemons” e o risco moral - Depois vamos ver os compromissos de cessação e acordo de
too big to fail). Finalmente, falamos sobre a necessidade de leniência.
controlar o poder dominante. No caso de bancos, quem tem competência para
Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE examinar os casos de fusões é o Banco Central. Se duas
O CADE é uma autarquia federal vinculada ao Ministério empresas querem fazer voo compartilhado, o CADE deve
da Justiça (não subordinada) que tem estrutura muito analisar. Ano passado, um acordo entre a Gol e a TAP foi
assemelhada à das agências reguladoras em geral. O professor aprovado sem restrições. Quanto às cimenteiras, cabe ao
leu o art. 7º da lei sobre a impossibilidade de demissão ad CADE controlar se há ou não combinação de preço (cartel).
nutum e falou que os dirigentes têm quarentena. O CADE Ano passado, as maiores produtoras de cimento do Brasil (seis,
no total) foram condenadas a vender ativos e a pagar uma

acordos, consórcios, pulos, etc.) por parte dos grandes grupos (fls. 881 a 927) foi admitido (fls. 971 e 972). [...] Ante o exposto e
empresariais, com a finalidade de dominarem o mercado. acolhendo as ponderações ministeriais que são utilizadas também
(Clickescolar) como razões de decidir (fls. 959/961), nos termos do artigo 21, inciso
14
ADMINISTRATIVO - ATO DE CONCENTRAÇÃO, AQUISIÇÃO OU IX, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, julgo
FUSÃO DE INSTITUIÇÃO INTEGRANTE DO SISTEMA FINANCEIRO prejudicado o recurso extraordinário interposto pelo Banco de
NACIONAL - CONTROLE ESTATAL PELO BACEN OU PELO CADE - Crédito Nacional S/A e outro e, nos termos do artigo 557, caput, do
CONFLITO DE ATRIBUIÇÕES - LEIS 4.594/64 E 8.884/94 – PARECER Código de Processo Civil, nego seguimento ao recurso extraordinário
NORMATIVO GM-20 DA AGU. 1. Os atos de concentração, aquisição interposto pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica -
ou fusão de instituição relacionados ao Sistema Financeiro CADE. (STF - RE: 664189 DF, Relator: Min. DIAS TOFFOLI, Data de
Nacional sempre foram de atribuição do BACEN, agência reguladora Julgamento: 09/06/2014, Data de Publicação: DJe-148 DIVULG
a quem compete normatizar e fiscalizar o sistema como um todo, 31/07/2014 PUBLIC 01/08/2014)
15
nos termos da Lei 4.594/64. 2. Ao CADE cabe fiscalizar as operações Política de campeão nacional implementada pelo BNDES para, em
de concentração ou desconcentração, nos termos da Lei 8.884/94. tese, vencer a crise financeira internacional de 2008/2009 e manter
3. Em havendo conflito de atribuições, soluciona-se pelo princípio da o crescimento nacional. Campeões nacionais é como foram
especialidade. 4. O Parecer GM-20, da Advocacia-Geral da União, apelidados os grandes grupos que se tornaram líderes internamente
adota solução hermenêutica e tem caráter vinculante para a e ganharam espaço no mercado externo com apoio do governo.
administração. 5. Vinculação ao parecer, que se sobrepõe à Lei Segundo Roberto Russo, presidente do Frigorífico Independência
8.884/94 (art. 50). 6. O Sistema Financeiro Nacional não pode que entrou em recuperação judicial em fevereiro de 2009, três
subordinar-se a dois organismos regulatórios. 7. Recurso especial meses após receber aporte de R$ 250 milhões do BNDES “quando se
provido” (fls. 854/855). Opostos embargos de declaração (fls. 860 a faz uma política de campeão nacional e o governo arbitra,
865), foram rejeitados (fl. 872). No recurso extraordinário, o CADE automaticamente cria-se uma política de perdedores”. O BNDES é
sustenta que o acórdão do Superior Tribunal de Justiça incorreu em sócio do Frigorífico JBS que virou o maior grupo do mundo. O
violação dos artigos 131, 173, § 4º, e 192, da Constituição Federal. Frigorífico Independência foi adquirido pelo JBS em 2013 durante a
Contrarrazões a fls. 936/948 e fls. 953/969, o recurso extraordinário recuperação judicial, de forma que o BNDES não teve prejuízos.
(Folha e Veja)
CADERNO DA MARINA LOPES
multa de bilhões por compartilharem preço e impedirem a bem, mas quebrar os concorrentes por concorrência
entrada de novos concorrentes naquele setor do mercado. predatória deve ser vedado. Isso já aconteceu nos anos 30 nos
EUA em relação a companhias aéreas. Existe, além disso, um
Os MONOPÓLIOS NATURAIS ocorrem quando a ESCALA
problema muito sério que é o Dumping (inclusive na sua faceta
justifica a existência de um só player. Caso da empresa que
de dumping social). Digamos que uma empreiteira ofereça
presta saneamento e da energia elétrica. Isso não significa
preço manifestamente inexequível. Ela pode ganhar a
deixar o player solto, é necessário forçá-lo a fazer
licitação? Não! A lei geral de licitações categoricamente proíbe
investimentos, muitas vezes em razão da renda marginal
isso, porque é considerado dumping.
crescente, forçá-lo a determinar a alocação suficiente de
investimentos e a universalizar serviços que de outra maneira
Art. 48, L. 8.666/93: Serão desclassificadas: II - propostas
não seriam feitos se o monopólio ficasse solto (desregulado). com valor global superior ao limite estabelecido ou com
preços manifestamente inexeqüiveis, assim
B - LESS SECURE ECONOMIC GROUNDS considerados aqueles que não venham a ter demonstrada
Quatro fundamentos (menos seguros, porque mais sua viabilidade através de documentação que comprove
controversos) sobre motivos para regular. que os custos dos insumos são coerentes com os de
mercado e que os coeficientes de produtividade são
1 - CONTROLE DOS WINDFALL PROFITS compatíveis com a execução do objeto do contrato,
Lucros súbitos, inesperados, extraordinários que podem condições estas necessariamente especificadas no ato
ocorrer pela alta internacional de commodities ou pelo convocatório da licitação.
advento de nova tecnologia que reduz os custos, e as rendas
subitamente aumentam. Sobretudo em matéria de regulação Agora existe outro tipo de dumping cometido
de estoques o Estado pode e deve atuar. Todavia, quando fortemente na sociedade que é o dumping social. Produtos
advém do talento, da habilidade do produtor, talvez não que se tornam competitivos na cena internacional graças a
mereça maior intervenção restritiva. Necessidade de exame trabalho escravo, por exemplo. Esses produtos, a juízo do
casuístico. A ideia é impedir, de modo geral, lucros excessivos professor, deveriam ser objeto de altas restrições (exigência
em detrimento da sociedade pelo aproveitamento pela de comprovação de origem do trabalho – trabalho decente),
empresa de fatores externos que lhe forem favoráveis. Se um até mesmo proibidos ou banidos. Quem faz muito dumping
insumo determinado despenca no mercado internacional, no social é a índia e a China16.
setor regulado, os contratos de concessão, por exemplo, 3 - ALIVIAR A ESCASSEZ
poderão ser revistos para mais ou para menos (assegurada a P. 9. A regulação deve alocar o suprimento de escassez
taxa interna de retorno/ equilíbrio econômico-financeiro). derivada de seca (volume morto). Uma das funções das
O setor de alimentos é um setor estratégico. Existe uma agências reguladoras (ANA) é impedir que haja consumo
empresa pública chamada Companhia Nacional de excessivo, uso da água para fins outros que não os
Abastecimento – CONAB que faz as vezes de agência prioritariamente potáveis... Navegação é importante, mas
reguladora dos estoques de alimentos seja para a proteção primeiro vem a água para aplacar a sede humana. Uma função
dos consumidores, seja para a proteção dos produtores. clássica da regulação é aliviar a escassez (função estratégica e
necessária). A regulação pode ser praticada por agências
Agora, os setores de luxo são exemplos de market que a reguladoras, pela Administração Pública direta ou por
regulação não deveria intervir. Mercado de Ferrari, Audi e empresas públicas. A CONAB “regula com estoques” não
outros carros importados. apenas os casos de escassez, como também nos casos de
excesso. Ela segura estoques para impedir quedas ou altas
2 - ELIMINAR COMPETIÇÃO EXCESSIVA
drásticas nos preços, por exemplo.
Dessa competição destrutiva quem cuida é a CVM. A
ANAC também evita a competição predatória. Se uma 4 - PROBLEMAS DE AGÊNCIAS
empresa resolve colocar o preço das passagens aéreas a 10 O agente tem que trabalhar para o principal. Ele tem uma
reais por longo tempo, todos migram para essa empresa, e isso relação pactuada com o principal pela qual deve operar
não é aceitável. Uma promoção temporária, de episódio, tudo segundo as conveniências do principal. Principal: agência

16
Problema paralelo que não está no livro: crise chinesa. Ontem foi perdendo competitividade. Por que tratar disso agora? Pela palavra
a segunda-feira negra chinesa. A regulação chinesa tem limites para excessiva. Existe um problema hoje na China e no mundo que
intervir. A bolsa havia subido demais sem fundamentos econômicos permite esse tipo de “bolha”. Problema do excesso de liquidez
e agora estava caindo. Pelo que se consegue entender do que está (muito dinheiro parado). A China poupa demais, porque eles não
ocorrendo na China, a moeda chinesa estava valorizada em relação conseguem converter a economia chinesa em economia de consumo
às outras. Regulação errada, os chineses queriam que o FMI (chineses não tem previdência, então precisam poupar).
aceitasse a moeda chinesa. Esta moeda foi congelada e acabou
CADERNO DA MARINA LOPES
reguladora; Agentes: concessionárias de energia elétrica, por liberado pelo diesel, porque isso mata. Baseada nessa
exemplo. A ANEL é principal e as concessionárias são o agente. determinação foi editada a resolução nº 50 da ANP (Agência
Na relação médico-paciente, o contratante é o principal e o Nacional do Petróleo). O Professor pede a leitura dessa
contratado é o agente (médico). O principal é o dono do resolução.
banco, e o agente é o diretor, o gerente. Qual o problema que RESOLUÇÃO ANP Nº 50, DE 23.12.2013 - DOU 24.12.2013
surge aqui? O DESALINHAMENTO DE INTERESSES ENTRE O O DIRETOR-GERAL SUBSTITUTO DA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS
PRINCIPAL E O AGENTE. Quando o agente trabalha não para o NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP, no uso das atribuições que lhe foram conferidas
pela Portaria ANP nº 178, de 21 de agosto de 2013, de acordo com as disposições da
principal, mas para o seu próprio benefício ocorre uma Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997, e da Resolução de Diretoria nº 1315, de 18 de
tragédia. Um diretor de banco que obtenha bônus se alcançar dezembro de 2013,
resultados de curto prazo que envolvam o maior número de Considerando que compete à ANP implementar a política nacional do
petróleo, gás natural e biocombustíveis, com ênfase na garantia do suprimento de
empréstimos que puder fazer certamente enfrentará derivados de petróleo, gás natural e seus derivados, e de biocombustíveis, em todo o
problema de agência (de principal-agente). O risco é o território nacional;
desalinhamento do agente com o principal. O problema é dar Considerando que cabe à ANP proteger os interesses dos consumidores
quanto a preço, qualidade e oferta de produtos, bem como especificar a qualidade
empréstimos sem cuidados mínimos só para alcançar o bônus. dos derivados de petróleo, gás natural e seus derivados e dos biocombustíveis;
Isso aconteceu nos EUA em 2008. Pessoas que não tinham Considerando a necessidade de atendimento ao Programa de Controle da
renda, trabalho e nem assets (patrimônio/economic Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE, em sua fase L6 para os veículos
leves do ciclo Diesel, com início de vigência em 1º de janeiro de 2012, de acordo com
resources) recebiam empréstimos (NINJA17). A regulação tem a Resolução CONAMA nº 415, de 24 de setembro de 2009; e
que intervir para evitar esse desalinhamento “agente- Considerando a necessidade de atendimento ao PROCONVE, em sua fase P7,
principal”. com início de vigência em 1º de janeiro de 2012, de acordo com a Resolução CONAMA
nº 403, de 11 de novembro de 2008,
Resolve:
JUSTIFICAÇÕES NÃO ECONÔMICAS. Seção I
1- REDISTRIBUTION (REDISTRIBUIÇÃO) Das Disposições Preliminares

Toda vez que a regulação determina uma tarifa social de Art. 1º Esta Resolução tem por objetivo regulamentar as especificações do
óleo diesel de uso rodoviário, contidas no Regulamento Técnico ANP nº 4/2013, parte
água e esgoto ou um passageiro que não paga o transporte integrante desta Resolução, e as obrigações quanto ao controle da qualidade a serem
coletivo, alguém paga por isso (ou o contribuinte, subsidiando, atendidas pelos diversos agentes econômicos que comercializam o produto em todo
o território nacional.
ou os outros consumidores). A redistribuição deve ser bem
§ 1º A comercialização de óleo diesel produzido por processos diversos do
justificada de acordo com o art. 3º da CF. REGULAÇÃO PARA refino de petróleo e processamento de gás natural, ou a partir de matéria-prima
PROTEGER SMALL ONES. No momento em que houver uma distinta do petróleo, depende de autorização prévia da ANP.

megafusão, acaba-se com a concorrência. Essa é uma razão § 2º Nos casos previstos no parágrafo anterior, a ANP poderá acrescentar
outras propriedades nas especificações referidas no caput de modo a garantir a
social para a regulação. Às vezes, um megaempreendimento qualidade necessária do produto.
adentra uma cidade e todos os mercadinhos da região acabam Art. 2º Para efeitos desta Resolução os óleos diesel de uso rodoviário
sendo fechados. Como regular isso? O próprio município pode classificam-se em:
I - Óleo diesel A: combustível produzido nas refinarias, nas centrais de
regular isso. Fazendo, por exemplo, ACORDO
matérias-primas petroquímicas e nos formuladores, ou autorizado nos termos do § 1º
ADMINISTRATIVO REGULATÓRIO para dar licença à empresa do art. 1º, destinado a veículos dotados de motores do ciclo Diesel, de uso rodoviário,
para fazer a construção. O melhor exemplo de redistribuição sem adição de biodiesel;
II - Óleo diesel B: óleo diesel A adicionado de biodiesel no teor estabelecido
são as TARIFAS SOCIAIS de energia elétrica (que têm base pela legislação vigente.
legal, mas são reguladas pela agência reguladora de energia Art. 3º Fica estabelecido, para efeitos desta Resolução, que os óleos diesel A
elétrica por meio de resoluções). É justa a tarifa social? e B deverão apresentar as seguintes nomenclaturas, conforme o teor máximo de
enxofre:
Consumidores residenciais de baixa renda recebem esse
I - Óleo diesel A S10 e B S10: combustíveis com teor de enxofre, máximo, de
benefício. A tarifa é justa e necessária. 10 mg/kg;
II - Óleo diesel A S500 e B S500: combustíveis com teor de enxofre, máximo,
2 - PROMOVER VALORES QUE NÃO ESTÃO NO de 500 mg/kg.
MERCADO Parágrafo único. Os veículos ciclo diesel das fases L-6 e P-7 do PROCONVE
somente deverão utilizar o óleo diesel B S10.
Aspirações democráticas. Regulação emancipacionista
Art. 4º É obrigatória a comercialização dos óleos diesel A e B com teor de
que preserva NON COMMODITIES VALUES (valores que não enxofre de até 500 mg/kg em todo território nacional, salvo nos casos previstos nos
são commodities). Cuidar do ambiente, por exemplo, cuidar incisos I e II do Art. 5º.
de qualidade de vida ambiental acima da análise econômica Parágrafo único. Para os segmentos agrícola, de construção e industrial
somente é permitida a comercialização dos óleos diesel B de uso rodoviário.
estrita. O melhor exemplo da aula de hoje, embora tardio: em
Art. 5º É obrigatória a comercialização do óleo diesel B S10 nos seguintes
2002, o CONAMA (regulação ambiental) determinou a casos:
redução do número de partículas por milhão de enxofre

