Você está na página 1de 5

André Singer acredita O artigo “Raízes sociais e ideoló- de Lula, 2002 e 2006.

Na primeira ele
gicas do lulismo”, de André Singer, foi eleito pela base tradicional do PT,
que o PT precisa desde sua publicação na revista No- ampliada. Ou seja, o partido vinha
vos Estudos nº 85, de novembro de construindo uma base desde 1982
aproveitar a janela 2009, vem sendo tema de debates nos na classe média – se considerarmos
histórica que se abre meios acadêmicos e políticos. Nele, o que os setores organizados da classe
professor do Departamento de Ciên- trabalhadora no Brasil fazem parte
para organizar e cia Política da USP e porta-voz da da classe média. Um metalúrgico é
Presidência da República de 2003 a de classe média, o que soa um pouco
politizar os setores 2007, com base em estudo e pesquisas estranho para quem usa categorias
mais populares, que se que mostram o comportamento e a europeias, por exemplo. Trata-se de
cultura política do eleitorado bra- uma configuração própria do Brasil,
aproximam do partido. sileiro, sugere hipóteses para com- um proletariado de classe média. As-
Caso isso aconteça, preender o realinhamento eleitoral sim, o PT constituiu uma base sólida,
ocorrido em 2006. O subproletariado, que foi se ampliando entre os seto-
virá uma grande que sempre se mantivera distante de res organizados dos trabalhadores
Lula, o reelege, ao mesmo tempo em industriais, bancários, funcionários
transformação, ainda que a classe média dele se afas- públicos, professores, estudantes.
maior do que as que ta. Para Singer, os setores de baixa Em 2002, a candidatura Lula fez
renda, beneficiados pelas ações do um movimento de ampliação desse
estão em curso primeiro mandato, identificaram-se eleitorado e chegou até a conseguir
com o projeto que tinha à frente o votos de todas as camadas sociais,
Por Rose Spina presidente Lula – e o lulismo, assim, mas, se olharmos a curva de intenção
pode ter fincado raízes duradouras de votos, veremos que ela cresce com
no subproletariado brasileiro. a renda e com a escolaridade, como
sempre tinha sido desde 1989, quan-
O que pode ser defini- do Lula foi candidato pela primeira
do como lulismo? vez em uma eleição nacional. Isso me
Estou sugerindo uma leva a dizer que, em 2002, ele se elege
hipótese, a ser compro- com uma base que é a clássica do PT,
vada pelo andamento do processo ampliada por um movimento de mo-
político da eleição de 2010, de que o deração em direção ao centro.
lulismo vem a ser um realinhamento Já em 2006 Lula se elege com uma
eleitoral ocorrido entre as eleições base completamente diferente. Perde o
de 2002 e 2006, mais precisamente. eleitorado de classe média que ganha-
Tal realinhamento seria a mudança ra em 2002 – as pesquisas não dizem
de base eleitoral que se verificou na se os novos eleitores de 2002 foram os
votação dessas duas candidaturas que deixaram de votar quatro anos de-

