Você está na página 1de 8

PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

ESCOLA: __________________________________________________ DATA: ____/ ____/ 20__

NOME: _____________________________________________________ Nº ____ TURMA: ____

GRUPO I

Para responderes às questões que se seguem, vais ouvir uma reportagem


sobre o Festival Bike Portugal realizado em 2017.
Link: https://www.tsf.pt/desporto/interior/festival-bike-portugal-tres-dias-para-celebrar-a-
bicicleta-8823283.html

Antes de iniciares a audição do texto, lê a questão e as respetivas alíneas.


Em seguida, ouve atentamente a reportagem duas vezes e responde ao que é
pedido.

1. Classifica as seguintes informações como verdadeiras (V) ou falsas (F).

a) O Festival Bike Portugal realiza-se em Santarém.

b) O Festival, no ano de 2017, tem mais espaço disponível com duas


naves.

c) Neste Festival há menos expositores.

d) Segundo Vasco Garcias, as atividades propostas na feira


aumentaram em relação ao ano anterior.

e) De acordo com o diretor Vasco Garcias, o sucesso da feira deve-se


tanto à dinâmica dos organizadores como dos participantes.

f) O Festival decorre no sábado e no domingo.

g) A feira apenas permite que as várias marcas mostrem os seus


produtos ligados à segurança das bicicletas e dos ciclistas.

h) É apresentado o exemplo de uma empresa que investiu em


capacetes aeorodinâmicos e pesados.

i) O Festival Bike Portugal decorre no Parque de Exposições da cidade.

j) O Festival pretende ser uma festa da bicicleta e dos seus amantes.

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 1
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

GRUPO II – Texto A

Lê o texto.
ÓRBITA: 45 ANOS A DAR AO PEDAL

Em Águeda chegou a haver mais de 70 empresas de fabrico ou montagem de


bicicletas. Hoje, a Órbita é a única portuguesa que resiste. Mas, para chegar aos 45
anos de existência, a empresa que ganhou concursos em Paris, Viena e agora em
Lisboa, nunca deixou de pedalar. Afinal de contas, gerir uma empresa também pode
5 ser como andar de bicicleta.

Há um ano deixou de ser uma empresa de família, mas o nome, inspirado no


primeiro satélite enviado a Marte com sucesso, continua a soar familiar a várias
gerações de portugueses. São seguramente muitos, nascidos em finais da década
de 60 ou durante a de 70 do século XX, que tiveram uma Órbita.
10 Conhecida como a “capital das duas rodas”, não apenas por causa das
bicicletas mas também das motorizadas, Águeda chegou a ter, em finais do século
passado, mais de 70 empresas que se dedicavam ao fabrico ou montagem de
bicicletas. A Órbita era uma delas. Fundada em 1971, fruto de uma decisão da
administração da Miralago, a empresa-mãe, e da vontade de Aurélio Ferreira, o
15 empresário de 85 anos que esteve à frente dos destinos do grupo até setembro do
ano passado. Nessa altura, a Miralago já construía diversos componentes, mas
Aurélio Ferreira queria substituir por completo a importação. “Esse era o meu lema”,
confessou numa entrevista, em 2014, ao programa Sucesso.pt, da SIC Notícias.
“Achei que devia haver uma empresa que devia produzir toda a bicicleta, evitando
20 que uma empresa estrangeira viesse fazer o trabalho que nos competia: fabricar,
montar e distribuir”, concluiu o empresário que não gostava de estar preso a três
coisas: “aos bancos, aos clientes e aos fornecedores”. Mas, e sem uma terceira
geração para dar continuidade familiar à empresa, a necessitar de permanente
renovação organizacional e tecnológica, Aurélio Ferreira acabaria por vender o grupo
25 Órbita-Miralago, em 2015.
E a verdade é que a Órbita é mesmo a única empresa portuguesa de fabrico de
bicicletas que ainda hoje resiste. Nunca chegou a atingir os 100 por cento de
materiais inteiramente produzidos, mas andou pelos 80, deixando de fora os pneus
ou as mudanças, por exemplo.
Mário David Campos, in http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-10-30-Orbita-45-anos-a-dar-ao-
pedal (consultado em 22-01-2017. Texto com adaptações)

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 2
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

1. Assinala com X (de 1.1. a 1.5.) a única opção que completa corretamente a
frase, de acordo com o sentido do texto.

1.1. A Órbita é
A. uma antiga empresa de bicicletas da cidade de Águeda.
B. a empresa que, com sucesso, enviou o primeiro satélite a Marte.
C. uma empresa portuguesa de fabrico de bicicletas ainda a funcionar.
D. uma empresa de bicicletas que tem sede no estrangeiro.