17
A slang term for a loan extended to a borrower with "no income, to show a stable stream of income or sufficient collateral, a NINJA
no job and no assets". Whereas most lenders require the borrower loan ignores the verification process. (Investopedia)
CADERNO DA MARINA LOPES
I - para uso nas frotas cativas de ônibus urbanos dos municípios e regiões § 8º O produto, ao ser comercializado pelos produtores e importadores,
metropolitanas publicados no endereço eletrônico da ANP: http://www.anp.gov.br; deverá ser acompanhado de cópia legível do respectivo Certificado da Qualidade.
II - nos municípios de Belém, Fortaleza e Recife e suas regiões metropolitanas § 9º O produtor e o importador de óleo diesel A deverão realizar
conforme publicação no endereço eletrônico da ANP: http://www.anp.gov.br. bimestralmente ensaio relativo à característica lubricidade para a amostra-
Art. 6º Fica proibida a comercialização dos óleos diesel A ou B que não se testemunha, que no período, tenha apresentado o menor teor de enxofre.
enquadrem nas especificações estabelecidas por esta Resolução. § 10. O resultado de que trata o § 9º, deverá ser encaminhados à ANP em até
15 dias após o encerramento do bimestre anterior.
Art. 7º O óleo diesel B, de uso rodoviário, comercializado no país deverá
conter biodiesel em percentual determinado pela legislação vigente. Art. 10. Os distribuidores deverão analisar uma amostra representativa do
Parágrafo único. O biodiesel a ser adicionado ao óleo diesel A deverá atender volume de óleo diesel B a ser comercializado e emitir o Boletim de Conformidade, com
identificação própria por meio de numeração sequencial anual.
à especificação ANP vigente.
§ 1º O Boletim de Conformidade deverá ser firmado pelo profissional de
Seção II
química responsável pela qualidade do produto, com indicação legível de seu nome e
Das Definições número da inscrição no órgão de classe, inclusive no caso de emissão eletrônica.
Art. 8º Para efeitos desta Resolução define-se: § 2º O Boletim de Conformidade poderá ser assinado digitalmente, conforme
legislação vigente.
I - Boletim de Conformidade: documento da qualidade, emitido pelo
distribuidor, que deve conter os resultados das análises das características do produto § 3º O Boletim de Conformidade deverá ficar sob a guarda dos distribuidores
definidas no parágrafo 4º do art. 10º, conforme o Regulamento Técnico, parte e à disposição da ANP, por um período de 12 (doze) meses, contados a partir da data
integrante desta Resolução; de sua comercialização.
II - Certificado da Qualidade: documento da qualidade, emitido pela refinaria, § 4º O Boletim de Conformidade deverá conter, pelo menos, os resultados
central de matérias-primas petroquímicas, formulador e pelo importador, que deve das seguintes análises: aspecto; cor visual; ponto de fulgor; massa específica;
conter todas as informações e os resultados das análises das características do condutividade elétrica e teor de água.
produto, constantes no Regulamento Técnico, parte integrante desta Resolução; § 5º O Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE) ou a
III - Distribuidor: pessoa jurídica autorizada pela ANP ao exercício da atividade documentação fiscal referente às operações de comercialização do óleo diesel
de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo, biocombustíveis e realizadas pelos distribuidores deverão indicar o código e a descrição do produto,
outros combustíveis automotivos especificados ou autorizados pela ANP; estabelecidos pela ANP, conforme legislação vigente, além do número do Boletim de
Conformidade correspondente ao produto.
IV - Firma Inspetora: pessoa jurídica credenciada pela ANP, conforme
legislação vigente, para a realização das atividades de adição de marcador aos § 6º O produto comercializado, ao ser transportado, deverá ser
produtos de marcação compulsória, de adição de corante ao etanol anidro acompanhado de cópia legível do respectivo Boletim de Conformidade.
combustível, com base em regulamentos da ANP, e de controle da qualidade dos § 7º A cópia do Certificado da Qualidade recebida pelo distribuidor, no ato
produtos indicados pelas Portarias ANP nº 311, de 27 de dezembro de 2001, nº 312, do recebimento do produto, deverá ficar à disposição da ANP pelo prazo mínimo de
de 27 de dezembro de 2001 e nº 315, de 27 de dezembro de 2001; 12 (doze) meses, a contar da data de recebimento, para qualquer verificação julgada
V - Formulador: pessoa jurídica autorizada pela ANP para o exercício da necessária.
atividade de formulação de combustíveis, nos termos da Resolução ANP nº 5, de 26
Seção IV
de janeiro de 2012;
VI - Importador: pessoa jurídica autorizada pela ANP para o exercício da Das Disposições Gerais
atividade de importação; Art. 11. A ANP poderá, a qualquer tempo, submeter produtores,
importadores e distribuidores à auditoria da qualidade, a ser executada por seu corpo
VII - Operador Logístico: pessoa jurídica autorizada pela ANP a operar
instalações de armazenamento de produtos granéis líquidos inflamáveis e técnico ou por entidades credenciadas pelo Instituto Nacional de Metrologia,
Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), sobre os procedimentos e
combustíveis;
equipamentos de medição que tenham impacto sobre a qualidade e a confiabilidade
VIII - Produtor de óleo diesel A: refinarias, centrais de matérias-primas dos serviços de que trata esta Resolução.
petroquímicas e formuladores.
Art. 12. O óleo diesel S500 deverá conter corante vermelho, conforme
Seção III especificado na Tabela III do Regulamento Técnico, parte integrante desta Resolução.
Das obrigações § 1º É de responsabilidade exclusiva dos produtores e importadores a adição
de corante vermelho, conforme estabelecido pelo caput.
Art. 9º Os produtores e importadores de óleo diesel deverão analisar uma
amostra representativa do volume a ser comercializado e emitir o Certificado da § 2º Fica permitido ao operador logístico contratado por distribuidor
Qualidade, com identificação própria por meio de numeração sequencial anual. adicionar o referido corante, quando da impossibilidade da adição ser realizada pelo
produtor ou importador, desde que acompanhado por firma inspetora para verificar
§ 1º O Certificado da Qualidade deverá ser firmado pelo profissional de
a mistura, sem prejuízo do disposto no § 1º.
química responsável pela qualidade do produto, com indicação legível de seu nome e
número da inscrição no órgão de classe, devendo constar o número e lacre da § 3º A firma inspetora de que trata o § 2º deverá ser contratada pelo
amostra-testemunha armazenada, nos termos do § 4º deste artigo. produtor ou importador para acompanhar a adição de corante pelo operador logístico
sem prejuízo do disposto no § 1º.
§ 2º O Certificado da Qualidade poderá ser assinado digitalmente, conforme
legislação vigente. § 4º Os produtores ou importadores, excetuado o previsto no § 2º, só
poderão entregar o óleo diesel A S500 ao distribuidor adicionado de corante
§ 3º O Certificado da Qualidade deverá ser mantido à disposição da ANP pelos
vermelho.
produtores e importadores, para qualquer verificação que se julgue necessária, pelo
prazo mínimo de 12 (doze) meses, a contar da data de comercialização do produto. Art. 13. Fica proibida a adição de corante ao óleo diesel S10.
§ 4º Os produtores e os importadores deverão manter sob sua guarda e à Art. 14. Fica proibida a adição de óleo vegetal ao óleo diesel.
disposição da ANP, pelo prazo mínimo de 2 (dois) meses, a contar da data da
Seção V
comercialização do produto, uma amostra-testemunha de 1 (um) litro.
§ 5º O Certificado da Qualidade deverá permitir o rastreamento de sua Das Disposições Transitórias
respectiva amostra-testemunha, numerada e lacrada nos termos do § 1º deste artigo. Art. 15. Para efeitos de fiscalização, as autuações por não conformidade nos
§ 6º A amostra deverá ser armazenada em embalagem de cor âmbar, fechada óleos diesel A S500 e B S500, dos agentes que comercializaram óleo diesel B S1800
até 31 de dezembro de 2013, só poderão ser feitas nos seguintes prazos:
com batoque e tampa plástica com lacre, que deixe evidências em caso de violação,
mantida em local protegido de luminosidade. I - Na distribuição: 60 dias após a data de 1º de janeiro de 2014;
§ 7º O Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE) ou a II - Na revenda: 90 dias após a data de 1º de janeiro de 2014.
documentação fiscal referente às operações de comercialização do óleo diesel § 1º Os agentes econômicos deverão apresentar à Fiscalização, quando
realizadas pelos produtores e importadores deverão indicar o código e descrição do
solicitados, os documentos comprobatórios referentes às compras efetuadas dos
produto, estabelecidos pela ANP, conforme legislação vigente, além do número do óleos diesel A S500 e B S500 a partir de 1º de janeiro de 2014.
Certificado da Qualidade correspondente ao produto.
§ 2º As não conformidades de que trata o caput referem-se exclusivamente
às seguintes características: cor, enxofre total, teor de água, massa específica e
CADERNO DA MARINA LOPES
destilação no ponto T85% e seus respectivos limites deverão atender aqueles exigidos modo de produção e consumo. Jeremy Rifkin tem vários livros
na Resolução ANP nº 45, de 20 de dezembro de 2012, para o óleo diesel B S1800 não
rodoviário nos prazos estabelecidos nos incisos I e II deste Artigo. sobre isso. Ainda sobre a função de planejamento, é curioso
Art. 16. Para efeitos de fiscalização, quando se tratar da inclusão de novos que já existe projeto para mudar a matriz do Governo Federal
municípios nas regras dos incisos I e II do artigo 5º desta Resolução as autuações por que hoje é predominantemente rodoviária. Já existe malha
não conformidade nos óleos diesel A S10 e B S10 só poderão ocorrer nos seguintes
prazos após a data de inclusão dos novos municípios: hidroviária disponível e uma malha ferroviária medíocre. O
I - Na produção: 30 dias; Plano é que, até 2030, a malha rodoviária se torne a terceira
II - Na distribuição: 60 dias; no Brasil em termos de utilização. O país tem crise de
III - Na revenda: 90 dias. infraestrutura, de produtividade e de escoamento. Sai um
§ 1º Os agentes econômicos deverão apresentar à Fiscalização, quando navio com um container da China. Da China até o porto de
solicitados, os documentos comprobatórios referentes às compras efetuadas dos
óleos diesel A S10 e B S10 a partir da data de inclusão do novo município.
santos, o custo é de mil dólares. Esse container vai do porto de
§ 2º As não conformidades de que trata o caput referem-se exclusivamente Santos até a capital SP pelo mesmo custo aproximado de mais
às seguintes características: cor, teor de enxofre, massa específica, viscosidade mil dólares). O transporte da China para cá é o mesmo preço
cinemática, destilação, número de cetano, teor de água, contaminação total,
hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, estabilidade à oxidação e índice de do transporte de Santos para a capital paulista, e isso é um
neutralização. absurdo! Para resolver isso precisamos de REGULAÇÃO DE
Art. 16-A. Para efeitos de fiscalização, quando se tratar de alteração no teor LONGO PRAZO, REGULAÇÃO DE ESTADO E NÃO DE
de biodiesel, estabelecido pela legislação vigente, as autuações por não conformidade
dos óleos diesel B S10 e B S500 só poderão ocorrer nos seguintes prazos após a data GOVERNO, regulação de planejamento.
de entrada em vigor do novo teor:
I - na distribuição para a região Norte: 30 dias; 5 - PATERNALISMO
II - na revenda para a região Norte: 60 dias;  PATERNALISMO LIBERTÁRIO que intervém, mas preserva
III - na revenda para as demais regiões do país: 30 dias. a liberdade de decisão do protegido pela regulação.
Parágrafo único. A não conformidade de que trata o caput refere-se Criança na hora do recreio: o Estado não tem nada a ver
exclusivamente à característica teor de biodiesel.
com isso? Claro que tem. A arquitetura da escolha afeta a
Seção VI
tomada de decisão da criança. Se eu quero evitar a
Das Disposições Finais
obesidade, devo colocar a guloseima no nível mais baixo
Art. 17. O não atendimento ao disposto nesta Resolução sujeita os infratores
às penalidades previstas na Lei nº 9.847, de 26 de outubro de 1999, alterada pela Lei
da vitrine (expositor) e as frutas na altura dos olhos da
nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005, e no Decreto nº 2.953, de 28 de janeiro de 1999, criança. Arquitetura de escolha: viés do status quo ou da
sem prejuízo das penalidades de natureza civil e penal.
inércia. A maioria de nós deixa as coisas como estão. Caso
Art. 18. Os casos não contemplados nesta Resolução serão objetos de análise
e deliberação pela ANP. das revistas que oferecem o primeiro mês de assinatura
Art. 19. Ficam revogadas a partir de 1º de janeiro de 2014 as Resoluções ANP de graça e depois continuam cobrando. Se a pessoa não
nº 65, de 9 de dezembro de 2011, e nº 46, de 20 de dezembro de 2012. se manifesta expressamente contra essa cobrança, segue
Art. 20. Esta Resolução entra em vigor em 1º de janeiro de 2014. tendo que pagar. Segundo o professor, a regulação
deveria proibir isso.
Outro caso é o do mico-leão dourado. Por que preservar?
Em função da biodiversidade, da riqueza, do valor intangível.  PATERNALISMO COERCITIVO é a segunda corrente. Um
Economia do baixo carbono é a economia que está dos melhores trabalhos é da Sarah Conly (Against
surgindo por trás da causa da sustentabilidade. Autonomy: Justifying Coercive Paternalism).
Temperamento interventivo regulatório. Caso inspirado
3 - ATACAR DESVANTAGENS E CASTAS em Stuart Mill. Evitar que o sujeito cometa um erro.
Regulação social do tipo antidiscriminatória. Não é Intervir contra a autonomia do sujeito. Prioridade
função típica aceita por alguns adeptos da regulação da Escola absoluta de manter a criança (art. 227, CF) protegida, por
de Chicago. No Brasil, a discriminação positiva (reversa) é exemplo, obrigando a transfusão de sangue quando
obrigatória (caso das cotas). O que é proibida é a necessária para manutenção de sua vida.
discriminação negativa.
Dificuldade de passar a informação: Num primeiro caso,
4 - PLANNING/ PLANEJAMENTO consigo informar o japonês que a ponte vai cair se ele passar,
Uma das funções da regulação é saber para onde a mas, por excesso de otimismo, ele quer passar mesmo assim.
economia tem que ir. Fazer planejamento para levar a O japonês já foi informado, posso deixa-lo seguir ou não? Num
economia à sustentabilidade. Exemplo de medidas: segundo caso, não consigo informar o japonês de que a ponte
obrigatoriedade de licitações sustentáveis, elevadores cairá. Devo detê-lo se tentar passar considerando possíveis
movidos a energia cinética, obrigatoriedade de edifícios danos que podem ser causados a terceiros? Na opinião do
púbicos e privados serem autossuficientes energeticamente, e professor, é preciso impedir, não só informar, porque há
o excedente deve ser posto à distribuição da rede. A iminente perigo, sob pena de omissão de socorro. É preciso
REGULAÇÃO DEVE SER PROSPECTIVA E INDUZIR O tentar evitar danos.
MERCADO. Regulação sustentável. Isso muda inteiramente o
CADERNO DA MARINA LOPES
AULA 05 abertas, tudo isso constitui um conjunto de práticas que a um
só tempo fazem melhor e mais bem controlada a atividade
regulatória estatal. Melhor porque considerando todos os
1) Princípios da Regulação
interesses e pontos de vista pode o regulador decidir melhor,
o que não implica dizer que deve consagrar todos os interesses
1.1) Vide OECD Best Practice Principles for Regulatory (algo impossível, pois que os mesmos são frequentemente
Policy: The Governance of Regulators, 2014 conflitantes), mas que devem ser considerados e ponderados
no processo decisório”. Floriano de Azevedo Marques Neto.
1.2. Princípios constitucionais brasileiros de
7 - DEFERÊNCIA
regulação (14)
As agências reguladoras devem ter expertise técnica para
regular o setor e serem merecedoras da deferência (Vide:
1 - LEGALIDADE CARÁTER TÉCNICO DAS AGÊNCIAS REGULADORAS).
No Brasil, legalidade significa que o poder normativo das
agências é limitado, contudo, há quem sustente a 8 - PROPORCIONALIDADE
deslegalização (o que não existe, vez que o ato administrativo Vedação de excessos e de omissões regulatórias.
autônomo deve ter fundamento constitucional ou legal, salvo
o art. 84 da CF). Ainda assim, é enorme o poder das agências, 9 – DURAÇÃO RAZOÁVEL
como examinaremos depois na regulação em espécie, mas seu Conceito ligado à ideia de duração razoável dos processos
poder normativo, no Brasil, é sempre infralegal. (regulatórios). Quanto deve durar um processo na ANATEL por
exemplo.
2 - MORALIDADE
Integridade e probidade. Necessidade de ter confiança 10 – PRINCÍPIO DA SUSTENTABILIDADE
pública. Retira-se do art. 170 da CF e do inciso VI do art. 225 da CF
que a regulação deve seguir o princípio da sustentabilidade18.
3 - IMPARCIALIDADE
“O Relatório Brundtland (WCED, 1987) procurou
Impessoalidade e imparcialidade para evitar a captura da
sintetizar a perplexidade teórica e a incapacidade prática da
regulação. Atividade de regulação é estatal e não de governo,
macroeconomia neoclássica de enfrentar os desafios da crise
deve ser técnica e imparcial.
mundial. O conceito de desenvolvimento sustentável vai
4 - EQUIDADE buscar na noção de reprodutibilidade a base de uma
Equidade, inclusão, justiça social ou redução das concepção que procura privilegiar a manutenção durável dos
desigualdades sociais. Uso de tarifas sociais (equidade fluxos de renda, independentemente de sua magnitude e, a
inclusiva). partir deste pressuposto, inicia, embora timidamente, a
considerar o estoque de natureza, ou o "capital natural" para
Art. 3º, CF: Constituem objetivos fundamentais da alguns, como parte integrante e inseparável da riqueza
República Federativa do Brasil: III - erradicar a pobreza e social. Há ainda muito a fazer para a elaboração conceitual da
a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e noção de sustentabilidade, entretanto é inegável que para
regionais aplicá-la é necessária uma nova contabilidade nacional capaz
5 - EFICIÊNCIA de reconstruir os conceitos de renda e riqueza considerando a
Uso de metas pelas agências reguladoras (metas de relações entre o patrimônio natural e o seu uso social no
universalização dos serviços/ meio correto de fazer as coisas). processo produtivo. Mais do que isto, o ponto de partida para
a durabilidade no desenvolvimento obrigatoriamente passa
6 - PUBLICIDADE OU TRANSPARÊNCIA pela construção de uma nova ética na economia política, capaz
“A transparência e o fomento à ampla participação dos de conferir ao Estado-nação a atribuição de não apenas
interessados é um traço fundamental da moderna regulação. aumentar a riqueza nacional, mas garantir a sua permanência
Divulgação dos atos de forma ampla, oitiva de todos os para as gerações futuras. A questão da sustentabilidade do
envolvidos nas pautas regulatórias, reuniões deliberativas