As raízes do
Teoria e Debate 88 ★ maio/junho 2010 4

4-Singer.indd 4 6/29/10 11:07 AM


ENTREVISTA

pois, mas houve redução do eleitorado Por quê? coração do que chamo de subprole-
de classe média, quantitativamente Essa mudança de bases eleitorais tariado, usando um conceito que o
equivalente à ampliação que tivera. corresponde muito diretamente ao que professor Paul Singer sugeriu ao ana-
Então, em 2006 volta aos patamares foi o programa do governo Lula, que lisar a estratificação social brasileira
anteriores, de 1998, mas, em contra- pôs de pé um projeto até certo ponto nos fi ns dos anos 1970 (Dominação e
partida, tem a adesão de eleitores de novo. Ele articulou duas coisas que Desigualdade, de Paul Singer. Paz e
baixíssima renda. Isso é o que eu cha- nunca tinham sido articuladas dessa Terra, 1981).
mo de realinhamento eleitoral. Houve maneira: de um lado, um forte pro-
uma troca de bases eleitorais que não grama de benefícios aos brasileiros A integração promovida pelas polí-
é simplesmente um zigue-zague oca- de menor renda, que tem a ver com ticas sociais do governo não é mais
sional, parece ser o fi m de uma época um pacote de medidas que parece ca- frágil do que a promovida por Getú-
e o início de uma nova. minhar na direção de uma mudan- lio Vargas, por meio da CLT?
ça estrutural, com formalização do Há os que dizem que, diferente-
emprego, Bolsa Família, aumento do mente do período de Getúlio, não
salário mínimo e expansão do crédito. foram conquistados novos direitos.
Essas quatro ações de governo, soma- Uma das diferenças é que essas me-
das, estão provocando uma mudança didas que mencionei não se configu-
nas condições de vida de milhões de ram como direito, enquanto a CLT é
brasileiros que estavam na base da um conjunto de direitos que foram
pirâmide. De outro, promoveu essas conquistados pelos trabalhadores
mudanças sem ameaça à ordem, sem urbanos. Uma coisa de extrema im-
radicalização e confronto políticos, portância é que todo o meio rural,
porque, fundamentalmente, o gover- naquela época muito significativo,
no decidiu manter certas orientações ficou de fora.
na conduta macroeconômica no pri- Penso que o Bolsa Família, embora
meiro mandato, autonomia do Banco tenha sido instituído como um progra-
Central, câmbio flutuante e superávits ma, tende a se tornar um direito no
primários altos. Brasil. O governo já anunciou que vai
Essa combinação – mudan- propor a consolidação das leis sociais
ças importantes e signifi- (CLS), que, com o Bolsa Família e ou-
cativas e sua promoção tros programas, será uma espécie de
sem um processo de CLT. No caso específico do Bolsa Famí-
confronto políti- lia, seu impacto foi tão profundo que
co, que, histori- os candidatos majoritários no Brasil,
camente, a es- como fica evidente na campanha do
querda sempre PSDB, dizem que não só o manterão
achou que tinha como também o ampliarão. Eviden-
Cesar Ogata

de haver – fala temente já está posto que ninguém


diretamente ao mexerá no Bolsa Família. Além disso,

LULISMO 5 Teoria e Debate 88 ★ maio/junho 2010

4-Singer.indd 5 6/29/10 11:07 AM


é bastante provável que o programa se adesão desse setor ao presidente Lula mostram que esse setor de menor ren-
integre à legislação como um direito, até cresceu durante o segundo manda- da rejeita o confl ito político. Essa foi a
porque marca o piso de renda a que to, porque boa parte da aprovação do razão, a meu ver, pela qual esse setor
qualquer brasileiro tem direito desde governo, que é alta, se deve também nunca votou no PT em massa, pois
que comprove obter um rendimento a isso – não apenas, porque 70%, 80% o partido sempre foi uma proposta
aquém do que a sociedade considera abarcam outros segmentos –, assim explicitamente radical e de confl ito.
aceitável. Tendo a achar que é uma como a ascensão, agora, da ex-ministra Nessas pesquisas, a rejeição às greves
transformação que caminha para ser Dilma Rousseff. Está claro que esse se- aumenta com a queda da renda e da
uma transformação estrutural, como tor demora mais tempo para receber a escolaridade. Há nesse setor uma hos-
foi a CLT. informação porque está mais distante tilidade ao confl ito político bastante
dos acontecimentos políticos, mas, à compreensível, uma vez que é o setor
Você escreveu em seu artigo que medida que se dá conta de que ela é mais vulnerável. Ao mesmo tempo, é
“o lulismo pode ter fincado raízes a candidata apoiada pelo presiden- preciso tomar muito cuidado ao tratá-
duradouras no subproletariado te Lula, declara crescentemente sua lo como conservador, porque ele quer
brasileiro”. Em que medida? Quão intenção de votar nela. Como, aliás, mudanças importantes, quer que o
profundas são essas raízes? escrevi para a própria Teoria e Debate, Estado intervenha na economia para
Essa é justamente a questão que no ano passado, que ainda no fi nal promover o que chamamos de distri-
o tempo terá de dirimir. Minha hipó- do primeiro semestre de 2010 isso iria buição de renda – pode usar outras
tese é de que isso pode ter acontecido acontecer. Além do que me parece palavras, mas sabe o que quer.
porque acho que, de fato – até soa um uma hipótese logicamente plausível, O lulismo é um fenômeno novo,
pouco engraçado, mas vou usar uma há vários sinais empíricos de que isso não está mobilizando só uma opção
expressão que todos andam ouvindo está acontecendo. pragmática, envolve também aspectos
muito –, nunca antes neste país se deu ideológicos importantes. Claro que, se
essa combinação. No período de Getú- Você acredita que a opção desse seg- perguntarmos a uma pessoa de baixa
lio, quando uma série de direitos im- mento se dá por um projeto de país? escolaridade qual é seu projeto de país,
portantes foi fi xada, deixou-se de fora Não seria um movimento mais prag- talvez ela diga que não sabe ou então
justamente esse setor que está sendo mático de fazer valer seus interesses?
pela primeira vez beneficiado. Essa é Há um substrato ideológico nesse
a grande novidade, e há um reconhe- setor da sociedade. Tenho uma visão
cimento dessa mudança por parte dos de ideologia que vai em direção a
que estão sendo contemplados, que se Gramsci, a ideologia vai permeando
expressa, em primeiro lugar, na reelei- a sociedade toda, ainda que fi ltrada
ção do presidente Lula em 2006. Esse por diferentes gramáticas e códigos.
foi o setor da sociedade que sustentou O código ideológico pelo qual se ex-
a reeleição contra a classe média, que pressa uma pessoa de baixa escola-
se afastou. Houve um movimento po- ridade não é o mesmo que o de um
lítico. Se dependesse da classe média, estudante universitário. Isso não
observando as curvas de intenção de quer dizer que ele não tenha uma
voto, o presidente eleito seria Alckmin. concepção de mundo. As pesquisas
Em segundo lugar, percebe-se que a a que tive acesso desde a eleição 1989