1.2. Águeda é conhecida como a “capital das duas rodas” porque


A. teve mais de setenta empresas de fabrico e montagem de bicicletas.
B. teve muitas empresas dedicadas às bicicletas e às motorizadas.
C. toda a sua população se movimenta de bicicleta e de motorizada.
D. é uma forma de as várias gerações homenagearem a empresa Órbita.

1.3. A empresa Órbita foi fundada


A. em 1971, por decisão da administração da Miralago e de Aurélio Ferreira.
B. em 1971, apenas pela vontade da administração da Miralago.
C. em 1971, por vontade exclusiva de Aurélio Ferreira.
D. na década de 1960, por Aurélio Ferreira e pela Miralago.

1.4. O lema de Aurélio Ferreira era


A. ser capaz de fabricar, montar e distribuir, sem importar peças.
B. fazer o trabalho que lhe competia, mesmo que tivesse de importar.
C. estar preso a bancos, a clientes e a fornecedores.
D. abandonar a importação e construir alguns componentes para a bicicleta.

1.5. Aurélio Ferreira vendeu o grupo Órbita-Miralago, em 2015, porque


A. sempre gostou de contrariar a sua família.
B. a empresa precisava de novos fornecedores.
C. não queria que os seus netos tivessem preocupações com a empresa.
D. a sua família não asseguraria a continuidade do negócio.

2. Identifica os recursos expressivos utilizados nas seguintes expressões.


a) “a empresa que ganhou concursos em Paris, Viena e agora em Lisboa” (linhas 3-4).
______________________________________________________________
b) “Afinal de contas, gerir uma empresa também pode ser como andar de
bicicleta.” (linhas 4-5).
______________________________________________________________

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 3
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

Texto B

Lê o texto que se segue. Se necessário, consulta as notas de vocabulário.

O ALEXANDRINHO

Ao cimo de Louredo há uma casa grande, pintada de branco, com um jardim à


volta cheio de roseiras. Os muros que a cercam são muito altos. Os portões de
ferro, pintados de preto, todo o ano estão fechados. Chamamos-lhe a Casa do
Doutor, porque o dono é o doutor Paulino, um médico que vive na cidade do Porto.
5 Todos os anos, durante o mês de julho costuma vir a Louredo passar férias
com a família. Vem a mulher do doutor, a Dona Esmeralda (que costuma dar à
malta muitas coisas: roupas usadas, rebuçados, chocolates e, às vezes, até
bananas!). Também aparece a Paulinha, que tem três anos, e o Alexandrinho, que
é da minha idade, tem dez anos.
10 Este ano chegaram, como é costume, no primeiro dia de julho. O Alexandrinho
não perdeu tempo, correu logo à minha procura montado numa bicicleta nova que o
pai lhe oferecera de presente. Uma bicicleta impecável, com guiador à ciclista,
travões muito seguros, e até com farol para se andar de noite. Vermelha, afinada, ai
que rica bicicleta!
15 O meu colega da cidade é meu amigo, às vezes acompanha-me quando tenho
de ir para o meio das bouças1 guardar a cabra e os cabritos. É claro que ele não se
importa com nada, quer lá saber que os bichos vão comer para as bouças dos
vizinhos! Para ele, tudo é bouça, não compreende que as pessoas fiquem
aborrecidas se encontram os animais alheios a comer o tojo2, que lhe pertence.
20 Acha que tudo isso é “caretice”.
– Sabes, Jorge, gosto muito desta aldeia. O cheiro é diferente. A gente sente-se
bem. Podemos andar por onde quisermos, em liberdade, que não há o mínimo de
problemas.
E eu, cheio de curiosidade:
25 – Então lá na tua cidade, não é igual?
– Muito diferente! Por exemplo: se quiser andar um bocado de bicicleta, só o
posso fazer numa praceta que por acaso há junto de minha casa. De vez em quando
a minha mãe deixa-me ir ao cinema, ou ver uma peça de teatro infantil. Quanto ao

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 4
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

meu pai, sabes como é!... Nunca tem tempo para nada, anda sempre numa correria
30 de casa para o hospital, do hospital para o consultório, sempre isto, todos os dias.
Quando chega a casa, ergue as mãos e pede para não o chatearmos.
António Mota, O rapaz de Louredo, Porto, Gailivro, 8.ª ed., 2008, pp. 27-29

Vocabulário:

1 bouças – terrenos em que se cria mato/pasto para os animais.