18
“A regulação é uma espécie de intervenção estatal, porém ser a preponderância técnica (não política), de modo a reduzir-se a
indireta, que alcança atividades econômicas, sociais e ambientais, pura discricionariedade. Essa função deve se caracterizar como
podendo-se falar em regulação sustentável. Ela visa, basicamente, a sendo uma função de Estado e não de governo, este preocupado,
implementação de políticas públicas e realização dos direitos e logicamente, com as urnas. Para sua legitimidade, deve-se buscar a
garantias constitucionais. Para alcançar seus objetivos, a função de participação de forma consensual da sociedade que auxiliará na
regulação deve perseguir o equilíbrio sistêmico, e, para tanto, deve antecipação dos riscos regulatórios muitas das vezes só conhecidos
se valer de uma visão prospectiva, de modo a se afastar das decisões pelos próprios agentes do mercado”. Sérgio Guerra (Revista Direito
de momento e sem sustentabilidade. A base de suas escolhas deve à Sustentabilidade – UNIOESTE v. 1, n. 1 – 2014).
CADERNO DA MARINA LOPES
desenvolvimento consolida-se no cenário político mundial na Princípios da Regulação Britânica
primeira metade dos anos 90, principalmente após a Rio 92,
1 – PROPORTIONALITY
onde foram firmadas convenções internacionais sobre o
Os reguladores devem intervir somente quando necessário
aquecimento global e biodiversidade, dentre várias outras
(ação proporcional aos riscos). Os remédios regulatórios têm
propostas”. (Cláudio Antônio G. Egler).
de ser apropriados aos riscos e os custos identificados e
11 - PREVISIBILIDADE (SEGURANÇA JURÍDICA) minimizados. Menor intervenção possível. Think small first.
“A arquitetura institucional de agências de segmentos de Pense pequeno antes. Primeiro, a menor intervenção possível.
infra-estrutura é crucial para a determinação do risco
2 - ACCOUNTABILITY
regulatório e, conseqüentemente, do investimento. Uma
Dever de prestar contas. A regulação deve ser capaz de
agência reguladora deve primar pela independência,
justificar suas decisões e deve ser sujeita a escrutínio público.
transparência, delimitação precisa de competência e
Agora temos, por exemplo, a CBN, que se propõe à regulação
excelência técnica, de forma a garantir previsibilidade e
dos fundos imobiliários; a ANP que regula a distribuição dos
segurança jurídica19. Assim, decisões em áreas cruciais de
combustíveis. Deve haver uma tancagem mínima própria e um
mercados regulados devem ser tomadas por colegiados
capital mínimo próprio.
eminentemente técnicos, com a devida autonomia gerencial e
financeira, que atuem fiscalizados pelos três poderes, com 3 - TRANSPARÊNCIA
estrita observância da legislação e máxima transparência. A regulação deve ser amigável, temos que entender com
Definições sobre disputas envolvendo o compartilhamento de facilidade o que o regulador está dizendo. User friendly.
infra-estrutura, fusões e aquisições de empresas em
telecomunicações, transportes e eletricidade, entre outros 4 - CONSISTÊNCIA
segmentos, requerem critérios claros e estáveis, As medidas regulatórias devem ser consistentes no
relativamente imunes aos ciclos político-eleitorais. Deve-se tempo, operando harmonicamente. Exemplo: órgãos
minimizar, portanto, o risco de captura dos reguladores, tanto regulatórios de SP (conflito entre a ANA, a ANEEL e a ANTAC)
pelo poder político quanto pelo econômico”. (Gesner Oliveira divergem quanto as águas; uns querem para energia elétrica,
– ex-presidente do CADE). Devemos considerar que a outros, para navegação. A ANTAC quer que sirvam para
mudança repentina na regulação portuária, por exemplo, navegação, a ANEEL, para energia elétrica, e a ANA quer um
deixa os operadores de portos perplexos e desorientados, pouco das duas coisas, e para complicar, o órgão estadual, pela
ferindo a segurança jurídica. Deve haver consistência interna. primeira vez, desacatou a decisão da regulação federal e
tomou uma decisão voluntarista, dizendo que a prioridade era
12 - PRINCIPIO DA SOBERANIA a energia elétrica, não a navegação. Ocorre que as agências
A regulação segue o princípio da soberania, pois é precisam ser consistentes umas com as coisas e consistentes
nacional. Alguns ainda sustentam a existência de questões no tempo. Work together.
globais. Se uma agência reguladora dos EUA proíbe gordura
trans, nossa ANVISA não fica obrigada a proibir também, mas 5 - EFETIVIDADE
isso não restringe a celebração de acordos de colaboração A regulação deve se focar no problema, minimizando
(que inclusive podem favorecer exportações). Cada Estado efeitos colaterais (análise de impacto regulatório/ de custo-
regula a sua administração interna e não a de outro país. benefício) e reavaliando as situações. Target regulation should
be focused on the problem. Necessário fazer balanço de riscos
13 – PRINCÍPIO DA LIVRE CONCORRÊNCIA e custos e benefícios por meio da análise de impacto
A regulação se preocupa em garantir a livre concorrência, regulatório, AIR, que, no Brasil, começa timidamente a ser
conforme postula a CF em seu art. 170, inciso IV. O destaque é feita pela ANVISA, mas a ANP também já faz. Exemplo: a
o Conselho Administrativo de Defesa Econômica - publicidade de advertência dos cigarros de um só lado não é
CADE. eficiente, deveria ser dos dois lados.

14 – PRINCÍPIO DO CONTROLE 6 - PREVISIBILIDADE


Controle ou sindicabilidade. Ideia de accountability, e de A estrutura regulatória deve ser estável, de longo prazo,
hard look doctrine (controle das motivações). por isso deve haver um plano de estado e não de governo.
Predictability. A estrutura regulatória tem que ser estável,

19
A agência reguladora foi desenvolvida para ser o modo pelo qual mercado, com efeito, o Estado proporciona um mercado
o Estado atua de forma indireta no mercado, disciplinando e competitivo e harmônico, propício para os investimentos privados,
fiscalizando determinadas atividades definidas por políticas públicas, baseado em previsibilidade e segurança jurídica. (Sandro Parente).
na defesa da sociedade. Por meio da eliminação de falhas de
CADERNO DA MARINA LOPES
previsível, criar um ambiente de negócio previsível e de longo Superior da Agência Estadual de Regulação dos Serviços
prazo. Públicos Delegados do Rio Grande do Sul - AGERGS:
parâmetros federais impostos ao Estado-membro.
6 - ADAPTABILIDADE
A regulação deve ter a capacidade de evoluir para 1. Diversamente dos textos constitucionais anteriores, na
responder às situações mutantes e continuar relevante em Constituição de 1988 - à vista da cláusula final de abertura do
novos tempos. art. 52, III -, são válidas as normas legais, federais ou locais,
que subordinam a nomeação dos dirigentes de autarquias ou
Princípios da boa governança da OCDE20 fundações públicas à prévia aprovação do Senado Federal ou
1 - ACCOUNTABILITY da Assembleia Legislativa: jurisprudência consolidada do
Prestar contas e ter metas (ex.: metas de universalização Supremo Tribunal.
do serviço de telecomunicações).
2. Carece, pois, de plausibilidade a arguição de
2 - TRANSPARÊNCIA inconstitucionalidade, no caso, do condicionamento à
Ações e processos abertos a sociedades civis e, em aprovação prévia da Assembleia Legislativa da investidura dos
algumas situações, até para instituições estrangeiras. conselheiros da agência reguladora questionada.

3 - EFICIÊNCIA E EFETIVIDADE 3. Diversamente, é inquestionável a relevância da alegação de


Regulação busca realizar serviços de boa qualidade a um incompatibilidade com o princípio fundamental da separação
menor custo. e independência dos poderes, sob o regime presidencialista,
do art. 8º das leis locais, que outorga à Assembleia Legislativa
4 - RESPONSIVIDADE o poder de destituição dos conselheiros da agência reguladora
Em lugar da adaptabilidade, fala-se em responsividade no autárquica, antes do final do período da sua nomeação a
sentido de que a regulação deve ter capacidade para termo.
responder rapidamente às mudanças sociais.
4. A investidura a termo - não impugnada e plenamente
5 - CAPACIDADE DE PREVER ACONTECIMENTOS FUTUROS compatível com a natureza das funções das agências
Estimativas de custos diretos e indiretos a longo prazo. reguladoras - é, porém, incompatível com a demissão ad
Novidade em termos regulatórios. Visão de antecipar nutum pelo Poder Executivo: por isso, para conciliá-la com a
problemas futuras. Serve à ideia de que se deve elaborar suspensão cautelar da única forma de demissão prevista na lei
políticas que considerem custos futuros e mudanças de ordem - ou seja, a destituição por decisão da Assembléia Legislativa -
demográfica, econômica e ambiental. , impõe-se explicitar que se suspende a eficácia do art. 8º dos
diplomas estaduais referidos, sem prejuízo das restrições à
Aula 06 demissibilidade dos conselheiros da agência sem justo motivo,
pelo Governador do Estado, ou da superveniência de diferente
2) Debate sobre o texto combinado
legislação válida.
2.1) Decisão relevante:
ADI 1949 MC / RS - RIO GRANDE DO SUL III. Ação direta de inconstitucionalidade: eficácia da
suspensão cautelar da norma argüida de inconstitucional, que
MEDIDA CAUTELAR NA AÇÃO DIRETA DE alcança, no caso, o dispositivo da lei primitiva,
INCONSTITUCIONALIDADE substancialmente idêntico. IV. Ação direta de
inconstitucionalidade e impossibilidade jurídica do pedido:
Relator: Min. SEPÚLVEDA PERTENCE
não se declara a inconstitucionalidade parcial quando haja
Julgamento: 18/11/1999 Órgão Julgador: Tribunal Pleno inversão clara do sentido da lei, dado que não é permitido ao
Poder Judiciário agir como legislador positivo: hipótese
EMENTA: I. Agências reguladoras de serviços públicos:
excepcional, contudo, em que se faculta a emenda da inicial
natureza autárquica, quando suas funções não sejam
para ampliar o objeto do pedido.
confiadas por lei a entidade personalizada e não, à própria
administração direta. Decisão

II. Separação e independência dos Poderes: submissão à O Tribunal, por maioria, vencido o Sr. Ministro Marco Aurélio,
Assembléia Legislativa, por lei estadual, da escolha e da indeferiu o pedido de medida cautelar, no que toca à
destituição, no curso do mandato, dos membros do Conselho

20
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico mercado, que procura fornecer uma plataforma para comparar
(OCDE) é uma organização internacional de 34 países que aceitam os políticas económicas, solucionar problemas comuns e coordenar
princípios da democracia representativa e da economia de livre políticas domésticas e internacionais. (Wikipedia)
CADERNO DA MARINA LOPES
expressão "após terem seus nomes aprovados pela § 1º Inclui-se no período a que se refere o caput eventuais
Assembléia Legislativa do períodos de férias não gozadas.