À MEDIDA QUE O SETOR DE BAIXA RENDA SE


DÁ CONTA DE QUE DILMA É A CANDIDATA DO
PRESIDENTE LULA, DECLARA CRESCENTEMENTE
SUA INTENÇÃO DE VOTAR NELA
Teoria e Debate 88 ★ maio/junho 2010 6

4-Singer.indd 6 6/29/10 11:07 AM


responda em termos muito diferentes to porque tanto ela quanto o centro uma daquelas janelas históricas, que
daqueles que estou expondo, mas acho viveram muito tempo de mobilizar, se abrem muito de vez em quando, e o
que acabaríamos por encontrar em sua pelo medo, esse setor da sociedade PT precisa aproveitar a oportunidade
resposta esse substrato ideológico que ao qual estamos nos referindo. Então, para politizar e organizar esse setor da
o lulismo mobiliza. havia o medo da desordem que, nos sociedade. Se isso acontecer, haverá
momentos-chave, como em 1989, era uma grande transformação, além das
Mas esse setor entende perfeita- mobilizado para votar contra Lula e que já estão em curso.
mente quando Lula diz que o brasi- o PT. Se minha hipótese do lulismo
leiro tem de tomar café da manhã, estiver correta, isso acabou. Então, Como isso poderia se dar na práti-
almoçar e jantar. há o grande desafio, para a direita e o ca, uma vez que o partido tem em
O presidente fala diretamente para centro, de reconquistar a viabilidade sua trajetória o trabalho com cate-
ele. E entende também quando Lula eleitoral a partir de um outro projeto. gorias organizadas?
diz que o governo precisa agir como Para a esquerda e, particularmen- O primeiro caminho é por meio da
uma dona de casa, não pode gastar te, para o PT, abre-se uma enorme Escola Nacional de Formação Política.
mais do que tem. É uma linguagem avenida, como nunca antes, que é a Um aspecto fundamental é dar a esses
bastante compreensível. aproximação de setores que podemos setores a formação que, por definição,
chamar de populares, que represen- não têm, pois nunca mantiveram, por
Como ficam os partidos políticos tam cerca de metade da sociedade exemplo, contato com a vida sindical.
nesse contexto, especialmente o PT? brasileira, ao partido. Essa é uma São pessoas que estiveram por muito
O lulismo apresenta para o con- possibilidade imensa para o PT, que tempo desempregadas ou em condi-
junto dos partidos um desafio por- precisa tomar duas decisões: concen- ções de trabalho informal. O segundo
que há uma rearrumação ideológica, trar esforços para organizar e politizar caminho é o retorno ao trabalho de
de projeto, e promove também uma esse setor da sociedade e manter um base. O momento é extremamente
rearrumação da própria estratifica- rumo à esquerda. Nessa nova confi- fértil para o contato e a organização
ção social. A direita precisa encontrar guração, manter-se à esquerda repre- dos movimentos nas periferias.
um novo discurso e um novo proje- senta um desafio. Estamos diante de
O lulismo parece uma contradição
em processo. Por exemplo, se de
Ricardo Stuckert/PR

um lado promove a expansão das


universidades federais, de outro cria
o ProUni, que, embora importante
para jovens de baixa renda, sustenta
o ensino privado. Qual sua opinião
sobre esse tipo de ambiguidade?
Como o projeto de governo mistura
elementos de mudança e de conserva-
ção simultaneamente, esse é um bom
exemplo, pois há uma expansão do
ensino público superior que aponta
na direção do programa da esquerda
e, ao mesmo tempo, há um programa
em parceria com o ensino privado,
que se expandiu enormemente no
Brasil e acabou por deixar o ensino
superior público como ilhas dentro de
um universo privado. A privatização
da educação vem ocorrendo desde a