2 tojo – planta com espinhos e com folhas de reduzidas dimensões que serve de alimento ou de cama
para os animais.

3. As frases a seguir apresentadas de A. a H. contêm informações presentes no


texto. Numera essas informações de acordo com a ordem pela qual aparecem no
texto. Inicia pela letra F.

A. Relação entre Alexandrinho e Jorge.

B. Curiosidade de Jorge em relação à cidade.

C. Apresentação dos elementos da família do doutor Paulino.

D. Chegada dos donos da Casa do Doutor a Louredo.

E. Caracterização da vida na cidade.

F. Descrição da casa do doutor Paulino. 1


G. Opinião do Alexandrinho em relação a Louredo.

H. Apreciação da bicicleta do Alexandrinho.

4. Transcreve do texto uma expressão que comprove que Dona Esmeralda era
generosa.
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
5. Indica, de forma justificada, o que pensa o Jorge da bicicleta do Alexandrino.
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________

6. “– Sabes, Jorge, gosto muito desta aldeia.” (linha 21)


6.1. Assinala os três motivos que levam o Alexandrinho a gostar de Louredo.
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 5
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

7. Indica o tipo de sensação sugerida pelas seguintes expressões.


a) “Os muros que a cercam são muito altos.” (linha 2)
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
b) “O cheiro é diferente.” (linha 21)
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________

8. Depois de terem lido o texto, o Manuel e a Isabel trocaram as seguintes opiniões:

Manuel: Eu concordo com o Alexandrinho. A vida na aldeia é muito mais calma e


sentimo-nos mais livres.
Isabel: Eu não concordo. Acho que viver na cidade é muito melhor.

8.1. Escolhe a opinião com a qual estás mais de acordo e justifica a tua resposta,
apresentando duas razões.

__________________________________________________________________

__________________________________________________________________

__________________________________________________________________

__________________________________________________________________

GRUPO III

1. Identifica a classe das palavras sublinhadas na seguinte frase, assinalando-as


com um X no lugar respetivo da tabela.
O Alexandrinho chegou na sua bicicleta nova que o pai lhe ofereceu.

Nome Adjetivo Verbo Determinante Pronome


O
Alexandrinho
chegou
sua
bicicleta
nova
lhe
ofereceu

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 6
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

2. Completa as seguintes frases com a forma dos verbos entre parênteses, nos
tempos e modos indicados.
a) O Jorge ____________ (querer, pretérito perfeito do indicativo) ter uma
bicicleta como a do amigo.
b) Os dois amigos ____________ (ser, pretérito imperfeito do indicativo) muito
unidos.
c) – ____________ (andar , imperativo) comigo guardar as ovelhas e as cabras.
d) Louredo ____________ (cheirar, futuro do indicativo) sempre de forma
diferente.

3. Reescreve as seguintes frases, substituindo a expressão sublinhada pelo


pronome pessoal correspondente.
a) O meu colega da cidade vem nas férias para Louredo.
______________________________________________________________
b) O pai ofereceu uma bicicleta ao Alexandrinho.
______________________________________________________________
c) O Jorge adorou a bicicleta.
______________________________________________________________

4. “Quando chega a casa, ergue as mãos e pede para não o chatearmos.” (linha 31)
4.1. Indica a(s) palavra(s) do texto que o pronome sublinhado substitui.

__________________________________________________________________

5. Indica a classe e a subclasse das palavras sublinhadas nas seguintes frases.


a) Às vezes, a minha mãe deixa-me ir ao cinema.
______________________________________________________________
b) O meu pai não tem tempo para nada.
______________________________________________________________
c) O Jorge queria uma bibicleta como aquela.
______________________________________________________________

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 7
PALAVRA PUXA PALAVRA 5 – TESTE DE AVALIAÇÃO

GRUPO IV

No final das férias, o Alexandrinho deixa Louredo e volta para a cidade.


Imagina que escreve uma carta ao Jorge para lhe contar o regresso às rotinas
da cidade, o primeiro dia de aulas e as saudades que sente do amigo.

A tua carta deve ter o mínimo de 120 e o máximo de 180 palavras.


Não te esqueças de respeitar a estrutura da carta e de a rever cuidadosamente
no final.

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

©Edições ASA | 2018 | Ana Simões, Ema Sá Barros, Joana Faria, Silvina Fidalgo Página 8