Estado", contida no art. 7º, da Lei nº 10.931, de 09/01/1997, § 2º Durante o impedimento, o ex-dirigente ficará vinculado
do Estado do Rio Grande do Sul, tanto na redação originária, à agência, fazendo jus a remuneração compensatória
como na alteração redacional procedida pelo art. 1º da Lei equivalente à do cargo de direção que exerceu e aos
estadual nº 11.292, de benefícios a ele inerentes. (Redação dada pela Medida
Provisória nº 2.216-37, de 2001)
23/12/1998. Plenário, 08.4.99.
§ 3º Aplica-se o disposto neste artigo ao ex-dirigente
2.2. Lei 9.986/2000 (Destaques) exonerado a pedido, se este já tiver cumprido pelo menos seis
Dispõe sobre a gestão de recursos humanos das Agências meses do seu mandato.
Reguladoras e dá outras providências.
§ 4º Incorre na prática de crime de advocacia administrativa,
Art. 1º As Agências Reguladoras terão suas relações de sujeitando-se às penas da lei, o ex-dirigente que violar o
trabalho regidas pela Consolidação das Leis do Trabalho, impedimento previsto neste artigo, sem prejuízo das demais
aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e sanções cabíveis, administrativas e civis.(Redação dada pela
legislação trabalhista correlata, em regime de emprego Medida Provisória nº 2.216-37, de 2001)
público. (Eficácia suspensa por concessão de liminar até o
julgamento final da ADIN 2310) § 5º Na hipótese de o ex-dirigente ser servidor público, poderá
ele optar pela aplicação do disposto no § 2o, ou pelo retorno
Art. 4º As Agências serão dirigidas em regime de colegiado, ao desempenho das funções de seu cargo efetivo ou emprego
por um Conselho Diretor ou Diretoria composta por público, desde que não haja conflito de interesse. (Incluído
Conselheiros ou Diretores, sendo um deles o seu Presidente pela Medida Provisória nº 2.216-37, de 2001)
ou o Diretor-Geral ou o Diretor-Presidente.
Art. 9º Os Conselheiros e os Diretores somente perderão o
Art. 5o O Presidente ou o Diretor-Geral ou o Diretor- mandato em caso de renúncia, de condenação judicial
Presidente (CD I) e os demais membros do Conselho Diretor transitada em julgado ou de processo administrativo
ou da Diretoria (CD II) serão brasileiros, de reputação ilibada, disciplinar.
formação universitária e elevado conceito no campo de
especialidade dos cargos para os quais serão nomeados, Parágrafo único. A lei de criação da Agência poderá prever
devendo ser escolhidos pelo Presidente da República e por outras condições para a perda do mandato.
ele nomeados, após aprovação pelo Senado Federal, nos
2.3. Vide LEI Nº 9.427, DE 26 DE DEZEMBRO DE
termos da alínea f do inciso III do art. 52 da Constituição
Federal. 1996. (Lei de criação da Aneel)
Sobre vedação de exoneração ad nutum dos dirigentes, como
Parágrafo único. O Presidente ou o Diretor-Geral ou o foi revogado o art. 8º, aplica-se a Lei 9.986/00, art. 9.
Diretor-Presidente será nomeado pelo Presidente da
República dentre os integrantes do Conselho Diretor ou da Entre os destaques de 2015:
Diretoria, respectivamente, e investido na função pelo prazo Leilão de energia fotovoltaica termina com deságio médio de
fixado no ato de nomeação. 13,53%

Art. 6º O mandato dos Conselheiros e dos Diretores terá o 2.4. Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel,
prazo fixado na lei de criação de cada Agência. vinculada ao Ministério das Comunicações - Lei
Parágrafo único. Em caso de vacância no curso do mandato, 9.472, de 16/7/97
este será completado por sucessor investido na forma prevista Desde 10 de setembro de 2015, os usuários de serviços de
no art. 5o. telecomunicações são beneficiados com a entrada em vigor de
novas regras relativas ao atendimento de combos, ao
Art. 7º A lei de criação de cada Agência disporá sobre a forma atendimento unificado presencial e aos estabelecimentos das
da não-coincidência de mandato. prestadoras. As novas regras em vigor estabelecidas pela
Art. 8º O ex-dirigente fica impedido para o exercício de Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) fazem parte
atividades ou de prestar qualquer serviço no setor regulado do Regulamento Geral de Direitos do Consumidor (RGC).
pela respectiva agência, por um período de quatro meses, As regras que as empresas deverão cumprir a partir de hoje
contados da exoneração ou do término do seu mandato. são: o atendimento de ofertas conjuntas (combos) deverá
(Redação dada pela Medida Provisória nº 2.216-37, de 2001) ocorrer em um canal comum para todos os serviços prestados
no pacote contratado pelo consumidor (art. 12) e o Setor de
CADERNO DA MARINA LOPES
Atendimento Presencial deve estar apto a atender todos os centrais na cidade do Rio de Janeiro, podendo instalar
serviços e modalidades prestados pelo Grupo dentro da unidades administrativas regionais.
microrregião (art. 34). O tempo de espera não poderá passar
Art. 8º A ANP terá como finalidade promover a regulação, a
de 30 minutos e será controlado com a entrega de senhas.
contratação e a fiscalização das atividades econômicas
Além disso, as concessionárias da telefonia fixa deverão integrantes da indústria do petróleo, do gás natural e dos
disponibilizar em todos os municípios brasileiros, na Área de biocombustíveis, cabendo-lhe:
Prestação que não tenha Setor de Atendimento Presencial,
I - implementar, em sua esfera de atribuições, a política
ao menos um local de atendimento que possibilite ao
nacional de petróleo, gás natural e biocombustíveis, contida
consumidor o registro e encaminhamento de suas demandas
na política energética nacional, nos termos do Capítulo I
junto à prestadora (art. 40).
desta Lei, com ênfase na garantia do suprimento de
O RGC também estabelece às prestadoras de derivados de petróleo, gás natural e seus derivados, e de
telecomunicações a obrigação de disponibilizar atendimento biocombustíveis, em todo o território nacional, e na proteção
a todos os consumidores que se dirigirem aos dos interesses dos consumidores quanto a preço, qualidade
estabelecimentos associados à marca da operadora. Em e oferta dos produtos; (...)
quiosques de shoppings, por exemplo, o atendimento pode
Art. 11. A ANP será dirigida, em regime de colegiado, por uma
ser por meio de terminais eletrônicos ou por meio do registro
Diretoria composta de um Diretor-Geral e quatro Diretores.
de protocolo de atendimento (art. 38 e 39).
§ 1º Integrará a estrutura organizacional da ANP um
Caso as regras estabelecidas pela Agência sejam
Procurador-Geral.
descumpridas, as operadoras poderão ser multadas em
valores que podem chegar até R$ 50 milhões. Todas as § 2º Os membros da Diretoria serão nomeados pelo
prestadoras de serviços de telecomunicações terão que se Presidente da República, após aprovação dos respectivos
adequar. No entanto, as de pequeno porte, com no máximo nomes pelo Senado Federal, nos termos da alínea f do inciso
50 mil assinantes, têm regras mais flexíveis. III do art. 52 da Constituição Federal.
(...) Em março de 2016, entram em vigor as duas últimas regras § 3° Os membros da Diretoria cumprirão mandatos de quatro
do RGC: a implantação do campo "Mensagens importantes" anos, não coincidentes, permitida a recondução, observado o
no documento de cobrança, conforme previsto no art. 74 do disposto no art. 75 desta Lei.
Regulamento, e a do artigo 80 que estabelece que o
consumidor deverá ser avisado quando seu consumo se (...)
aproximar da franquia contratada (este último não será Ar.14. Terminado o mandato, ou uma vez exonerado do
aplicado às prestadoras de pequeno porte). cargo, o ex-Diretor da ANP ficará impedido, por um período
O Conselho Diretor da Anatel prorrogou por meio do Acordão de 12 (doze) meses, contado da data de sua exoneração, de
nº 389 de 2 de setembro de 2015 publicado nesta quinta-feira, prestar, direta ou indiretamente, qualquer tipo de serviço a
10, o prazo final para o cumprimento da obrigação contida no empresa integrante das indústrias do petróleo e dos
art. 80 do RGC para o dia 10 de março de 2016 a pedido da biocombustíveis ou de distribuição.
Telefônica Brasil S/A. § 1° Durante o impedimento, o ex-Diretor que não tiver sido
(Fonte: Anatel) exonerado nos termos do art. 12 poderá continuar prestando
serviço à ANP, ou a qualquer órgão da Administração Direta
2.5. Agência Nacional do Petróleo – ANP - vinculada, da União, mediante remuneração equivalente à do cargo de
não subordinada ao Ministério de Minas e Energia Lei direção que exerceu.
no 9.478, de 6/8/97 § 2° Incorre na prática de advocacia administrativa,
sujeitando-se às penas da lei, o ex-Diretor que violar o
impedimento previsto neste artigo.
Art. 7º Fica instituída a Agência Nacional do Petróleo, Gás
Natural e Biocombustíves - ANP, entidade integrante da Art. 18. As sessões deliberativas da Diretoria da ANP que se
Administração Federal Indireta, submetida ao regime destinem a resolver pendências entre agentes econômicos e
autárquico especial, como órgão regulador da indústria do entre esses e consumidores e usuários de bens e serviços da
petróleo, gás natural, seus derivados e biocombustíveis, indústria de petróleo, de gás natural ou de biocombustíveis
vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Parágrafo único. serão públicas, permitida a sua gravação por meios eletrônicos
A ANP terá sede e foro no Distrito Federal e escritórios e assegurado aos interessados o direito de delas obter
transcrições.
CADERNO DA MARINA LOPES
Art. 20. O regimento interno da ANP disporá sobre os Art. 12. A exoneração imotivada de Diretor da Agência
procedimentos a serem adotados para a solução de conflitos somente poderá ser promovida nos quatro meses iniciais do
entre agentes econômicos, e entre estes e usuários e mandato, findos os quais será assegurado seu pleno e integral
consumidores, com ênfase na conciliação e no arbitramento. exercício, salvo nos casos de prática de ato de improbidade
administrativa, de condenação penal transitada em julgado e
Entre os destaques de 2015: de descumprimento injustificado do contrato de gestão da
A Petrobras informou que, pelo menos momentaneamente, autarquia.
não terá mais que pagar 350 milhões de reais adicionais por
trimestre à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Art. 13. Aos dirigentes da Agência é vedado o exercício de
Biocombustíveis (ANP) a título de participações qualquer outra atividade profissional, empresarial, sindical ou
governamentais referentes à produção no Parque das Baleias, de direção político-partidária.
na parcela capixaba da Bacia de Campos.
§ 1º É vedado aos dirigentes, igualmente, ter interesse direto
"O Tribunal Arbitral proferiu ontem (16 de julho), nova decisão ou indireto, em empresa relacionada com a área de atuação
que determina a suspensão do depósito dos valores da Vigilância Sanitária, prevista nesta Lei, conforme dispuser o
controversos de participação especial", informou a petroleira regulamento.
em comunicado. A decisão possui caráter liminar, enquanto
§ 2º A vedação de que trata o caput deste artigo não se aplica
não for julgado um pedido de reconsideração apresentado
aos casos em que a atividade profissional decorra de vínculo
pela empresa.
contratual mantido com entidades públicas destinadas ao
A corte também prorrogou o prazo para que as partes ensino e à pesquisa, inclusive com as de direito privado a elas
apresentem o cálculo exato dos montantes correspondentes vinculadas.
às diferenças históricas de participação especial e a proposta
§ 3º No caso de descumprimento da obrigação prevista no
para depósito dessas diferenças. O tribunal arbitral havia
caput e no § 1o deste artigo, o infrator perderá o cargo, sem
decidido em 6 de julho que a estatal deveria seguir
prejuízo de responder as ações cíveis e penais cabíveis.
determinação da ANP, que obriga a petroleira a considerar
apenas um campo sete diferentes áreas produtoras, a partir Art. 14. Até um ano após deixar o cargo, é vedado ao ex-
do segundo trimestre de 2014. A autarquia entende que dirigente representar qualquer pessoa ou interesse perante a
jazidas das diferentes áreas são compartilhadas. Agência.
Diferentemente dos royalties, que incidem sobre o volume
Parágrafo único. Durante o prazo estabelecido no caput é
total da produção de todas as áreas, existe uma cobrança de
vedado, ainda, ao ex-dirigente, utilizar em benefício próprio
participação especial (PE) apenas quando a produção
informações privilegiadas obtidas em decorrência do cargo
ultrapassa determinadas estimativas. Isso acontece em
exercido, sob pena de incorrer em ato de improbidade
campos grandes ou com alta rentabilidade.
administrativa.
2.6. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa
Entre os destaques de 2015:
vinculada ao Ministério da Saúde Lei 9.782, de Os diabéticos têm mais uma opção de medicamento para
26/1/99 tratar a doença. Foi publicado no Diário Oficial da União em 31
Até 5 membros, sendo um deles diretor-presidente – mandato de agosto o registro do Trulicity. O medicamento é à base de
de 3 anos com possibilidade de única recondução dulaglutida. (...) O medicamento está enquadrado na categoria
de produto biológico novo, de acordo com a Resolução-RDC nº
Art. 10. A gerência e a administração da Agência serão
55, de 16 de dezembro de 2010. (Fonte: Anatel)
exercidas por uma Diretoria Colegiada, composta por até cinco
membros, sendo um deles o seu Diretor-Presidente. A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância
Sanitária (Anvisa) aprovou, por unanimidade, a resolução que
Parágrafo único. Os Diretores serão brasileiros, indicados e
trata da rotulagem obrigatória dos principais alimentos que
nomeados pelo Presidente da República após aprovação
causam alergias. (Fonte: Exame)
prévia do Senado Federal nos termos do art. 52, III, "f", da
Constituição Federal, para cumprimento de mandato de três Agência Nacional de Vigilância Sanitária suspendeu a
anos, admitida uma única recondução. distribuição, a divulgação, a comercialização e o uso de todos
os lotes de 15medicamentos fitoterápicos do Laboratório
Art. 11. O Diretor-Presidente da Agência será nomeado pelo
Belém Jardim Indústria e Comércio Ltda. A Anvisa determinou
Presidente da República, dentre os membros da Diretoria
que a empresa recolha o estoque existente nas farmácias.
Colegiada, e investido na função por três anos, ou pelo prazo
Segundo a agência reguladora, a medida foi adotada depois
restante de seu mandato, admitida uma única recondução por
que a fiscalização sanitária comprovou que o uso dos produtos
três anos.
CADERNO DA MARINA LOPES
é um risco para a saúde da população. Relatório de fiscalização § 2º O afastamento de que trata o § 1o não implica
afirma que o laboratório não segue as normas de segurança prorrogação ou permanência no cargo além da data
do consumidor. (Fonte: Exame) inicialmente prevista para o término do mandato.

2.7. Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS Art. 9º Até doze meses após deixar o cargo, é vedado a ex-
Ministério da Saúde Lei 9.961, de 28/1/00 dirigente da ANS:
Até 5 diretores, sendo um deles o seu diretor-presidente I - representar qualquer pessoa ou interesse perante a
mandato de 3 anos com possibilidade de única recondução Agência, excetuando-se os interesses próprios relacionados a
Art. 5º A ANS será dirigida por uma Diretoria Colegiada, contrato particular de assistência à saúde suplementar, na
devendo contar, também, com um Procurador, um condição de contratante ou consumidor;
Corregedor e um Ouvidor, além de unidades especializadas II - deter participação, exercer cargo ou função em organização
incumbidas de diferentes funções, de acordo com o regimento sujeita à regulação da ANS.
interno.
Vide reportagem da Folha de São Paulo (setembro de 2015):
Parágrafo único. A ANS contará, ainda, com a Câmara de Saúde
Suplementar, de caráter permanente e consultivo. O susto vivido pelos 744 mil usuários da Unimed Paulistana
após o anúncio da medida que encerra as atividades da
Art. 6º A gestão da ANS será exercida pela Diretoria Colegiada, operadora não foi o primeiro desse tipo no setor de planos de
composta por até cinco Diretores, sendo um deles o seu saúde.
Diretor-Presidente.
A cada ano, uma média de 14 operadoras são obrigadas a
Parágrafo único. Os Diretores serão brasileiros, indicados e repassar seus clientes devido a problemas financeiros e de
nomeados pelo Presidente da República após aprovação gestão, segundo dados da ANS (Agência Nacional de Saúde
prévia pelo Senado Federal, nos termos do art. 52, III, "f", da Suplementar), responsável pela regulação do setor.
Constituição Federal, para cumprimento de mandato de três
anos, admitida uma única recondução. São casos de alienações, processos em que a ANS determina a
transferência dos usuários de uma operadora para outra
Art. 7º O Diretor-Presidente da ANS será designado pelo devido à má situação financeira da primeira.
Presidente da República, dentre os membros da Diretoria
Colegiada, e investido na função por três anos, ou pelo prazo A ideia é evitar dificuldades para os segurados.
restante de seu mandato, admitida uma única recondução por São situações em que, sem receber o pagamento combinado,
três anos. hospitais, clínicas, médicos e profissionais acabam por
Art. 8º Após os primeiros quatro meses de exercício, os encerrar os contratos e o usuário não consegue agendar
dirigentes da ANS somente perderão o mandato em virtude atendimentos.
de: Em 15 anos, 208 processos de direção fiscal –casos em que a
I - condenação penal transitada em julgado; agência passa a monitorar presencialmente a situação de uma
operadora– resultaram em alienações.
II - condenação em processo administrativo, a ser instaurado
pelo Ministro de Estado da Saúde, assegurados o contraditório A boa notícia é que casos como esses, medidas consideradas
e a ampla defesa; drásticas, vêm diminuindo –ao menos nos últimos três anos.
Em 2013, foram 20 transferências, um número que caiu para
III - acumulação ilegal de cargos, empregos ou funções oito em 2014. Neste ano, foram seis. A ANS não informou
públicas; e dados dos anos anteriores.
IV - descumprimento injustificado de objetivos e metas Além da Unimed Paulistana, um dos casos recentes foi o da
acordados no contrato de gestão de que trata o Capítulo III Fundação Santa Casa de Belo Horizonte (MG), que tinha 100
desta Lei. mil usuários.
§ 1º Instaurado processo administrativo para apuração de
irregularidades, poderá o Presidente da República, por
solicitação do Ministro de Estado da Saúde, no interesse da Após a agência determinar a alienação compulsória, os
Administração, determinar o afastamento provisório do clientes foram transferidos para a operadora Vitallis e o
dirigente, até a conclusão. registro da Santa Casa foi cancelado, o que a impede de voltar
a vender planos de saúde.