7 Teoria e Debate 88 ★ maio/junho 2010

4-Singer.indd 7 6/29/10 11:07 AM


ditadura militar, e isso é muito forte cou uma ruptura. Os assim chamados tenha uma base sólida no Brasil, ela é
no ensino superior. Esse é um bom formadores de opinião não formaram minoritária, e com essa base ele não
exemplo das contradições que há no a opinião. Eles estavam convencidos ganha eleição.
projeto em curso e diante das quais o de que o mais grave era a corrupção
PT teria de se reposicionar. O partido e, portanto, era importante derrotar Em sua opinião, que papel terá o
deveria voltar a discutir a hipótese Lula com os problemas de 2005. Se eles presidente Lula daqui para a frente?
de tornar todo o ensino superior pú- tivessem prevalecido, Lula não teria Tenho a impressão de que ele con-
blico, inclusive, de alguma maneira, sido reeleito. Então, essas tentativas tinuará sendo a figura de primeira
tornando públicas essas instituições de distorcer a imagem de Dilma, que grandeza da política brasileira por um
de ensino privado. Essa bandeira, que não têm fundamento, não serão bem- bom tempo. Principalmente porque
é claramente de esquerda, não tem sucedidas. Houve uma transformação se converteu em um líder incontes-
aparecido nos debates do PT. estrutural – por isso insisto na hipótese te de um setor enorme da sociedade
do lulismo. O que vai sustentar a elei- brasileira. Além de estar deixando o
Você disse que a direita não empla- ção de Dilma é o lulismo. governo com uma aprovação inédita,
ca mais a tática do terror, como em encarna um projeto que responde por
1989. Mas, acompanhando a mídia Já que a base do lulismo é o sub- um contingente importante da po-
nesse início de campanha, é visível proletariado, qual é a base atual do pulação brasileira, e, como é jovem,
que continua tentando. antilulismo? continuará por muito tempo como
Não acredito que ela tenha sucesso. A base sólida do antilulismo é uma liderança política decisiva.
Há uma transformação, e a direita não a classe média tradicional e também a
conseguirá desviar a convicção profun- base sólida do PSDB. Embora o PSDB Como petista e cientista político, o
da de que a continuidade dessas políti- que recomendaria à coordenação
cas interessa a esse setor da sociedade, de campanha de Dilma?
que vai perceber, crescentemente, que ESSAS TENTATIVAS Eu gostaria, como militante da
é a candidata Dilma que representa DE DISTORCER A esquerda do PT, que fossem apro-
isso. Também não acredito na possibi- veitadas todas as oportunidades
lidade de distorções que levem ao voto IMAGEM DE DILMA, possíveis de avançar no sentido de
pelo medo. A eleição de 2006 signifi- QUE NÃO TÊM um programa mais progressista. A
chamada política real e pragmática
FUNDAMENTO,
Cesar Ogata

impõe limites, mas um partido de


NÃO SERÃO esquerda responsável tem de procu-
BEM-SUCEDIDAS. O rar ampliar esses limites. Penso, por
exemplo, que a autonomia do Banco
QUE VAI SUSTENTAR Central é um problema. O país conti-
A ELEIÇÃO DE DILMA nua praticando taxas de juros muito
altas e, mais adiante, vamos ter de
É O LULISMO mexer nisso, que está relacionado ao
câmbio, à questão orçamentária. Essa
ideia de que temos de caminhar para
a eliminação da miséria e da pobreza
no Brasil é o programa fundamental,
essa é a tarefa histórica que temos de
enfrentar, e para isso o país precisa
ter altas taxas de crescimento e dis-
tribuição de renda. ✪

Rose Spina é editora de Teoria e Debate

Teoria e Debate 88 ★ maio/junho 2010 8

4-Singer.indd 8 6/29/10 11:07 AM