(...)
CADERNO DA MARINA LOPES
2.8. Agência Nacional de Águas – ANA Ministério do 2.9 Agência Nacional de Transportes Aquaviários –
Meio Ambiente Lei no 9.984, de 17/7/00 Antaq Ministério dos Transportes Lei no 10.233, de
5 membros, sendo um deles seu diretor-presidente, mandato 5/6/01
de 4 anos com possibilidade de única recondução consecutiva 1 diretor-geral e 2 diretores, mandato de 4 anos
Art. 9o A ANA será dirigida por uma Diretoria Colegiada, 2.10. Agência Nacional de Transportes Terrestres –
composta por cinco membros, nomeados pelo Presidente da
ANTT Ministério dos Transportes Lei no 10.233, de
República, com mandatos não coincidentes de quatro anos,
admitida uma única recondução consecutiva, e contará com 5/6/01
uma Procuradoria. 1 diretor-geral e 3 diretores, mandato de 4 anos

§ 1o O Diretor-Presidente da ANA será escolhido pelo Art. 52. A ANTT e a ANTAQ terão Diretorias atuando em regime
Presidente da República entre os membros da Diretoria de colegiado como órgãos máximos de suas estruturas
Colegiada, e investido na função por quatro anos ou pelo organizacionais, as quais contarão também com um
prazo que restar de seu mandato. Procurador-Geral, um Ouvidor e um Corregedor.

§ 2o Em caso de vaga no curso do mandato, este será Art. 53. A Diretoria da ANTT será composta por um Diretor-
completado por sucessor investido na forma prevista no Geral e quatro Diretores e a Diretoria da ANTAQ será
caput, que o exercerá pelo prazo remanescente. composta por um Diretor-Geral e dois Diretores.

Art. 10. A exoneração imotivada de dirigentes da ANA só § 1o Os membros da Diretoria serão brasileiros, de reputação
poderá ocorrer nos quatro meses iniciais dos respectivos ilibada, formação universitária e elevado conceito no campo
mandatos. de especialidade dos cargos a serem exercidos, e serão
nomeados pelo Presidente da República, após aprovação pelo
§ 1o Após o prazo a que se refere o caput, os dirigentes da Senado Federal, nos termos da alínea f do inciso III do art. 52
ANA somente perderão o mandato em decorrência de da Constituição Federal.
renúncia, de condenação judicial transitada em julgado, ou
de decisão definitiva em processo administrativo disciplinar. § 2o O Diretor-Geral será nomeado pelo Presidente da
República dentre os integrantes da Diretoria, e investido na
§ 2o Sem prejuízo do que preveem as legislações penal e função pelo prazo fixado no ato de nomeação.
relativa à punição de atos de improbidade administrativa no
serviço público, será causa da perda do mandato a Art. 54. Os membros da Diretoria cumprirão mandatos de
inobservância, por qualquer um dos dirigentes da ANA, dos quatro anos, não coincidentes, admitida uma recondução.
deveres e proibições inerentes ao cargo que ocupa. Parágrafo único. Em caso de vacância no curso do mandato,
§ 3o Para os fins do disposto no § 2o, cabe ao Ministro de este será completado pelo sucessor investido na forma
Estado do Meio Ambiente instaurar o processo prevista no § 1o do art. 53.
administrativo disciplinar, que será conduzido por comissão Art. 55. Para assegurar a não-coincidência, os mandatos dos
especial, competindo ao Presidente da República determinar primeiros membros da Diretoria da ANTT serão de dois, três,
o afastamento preventivo, quando for o caso, e proferir o quatro, cinco e seis anos, e os mandatos dos primeiros
julgamento. membros da Diretoria da ANTAQ serão de dois, três e quatro
Art. 11. Aos dirigentes da ANA é vedado o exercício de anos, a serem estabelecidos no decreto de nomeação.
qualquer outra atividade profissional, empresarial, sindical Art. 56. Os membros da Diretoria perderão o mandato em
ou de direção político-partidária. virtude de renúncia, condenação judicial transitada em
§ 1o É vedado aos dirigentes da ANA, conforme dispuser o julgado, processo administrativo disciplinar, ou
seu regimento interno, ter interesse direto ou indireto em descumprimento manifesto de suas atribuições.
empresa relacionada com o Sistema Nacional de Parágrafo único. Cabe ao Ministro de Estado dos Transportes
Gerenciamento de Recursos Hídricos. ou ao Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Portos da
§ 2o A vedação de que trata o caput não se aplica aos casos Presidência da República, conforme o caso, instaurar o
de atividades profissionais decorrentes de vínculos processo administrativo disciplinar, competindo ao Presidente
contratuais mantidos com entidades públicas ou privadas de da República determinar o afastamento preventivo, quando
ensino e pesquisa. for o caso, e proferir o julgamento. (Redação dada pela Lei nº
12.815, de 2013)
CADERNO DA MARINA LOPES
Art. 57. Aos membros das Diretorias das Agências é vedado o Diretores, que decidirão por maioria absoluta, cabendo ao
exercício de qualquer outra atividade profissional, Diretor-Presidente, além do voto ordinário, o voto de
empresarial, sindical ou de direção político-partidária. qualidade.

Art. 58. Está impedida de exercer cargo de direção na ANTT e § 1o A Diretoria reunir-se-á com a maioria de seus membros
na ANTAQ a pessoa que mantenha, ou tenha mantido, nos
(...) § 3o As decisões da Diretoria serão fundamentadas.
doze meses anteriores à data de início do mandato, um dos
seguintes vínculos com empresa que explore qualquer das § 4o As sessões deliberativas da Diretoria que se destinem a
atividades reguladas pela respectiva Agência: resolver pendências entre agentes econômicos, ou entre estes
e usuários da aviação civil, serão públicas.
I – participação direta como acionista ou sócio;
Art. 11. Compete à Diretoria:
II – administrador, gerente ou membro do Conselho Fiscal;
I - propor, por intermédio do Ministro de Estado Chefe da
III – empregado, ainda que com contrato de trabalho
Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, ao
suspenso, inclusive de sua instituição controladora, ou de
Presidente da República, alterações do regulamento da Anac;
fundação de previdência de que a empresa ou sua
controladora seja patrocinadora ou custeadora. II – aprovar procedimentos administrativos de licitação;
Parágrafo único. Também está impedido de exercer cargo de III – conceder, permitir ou autorizar a prestação de serviços
direção o membro de conselho ou diretoria de associação, aéreos;
regional ou nacional, representativa de interesses patronais
ou trabalhistas ligados às atividades reguladas pela respectiva IV – conceder ou autorizar a exploração da infra-estrutura
Agência. aeronáutica e aeroportuária;

Art. 59. Até um ano após deixar o cargo, é vedado ao ex- V – exercer o poder normativo da Agência;
Diretor representar qualquer pessoa ou interesse perante a VI – aprovar minutas de editais de licitação, homologar
Agência de cuja Diretoria tiver participado. adjudicações, transferência e extinção de contratos de
Parágrafo único. É vedado, ainda, ao ex-Diretor utilizar concessão e permissão, na forma do regimento interno;
informações privilegiadas, obtidas em decorrência do cargo VII – aprovar o regimento interno da ANAC;
exercido, sob pena de incorrer em improbidade administrativa
VIII – apreciar, em grau de recurso, as penalidades impostas
pela ANAC; e
2.11. Agência Nacional de Cinema – Ancine IX – aprovar as normas relativas aos procedimentos
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e administrativos internos da Agência.
Comércio Exterior Parágrafo único. É vedado à Diretoria delegar a qualquer
MP no 2.228-1, de 6/9/01, alterada pela Lei 10.454, de 2002. órgão ou autoridade as competências previstas neste artigo.
1 diretor-presidente e 3 diretores- mandato de 4 anos Art. 12. Os diretores serão brasileiros, de reputação ilibada,
No silêncio da MP, aplica-se a Lei 9.986, de 2000 sobre formação universitária e elevado conceito no campo de
autonomia orgânica e proteção dos dirigentes contra especialidade dos cargos para os quais serão nomeados pelo
exoneração ad nutum, Presidente da República, após serem aprovados pelo Senado
Federal, nos termos da alínea f do inciso III do art. 52 da
2.12 Agência Nacional de Aviação Civil – Anac Constituição Federal.
Ministério da Defesa Art. 13. O mandato dos diretores será de 5 (cinco) anos.
Lei 11.182, de 27/9/05. A única criada no governo Lula.
§ 1o Os mandatos dos 1os (primeiros) membros da Diretoria
1 diretor-presidente e 4 diretores – mandato de 5 anos. serão, respectivamente, 1 (um) diretor por 3 (três) anos, 2
Art. 9o A ANAC terá como órgão de deliberação máxima a (dois) diretores por 4 (quatro) anos e 2 (dois) diretores por 5
Diretoria, contando, também, com uma Procuradoria, uma (cinco) anos, a serem estabelecidos no decreto de nomeação.
Corregedoria, um Conselho Consultivo e uma Ouvidoria, além § 2o Em caso de vacância no curso do mandato, este será
das unidades especializadas. completado por sucessor investido na forma prevista no art.
Art. 10. A Diretoria atuará em regime de colegiado e será 12 desta Lei.
composta por 1 (um) Diretor-Presidente e 4 (quatro)
CADERNO DA MARINA LOPES
Art. 14. Os diretores somente perderão o mandato em virtude RECURSO HIERÁRQUICO
de renúncia, de condenação judicial transitada em julgado, ou Sobre o RECURSO HIERÁRQUICO, a doutrina diverge.
de pena demissória decorrente de processo administrativo Alguns são favoráveis ao recurso hierárquico impróprio,
disciplinar. baseando-se no Decreto Lei 200/67, art. 170. Outros são
contrários a essa possibilidade “automática” de recurso
§ 2o Cabe ao Ministro de Estado Chefe da Secretaria de
hierárquico impróprio, aceitando, porém, quando
Aviação Civil da Presidência da República instaurar o processo
expressamente previsto na lei da agência.
administrativo disciplinar, que será conduzido por comissão
especial constituída por servidores públicos federais estáveis, Segundo Celso Antônio Bandeira de Mello, “dado que as
competindo ao Presidente da República determinar o autarquias são pessoas jurídicas distintas do Estado, o
afastamento preventivo, quando for o caso, e proferir Ministro supervisor não é autoridade de alçada para
julgamento. conhecer de recurso contra seus atos, pois inexiste relação
hierárquica entre este e aquelas, mas apenas os vínculos de
Art. 15. O regulamento disciplinará a substituição dos
controle legalmente previstos. Assim, só poderia haver o
diretores em seus impedimentos.
recurso hierárquico impróprio, isto é, quando previsto na lei
Vide, a propósito, disciplina dos Drones em discussão própria da autarquia (ou em alguma outra lei). Sem embargo,
(altosestudos.com.br) é certo que, nos termos do art. 5.º, XXXIV, ‘a’, da Constituição,
a todos é assegurado, independentemente do pagamento de
3. Sobre Regulação e Concorrência, vide debate taxas, ‘o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de
sobre Bacen e CADE: direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder’. Assim,
Recurso Extraordinário 664.189. Há decisão monocrática, por configurando-se o caso, a autoridade supervisora poderá
ora, de que a matéria é infraconstitucional. encontrar-se obrigada a exercer os cabíveis poderes de
supervisão sempre que o ato atacado incorra em alguma das
4. Vide, sobre outras Agências estaduais e hipóteses que o suscitam”. (Curso de Direito Administrativo.
municipais, o site da ABAR: SP: Malheiros Editores, 2005. p.159).
http://www.abar.org.br/
Predomina hoje a ideia de que, se a lei da agência
Comentários do Professor reguladora expressamente bane o recurso hierárquico
ADI 1949 próprio, caberia ainda o recurso hierárquico impróprio, salvo
Sobre restrições à demissibilidade dos dirigentes das se tratar a decisão a que se queira recorrer de função
agências sem justo motivo (ad nutum). Vide 2.1) Decisão tipicamente regulatória, atinente à atividade fim da agência.
relevante: Esta é a tese do PARECER NORMATIVO 51 DA AGU que ainda
não foi revogado21.
AUTONOMIA ORGÂNICA E FUNCIONAL
As agências são vinculadas e não subordinadas. A partir O professor discorda, pois entende que existe a
dessas decisões a autonomia orgânica e funcional dos autonomia orgânica (impossibilidade de exoneração ad
dirigentes aumentou. nutum) e a institucional, apesar desse parecer. A novidade é

21
“PORTO DE SALVADOR. THC2. DECISÃO DA ANTAQ. AGÊNCIA públicas definidas para o setor. IV - No caso em análise, a decisão
REGULADORA. CONHECIMENTO E PROVIMENTO DE RECURSO adotada pela ANTAQ deve ser mantida, porque afeta à sua área de
HIERÁRQUICO IMPRÓPRIO PELO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. competência finalística, sendo incabível, no presente caso, o
SUPERVISÃO MINISTERIAL. INSTRUMENTOS. REVISÃO provimento de recurso hierárquico impróprio para a revisão da
ADMINISTRATIVA. LIMITAÇÕES. I - “O Presidente da República, por decisão da Agência pelo Ministério dos Transportes, restando sem
motivo relevante de interêsse público, poderá avocar e decidir efeito a aprovação ministerial do Parecer CONJUR/MT nº 244/2005.
qualquer assunto na esfera da Administração Federal” (DL nº V - A coordenação das Procuradorias Federais junto às agências
200/67, art. 170). II - Estão sujeitas à revisão ministerial, de ofício ou reguladoras pelas Consultorias Jurídicas dos Ministérios não se
por provocação dos interessados, inclusive pela apresentação de estende às decisões adotadas por essas entidades da Administração
recurso hierárquico impróprio, as decisões das agências reguladoras indireta quando referentes às competências regulatórias desses
referentes às suas atividades administrativas ou que ultrapassem os entes especificadas em lei, porque, para tanto, decorreria do poder
limites de suas competências materiais definidas em lei ou de revisão ministerial, o qual, se excepcionalmente ausente nas
regulamento, ou, ainda, violem as políticas públicas definidas para o circunstâncias esclarecidas precedentemente, afasta também as
setor regulado pela Administração direta. III - Excepcionalmente, por competências das Consultorias Jurídicas. O mesmo ocorre em
ausente o instrumento da revisão administrativa ministerial, não relação à vinculação das agências reguladoras aos pareceres
pode ser provido recurso hierárquico impróprio dirigido aos ministeriais, não estando elas obrigadas a rever suas decisões para
Ministérios supervisores contra as decisões das agências reguladoras lhes dar cumprimento, de forma também excepcional, desde que
adotadas finalisticamente no estrito âmbito de suas competências nesse mesmo âmbito de sua atuação regulatória. VI - Havendo
regulatórias previstas em lei e que estejam adequadas às políticas disputa entre os Ministérios e as agências reguladoras quanto à
CADERNO DA MARINA LOPES
que essas agências reguladoras assumem uma independência ANCINE, no silêncio da MP que foi convertida em lei, aplica-se
mais qualificada em relação à Administração central. 22 É uma o art. 9º.
blindagem contra a captura pelo próprio governo. No cap. 9
do Aragão, temos que a CVM é entidade que se assemelha às
AGÊNCIAS REGULADORAS EM ESPÉCIE
agências reguladoras. As agências reguladoras surgem num No ano de 2000, governo FHC, foi feita a MP dispondo que
momento de privatização para compensá-la, aumentando o as agências reguladoras teriam suas relações de trabalho
poder independente do Estado. regidas pela CLT em regime de emprego público. Ocorre que o
STF declarou a INCONSTITUCIONALIDADE material desta
NATUREZA INSTITUCIONAL adoção do regime de emprego público, reiterando o
As autarquias reguladoras são de regime especial com entendimento já consagrado por Marçal Justen Filho: “Uma
autonomia ampliada. Alguns autores como Alexandre Aragão democracia republicana exige que as competências estatais
falam em deslegalização, como se as agências pudessem ter fundamentais sejam exercitadas por indivíduos submetidos a
funções normativas comparáveis à lei, o que não pode vínculo jurídico apropriado. A condição de órgão do Estado
acontecer. Segundo Aragão, elas são incumbidas do exercício impõe um regime jurídico diferenciado, próprio do direito
de funções regulatórias e dirigidas por colegiados de membros público. Por isso, todas as atividades que materializem as
nomeados pelo Presidente da República por prazo competências essenciais do Estado devem ser exercitadas
determinado, sendo vedada a exoneração ad nutum. Dois segundo o regime estatutário. [...] a figura do empregado
problemas do conceito de Aragão: público é reservada para atividades destituídas de relevância
política e que não traduzam as competências estatais mais
1) Autarquias incumbidas do exercício de funções
essenciais. Não é casual, então, que o regime estatutário não
regulatórias é tautológico;
seja aplicado no âmbito das pessoas estatais de direito
2) Apenas define as agências reguladoras federais.
privado, nem é estranho afirmar que o regime trabalhista será
CONCEITO DO PROF. JUAREZ aplicado somente por exceção na esfera das pessoas estatais
Conforme o prof., as agências reguladoras são de direito público” (“Curso de Direito Administrativo”, Saraiva,
ENTIDADES AUTÁRQUICAS QUALIFICADAMENTE 2005, p. 660).
AUTÔNOMAS PARA, MEDIANTE INTERVENÇÃO Regulação é atividade estatal e, como tal, deve ser
ADMINISTRATIVA INDIRETA, CUMPRIR O PAPEL DE CORRIGIR realizada por pessoas com vínculo estatutário (servidor
FALHAS DE MERCADO E DE GOVERNO COM MEDIDAS DE público). Não poderia ser vínculo celetista que não tem as
PROMOÇÃO E DE REPRESSÃO, TENDO EM VISTA A garantias correspondentes à estabilidade do art. 41 da CF que
OBTENÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. protegem não o “regulador”, mas a sociedade. A atividade
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS típica de Estado não pode ser exercida por regime celetista. O
Lei importante que dispõe sobre a gestão de recursos regime de emprego público deveria ser para atividades meio.
humanos das agências reguladoras (L 9.986/2000). Quando a A matéria foi levada ao supremo e na ADIN 2310 o STF
agência não tiver dispositivo tratando da proteção dos suspendeu a eficácia do art. 1º dizendo que não cabe
dirigentes contra a exoneração ad nutum se aplica essa lei generalizar o emprego público nas agências reguladoras.
(art. 9º, L. 9.986/00). O art. 9º diz que os conselheiros e
AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL
diretores das agências somente perderão o mandato em caso
Criada por lei específica e só pode ser extinta por lei
de: 1) renúncia; 2) condenação transitada em julgado; 3)
específica. Criada pela L 9427/96. As competências estão no
processo administrativo disciplinar. A lei poderá ainda prever
art. 3º, o professor pede que olhemos as 10 leis que criaram
outras condições para perda de mandato. Em relação à
as autarquias que serão referidas na aula de hoje. Sobre
vedação de exoneração ad nutum dos dirigentes, como foi

fixação de suas competências, ou mesmo divergência de atribuições a atuação da autarquia com as diretrizes políticas fixadas pelo Poder
entre uma agência reguladora e outra entidade da Administração Executivo, bem como garantir a eficiência administrativa das
indireta, a questão deve ser submetida à Advocacia-Geral da União. autarquias. O controle que a Administração Direta realiza sobre
VII - As orientações normativas da AGU vinculam as agências esses entes é de legitimidade ou de mérito, conforme se limite a
reguladoras. VIII - As agências reguladoras devem adotar todas as adequar a atuação da autarquia à lei, ou, no segundo caso, quando
providências para que, à exceção dos casos previstos em lei, nenhum for possível avaliar a conveniência e a oportunidade do agir
agente que não integre a carreira de Procurador Federal exerça autárquico. No caso das agências reguladoras, são entes autárquicos
quaisquer das atribuições previstas no artigo 37 da MP nº 2.229- ditos especiais, destacando-se a maior independência face ao poder
43/2001”. ao qual são vinculadas, garantida inclusive pela estabilidade dos
22
“As autarquias não - especiais (aquelas não qualificadas como dirigentes, que não são demissíveis ad nutum por autoridades da
agências reguladoras) mantêm relação de tutela ou supervisão com Administração Direta, e pela autonomia decisória quanto às
os Ministérios os quais são vinculadas. Esse controle visa harmonizar atividades tipicamente regulatórias” (Luiz Henrique Diniz Araújo).
CADERNO DA MARINA LOPES
revogado o art. 8º dessa lei, aplica-se o artigo 9º da lei AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA -
9986/00. Não há prazo de 4 meses de quarentena. ANVISA
AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - Lei específica nº 9782/99. Vinculada (não subordinada) ao
Ministério da Saúde. São até cinco membros dirigentes
ANATEL
(mandato de 3 anos com 1 recondução). Destaque para o art.
Admite regime de direito público para serviços de
12 que não foi revogado e diz que a EXONERAÇÃO
telecomunicações e regime de direito privado. Aplica-se
IMOTIVADA DE DIRETOR SOMENTE PODE OCORRER NOS
também o ar. 9º pela revogação dos artigos 2 a 14 da lei
QUATRO MESES INICIAIS DO MANDATO. Findo esse tempo, é
específica. Desde 10/09/2015, temos novo regulamento de
assegurado o exercício integral na função, salvo
direitos gerais de direito do consumidor. Se as regras da
IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, CONDENAÇÃO PENAL
ANATEL não forem cumpridas, as multas podem chegar a
transitada em julgado e DESCUMPRIMENTO INJUSTIFICADO
milhões de reais. Anatel é vinculada ao Ministério das
DO CONTRATO DE GESTÃO da autarquia (entre a agência e o
Comunicações.
Ministério correspondente). São quatro meses de janela de
AGENCIA NACIONAL DE PETRÓLEO - ANP exoneração. Ademais, segundo a OCDE é vedado o exercício
Vinculada (não subordinada) ao Ministério de Minas de de outra atividade empresarial, profissional, sindical ou de
Energia. Essa autarquia trata do petróleo, gás natural e direção político partidária (art. 13) e, até um ano após deixar
biocombustível. Implementa política pública. Sede em Brasília o cargo, é vedado ao diretor representar qualquer pessoa ou
com sucursal no RJ. AS AGÊNCIAS REGULADORAS NÃO interesse perante a agência (art. 14).
FORMULAM, MAS IMPLEMENTAM POLÍTICAS PÚBLICAS. Sua
AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR - ANS
lei específica é a L. 9.478/97. Também aqui se aplica a
Não trata de serviço público e é vinculada ao Ministério
disciplina geral do art. 9º da Lei 9.986/00 no tocante à
da Saúde. Lei específica nº 9971/2000. Essa ANS trata, por
vedação de exoneração ad nutum. O art. 52, III, f da CF e o art.
exemplo, da disciplina dos planos de saúde. O art. 8º da lei diz
11 da lei que criou a ANP dizem que será dirigida em regime
que APÓS OS PRIMEIROS 4 MESES DE EXERCÍCIO, OS
de colegiado. No caso da ANP, é por diretoria composta por
DIRIGENTES SOMENTE PERDERÃO O MANDATO EM VIRTUDE
diretor geral e 4 diretores. Esse número varia de agência para
DE CONDENAÇÃO PENAL TRANSITADA EM JULGADO,
agência. Os membros são nomeados pelo Presidente da
CONDENAÇÃO EM PROCESSO ADMINISTRATIVO (QUE DEVE
República após aprovação no Senado. Isso vale para todos os
SER INSTAURADO PELO MINISTRO DE ESTADO, ISSO VALE
dirigentes de agências reguladoras. EXONERADO, O DIRETOR
PARA TODAS); ACUMULAÇÃO ILEGAL DE CARGOS,
FICA IMPEDIDO POR 12 MESES (prazo de quarentena). A lei
EMPREGOS OU FUNÇÕES PÚBLICAS (MESMA REGRA DOS
de 2000 fala de período menor (4 meses). Quando a lei
SERVIDORES) E DESCUMPRIMENTO INJUSTIFICADO DO
específica trata de período maior, vale este último. Se esse ex-
CONTRATO DE GESTÃO. Veda a lei, também, que em até 12
diretor exercer funções na quarentena é advocacia
meses (e não 4) o ex dirigente represente qualquer pessoa ou
administrativa e improbidade administrativa. A Petrobrás terá
interesse perante a agência (se for contratante ou
que pagar trilhões a título de participação especial nos seus
consumidor, tudo bem). Não pode, nesse período, deter
campos à ANP. Essa participação depende de a produção
participação ou exercer cargo ou função em local sujeito à
ultrapassar determinas estimativas. A ANP juntou vários
regulação da ANS.
campos para dar um campo maior e daí incidiu a participação
especial. Coisa parecida ocorreu com a Shell. Temos uma  Alienação compulsória: Em 15 anos, 208 processos
autarquia federal regulatória (Administração Pública) e uma resultaram em alienação compulsória. Os clientes são
sociedade de economia mista federal (Administração Pública transferidos para outra operadora (alienação
federal). Como se dá a resolução e conflito que envolve compulsória de carteira). No caso da Unimed paulistana
administração pública indireta com outra indireta. No contrato foram 700 mil usuários de plano de saúde. Para proteção
da Petrobrás existe CLÁUSULA COMPROMISSÓRIA do consumidor, a agência reguladora determina que uma
permitindo levar o assunto para arbitragem. A Petrobrás entidade aliene a carteira dos clientes para o mercado.
levou o assunto ao Tribunal Internacional de arbitragem em Ninguém é obrigado a comprar, a assunção é do mercado.
Paris. O tribunal arbitral determinou a suspensão do depósito Esse grau de intervenção é proporcional? O ideal é que
dos valores controversos de participação especial. Onde esse haja prevenção regulatória para não chegar ao ponto de
litigio deveria ter sido resolvido no entender do professor? No gestão precária. Carteira de operadora é o conjunto de
Judiciário Brasileiro. A matéria foi judicializada, e o TRF da planos de saúde que a empresa contém no mercado.
região de Brasília determinou o descabimento de cláusula
compromissória no que tange a assuntos de regulação. AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS - ANA
L 9984/2000. Cinco membros diretores mais presidente com
mandato de 4 anos com 1 recondução consecutiva. Destaque
CADERNO DA MARINA LOPES
para o art. 10 que diz que A EXONERAÇÃO IMOTIVADA DE Páginas 308 a 311 do livro. A tese do autor é defensável,
DIRIGENTES SÓ PODE CORRER NOS 4 MESES INICIAIS DOS mas não ajuda muito enquanto o STF não decidir o grande
MANDATOS. Mesma janela. Após esse prazo, os dirigentes da paradigma que há na matéria (conflito Bacen x CADE). A rigor
ANA somente perderão o mandato por renúncia, condenação há decisão monocrática do Toffoli no RE 664189 nos termos
transitada em julgado ou decisão definitiva em processo de que a matéria é infraconstitucional, não sendo do STF, de
administrativo disciplinar. Regra de vedação e conflito de forma que vale o que o STJ disse. Como o STJ disse ser
interesse (veda qualquer atividade profissional, sindical, competência do BACEN, vale isso. Deve ter havido recurso ao
empresarial, político partidária). Ainda, durante a quarentena, plenário do STF, então se está aguardando a decisão final. Para
não pode o ex dirigente fazer parte de empresas de o professor, os problemas de concorrência devem ser
gerenciamento de recursos hídricos. A ANA é vinculada ao remetidos ao CADE, exceto em relação à matéria bancária que
Ministério do Meio Ambiente deveria ser remetida ao BACEN.

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES Na aula que vem para os capítulos 9 e 10 o professor vai
E AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES mandar questões para serem resolvidas.
AQUAVIÁRIOS - ANTT E ANTAQ
A Lei específica nº 1.0233 criou as duas agências em 2001
vinculadas ao Ministério dos Transportes. Art. 56 que fala que
os membros da diretoria perderão o mandato por RENÚNCIA,
CONDENAÇÃO TRANSITADA EM JULGADO, PROCESSO
ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR OU DESCUMPRIMENTO AULA 07
MANIFESTO DE SUAS ATRIBUIÇÕES. Esse último motivo é O professor retoma a blindagem dos dirigentes das
muito estranho. O art. 57 estabelece regra contra conflito de autarquias especiais de regulação. A limitação à exoneração
interesses. ad nutum é uma das características mais importantes das
agências reguladoras. Esse é o tema do Cap. 8. Hoje vamos ver
AGÊNCIA NACIONAL DO CINEMA - ANCINE o Cap. 10 que tratam de característica das agências
Agência de fomento, a rigor. Função promocional reguladoras. O Cap. 9 que trata de agências assemelhadas tipo
vinculada ao ministério do desenvolvimento, indústria e a CVM vamos estudar pós a prova.
comércio. Curioso que foi criada por MP (aquelas que por
força de EC estão ainda em pé como se lei fossem: 2228-1 de Caso atualíssimo de direito da regulação: caso que
2001). Teve alterações em 2002. A MP da ANCINE silenciou envolve EPA (agência de proteção ambiental nos EUA que não
quanto à autonomia orgânica então se aplica o art. 9º da Lei é independente, pois se liga diretamente ao presidente) e a
9.986/00 sobre a exoneração ad nutum. Volkswagen. Empresa confessou ter usado intencionalmente
software criado para enganar os controles de emissões de
AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC poluentes da EPA. A Volks corre risco de multa de até 20
Criada no governo Lula. 1 diretor 4 dirigentes. A lei bilhões de dólares e recall de 500 mil veículos. Sobre poluição
específica é a Lei 11.182/2005. O art. 14 diz que diretores do ar, segundo a OMS morre por ano 700 mil pessoas. No caso
somente perderão o mandato em virtude de RENÚNCIA, de emissões de combustíveis, é a ANP que, no Brasil, pode e
CONDENAÇÃO JUDICIAL TRANSITADA EM JULGADO OU PENA deve tratar disso.
DEMISSÓRIA DECORRENTE DO PROCESSO ADMINISTRATIVO
DISCIPLINAR. Aos entes de direito administrativo no que diz Sobre inseticidas a Anvisa tem que revisar
respeito a vínculo institucional, a demissão é sempre toxicologicamente o glifosato, e o agrotóxico deve ser
penalidade. Cabe a Ministro De Estado (chefe da secretaria de substituído por alternativas não nocivas à saúde. A informação
aviação civil) instaurar o PAD que será presidido por comissão pelo menos resguardaria a rotulagem.
de servidores estáveis. Mesmo com essas garantias todas
ATIVIDADE FISCALIZADORA E JULGADORA
houve o problema dos apagões dos aeroportos e vários
Atividade FISCALIZADORA E JULGADORA das agências.
dirigentes renunciaram. Regulação dos “Drones” é um assunto
Essa última é importante para dirimir conflitos inclusive entre
muito importante que está sendo estudado atualmente. Sobre
agências (casos de compartilhamento de infraestrutura). Às
regulação e concorrência: estas 10 agências têm que se
vezes as agências têm conflitos entre si (Resolução conjunta
preocupar ou não com a livre concorrência? Claro que sim,
nº 2 da ANATEL, ANEEL e ANP). Aragão ainda menciona a
mas o ponto é: elas se preocupam com a liberdade de
possibilidade de adoção da arbitragem. Algumas agências
concorrência e tomam elas próprias providências ou repassam
aceitam. Essa possibilidade é, sobretudo quando envolver
para o CADE? Matéria que envolva fusão, por exemplo, não é
concessão de serviços públicos, (art. 23-A da L 87xx e L. 9478,
com elas, então devem repassar o tema para o sistema de
arts. 20,27 e 43, X).
proteção da concorrência.
CADERNO DA MARINA LOPES
A lei da ANATEL, art. 19, XVII, fala que uma das interpretação PERMISSÍVEL ou não para o estatuto legal. Se a
competências da agência é compor administrativamente interpretação é permissível, o Judiciário tem que respeitá-la e
conflitos de interesse entre prestadoras de serviço de praticar a deferência. Basta que a resposta seja RAZOÁVEL.
telecomunicações. As agências reguladoras, por serem Esse teste foi criado pela decisão já mencionada que foi
independentes, seriam a sede ideal para CONSENSUALIZAÇÃO invocada com o fim de que o Judiciário respeitasse a decisão
(CHEGAR A UM ACORDO). de mérito da regulação. Na aula passada o professor citou uma
decisão, dizendo que a prova pericial convenceu o juiz de que
TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA a Anatel estava errada. Nesse caso, a deferência cessa, porque
As agências reguladoras também podem fazer TERMOS a perícia comprovou que a regulação não era permissível.
DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA. Quando não há previsão Curiosidade: o Chevron Test foi sacudido por decisão da
expressa na lei que criou a agência, utiliza-se a LEI DA AÇÃO Suprema Corte no Obama Care 2 que envolve seis milhões e
CIVIL PÚBLICA. A CVM faz muitos termos de ajustamento de meio de americanos sobre subsídio de saúde. Nesse caso, o
conduto, mas não tem previsão expressa. Utiliza-se, assim, a teste foi um pouco asfaltado.
lei da ação civil pública que autoriza compromissos de
ajustamento de conduta e que se aplica também às As agências reguladoras têm maior EXPERTISE na
autarquias. No caso da ANEEL, a disciplina desse TAC está na matéria, caráter técnico. Razão pela qual o judiciário deve
resolução nº 63, art. 21. A diretoria da ANEEL obriga a empresa praticar a deferência. O prof. ainda diz que a agências são DE
prestadora de energia a investir 12 milhões (montante ESTADO e não de governo ou deveriam ser
superior à multa que seria aplicada) por meio de TAC. Cessa, (imparciais/impessoais).
assim, a prática infracional e a empresa assume um O art. 5º da lei 9.986/2000 diz que os membros da Direção
compromisso de investimento. Flexibilidade de espaço de serão brasileiros, de reputação ilibada, com formação
sanções estão nos arts. 29 e 29-A da Lei nº 9.656 em relação à universitária e elevado conceito no campo para o qual serão
ANS. O primeiro dispositivo trata do processo administrativo nomeados. Se o dirigente não tiver expertise, dificilmente
que pode ser suspenso pela agência se a operadora de serviço granjeará respeito para fazer jus à deferência. O art. 23 da lei
assinar o TAC. O TAC tem natureza de TÍTULO EXECUTIVO da Anatel também diz que tem que ter elevado conceito no
EXTRAJUDICIAL. Por meio dele se obriga as operadoras a campo de especialidade. CONDIÇÃO SINE QUA NON PARA A
cessar a irregularidade e a corrigir, inclusive indenizando DEFERÊNCIA. Razão pela qual, na sabatina do Senado, esse
prejuízos. Há uma série de cláusulas. Há possibilidade de item deve ser observado.
celebração do TAC quando houver interesse em implementar
práticas que constituem em vantagens para o consumidor. NOÇÕES SOBRE REGIME PÚBLICO E PRIVADO DA ANATEL
Os arts. 69 e 63 da Lei da Anatel admite regimes públicos
CARÁTER TÉCNICO DAS AGÊNCIAS REGULADORAS e privados para telecomunicações. No Brasil, pode ser regime
Quanto ao caráter técnico, as agências reguladoras de direito público ou privado. Por quê? Porque pode se tratar
devem ter expertise técnica. Prof. quer falar brevemente de serviço público ou não. Quem define isso? O Executivo. O
sobre CHEVRON TEST23. Caso que a Suprema Corte americana art. 79 cuida das características do serviço público (dever de
decidiu em 1984. Se o intento da norma do Congresso for continuidade, licitação para outorga, contrato por prazo
claro, cabe a agência cumpri-lo, e ao Judiciário respeitar. determinado). O art. 126 trata do regime privado. A Lei fala em
DEFERÊNCIA TOTAL. Se o estatuto legal for silencioso ou autorização, mas para o professor é licença (ato vinculado).
ambíguo a respeito de matéria específica, a questão para a Não tem prazo, não tem licitação, não tem outorga, não tem
Corte será saber se a agência reguladora deu uma exigências iguais de universalização nem continuidade. Tem

23
[...] No caso Chevron [...] a Suprema Corte [...] criou um "novo teste se a lei é silente ou ambígua a respeito do tema específico, a questão
de dois estágios" (a new two-step test) a ser aplicado a todas as que o tribunal deve perquirir é se a resposta da agência é baseada
tentativas das agências de dar significado às regulamentações em uma interpretação permitida da lei (based on a permissible
administrativas: quando um tribunal julga uma interpretação da construction of the statute). [...] O que a Suprema Corte criticou [...]
agência acerca de sua regulamentação administrativa (an agency's foi a substituição da política da agência pela política judicial quando
construction of the statute it administer), essa regulamentação deve o Congresso em verdade queria delegar a feição da política a uma
ser confrontada com duas questões. Primeiro, sempre, põe-se a agência. [...] Depois do caso Chevron, tem-se entendido que juízes
questão sobre se o Congresso diretamente dispôs sobre a questão não podem atribuir ao Congresso decisões que este jamais tomou.
de forma precisa. Se a intenção do Congresso é clara, nada há que se Se o Congresso não resolveu uma disputa acerca da política a ser
discutir, devendo o tribunal, assim como a agência, dar vazão à adotada, essa disputa permanece para ser resolvida por uma
intenção inequivocamente expressada pelo Congresso. Se, agência, antes de sê-lo por juízes com políticas de diferentes
entretanto, o tribunal entende que o Congresso não dispôs sobre a perspectivas. (OS PODERES DAS AGÊNCIAS AMERICANAS e JUDICIAL
questão de forma precisa, não pode o Judiciário simplesmente impor REVIEW - leading case e BÁSICAS OBSERVAÇÕES. José Guilherme
suas próprias interpretações sobre os regulamentos, como seria Giacomuzzi).
necessário na ausência de uma interpretação administrativa. Antes,
CADERNO DA MARINA LOPES
exigências comuns do art. 127. O conceito de autorização está TEMAS DO GRUPO DE REGULAÇÃO:
no art. 131 da lei. Existem ainda serviços de telecomunicações Ex.1: reprodução assistida após os 50 anos. Está fazendo
que independem até de autorização. Lei bem polêmica. No BR regulação quando uma autarquia diz que os médicos não mais
temos celular em regime de direito privado e telefonia fixa precisarão de autorização do Conselho para fazer
em regime de direito público. Depende de opção política. O procedimento de reprodução assistida em mulheres com mais
professor não acha isso bom cientificamente, mas não tem o de 50 anos (site altos estudos). Trata-se de intervenção
que fazer. Há um projeto de lei tramitando que pretende que indireta que disciplina a atividade do profissional médico que
a telefonia móvel passe a ser de regime de direito público ou agora está liberado de fazer uma coisa que até a pouco tempo
privado. era proibido de fazer, salvo autorização do Conselho Federal
Temos serviços que a lei chama no art. 60 de SERVIÇO DE de Medicina que é uma autarquia corporativa. Obs.: a OAB é a
VALOR ADICIONADO, por exemplo, a internet. Na lei da única figura corporativa totalmente sui generis (não precisa
internet tem que ter universalização e continuidade, embora licitar nem passar pelo TCU). Ninguém sabe ao certo o que é.
não seja serviço público (tem valor de serviço público, mas não Ex.3: Netflix (streaming). Quem está chiando por causa do
é). A agência reguladora já se pronunciou no sentido de não netflix? As locadoras (mas estas estão em extinção), as TVs a
adotar as restrições europeias ao WhatsApp. Dia 13 de cabo (que estão perdendo mercado) e a indústria nacional do
outubro, a convite do professor, um dirigente da Anatel irá cinema. Pressão grande na ANATEL e na ANCINE. Esta declarou
palestrar para os alunos da UFRGS. A ADIN 2310 que acabou forçou a Netflix a colocar 1000 filmes nacionais. Isso é
com o regime exclusivo de direito público fez isso com liminar, preocupante porque encarece a assinatura, quem paga é o
mas o art. 1º da lei 9.987 já foi revogado (fim da usuário, mas tem que ter. Talvez o diretor da ANCINE tenha
inconstitucionalidade grotesca). exagerado para poder negociar depois.
CONSULTA E PREGÃO Ex.4: Whatsapp. O direitor da ANATEL já antecipou sua posição
Uma menção lateral, mas importante: há 2 modalidades (não é a da agência ainda) de que não se deve cercear o
de licitação que foram introduzidas para as agências Whatsapp. Essa é também a posição do professor. O que as
reguladoras (lei da Anatel) a L. 9.986 (art. 37) estendeu para empresas devem fazer? Aliar-se. Não há como cercear sem
todas as agências modalidade de CONSULTA (arts. 78 da 9472) causar graves danos.
e PREGÃO (modalidade que nasceu com a lei da Anatel).
Ex.5: Estratégia da Europa, dos EUA e do BR. Em SP, tem-se a
PERGUNTA PARA PRÓXIMA AULA ideia de táxi digital. Interessante o caso do Uber. Deve haver
Para a próxima aula: livro do Murilo sobre Anvisa. Achar regulação, mas não impedimento. A regulação vai servir para
na lei da Anvisa a resposta da seguinte pergunta: Existe na lei impedir a concorrência desleal. A vantagem do Uber é que o
da Anvisa (na da Anatel existe) algum dispositivo que usuário avalia o serviço e, uma vez avaliado mal, o sujeito do
expressamente vede a possibilidade de recurso hierárquico uber é desvinculado do sistema.
próprio e impróprio contra decisões da Anvisa? O parecer da
AGU admite a possibilidade recurso hierárquico ao Ministro. A REVISÃO PARA A PROVA
lei da Anatel diz que não cabe. A lei da Anvisa trata dessa Direito da Regulação e Políticas Públicas. Carlos Ari Sundfeld,
matéria? A segunda questão para a próxima aula é examinar André Rosilho. Texto sobre diálogo constitucional das
a seguinte hipótese: pode a Anvisa interditar como medida de Agências Reguladoras Brasileiras (as 10 federais).
vigilância sanitária uma fábrica de medicamentos? E uma
farmácia? Em caso afirmativo, considere o princípio da 1) Independência Administrativa:
proporcionalidade. Lembrar da estabilidade dos dirigentes.

2) Ausência de subordinação hierárquica:


Aula 08
Ficou um pouco chamuscada pelo parecer da AGU 4 de
Necessário lembrar que ABUSO da posição dominante é
2006 que admitiu equivocadamente o recurso hierárquico
falha de mercado. A posição dominante em si não é falha. A
impróprio. O autor admite que alguns diplomas descartam
google pode ser dominante e isso pode não ser abusivo,
qualquer subordinação hierárquica (tanto o recurso
decorre da competência e da qualidade do serviço/produto.
hierárquico próprio quanto o impróprio). Ex.: lei da Anvisa e
A regulação são se cinge às agências reguladoras (10 da Anatel.
federais e mais de 50 com esse nome nos Estados e
Municípios, algumas são consórcios).
3) Mandato fixo e quarentena
Mandato fixo e quarentena serve para todas as 10
agências federais. O mando fixo não vale para o Banco Central.
CADERNO DA MARINA LOPES
4) Estabilidade dos dirigentes. 4) Necessidade de controlar o monopólio
Quando não há dispositivo expresso, aplica-se o art. lei Necessidade de controlar o monopólio, nada obstante
nº 9986, art. 9º. exista o monopólio natural (energia elétrica) que se justifica
quando por razões de escala só se possa ter um distribuidor
5) Autonomia financeira (de energia). Nem sempre o monopólio é mau, mas
Essa autonomia cai um pouco por terra diante da redução geralmente prejudica a alocação eficiente de recursos
do déficit fiscal. No Brasil da década de 90 as agências inibindo a livre concorrência e colidindo com a CF.
reguladoras foram criadas no BR com essas características
principais. 5) Necessidade de Controlar os Lucros
Inesperados – Windfall Profits
Falhas de Mercado (Justificativas econômicas)
6) Necessidade de Eliminar a Competição
1) Externalidades ou Transaction Acts
A regulação é justificada para compensar o fato de que o
Excessiva
preço de produtos e serviços não reflete os custos reais de Acabar com a competição predatória é o objetivo de
produção. Alguém transferiu os custos colaterais para a várias leis. A lei de licitações (L 8.666) inclusive proíbe a
sociedade (não internalizou as externalidades). Externalidades aceitação de propostas manifestamente inexequíveis
são efeitos indiretos, colaterais, (que podem ser positivos ou justamente para evitar dumping, evitar competição excessiva.
negativos) não assumidos pelo produtor. Efeito positivo: Ex.: companhias aéreas americanas nos anos 30 nos EUA.
educação; Negativo: poluição. Custos externos sem Nossa lei da ANAC cuida do assunto me seu art. 6º.
compensação que o indivíduo ou empresa impõe a outros. 7) Necessidade de Aliviar a Escassez
Como a lei chama essas externalidades? Custos indiretos. É outra razão para regular. Regulação que não é feita por
2) Problemas da Ação Coletiva agencia reguladora, mas pela CONAR que é empresa pública.
As vezes comportamentos individualmente racionais 8) Necessidade de Resolver Problemas de
(maximização do interesse individual) produzem danos
Agência Principal
coletivos, tragédias, tragédias dos comuns.
Quando o agente está desalinhado com o principal.
3) Necessidade de Compensar a Informação Médico desalinhado com o interesse na saúde do paciente,
Inadequada por exemplo.
A Anvisa nos ajuda muito nesse ponto. O laboratório está Justificativas não econômicas
respeitando regras básicas da produção do medicamento? 1) Redistribuição
Não temos como fiscalizar isso, precisamos da agência
1. Tarifas Sociais
reguladora para saber se o laboratório está usando farinha na
produção de pílulas, por exemplo. Nós não conseguimos nem 2) Valores Coletivos que não estão no mercado
fiscalizar o leite que tomamos, pois somos vulneráveis. Valores implícitos principalmente em matéria ambiental.
Pagamos tributos entre outras coisas justamente para que o
3) Desvantagens e Castas
Estado nos ajude a corrigir assimetrias de informação. Outro
Regulações antidiscriminatórias que protegem pessoas
exemplo é a regulação dos planos de saúde. Na Unimed de SP
com deficiências (necessidades especiais).
teve alienação compulsório, no RJ a Unimed quebrou. São
milhões de pessoas que dependem de plano de saúde. Além 4) Planejamento
disso, o consumidor é enviesado (essa matéria fica na última Função importante. Planejamento de longo prazo, de
das razoes para justificar a regulação que é o paternalismo Estado e não de governo. Posso regular para proteção do aço
libertário), precisa de nudges. Em relação à informação brasileiro, mas vou ter que me entender com a OMC depois.
privilegiada ou assimétrica, em todos os 10 diplomas das
agências há mecanismos anticonflitos de interesse. A 5) Paternalismo
QUARENTENA é uma desses mecanismos. Quem sai de uma Não coercitivo, mas libertário. Importante dar nudges
agência reguladora tem informações privilegiadas, então, (cutucadas) nos consumidores enviesados.
por algum tempo não pode trabalhar no setor, isso é ética e
legalmente proibido. Existe tráfico de drogas, de influência e Destaque para Lei 12.599 (lei do CADE)
de informação. Isso é grave e é improbidade administrativa. Destaque para o art. 36 que diz o que constitui infração à
ordem econômica é o abuso da posição dominante. Esse
3.1) Seleção adversa e Risco moral abuso atrai responsabilidade objetiva da pessoa jurídica, uma
Caso Lemons (carros defeituosos). Epidemia de incêndios vez que inexiste responsabilidade objetiva da pessoa física, por
em NY (caso das seguradoras). atos por qualquer forma manifestados que tenham a
CADERNO DA MARINA LOPES
finalidade ou que possam produzir os seguintes efeitos, ainda para todas) devem ser brasileiros, ter reputação ilibada,
que não sejam alcançados: 1) limitar, falsear ou de qualquer formação universitária e elevado conceito no campo de
forma prejudicar a livre concorrência ou a livre iniciativa, 2) especialidade dos cargos para os quais serão nomeados24. A
dominar mercado relevante de bens ou serviços, 3) aumentar lei da Anatel também prevê essa expertise no seu art. 23 (L
arbitrariamente os lucros e 4) exercer de forma abusiva 9472). Por que se exige expertise? Porque, para se justificar, a
posição dominante. Portanto, posição dominante, de novo, agência precisa contar com esse conhecimento técnico
em si, não constitui falha de mercado. O que é infração à avançado. Justamente para disciplinar o setor alvo de sua
concorrência é o exercício abusivo dessa posição. O que é a regulação de forma imparcial e não política (palpiteira) precisa
presunção de posição dominante? O parágrafo 2º do art. 36 de expertise. Se a expertise for reconhecida, além da
da Lei do CADE presume detentor de posição dominante a reputação ilibada e demais requisitos, a agência vai fazer jus à
EMPRESA OU GRUPO DE EMPRESAS capaz de ALTERAR deferência judicial. Sem expertise, não há deferência (vimos
UNILATERAL OU COORDENAMENTE AS CONDIÇÕES DE no Chevron Test). Nessa primeira prova o professor não vai
MERCADO ou quando CONTROLAR 20% OU MAIS DO fazer perguntas sobre o Chevron Test.
MERCADO RELEVANTE, podendo esse percentual ser alterado
pelo CADE para setores específicos da economia. Questão do Pessoal
O STF declarou inconstitucional a adoção de regime de
Composição de Conflitos emprego público puro e simples para o pessoal da agência
Capitulo 10 do Livro do Aragão. Sobre composição de reguladora, pois o vínculo deve se institucional. Função
conflitos, por exemplo, a lei da ANATEL, art. 19, diz que uma regulatória é típica do Estado, portanto, os agentes das
das suas funções é compor administrativamente conflitos de agências reguladoras devem ter vínculo com o Estado de cargo
interesse entre prestadoras de serviços de telecomunicações. público (servidores). A estabilidade dos agentes é a do art. 41
Além disso, a AEEL, a ANATEL e a ANP utilizam a resolução da CF (após 3 anos) que é diferente da estabilidade (restrição
Conjunta nº 2 para resolver conflitos entre elas concernentes à demissão ad nutum) dos dirigentes. Tanto os dirigentes
ao compartilhamento de infraestrutura. Compor quanto os técnicos terão vínculo institucional e não contratual
administrativamente conflitos de interesse é matéria de (celetista).
agência reguladora (FUNÇÃO JULGADORA).
Estabilidade dos dirigentes
Consensualização e Termos de Ajustamento de Têm MANDATO FIXO e não podem ser exonerados ad
Conduta nutum, alguns até podem pela “janela” dos 4 meses iniciais do
Algumas leis tratam da possibilidade do TAC, outras não. mandato.
Quando não há dispositivo na lei ESPECÍFICA, utiliza-se a LEI
14 Princípios de Direito da Regulação no Brasil
DA AÇÃO CIVIL PÚBLICA, L. 7.347 que permite às autarquias o
Não cairá OCDE na prova, mas precisamos saber esses
TAC. Há casos em que a própria lei dispõe nesse sentido, ex.:
princípios.
Arts. 29 e 29-A da L 9.656 (ANS) que fala que antes de aplicada
a penalidade, o processo administrativo pode ser suspenso Para finalizar a revisão para prova, o professor sugere a
pela operadora se a operadora ou prestadora assinar o TAC leitura dos capítulos 8 e 10 do Livro do Aragão.
perante a direção colegiada. Esse termo tem eficácia de
TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL e nele a operadora ou Lei da Anatel para depois da prova.
administradora de serviço vai ter que fazer, PELO MENOS, Dispositivos que são necessários para a palestra: arts. 60,
constar as seguintes cláusulas: 1) assumir que cessará a 61 (internet é serviço de valor adicionado e não serviço
prática da irregularidade (de atividades ou dos atos objetos da público), 63, 79, 83, 126, 127 e 131 + § 1º (esse artigo fala que
acusação); 2) corrigir as irregularidades. autorização é ato administrativo vinculado, então não é
autorização é licença. Não precisa de licitação.).
Veja-se que a operadora não confessa matéria de fato,
não reconhece a ilicitude da conduta, embora assuma que E-mail do professor anterior à P1:
deva corrigir as irregularidades apontadas. O TAC também Importante ter ciência:
suspende a prescrição.
"Sem controle, alimentos circulam com agrotóxico irregular
Caráter técnico das agências reguladoras no país"
Característica do nosso sistema. Art. 5º da L. 9.986/00. Os
(Fonte: Folha de São Paulo, 4 de outubro de 2015)
Presidentes ou diretores das agências reguladoras (isso vale

24
São escolhidos pelo PRESIDENTE DA REPÚBLICA e por ele
nomeados após (art. 52 da CF) aprovação por maioria absoluta do
Senado Federal.
CADERNO DA MARINA LOPES
É quase certo que a fruta, o legume e a verdura que chegam desconformidade nos produtos analisados em supermercados
atualmente à sua mesa não tenham passado por nenhum da capital e da Grande SP –muitos, provavelmente, haviam
controle rígido dos níveis de agrotóxicos. Documentos obtidos passado antes pela Ceagesp.
pela Folha mostram que a fiscalização, quando é feita, atinge
Reavaliação de agrotóxicos iniciada em 2008 na Anvisa ainda
somente uma fração pequena dos produtos e reprova até um
está sendo feita; cinco substâncias foram vetadas
terço deles. Por exemplo: análise por amostragem da Anvisa
(Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em alimentos típicos Em 2014, 1 de cada 5 produtos à espera de registro no país
da cesta básica que circularam no Estado de São Paulo em estava prestes a ser banido da União Europeia
2014 mostrou que 31% tinham agrotóxicos proibidos ou em
quantidade acima da permitida para os produtos. O resultado Enquanto nos gabinetes de Brasília decisões sobre o controle
dessa análise revela falhas na cadeia de controle da qualidade dos agrotóxicos são postergadas, ingredientes químicos
dos hortifrutigranjeiros produzidos e comercializados dentro proibidos no exterior são pulverizados sobre os vegetais nas
do território nacional. lavouras do país. Desde 2008, a Anvisa (Agência Nacional de
Vigilância Sanitária) abriu 14 processos de reavaliação
Um espelho desse quadro é a Ceagesp (Companhia de toxicológica de ingredientes de agrotóxicos. A lista é de
Entrepostos e Armazéns Gerais), em São Paulo. Por esse que é produtos que oferecem riscos à saúde, segundo os estudos.
o maior armazém comercial da América Latina passam cerca Entre as possíveis consequências, há itens como
de 30% de toda a produção nacional de alimentos atualmente. "carcinogênico" (pode causar câncer) e "suspeita de
Durante todo o ano passado, segundo informa documento do desregulação endócrina". Passados sete anos, sete dos 14
Ministério da Agricultura, só duas amostras de bananas foram processos de reavaliação ainda não terminaram.
coletadas ali para monitoramento."Não há controle, nunca vi
nada. E trabalho aqui há 20 anos", afirma o feirante Cláudio de Cinco foram concluídos com a proibição dos produtos. Dois,
Jesus, 39, dono de uma banca de legumes na feira que com restrição de uso. Nas amostras pesquisadas no ano
funciona semanalmente dentro da Ceagesp, na zona oeste da passado em São Paulo, a Anvisa detectou substâncias em
capital paulista. Esse depósito gigante distribui produtos para processo de banimento em alimentos como alface, uva,
supermercados e feiras da capital, além de dezenas de cidades tomate, morango, cenoura, pepino e beterraba. "Quando
do interior e outros Estados. "É lamentável essa falta de falamos em agrotóxico, falamos em veneno. O descontrole
controle", afirma a dona de casa Adriana Lima, 29, que faz deles causa prejuízo para a saúde", diz Luiz Claudio Meirelles,
compras na Ceagesp há quatro anos pesquisador da Fiocruz. Para críticos da atuação
governamental no setor, as políticas públicas adotadas
Potência na produção de alimentos, o Brasil é, por isso, um dos atualmente, além de desconexas, acabam estimulando a
maiores consumidores de agrotóxicos do planeta. Entre as produção e o consumo de agrotóxicos nocivos à saúde e ao
substâncias usadas no país estão algumas potencialmente ambiente.
cancerígenas, parte delas banidas da União Europeia e de
países como China e Índia. Os riscos à saúde vão de irritação Pelas leis vigentes, há isenção de IPI (Imposto sobre Produtos
na pele e nos olhos a dificuldades respiratórias, malformações Industrializados) para os agrotóxicos e redução de 60% na
congênitas, alterações no sistema hormonal e imunológico e cobrança de ICMS. A importação e a venda interna das
câncer. substâncias também são isentas de PIS/Pasep e Cofins. Por
outro lado, os produtores de orgânicos não contam com esse
Para minimizar os efeitos, lavar bem os alimentos ajuda, mas incentivo fiscal.
não elimina todos os resquícios de agrotóxicos. "É um risco
inaceitável. Os gargalos não são acidentais, as autoridades FUTURO
fazem vista grossa", diz o defensor público Marcelo Novaes, "Nos últimos 15 anos, a importação de agrotóxicos subiu por
que coletou todas essas informações oficiais para, volta de 1.000%. O Brasil é atualmente o maior importador
inicialmente, estudar a situação em Santo André, na Grande mundial", afirma Victor Pelaez, professor do Departamento de
São Paulo. Suas conclusões serão apresentadas nesta semana. Economia da UFPR (Universidade Federal do Paraná). Ele é um
A responsabilidade pelos agrotóxicos é de três órgãos federais: dos autores do artigo "A (des)coordenação de políticas para a
além da Anvisa e da Agricultura, o Ministério do Meio indústria de agrotóxicos no Brasil". O estudo mostra que, de
Ambiente também tem atribuição por sua área. O trabalho de 1.500 produtos aguardando registro da Anvisa no ano
cada órgão, contudo, costuma dar em resultados passado, 20% tinham ingredientes prestes a serem banidos
contrastantes. As 48 amostras analisadas pelo Ministério da pela União Europeia. Para ele, o resultado traz, além de um
Agricultura em São Paulo em 2014, por exemplo, incluindo as alerta sanitário, a ameaça de um risco econômico para o país.
duas de bananas na Ceagesp, foram consideradas "Produtos brasileiros, com restos de agrotóxicos proibidos,
satisfatórias. No mesmo período, a Anvisa detectou 31% de terão dificuldades de entrar na Europa", afirma o estudioso.
CADERNO DA MARINA LOPES
Segundo órgãos que fazem o controle do agrotóxico no Brasil, Sobre a quantidade de amostras que analisa anualmente, a
todos os programas existentes são de caráter informativo, Anvisa afirma que a legislação "não especifica o quantitativo
para orientação. O Estado de São Paulo, fiando-se na de amostras a serem monitoradas".
legislação em vigor, não aplica nenhuma multa desde 2002,
Ainda assim, a agência disse ter monitorado no ano passado
mesmo a quem é reincidente nas infrações relacionadas a
os 25 principais alimentos de origem vegetal que compõem a
esses produtos."A fiscalização é infrutífera e aleatória. É quase
dieta do brasileiro. Em 15 anos, ressalta, foram cerca de 30 mil
uma ficção", afirmou à Folhao engenheiro agrônomo Marco
amostras. Sobre as diferenças de metodologia da Anvisa e do
Antônio de Moraes, que atua na Coordenadoria de Defesa
Ministério da Agricultura, o órgão sanitário informa que são
Agropecuária de SP há 23 anos.
programas com "focos diferentes e complementares".
Segundo a Secretaria de Agricultura do Estado, uma minuta de
A Anvisa colhe amostras nos locais onde a população
projeto de lei, que ainda não tramita no Legislativo, permitirá
geralmente adquire os alimentos. Já o ministério atua em
a aplicação de multas, caso um dia seja aprovada. A pasta
propriedades rurais, estabelecimentos comerciais e centrais
ressaltou que denuncia os infratores ao Ministério Público.
de abastecimento. (Fonte: FSP)
Para a Anvisa, as análises que resultam em multa deveriam ser
feitas em programas de Estados e municípios, e o rito "implica
em procedimentos que oneram a rotina dos já
sobrecarregados laboratórios".

O Instituto Adolfo Lutz, do Estado de São Paulo, embora citado


pela Anvisa, não tem capacidade laboratorial para analisar
resíduos de agrotóxicos. Em ofício à Defensoria Pública, o
diretor-geral do instituto, Helio Caiaffa, diz que isso deve
começar a acontecer somente a partir do ano que vem. A
responsabilidade pelo controle dos níveis de agrotóxico no
país é federal, mas a atividade é compartilhada entre
municípios e Estados. Em ofício encaminhado à Defensoria
Pública do Estado de São Paulo, a Ceagesp reconhece que,
desde 2009, não realiza monitoramento nos produtos que
comercializa, uma média mensal de 283 mil toneladas.

Naquele ano, o órgão assinou convênio com o Ministério da


Agricultura, que desde então passou a ser responsável pelo
controle. Antes das duas amostras de banana analisadas no
ano passado, o último controle na Ceagesp havia sido feito em
2012, quando foram coletadas dez amostras de quatro
culturas (batata, laranja, morango e pimentão). Segundo o
ministério, a prática foi alterada para "garantir maior
rastreabilidade e abrangência", com o monitoramento sendo
feito diretamente nos produtores ou no porto de Santos, antes
de os alimentos serem exportados.

ATÉ O FIM DO ANO

A Anvisa, que não publicou ainda relatórios sobre as análises


feitas em 2013 e 2014, disse que fará a divulgação dos
resultados até o fim do ano. Os números mais recentes
disponibilizados pela agência são de 2012. Ao justificar o
tempo entre as coletas e a divulgação dos resultados, a Anvisa
informa que, em alguns casos, o prazo da publicação de dados
nos Estados Unidos, por exemplo, é ainda maior. A agência
afirma que está encerrando os processos de reavaliação de
sete agrotóxicos, que começou em 2008, mas não estipula
uma data para que isso ocorra. Outros produtos terão que ser
analisados também, em decorrência de decisões judiciais.